You are on page 1of 90

Heitor Miyazaki

No Evangelho S. João consta: “No


PRINCÍPIO era o Verbo e o Verbo estava
com Deus e TUDO FOI FEITO PELO
VERBO.”

Conclui-se que se no PRINCÍPIO era o


Verbo e tudo foi feito pelo Verbo, então
não existia a matéria. A matéria nasceu do
Verbo, da palavra.
No Gênesis 1.1 está escrito: “No PRINCÍPIO
Deus criou o céu e a terra”.

Então Deus criou a partir do que? Tudo se desenvolveu do NADA. Cientificamente foi
comprovado que a matéria é NADA.

A matéria que parece sólida é formada por inúmeras partículas chamadas moléculas.

Se você tivesse uma agulha da espessura da molécula, poderia atravessar um corpo e


pegar a agulha do outro lado.

E se você encher um copo com água e injetar gás carbônico, o volume da água não irá
aumentar, isto porque existem grandes distâncias entre as moléculas.

Vamos então dividir uma molécula, por exemplo, a molécula da água.

Uma molécula de água é composta por 2 átomos de hidrogênio e um de oxigênio.


Vamos dividir um átomo, fazer um “zoom” num átomo.

Num átomo, na menor das partículas, vamos ver que existem prótons, nêutrons e
elétrons. Há grandes distâncias entre elétrons e os outros elementos, então concluímos
que não existe solidez na matéria, apesar de aparentar ser sólida.

O óvulo que nasceu do “nada” foi fecundado por um espermatozóide que também
nasceu do “nada”. Mas você não é esse óvulo fecundado.

“No âmago da matéria, no âmago do corpo, isto é, antes da matéria existir, antes do
corpo existir, já existia um corpo sumamente perfeito e maravilhoso: você!”.

VOCÊ É VIDA ETERNA DE DEUS, é filho de Deus imortal, Vida Perfeita, Vida Sagrada,
Vida de Imagem e Semelhança de Deus! Vida Perfeita. Assim como o casulo é obra do
bicho da seda, esse corpo carnal que você tem É OBRA SUA, mas não você.

“A mente é o senhor da matéria e todas as formas e naturezas da matéria são criações


da mente”.
A verruga caiu

Sem remédio, do nada a verruga caiu!

Quando eu era jovem tinha uma verruga na mão direita, mas lendo os livros da Seicho-
No-Ie a verruga caiu.

O mestre também relata que tinha uma verruga e esta caiu.

A mente é o senhor da matéria, por isso, quando nossa mente muda, a matéria
também muda.

O Professor Massaru Emoto colocou água em diversas garrafas e em cada uma colou
um papel com frase ou palavras.

Vejam como as moléculas se formaram:

Numa delas escreveu: Idiota.

Na garrafa que escreveu:


Você me deixa doente – eis o que as moléculas
formaram.

Na garrafa com a palavra amor, as moléculas formaram


esse desenho.
Com a palavra “obrigado”
as moléculas formaram esse cristal.

Na garrafa que ele fNa garrafa que ele fez “oração”,


as moléculas se agruparam desta forma.ez “oração”,
as moléculas se agruparam desta forma.

O resultado foi a comprovação de que a nossa mente é senhor da matéria! Isto


significa que a “mente é o senhor da matéria”. Do nada você
poderá transformar o inferno em paraíso. Basta compreender que é filho de Deus e
viver em harmonia com tudo e com todos. Do nada você pode se tornar um grande
vencedor. Esta é a vontade do Mestre:

“Hoje, acorde para vencer”

Não acorde vacilando ou sem saber como você fará, ACORDE PARA VENCER!

A automensagem positiva logo pela manhã é um estímulo que pode mudar o seu
humor, fortalecer sua autoconfiança e, pensando positivo, você reunirá forças para
vencer os obstáculos.

Não deixe que nada afete seu estado de espírito; envolva-se pela música, cante ou
ouça. Comece a sorrir mais cedo.

Ao invés de reclamar quando o relógio despertar, agradeça a Deus pela oportunidade


de acordar mais um dia.

O bom humor é contagiante: espalhe-o. Fale de coisas boas, de saúde, de sonhos, com
quem você encontrar. Não se lamente, ajude as outras pessoas a perceberem o que há
de bom dentro de delas.

Não viva emoções mornas e vazias. Cultive seu interior, extraia o máximo das
pequenas coisas. Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você as estima
e precisa delas. Repense seus valores e dê a si mesmo a chance de crescer e ser mais
feliz.

E você merece ser feliz porque você é filho de Deus.

Deus os abençoe.

Trecho extraído da palestra proferida pelo Aspirante a Preletor da Sede


Internacional Heitor Miyazaki na 47ª Convenção Nacional da Associação dos
Jovens da SEICHO-NO-IE DO BRASIL.

Revista Mundo Ideal - Mar/2003

| voltar |

Tema do mês
Sobre o Perdão

A Nova Mulher
A delicadeza é o símbolo do amor. E a mulher que
demonstra plenamente o amor é a manifestação da
glória de Deus. Sua natureza é dócil e delicada, e o seu
corpo delicado reflete o seu interior, que deve ser calmo
e paciente.

É com esse pensamento que vamos falar da nova mulher.


Deus criou o ser humano como homem e mulher porque
cada um tem papel diferente a exercer na sociedade e
para que cada um manifeste suas diferentes belezas e
qualidades.

A igualdade entre homem e mulher significa que são


igualmente sublimes na essência, como filhos de Deus e
possuidores da Vida de Deus no seu interior. Homem e
mulher não se tornam iguais por imitar um ao outro nas
atitudes; imitar não é ser igual.

Igualdade dos sexos consiste em “a mulher ter direito de ser mulher” e “o homem ter o
direito de ser homem” e, dessa forma, se honrarem e respeitarem reciprocamente.

Estão implícitas na natureza da mulher a feminilidade e a docilidade, senão, como


poderia desempenhar com dignidade seu papel de mãe e esposa? Sabemos que
atualmente, às vezes, é necessário que a mulher trabalhe para ajudar no orçamento do
lar, mas isso não deve ser motivo para que a mulher deseje se igualar ao homem. E,
mesmo que não haja necessidade econômica, é muito importante que a mulher
trabalhe e desenvolva suas potencialidades, mas sem desprezar sua natureza
originária que é a feminilidade. Não tem fundamento dizer que a feminilidade, a
delicadeza, a graciosidade, a profundeza do amor, são inferiores em comparação às
qualidades masculinas de força, firmeza e profundeza intelectual. O contraste de
peculiaridades e a sua combinação formam o princípio fundamental que dá origem à
beleza da harmonia entre o homem e a mulher.
Para enfrentar os desafios desta nova era, é necessário que a mulher estude e evolua
material e espiritualmente. A elevação da posição social das mulheres só será
conseguida quando cada uma delas passar a dar maior importância à sua função na
sociedade. A mulher, assim como o homem, possui capacidade recebida de Deus. Por
isso, ela não deve pensar que não tenha capacidade econômica. Esse talento, na
maioria das vezes, encontra-se adormecido; basta despertá-lo. O mais importante de
tudo é conhecer a si própria. Dentre todas as aptidões, a capacidade de conhecer a si
mesma é a mais sutil e a maior; depois vem a capacidade de despertar o seu talento.

Quando não souber o que fazer, efetue a Meditação Shinsokan e, em silêncio, se


unindo a Deus, mentalize “Ó Deus, ensinai-me o que devo fazer!”. Com certeza seu
talento começará a despertar. A mulher deve treinar para se capacitar no sentido desta
aptidão. Por pequena que seja a capacidade adquirida, colaborando com essa aptidão
em favor da humanidade, ela aumentará cada vez mais a sua capacidade, de acordo
com a lei “Dá e receberás!”.

A mulher tem a liberdade de manifestar o dom recebido de Deus, que é o trabalho do


lar, mas nem todas se realizam nessa missão; algumas despertam o seu talento em
outras áreas de atuação e se realizam em alguma profissão. Mas todas as mulheres
devem saber o quão importante e digno é o trabalho doméstico, pois o lar é um
organismo vivo que deve ser cuidado com todo o amor, e cabe à mulher fazer com que
o marido perceba essa importância, e ele com certeza, na medida do possível, passará
a cooperar com ela, e ambos sentirão satisfação em ver a sua família bem cuidada.

Deve ser prazeroso para a mulher a preparação das refeições e demais afazeres no lar,
pois essa vibração de amor e carinho se refletirá em seus familiares quando estiverem
fora do lar, e serão sempre bem-sucedidos em suas atribuições.

Porém, sabemos que atualmente é


exigido muito mais da mulher. Além
dos cuidados da casa, a mulher
precisa cuidar de si própria em todos
os sentidos. Para isso, ela não pode
parar de estudar, não
necessariamente em escolas, mas
lendo bons livros, jornais e revistas,
sem se prender a assuntos
sensacionalistas, e sim às notícias
sobre política, economia, ciências, artes e assuntos filosóficos, para obter uma opinião
firme e básica sobre a vida, compreendendo a essência dos fatos e adquirindo a
liberdade de manifestar claramente seus pontos de vista.

Para a mulher viver com independência, deverá explorar e desenvolver a sua


capacidade interior, estudando com método, ou seja, aproveitando o seu tempo de
maneira inteligente.

Com certeza, aquela que aproveitar seu tempo com inteligência e continuidade será
bem-sucedida em qualquer atividade. O aproveitamento contínuo do tempo livre no
autodesenvolvimento acabará tornando a mulher vitoriosa em algum campo de
atividade. Por outro lado, ela nada conseguirá se não dedicar muito esforço com
persistência.

A mulher não deve nunca dizer “Não tenho tempo para estudar”, pois não existe falta
de tempo, e sim falta de intenção de aproveitar cada momento. A vida é composta de
um conjunto de momentos, e cada um deles é muito precioso. Depende de você
aproveitar cada instante do seu dia-a-dia para o seu crescimento interno e
fortalecimento espiritual. A nova mulher deve, sobretudo, estar ciente de que a
verdadeira beleza vem de dentro para fora, e a beleza moderna é representada pela
cultura e pela inteligência.

Bibliografia: A Felicidade da Mulher – vol. 1/2 - A Razão de Ser da Mulher – vol. 1

Revista Pomba Branca - Mar/2003

1 – Não culpe ninguém


Se existe efeito, existe causa. Nada acontece por acaso. Se existe um
fato, é porque há uma causa que o gerou. No livro Comande Sua Vida
com o Poder da Mente, o Mestre explica a lei da causa e efeito: é uma lei
inexorável. “Há de colher o que semeaste”.
Em outro livro, o Mestre cita: “Se for tratado friamente por alguém, é
porque assim você está sendo com alguma pessoa”. Um fato que
ocorreu na cidade de São Paulo e foi manchete dos jornais: “Ladrão
assalta banco e, na saída, foi assaltado”; o ladrão, ao sair do banco, foi
assaltado por um “trombadinha”. Este é o resultado de quem tem em
mente roubar.
Mesmo que uma pessoa temporariamente roube e usufrua o dinheiro,
um dia, geralmente quando sua mente consciente se esquecer da causa,
sofrerá uma perda que pode ser de outra forma. Não culpe ninguém. Se
não é feliz no casamento, perdoe, mas perdoe do fundo do coração, o
cônjuge e principalmente seus pais.
Aqueles que se casaram com o(a) primeiro(a) que apareceu para se
livrar dos pais foram felizes somente nos primeiros anos; depois, vieram
os conflitos. Não adianta fugir. Se vive em conflito com os pais, deixe de
ver teimosamente sob seu ponto de vista e procure ouvir, compreender,
aceitar, reverenciar e amar os pais.
“Ele(a) é igualzinho(a) a meu pai!” Quem assim diz guarda em seu
interior o ressentimento que tem do pai, não o ama, critica-o e o vê
como um problema em sua vida. Tenha empatia. Coloque-se no lugar
dele e analise: você trocaria a sua infância com a dele?
Sabendo que os sofrimentos vividos no passado se refletem na vida
futura, quem foi duramente castigado na infância tem comportamentos
e atitudes diferentes daqueles que foram educados com amor e carinho.
Muitas pessoas, quando compreendem esse fato e analisam o
sofrimento que os pais passaram na infância, choram arrependidas e os
elevam de réus para heróis.
2 – Não culpe nem a si próprio(a)
“Eu não me perdôo... como fui burro(a)”, “Por causa daquele diretor
cretino...”
Culpar alguém resolve? Conserta o passado? Não seja réu(ré) de si
próprio(a), não seja um carrasco de si próprio(a). Perdoar aos outros é
um ato sublime, e por que não perdoar sua própria pessoa?
3 – Do passado traga lição, e não sentimento de culpa. “Errar é
não corrigir o erro cometido.”

Se você errou no passado e se arrependeu, então veja o passado como


lição de vida.
Se você não errou, mas a tristeza que passou foi muito forte, solte-a da
mente.
4 – Vamos aprender
No livro A Verdade da Vida, vol. 25, pág. 62, consta o caso de um jovem
de 15 anos briguento que desafiou cinco alunos para brigar. Foi
suspenso e quis sair de casa, porque os pais o recriminavam e
sufocavam com broncas e normas.
Qual foi a solução do Mestre?
Disse ao pai: “O senhor e sua esposa mantêm atitude de recriminar o
filho. Ele percebe isso e se sente sufocado no ambiente de casa, daí o
desejo de sair de casa. É preciso ver as qualidades de seu filho e elogiá-
lo. Ele é um garoto brioso e valente”.
Chegando em casa, o pai transmitiu ao filho o elogio recebido do mestre
Masaharu Taniguchi. O jovem ficou superfeliz e quis conhecer o prof.
Masaharu. A partir dessa data, tornou-se estudioso e nunca mais falou
em sair de casa.
Sempre que alguma pessoa sofre, há por trás ignorância ou
esquecimento de um dos cinco desejos do homem: ser amado, elogiado,
reconhecido, útil e livre. Os pais que ignoram o desejo do filho de ser
livre o sufocam com pressão. Este se sente acuado, gerando problemas
como revolta, medo, instabilidade etc.
5 – Causas do sofrimento do ser humano
No livro A Verdade da Vida, vol. 34, pág. 30, constam as três causas que
tolhem a vida do ser humano:
1ª causa: Crer que o homem seja matéria. É considerar-se limitado e
perder a original liberdade. Mediante isso, a vida se tolhe, gerando
doença. Uma ocasião, disse a um colega que estava doente (embolia
pulmonar): “Você sofre com essa doença porque está preocupado com o
corpo carnal e se esquecendo da Vida de Deus que habita dentro de
você e que foi responsável por este corpo carnal que era pó. A sua Vida
é perfeita e imortal, mas a valorização do corpo carnal impede a Vida de
manifestar a sua perfeição”.
Enquanto falava, ele se contorcia de dores, e normalmente quando isso
ocorria uma bolha de ar percorria pelo corpo e o pulmão direito
paralisava; e, devido a isso, ele ficava em torno de 10 a 15 dias
hospitalizado, até que o médico localizasse a bolha para extraí-la com
uma seringa.
No momento em que terminei de falar, ele falou em altos brados,
dirigindo-se a um funcionário meu: “Você não acredita, você não
acredita”. Naquele instante ele se curou, saindo o ar pela boca.
2ª causa: Intransigência consigo mesmo e com os outros.
O intransigente tolhe a si e aos outros e sofre por causa disso. Sendo
intransigente consigo mesmo, pouca iniciativa toma com medo de errar.
Não devemos tolher os outros tentando amoldá-los com normas (tem de
ser assim), pois esse tipo de procedimento resulta em conflito, e, devido
ao espírito crítico e duro, poderá ser vítima de reumatismo, artrite,
úlcera, gastrite.
3ª causa: Ilusão de que este mundo fenomênico é concreto e
inalterável.
O mundo fenomênico é como a tela onde se projeta o filme, ou seja, é o
mundo onde se projeta a nossa mente. Quando se muda a mente, a
projeção também muda.
No livro Lições para o Cotidiano, consta o caso de uma jovem que estava
cega e que passou a enxergar quando mudou o modo de viver. Enquanto
vivia com a mente sombria e fechada, não via nada. Quando mudou o
modo de viver através da orientação de um preletor, agradecendo em
vez de lamentar, passou a enxergar.
Muitas mulheres lamentam porque o filho é revoltado. Como tudo que
acontece tem uma causa, é preciso corrigir a causa, para mudar o efeito.
É preciso mudar o filme mental, se deseja mudar a projeção. O mestre
Masaharu Taniguchi diz: “Ataque a causa!”. As senhoras que passam por
esse problema precisam analisar se esse filho foi aceito com alegria. É
comum as mulheres, ao tomar conhecimento da gravidez, dizerem “Ai,
meu Deus, outro? E agora? Eu não queria ficar grávida” e tentarem
abortar tomando chá ou outras coisas mais. O filho sobrevive e, quando
nasce, recebe todo o amor e carinho.
Dar amor e carinho depois do nascimento não apaga a mágoa que o
filho carregou durante nove meses sendo rejeitado. Se vocês viajarem
cinco horas para visitar um parente e este lhes disser: “Você aqui? Mas
eu não queria que você viesse” — diante dessa afirmação, como você
conversaria normalmente com essa pessoa? A situação do filho não é
nada diferente. Os sentimentos são os mesmos.
“E agora, tem saída?” Tem. Basta ler e praticar o que ensina o livro
Educação do Renascimento e siga os passos da regestação.
Uma senhora já com mais de 60 anos fez a regestação de um filho com
mais de 30 anos, que era problemático. Esse filho foi mudando de forma
impressionante. E o mais interessante foi a afirmação do esposo:
“Mulher, você está com cara de quem está grávida!”.
Muito obrigado. Deus os abençoe.
Heitor Miyazaki
Revista Pomba Branca - Fev/2003
| voltar |
Artigo do professor
Seicho Taniguchi

Amor
“O amor deve ser sempre incondicional, um amor que liberta, um amor que
doa. Não diga que isso é impossível. É possível e não há verdadeira salvação
além disso.”

Algo que é crucial

Não há pessoa mais bela que uma mulher sincera e


alegre.

A mulher que não menospreza os pobres, não adula os


poderosos, ajuda os mais fracos e as crianças, ama os
pais, ama o marido, zela pelo lar e pelo país é um tesouro
que não se pode comprar nem mesmo com tudo que
existe no mundo.

