Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

1 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Objetivos Neste módulo você vai:

γ γ

Compreender como o lixo doméstico, hoje em dia é um grande problema ambiental; Entender que todos os problemas ambientais, são conseqüências da ação humana na natureza, destruindo o ambiente em que vive.- desmatamento, poluição das águas e da atmosfera desertificação do solo e outras questões ambientais;

γ γ

Compreender a situação ambiental de Votorantim; Entender que a solução dos problemas ambientais no mundo ainda é um sonho.

2 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

ÍNDICE A GEOGRAFIA DOS PROBLEMAS AMBIENTAIS 1. A GLOBALIZAÇÃO DOS PROBLEMAS AMBIENTAIS. 2. O LIXO DOMÉSTICO. 3. LEITURA COMPLEMENTAR: "O LIXO NOSSO DE CADA DIA". 4. A CHUVA ÁCIDA. 5. CAMADA DE OZÔNIO 6. RADIOATIVIDADE. 7. A DESERTIFICAÇÃO DO SOLO. 8. VEGETAÇÃO DEVASTADA. 9. LEITURA DE APOIO: “A MATA ATLÂNTICA (O VERDE QUE ESTA ACABANDO)”. 10. BIODIVERSIDADE. 11. POLUIÇÃO ESPACIAL. 12. IMPACTO AMBIENTAL. 13. UTOPIA PLANETÁRIA. 14. SAIBA MAIS: A SITUAÇÃO FLORESTAL DE VOTORANTIM.

3 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Introdução Quando um organismo vivo sofre alguma alteração, ele reage, procurando recuperar partes danificadas: um corte acaba cicatrizando sozinho. Sendo a Terra um planeta vivo, um sistema de vida onde as partes só existem em função do conjunto, funcionado como ecossistemas do planeta. Assim se um ecossistema é destruído, com o tempo todos os outros sofrerão as conseqüências. Nos últimos tempos, o homem tem tido um comportamento destrutivo em relação à natureza, encarando a natureza como mero instrumento a seu serviço. As árvores, os animais, o solo, a água, só tem importância se servirem a um objetivo econômico, ligado à busca do lucro ou da satisfação material. Durante muito tempo se acreditou que a natureza fosse infinita e seus recursos inesgotáveis. Porém, hoje sabemos que a natureza tem os seus limites muitos claros e a humanidade já começou a atingir esses limites.

4 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Você verá que o perigo da deterioração progressiva de todos os aspectos vitais do ambiente humano: a atmosfera, as águas, a perda de biodiversidade, a exaustão do solo, o subdesenvolvimento, a exploração do homem pelo homem. O LIXO DOMÉSTICO É comum ouvirmos falar que ninguém tem nada a ver com os outros. Cada país pode fazer o que bem entender com o seu território e com os seus recursos naturais e econômicos. Hoje não podemos mais afirmar isto. Para você Por exemplo se jogamos o lixo em locais indevidos, juntarão pensar! insetos que irão provocar conseqüências Como Você sabe o que é danosas (contaminar pode ser um assoreamento ? alimentos, doenças etc.) além de exalar Assoreamento é problema cheiro. O lixo poderá ser levado pela água acumulação de areia mundial se das chuvas para os rios provocando ou terras nos leitos de fato a assoreamento, conseqüentemente, causando dos rios. poluição as enchentes. As águas poluídas ocorre em inevitavelmente irão para os oceanos, afetando vários países e suas determinado populações. local?

Observando, o gráfico anterior, pode se ter a idéia do estrago ambiental se todos jogarem o lixo onde bem entenderem. Com a globalização e os avanços técnicos-científicos, tornou-se mais evidente que as questões ambientais têm dimensão mundial.

Os problemas como: efeito estufa, destruição da camada de ozônio, desertificação, desmatamento, lixo atômico, emissão de poluentes no ar, água e no solo afetam, embora de maneira diferenciada, todo o planeta. Dentre centenas de agentes causadores da poluição ambiental, podemos citar alguns que atuam diretamente nas pessoas e que se alastram por todo planeta. Os agrotóxicos (DDT), inseticidas e pesticidas), muito utilizados para combater microorganismos e pragas na agricultura. Se a dosagem destes produtos, não for correta acabam contaminando os alimentos, podendo ser muitas vezes até cancerígenos. Por outro lado, esses produtos, além de contaminar o solo, são carregados pelas enxurradas para os rios e posteriormente para o mar, poluindo as águas e contaminando os peixes.

