You are on page 1of 45

14/08/2016

PLANEJAMENTO E
CONTROLE DA CAPACIDADE

Profº Wellington Ramos

Planejamento
e Controle da Capacidade

1
14/08/2016

Planejamento e Controle da Capacidade

ETAPAS DO PLANEJAMENTO E
CONTROLE DA CAPACIDADE
Produção Agregada

Capacidade - Definição
Capacidade produção máxima do
processo durante determinado período de
tempo.
É o ritmo máximo de produção de um
processo (Ritzman e Krajewski, 2004)

É o máximo nível de atividade de valor adicionado em


determinado período de tempo, que a produção pode
realizar em condições normais de operação (SLACK).

2
14/08/2016

CAPACIDADE DE PRODUÇÃO
• Moreira(1998) chama de capacidade a quantidade
máxima de produtos e serviços que podem ser
produzidos numa unidade produtiva, num dado
intervalo de tempo.

• Stevenson (2001) considera que a capacidade se


refere a um limite superior ou teto de carga que
uma unidade operacional pode suportar. A unidade
operacional pode ser uma fábrica, um
departamento, uma loja ou um funcionário.

CONCEITOS E DEFINIÇÕES BÁSICAS

• Capacidade = limites competitivos da empresa


ou também a taxa de resposta da empresa ao
mercado.
• É uma variável importante na estrutura de
custos, por que está diretamente relacionada ao
custo fixo.
• Define a composição da força de trabalho.

3
14/08/2016

DECISÕES A RESPEITO DE CAPACIDADE


Determinar os limites competitivos da empresa
Dar a taxa de resposta da empresa ao mercado
Oferecer a estrutura de custos
Dar a composição da força de trabalho
Definir os níveis de tecnologia
Exigir modelos de gestão atualizados
Definir a estratégia geral dos estoques

Planejamento e Controle da Capacidade


• As decisões sobre a capacidade afetam:
• Os custos;
• A receita;
• O capital de giro;
• A qualidade;
• A velocidade de resposta;
• A confiabilidade, e a
• Flexibilidade.

4
14/08/2016

As decisões sobre a capacidade afetam:

Os custos serão afetados pelo equilíbrio entre capacidade e


demanda. Níveis de capacidade excedentes à demanda podem
significar subutilização de capacidade, gerando alto custo unitário.
As receitas serão afetadas pois os níveis de capacidade iguais ou
superiores à demanda assegurarão que toda a demanda seja
atendida e não haja perda de receitas.
O capital de giro será afetado se uma operação decidir produzir
estoque de bens acabados antecipando-se à demanda. Isto permite
atender à demanda, mas a organização financia o estoque até que
seja vendido;

As decisões sobre a capacidade afetam:

A qualidade dos bens ou serviços pode ser afetada por um


planejamento de capacidade que inclui grandes flutuações nos
níveis de capacidade, através da contratação de pessoal
temporário, despreparado, o que aumentaria a probabilidade de
ocorrência de erros.

A velocidade de resposta à demanda do cliente pode ser


melhorada, seja pelo aumento dos estoques ou pela provisão
deliberada de capacidade excedente para evitar filas.

5
14/08/2016

As decisões sobre a capacidade afetam:

A confiabilidade do fornecimento será afetada pela


proximidade dos níveis de demanda e de capacidade, pois quanto
mais próxima a demanda estiver da capacidade máxima da
operação, tanto menos capaz esta será para lidar com
interrupções inesperadas e menos confiáveis seriam seus
fornecimentos de bens e serviços.

A flexibilidade, especialmente a de volume, será melhorada por


capacidade excedente. Se a demanda e a capacidade estiverem
em equilíbrio, a operação não será capaz de responder a
quaisquer aumentos inesperados da demanda.

FATORES QUE AFETAM A


CAPACIDADE

FATORES EXTERNOS

FATORES INTERNOS

6
14/08/2016

FATORES EXTERNOS

Legislação - trabalhista, tributária, segurança,


defesa do meio-ambiente, reciclagem de insumos,
uso de energia, etc.