Em contraposição, aquela que não é sincera, que é


melancólica, que despreza os pobres e adula os
poderosos, que não tem apreço pelos pais, que domina o
marido, ignora o lar, vende a pátria e se autodenomina
mulher progressista e moderna não tem nenhum valor. Por mais que ela se maquie
com produtos de beleza, por mais valiosas que sejam suas jóias, e mesmo que se vista
com roupas da moda, seu valor será equivalente ao de um cabide ou de uma boneca
de barro.

As pessoas buscam aquilo que é realmente belo, precioso, amável, nobre, verdadeiro.
Tudo isso já existe profusamente na sinceridade e no amor de todas as mulheres.
Entretanto, vivemos num mundo onde é demasiadamente grande o número de pessoas
que não procuram demonstrar amor e sinceridade, pronunciam palavras maldosas e
tratam os demais com rispidez.

Na primavera, as pessoas viajam para locais longínquos em busca de belas paisagens e


locais históricos, sem se importar em gastar grandes somas em dinheiro. Contudo,
poupam esforços em manifestar o que há de mais belo: a sinceridade feminina. Têm
coragem de se submeter a uma cirurgia plástica para se tornarem belas, mas não
querem gastar nem 40 ienes para efetuar a “plástica mental”. Elas são como mães
demoníacas que jogam fora seus amados filhos, ainda em estado fetal, para poderem
manter a beleza física e ter conforto. Seriam elas pobres desvairadas que não sabem o
que é verdadeiramente precioso e o que é impuro?...

Confira a matéria completa e muito mais, na Revista Pomba Branca de março/2003.


Você poderá adquiri-lá em um de nossos endereços mais próximo de você, ou através
da nossa Livraria Virtual.

Revista Pomba Branca - Mar/2003

| voltar |
Miniprática de Purificação da Mente
“Sem mistura, sem alteração ou impurezas, singelo, simples, verdadeiro, íntegro e sem
restrições.” Assim se traduz a palavra “pureza” em seus vários sinônimos, e assim
deve ser o coração do homem filho de Deus.

As “misturas” são as ilusões que surgem em nossas vidas de vez em quando. Às vezes,
por crermos fortemente nessas ilusões, elas passam a ser a única verdade do
momento, e nos oprimem e enfraquecem.

Quando surgir alguma “mistura” dessa em nossa vida e nos sentirmos


demasiadamente tristes, não pensemos que estamos suportando sozinhos essa
tristeza. Em nosso íntimo está Deus, que nos ampara e protege e sabe que nossa alma,
nesse momento, está recebendo treinamento para que tiremos o melhor proveito
dessa lição.

Assim, ao fim de cada dia, isolemo-nos um pouco, reflitamos sobre as horas que
vivemos neste dia e realizemos uma miniprática de Purificação da Mente, ensinada
pelo mestre Masaharu Taniguchi.

“Se transcendermos o campo da medicina e analisarmos o assunto do ponto de vista


filosófico de que ‘o mundo é projeção da mente’, compreenderemos que a ‘tristeza’ é o
sentimento de pesar causado pela perda de algo, e que, quando nos preocupamos
seriamente com o fato de ‘termos perdido algo’, entra em ação a ‘lei da atração de
ondas da mesma freqüência’ que diz ‘os semelhantes se atraem’. Assim, quando
estamos preocupados com a perda de algo, começam a suceder outras perdas: perda
de trabalho, de dinheiro, de amor, de amizade etc. Não fale de tristeza. Quando você
não puder suportar sua tristeza, exponha-a numa folha de papel e, colocando esse
papel em frente ao oratório (ou no lugar onde costuma fazer oração), ore:

“Ó Deus, perdoe-me pelo fato de eu ter mantido, durante muito tempo, diversos
sentimentos negativos no fundo da minha mente. Neste momento, sem me apegar a
eles, vou escrevê-los todos para que, através da Sua intercessão, sejam todos eles
purificados e extintos”.

“Ó Deus, peço-Vos que queimeis esta tristeza com a sagrada chama do Vosso Amor, e
fazei brilhar em mim a luz do amor”.

Feito isso, ateie fogo na folha onde você escreveu sua tristeza e, vendo-a queimar,
mentalize:

“Com isso, a minha tristeza foi extinta pelas chamas”.

Expulse assim a tristeza da sua mente.

Revista Pomba Branca - Mar/2003

| voltar |
Vivência
Leoni Pinheiro de Oliveira Pereira
Caixas do Sul-RS
Neste relato, sentimos a força da espiritualidade, quando cultuamos os
nossos queridos antepassados. “Antepassados são as raízes de nossas vidas”

Conheci a Seicho-No-Ie em 1977, na cidade de Cascavel, Paraná. De lá para cá, a


minha vida é uma coletânea de relatos. Coisas incríveis mesmo me aconteceram com
as práticas da filosofia.

Mas hoje vou relatar o que me aconteceu há mais ou menos um ano e meio, quando
entrei numa fase de revolta contra tudo e contra todos e parei de praticar os
ensinamentos. Não queria mais fazer a Meditação Shinsokan nem ler a sutra e parei de
cultuar os antepassados. E, por curiosidade, comecei a andar de religião em religião.
Não me encontrando em lugar algum, comecei a entrar numa depressão profunda. Em
conseqüência disso, estava ficando sem cabelos. Então imediatamente procurei uma
dermatologista, achando que lá resolveria meu problema bem depressa. Fazia
aplicações com injeções no couro cabeludo, que doíam muito. E cada vez gastava
mais, e nada de cabelos; pelo contrário, cada vez caíam mais.

Estava já com quatro focos na cabeça, com 8 centímetros cada um, sem cabelos. A
doutora mandou buscar remédios até fora da cidade. E nada de resultado. Então, já
nervosa, ela me disse: “Olha, vamos ter de descobrir a causa disso tudo, pois o teu
organismo está rejeitando todo tipo de medicamento”. E falou que ia tentar outro
remédio. Mas também me disse que não tinha cura. Eu pensei: “Meu Deus, que ironia!
Eu, cabeleireira, sem cabelos, ficando careca! Sempre tratei dos cabelos dos outros e,
agora, eu sem cabelo!”. E não quis mais que a doutora me fizesse aplicações no couro
cabeludo e disse-lhe: “Eu sei a causa e não vou mais voltar aqui”. Ela me respondeu
“Como você sabe? Nós vamos fazer outras aplicações, pois já mandei preparar o
remédio no laboratório e você terá de retirar e pagar”. Eu respondi “Tudo bem, eu pago
e retiro o remédio”. Passei no laboratório, retirei o remédio e o joguei no lixo. E disse
para mim mesma: “Cabelos = Kami = Deus = Antepassados”. Então pedi perdão a
Deus pela minha revolta e decidi, ali na rua, voltando para casa, que pediria perdão
aos meus antepassados por tê-los abandonado e que voltaria a cultuá-los naquele
mesmo dia.

Pedi ao meu marido que fizesse com as próprias mãos um oratório, pois achei que teria
mais vibração um oratório feito por um familiar. E ele fez, com muito carinho, um lindo
oratório. Então pedi perdão aos meus antepassados por abandoná-los e comecei a
cultuá-los. Em 15 dias, os meus cabelos voltaram a nascer de novo! Os meus cabelos
voltaram todos mais fortes e brilhantes. Eu aprendi na pele uma grande lição e o valor
que tem o agradecimento às nossas raízes.

Agradeço a Deus e ao Mestre por este sublime ensinamento. Atualmente sou


presidenta da Pomba Branca em Caxias do Sul, na Associação Planalto Santos Anjos. E,
“cada dia, vou cada vez melhor, em todos os sentidos”.

Muito obrigada!

Revista Pomba Branca - Mar/2003


| voltar |

Cultura
Literatura
Literatura, no sentido mais amplo, é tudo que tenha sido escrito; e, no sentido mais
restrito, podemos classificá-la como literatura de certa língua, de um assunto, de certo
período histórico etc.

Entretanto, no sentido mais limitado, dizemos que um trabalho é literário quando


fazemos distinção do referido trabalho, tal sua riqueza na confecção, seja do estilo,
seja das palavras empregadas etc., isto é, uma obra de arte.

Ela pode ser de ficção e não-ficção. A primeira é quando o autor a produz de sua
imaginação, mesmo que inclua fatos da vida real, combinando-os com situações de seu
imaginário, como no caso de romances e contos, além do teatro e da poesia. A não-
ficção é quando o escrito se refere a situações reais da vida, em que figuram o ensaio,
a história, a autobiografia, a biografia e o diário.

Um bom escrito procura sempre equilibrar os principais elementos que formam uma
literatura, a saber: personagens, enredo, tema e estilo.

O assunto literatura é bastante extenso, mas vamos falar um pouco de literatura


infantil, que é um dos tópicos deste fascinante assunto. Acreditamos que a grande
maioria de nossos leitores, quando criança, adolescente e até mesmo adulto, apreciou
as histórias infantis.

A literatura infantil geralmente situa-se na divisão “contos”, que engloba obras de


ficção, curtas, geralmente direcionadas para um único assunto. Na maioria das vezes,
os contos referem-se a relatos populares, passados de boca em boca, por muitas
gerações, tendo por objetivo uma lição de moral. Entre eles, temos a fábula, na maioria
das vezes centrada em animais com falas humanas, e as parábolas, como as que
constam na Bíblia, tendo como objetivo passar uma lição religiosa. Temos ainda os
contos folclóricos, e estes são bastante extensos e conhecidos.

As fábulas mais conhecidas são as Fábulas de Esopo, um escravo grego que viveu lá
pelo século VII a.C. e, 300 anos depois de sua morte, Demétrio Falero, o primeiro
responsável pela grande biblioteca de Alexandria, as reuniu, compondo assim um
volume com elas, que, mais tarde, foram traduzidas para o latim, por um escravo
liberto chamado Fedro. Entre elas, podemos citar algumas bastante conhecidas do
público, tais como O Leão e o Camundongo (o camundongo consegue que o leão não o
mate e, mais tarde, o mesmo leão, estando capturado e amarrado, tem a alegria de ser
liberto pelo camundongo que rói as cordas que o prendem); A Lebre e a Tartaruga, A
Raposa e as Uvas, A Cigarra e a Formiga, lembrando que a finalidade da fábula é
sempre dar uma lição de moral. No caso do leão, mostra-nos que nem sempre o
tamanho é fator de poder e ainda — como diz o ditado popular “uma mão lava a
outra”, ou seja, “agora você me ajuda, mas amanhã serei eu a ajudá-lo” — uma lição
de vida da boa convivência.

Quanto à parábola, há muitas especialmente na Bíblia, pois Jesus costumava ensinar


seus discípulos através de parábolas, já que a compreensão de uma lição feita por
meio delas é mais fácil. Uma das mais bonitas e que nos mostra a virtude da
solidariedade é a do “Bom Samaritano”, aquele que acudiu o andarilho, cuidou de suas
feridas e pediu ao estalajadeiro que cuidasse do ferido até sua volta, deixando dinheiro
para as despesas necessárias e dizendo que, se gastasse mais, o pagaria na volta. O
samaritano não conhecia o andarilho, mas condoeu-se de seu estado, cuidando de
suas feridas.

E, finalmente, temos os contos folclóricos, que são inumeráveis e com diversos


autores. Esse tipo de literatura, na verdade, não foi criado para crianças, mas o estilo
direto e simples com que os contos são narrados chama a atenção dos pequenos,
fazendo com que sempre peçam mais um.

Nos tempos pré-históricos, já existia esse tipo de literatura entre os povos primitivos,
que a transmitiam de geração em geração, contando os feitos e as lições dela tirados.
Os contos populares são classificados de duas formas: os de fada e os populares
propriamente ditos. Estes últimos tratam de lendas, costumes, superstições e
crendices de um povo, e em nossa literatura temos a do Saci Pererê, O Boi-Aruá,
Estórias da Velha Totonha, O Negrinho do Pastoreio e muitos outros. Quanto aos contos
de fada, temos também uma infinidade deles e acreditamos que os mais conhecidos
são os compostos pelos irmãos Jakob e Wilhelm Grimm, literatos alemães que, no início
do século XIX, organizaram uma famosa coleção de contos de fadas e histórias
populares alemãs e, entre eles, citamos Rumpelstiltskin, João e Maria, Chapeuzinho
Vermelho, Branca de Neve, A Bela Adormecida, Cinderela e O Gato de Botas.

Além dos irmãos Grimm, temos ainda contos de Andersen, como O Patinho Feio e A
Roupa Nova do Rei.

Salientamos também, entre os contos infantis mais populares, os que traduzem a


cultura da Ásia e norte da África, como as Mil e Uma Noites, Aladim e a Lâmpada
Maravilhosa, As Sete Viagens de Simbad, O Marinheiro e Ali-Babá e os Quarenta
Ladrões.

No Brasil, citamos Monteiro Lobato como um grande autor de livros infantis, além de
Cecília Meireles, Maria Clara Machado, Lígia Fagundes Teles, Orígenes Lessa e muitos
outros.

Como podemos ver, literatura é realmente uma grande e maravilhosa arte que nos faz
viajar por todo o Universo, conhecendo as belezas que o Criador realizou para Seus
mais diletos filhos, nós, seres humanos. É só querermos, que faremos viagens
fantásticas através da boa leitura. Aproveitemos todo tempo e toda oportunidade que
tivermos para conhecer cada vez mais lugares, pessoas e situações que nos
enriquecem em conhecimentos e espiritualidade. Boa leitura a todos!

Fonte: Enciclopédia Delta Universal


Enciclopédia Mirador

Revista Pomba Branca - Mar/2003

| voltar |

Aprimoramento para mães


A Mente dos Pais e a Saúde dos Filhos
O que mais entristece o coração de uma mãe é a doença de um filho. E o sofrimento da
mãe é ainda maior no caso de o filho ter uma anomalia ou deficiência congênita.
Porém, é preciso saber que esses problemas têm o sentido de aprimorar a mente da
própria mãe. Assim sendo, o problema físico do filho, em alguns casos, é a
manifestação do carma que a mãe acumulou em sua existência anterior, ou reflexo de
sua atitude mental no presente.

A força acumulada de nossos pensamentos gera uma força latente, constituindo o


carma. No momento oportuno ela se manifesta concretamente, e não demora a se
manifestar no filho. O reflexo de um pensamento que temos neste momento pode se
manifestar hoje, amanhã ou daqui a alguns dias.

Por meio da leitura assídua das sutras sagradas e do contato com os ensinamentos da
Seicho-No-Ie, torna-se possível extinguir facilmente o carma manifestado, quando se
compreende que foi determinada atitude mental que se manifestou concretamente sob
tal forma.

A doença ou anomalia congênita de uma criança é resultado do acúmulo cármico de


existências anteriores, concernente à sua relação com os pais. Como a circulação
desse carma é lenta, a cura desses males também o é.

Se uma mulher tem um filho portador de uma doença congênita, é porque ela
negligenciou os cuidados e a educação espiritual de seus filhos. Na existência atual lhe
foi dada nova oportunidade de se dedicar aos cuidados e à educação desse filho
portador de doença congênita, adquirindo, assim, a experiência que lhe faltou na
existência anterior. Para isso, é preciso a sua compreensão, além do seu esforço, na
elevação espiritual desse filho. Mentalizando a perfeição da Imagem

Verdadeira dele durante a prática da Meditação Shinsokan, extingue-se o carma da


mãe, desaparecendo, assim, a doença do filho.
Porém, não é somente o carma dos pais que se manifesta no filho, fazendo-o carregar
um pesado fardo. Também a alma do próprio filho, tendo negligenciado o
aprimoramento espiritual na existência anterior e desejando redimir o erro,
propositadamente foi concebida nesta existência como uma doença congênita, a fim
de se aprimorar.

Sendo o Amor de Deus imparcial, todos têm oportunidade de se aprimorar, sabendo


reconhecer que tudo é reflexo de sua própria atitude mental.

São muito freqüentes os casos em que a desarmonia conjugal se manifesta


simbolizada num problema respiratório do filho. Existem casos curiosos, como aquele
em que a esposa, no período menstrual, sentia ciúme doentio do marido e, então, o
filho do casal era acometido por uma forte crise de bronquite asmática; e, tão logo a
mãe da criança saía da crise de ciúme, seu filho conseguia se curar da bronquite
asmática. Essa mãe foi orientada para que passasse a viver em harmonia conjugal, e a
crise parou imediatamente.

Do mesmo modo, certa menina sofria de uma grave bronquite asmática. Mesmo depois
de vários tratamentos médicos e outras tentativas de cura, nada funcionou. Seu
sofrimento era tanto, que os pais pediam a Deus que a deixasse morrer, caso não
apresentasse melhora. Mas os pais conheceram a Seicho-No-Ie e, lendo o livro A
Verdade da Vida, perceberam que a doença da filha era reflexo da própria desarmonia
conjugal, pois ambos viviam em conflito. No primeiro ano de casamento, tudo
transcorria bem. Mas, quando o marido revelou que desejava trazer para morar com
eles o filho de seu primeiro casamento, a esposa, mesmo concordando, sentiu mágoa e
ciúme ao perceber o apego do marido ao seu filho. Como reflexo desse conflito, a filha
do casal adoeceu gravemente. Ao ler o livro A Verdade da Vida, a esposa perdoou ao
marido, e a menina obteve a cura da bronquite asmática.

Como sabemos, os filhos são reflexos da mente dos pais. A harmonia conjugal é
prioridade para a saúde dos filhos. Em um lar onde existem gratidão, bênção e alegria,
os filhos crescem saudáveis.

O segredo para um lar feliz está no sorriso da esposa. Infeliz é o lar onde a mulher vive
apontando os defeitos dos filhos e do marido. Deus criou o homem e a mulher para que
se amem e se completem. Não adianta só falar; temos de usar o poder da palavra para
manifestar a felicidade em nossos filhos. Criança feliz é criança saudável. Num
ambiente onde a família reunida conversa e sorri alegremente, basta que alguém grite
colérico “Idiota!” ou “Estúpido” para que imediatamente desapareça a atmosfera
paradisíaca. Tudo se esfria e o ambiente torna-se sombrio.

Assim, é comprovado: o poder da palavra é força curadora. Quanto mais os pais se


preocupam com a saúde dos filhos, mais doentios eles ficam. Sendo Deus perfeição,
não nascem filhos imperfeitos. Não existe filho de Deus fraco e doente. Dizendo ao
filho “Você é filho de Deus! É perfeito, é forte, é bom, é maravilhoso!”, a perfeição da
criança acaba se manifestando. Dentro de uma família, os subconscientes se
comunicam. A enurese infantil, por exemplo, simboliza a tristeza oculta na mente do
pai ou da mãe. Uma criança só se torna emocionalmente estável quando vive em um
ambiente onde existe harmonia entre pai e mãe, cada qual cumprindo seu papel.

