You are on page 1of 6

FACULDADE MONTES BELOS

CURSO TÉNICNO EM ENFERMAGEM

BRUNA SOUZA SANTOS

CÂNCER DE MAMA

SÃO LUÍS DE MONTES BELOS


2019
BRUNA SANTOS SOUZA

CÂNCER DE MAMA

Este trabalho foi realizado para a obtenção de nota


na disciplina de Estágio Supervisionado, orientado
pela professora Rosilene da Faculdade Montes
Belos -FMB.

SÃO LUÍS DE MONTES BELOS


2019
Resumo: Este trabalho tem por finalidade apresentar os resultados dos
estudos feitos em sala de aula e pesquisas científicas sobre o Câncer de Mama. Ao
decorrer dos estudos, apresentaremos os sintomas, as causas e o tratamento do
Câncer de Mama. Esse tipo de câncer atinge cerca de 1,68 milhões de mulher todos
os anos e levando cerca de 458 mil mulheres a óbito, de acordo com a Organização
Mundial de Saúde (OSM).

1 INTRODUÇÃO
O Câncer de Mama é um tumor maligno que se desenvolve na mama como
consequência de alterações genéticas em algum conjunto de células da mama, que
passam a se dividir descontroladamente. Ocorre o crescimento anormal das células
mamárias, tanto do ducto mamário quanto dos glóbulos mamários.
O Brasil classifica-se entre os países com maior incidência de câncer de
mama em todo o mundo. Segundo o Instituto Nacional de Câncer - INCA/PRO-ONCO,
o número de casos novos de câncer de mama estimados para 1998 no país foi de
32.695 casos, enquanto que em relação à mortalidade, foram estimados para o
mesmo ano 7.165 óbitos.1 Os dados epidemiológicos que estão disponíveis
atualmente, permitem considerar o câncer como um problema de saúde pública no
Brasil. Segundo o INCA, é que represente, em 2016, 28,1% do total dos cânceres da
mulher.

2 CAUSA
O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células
da mama. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um
tumor. Existe vários tipos de câncer de mama. Por tanto, a doença pode evoluir de
diferentes formas. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem
mais lentamente. Esses comportamentos distintos se devem a característica próprias
de cada tumor.

Como todos os outros tipos de câncer, a principal causa de seu surgimento


está ligada ao histórico familiar e predisposição genética – mulheres que tiveram
mães, avós ou irmã desenvolveram câncer de mama (em especial, antes dos 50 anos)
estão muito mais propensas ao quadro. No caso do câncer de mama, ser do sexo
feminino e estar acima dos 35 anos de idade aumenta consideravelmente as chances
de surgimento do quadro.

3 GRUPOS DE RISCO
Os fatores de risco relacionados ao câncer de mama são divididos em duas
categorias: modificáveis e não modificáveis.

Os modificáveis incluem:

*Excesso de peso;
*Tabagismo;
*Sedentarismo;
*Consumo regular de bebidas alcoólicas;
*Uso de pílulas anticoncepcionais por longos períodos;
*Não consultar o ginecologista regularmente.

Os não modificáveis incluem:


*Histórico familiar;
*Idade superior aos 35 anos;
*Etnia (mulheres brancas são mais propensas do que as negras);
*Menarca precoce (primeira menstruação antes dos 11 anos);
*Aborto espontâneo após os 30 anos;
*Nunca ter engravidado;
*Menopausa tardia (após os 5 meses);

4 SINTOMAS
O principal sintoma está relacionado ao surgimento de caroço(s) nos seios,
que podem ter textura rígida ou macia e, na maioria dos casos, podem ser detectados
apalpando os próprios seios. Mas grande parte dos demais sintomas está relacionada
com o aspecto das mamas e podem ser vistos a olho nu. Olhe-se regularmente no
espelho e fique atenta a anomalias como:
*Aparecimento de covas ou franzimentos na pele dos seios;
*Inchaços em pontos específicos;
*Descamação e vermelhidão na pele da mama;
*Saída de secreção pelo mamilo;
*Dor nos mamilos ou inversão dos mesmos (voltados para dentro);
*Caroços nas proximidades das axilas.

5 TRATAMENTO

O tratamento varia de acordo com o estágio do quadro – por isso o


diagnóstico precoce tem tamanha importância, pois poupa a paciente de tratamentos
mais invasivos e de riscos generalizados.

Nos casos em que o câncer de mama foi diagnosticado em estágio inicial,


onde o tumor é individual, localizado pontualmente e sem quadro de metástase
(migração das células cancerígenas), recomenda-se a chamada Terapia Local:
cirurgias de remoção e radioterapia são exemplos de tratamentos direcionados.

Já nos casos onde as células cancerígenas já migraram para diversas


regiões do corpo, é preciso ministrar um tratamento que circule na corrente sanguínea
para atingir o corpo em totalidade. São as chamadas Terapias Sistêmicas, que podem
ser feitas por coquetéis de via oral ou intravenosa. Quimioterapia e terapia hormonal
são os principais exemplos.

6 PREVENÇÃO

Prevenção é um assunto muito importante quando se fala de câncer de mama.


Existem dois principais meios de prevenção, bastante eficazes e que devem ser
levados muito a sério, pois facilitam o diagnóstico precoce e reduzem
significativamente as taxas de óbito por decorrência do câncer de mama. São eles:
MAMOGRAFIA: este exame é o principal método preventivo. Através dele, é
possível detectar tumores com menos de 1 centímetro, num estágio muito inicial
onde ainda não é possível apalpá-los ou notar deformidades no aspecto das mamas.
Quando detectado tão precocemente, o câncer de mama pode ser curado em até
95% dos casos! Por esta razão, é imprescindível que mulheres acima dos 40 anos
façam, no mínimo, uma mamografia por ano (mulheres que possuem nódulos
mamários devem realizar o exame a cada 6 meses).
AUTOEXAME: ainda que não seja preciso o suficiente para detectar tumores em
estágio inicial, o autoexame é extremamente recomendado por poder ser realizado
em casa, como parte da rotina da mulher. Com o autoexame, é possível encontrar
tumores que ainda não chegaram ao estágio avançado, com grandes chances de
tratamento satisfatório. Aprenda como fazer:
Coloque a mão esquerda atrás da cabeça e use os dedos indicador, médio e anelar
da mão direita para apalpar a mama esquerda. Faça movimentos circulares com os
três dedos, sempre procurando por qualquer alteração na consistência ou na textura.
Repita o procedimento no lado direito. Este exercício pode ser feito no banho, onde
os dedos deslizam melhor sobre a pele e a sensibilidade é maior;
Olhe-se no espelho diariamente. Observe o contorno dos seios e o aspecto dos
mamilos posicionando os braços rentes ao corpo, depois com as mãos na cabeça,
depois com as mãos na cintura. O formato deve ser sempre arredondado e
uniforme;
Pressione os mamilos delicadamente, fazendo movimento de pinça com os dedos
polegar e indicador, para averiguar se não existem secreções e nem alterações na
pele da região.

REFERÊNCIAS

INCA. Câncer de mama: é preciso falar disso / Instituto Nacional de Câncer José
Alencar Gomes da Silva,2014.

INCA. Diretrizes para a detecção precoce do câncer de mama no Brasil/ Instituto


Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – Rio de Janeiro:2017