Acordos e negociações - fornecedores, sindicatos,


órgãos de classe, governo e outros

Política econômica e cambial

FATORES INTERNOS
Projeto do produto ou do serviço

Questões de pessoal e empregos - treinamento,


motivação, aprendizado, satisfação com emprego e
métodos de trabalho

Arranjo físico da planta e fluxo do processo

Administração de materiais - armazenagem de


insumos e peças acabadas

7
14/08/2016

FATORES INTERNOS
• Capacidade de manutenção de equipamentos

• Sistemas de controle rígidos ou muito soltos

• Controle da qualidade

• Modelo de administração

Capacidade Instalada

8
14/08/2016

Capacidade instalada
• É a capacidade máxima que uma unidade produtora pode
produzir se trabalhar ininterruptamente, sem que seja
considerada nenhuma perda. Em outras palavras, é a
produção que poderia ser obtida em uma unidade fabril
trabalhando 24 horas por dia, todos os dias da semana e
todos os dias do mês, sem necessidade de parada, de
manutenções, sem perdas por dificuldades de programação,
falta de material ou outros motivos que são comuns em uma
unidade produtiva.

EXEMPLO
• Uma empresa do ramo alimentício tem capacidade
de produzir, em um forno contínuo, duas toneladas
de biscoito por hora. Qual é a capacidade mensal
desta empresa ?

• Resposta: Capacidade instalada = 30 dias x 24 horas x 2


toneladas por hora = 1.440 toneladas de biscoitos por
mês.

• Neste caso, a unidade de medida da capacidade


pode ser em tempo horas de forno disponíveis) ou
em quantidade (toneladas de biscoito produzidas).

9
14/08/2016

Capacidade disponível ou de projeto

• É a quantidade máxima que uma unidade


produtiva pode produzir durante a jornada de
trabalho disponível, sem levar em consideração
qualquer tipo de perda. A capacidade disponível,
via de regra, é considerada em função da jornada
de trabalho que a empresa adota.

EXEMPLO
• O fabricante de biscoitos do exemplo anterior, com 720
horas mensais de capacidade instalada, pode trabalhar:

• um turno: um turno diário, com oito horas de duração,


cinco dias por semana. Neste caso, a capacidade
disponível será de 8 x 5 x 4 = 160 horas mensais;

• dois turnos: dois turnos diários, com oito horas de duração


cada um, cinco dias por semana. Neste caso, a
capacidade disponível será de 2 x (8 x 5 x 4) = 320 horas
mensais;

• três turnos: três turnos diários, com oito horas de duração


cada um, cinco dias por semana. Neste caso, a
capacidade disponível será de 3 x (8 x 5 x 4) = 480 horas
mensais;

10
14/08/2016

EXEMPLO
• quatro turnos: três turnos diários, com oito horas de
duração cada um, sete dias por semana (há quatro
equipes que se intercalam para garantir o funcionamento
ininterrupto, respeitando o descanso semanal de todos os
funcionários). Neste caso, a capacidade disponível será
de 3 x (8 x 7 x 4) = 672 horas mensais. Observe que o
valor não atingiu 720 horas, pois estamos considerando
um mês composto por quatro semanas o que representa
28 dias, por facilidade de cálculo;

• realização de horas-extras: qualquer hora trabalhada além

da jornada normal de trabalho, considera hora extra e é


somada à capacidade disponível.

AUMENTO DA CAPACIDADE
Quando se opera próximo aos níveis máximos de
capacidade disponível, a empresa corre sério risco de
faturar mais, porém com menores resultados ou até
prejuízo. Por que isto acontece? Porquê os custos de
produção aumentam. Não se trata apenas de custos de
pagamento com horas-extras, adicional noturno e
aumento do overhead, acumulam-se os custos da falta
de produtividade e qualidade, em um fenômeno que é
conhecido como “deseconomia de escala”.

11
14/08/2016

AUMENTO DA CAPACIDADE

O aumento da capacidade instalada pela expansão do


parque instalado é recomendado quando houver
demanda de mercado a continuar em crescimento e
não haverá ociosidade deste investimento, o aumento
de capacidade por meio da adoção de mais jornadas
de trabalho pode ser mais interessante quando os
investimentos em equipamentos forem elevados e não
houver certeza do comportamento da demanda.

RESTRIÇÕES DE CAPACIDADE:
• Gargalo - é o recurso cuja capacidade
limita a produção

• Recursos Críticos - são aqueles


recursos que podem vir a ser gargalos,
dependendo do mix e do
seqüenciamento.