Não existe melhor receita para criar bem um filho do que a harmonia conjugal. A
Associação Pomba Branca, que objetiva a verdadeira felicidade da mulher, não podia
cruzar os braços diante desses problemas. Desse modo, passou a convidar mães para
reuniões em diversas localidades. No momento, há muitas mães freqüentando essas
“Reuniões de Estudos para Mães” que têm vivenciado muitas experiências
gratificantes, comprovando o ensinamento de que boa criança é sinônimo de criança
feliz e jamais uma criança praticará más ações quando o seu coração estiver repleto de
felicidade e alegria de viver.

Isso se deve ao método educacional explanado na obra A Verdade da Vida, de autoria


do mestre Masaharu Taniguchi, fundador da Seicho-No-Ie. As Reuniões de Mães são
organizadas e freqüentadas pelas mães interessadas, aproveitando o tempo em que as
crianças estão na escola.

Comissão Editorial

Revista Pomba Branca - Fev/2003

| voltar |

Aprimoramento para mães


A Mente dos Pais e a Saúde dos Filhos
O que mais entristece o coração de uma mãe é a doença de um filho. E o sofrimento da
mãe é ainda maior no caso de o filho ter uma anomalia ou deficiência congênita.
Porém, é preciso saber que esses problemas têm o sentido de aprimorar a mente da
própria mãe. Assim sendo, o problema físico do filho, em alguns casos, é a
manifestação do carma que a mãe acumulou em sua existência anterior, ou reflexo de
sua atitude mental no presente.

A força acumulada de nossos pensamentos gera uma força latente, constituindo o


carma. No momento oportuno ela se manifesta concretamente, e não demora a se
manifestar no filho. O reflexo de um pensamento que temos neste momento pode se
manifestar hoje, amanhã ou daqui a alguns dias.

Por meio da leitura assídua das sutras sagradas e do contato com os ensinamentos da
Seicho-No-Ie, torna-se possível extinguir facilmente o carma manifestado, quando se
compreende que foi determinada atitude mental que se manifestou concretamente sob
tal forma.

A doença ou anomalia congênita de uma criança é resultado do acúmulo cármico de


existências anteriores, concernente à sua relação com os pais. Como a circulação
desse carma é lenta, a cura desses males também o é.

Se uma mulher tem um filho portador de uma doença congênita, é porque ela
negligenciou os cuidados e a educação espiritual de seus filhos. Na existência atual lhe
foi dada nova oportunidade de se dedicar aos cuidados e à educação desse filho
portador de doença congênita, adquirindo, assim, a experiência que lhe faltou na
existência anterior. Para isso, é preciso a sua compreensão, além do seu esforço, na
elevação espiritual desse filho. Mentalizando a perfeição da Imagem

Verdadeira dele durante a prática da Meditação Shinsokan, extingue-se o carma da


mãe, desaparecendo, assim, a doença do filho.
Porém, não é somente o carma dos pais que se manifesta no filho, fazendo-o carregar
um pesado fardo. Também a alma do próprio filho, tendo negligenciado o
aprimoramento espiritual na existência anterior e desejando redimir o erro,
propositadamente foi concebida nesta existência como uma doença congênita, a fim
de se aprimorar.

Sendo o Amor de Deus imparcial, todos têm oportunidade de se aprimorar, sabendo


reconhecer que tudo é reflexo de sua própria atitude mental.

São muito freqüentes os casos em que a desarmonia conjugal se manifesta


simbolizada num problema respiratório do filho. Existem casos curiosos, como aquele
em que a esposa, no período menstrual, sentia ciúme doentio do marido e, então, o
filho do casal era acometido por uma forte crise de bronquite asmática; e, tão logo a
mãe da criança saía da crise de ciúme, seu filho conseguia se curar da bronquite
asmática. Essa mãe foi orientada para que passasse a viver em harmonia conjugal, e a
crise parou imediatamente.

Do mesmo modo, certa menina sofria de uma grave bronquite asmática. Mesmo depois
de vários tratamentos médicos e outras tentativas de cura, nada funcionou. Seu
sofrimento era tanto, que os pais pediam a Deus que a deixasse morrer, caso não
apresentasse melhora. Mas os pais conheceram a Seicho-No-Ie e, lendo o livro A
Verdade da Vida, perceberam que a doença da filha era reflexo da própria desarmonia
conjugal, pois ambos viviam em conflito. No primeiro ano de casamento, tudo
transcorria bem. Mas, quando o marido revelou que desejava trazer para morar com
eles o filho de seu primeiro casamento, a esposa, mesmo concordando, sentiu mágoa e
ciúme ao perceber o apego do marido ao seu filho. Como reflexo desse conflito, a filha
do casal adoeceu gravemente. Ao ler o livro A Verdade da Vida, a esposa perdoou ao
marido, e a menina obteve a cura da bronquite asmática.

Como sabemos, os filhos são reflexos da mente dos pais. A harmonia conjugal é
prioridade para a saúde dos filhos. Em um lar onde existem gratidão, bênção e alegria,
os filhos crescem saudáveis.

O segredo para um lar feliz está no sorriso da esposa. Infeliz é o lar onde a mulher vive
apontando os defeitos dos filhos e do marido. Deus criou o homem e a mulher para que
se amem e se completem. Não adianta só falar; temos de usar o poder da palavra para
manifestar a felicidade em nossos filhos. Criança feliz é criança saudável. Num
ambiente onde a família reunida conversa e sorri alegremente, basta que alguém grite
colérico “Idiota!” ou “Estúpido” para que imediatamente desapareça a atmosfera
paradisíaca. Tudo se esfria e o ambiente torna-se sombrio.

Assim, é comprovado: o poder da palavra é força curadora. Quanto mais os pais se


preocupam com a saúde dos filhos, mais doentios eles ficam. Sendo Deus perfeição,
não nascem filhos imperfeitos. Não existe filho de Deus fraco e doente. Dizendo ao
filho “Você é filho de Deus! É perfeito, é forte, é bom, é maravilhoso!”, a perfeição da
criança acaba se manifestando. Dentro de uma família, os subconscientes se
comunicam. A enurese infantil, por exemplo, simboliza a tristeza oculta na mente do
pai ou da mãe. Uma criança só se torna emocionalmente estável quando vive em um
ambiente onde existe harmonia entre pai e mãe, cada qual cumprindo seu papel.

Não existe melhor receita para criar bem um filho do que a harmonia conjugal. A
Associação Pomba Branca, que objetiva a verdadeira felicidade da mulher, não podia
cruzar os braços diante desses problemas. Desse modo, passou a convidar mães para
reuniões em diversas localidades. No momento, há muitas mães freqüentando essas
“Reuniões de Estudos para Mães” que têm vivenciado muitas experiências
gratificantes, comprovando o ensinamento de que boa criança é sinônimo de criança
feliz e jamais uma criança praticará más ações quando o seu coração estiver repleto de
felicidade e alegria de viver.

Isso se deve ao método educacional explanado na obra A Verdade da Vida, de autoria


do mestre Masaharu Taniguchi, fundador da Seicho-No-Ie. As Reuniões de Mães são
organizadas e freqüentadas pelas mães interessadas, aproveitando o tempo em que as
crianças estão na escola.

Comissão Editorial

Revista Pomba Branca - Fev/2003

| voltar |

Cultura
A Água é o Espelho que Reflete as Vibrações
Foto: Márcio Scarpim

O mestre Masaharu Taniguchi nos ensina e relata, através de seus livros, a


transformação que ocorre na vida das pessoas quando passam a nutrir sentimentos de
amor e gratidão a todas as pessoas, coisas e fatos, em conformidade com a “Revelação
da Grande Harmonia”. Pessoas doentes se curam quando passam a agradecer 10.000
vezes ao dia, e também são solucionados os problemas financeiros.

No livro A Chave da Beleza e da Saúde, do prof. Masaharu Taniguchi, nas páginas 25-
26, consta o caso de cura de grave reumatismo, que havia deixado paralítica a sra.
Nobue Izumitani, da cidade de Sakai – Japão. O Mestre orientou-a para proferir 10.000
vezes por dia a expressão “Muito obrigada”. A sra.

Nobue passou a agradecer literalmente a tudo, a começar pelas coisas ao redor.


Decorridos mais ou menos quinze dias, tornou-se capaz de proferir 10.000 vezes a
expressão “Muito obrigado” em apenas três horas e meia. É realmente grande o poder
da palavra, pois a repetição das palavras fez nascer no coração da sra. Nobue o
verdadeiro sentimento de gratidão a tudo e a todos. Como conseqüência disso, ela
recuperou gradativamente a capacidade de se mover.

Primeiro conseguiu mover os dedos; depois os braços; e, finalmente, o corpo todo.

Muitas pessoas devem se perguntar “Como é possível acontecer semelhante fato,


somente com a transformação dos pensamentos?”. A
comprovação científica das palavras do nosso Mestre foi
realizada pelo pesquisador japonês dr. Masaru Emoto.

O trabalho de pesquisa realizado por ele é


surpreendente. O dr. Emoto, ao tomar conhecimento de
que todas as partículas moleculares de neve são
diferentes, passou a analisar a reação das vibrações
(música, pensamento, palavra falada e escrita) sobre as
partículas moleculares de água retiradas de rios, lagos,
chuva e neve das mais variadas partes do mundo. A
pesquisa foi realizada durante oito anos.

O pesquisador e sua equipe colaram as palavras “amor,


obrigado, faça, vamos fazer, idiota, etc.” em garrafas
contendo água, e também analisaram a reação da água
após preces realizadas ao redor de lagos japoneses.

A pesquisa consistiu no congelamento da água e análise


de suas partículas moleculares com equipamento Foto: Régis K. Sucomine
Tibagi - Salto de Santa Rosa-PR
científico de alta precisão. Os cristais que se formaram depois que a água foi congelada
foram fotografados. As águas que sofreram influência de palavras positivas, bem como
as que receberam preces, geraram formatos hexagonais de extrema beleza; e as que
sofreram influência de palavras negativas ou imperativas resultaram em formatos
como redemoinhos muito feios.

A equipe realizou experiência sobre o efeito da música na estrutura da água e


constatou diferentes reações. Quando a água foi submetida ao som da Valsa da

Despedida, as partículas moleculares ficaram todas divididas, como se estivessem


realmente se separando.

O grande mérito do dr. Masaru Emoto foi a comprovação científica, através das fotos,
que as energias vibracionais (palavras escritas e faladas, pensamentos e ações) afetam
a estrutura molecular da água. Portanto, através da mudança de pensamento, com
sentimento de gratidão e amor, é possível a cura dos mais variados tipos de doenças
físicas, emocionais e problemas financeiros. A transformação ou a cura ocorre pela
mudança na estrutura molecular da água presente no nosso organismo.

Tendo em vista que o corpo humano, bem como o planeta Terra, é composto de 70% de
água, a vida humana depende diretamente da qualidade da água presente no
organismo e na Natureza.

Com base nesse conhecimento, vamos nos empenhar cada vez mais na divulgação da
maravilhosa filosofia da Seicho-No-Ie, conscientizando todo o povo de que a qualidade
de vida do nosso planeta depende dos pensamentos, sentimentos e ações emanados
do povo.

Comissão Editorial

Revista Pomba Branca - Fev/2003

| voltar |

20 Sugestões Para Ser Mais Feliz


01. Elogie três pessoas por dia;
02. Assista ao nascer do Sol, pelo menos uma vez por ano;
03. Tenha um aperto de mão firme;
04. Olhe as pessoas nos olhos;
05. Cante sob o chuveiro;
06. Gaste menos do que você ganha;
07. Saiba perdoar a si e aos outros;
08. Aprenda três piadas boas, mas inocentes;
09. Seja mais otimista;
10. Trate a todos que você conhece assim como gostaria de ser tratado(a);
11. Faça novos amigos;
12. Saiba guardar segredos;
13. Não adie uma alegria;
14. Reconheça seus erros;
15. Sorria, não custa nada, e não tem preço;
16. Não ore pedindo coisas; peça só sabedoria e coragem;
17. Dê às pessoas uma segunda chance;
18. Não tome nenhuma medida enquanto estiver zangado(a);
19. Dê o melhor de si no seu trabalho;
20. Jamais prive uma pessoa de uma esperança; pode ser que ela só tenha isso.

Revista Pomba Branca - Fev/2003

| voltar |

Ultimamente só enxergo o lado ruim de tudo. Ando muito pessimista e isso anda me
fazendo mal. Quando dou por mim, estou lamentando da escola, da família, etc. Tento
me alegrar, mas não consigo. Fico desorientado com relação a comunicação, pois sou
muito tímido e introvertido, por isso minha dificuldade na formação de amizades e nos
relacionamentos em geral, principalmente com as pessoas de minha idade. Quero
mudar, mas por onde começar?
L.C., 18 anos, solteiro

Resposta: Por que fixar sua mente nos defeitos se você tem grandes virtudes?
Habituou-se a ver o lado ruim das coisas. Lembre-se das Normas Fundamentais e
habitue-se a “ver sempre o lado positivo das pessoas, coisas e fatos”. Aquele senhor
que não conseguiu chegar em tempo no aeroporto, ficou irritado com o trânsito de São
Paulo, mas mudou de humor quando soube que o avião caíra no Jabaquara.

Se você anda pessimista, esforce-se em ser otimista; acredite em você e leia O Livro
dos Jovens cinco vezes! Diz o Mestre: “qual o homem bem sucedido que nunca
fracassou?”. E ainda: “Não veja os fracassos como derrota, mas como lição de vida” e
basta não repetir a mesma experiência que não deu certo.

Para se alegrar, faça pelo menos uma vez por dia algo que deixe feliz o próximo. Que
tal lavar a louça após o jantar? Isso fará sua mãe feliz e feliz ficará você por ser útil a
uma pessoa que tanto lhe ama. Feliz também por poder manifestar amor com ação e
não apenas verbalmente.

Acorde agradecendo por despertar após um sono confortável. Quantas pessoas da


Bósnia perderam a cama, o quarto, a casa toda na guerra?

Para eliminar a timidez, faça o oposto, assim ensina o professor Masaharu Taniguchi. O
contrário de timidez é ousadia. Manifeste a coragem e ousadia, mas uma ousadia
educada, ponderada e de respeito.

Assim que despertar, repita diariamente durante 10 minutos: Sou Filho de Deus, sou
forte, sou valente, sou corajoso sou inteligente, tenho capacidade infinita, tudo consigo
fazer, sou alegre, sou dinâmico, sou feliz.

Participe das reuniões de jovens na Associação Local e falando diante dos colegas o
medo será dominado. Você ainda tem medo de seu pai ou de sua mãe, mas eles foram
severos com você por amor que tem por você.

Leia também Buscando o Amor dos Pais, e faça Forma Humana (Concretização dos
Planos). Deus te abençoe.

Heitor Miyazaki
Ultimamente só enxergo o lado ruim de tudo. Ando muito pessimista e isso anda me
fazendo mal. Quando dou por mim, estou lamentando da escola, da família, etc. Tento
me alegrar, mas não consigo. Fico desorientado com relação a comunicação, pois sou
muito tímido e introvertido, por isso minha dificuldade na formação de amizades e nos
relacionamentos em geral, principalmente com as pessoas de minha idade. Quero
mudar, mas por onde começar?
L.C., 18 anos, solteiro

Resposta: Por que fixar sua mente nos defeitos se você tem grandes virtudes?
Habituou-se a ver o lado ruim das coisas. Lembre-se das Normas Fundamentais e
habitue-se a “ver sempre o lado positivo das pessoas, coisas e fatos”. Aquele senhor
que não conseguiu chegar em tempo no aeroporto, ficou irritado com o trânsito de São
Paulo, mas mudou de humor quando soube que o avião caíra no Jabaquara.

Se você anda pessimista, esforce-se em ser otimista; acredite em você e leia O Livro
dos Jovens cinco vezes! Diz o Mestre: “qual o homem bem sucedido que nunca
fracassou?”. E ainda: “Não veja os fracassos como derrota, mas como lição de vida” e
basta não repetir a mesma experiência que não deu certo.

Para se alegrar, faça pelo menos uma vez por dia algo que deixe feliz o próximo. Que
tal lavar a louça após o jantar? Isso fará sua mãe feliz e feliz ficará você por ser útil a
uma pessoa que tanto lhe ama. Feliz também por poder manifestar amor com ação e
não apenas verbalmente.

Acorde agradecendo por despertar após um sono confortável. Quantas pessoas da


Bósnia perderam a cama, o quarto, a casa toda na guerra?

Para eliminar a timidez, faça o oposto, assim ensina o professor Masaharu Taniguchi. O
contrário de timidez é ousadia. Manifeste a coragem e ousadia, mas uma ousadia
educada, ponderada e de respeito.

Assim que despertar, repita diariamente durante 10 minutos: Sou Filho de Deus, sou
forte, sou valente, sou corajoso sou inteligente, tenho capacidade infinita, tudo consigo
fazer, sou alegre, sou dinâmico, sou feliz.

Participe das reuniões de jovens na Associação Local e falando diante dos colegas o
medo será dominado. Você ainda tem medo de seu pai ou de sua mãe, mas eles foram
severos com você por amor que tem por você.

Leia também Buscando o Amor dos Pais, e faça Forma Humana (Concretização dos
Planos). Deus te abençoe.

Heitor Miyazaki
Consta no Gênesis: “Deus criou o homem à Sua imagem e semelhança.”

O conceito da Imagem e semelhança do homem para Deus não está associada à


imagem física, mas sim a imagem verdadeira, a natureza divina do homem.

Deus é Amor, Deus é Sabedoria, Deus é Harmonia. Portanto eu como filho de Deus, sou
Amor, Sabedoria, Harmonia.

Depois que Deus criou o homem nunca mais criou nada sozinho, ele cria através do
homem.

Consta no livro A Verdade, vol 8: A fonte é Deus e a saída é o homem.

E na Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade, Deus é a fonte da luz e o homem é a


luz emanada de Deus.
Deus é meu pai. E eu sou o próprio Deus.

Ainda na Sutra Sagrada: “Quando a mente deste Deus perfeito entra em vibração e se
torna palavra... todas as coisas passam a ser...”

Deus: EU

Vibração: PENSAMENTO

Passam a ser: MANIFESTA

Dependendo do que eu pensar, de como estiver a minha mente, é o que irá se


manifestar.

A Seicho-No-Ie nos ensina: O ambiente em que vivemos é projeção da nossa mente.