5 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Agora, observe como o lixo se torna um problema para a preservação da natureza. O Lixo Nosso de Cada Dia. Lixo é tudo aquilo que não presta, que é descartado pelo homem. Por falar nisso, você sabia que o homem é o único ser capaz de produzir lixo? Atualmente se produz no Brasil um total de 69 mil toneladas de lixo doméstico por dia e apenas metade é recolhido, ou seja, é recolhido pelo lixeiro. E só 1% vai ser reciclado. O que conhecemos como lixo? Restos de comida, folhas, plásticos, borracha, vidros, latas, etc. Tudo que aparentemente não nos serve mais. Mas de onde vem tanto lixo? Todas as atividades desenvolvidas pelo homem geram lixo, ou seja, todos nós produzimos lixo!! Depois de ameaçar rios, mares, florestas, etc., o ser humano começa a causar problemas também no espaço. Atualmente gira em torno da Terra uma grande quantidade de lixo, entre eles: restos de satélite artificiais desativados . Desde a década de 50, foram lançados ao espaço 3.800 foguetes e 4.600 satélites, disso tudo somente 500 continuam funcionando. O resto virou lixo. No Brasil, grande parte do lixo vai parar nos chamados "lixões" a céu aberto, tornando-se grandes focos de proliferação de ratos, baratas, moscas, etc. responsáveis pela transmissão de doenças, entre elas a cólera e a malária. Em 1991 circulavam pela cidade de São Paulo cerca de 30 milhões de ratos. Outro grave problema, é a quantidade de pessoas que vivem em áreas próximas aos "lixões", que dependem dele para sobreviver, inclusive alimentando se de restos de comida ali encontrada. Como solucionar tais problemas? Uma alternativa seria aumentar a reciclagem de lixo, o que representaria também uma vantagem econômica e ecológica. De uma tonelada de lixo é possível recuperar só em papel e papelão, cerca de 160 quilos de matéria-prima sabendo que para se fabricar 1 tonelada de papel precisam ser derrubadas vinte árvores. Mas o que é reciclagem de lixo? É o processo de separação e transformação do lixo para ser reutilizado. O lixo pode ser reaproveitado para a produção de matéria prima, compostagem e para geração de energia. Vocabulário: • Compostagem - Mistura de matéria orgânica, sem produtos químicos; • Proliferação - Ato de reproduzir, multiplicar; • Satélite artificial - Equipamento sem tripulação, que gira em torno de um planeta; • Tonelada - Medida que é igual 1.000 (mil quilos). 6 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Você sabia que ... os produtos plásticos levam em média 200 anos para se degradarem na natureza e quando reciclados além de não poluírem o meio ambiente geram uma economia de 90% de energia?

EXERCÍCIOS: Responda em seu caderno. 1.Cite um problema causado pelo lixo. 2.O que você entende por reciclagem? 3.Onde está localizado o lixão de Votorantim?

A CHUVA ÁCIDA Outro problema ambiental é a chuva ácida. A chuva ácida acontece quando alguns poluentes em interação com a luz solar e o vapor d'água, formam ácidos sulfúrico e nítrico. Esses ácidos são absorvidos pelas gotas de chuva e caem na superfície terrestre sob a forma de chuva ácida. Essas substâncias matam peixes, prejudicam florestas e lavouras, corroem edifícios e alteram o ecossistema dos lagos, rios e mares. Muitas vezes essas chuvas ocorrem a centenas de quilômetros do local onde os poluentes foram liberados, pois eles são levados pelos ventos para áreas distantes. Um exemplo, o Canadá é prejudicado pelas chuvas ácidas devido a poluentes lançados na atmosfera pelos Estados Unidos. As áreas mais afetadas dos Estados Unidos, Canadá e Suécia já detectaram a morte de sua flora e fauna aquáticas. Uma floresta inteira foi destruída na Alemanha pela chuva ácida. Você já ouviu falar no efeito estufa ? Efeito Estufa - é um fenômeno atmosférico que acompanha a Terra desde a sua existência. Decorre da ação bloqueadora dos gases da atmosfera sobre o calor refletido na superfície terrestre e da emissão natural de gás metano proveniente de áreas onde há grandes rebanhos ou culturas em terrenos inundados. Essa ação bloqueadora retém o calor provocando uma elevação de temperatura na Terra. Entretanto, a partir do século XIX esse efeito tem-se acentuado devido á queima de florestas tropicais e á utilização de combustíveis fósseis (carvão e petróleo) em indústrias e usinas termelétricas, que lançam na atmosfera grande quantidade de gás carbônico (CO). Esse gás é um dos principais responsáveis pelo efeito estufa.