12
14/08/2016

AUMENTO DA CAPACIDADE
Existem duas formas de aumentar a capacidade disponível:

• aumento da capacidade instalada: consiste em


aumentar a quantidade de máquinas, adquirir
máquinas com maior capacidade de produção,
enfim, na expansão da planta industrial. Desta
forma, com a mesma jornada de trabalho, a
empresa pode produzir mais. O custo da mão-de-
obra, em apenas um turno de trabalho, é menor,
porém investimentos na planta industrial
representam custos fixos geralmente elevados;

AUMENTO DA CAPACIDADE
Existem duas formas de aumentar a capacidade disponível:

• aumento de turnos de trabalho: o custo da mão-


de-obra aumenta quando se aumentam os turnos
de trabalho em função da necessidade de
pagamento de “adicional noturno”, necessidade de
transporte durante a madrugada para os
funcionários, necessidade de mão-de-obra indireta
para a supervisão dos turnos e assim por diante.
Porém, trata-se de um custo variável.

13
14/08/2016

AUMENTO DA CAPACIDADE
Quando se opera próximo aos níveis máximos de
capacidade disponível, a empresa corre sério risco de
faturar mais, porém com menores resultados ou até
prejuízo. Por que isto acontece? Porquê os custos de
produção aumentam. Não se trata apenas de custos de
pagamento com horas-extras, adicional noturno e
aumento do overhead, acumulam-se os custos da falta
de produtividade e qualidade, em um fenômeno que é
conhecido como “deseconomia de escala”.

AUMENTO DA CAPACIDADE
O aumento da capacidade instalada pela expansão
do parque instalado é recomendado quando houver
demanda de mercado a continuar em crescimento
e não haverá ociosidade deste investimento, o
aumento de capacidade por meio da adoção de
mais jornadas de trabalho pode ser mais
interessante quando os investimentos em
equipamentos forem elevados e não houver certeza
do comportamento da demanda.

14
14/08/2016

Grau de disponibilidade
A capacidade instalada e a capacidade disponível permitem
a formação de um índice, denominado grau de
disponibilidade. Que indica, em percentual, quanto uma
unidade produtiva está disponível, conforme a fórmula
abaixo:

Capacidade disponível
Grau de disponibilidade =
Capacidade instalada

Capacidade Efetiva ou Carga

A capacidade efetiva representa a capacidade


disponível subtraindo-se as perdas planejadas
desta capacidade. A capacidade efetiva não pode
exceder a capacidade disponível, isto seria o
mesmo que programar uma carga de máquina por
um tempo superior ao disponível.

15
14/08/2016

Capacidade Efetiva ou Carga


Perdas de capacidade planejada: são aquelas
perdas que se sabe de antemão que irão acontecer,
por exemplo:

• Necessidade de set-ups para alterações no mix de


produtos:
• Manutenções preventivas periódicas;

• Tempos perdidos em trocas de turnos;

• Amostragens da qualidade, etc.

Grau de Utilização
A capacidade disponível e a capacidade efetiva permitem a
informação de um índice, denominado grau de utilização.
Que representa, em forma percentual, quanto uma unidade
produtiva está utilizando sua capacidade disponível,
conforme a fórmula abaixo:

Capacidade efetiva
Grau de utilização = Capacidade disponível

16
14/08/2016

Capacidade Realizada

•A capacidade realizada é obtida


subtraindo-se as perdas não planejadas
da capacidade efetiva, em outras
palavras, é a capacidade que realmente
aconteceu em determinado período.

Capacidade efetiva ou carga

Perdas de capacidade não planejadas: são


perdas que não se consegue antever, como por
exemplo:

• Falta de matéria-prima;
• Falta de energia elétrica;
• Falta de funcionários;
• Paradas para manutenção corretiva;
• Investigações de problemas da qualidade, etc.