Então como está sua mente em relação a sua própria vida, a sua família, aos seus
irmãos, aos seus pais? Como anda a suavida? Ela está do jeito que você queria? A
situação em sua casa está do jeito que você queria?

Tudo está na perfeita ordem? E por falar em ordem...

No mundo da Imagem Verdadeira existe uma ordem e a Verdadeira paz começa


quando essa ordem é seguida.
Consta na Revista Mundo Ideal nº 100: As infelicidades surgem em nossa vida quando
deixamos de seguir essa ordem.

Essa ordem existente no mundo da Imagem Verdadeira é semelhante à ordem


existente num lar, onde cada membro está no seu devido lugar, desempenhando
perfeitamente a própria função: o pai como pai, a mãe como mãe, o filho como filho, o
marido como marido, a esposa como esposa, e assim por diante...

As infelicidades no nosso lar surgem quando nós quebramos a seqüência dessa ordem
e começamos a defender cada um por si, apenas o próprio interesse, sem nos
importarmos com os outros.

“É cada um querendo fazer prevalecer a sua autoridade, seus desejos, suas vontades,
o seu ego”. O filho querendo assumir o lugar do pai, o pai querendo fazer prevalecer
sua autoridade e assim vai.

“Somos livres para seguirmos nosso caminho...”

Cristo nos ensinou: “Conhecereis a Verdade e a Verdade vos tornará livres”

Qual Verdade?

O homem é Filho de Deus.

Vos tornará livres. Qual liberdade?

A Verdadeira liberdade.

Nós jovens muitas vezes interpretamos a liberdade de maneira errada. Achando que
ser livre é poder viver sozinho, fazendo o que bem entender, quando quiser, sem nos
importarmos com os outros. E ainda dizemos: É claro, sou dono da minha vida!

Mas as coisas não são bem assim.

O Mestre Masaharu Taniguchi no O Livro dos Jovens, nos ensina que a Verdadeira
liberdade consiste em você ter a plena consciência de que é filho de Deus, que pode
tudo sim. Desde que esteja agindo de acordo com a vontade de Deus. Desde que
esteja deixando que Deus se manifeste através de você.

Na Bíblia está escrito: “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e todas as demais
coisas vos serão dadas por acréscimo”.
Buscar em primeiro lugar o Reino de Deus é ser o verdadeiro representante de Deus
onde quer que esteja, é ter atitudes e pensamentos dignos do verdadeiro filho de Deus.

Quando agimos assim, colocamos Deus em primeiro lugar, ou seja, o que é prioritário,
o que é essencial em nossa vida.

E assim as coisas que nos serão necessárias aparecerão de acordo com a necessidade
de cada um, no momento exato.

Se minha vida é extensão da vida de Deus, então sou diretamente ligado a ele.
Estando ligado a Deus, não há como viver infeliz, não há porque nem para que viver
infeliz.

Se isso acontece em nossa vida é porque estamos nos desligando, nos separando da
grande força, energia que rege o universo - Deus.

Isso é quebrar a ordem existente no mundo da Imagem Verdadeira.

Quando há esse desligamento, quando nós saímos da sintonia, da vibração de Amor


vinda de Deus, nós deixamos nossa mente ser levada por ilusões, tornando assim
nossa vida infeliz.

E sendo nossa mente quem direciona o nossa vida... como já vimos vai se concretizar
aquilo que pensarmos. E se está acontecendo algo errado é porque algo está errado
em nossa mente.

No livro A Verdade, vol 8 consta: “... Se há alguma falha, qualquer que seja, é porque
algum sentimento seu não está sintonizado com Deus, portanto é preciso antes de
tudo entrarmos em sintonia com Deus. Se Deus é Amor, para sintonizarmos com ele é
necessário que nos sintonizemos com o sentimento de Amor”.

E no livro Viver junto com Deus, pág 238, consta: “... Se afastar de Deus é estar com a
mente ausente.

Quando a mente está ausente, a pessoa olha mas não vê, ouve mas não escuta.

Dois dos ensinamentos que Deus nos deixou: “Amarás a Deus sobre todas as coisas” e
“Amarás a teu próximo com a ti mesmo”.

Visamos amar e fazer o bem a toda a humanidade, mas muitas vezes nos esquecemos
que nós somos parte da humanidade e o nosso próximo mais próximo está dentro de
nossa própria casa.

A família é a primeira e uma das mais importantes instituições que conhecemos na


vida. O que aprendemos lá é o que levaremos para nossa vida. Se em casa as coisas
não estão do jeito que queremos, o pai bebendo, a mãe apanhando do pai, o irmão se
envolvendo com drogas... É lá onde você tem que manifestar o seu maior Amor. É lá
onde você deve em primeiro lugar abrir o canal para Deus se manifestar.

Seja você o canal para que Deus se manifeste em sua casa. Abra os olhos da mente e
veja seus familiares como filhos de Deus, assim como você. Perfeito, harmonioso, puro,
imaculado.

Sua missão é grandiosa. Se Deus o colocou nesse lar, é porque tem todo o Amor que é
necessário para transformar o seu lar em um lar Seicho-No-Ie.

Seja você a pessoa que onde estiver emana a harmonia, o amor e a PAZ para as
pessoas.

Que seja feita sempre a vontade de Deus. Muito obrigado.


Trecho extraído da palestra proferida pelo Líder da Iluminação Paulo Sérgio
de Souza Oliveira na 47ª Convenção Nacional da Associação dos Jovens da
SEICHO-NO-IE DO BRASIL.

Revista Mundo Ideal - Jan/2003

| voltar |

Palavras do Mês
Seicho Taniguchi

Que Significa Inexistência de Doença?


Freqüentemente, as pessoas interpretam de maneira equivocada a expressão
inexistência de doença e contestam: “Vocês pregam que a doença não existe, mas o
fato é que muitas pessoas adoecem, e existem médicos e hospitais para tratar delas.

Por isso, não consigo entender a afirmação de que não existe doença”. Essa dúvida
surge porque elas confundem o mundo fenomênico com o mundo da Imagem
Verdadeira. O mundo da Imagem Verdadeira é o que existe de verdade, e o mundo
fenomênico é aquele captado pelos sentidos físicos, ou seja, o mundo material.

Realmente, no mundo fenomênico existem doenças, doentes que estão sofrendo e


pessoas que se empenham em curá-los. Entretanto, tudo isso não passa de aspecto
manifestado e, portanto, transitório. Doença não é algo que existe de verdade e, por
isso, acaba desaparecendo. Se existisse de verdade, nunca desapareceria.

Quando falamos em inexistência de doença, não estamos nos referindo ao mundo


fenomênico, e sim ao mundo divino, da Imagem Verdadeira. Neste mundo material
parecem existir muitas pessoas doentes, mas isso não passa de aspecto fenomênico.
Na essência, todos somos filhos de Deus, pertencentes ao mundo da Existência
Verdadeira, e é por isso que queremos manifestar a perfeição.

Existe também outra interpretação equivocada do ensinamento “Doença não existe”: é


a das pessoas que pensam: “Se eu acreditar que a doença não existe, ela
desaparecerá e ficarei curado”. Elas confundem a inexistência de doença com cura ou
desaparecimento da doença e, quando não obtêm a cura, se queixam: “Acreditei no
ensinamento de que a doença não existe, mas não fiquei curado. Isso é estranho”. Esse
pensamento evolui para: “Tal ensinamento é errôneo, o fato é que a doença existe”.
Assim, acabam caindo no mesmo equívoco daqueles que, desde o início, mostram-se
céticos quanto à inexistência de doença. (...)

Confira a matéria completa e muito mais, na Revista Fonte de Luz de janeiro/2002.


Você poderá adquiri-lá em um de nossos endereços mais próximo de você, ou através
da nossa Livraria Virtual. Muito obrigado!

Da revista Hikari no Izumi (Fonte de Luz), ano XLV nº 12, 12/84, pp.4-5

Revista Fonte de Luz - Jan/2003

| voltar |
“Para praticarmos atos de bondade não precisamos ser ricos nem renunciar a
todos os nossos bens materias. Não há exigências e restrições”. A Verdade
da Vida, vol. 29.

Você é capaz de emprestar uma caneta a alguém que esteja em dificuldade por ter
esquecido a sua? É capaz de emprestar um cantinho do seu guarda-chuva a alguém
que caminha sob a chuva? Então está vivendo realmente o modo de viver da Seicho-
no-Ie.

Caminhemos mais um pouco, no livro pág.124. “Um ato de bondade só é


verdadeiro quando a pessoa que o praticou acha isso tão natural, a ponto de
nem se lembrar do bem que fez a alguém”.

Aqui está exposto, quais são os chamados homens de boa vontade. Aqueles que
procuram construir a paz na Terra devem: em primeiro lugar partir para realizar algo
em benefício de seu próximo sem esperar retribuição. Mais ainda, mesmo que se vejam
injustiçados devem manter sua fé inabalável, pois é certo que um dia seu verdadeiro
amor pelo semelhante frutificará. Em segundo lugar devem perceber que os atos de
bondade podem ser praticados independentemente de sermos ricos ou pobres.
“Mesmo a mais pobre das pessoas é dona de seu rosto, e pode fazer esse
rosto abrir-se num sorriso bondoso. É também dona de sua boca e dotada da
capacidade de falar, podendo, pois, dirigir palavras de elogio aos outros”.

Aqui encontramos um grande segredo para propagarmos a paz. Não é preciso um


grande movimento, uma grande organização para que a paz se propague pelo planeta.
É preciso que cada um de nós viva emitindo pensamentos de felicidade para nosso
semelhante, que distribuamos sorrisos e palavras de louvor a todo instante. É preciso
que perdoemos os erros nossos e de nossos semelhantes. Pense na escola, em sua
casa, no trabalho, na igreja, no trânsito, enfim, no dia a dia. Como nos comportamos
com nossos colegas, familiares, amigos? Estamos promovendo a paz nesses lugares?

Gostaria de contar o relato de uma amiga nossa.

Silvana nasceu numa família humilde, na cidade de Nova Londrina no Paraná.

A mãe, dona de casa. E o pai –pedreiro e carpinteiro.

Ela foi a primeira filha de seis filhos e seu pai sempre fora um homem rude, simples,
sem nenhuma cultura. Ele costumava beber, praticamente, todos os dias e em função
disso grandes brigas, grandes discussões, escândalos que todos os vizinhos ouviam.

Cada vez que isso acontecia Silvana tinha vontade de ir embora de casa. Esta
desarmonia durou toda sua adolescência.
Ela foi suportando toda aquela situação de ver o pai bêbado e sua mãe trabalhando
durante as madrugadas para sustentar a família.

Quando ela completou 16 anos sofreu assédio sexual do próprio pai e uma grande
revolta, um grande ódio, foi sendo depositado em seu coração. Aquele segredo foi
guardado por alguns anos, e numa noite, numa das horríveis brigas, ela o revelou à
mãe na frente de todos irmãos.

Esta situação foi a gota d’ água para a separação de seus pais. Silvana relata que viveu
um dos piores momentos de sua vida. E após esse dia ela mudou-se com os irmãos e a
mãe para a cidade de Curitiba.

Silvana foi desenvolvendo um grande complexo de inferioridade, muitas crises de


depressão e costumava passar os finais de semana trancada em casa. Só levantava da
cama na segunda-feira porque precisava trabalhar.

Relacionamentos afetivos, sempre fugia deles e ainda afirmava que não tinha sorte
mesmo e que jamais iria se casar. Afinal o exemplo que teve em casa não era nada
bom e isso ficou gravado na mente.

Passou 15 anos de sua vida cultivando uma profunda mágoa do pai, sem vê-lo e nem
falar com ele. Ela achava que essa era uma forma de puni-lo por tudo de ruim que
aconteceu em sua vida e que sua infelicidade fora gerada por ele.

Foi então que em 1996, a convite de seu irmão, fora participar do Seminário de Moças
da Academia de Treinamento Espiritual de Ibiúna. Foi uma experiência inesquecível.

A partir daí Silvana iniciou uma nova jornada como dirigente da Associação dos Jovens
da Seicho-No-Ie. Foi então que descobriu de onde vinha sua tristeza e as crises de
depressão — ela tinha que perdoar o pai. Intensificou a prática da Oração do Perdão, lia
assiduamente os livros e participou, em Ibiúna de todos os eventos da Associação dos
Jovens.

Em dezembro de 1997, tomou a decisão de procurar o seu pai e tentar a reconciliação.


Ela conta:

“Peguei o ônibus no Natal de 97 e fui fazendo muita oração de perdão.

“Cheguei na casa dele em 26/12/97 — no dia do seu aniversário — e todos já me


aguardavam ansiosamente (a esposa dele e + 2 irmãos por parte de pai).

“A chegada foi meio estranha, pois na verdade eu não sabia o que falar. Lembro-me
que fiquei algum tempo MUDA e não saía uma palavra da minha boca. Meu pai me
recebeu como se não tivesse existido nenhuma ausência durante tantos anos.

“A princípio nem consegui abraçá-lo e nem falar nada, mas durante os dias que lá
estive fomos nos aprofundando na conversa e o grande nó da garganta foi saindo e
pudemos falar de coisas do presente e do futuro. Mas não ficamos lembrando o
passado, somente me reservei a falar do motivo pelo qual eu estava lá.

“As palavras foram mais ou menos assim:


“Pai, hoje sei realmente o porque de tantas coisas erradas na minha vida. Faltava me
reconciliar com você. Cultivei tantas mágoas nestes anos todos que me fizeram
amarga e triste. Hoje posso afirmar que tive que ter muita coragem para vir aqui e te
pedir Perdão.

“A culpa nunca foi sua. Nós nunca lhe oferecemos nenhum amor.

“Na verdade na sua simplicidade e sem aquela arrogância que eu achava que ele tinha
— ele só disse algumas palavras: ‘eu sempre te amei e você já foi perdoada há muito
tempo’. Ele falou das suas falhas como pai e também se desculpou — pediu ajuda de
todos os filhos, pois sempre passou por muitas dificuldades financeiras, mas não tinha
coragem de pedir ajuda a mim.

“Não foi fácil ver aquele homem — já velho após tanto tempo e conseguir olhar nos
olhos. Mas naquele momento, me lembrei do Ensinamento da Seicho-No-Ie, me lembrei
do quanto eu vinha me preparando para aquele momento. E lá estava eu — deixando o
meu EU VERDADEIRO se manifestar — Conseguir pedir perdão é realmente um ato
para pessoas de almas grandiosas — não foi fácil. Mas eu entendi que eu precisava dar
o primeiro passo rumo à minha felicidade.

“A partir deste momento, minha vida mudou completamente.

“Atualmente, continuamos distantes. Ele mora em Nova Londrina e eu moro em


Curitiba, mas todos aqueles sentimentos ruins que faziam de mim um SER HUMANO
TÃO INFELIZ foram embora para sempre. Hoje me dedico de corpo e alma pelo
movimento da Seicho-No-Ie e após 6 anos de dedicação pela Associação Jovens, posso
afirmar que a Seicho-No-Ie transformou o meu destino.”

Gostaria de convidar a todos a viver como esse exemplo, a viver como no conto Árabe

Esta e a história de dois grandes mercadores persas de nomes Farid e Amir. Grandes
amigos, costumavam ir juntos, cada qual com sua caravana, seus criados e
empregados, a um mercado vender suas mercadorias.

Certa feita, Farid resolveu banhar-se em um rio para refrescar-se do intenso calor.
Distraiu-se e foi tragado pela correnteza.

Amir, sem medir o perigo, atirou-se no rio e, após grande esforço, salvou o amigo.

Farid chamou um de seus criados e pediu-lhe para esculpir numa rocha, ali existente, a
seguinte frase:

“Aqui, arriscando sua própria vida, Amir salvou seu amigo Farid.”

No retorno, ao passarem pelo mesmo local, pararam para descansar. Durante uma
conversa Amir se alterou e esbofeteou Farid.

Este levantou-se, dirigiu-se até a margem do rio e, com uma varinha escreveu na areia.

“Aqui, por motivos fúteis, Amir esbofeteou seu amigo Farid.”

O criado, que fora encarregado de esculpir na rocha o agradecimento perguntou.


— Senhor! Quando foste salvo mandaste gravar aquele feito numa pedra e agora
escreveis na areia o agravo?
Farid respondeu:

— “Os atos de bondade, de amor, de abnegação, devem ser gravados em uma rocha
para que sirvam de exemplo e sejam seguidos. Ao contrário, quando recebemos uma
ofensa devemos escrevê-la na areia, para que o tempo e as águas se encarreguem de
apagá-la a fim de que ninguém tome conhecimento dela e, acima de tudo, para que
qualquer mágoa desapareça de nosso coração.”

Finalizo minhas palavras com um trecho do livro O Livro dos Jovens de autoria do
Professor Masaharu Taniguchi.
“Este mundo constrói monumentos e estátuas para glorificar os que muito contribuíram
para o desenvolvimento político e econômico das nações. Porém, no mundo espiritual,
quem recebe todas as honrarias são as pessoas que distribuíram a sua bondade, e o
seu amor, os seus sorrisos, as palavras carinhosas e frases de louvor e admiração.”

Trecho extraído da palestra proferida pelo Preletor Marcos Rogério Silvestri


Vaz Pinto na 47ª Convenção Nacional da Associação dos Jovens da SEICHO-
NO-IE DO BRASIL.

Revista Mundo Ideal - Dez/2002

| voltar |

Palavras do Mês
Seicho Taniguchi

Você nasceu neste mundo para iluminá-lo com sua luz; veio a este mundo para realizar
tarefas que só você é capaz de executar, e para atender aos anseios das pessoas que
se regozijam pelo fato de você existir.

Será que você diria: “Não existem tais pessoas”? Existem, sim! Seus pais se alegraram
com seu nascimento. Quando você era pequeno, eles sentiam ânimo de viver só de vê-
lo dormindo tranqüilamente.

Quando você volta do trabalho, seus familiares o acolhem com alegria e carinho. Na
empresa, seu chefe e seus colegas contam com sua presença e, quando você falta ao
trabalho por algum motivo, ficam preocupados. Você é uma pessoa necessária.