7 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Os países desenvolvidos são os maiores responsáveis pelo lançamento de carbono na atmosfera. Os países tropicais, aonde ocorrem queimadas , são duplamente responsáveis pela destruição das florestas e do meio ambiente : além de emitirem carbono na atmosfera diminuem as áreas florestais, o que acarreta a diminuição de absorção do gás carbônico, necessário para a realização da fotossíntese das plantas. Ainda diminuem a evapotranspiração e alteram o ciclo hidrológico da região. Como conseqüência direta há alteração do clima no planeta. Se continuar nesse ritmo haverá alteração da flora da superfície terrestre; derretimento do gelo das regiões polares, elevando o nível médio dos oceanos, atividades de subsistência como a agricultura e a pesca. Os países subdesenvolvidos – os que menos contribuem para o efeito estufa- serão os mais atingidos, por não terem meios para contornar os prejuízos. Pesquisadores e ambientalistas buscam meios para reduzir o efeito estufa. Enquanto os países menos desenvolvidos alegam que sem os combustíveis fósseis não têm como manter sua industrialização, os países ricos: Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão consideram drásticas e são contra as medidas de controle à emissão de gás carbônico. Os países (ilhas) defendem cortes radicais nas emissões, pois estão situados em áreas de maior risco. A Convenção do Clima, realizada em abril de 1995 em Berlim (Alemanha), estabeleceu como meta global a diminuição de 2% a 8% na emissão de gás carbônico na atmosfera.

Você sabia que ...
Sem o efeito estufa, que é um processo natural de conservação do calor do planeta a temperatura seria 40º C menor, impossibilitando a vida na Terra?
BURACO NA CAMADA DE OZÔNIO Ozônio é um gás que existe em grande quantidade, a cerca de 30 a 40 quilômetros de distância da superfície terrestre. Essa camada tem a finalidade de filtrar os raios ultravioletas emitidos pelo Sol. A destruição dessa camada faz com que os raios atinjam diretamente a superfície da Terra e podem causar câncer de pele, doenças nos olhos (catarata), enfraquecimento das defesas imunológicas, além das alterações nas plantas e da morte dos fitoplânctons (base da cadeia alimentar dos oceanos). A redução da camada de ozônio foi detectada em 1980 em vários pontos da Terra: Suíça, Canadá, Alemanha, Chile e Brasil (Santa Maria - RS). O buraco na camada de ozônio está situado mais intensamente sobre as regiões polares, devido ao movimento de rotação da Terra e também pelo fato da camada ser mais fina nestas regiões. Em 1983 foi detectada a destruição da camada de ozônio, conhecida por buraco de ozônio sobre a Antártida, favorecem a transformação dos CFCs (clorofluorcarbonos) em cloro ativo, o que catalisa a reação de destruição de parte do ozônio, diminuindo sua concentração. 8 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Esse buraco continua crescendo, apesar de alguns cientistas afirmarem que está sob controle. O gás CFC – contido em spray de desodorantes, inseticidas e tintas e também utilizado em geladeira, aparelhos de ar condicionado, espuma para assentos de automóveis, matérias isolantes de construção e solventes para limpeza de componentes eletrônicos. Estes são os maiores responsáveis pela destruição da camada de ozônio. As nações industrializadas têm pressionado os países em desenvolvimento, como a China e a Índia, a acelerar o fim da produção de CFC, mas eles precisam desse produto para promover o desenvolvimento. Em 1990, setenta países reuniram-se em Londres (Inglaterra) e comprometeram-se a eliminar totalmente a produção do CFC até o ano de 2001. Será que esse compromisso foi levado a sério por todos os países presentes, os mais poderosos ?

DESERTIFICAÇÃO DO SOLO Outro problema que atinge o Planeta Terra é a desertificação. O que vem a ser desertificação do solo ?