17
Meta a ser alcançada pela produção

Valor a ser considerado


pelo planejamento

Disponibilidade
utilizável para
efetivamente

Problemas de

Problemas de
INEVITÁVEL
produção

EVITÁVEL
natureza

natureza
Disponibilidade Real

Disponibilidade Padrão

Disponibilidade Teórica (100%)

14/08/2016
18
14/08/2016

REGISTROS DE PRODUÇÃO
(DIÁRIO DE BORDO)

• Toda área produtiva tem uma forma de registrar todas as

ocorrências consideradas relevantes, acontecidas durante o


turno de produção. Além dos registros óbvios como quantidade
produzida, número de peças com defeito, por exemplo,
também são anotados ocorrências como horário e duração de
falta de energia elétrica, quebra ou paralisação de determina
máquina, falta de determinado material etc. trata-se de um
verdadeiro diário de bordo. Estes registros atualmente, são
feitos de forma on line via sistema de informática.

Índice de Eficiência
A capacidade realizada, quando comparada à
capacidade efetiva, fornece a porcentagem de
eficiência da unidade produtora em realizar o
trabalho programado, conforme a formula abaixo:

Capacidade realizada
Índice de eficiência =
Capacidade efetiva

19
14/08/2016

EXEMPLO
• O setor de tingimento de uma tecelagem tem uma

“barca de tingimento” (nome dado ao equipamento


para tingir tecidos através de um processo de
imersão em substância corante) com capacidade de
300 quilos de determinado tecido por hora. O setor
trabalha em dois turnos de oito horas, cinco dias por
semana. Durante a última semana, os registros de
produção apresentaram os seguintes apontamentos
de tempos perdidos:

EXEMPLO

Nº Ocorrência Tempo parado

1 Mudança de cor (set- up) 4,5 horas


2 Amostragem de qualidade 3 horas
3 Falta de pessoal 4 horas
4 Tempos de troca de turnos 50 minutos
5 Falta de tecido 2 horas
6 Manutenção preventiva regular 4 horas
7 Nenhum trabalho programado 2 horas
8 Investigações de falha de qualidade 40 minutos
9 Acidente de trabalho 25 minutos
10 Falta de energia elétrica 2,15 horas
PROFESSOR JOSÉ ALBERTO

20
14/08/2016

EXEMPLO
• Calcular a capacidade instalada , a capacidade

disponível, a capacidade efetiva, a capacidade


realizada, o grau de disponibilidade, o grau de
utilização e o índice de eficiência do setor de
tingimento da empresa de tecelagem na semana.

EXEMPLO
Resolução

• Capacidade instalada: 7 dias por semana x 24 horas por dia = 168


horas por semana ou 168 x 300 = 50.400 quilos de tecido tingido por
semana.
• Capacidade disponível: 16 horas por dia x 5 dias por semana = 80
horas por semana ou 80 x 300 = 24.000 quilos de tecido tingido por
semana.
• Capacidade efetiva: perdas planejadas (ocorrências: 1,2,4,6 e 7)
14,33 horas, portanto a capacidade efetiva será : 80 -14,33 = 65,67
horas ou 65,67 x 300 = 19.700 quilos de tecido tingido por semana.
• Capacidade realizada: perdas não planejadas (ocorrências: 3,5,8,9 e
10) = 9,23 horas, portanto a capacidade realizada foi d 65,67 – 9,23 =
56,44 horas ou 56,44 x 300 = 16.932 quilos tingidos por semana.

21
14/08/2016

Exemplo - Filme fotográfico

Um fabricante de papel fotográfico tem um


equipamento cuja capacidade de projeto é 200
m2/min ou 12.000 m2/h.

A linha opera 24h/dia, 7 dias/semana e 52


semanas/ano.

Calcular a capacidade de projeto da linha em


m2/semana:

Exemplo - Filme fotográfico

Calcular a capacidade de projeto da linha em


m2/semana:

m2 h dias
C projeto = 12000 × 24 ×7
h dia semana

m 2 h
C projeto = 12000 × 168
h semana

m2
C projeto da linha = 2 . 016 . 000
semana

22
14/08/2016

Planejamento e Controle da Capacidade


• Para esta semana foram apontados as seguintes paradas de
máquina:

1. Set up 20 h. 6. Parada manutenção 18 h.


2. Manutenção preventiva 16 h. 7. Investigação de falhas de 20 h.
regular qualidade
3. Falta de trabalho 8 h. 8. Falta de estoque 8 h.
4. Amostragem qualidade 8 h. 9. Falta de pessoal 6 h.
5. Tempo para troca de 7 h. 10. Espera por rolos de papel 6 h.
turno
Horas perdidas planejadas 59 h. Horas perdidas não planejada 58 h.