Qualquer aparelho — relógio, máquina fotográfica etc. — começa a falhar ou pára de


funcionar quando falta uma peça. Assim como cada peça é necessária para um
aparelho, cada ser humano é necessário para o mundo. A força individual de cada
pessoa pode parecer insignificante, mas faz parte da força que sustenta o todo. No
âmago da mente, o homem tem consciência disso e se preocupa com o todo. Portanto,
a mente dele se identifica com a mente do todo, ou seja, com Deus. O fato de o ser
humano ter consciência de fazer parte do todo é prova de que ele é filho de Deus. No
passado, Jesus Cristo e Sakyamuni se conscientizaram disso, mas o resto da
humanidade não despertou para essa Verdade e pensava, equivocadamente, que
somente algumas pessoas especiais eram filhos de Deus ou seres iluminados.
Embora todos sejam filhos de Deus e possuam a natureza verdadeira maravilhosa,
aqueles que não reconhecem esse fato não conseguem manifestar a força condizente
com sua natureza de filhos de Deus. (...)

Confira a matéria completa e muito mais, na Revista Fonte de Luz de dezembro/2002.


Você poderá adquiri-lá em um de nossos endereços mais próximo de você, ou através
da nossa Livraria Virtual. Muito obrigado!

Revista Fonte de Luz - Dez/2002

| voltar |

Artigo do Professor
Mulher
“Não existe coisa mais insípida do que uma esposa que não parece ser
esposa, ou seja, uma esposa que age com frieza como se fosse uma
estranha.”

Seicho Taniguchi

Esposa que ama o marido

Amar é doar. Não é desejar retribuição do outro. Nem é ser gentil somente quando o
outro lhe doar algo. Não há amor mais nobre do que “doar incondicionalmente”.
Quando o marido agride fisicamente a esposa, com certeza está desejando dela essa
“doação incondicional”. O rompimento aproxima-se de um casal à medida que vão se
intensificando as expressões ditas pela esposa “mas...”, “porque...”, “você diz isso,
porém...”. A cada vez que você diz “mas...”, vai se acumulando no marido a energia da
violência.

Muitas vezes, seu marido pode dizer algo totalmente fora do senso comum, ou fazer
algo que você julga não estar condizente com o dever dele. Mas isso não significa que
seja um motivo para você se desviar da “senda conjugal”. Se seu marido erra, é porque
você não está totalmente unida a ele. Se você o amar verdadeira e
incondicionalmente, nele confiar e respeitá-lo, ele jamais seguirá por caminhos
errados. Se o casal viveu com os corações unidos, jamais persistirá a imperfeição, pois
Deus criou o ser humano perfeito.

Quem crê em Deus deve crer no homem que Ele criou. Se uma esposa diz que acredita
em Deus mas não no marido, seria melhor que não tivesse marido. Uma vez que você
se tornou uma esposa, mesmo que o mundo todo duvide de seu marido, você deve
acreditar nele e acompanhá-lo aonde ele for. Se ele lhe disser “Vamos para o inferno”,
significa que a está convidando a ir para o céu. Se ele lhe disser “Você é uma tola”,
significa que ele está lhe dizendo “Estou amando-a tanto, mas...”. Se você deseja dizer
publicamente “Sou sua esposa”, deve conhecer melhor os verdadeiros sentimentos do
seu marido. Mais do que ser gentil com visitas e amigos, deve demonstrar um amor
mais profundo ao seu marido. Não existe coisa mais insípida do que uma esposa que
não parece ser esposa, ou seja, uma esposa que age com frieza como se fosse uma
estranha.
Acredite no seu marido! Ame-o, siga-o! Quando se entregar incondicionalmente a ele,
você terá o mundo todo em suas mãos. Quando se doar integralmente, você receberá
de Deus um marido-filho-de-Deus e todas as demais boas coisas, pois, nesse momento,
você conseguiu amar verdadeiramente pela primeira vez. O amor transcende
interesses e senso comum. Você não deve amar mais o senso comum ou a reputação
do que o marido. (...)

Confira a matéria completa e muito mais, na Revista Pomba Branca de novembro/2002.


Você poderá adquiri-lá em um de nossos endereços mais próximo de você, ou através
da nossa Livraria Virtual.

Pomba Branca - Nov/2002

| voltar |

Conhecendo a Verdade
A Respeito do Amor Puro
Masaharu Taniguchi

Todos nós possuímos a chave para fazer surgir o paraíso em nossa vida terrena. Essa
chave, invisível aos olhos físicos, é mais preciosa do que qualquer outra chave visível.
Utilizando-a, podemos fazer com que o paraíso se manifeste na Terra, a qualquer hora
e em qualquer lugar. Essa chave é o amor puro.

O amor puro extingue a desarmonia, assim como a luz elimina a treva. Todas as
situações de desarmonia e de conflito resultam da falta de amor puro, verdadeiro, em
uma das partes envolvidas.

O amor puro difere do amor paixão, que se caracteriza pelo apego e faz com que a
pessoa deseje monopolizar a outra, o que acaba provocando brigas por ciúme. Quem
dedica ao outro um amor puro, verdadeiro, não o trata com sentimento de posse, e sim
com a disposição de se doar. Uma pessoa que tem muito apego a si própria não é
capaz de dedicar amor puro a alguém. O apego a si próprio é um sentimento ligado ao
egoísmo.

“De que adianta fazer o outro feliz, se isso não proporciona felicidade a mim?” — esse
é o pensamento de uma pessoa egoísta, apegada a si mesma. Obviamente, não é
expressão do amor verdadeiro. (...)

Confira a matéria completa e muito mais, na Revista Fonte de Luz de novembro/2002.


Você poderá adquiri-lá em um de nossos endereços mais próximo de você, ou através
da nossa Livraria Virtual.

Do livro Jinsei o Mitsumete (ainda não editado em português; tít. prov.: Contemplando a Vida), pp. 84-86

Fonte de Luz - Nov/2002

| voltar |
Palavras do Mês
Viver Plenamente
Seicho Taniguchi

Se os homens fossem animais inferiores, não haveriam de adoecer, sofrer ou


preocupar-se com algum problema. Os animais inferiores não possuem mente
complicada e, por isso, não se preocupam com comida, vestuário ou moradia. Em
compensação, sua opção é viver ou morrer.

Isso quer dizer que, normalmente, o homem se encontra em uma situação


intermediária entre a vida e a morte. Uma pessoa doente e acamada é como se
estivesse 'semimorta'. Mais precisamente dizendo, '1/8 morta' ou '1/4 morta',
dependendo do seu modo de viver ou morrer. E, ainda, esse '1/8' se transforma
gradativamente e pode chegar a '1/15' ou à 'recuperação total'.

Em outras palavras, 'recuperação' significa viver perfeitamente, ou plenamente. Então,


para se recuperar, é preciso viver plenamente. Ou seja, não se deve relaxar no
trabalho nem viver o dia de maneira desgostosa.

Ao contrário, deve-se viver plenamente, com dinamismo. Viver alegre, feliz e com
gratidão. Assim é possível exteriorizar plenamente a vida. Porém, isso não significa que
a pessoa pode realizar os trabalhos com perfeição. Não significa que ela conseguirá
resolver todos os problemas e tirar nota dez em todas as matérias escolares. Mais
importante que o resultado é a postura de vida. Ao viver com alegria, com dinamismo e
feliz, a pessoa levará uma vida saudável.

Como prova disso, as crianças vivem com vigor e alegria, mas isso não significa que
realizem um trabalho perfeito. Podem criar um boneco com a lama, mas não de modo
perfeito. Elas simplesmente se divertem com isso. Assim, crescem com saúde. (...)

Confira a matéria completa e muito mais, na Revista Fonte de Luz de novembro/2002.


Você poderá adquiri-lá em um de nossos endereços mais próximo de você, ou através
da nossa Livraria Virtual.

Da revista Hikari no Izumi (Fonte de Luz), ano XLIX, nº 10, 10/88, pp. 4-5

Fonte de Luz - Nov/2002

| voltar |

Artigo do Professor
Mulher

“A mulher possui o poder de curar tudo. É o amor dela que salva


a Terra do tumulto da guerra, que protege todos os lares da
destruição, que eleva o marido, que faz o filho crescer.”
Seicho Taniguchi

“Quando
a mãe
assume a
maternidade,
a base
mental se
torna
inabalável,
e no mundo
reina a paz”

Ser mãe
A palavra mãe possui uma
conotação fabulosa. É dotada
de um poder e energia
incalculáveis. Quando o
campus da Universidade de
Tóquio foi bloqueado por
estudantes ativistas, uma
senhora foi entrando no
Auditório Yasuda dizendo
“Sou uma mãe, sou uma
mãe”. Ela conseguiu entrar,
graças ao poder da palavra
mãe. Se ela tivesse dito
naquela hora “Sou Yamada”
ou “Sou Taniguchi”, não teria
surtido aquele efeito. De
nada adiantaria dizer “Sou
uma esposa” e seria mais
inútil ainda dizer “Sou um
marido”. Não há dúvida de
que o efeito seria nulo se não
tivesse dito “Sou uma mãe”.

A mãe está, desse modo,


intimamente ligada à nossa
vida. Ela está sempre junto a
nós, desde o momento em
que nascemos até o
momento da morte. Mesmo
que a forma física dela esteja
distante, a mãe está
mentalmente nos
sustentando, tal qual o solo
em que pisamos.

Entretanto, nos últimos


tempos, esse solo chamado
mãe começou a balançar.
Isso porque a mãe está
começando a negar o fato de
ser mãe. Ela deseja ser
simplesmente esposa,
mulher, e não mãe. Ela se
transformou numa pessoa
insensata, que tenta negar a
maternidade tornando-se
“mulher assalariada”. Não
estaria tomando a decisão de
se transformar numa escrava
dos produtos eletrônicos,
satisfazendo-se em ocupar a
posição de auxiliar dos
assalariados, abrindo mão da
superior posição feminina?

Quando a imagem da
mãe se dissipar do
coração feminino, a
mulher começará a se
degenerar. Essa
degeneração da mulher
distorce
simultaneamente a
educação. Se a mulher
não aceitar na
totalidade o fato de ser
mãe, por mais que tente
fazer com que o filho
estude, atiçando-o,
dando-lhe palmadas no
bumbum, ele só se
revoltará. Isso porque o
filho jamais fica
satisfeito num lar no
qual a mãe está
ausente, onde só conta
com a companhia de
eletrodomésticos,
automóvel, carpete e
cachorro. A
Não há
nada que
não seja
curado pelo
amor.
A mulher
possui
poder de
curar tudo.

insatisfação dos filhos vai se


ampliando e se transforma
na insatisfação com o
sistema vigente e no desejo
de destruí-lo.

Ao persistir por mais de dez


anos a manobra de distorção
de valores, por meio da hábil
educação dissimulada dos
professores da Nikkyoso
(Sindicato dos Educadores do
Japão), hoje, as crianças que
se tornaram universitários,
confinam-se no campus da
universidade e, armados com
pedaços de madeira e canos
de ferro, tentam destruir o
sistema atual. PTA significa
Associação de Pais e
Mestres, mas os jovens que
assim foram criados dentro
da linha de batalha desse
sindicato estão carregando
“brilhantemente” as armas
da “revolução”.

Por essa razão, as mulheres


não devem rejeitar o fato de
cada qual ser
verdadeiramente uma mãe.
Quando a mãe assume a
maternidade, a base mental
se torna inabalável, e no
mundo reina a paz. É
impossível que os filhos
(hoje, universitários) deixem
de notar o perverso
pensamento: “Em vez de
gerar filhos, quero um
automóvel, uma geladeira,
um vestido...”. O filho, por
sua vez, jamais trai a mãe.
(...)

Outros tópicos:
A mulher é o sal da terra
Você é o tesouro

Confira a matéria completa e


muito mais, na Revista
Pomba Branca de
outubro/2002. Você poderá
adquiri-lá em um de nossos
endereços mais próximo de
você, ou através da nossa
Livraria Virtual.

Do livro Jinsei no Danso (ainda não


editado em português; tít. prov.:
Meditações sobre a Vida), pp. 91-97

Pomba Branca - Out/2002

| voltar |

Aprimorament
o para Mães
Pequena Vida...

Quando Deus cria o homem,


Ele dá Sua Vida ao homem.

Em 1985, coincidindo com o


lançamento do livro Pela Paz
dos Anjinhos, do prof.
Kamino Kusumoto, a
Associação Pomba Branca,
sob o comando de sua
presidente, preletora da
Sede Internacional Marie
Murakami, abraça com amor
e determinação a causa que
protege a Pequena Vida.

Naquele ano, 2 mil pessoas


compareceram ao Centro de
Convenções do Anhembi
para conscientização e
mobilização em favor dos
direitos do embrião. Desde
então, todos os anos a
Associação Pomba Branca
promove o Encontro de
Valorização da Pequena
Vida, que enfatiza a
concepção como um ato
divino, porta de entrada da
Vida.

“A concepção do homem é o
resultado de uma soma
originária na Mente Divina,
cujas parcelas são
compostas de pensamento,
sentimento e ação.” Para
que possamos respeitar a
Vida, é preciso compreender
que a vida humana é Vida de
Deus, que Deus Se
manifesta sob a forma
concreta de ser humano. O
ato de conceber está
profundamente ligado ao ato
de sentir: emoção, alegria,
ansiedade, preocupação...

A concepção humana deve


ser encarada e vivenciada de
forma consciente,
integralmente desejada.

Casais abençoados com a


vinda de um filho são
escolhidos por Deus, para
gerar um filho de Deus. É
uma prova muito grande de
que Deus confia plenamente
num casal e espera que Seu
filho seja recebido com Amor
e Carinho.

Se Deus, em Sua Infinita


Sabedoria coloca na face da
Terra as árvores, as flores,
que trazem dentro de si a
destinação para crescer,
transformando-se em
frondosas árvores, com
capacidade de produzir
deliciosas frutas e flores de
belezas peculiares, o
pequeno feto é a
representação legítima do
primeiro estágio da tenra
“árvore humana”, na busca
do crescimento e
desenvolvimento integral
hoje, amanhã e sempre.

Qualquer que seja a


circunstância em que venha
a ocorrer destruição da tenra
árvore ou da minúscula flor
em botão, será sempre um
prejuízo lamentável à vida
vegetal, pelo desequilíbrio
infligido à harmonia
ecológica, a qual devemos
estabelecer urgentemente
no planeta, em benefício de
todos.

Em se tratando de feto, se
porventura alguém, por
inconsciência, se achar
investido de autoridade
suficiente para induzir,
consentir ou executar sua
destruição, não podemos
deixar de conscientizá-lo de
que esse ato, denominado
também de aborto, é, em
síntese, uma flecha mortal
direcionada à destruição da
vida, que exercita sua
Essência em seus primeiros
movimentos vitais buscando,
à luz da experiência
humana, o desenvolvimento
pleno das “potencialidades
divinas”, que estão latentes,
indistintamente, no âmago
de todas nós.
O ser que foi gerado é um
novo indivíduo, com todas as
características necessárias
para nascer e crescer. O
espírito que nele se instala,
alojando-se no útero
materno, faz aí sua morada
para que seja confeccionada
a roupa (corpo carnal) que
lhe permitirá viver na face da
Terra (mundo fenomênico). É
a oportunidade única,
valiosa, de seguir sua
evolução espiritual. Teremos
o direito de impedir essa
missão, que é sublime?

Em um mundo onde se fala


tanto em contraceptivos, a
concepção do ser humano
não pode nem deve ser fruto
de descuido, ou do acaso...
Conceber deve ser, portanto,
um ato movido por uma ação
de natureza integral, próprio
de um casal consciente, que
deseja, planeja, realiza e
acompanha todos os estágios
da criação e do
desenvolvimento da vida.

Quando Deus cria o homem,


Ele dá Sua Vida ao homem.
Tal como a vida do vegetal
se manifesta no desabrochar
das flores e dos frutos, o
homem é o desabrochar da
Vida de Deus na Terra. É a
isso que nos referimos
quando dizemos que o
homem é a auto-expressão
de Deus. Não basta conhecer
os aspectos fisiológicos da
reprodução humana; é
necessário valorizar o
sublime ato da criação da
vida e o seu
desenvolvimento.

Pensemos no feto. Alguma


vez a mãe se preocupou em
fazer funcionar o cérebro
desse feto? Em providenciar
suas mãos e seus pés? Em
realizar as batidas do seu
coração? Nunca. Ela não
precisou se preocupar com
isso e, no entanto, os fetos
seguem, a cada minuto, a
cada segundo, o mesmo
roteiro de formação física,
sem falha e sem
desorganização. É a
misteriosa força da grande
Vida da Natureza a
responsável pela criação do
ser vivo, ou seja, Deus, o
“fabricante” do homem e de
todo o Universo.

Deus cria incessantemente


com Sua Sabedoria: por isso
não há ninguém igual.

Quando o espírito começa a


formar a vestimenta (corpo
carnal), o consciente e o
subconsciente se nivelam,
fazendo a simbiose (vida em
comum) com a mente
paterna e materna. É o
milagre da Vida!

Neste ponto, poderemos


deparar com a seguinte
pergunta: e quando há o
desenvolvimento do feto de
forma irregular? Como agir,
que pensar? É necessária a
conscientização de que “Um
feto é sempre um feto. Se
ele é doente, devemos estar
a seu serviço e não ajudá-lo
a morrer” — Jerome Lejeune
(médico). É necessário
acreditar, ter convicção de
que todos, sem exceção, são
filhos de Deus.

Precisamos acreditar muito


nos portadores de deficiência
e pedir-lhes perdão por
nossa ineficiência em aceitá-
los. Eles, em absoluto, não
deixam de ser filhos de Deus
por virem cumprir suas
missões de forma especial.
Ao contrário, são espíritos
elevados que aceitaram suas
condições de portadores de
deficiência — seja de
natureza física, mental,
sensorial ou emocional —,
para realizar um trabalho de
conscientização e
aprimoramento familiar.
São, ao mesmo tempo,
alunos e professores na
escola da Vida. Portanto,
mães e pais especiais são
aqueles que recebem, amam
e educam filhos especiais,
dedicando-lhes amor,
atenção, carinho e respeito,
fazendo-os sentirem-se real
e naturalmente felizes.

Esses “Anjos de Luz”


conduzem a uma série de
realizações, reflexões e,
conseqüentemente, a uma
aprendizagem especial em
relação à valorização da
vida. E, também, a
reverência ao mistério de
sua criação, proporcionando
àqueles que têm “olhos para
ver e ouvidos para ouvir” um
momento excepcional para
exercitar o amor de forma
ampla, abrangente,
excepcional.