A desertificação do solo é o estágio final da degradação do solo, resultante da transformação de muitas regiões em desertos.
Como você já sabe a desertificação tem suas causas relacionadas com o uso excessivo e inadequado da terra para agricultura e pastagens, ao desmatamento e às queimadas. A agropecuária praticada intensivamente, sem muitos cuidados, provoca a compactação do solo, dificultando o aparecimento de nova vegetação. O desmatamento retira a proteção natural dos solos, permitindo que a erosão transporte a camada fértil. As queimadas, além de lançarem na atmosfera o dióxido de carbono, responsável pelo efeito estufa, tornam o solo incapaz de absorver matéria-orgânica, tornando-se cada vez mais improdutivo. Pela estimativa cerca de 21 milhões de hectares de terras produtivas são degradadas anualmente pela desertificação. A principal conseqüência é a fome.

9 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

“A derrubada de florestas em grandes quantidades provoca também alterações no clima da região, diminui os reservatórios Apesar da subterrâneos de água, aumenta o processo erosivo e a desertificação e tecnologia o elimina uma grande quantidade de espécies de vida. Estima-se em 20 milhões o total de espécies animais e vegetais no mundo, a maioria dos processo mais quais se encontra nos países tropicais. Desse total, apenas cerca de comum de 1,4milhão foi catalogado. Desse modo, quando se destrói uma floresta realizar o está se eliminando inúmeras formas de vida, um patrimônio genético desmatament que sequer se conhece e que poderia ser utilizado como alimento, o ainda é a como matéria-prima e até mesmo a cura de muitas doenças. Hoje, 30% queimada? de todas as drogas (remédios) fabricadas no mundo usam elementos extraídos das florestas, de origem animal ou vegetal. A atividade extrativa até hoje não foi regulamenta, de modo que em muitos casos os países tropicais fornecem plantas e animais nativos aos grandes laboratórios sem obter em troca nenhuma forma de pagamento”. Você Sabia que ... entre 12 e 20 hectares de florestas desaparecem diariamente no mundo?

Todos os anos, 60 milhões de hectares destinados à agricultura se transformam em desertos improdutivos. A utilização racional do meio ambiente é: usar a área de maneira que a produtividade da madeira, água, vida silvestre e outros produtos florestais fossem mantidos permanentemente. 10 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Uma polêmica a vencer: os países ricos voltam suas atenções para as queimadas e os desmatamentos nas florestas tropicais, principalmente a Amazônica, a maior de todas, enquanto que os países pobres, donos de imensas florestas, acham natural gastar seus recursos com o objetivo de se desenvolverem. "Se os países desenvolvidos depredaram suas matas no século passado, por que nós não podemos fazer o mesmo agora?" questionam os países subdesenvolvidos. O que está acontecendo com as nossas florestas ? A Mata Atlântica: O verde que está acabando. A Mata Atlântica é uma das florestas tropicais mais ameaçadas do mundo. Mais ainda que a Floresta Amazônica. Essa floresta se localiza principalmente na Serra do MATA ATLÂNTICA: Mar, formada por árvores É o sistema florestal mais gigantescas, com até 25 ameaçado Restam apenas 9% metros de altura. A área da área original. Desse total, da Mata Atlântica, é 80% estão em propriedades cortada por grandes rios: o Paraíba, o São Francisco, privadas. o Doce, etc. A grande maioria desses rios tem hoje uma cor barrenta, devido à erosão que carrega o solo desprotegido de vegetação. CAATINGA Resta metade da área original e menos de 1% está protegida em unidades de conservação. A devastação é causada por atividades como a agroindústria.

Embora não seja tão conhecida mundialmente, a Mata Atlântica já foi uma das maiores florestas do planeta. Cobria todo o litoral do Brasil, desde o Rio Grande do Norte até o Rio Grande do Sul e avança a para o interior do continente, principalmente nos Estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Era uma imensa floresta que cobria o litoral brasileiro. Desde 1500, quando os portugueses aqui chegaram, essa mata vem sendo destruída e modificada. Durante os primeiros 30 anos de colonização, os navios portugueses partiam de nosso litoral rumo à Europa carregados de pau-brasil, do qual se extraia tinta para tingir tecidos. A Mata Atlântica também cedeu sua madeira para construção de povoados e vilas. Forneceu lenha para queimar e foi derrubada para ceder lugar a plantação de canade-açúcar, café, algodão e à pecuária. Pouco a pouco, foi sendo cada vez mais invadida pela urbanização e, em seu lugar, hoje estão milhares de casas, edifícios e loteamentos. Atualmente, o que resta dela, menos de 8% da área original, sobrevive em alguns poucos lugares da costa brasileira.