Volume real produzido na semana: 582.000 metros

46

Planejamento e Controle da Capacidade

• Há dois tipos de parada de máquina:


• As inevitáveis e, que, portanto deveriam ser planejadas
(as horas perdidas são excluídas na capacidade efetiva);
• As evitáveis e que não são planejadas
(as horas perdidas são incluídas na capacidade efetiva)
• Assim, tem-se:
• Capacidade de projeto: 168 h./sem. (24x7);
• Capacidade efetiva: 168 – 59 = 109 h./sem.
• Capacidade real: 168 – 59 – 58 = 51 h./sem.

23
14/08/2016

47

Planejamento e Controle da Capacidade


Eficiência = real / efetivo
51/109 = 0,468

Perdas
planejadas
59 h./sem.

Capacidade Perdas
de Projeto evitáveis
168 h./sem. Capacidade 58 h./sem.
Efetiva
109 h./sem. Produção
real:
51 h./sem.

Utilização = real / projeto


51/168 = 0,304

48

Exemplo - Filme fotográfico

Os 5 primeiros gastos de tempo somam


59h/semana e são relativamente inevitáveis.
Os 5 últimos gastos de tempo somam
58h/semana e são evitáveis.

m2 h
Cefetiva = 12000 × (168 − 59)
h semana

24
14/08/2016

49

Exemplo - Filme fotográfico

m2 h
Cefetiva = 12000 × (109)
h semana

m2
Cefetiva =1.308.000
semana

50

Exemplo - Filme fotográfico

m2
Volumereal =12000 × (109 − 58) h
h
m2
Volumereal =12000 × (51) h
h

Volumereal = 612.000 m 2

25
14/08/2016

51

Utilização

Utilização = Volume de produção real x 100%


capacidade de projeto

Utilização = 612.000 m2/semana x 100%


2.016.000m2/semana

Utilização = 30,4 %

Eficiência

Eficiência = Volume de produção real x 100%


capacidade efetiva

Eficiência = 612.000 m2/semana x 100%


1.308.000m2/semana

Eficiência = 46,8 %

26
14/08/2016

Exemplo
Uma ferramenta de corte a laser é
utilizada p/ produzir waffers de silício
usados em chips de memória de
computador.
Capac. de projeto equip = 30 chips/h
Utilização = 90%.
A planta trabalha 40h/sem e 52
semanas/ano.
Um milhão de chips são demandados p/
o próximo ano. Quantas máquinas são
necessárias?

Exemplo - Solução
Capacidade de projeto planta=
30 chips/h × 40h/sem × 52sem/ano = 62.400 chips/ano

Volume real = 62.400 × 0,9 = 56.160


Assim:
1.000.000 / (56.160) = 17,8 → 18 máquinas

27
14/08/2016

Qual o tamanho ideal da planta?


Economias & deseconomias de escala
Economia de Escala ocorre quando o custo
unitário médio do produto/serviço pode ser
reduzido através do aumento da taxa de
produção.

Economias de escala reduzem custos pelas


seguintes razões:
rateamento de custos fixos
redução dos custos de construção das instalações
ganhos de escala na compra de materiais

Deseconomias de escala

Deseconomia de Escala ocorre quando o


custo unitário médio aumenta com o
aumento da taxa de produção.

28
14/08/2016

Deseconomias de escala
Razões:
aumento da complexidade de gerenciamento
ineficiência oculta pelos altos volumes (rio)
no excessivo de empregados gera perda de contato com
o gerente
gerente com pouco contato com clientes
perda de agilidade pela burocracia
necessidade de aparato de troca de informações
distribuição dos produtos - logística

Exercícios de Fixação
1. Uma envasadora de refrigerante possui uma capacidade de projeto
em uma de suas linhas de produção de 30.000 latas/h. A linha opera
12h, 5 dias/semana. Calcule a utilização e a eficiência dessa linha de
produção.
2. Se nessa mesma fábrica de refrigerante, um programa de qualidade
conseguisse promover o aumento da utilização da linha de produção
para 70%, qual seria a nova eficiência dessa linha?
3. Uma empresa de calçados funciona 24h por dia, todos os dias do
mês, incluindo domingos e feriados. Analisando a operação mensal
de costurar cabedal, obtiveram se os seguintes tempos: • Mudanças
de produtos (setups): 58h; • Manutenção preventiva regular: 19h; •
Amostragens de qualidade: 6h; • Tempos de troca de turnos: 43h; •
Paradas para manutenção corretiva: 14h; • Investigação de falhas de
qualidade: 25h; Falta de estoque de material de cobertura: 12h. •
Calcule as capacidades de projeto e efetiva da operação (mensal)
sabendo que a capacidade de produção do sistema é de 1.500
pares/hora.

