You are on page 1of 20

O que é TV Digital?

• É uma nova tecnologia de transmissão de


sinais de televisão, que proporcionará
gratuitamente ao telespectador melhor
qualidade de imagens e sons e uma série
de novos benefícios, tais como ver
televisão quando em deslocamento e
interagir com os programas.
O que é a TV analógica?
• TV analógica forma a imagem e o som de
modo contínuo imagens com contornos
borrados, fantasmas, ruídos, distorções na
cor da pele das pessoas, dificuldade para
ler textos e números pequenos e, além de
tudo, ouvir um som pobre, que às vezes
até vem em estéreo.
O que muda com a TV Digital?
• A TV Digital transforma cada minúsculo
elemento da cena e do som em um número
binário formado somente por zeros (0) e uns (1);
é a mesma linguagem tecnológica dos
computadores.
• O primeiro grande impacto é a alta definição,
que aparece na mídia com as siglas HD (High
Definition - Alta Definição) ou HDTV (High
Definition Television - Televisão de Alta
Definição) em inglês.
Mobilidade e Portabilidade
• O nosso sistema de TV
digital permite que os
programas possam ser
vistos dentro de ônibus,
carros, barcos, aviões, em
notebooks, em celulares
com os telespectadores
em movimento, nos
desktops dos escritórios
ou até com receptores de
bolso.
Multi-programação
• É uma alternativa para a alta definição, que
permite assistir a programas diferentes no
mesmo canal, ou ver o mesmo programa com
vários ângulos/posições diferentes. Esse
recurso é configurável e a emissora poderá
diminuir o número de canais aumentando a
resolução. Por exemplo: dois programas com
resolução maior que o SD (Standard Definition),
mas menor que o HD. Para usar esse recurso,
precisa ter um aparelho para cada programa,
até porque o áudio vem embutido no vídeo do
programa.
Interatividade
• Permite fazer compras pela TV, votar em
pesquisas, consultar o guia de
programação das emissoras, realizar
operações bancárias, acessar à internet,
além de outros serviços que vão aparecer
à medida que a TV digital for se
consolidando em todo o país.
Tela no formato 16:9
• Esse número é a relação entre Largura e
Altura da tela. Esse formato permite ver
mais áreas das cenas do que a TV
analógica, cuja relação é 4:3 (tela quase
quadrada).
Som Surround 5.1
• É um som com seis caixas acústicas,
realce dos graves, conhecido na mídia
como som de Home Theater. Esse som
somente será usado com HDTV.
Padrão ISDB-TB

• O padrão de televisão digital adotado no Brasil é o


ISDB-TB, uma adaptação do ISDB-T (Integrated
Services Digital Broadcasting Terrestrial), padrão
japonês acrescida de tecnologias desenvolvidas nas
pesquisas das universidades brasileiras. O padrão
japonês foi escolhido,por atender melhor as
necessidades de energia nos receptores, mobilidade e
portabilidade sem custo para o consumidor, diferente do
padrão europeu (DVB-T), onde esta operação é tarifada
pelas empresas telefônicas. A principal diferença
constatada inicialmente após a decisão de se adotar o
padrão japonês para ser utilizado na televisão digital
brasileira, em junho de 2006, foi a substituição do
formato de compressão MPEG-2 para o MPEG-4.
Medição de audiência

• Com a chegada do novo sistema de transmissão, é


necessária também uma nova forma de se medir a
audiência televisiva das emissoras. Para isso, o Ibope,
maior instituto de pesquisa desta área do país, adotará o
aparelho DIB 6,[32] nova versão do aparelho medidor
DIB 4, utilizado na forma de medição de televisão
analógica People Meter. De acordo com o Ibope, esta
tecnologia permite conhecer também a preferência dos
telespectadores no computador e no celular através de
um software instalado nos mesmos.[32] Os testes da
nova tecnologia começaram em 2007 e a previsão é que
a nova tecnologia de medição esteja implementada em
2009.
Cronograma de implantação da TV
Digital no Brasil:
Resumo:
• • Alta Definição – Programas poderão ser transmitidos em formato e
qualidade de cinema, a chamada tela de cinema, ou 16:9.
• Som Multicanal – À similaridade do que ocorre em DVDs, o som poderá
ser surround.
• TV Móvel e Portátil – Haverá a possibilidade de assistir TV dentro de
carros (ou ônibus, trens, barcos etc) em movimento, sem que a imagem ou
o som falhe. Poder-se-á também assistir em celulares, PDAs, PALMs,
Notebooks, Lap tops etc.
• Múltiplos Programas – Também será tecnicamente possível para a
emissora transmitir mais de um programa simultaneamente, ou então,
diferentes tomadas da mesma cena de forma que o telespectador escolha
a que mais lhe aprouver.
• Interatividade – As emissoras poderão também disponibilizar ao
telespectador informações adicionais sobre a programação, tais como
dados sobre os atores do filme sendo apresentado, resumo do que
aconteceu na novela até o capítulo anterior, notas sobre o time que está
jogando etc. Para ver essas informações adicionais, o telespectador
interagirá com seu conversor digital ou com seu televisor já integrado.
Referências Bibliográficas:
• http://www.dtv.org.br/
De que forma a TV Digital pode
revolucionar a Educação no
Brasil?