Sabemos também que a


concepção em que o feto
apresenta alguma anomalia,
em muitos casos, já pode
ser diagnosticada através de
exames específicos para
esse fim. Existem várias
publicações científicas que
tratam do assunto de forma
ampla e minuciosa. Que
maravilha poder contar e
agradecer pelo avanço cada
vez maior da medicina, em
todos os seus níveis! Será
que nós, mães, agradecemos
profunda e sinceramente
pela natureza divina de
nossos filhos, que são, em
primeiro lugar, filhos de
Deus, saudáveis e perfeitos?
Aqui cabe uma profunda e
séria reflexão!

Não podemos nos esquecer


de que o patrimônio genético
do homem é humano.
Portanto, em vez de
promover segregações,
discriminações e
preferências, deveríamos
produzir cuidados, educação,
amor e respeito, unindo-nos
na condição de seres da
mesma espécie,
conscientizando-nos de que
a evolução e o
aprimoramento do ser
humano se dão pelo próprio
homem. Einstein já dizia
também: “O homem está
aqui para o bem do homem”.

Repetindo que o patrimônio


genético do homem é
humano, acrescentando e
ressaltando a sua essência
divina. A concepção do feto
é a concepção da vida do ser
humano que necessita
nascer neste mundo terreno
para cumprir sua missão.
Não cabe a ninguém negar-
lhe o direito à vida. É preciso
unir esforços para que haja
um trabalho profundo e
efetivo de valorização da
vida, dádiva de Deus!

Assim, lutemos pela vida. É


a Vida de Deus que aí vive!
Fonte: Manual de Reunião de Estudos
para Mães — Assoc. Pomba Branca da
SEICHO-NO-IE DO BRASIL
Concepção e Valorização da Vida —
Dr. Marcos Augusto P. Azevedo
Educação do Filho de Deus, vol. 1 —
Keiyo Kanuma

Pomba Branca - Out/2002

| voltar |

Junji Miyura

Outro dia, assisti pela


televisão à reportagem de
um guia de safari que
enfrentou um leão faminto,
somente com um rolo de
papel higiênico na mão.

Era um homem robusto, com


mais ou menos 35 anos de
idade, e vestia um jaleco
cáqui. Guardando um rolo de
papel higiênico no jaleco, foi
engatinhando calmamente a
um grupo de três leões.
Deitou-se com as pernas
esticadas para a frente e o
tronco um pouco levantado,
apoiando-se nos cotovelos,
de forma que tivesse uma
visão geral dos leões.

Um dos leões se aproximou


e estudou a situação. O
homem se manteve firme,
sem se mostrar medo.

Quando o leão se aproximou


a tal ponto que poderia
trazer perigo, o homem tirou
o rolo de papel higiênico do
jaleco e, semideitado,
levantou o rolo e
movimentou o braço de
modo a intimidar o leão.

Nesse momento, o leão


recuou.

Por que papel higiênico?

Segundo o guia, o leão tem


medo daquilo que ele não
conhece. Poderia ser outro
objeto, tal como um copo de
plástico ou um telefone, por
exemplo.

Mas o leão não desistiu.


Ficou ali, esperando uma
oportunidade, para atacar, e
levantava o focinho,
tentando farejar algo no ar.

Aproximou-se novamente do
guia, mas este levantou o
papel higiênico de novo, sem
se intimidar. O leão recuou
outra vez.

Assim ficaram por algum


tempo. O leão tentando
atacar, e o guia não se
intimidando, com o rolo de
papel higiênico na mão. Até
que o leão desistiu do seu
intento e foi embora.

Recomendação: Apesar de
ser muito bonito, não tente
fazer esse tipo de loucura,
pois você pode se dar mal.

Mas, afinal, por que o leão


desistiu de atacar o homem?
Será que foi repelido pelo
papel higiênico?

Não! O papel higiênico teve


sua participação, mas não foi
o motivo principal.

A razão principal que fez o


leão desistir do seu
suculento almoço, foi o fato
de o homem não ter sentido
medo do animal, em
momento algum.

Segundo o guia, se ele


tivesse sentido um pingo de
medo, o leão o teria
devorado. “O medo faz com
que a pessoa exale um odor
característico, e, se o animal
sentir esse odor, por mínimo
que seja, irá atacar com
certeza. O seu medo é que
fortalece a convicção do
leão”.

Que nos ensina este


episódio?

Não importa a situação que


você se encontre, não
importa o inimigo à sua
volta; se sentir medo, será
derrotado.

O inimigo ou a situação em
que você se encontra é como
o leão: está apenas
esperando uma oportunidade
para atacar você. Se sentir
um pingo de medo, você
será derrotado pelo inimigo
ou pela situação.

Mas, afinal, que fazer para


não sentir medo?

Você é filho de Deus;


aprofunde sua convicção de
ser filho de Deus, volte sua
mente para o Pai. Consta na
Bíblia: “Se Deus está do
nosso lado, quem nos
vencerá?”. (Romanos 8,31)
Quando estamos ligados a
Deus, isto é, quando
sentimos que realmente
somos filhos de Deus, que
somos um com Deus, já não
existe inimigo, temor, medo,
fracasso ou insucesso.

Só existem confiança,
determinação, sucesso,
vitória e amigos.

“Você fez de Deus o seu


protetor e do Altíssimo o seu
defensor; por isso nenhum
desastre o ferirá, e nenhum
mal chegará perto da sua
casa”. (Salmo 91, 9-10).
Temos de ter essa convicção.

Na “Revelação Divina da
Grande Harmonia”. O mestre

Masaharu Taniguchi assim


escreve: “Reconcilia-te com
todas as coisas do céu e da
terra. Quando se efetivar a
reconciliação com todas as
coisas do céu e da terra,
tudo será teu amigo. Quando
todo o Universo se tornar teu
amigo, coisa alguma do
Universo poderá causar-te
dano”.

“Reconciliar-se com todas as


coisas do Universo” significa
o seguinte: Você é filho de
Deus, e todas as coisas do
Universo são criações de
Deus também; portanto,
quanto mais profundamente
você se conscientizar da sua
natureza divina, mais
convicção você terá de que
todas as coisas do Universo
são teus amigos e que nada
pode te prejudicar; aí,
então, o medo se extinguirá.

Aprofunde a consciência de
ser filho de Deus, pratique
assiduamente a Meditação
Shinsokan, leia livros e
revistas sagradas, freqüente
as reuniões nas Associações
Locais e participe, pelo
menos uma vez por ano, de
um Seminário de
Treinamento Espiritual em
alguma Academia da Seicho-
No-Ie.

Com certeza o seu medo se


extinguirá, e você terá
sucesso na vida.

Revista Mundo Ideal - Set/2002

| voltar |

Artigo do
Professor
A dor do feto
O maior ato criativo de um
ser humano é a concepção e
o nascimento de um(a)
filho(a).
Ufa! Precisamos provar que
sentimos dor para termos
direito à vida? Imaginem,
meus irmãos adultos, a
situação das crianças em
estado de feto!
Antes, éramos apenas
alguém que comia, bebia e
dormia. Só!

Recentemente, estão
descobrindo que, a partir de
certa idade, podemos sentir
dor! Que dor, não? Sem ela,
meu chapa, feto é nada!!!
Podemos ser exterminados,
desprezados, tudo...

Não é estranho que nosso


direito de viver seja avaliado
pela nossa capacidade de
sentir dor?

Não é profundamente
doloroso? Curioso é que,
quando nos tornamos
adultos, ninguém quer sentir
dor. Os analgésicos que o
digam. Ah! Se passamos por
um processo cirúrgico,
somos anestesiados, ficamos
imunes à dor. Será que,
nesse momento, deixamos
de ter direito à vida?
Puxa, nunca pensei que a dor
fosse mais importante que a
vida. Certamente, Deus não
pensa assim. Que critério
maluco para valorizar a vida!
Será que é por isso que, ao
se tornarem adultos, os
homens criam vários tipos de
dor? Será?
Mas, antes de dor, os fetos
querem falar de vida.
Pessoal, nos primeiros dias
de vida, a mamãe já saca
nossas necessidades.
Duvidam? Sua primeira
ordem: “Abaixo
menstruação! Preciso
economizar energia!”.
No 25º dia, turma, tenho um
coração. Vocês não acham
que o coração é mais
importante que a dor?
Gente, mãe que ouve o
coração do filho sabe que ele
está vivo. Não importa sua
idade.
Com 30 dias, minha forma
humana começa a ficar mais
clara. Que bom!
Percebam que tudo está
determinado!
É só uma questão de
tempo... É como as plantas.
Será que a semente recém-
germinada se transforma
repentinamente na grande
árvore?
Claro que não! Criança- feto
também é assim.
Agora pensem: será que um
agricultor destrói o
minúsculo pezinho de laranja
argumentando que ele não
traz em sua essência a
grande laranjeira do futuro?
Bem, em se tratando de
fetos humanos, corremos
sempre esse risco.
Dizem: “É um tequinho de
carne, minúsculo, que nem
sente dor! Tanto faz viver ou
morrer”.
Estranho, não?
Oba, preciso dizer que cresço
a todo instante.
Gente, isto é o máximo!
Curioso é que não preciso
sentir dor para crescer.

Tum...Tum...Tum...
Meu coração bate mesmo!
Não faço nenhum esforço
para existir. Mas existo!
Puxa! O homem pensa que
cria a vida, mas não cria.
Oh, coitado!

Estou no terceiro mês de


vida. Deram-me o nome de
feto. Mas, pessoal, prefiro
ser chamado criança-feto.
Sou menino! Posso afirmar
com certeza.
Posso engolir. Que legal!
Sinto o gosto dos alimentos.
Ei, mano! Também posso
chutar.
Não se preocupe, nosso
chute não é de violência.
É vida, meu, muita vida! É a
forma que temos de brincar
com mamãe e papai. É, feto
também se vira.
Pessoal, agora um desabafo
maior: os cientistas estão na
maior polêmica. Indagam e
discordam entre si,
argumentando:
“Feto sente dor a partir de
tal idade!”,
“Não, dizem outros, é a
partir de tal”.
Tudo por causa desse
bendito córtex cerebral.
Parece que só existe ele!
Esquecem que, antes de
sentir dor, feto pode sentir
amor. Nosso coração,
espertinhos, já está pronto.
Antes de registrar a dor, nós
optamos pelo amor.
Abaixo a dor! Viva o amor!
Criança-feto é amor!
Mamãe, papai, pessoal
adulto, repitam conosco:
Feto não é dor, feto é amor!
Feto não é dor, feto é amor!

Comissão Editorial

Revista Pomba Branca - Set/2002

| voltar |
Cultura
Flores
Criador, como Pai amoroso,
nos acumula de presentes de
todas as formas; com o

verde multicolor de nossas


matas, relvas e campinas;
com o azul do céu; o brilho
do Sol; a inebriante chuva; e
especialmente o colorido das
flores, com seus diversos
aromas e sabores.
— Sabores?

Sim, sabores, pois há muitas


flores que são comestíveis.

E, neste mês em que a


primavera se faz presente,
vamos tecer alguns
comentários sobre flores
comestíveis.

Existem algumas que são


mais conhecidas, pois as
temos em nossa mesa quase
que diariamente, como a
couve-flor, o brócolis, a
alcachofra e a flor de
abóbora, conhecida
popularmente em algumas
regiões como “cambuquira”.
Mas, figuram ainda como
comestíveis os capuchinhos,
as rosas, as begônias, as
calêndulas, os amores-
perfeitos, os crisântemos, as
tulipas, as de alfazema e as
menos comuns como
cravinas e verbenas-limão.

Já na Antiguidade, o uso das


flores como alimento era do
conhecimento de alguns
povos como, por exemplo, a
Althaea officinalis, da família
das malváceas, conhecida
pelos ingleses como

marshmallow. Suas flores


cor-de-rosa eram utilizadas
em saladas, e, da mucilagem
das raízes, faziam doces.
Além de servir como
alimento, eram também
utilizadas pelo seu valor
laxativo.

Mais “modernamente”, as
senhoras inglesas do tempo
da rainha Vitória serviam a
seus comensais um prato
sofisticado, ou seja, pétalas
de rosa cristalizadas – as
pétalas eram cobertas com
clara de ovo e um pouco de
água e, na hora de servir,
polvilhavam-nas com açúcar.
Nos dias de hoje, a rosa é
oferecida em saladas, geléias
e tortas, que apresentam um
sabor todo especial.
Salientamos que as flores
para fins comestíveis devem
ser adquiridas de produtores
especializados, que não
usam produtos agrotóxicos,
pois, caso contrário, poderão
trazer sérios prejuízos à
saúde. Lembramos ainda que
flores como azaléia e bico-
de-papagaio são altamente
venenosas, daí não
podermos usar qualquer tipo
de flor como alimento.

Como curiosidade, vamos


falar sobre algumas flores
comestíveis. São elas:

Agave americana: planta


das américas Central e do
Sul: sua florescência demora
entre 10 e 20 anos
(antigamente acreditavam
que esse tempo seria de 100
anos). Cultivada no México
desde 1561, suas flores são
ingeridas com tortilhas. Sua
seiva é fermentada e obtém-
se o pulque, bebida da qual,
destilada, origina-se a
tequila ou o mescal.

Allium schoenoprasum: é
a popular cebolinha, ou,
como chamam os ingleses,
chives, usada em salada.

Aloysia citriodora Palau


ou verbena-limão: suas
flores são muito usadas para
aromatizar vinhos, recheios,
aves, conservas e
sobremesas, além do seu
uso nos licores franceses.
Originária do Chile e da
Argentina.

Althaea rósea: de origem


chinesa, é também chamada
de rosa-de-Jericó. Suas
flores são grandes, e suas
cores podem ser branca,
amarela, vermelha ou cor de
vinho. Usadas em saladas, e
a cor de vinho para
escurecer o vinho.

Anthemis tinctoria, ou
camomila amarela: vinda
do sul e centro da Europa,
sua floração ocorre entre
julho e outubro, na Europa.
Anethum graveolens:
conhecido também como
endro ou aneto, e os ingleses
chamam de drill. Suas flores
são usadas em picles de
pepino ou de couve-flor.

Averrhoa carambola, ou
carambola: suas flores são
usadas em saladas; seu fruto
é também conhecido como
“fruto-estrela”, pois, quando
cortado transversalmente,
tem formato de uma estrela.
Podemos fazer suco para
beber. Seu suco é bom para
tirar manchas das mãos e de
roupas. No Brasil, foi
introduzida no estado de
Pernambuco, em 1817, pois
os portugueses a trouxeram
da Índia, e sua origem
provável é africana. De seu
fruto verde fazem-se picles.

Bauhinia purpúrea: suas


flores são grandes, a
coloração é vermelha ou
rósea, e são usadas em
saladas, especialmente as de
peixe como o atum.

Borago officinalis, ou
borragem: as flores, quando
frescas, têm um tom azul e,
quando mais velhas, passam
para rosadas; sua origem é
da Ásia ou do Mediterrâneo.
Usadas em saladas, formam
um prato multicor e,
segundo dizem, o sabor é de
pepino. Os antigos
acreditavam que tinham um
efeito mágico sobre o corpo
e a mente, tornando o
homem alegre e feliz.

Calendula officinalis: é a
popular calêndula. Suas
pétalas podem ser
misturadas ao arroz, ao
peixe, à sopa, aos queijos,
iogurtes e omeletes, dando
uma coloração como a do
açafrão; usada também
como corante de manteiga e
queijo.

Crocus sativus: é o açafrão


verdadeiro, uma planta
caríssima, pois, para termos
1 quilo, precisamos de 100
mil flores. Usado há séculos
em molhos, arroz e aves.

Curcubita pepo Duchesne:


é a nossa conhecida
abóbora. Podemos comer
suas flores fritas, empanadas
em ovo e farinha, ou ainda
recheada de queijo forte, ou
ainda em sopa,
especialmente a de milho.
Dianthus cayophyllus: é a
nossa conhecida cravina.
Suas flores podem ser
digeridas em saladas, torta
de frutas, sanduíches, e
ainda para aromatizar
vinagres, geléias, açúcar e
vinho. Quando açucaradas,
podemos enfeitar bolos. Seu
corante é muito usado em
confeitaria.

Helianthus annuus, ou o
famoso girassol: os botões
florais são cozidos, servidos
como aspargos, e suas flores
em saladas. Era cultivado
pelos indígenas no norte do
México, há mais de 3.000
anos.

Myrtus communis: é a
murta, e suas pétalas podem
ser usadas em salada de
fruta.

Pelargonium capitatum,
ou gerânio: muito usado em
saladas.

Tabebuia heptapyla: é o
ipê-rosa ou piúva. A flor cor-
de-rosa é comestível. Planta
da Mata Atlântica e floresce
de junho a setembro.

Tabebuia impetiginosa, ou
ipê-roxo: como o ipê-rosa,
também suas flores são
comestíveis. Floresce de
maio a setembro e é
originário da Mata Atlântica.

Tropaealum majus:
também conhecida como
chaguinha ou capuchinho. De
flores vistosas, nas cores
amarela e vermelha.
Começaram a ser usadas no
Oriente; flores, folhas e
semente têm gosto
apimentado.

Viola odorata: violeta


verdadeira (não é a violeta-
africana, encontrada nas
floriculturas). Quando fresca,
é usada em saladas;
cristalizada, usada para
decoração de bolos, pudins e
sorvetes.

Como podemos ver, são


muitas as variedades de
flores comestíveis, e é bem
provável que haja muitas
outras que não são de nosso
conhecimento.

Flores comestíveis, além de


bonitas e dar uma
apresentação primorosa a
diversos pratos, realçam o
sabor. Seu uso é antigo na
Europa, sendo mais
freqüente em épocas
especiais como Natal e Ano-
Novo.

O cultivo de flores
comestíveis como atividade
econômica é um bom
negócio, tanto na Europa
quanto no Brasil. Esses
produtos são vendidos
especialmente em
restaurantes, bufês e redes
de supermercados.
Geralmente, os produtores
firmam contrato com seus
clientes, garantindo assim o
escoamento de suas
produções, cujo cultivo é
bastante específico, pois não
podem conter produtos
agrotóxicos, mas apenas
adubação orgânica, sem o
uso de defensivos químicos,
tendo como garantia de seus
produtos o Selo da
Associação de Agricultura
Orgânica (AAO).

Para esse cultivo, são


indicadas instalações em
estufas com telas ou
plásticos e um sistema de
irrigação adequado. Após
colhidas, as flores devem ser
transportadas em caminhão
refrigerado e, quando a
distância for muito longa,
recomenda-se que o
transporte seja feito por
avião, em caixas de isopor,
para manter a temperatura
por mais tempo.