29
14/08/2016

Medidas de Capacidade

MEDIDA DE CAPACIDADE
Medida de capacidade é a quantidade de serviço ou
produto ou mesmo insumo disponibilizado num
período.
Produto - resultado do processo produtivo.
Insumo disponibilizado é usado para serviços e
quando é variável o tipo de serviço, qualificando-se de
vários atendimentos, utiliza-se o insumo que mais
caracterize o serviço. Variáveis - número de pessoas
trabalhando, jornada de trabalho, número de peças
produzidas por período.

30
14/08/2016

MEDIDAS DE CAPACIDADE
Exemplos
Organização Capacidade Estática Capacidade de Produção

Quantidade de salas, carteiras, enfim, número de


Faculdade Quantidade de alunos formados por ano.
vagas disponíveis

Quantidade de assentos na sala de espetáculo ou na


Teatro ou cinema Número de freqüentadores por semana.
sala de exibição.

Supermercado Área de vendas em m2 Faturamento mensal por m2

Transportadora rodoviária de Soma da capacidade em quilos ou m3 dos caminhões


Volume ou peso transportado por mês.
cargas disponíveis.

Quantidade de pacientes atendidos por


Hospital Número de leitos disponíveis.
mês.

Hidroelétrica “Tamanho” do gerador. Megawatts gerados por mês.

Confecções de roupas Número de costureiras e de máquinas de costura Produtos produzidos por semana.

Fábrica de fogões Número de homens e de máquinas. Fogões produzidos por mês.

Fazenda Área cultivada


PROFESSOR JOSÉ ALBERTO Toneladas de grãos por safra.

MEDIDAS DE CAPACIDADE

Há duas formas para medir a capacidade:

Através da produção

Através dos insumos

31
14/08/2016

MEDIDAS DE CAPACIDADE

Através da produção

Medidas comuns aos tipos de produto

Exemplo: 300 liquidificadores


300 batedeiras
Total 600 peças produzidas

MEDIDAS DE CAPACIDADE

Através de Insumos

A capacidade é dada pelos insumos


utilizados

É mais utilizado para serviços

32
14/08/2016

MEDIDAS DE CAPACIDADE

• Numa fábrica, no departamento de montagens:


Se 5 empregados trabalhando 8 horas diárias,
realizando montagem de um componente a razão
de 20 montagens por hora e por empregado.
A capacidade do departamento será dada pelo
número de montagens por hora = 800
montagens/h.
1 x 8 x 20 = 160 montagens/hora
5 x 160 = 800 montagens/hora

MEDIDAS DE CAPACIDADE

• Num serviço: Se uma loja for planejada para


atender 200 clientes/dia, mas está atendendo 120, a
loja estará operando em 60 %, abaixo da
capacidade de 100 % , pois 120/200 x 100 = 60 %

Para atuar acima de 100 % alguma variável deve ter


sido alterada. No caso da loja para ter capacidade
operacional acima de 100 %, pode-se ter alterado:
número de balconistas, o tempo médio gasto por
cliente, número de horas de funcionamento da loja.