AMAZÔNIA
Ainda dispõe de 85% de áreas naturais remanescentes, mas apenas 10% do território estão em reservas da União.

11 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Vocabulário: Colonização - Efeito de colonizar, estabelecer colônia, tomar posse de um país estranho; Floresta Tropical - Florestas que se localizam entre os trópicos de Capricórnio e de Câncer, de clima quente e úmido; Pecuária - Criação e tratamento de gado; Urbanização- Ato de urbanizar, tornar urbano, civilizar.

Você sabia que...
RESPONDA EM SEU CADERNO 1. Comente os motivos da destruição da Mata Atlântica. 2. Você conhece área de Mata Atlântica, em Votorantim? comprar hoje um litro de água já custa mais caro que um litro de gasolina?

Leitura de complementar Amazônia é o Pulmão do mundo ? “Não se sabe quem utilizou essa expressão, mas o sentido dela é que na Amazônia haveria uma enorme produção de oxigênio. Porém, descobertas cientificas demonstram, no entanto, que a floresta amazônica encontra-se em estado de “clímax ecológico”; toda a biomassa, isto é, o conjunto de matéria viva da região, acaba sendo utilizado por outros organismos para seu metabolismo, produzindo dióxido de carbono. É verdade que a floresta produz uma imensa quantidade de oxigênio mediante a fotossíntese durante o dia. Porém, as plantas superiores e outros organismos associados vivendo nessa mesma floresta respiram 24 horas por dia, ou seja, o oxigênio que a floresta produz acaba sendo utilizado na respiração dela mesma. É importante salientar que a floresta amazônica constitui um enorme reservatório de carbono e, quando é queimada, produz dióxido de carbono, aumentando assim o “efeito estufa”. A Amazônia não é o “pulmão do mundo” no sentido comum do termo. No entanto, o sistema florestal da região, além de evitar a erosão, funciona como uma “esponja”, absorvendo substâncias trazidas pelos ventos e pelas chuvas, sob a forma de poeira e partículas, da África e do Atlântico”. Fonte: Revista: Caras (Brasil 500 anos)

A Biodiversidade da vida no Brasil está sendo ameaçada pelo homem.

Mas, o que vem a ser biodiversidade ?

A biodiversidade é a diversidade de espécies, de animais vegetais, de microorganismos e variedade entre os indivíduos de uma mesma espécie. 12 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Em princípio o Brasil é o país mais beneficiado pela Convenção sobre a Diversidade Biológica. Esse documento confere, aos países onde estão todas as espécies de biodiversidade, soberania sobre elas e o direito de compartilhar com quem as explore os resultados científicos e comerciais desse trabalho. O Brasil tem entre 10 e 30% das espécies que compõem a diversidade biológica do planeta: abriga a mais diversa flora do mundo (mais de 55 mil espécies descritas, 22% do total mundial, uma das faunas mais ricas, a maior diversidade de primatas e, estimase, mais de 2 milhões de espécies de microrganismos). Os recursos biológicos atualmente mais valorizados, do ponto de vista comercial, são os produtos madeireiros e extrativos, além de outras ilimitadas possibilidades de exploração. “Os ecossistemas também oferecem serviços indiretos e não comerciais que refletem um valor econômico, ao garantirem sustentabilidade a diversas atividades econômicas: a regulação da disponibilidade e da qualidade das águas, a estabilidade climática, a redução da concentração de poluentes atmosféricos e a própria preservação do solo.” (Moreira, 1998. P.464). A poluição das águas Incorporação à água de materiais estranhos como microorganismos, produtos químicos, resíduos industriais e de outros tipos, ou esgoto doméstico. Estas matérias deterioram a qualidade da água e a torna inútil para os usos pretendidos. Os principais contaminantes da água são os seguintes: esgoto e outros resíduos que demandam oxigênio (em sua maior parte matéria orgânica), agentes infecciosos, nutrientes, produtos químicos — incluindo os pesticidas — vários produtos industriais, as substâncias tensioativas contidas nos detergentes e sólidos em suspensão.

13 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

O calor também pode ser considerado um contaminador quando se verte em cursos naturais a água usada para a refrigeração de fábricas e centrais energéticas; a elevação da temperatura tem efeitos nocivos sobre a fauna e flora aquáticas.