Lembramos também que


muitas flores são utilizadas
como fontes medicinais,
como chás calmantes.

Devemos sempre agradecer


à Sabedoria que Deus nos de
dispensou, além de “vermos”
a beleza das flores, podemos
também utilizar suas
propriedades medicinais e
alimentícias.

Fonte: Internet – livro


O Saber do Sabor – As Plantas
Nossas de Cada Dia, Gil
Marins Felipe

Revista Pomba Branca - Set/2002

| voltar |

Artigo do
Mestre
A Capacidade de
Resolver os
Problemas
Está Latente em
Você
A história do homem é a
história de seu
autodescobrimento
Conscientizar que o homem
é a mais elevada entre todas
as manifestações da Vida, e
que a fonte da Vida é a força
misteriosa que preenche o
Universo – esse é o objetivo
supremo e final da jornada
da vida. Muitos são os que
compreenderam essa
Verdade com a superficial
inteligência cerebral, mas
são poucos os que a
conhecem nas camadas mais
profundas do subconsciente.
Prova disso é que são
pouquíssimas as pessoas que
manifestam plena e
verdadeiramente essa força
misteriosa. A história do
homem é, afinal, a história
de seu constante
autodescobrimento.
Enquanto não conscientizar
que a sua natureza
verdadeira é a “natureza
divina harmoniosa e perfeita
desde o princípio”, o homem
não poderá ser
verdadeiramente feliz.

A capacidade de resolver
os problemas está latente
em você
Qualquer que seja o
problema, Deus é capaz de
resolvê-lo. E Ele está dentro
de você, dentro de cada
pessoa. Antes de mais nada,
você deve conscientizar esse
fato. As religiões antigas
disseminaram a crença de
que Deus está fora de nós,
observando-nos do céu ou de
algum lugar longínquo e que
só atende ao nosso pedido
de salvação quando estamos
numa situação sem saída ou
à beira da morte. Tais
crenças devem ser
abandonadas. Muitas das
religiões tradicionais
conservam crenças
equivocadas de outrora. Ao
afirmar que consideramos
corretas todas as religiões,
estamos nos referindo a
essência delas, sem levar em
conta as roupagens
anacrônicas e a mistura de
crendices. Evidentemente,
consideramos incorretos o
lado supersticioso.

Conscientize a sua
grandiosa natureza
verdadeira
Todas as coisas do mundo
fenomênico se apresentam
de modo relativo: um
homem de dois metros de
altura pode parecer enorme
em relação a alguém de um
metro e meio, mas parecerá
um anão diante de um
gigante de cinco metros.
Enquanto acreditarmos que o
ser humano é uma minúscula
existência semelhante ao
bolor surgido na Terra, só
poderemos sentir temor
diante de uma força maior
que a nossa. Porém, ao
conscientizarmos que existe
em nós a própria Força
Universal que criou o Sol, as
estrelas e a Terra e está
movendo-os de modo
perfeitamente ordenado e
harmônico, desaparece a
sensação de fragilidade e
inferioridade, intensificam-se
o ânimo e a vitalidade, e
tornamo-nos capazes de
realizar obras maravilhosas,
com grande criatividade.

As chaves para abrir os


depósitos de infinitos
tesouros
Deus não dá diretamente a
nós as coisas deste mundo.
Nós, como filhos de Deus, já
temos tudo à nossa
disposição no mundo da
Imagem Verdadeira. No
mundo da Imagem
Verdadeira enfileiram-se
inúmeros “depósitos”, cada
um deles abarrotado de
tesouros de diferentes
espécies e fechado com
cadeado. As inúmeras chaves
para abrir esses cadeados já
estão dadas a cada um de
nós. Essas chaves se
chamam “vibrações
mentais”. Conforme a
mentalização, usamos uma
dessas chaves (ou seja,
emitimos determinado tipo
de vibração mental), e então
destrava-se o cadeado do
depósito correspondente, do
mesmo modo que, ao bater
numa tecla do piano, vibra a
corda correspondente.
Assim, a porta do depósito
se abre e surge o tesouro.

Do livro Anata wa Mugen Noryokusha


(livro ainda não editado em português;
tít. prov.: Você é Dono de
Potencialidade Infinita) pp. 13-15

Revista Fonte de Luz - Ago/2002

| voltar |

Palavras do
mês
Seicho Taniguchi
Não se prenda ao
fenômeno
Tudo que as pessoas
desejam é levar uma
vida próspera e
saudável. Quando falta
um desses requisitos, a
situação se torna
desfavorável. Por mais
que a pessoa seja
saudável, se ela vive
sempre na miséria,
provavelmente não
consegue saborear a
felicidade. Mesmo que a
pessoa seja muito rica,
se ela está sujeita a
repouso absoluto, ou
ainda, se vive gemendo
de dores, leva uma vida
realmente
desagradável. Aliás, a
sua vontade deve ser de
gritar por socorro.
Porém, esses dois
desejos para conseguir
felicidade podem, na
verdade, ser realizados
simultaneamente. Para
tanto, basta você
conhecer a Verdade
única, ou seja, que o
“homem é filho de
Deus”. Assim,
compreenderá que você
já é próspero e
saudável. Talvez você
estivesse pensando
“Gostaria de, doravante,
ser assim”, mas
compreenderá que “já é
assim”. Não existe
sensação mais
gratificante. Entretanto,
inúmeras pessoas
podem duvidar desta
Verdade e pensar: “Eu
ainda estou doente”, ou
“Falta-me dinheiro, o
salário não sobe”, etc.
Porém, essa é uma
imagem superficial,
provisória, ou seja,
trata-se apenas de
fenômeno. Quando nos
prendemos a essa
imagem superficial, a
Imagem Verdadeira do
filho de Deus custa a se
manifestar. Por
exemplo, mesmo que
uma pessoa seja muito
rica, pode se vestir com
trapos e viver dentro de
um barril. Por isso, não
devemos nos prender à
imagem superficial nem
basear os nossos
pensamentos nisso.
Seja qual for a opinião
alheia, seja qual for a
aparência, devemos
reconhecer
categoricamente que
nós somos filhos de
Deus, maravilhosos,
ricos e saudáveis. Ao
afirmarmos assim e
acreditarmos nesta
Verdade, nosso
verdadeiro Eu passará a
manifestar-se
naturalmente.
Mesmo que você fique
doente e tenha alguma
dor ou febre, essa é a
manifestação da “vida
saudável”. A saúde
interior está se
debatendo para
exteriorizar-se.
Portanto, devemos
reconhecê-la e puxá-la
para fora. Ou seja, a
febre e a dor não são
inimigas, e sim aliadas.
Não estaríamos até
agora, repelindo-as e
encarando-as como
inimigas?
Porém, isso não é
verdade. A febre é uma
ação vital que cura
inúmeras doenças e é
manifestação da
capacidade de cura
natural. A dor também é
como uma atadura
natural; a dor faz com
que a pessoa se
mantenha quieta. Isso
faz com que a cura se
acelere. Não é somente
isso. Através da dor e
da febre, a cura se
antecipa. Por isso,
devemos dizer que,
tanto a febre quanto a
dor, são nossas aliadas.
Porém, mesmo sendo
nossas aliadas, se as
encararmos como
inimigas e as
repudiarmos, elas não
conseguirão atuar
plenamente. Isso é
comparável ao policial
amigo que é encarado
como inimigo do povo.
Se não comunicarmos
nada à polícia e agirmos
às escondidas, isso
acabará como a ala
hospitalar de certa
universidade que foi
invadida por um grupo
de radicais, não obtendo
benefício de espécie
alguma.
Devemos mudar a
mente, a nossa maneira
de encarar os fatos, em
primeiro lugar. Assim,
todos os fenômenos
terão uma grande
transformação.
Da revista Hikari no Izumi
(Fonte de Luz), ano , nº XL, nº
7, 7/79, pp. 2-3
Revista Fonte de Luz -
Ago/2002
| voltar |

Masaharu Taniguchi

O dia em que usar


todas as forças será o
melhor dia de toda
sua vida. Quem está
sempre manifestando
todas as suas forças,
está acumulando
cada dia experiências
de uma grande
alegria na vida. Tais
pessoas são
realmente
privilegiadas e
felizes.

O bom uso do tempo


Diz-se que Napoleão foi
derrotado na batalha de
Waterloo pelo general
Wellington, porque seu
exército chegou com um
atraso de duas horas. Ele
lamentou dizendo:
– É pena que eu não consiga
deter a marcha do tempo por
duas horas com o poder de
Josué.
Josué é um profeta citado no
Antigo Testamento que
possui a força espiritual de
Deus.
Notamos o quanto é
importante o tempo. Não
devemos desperdiçar este
precioso tempo em
tagalerices e em atos sem
finalidade certa que não
tragam nenhum progresso e
nem evolução.

Tome cuidado com o


passar dos minúsculos
tempos
O tempo é uma condição
indispensável para o
treinamento e
desenvolvimento da
capacidade mental. Quando
se está escrevendo, se
alguém puxa conversa,
chega cartas ou
simplesmente colocam um
jornal na escrivaninha, o
trabalho é interrompido,
desaparece a inspiração e o
tempo passa inutilmente.
Compreende-se muito bem o
porquê da atitude dos
escritores que, ao invés de
escreverem em casa, alugam
um quarto no hotel e se
concentram no trabalho,
longe de quaisquer visitas e
barulhos. Como os
minúsculos e quase
imperceptíveis fragmentos
de tempo perdidos
inutilmente diminuem a
eficiência do tempo integral,
deve-se tomar o máximo
cuidado para planejar e
organizar bem o trabalho de
um dia.

Se desejarmos, teremos o
tempo e a oportunidade
Certa empregada doméstica
de uma rica mansão tinha
sob sua responsabilidade a
tarefa de limpar
cuidadosamente o pó que se
acumulava no monte de
livros da biblioteca do amo.
Aí havia livros de literatura,
de história, de ciências,
enfim, de todos os assuntos.
Era como se estivesse
enterrada num monte de
tesouro da sabedoria. Se ela
tivesse a coragem e a
vontade de evoluir a ponto
de pegar um livro e lê-lo,
após terminada a limpeza,
estaria aumentando a sua
cultura. Mas ela está apenas
pensando que foi contratada
somente para tirar pó, por
mais que esteja enterrada
em valiosos livros, seu
espírito não se evoluirá.
Aliás, talvez não seria
recomendável uma
empregada ler sem
permissão os livros do amo.
Deve-se, no entanto, pedir
permissão ao dono e ler os
livros nas horas vagas. Isto
não passa de um exemplo,
mas a oportunidade e o
tempo para se evoluir nunca
há de faltar, se o
procurarmos. Não é a falta
de oportunidade, não é falta
de tempo. É falta de um
sincero desejo.

Nunca se deve
negligenciar um avanço
Procure sempre se
aperfeiçoar mais do que é
atualmente. Esforce-se para
aperfeiçoar ainda mais a
capacidade atual. Não se
deve estacionar seu
progresso por ter-se formado
numa faculdade e por ter
conseguido o emprego
desejado. Se pára o avanço,
infalivelmente, a capacidade
humana começa a
retroceder. É o mesmo que
impelir uma canoa com vara
numa forte correnteza; se
não continuar fincando a
vara, a canoa será levada
pelas águas do rio.

Com entusiasmo e com


tranqüilidade
Um progresso
verdadeiramente sólido deve
ser sustentado pela
tranqüilidade de espírito
propulsionado com
entusiasmo.
O candidato a deputado
discursa num comício.
Sempre há enviados da
oposição no meio do público
que imprudentemente vaiam,
insultam e zombam, para
que as palavras do candidato
não sejam ouvidas pelo
público e, ao mesmo tempo,
para confundir a mente dele
a fim de destruir a sua
tranqüilidade espiritual,
imprescindível ao discurso.
É preciso muita serenidade
de espírito para se conseguir
responder tranqüilamente às
vaias, colocando-as
habilmente sob sua
subordinação, e dominar o
inimigo com as palavras da
verdade sem sofrer a
influência das atitudes
planejadas dos
oposicionistas.
Somente pela prática assídua
do Shinsokan, que grava
positivamente no
subconsciente a convicção de
Homem, Filho de Deus,
pode-se conseguir a força de
levar até o fim um intento,
dominando livremente o
próximo e sem perder a
calma em qualquer ocasião.

Nunca se deve perder o


auto-respeito
Quando o homem perde a
calma, perde também o
respeito a si próprio. Se um
orador, ao ser vaiado, perde
a calma, atrapalha-se todo e
se cala ruborizado, o público
não respeitará mais. O fato
de perder a calma em si
significa que reconheceu a
própria derrota e perdeu o
auto-respeito. Quando uma
pessoa perde o auto-
respeito, o seu estado de
espírito se reflete ao público,
fazendo com que não o
respeitem mais. Por isso, em
qualquer situação devemos
manter a calma e ir
dominando livremente o
ambiente. Para conseguir
esta serena tranqüilidade e
não perder o respeito
próprio, deve-se aprofundar
a convicção de estar sempre
em comunhão com Deus,
praticando constantemente o
Shinsokan.

Revista Mundo Ideal - Ago/2002

| voltar |
O Que é Ser Pai
er pai é muito, muito mais do que ser
o “caixa eletrônico”, em que você
assa o cartão magnético e as cédulas
vêm às mãos, suprindo todas as
necessidades e bens materiais.

verdadeiro pai é aquele que, desde a


mais tenra idade do filho, o
acompanha no seu crescer, no seu
ambientar-se, no seu aprender e no
seu desenvolvimento em todos os
sentidos.

É aquele que, na meninice, joga bola, peteca, bolinha de gude,


olta pipa e balão, roda pião, anda de bicicleta e no futebol grita
gool... a todo pulmão.

Na idade escolar, estuda junto, ensinando e aprendendo,


apoiando e corrigindo, tendo o amor e o carinho como bússola
para nortear os acontecimentos.

gora, bem agora, já estão os filhos crescidos, cada qual com seu
caminho a seguir, e o pai, que faz?

aminha junto, torcendo pelo sucesso dos filhos, seja no sentido


profissional, seja no sentimental, deixando bem claro que, se
preciso, está sempre ali, disponível, ao alcance, é só chamar.

Para ser pai é preciso antes de mais nada


se preparar, pois, com certeza, muitas
coisas vão se modificar, seja no plano da
disponibilidade, seja no espiritual, e por
que não dizer também no financeiro.

Entretanto, a alegria que os filhos


proporcionam supera todos os “problemas”
que possam turvar essa maravilhosa
experiência.
A família é a base da nossa vida. O mestre
Masaharu Taniguchi, fundador da Seicho-
No-Ie, ensina que os homens, irmanados
no Universo, vivem como pais e filhos,
marido e mulher, formando a família, manifestando diversas
situações dentro de um lar, jamais sendo pessoas estranhas
umas às outras. No mundo existem relacionamentos familiares
entre pais e filhos, entre pais e filhos adotivos ou enteados,
filhos, padrastos e madrastas.
O ser humano não nasce do útero de uma mulher, logicamente,
não se refere ao físico do ser humano, mas, no âmbito da
magem Verdadeira, nasce da Palavra de Deus. Assim, conforme
o Evangelho segundo João, “E o Verbo se fez carne e habitou
entre nós”.

Entre pai e filho está manifestada a relação Deus-Pai e filho de


Deus.

Quando a harmonia conjugal se instala no lar, os filhos crescem


saudáveis e bons, e, através das experiências de vida, o amor
cresce, o amor amadurece.

Comissão Editorial

Revista Pomba Branca - Ago/2002

| voltar |

MENSAGEM
autor desconhecido

Já é Noite! Como o
Tempo Passou!...
Quando você se levantou
pela manhã, eu já havia
preparado o sol para aquecer
o seu dia e o alimento para a
sua nutrição. Sim, eu
providenciei tudo isso
enquanto vigiava e guardava
o seu sono, a sua família e a
sua casa. Esperei pelo seu
“Bom dia”! Mas você se
esqueceu... Bem, você
parecia ter tanta pressa que
eu perdoei. O sol apareceu,
as flores deram o seu
perfume, a brisa da manhã o
acompanhou e você nem
pensou que eu é que havia
preparado tudo para você.
Seus familiares sorriram,
seus colegas lhe saudaram,
você trabalhou, estudou,
viajou, realizou negócios,
alcançou vitórias, mas...
você nem percebeu, que
estava cooperando com
você, mas teria ajudado se
você me tivesse dado uma
chance..., eu sei, você corre
tanto... eu lhe perdoei. Você
leu bastante, ouviu muita
coisa, viu mais ainda e não
teve tempo de ler ou ouvir
minha palavra. Eu quis falar,
mas você não parou para
ouvir. Eu quis até lhe
aconselhar, mas você nem
pensou nessa possibilidade.
Seus olhos, seus
pensamentos, seus lábios,
seriam melhores. O mal seria
menor e o bem seria muito
maior em sua vida.

A chuva que caiu à tarde


foram minhas lágrimas por
sua ingratidão, mas foram
também a minha bênção
sobre a terra para que não
lhe falte o pão e a água.
Você trabalhou, ganhou
dinheiro, que não foi mais
porque você não me deixou
ajudar. Mais uma vez, você
se esqueceu de mim.
Esqueceu que eu desejo sua
participação no meu Reino,
com sua vida, seu tempo,
seus talentos e seu dinheiro
também.

Findou o seu dia. Você voltou


para casa. Mandei a lua e as
estrelas tornarem a noite
mais bonita para lembrar-lhe
do meu amor por você.
Certamente, agora você vai
dizer um “Obrigado” e “Boa
noite”... Psiu... está me
ouvindo?... Já dormiu... Que
pena! Durma bem. Eu ficarei
velando por você.

Eu sou o senhor teu Deus!


Como vê, amigo, o mundo
não está como queremos,
porém está melhor do que
merecemos.
“Se não podemos pensar de
modo semelhante, podemos
ao menos amar-nos
semelhantemente”.

Revista Pomba Branca - Jun/2002

| voltar |

Aprimorament
o para Mães
Os Pais e os Filhos
O mestre Masaharu
Taniguchi nos ensina que
“Problema não existe” e
também que “Se há
problema com a criança, é
proveniente dos pais”.

Se conseguirmos ver a
perfeição interior do filho e
abençoá-lo, desaparecerão
os filhos problemáticos da
face da Terra. Não existe
filho mau, nomeiam de
“mau” o filho que é infeliz.
Tornando-o feliz, desaparece
o filho problemático.