33
14/08/2016

MEDIDAS DE CAPACIDADE
A diversidade de produtos altera a capacidade,
quanto mais padronizados os produtos, melhor a
utilização da capacidade.
Tempos de preparação de equipamentos -
capacidade aumentada ou diminuída
Para produtos diferentes, usa-se unidades
produzidas, por exemplo: 600 rádios + 300
televisões = 900 unidades

MEDIDAS DE CAPACIDADE
EXEMPLOS
EMPRESA MEDIDA
Siderúrgica toneladas de aço/período
Refinaria de Petróleo litros de gasolina/óleo
Montadora de Automóveis n°de veículos/período
Cia. De Papel toneladas de papel/período
Cia. De Eletrecidade megawatts/hora
Fazenda tonelada de grãos/período
Pecuária cabeças/mês

34
14/08/2016

EXPANSÃO DE CAPACIDADE
• A expansão de capacidade não se dá de forma contínua,
mas aos saltos.
• Os saltos têm limites, fazendo com que a empresa
procure novas instalações -

⇓ ⇓
construindo alugando
quando houver espaço solução temporária

EXPANSÃO DE CAPACIDADE
• Outras formas de expansão em uma fábrica:
a) procedendo um re-arranjo físico;
b) utilizando a capacidade ociosa de equipamentos ou
substituí-los por outros mais modernos;
c) utilizando outros métodos de programação e controle de
produção;
d) reduzindo áreas de estoques.

35
14/08/2016

EXPANSÃO DE CAPACIDADE
Na área de serviços:
a) procedendo um re-arranjo físico para aumentar
o número de atendentes;

b) administrando as filas de espera;

c) criar novos horários;

d) alterando os métodos de trabalho.

72

Planejamento de Equipamento e
Pessoal

36
14/08/2016

NECESSIDADES DE EQUIPAMENTOS
• Suponhamos que uma dada operação parte do
processamento de um certo produto deva ser repetido N
vezes ao dia, durante o qual a máquina estará em principio
disponível por h horas, tempo esse que depende
diretamente do numero de turnos de trabalho. Estando o
tempo t de cada operação expresso em minutos, o numero
m de maquinas necessária para acomodar todas as
operações:

NECESSIDADES DE EQUIPAMENTOS

Operação Máquina Duração (min)


O¹ M¹ 0,48
O² M² 0,10
0³ M³ 0,24

37
14/08/2016

NECESSIDADES DE EQUIPAMENTOS
Dados:
N = numero de operações = número de peças = 5.000;
e = eficiência = 0,90 (já que 10% do tempo é de paradas);

m¹ = t¹.N = (0,48).(5.000) = 5,6


60.h.e (60).(8).(0,90)
m² = t².N = (0,10).(5.000) = 1,2
60.h.e (60).(8).(0,90)
m³ = t³.N = (0,24).(5.000) = 2,8
60.h.e (60).(8).(0,90)

Serão necessárias 6 maquinas M¹; 2 M² e 3 M³

NECESSIDADES DE PESSOAL

38
14/08/2016

NECESSIDADES DE PESSOAL
= t¹.N/60.T.e + t².N/60.T.e + t³.N/60.T.e

n = (8).(100)/60.(6).(0,8) + (10).(100)/ 60.(6).(0,8) + (5).(100)/ 60.(6).(0,8)

n = 2,78 + 3,47 + 1,74 = ( 8 atendentes)

CURVAS DE APRENDIZAGEM
A produtividade no desempenho de uma atividade aumenta
com o numero de repetições foi notado já na década de
1920.

Ficou comprovado quando se dobra a produção de x para 2x,


o tempo de necessário para montar a unidade 2x era de 80%
do tempo para montar a unidade x. O empregados aprendem
a tarefa segundo uma curva de aprendizagem de 80%

39
14/08/2016

79

CURVAS DE APRENDIZAGEM

CURVAS DE APRENDIZAGEM
b para uma curva de aprendizagem de 80%, o valor de p é
0,8 e o de b será:

b = -In 0,8 / In 2 => -(-0,233)/0,693 = 0,322.

b para uma curva de aprendizagem de 90%, o valor de p é


0,8 e o de b será:

b = -In 0,9 / In 2 => -(-0,105)/0,693 = 0,152.

40
14/08/2016

CURVAS DE APRENDIZAGEM
Exemplo
Uma atividade leva 20 horas para ser completada da primeira
vez. Assumindo que a aprendizagem se faz uma curva de 80,
determine:
a) O tempo para fazer 2ª, 4ª e a 8ª unidade;
2ª unidade - 20.(0,8) = 16 horas;
4ª unidade - 16.(0,8) = 12,8 horas;
8ª unidade - 12,8.(0,8) = 10,24 horas
b) O tempo para fazer a 3ª a 6ª e a 12 unidade.
3ª unidade => y³ = 20.(3)-0,322 = 14,04
6ª unidade - 14,04.(0,8) = 11,232 horas;
9ª unidade - 11,232.(0,8) = 8,986 horas.