EFEITOS DA CONTAMINAÇÃO DA ÁGUA Os lagos são especialmente vulneráveis à contaminação. Há um problema, a eutrofização, que se produz quando a água se enriquece com nutrientes de modo artificial. Isto pode provocar problemas estéticos, como mau sabor ou odor, e um acúmulo de algas ou limo desagradável à vista, assim como um crescimento adensado das plantas com raízes, que leva ao esgotamento do oxigênio nas águas mais profundas e a acumulação de sedimentos no fundo dos lagos. Igualmente preocupante são os efeitos da contaminação das águas correntes superficiais e das águas subterrâneas, cada vez com uma maior carga de águas residuais, tanto domésticas como industriais, assim como de contaminantes provenientes da agricultura, granjas, etc. Entre os efeitos da contaminação se incluem os que afetam a saúde humana, como conseqüência da presença na água de altos níveis de certos tóxicos, e os que supõem a alteração dos ecossistemas aquáticos com uma redução na riqueza de espécies. Os cursos d’água em nosso planeta quase perderam as suas finalidades naturais – transporte, abastecimento de água, irrigação alimentação – para se transformar em depósitos de esgotos, lixos industriais e urbanos contaminados por agrotóxicos, que impossibilita interfere na vida dos rios, e na vida marinha. Os rios que anteriormente transportavam para o mar várias quantidades de nutrientes indispensáveis para a vida aquática, hoje levam contaminação e poluição ao meio ambiente. E as águas dos oceanos, que vem sofrendo com o derramamento de petróleo. Diante desses e muitos outros impactos ambientais, a humanidade vem tomando consciência de que existe uma crise ambiental mundial. Ao longo da história, sempre houve preocupações ligadas ao relacionamento sociedade-natureza e aos danos provocados pelo homem ao meio ambiente natural. Eram preocupações isoladas. Os impactos ou prejuízos ambientais eram fatos localizados, atingiam basicamente os trabalhadores, os operários e os pobres. Os donos das fábricas poluidoras, os ricos, ainda tinham como se refugiar das mazelas da industrialização. Com a expansão do processo da industrialização/urbanização, do capitalismo desenfreado e aumento da população, os problemas ambientais passaram a ter conseqüências mundiais. A partir dos anos 70, tomaram consciência de que os problemas ambientais, embora apresentassem diferenças nacionais e regionais, são globais. “Não podemos esquecer que a atmosfera é uma só, que as águas se interligam, que os ventos e os climas são planetários”. 14 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

O planeta Terra é o único que conhecemos que possibilitou a existência de uma biosfera. Trata-se ainda da consciência de que é imperativo para a sobrevivência da humanidade modificar o nosso relacionamento com a natureza. A natureza deixa de ser vista como mero recurso inerte e passa a ser encarada como um conjunto vivo do qual fazemos parte e com o qual temos que procurar viver em harmonia".

Na década de 70, a ONU organizou uma conferência sobre o meio ambiente humano. Na década posterior, ao mesmo tempo em que se criava a Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (1983), intensificavam-se os movimentos ecológicos em todo o mundo. Os movimentos ecológicos ganham contornos jurídicos. Foram criadas entidades de proteção ao meio ambiente: Greenpeace, Fundo Mundial para a Natureza (WWF), a S.O.S. Mata Atlântica - fazem parte do grupo das ONGs (Organização Não- Governamentais). A maior consciência ecológica ocorreu a partir de 1987, quando a Comissão sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (ONU) lançou o relatório: Nosso Futuro Comum, que trazia o conceito de desenvolvimento sustentável Tome Nota:

Desenvolvimento Sustentável
É a integração do ponto de vista de economista e de ecologistas, não permitindo que o crescimento econômico venha a agredir de maneira violenta e irreparável os ecossistemas naturais. Em outras palavras: promover o desenvolvimento econômico preservando o meio ambiente sadio e em condições indispensáveis para garantir um futuro tranqüilo para as novas gerações. Portanto, a biosfera é importantíssima, pois sem ela seria impossível haver vida na Terra. A água, o ar e a luz solar em exata combinação permite uma vida integrada no planeta, isto é, uma cadeia de seres integrados ou interligados, na qual uns dependem dos outros – para obtenção de oxigênio, de alimentos, para continuidade das espécies etc. Qualquer agressão nesta combinação poderá comprometer a relação natureza-sociedade. Você estudou fenômenos que prejudicam diretamente o solo do nosso planeta. Entretanto, há outros problemas que afetam o espaço em que nosso planeta está circulando. .