Antigamente, os filhos não


tinham voz ativa. Os pais
ordenavam, os filhos não
abriam a boca. Não existia
diálogo. Nas escolas, os
alunos “andavam na linha”.
Se não andassem, eram
castigados com palmatória
ou grãos de milho para se
ajoelhar atrás da porta. Na
educação, as regras eram
bem claras: “não fazer, não
comer, não abrir, não correr,
não faça nada, não fale
nada”.

Desse antigo autoritarismo,


passou-se para o outro
extremo, o da total liberdade
aos filhos. As crianças
ficaram um pouco sem
limites. Para contrapor o
rigor, não podemos
simplesmente soltar as
crianças e deixar que elas
façam o que bem entendem.
Vivendo em sociedade,
temos de aprender, desde
cedo, a conviver
pacificamente com os outros,
e saber que a nossa
liberdade acaba quando
começamos a incomodar o
vizinho com nossas atitudes.

A educação dos filhos já


começa na vida intra-uterina,
abençoando o filho
concebido. Quando nasce,
cuidamos dele com carinho e
atenção, conversando muito
com ele, para que tenha
conhecimento do seu
ambiente e das pessoas com
quem convive.

Aplicando a verdadeira
educação que orienta, que
elogia, extraindo a
capacidade interior — este
tesouro que existe no interior
de cada pessoa —, a criança
aprende como se relacionar,
valorizar as pessoas e o
ambiente. Com certeza virá a
ser um adulto feliz, ajustado.
O grande problema da falta
de limites, que torna o adulto
infeliz, é justamente a
liberdade desordenada de
que tudo na vida se pode
fazer, sem limites.
Precisamos aprender regras
de comportamento para nos
sentirmos seguros e amados.

A atmosfera familiar exerce


grande influência não só em
relação ao físico, como
também em relação à mente
e, se esta relação for
negativa, não só irá provocar
doenças, mau desempenho
escolar, mas poderá
prejudicar na fase adulta, às
vezes deixando marcas para
toda a vida.

Os pais hoje saem para sua


jornada de trabalho fora,
lutam pela sobrevivência da
família, para serem
promovidos no trabalho,
precisam cumprir
compromissos sociais, viajar
para realizar seu trabalho.
Os filhos de hoje se adaptam
à nova situação, quando os
pais, mantendo o diálogo,
explicam que trabalham para
poder oferecer o melhor e
ainda proporcionar um bom
estudo, a fim de oferecer um
futuro melhor para eles. Com
certeza, eles sentem a
dedicação de seus pais.

O pai é a pilastra do lar; a


mãe representa as vigas. Os
filhos representam as telhas
que cobrem esse lar. Se as
telhas não estiverem bem
encaixadas entre si e firmes
sobre a estrutura, qualquer
vento poderá abalá-las. Para
que isso não ocorra, a mãe
deve, através da sua atitude,
ensinar as duas palavras-
chaves da felicidade: “Sim” e
“Obrigado”.

No livro Educação do Filho de


Deus, vol. 2, está escrito um
poema denominado “Canção
da Felicidade”. Encerrando o
nosso artigo “Aprimoramento
para mães”, vamos
transcrevê-lo para que todas
as mães possam nele se
espelhar e colocá-lo em
prática, pois possui poderes
miraculosos e apresenta
ótimos resultados.

“Canção da
Felicidade”
“Que alegria!
Que felicidade!
Quanta graça recebemos!
Que maravilha!
Todos somos saudáveis,
alegres,
Prósperos e bem
dispostos.
Papai e mamãe, muito
obrigado!
Nossos filhos são gênios,
melhores filhos do
mundo!
Meu marido é lindo!
Eu sou linda, sou deusa da
prosperidade!
Dinheiro em abundância,
provisão infinita.
Ouro e diamante,
montanha de tesouro.
Está tudo bem, está tudo
bem, está tudo bem,
Está tudo bem, está tudo
bem, está tudo bem.
Tudo vai melhorar, com
certeza vai melhorar.

Ainda vai melhorar, cada


vez vai melhorar.
Vai melhorar ainda mais,
vai melhorar de montão.

Você é deus da
misericórdia, filho da Luz.
Eu sou deusa da
misericórdia, filha de
Deus.
Todos se dão bem, vivem
em grande harmonia.
Aqui, do jeito que é, é o
Paraíso”.

Comissão Editorial

Revista Pomba Branca - Jun/2002

| voltar |

Aprimorament
o para Mães
Os Pais e os Filhos
O mestre Masaharu
Taniguchi nos ensina
que “Problema não
existe” e também que
“Se há problema com a
criança, é proveniente
dos pais”.
Se conseguirmos ver a
perfeição interior do
filho e abençoá-lo,
desaparecerão os filhos
problemáticos da face
da Terra. Não existe
filho mau, nomeiam de
“mau” o filho que é
infeliz. Tornando-o feliz,
desaparece o filho
problemático.
Antigamente, os filhos
não tinham voz ativa.
Os pais ordenavam, os
filhos não abriam a
boca. Não existia
diálogo. Nas escolas, os
alunos “andavam na
linha”. Se não
andassem, eram
castigados com
palmatória ou grãos de
milho para se ajoelhar
atrás da porta. Na
educação, as regras
eram bem claras: “não
fazer, não comer, não
abrir, não correr, não
faça nada, não fale
nada”.
Desse antigo
autoritarismo, passou-
se para o outro
extremo, o da total
liberdade aos filhos. As
crianças ficaram um
pouco sem limites. Para
contrapor o rigor, não
podemos simplesmente
soltar as crianças e
deixar que elas façam o
que bem entendem.
Vivendo em sociedade,
temos de aprender,
desde cedo, a conviver
pacificamente com os
outros, e saber que a
nossa liberdade acaba
quando começamos a
incomodar o vizinho
com nossas atitudes.
A educação dos filhos já
começa na vida intra-
uterina, abençoando o
filho concebido. Quando
nasce, cuidamos dele
com carinho e atenção,
conversando muito com
ele, para que tenha
conhecimento do seu
ambiente e das pessoas
com quem convive.
Aplicando a verdadeira
educação que orienta,
que elogia, extraindo a
capacidade interior —
este tesouro que existe
no interior de cada
pessoa —, a criança
aprende como se
relacionar, valorizar as
pessoas e o ambiente.
Com certeza virá a ser
um adulto feliz,
ajustado. O grande
problema da falta de
limites, que torna o
adulto infeliz, é
justamente a liberdade
desordenada de que
tudo na vida se pode
fazer, sem limites.
Precisamos aprender
regras de
comportamento para
nos sentirmos seguros e
amados.
A atmosfera familiar
exerce grande influência
não só em relação ao
físico, como também em
relação à mente e, se
esta relação for
negativa, não só irá
provocar doenças, mau
desempenho escolar,
mas poderá prejudicar
na fase adulta, às vezes
deixando marcas para
toda a vida.
Os pais hoje saem para
sua jornada de trabalho
fora, lutam pela
sobrevivência da
família, para serem
promovidos no trabalho,
precisam cumprir
compromissos sociais,
viajar para realizar seu
trabalho. Os filhos de
hoje se adaptam à nova
situação, quando os
pais, mantendo o
diálogo, explicam que
trabalham para poder
oferecer o melhor e
ainda proporcionar um
bom estudo, a fim de
oferecer um futuro
melhor para eles. Com
certeza, eles sentem a
dedicação de seus pais.
O pai é a pilastra do lar;
a mãe representa as
vigas. Os filhos
representam as telhas
que cobrem esse lar. Se
as telhas não estiverem
bem encaixadas entre si
e firmes sobre a
estrutura, qualquer
vento poderá abalá-las.
Para que isso não
ocorra, a mãe deve,
através da sua atitude,
ensinar as duas
palavras-chaves da
felicidade: “Sim” e
“Obrigado”.
No livro Educação do
Filho de Deus, vol. 2,
está escrito um poema
denominado “Canção da
Felicidade”. Encerrando
o nosso artigo
“Aprimoramento para
mães”, vamos
transcrevê-lo para que
todas as mães possam
nele se espelhar e
colocá-lo em prática,
pois possui poderes
miraculosos e apresenta
ótimos resultados.
“Canção da
Felicidade”
“Que alegria!
Que felicidade!
Quanta graça
recebemos!
Que maravilha!
Todos somos
saudáveis, alegres,
Prósperos e bem
dispostos.
Papai e mamãe,
muito obrigado!
Nossos filhos são
gênios, melhores
filhos do mundo!
Meu marido é lindo!
Eu sou linda, sou
deusa da
prosperidade!
Dinheiro em
abundância, provisão
infinita.
Ouro e diamante,
montanha de tesouro.
Está tudo bem, está
tudo bem, está tudo
bem,
Está tudo bem, está
tudo bem, está tudo
bem.
Tudo vai melhorar,
com certeza vai
melhorar.
Ainda vai melhorar,
cada vez vai
melhorar.
Vai melhorar ainda
mais, vai melhorar de
montão.
Você é deus da
misericórdia, filho da
Luz.
Eu sou deusa da
misericórdia, filha de
Deus.
Todos se dão bem,
vivem em grande
harmonia.
Aqui, do jeito que é, é
o Paraíso”.
Comissão Editorial
Revista Pomba Branca -
Jun/2002
| voltar |

ARTIGO
ESPECIAL
As mentes se
comunicam

Heitor Miyazaki,
Aspirante a Preletor da
Sede Internacional
da Seicho-No-Ie

O Mestre Masaharu Taniguchi


ensina que somos
transmissores e ao mesmo
tempo receptores de ondas
mentais. Em outras palavras,
quando pensamos, fazemos
o papel de transmissor, tal
qual fazem os transmissores
de ondas de rádio ou
televisão; e, por outro lado,
captamos ondas de
pensamentos enviados por
alguém, como captam as
antenas desses aparelhos.

No livro A Verdade da Vida


vol. 3, no capítulo “O Poder
da Mentalização”, consta a
experiência feita pelo sr.
Joubert com uma aluna. Ele
pensou firmemente que em
determinado dia e hora, ela
iria dar voltas no jardim de
sua casa, segurando um
guarda-chuva. Chegando o
dia determinado ele ficou
observando, escondido e a
aluna aparece no quintal com
guarda-chuva andando de
um lado para outro.

Certa vez conversando com


um preletor, este contou-me
que dois anos atrás, após o
jantar falou à esposa:
“Vamos brincar com o
preletor fulano” e fechando
os olhos concentrou-se nesta
pessoa dizendo “ligue para
mim, ligue para mim”. Cerca
de 10 minutos depois essa
pessoa ligou para ele meio
embaraçada dizendo: “Não
sei porque, mas deu-me
vontade de falar com você”.

Em uma ocasião na
Academia de Ibiúna,
conversando com uma
senhora eu disse-lhe: “Pelo
visto a senhora tem forte
ligação com sua filha, a
ponto de uma captar o
pensamento da outra”. Ela
confirmou e comentou alguns
casos de comunicação
mental entre elas. Um dia ela
queria falar por telefone com
a filha dela que mora nos
Estados Unidos, mas todas
as vezes acusava sinal de
ocupado. Continuou
tentando, mas em vão. À
1h30 da manhã toca o seu
telefone. Era a filha! E esta
lhe disse: “Mãe, pare de
pensar em mim que eu não
consigo dormir”.

Em 1967 falei para uma


senhora que se encontrava
desesperada, porque sendo
viúva, recebeu uma carta do
filho que fugiu de casa. O pai
do garoto (falecido)
aparecera em sonhos e
disse-lhe: “Se você continuar
dando trabalho para mamãe
eu venho te buscar”. O rapaz
tinha então 16 anos, e com
medo fugiu de casa. Enviou
de Minas Gerais uma carta
para mãe afirmando que
estava a caminho da Bahia, e
não adiantaria ela procurá-lo
que jamais voltaria para
casa. Sem rumo, sem
referência, sem endereço,
não sabia o que fazer.

Falei-lhe para que ela orasse


e conversasse mentalmente
com o filho e lhe dissesse:
“Filho querido, mamãe ama
você e lhe perdoei de tudo.
Não precisa ter medo de
nada. A porta de casa está
aberta para você; a hora que
desejar voltar, pode voltar.
Mamãe está lhe esperando
de braços abertos”. Dois dias
depois ele retornou.

Quando lemos a sutra para


alguém, enviamos vibrações
das palavras da Verdade. A
pessoa capta e seu estado de
espírito se transforma de
tristeza para alegria, de
doente para saudável. Isso
ocorre por dois grandes
motivos:
1- Amor é o esteio da
Vida, conforme ensina o
Mestre.
2- Palavras da Verdade
nos libertam das ilusões,
doenças, sofrimentos etc.

Forma Humana

O princípio é o mesmo.
Mentalmente ora-se para que
Deus atenda o desejo da
pessoa que necessita oração.
Na torre da Sede Central,
são feitas 6 orações, isto é,
180 orações em um mês,
com leitura da Sutra
Sagrada.

As dádivas alcançadas
através da Forma Humana

Se fôssemos escrever os
relatos de desejos
alcançados através da Forma
Humana, seriam necessárias
centenas de livros. Algumas
pessoas nos relatam, mas,
da grande maioria, não
recebemos informação.
Vejamos alguns
depoimentos:

Proteção

Eu me chamo Mariângela e
sou divulgadora da Seicho-
No-Ie. O relato que vou fazer
é sobre a importância da
Oração Divina. Nós temos
uma casa em Santos, Praia
Grande, onde diversas vezes
havia sido visitada por filhos
de Deus não conscientes de
sua perfeição. Fui orientada
para fazer Forma Humana de
proteção, no 15 (proteção), a
qual coloco acima das
janelas e portas. Graças a
Deus a casa está sempre
protegida e nunca mais
fomos molestados por nada.

Harmonia
Meu nome é Dirva de
Almeida Bertho, moro em S.
Bernardo do Campo - SP.
Atualmente sou preletora.
Um dos motivos que me
trouxe à Seicho-No-Ie foi a
busca da harmonia
conjugal.... Quando comecei
a colaborar no setor de
Forma Humana de minha
regional, passei a fazer
Forma Humana para mim e
para meus familiares. Mas
um dia uma preletora
chamou-me a atenção com o
seu pedido (harmonia
conjugal) e no mesmo
instante fiz para mim
também. A partir daí mudei:
passei a ver qualidades no
meu marido e acabaram-se
os atritos entre nós. Hoje,
mesmo que eu queira ver
defeitos e brigar, eu não
consigo. Estamos vivendo a
tão esperada paz! E todos os
meses continuo fazendo o
mesmo pedido para manter
essa paz.

Emprego

Meu nome é Fernanda de


Campos, pertenço à
Associação dos Jovens do
bairro Assunção (S.Bernardo
do Campo). Fiquei sem
emprego durante 8 meses.
No mês de janeiro de 1999
decidi fazer a Forma Humana
no 7 (emprego). No fim de
janeiro participei de uma
maratona de Sutra Sagrada
em nossa Regional e durante
a oração segurava em
minhas mãos a Forma
Humana.
Passados 15 dias recebi uma
proposta de trabalho, onde
continuo até hoje atuando
como designer.

Quando a oração não é


atendida

1- Solicitar oração, mas viver


em desarmonia, a oração
não surtirá efeito. É o que
consta na Revelação Divina
da Grande Harmonia:
“Mesmo que Deus queira te
auxiliar, as vibrações
mentais de dissensão não
captam as ondas de salvação
de Deus”.

2- Quando a pessoa se julga


uma pecadora e por isso não
merece ser feliz. Somos
filhos de Deus e merecemos
a felicidade! Deus é amor
absoluto e já perdoou nossos
pecados.

3- Quando o desejo não é


profundo. Orar para
prosperar, mas com medo de
prosperar, não se prospera.
Desejar encontrar a metade
da alma com medo do
casamento, a metade não
aparece. É preciso que o
desejo seja sincero.

A denominação Forma
Humana

Há pessoas que dizem


“Fórmula Humana”, o
correto é FORMA
HUMANA. Essa
denominação é em
razão do desenho que
tem forma de pessoa,
isto é, desenho que tem
FORMA HUMANA.

Jisso (Imagem Verdadeira Enman (Harmonia)


Dentro do desenho constam
4 ideogramas. Na vertical,
partindo da cabeça, está
escrito Jisso (Imagem
Verdadeira), e
horizontalmente, lendo-se da
esquerda para direita,
Enman (Harmonia).

Esse desenho representa o


Eu Verdadeiro, a Imagem
Verdadeira. Devemos sempre
orar contemplando a
Imagem Verdadeira para que
esta se manifeste no plano
fenomênico.

O que é a Forma Humana

“A Forma Humana é uma


espécie de antena que o
interessado carrega consigo,
a fim de captar e receber
constantemente as ondas
espirituais positivas emitidas
através das orações
realizadas pelos oficiantes da
Seicho-No-Ie do Brasil”
(fonte: folheto explicativo da
Forma Humana).

Em termos práticos, a Forma


Humana é um formulário de
pedido de oração, em duas
vias, ficando a primeira via
na torre da Sede Central,
local em que são feitas as
orações, e a segunda em
poder do interessado. O
pedido de orações pode ser
de um, três ou seis meses.

Ao solicitar a oração através


da Forma Humana, a pessoa
deve optar, para cada Forma
Humana, por um dos desejos
relacionados:

1) Manifestação da
Imagem Verdadeira;
2) Saúde;
3) Prosperidade;
4) Harmonia;
5) Concretização dos
Planos;
6) Êxito nos estudos;
7) Emprego;
8) Casamento;
9) Eliminação de vícios;
10) Parto feliz;
11) Concebimento;
12) Crescimento perfeito;
13) Êxito nas funções
sagradas;
14) Solução dos
problemas;
15) Proteção.

Para automóveis,
motocicletas, barcos etc.,
há a Proteção Divina de
Veículo, com período de
oração de um ano.

Os dados necessários para


inscrição são: nome,
endereço e o CEP do
proprietário e a marca e
placa do veículo.

No ato da inscrição o
interessado recebe uma
sutra sagrada talismã
especial, uma estampa do
Cristo Eterno e um adesivo
para fixar no veículo, com o
emblema da Seicho-No-Ie e
a inscrição “No trânsito sob
proteção divina”.

Também há a Proteção
Divina
Residência/Empreendime
nto, com período de oração
de um ano.No ato da
inscrição o interessado
recebe uma sutra talismã
especial.

Você poderá adquirir a


Forma Humana nas
Associações Locais,
Regionais, Academias e
também na Sede Central da
SEICHO-NO-IE DO BRASIL
(clique aqui para ver os
endereços endereços).

Jornal Círculo de Harmonia -


Jun/2002

| voltar |