CURVAS DE APRENDIZAGEM
Usos da Curva de Aprendizagem

Alguns dos principais usos da curva de aprendizagem são as


seguintes:

a. No planejamento das necessidades de mão


de obra;
b. No planejamento de custos;
c. Em negociações;

41
14/08/2016

CURVAS DE APRENDIZAGEM
Usos de Tabelas
Os valores n-b podem ser tabelados pata diferentes curvas
e valores de n, facilitando os cálculos.

Exemplo
A montagem e a regulagem de um equipamento complexo
requerem, para a primeira unidade, um total de 80 horas.
Assumindo uma curva de aprendizagem de 80% e utilizando a
“Tabela de Coeficientes da Curva de Aprendizagem”; determinar:
a) O tempo para fazer 10ª unidade;
b) O tempo total para fazer as 10 primeiras unidades;
c) O tempo médio por unidade para as 10 primeiras unidades.

CURVAS DE APRENDIZAGEM

42
14/08/2016

CURVAS DE APRENDIZAGEM
Solução;
a. Da tabela para n=10 e curva 80%: n-b = 0,477. Logo, o
tempo para a 10ª unidade será => 80.(0,477) = 38,16 horas;

b. O coeficiente do tempo total para as 10ª primeiras


unidades é 6,315; logo, o tempo total será => 80.(6,315) =
505,2 horas;

c. O tempo médio por unidade será simplesmente o


quociente do tempo total pelas 10 unidades => tempo
médio = 505,2 / 10 = 50,52 horas/unidade.

Exercícios de Fixação
1. Na montagem de um novo produto, assumiu-se uma
curva de aprendizagem de 85%. A unidade inicial
necessitou 30 horas para a montagem. Determinar o
tempo necessário:
• a) para completar a 10a unidade.
• b) Para completar as 20 primeiras unidades.
• c) Para completar as unidades 15 a 20.

2. Uma companhia aérea operando na linha São Paulo - Rio


vai iniciar um programa de reforma das 25 aeronaves que
fazem a linha. Em trabalhos desse tipo, a companhia acha
razoável adotar uma curva de aprendizagem de 80%,
estimando 600 horas o tempo necessário para a reforma
da primeira aeronave.

43
14/08/2016

Exercícios de Fixação
Determinar o tempo de reforma:
• a) da 8a aeronave.
• b) das primeiras 8 aeronaves.
• c) De todas as 25 aeronaves.

3. Quais as principais razões pelas quais são importantes as


decisões sobre capacidade de uma unidade produtiva;
4. O que entende por curva de aprendizagem?
5. Um escritório de contabilidade deseja estabelecer para os
próximos 3 dias úteis, se preciso, um horário extra de
atendimento das 8 horas normais, para clientes que o
procuram para preparar a declaração do IRPF. O
escritório espera que nos 3 dias cerca de 30 clientes irão
procurá-lo. Existem dois funcionários para fazer as decla-

Exercícios de Fixação
3. declarações, sendo estimado que cada uma delas demorará
aproximadamente duas horas. Haverá necessidade de horas extras?
Em caso afirmativo, quantas?
4. Uma indústria de confecções tem 101 máquinas de costura para
atender a sua demanda atual que é 1.200.000 camisas por ano. O
mercado oferece a possibilidade de exportar cerca de 60.000 camisas
por mês. O dono da fábrica está interessado em fechar o contrato de
exportação, mas tem dúvidas quanto a sua capacidade de produção.
O tempo médio para costura de uma camisa de 0,25 h.; há dois turnos
de 6 horas, portanto a empresa atua 12 horas/dia em 280 dias no ano.
O dono nunca calculou exatamente, mas crê que atua em 90 % da sua
capacidade, pois sempre tem 2 máquinas no conserto, três na reserva
e duas muito antigas, que não são mais utilizadas, que farão parte do
museu que ele pretende construir um dia Questões:
a. Qual a quantidade de máquinas que ele deve ter para atender a demanda
atual?
b. Qual a quantidade de máquinas que ele deve ter para atender a demanda da
exportação?

44
14/08/2016

45