15 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Poluição Espacial A poluição espacial é o acúmulo de satélites e outros objetos na atmosfera terrestre. “A poluição não é um fenômeno restrito à biosfera. Nosso poder degenerado já consegue extrapolar os estreitos limites da superfície terrestre, para alcançar a órbita planetária, que começa a tornar-se um depósito de lixo. Esse lixão espacial é composto por 8 mil objetos com tamanhos superiores a 10cm, circulando ao redor de Gaia”.

São satélites desativados, peças soltas e perdidas, restos de foguetes, lascas de tintas e centenas de outros objetos dessa natureza. A inexistência de decompositores no espaço torna esse lixo eterno, a menos que, atraído pela gravidade terrestre caia na superfície do planeta, significando um grande risco – quando o objeto tem uma razoável massa – para quem está embaixo. O perigo não está apenas na população terrestre. As primeiras vítimas são os próprios responsáveis pela sujeira. Circulando com alta velocidade (10 Km/s), o lixo espacial adquire uma energia cinética muito elevada, sendo capaz de provocar impactos de alta potência destrutiva. Os maiores perigos que os astronautas correm, quando saem das naves para uma atividade externa no espaço, é o de sofrer um impacto violento que fure o macacão e os deixe sem ar. Uma lasquinha da pintura do foguete Delta – de apenas 0,2mm de diâmetro – furou uma janela do ônibus espacial Challenger, em 1983. Estima-se que existiam em órbita, de 30 a 70 mil objetos pequenos. O problema não dá mostras de ser solucionado rapidamente, pois, a cada ano, 240 novos satélites são lançados e, desde 1975, cinco satélites se perdem ou se despedaçam por ano. Os EUA, principais responsáveis pelo lixo espacial, recusamse a adotar qualquer medida preventiva. Limitam-se a recomendar o aperfeiçoamento de técnicas de monitoramento, para acompanhar melhor a situação do entulho espacial. Por muito tempo esse entulho vai circular ao redor de Gaia. Você estudou como o próprio homem é responsável pela poluição espacial. Agora, veja como provoca um impacto ambiental na natureza. Impacto ambiental é um desequilibrio provocado por um choque, por uma agressão, por “um trauma ecológico” pelos agentes naturais como vulcão, enchente ocasional, incêndio causado por um raio. Porém, os impactos mais marcantes, quase irrecuperáveis resultam da ação do homem sobre o meio ambiente.

16 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Um dos impactos ambientais mais graves num ecossistema natural é a devastação das florestas, principalmente, as tropicais e equatoriais, as mais ricas em biodiversidade. O desmatamento irracional se faz em virtude da: Extração da madeira para fins comerciais; Construção de usinas hidrelétricas e estradas; Implantação dos projetos de mineração; Instalação de projetos agropecuários; Propagação do fogo resultante do incêndio. A exploração da madeira é feita clandestinamente ou com a convivência de governantes insensíveis aos problemas ecológicos decorrentes dela. Esses governantes, em nome do desenvolvimento, incentivam a execução de projetos agrominerais ou a instalação de usinas hidrelétricas que nem sempre beneficiam a população local, ao contrário, causam enormes prejuízos socioambientais. É lastimável, pois muito desses projetos são de empresas transnacionais (multinacionais), que levam a riqueza natural e o lucro para seus países.

Ao fazer um retrospecto das conseqüências do desmatamento percebemos o quanto prejudica direta ou indiretamente o ecossistema agrícola. A primeira conseqüência é a destruição da biodiversidade. Aumenta o processo erosivo, empobrecendo o solo e muitas vezes inviabilizando a agricultura. Assoreamento dos rios e lagos, desequilibrando os ecossistemas aquáticos e dificultando a navegação. Extinção de nascentes: o rebaixamento do lençol freático por falta de chuvas pode provocar problemas de abastecimento de água nas cidades e na agricultura. Diminuição das chuvas caídas sobre as florestas tropicais são resultantes da evapotranspiração. De que maneira a consciência de que habitamos um planeta frágil pode ajudar a encontrar saídas para a crise que atravessamos?

Tome nota. Biodiversidade – Diversidade de espécies animais, vegetais, de microorganismos e variedade entre os indivíduos de uma mesma espécie. Evapotranspiração – Processo pelo qual as plantas perdem água em forma de vapor e de transpiração. Este fenômeno contribui para freqüência das chuvas.

Como é possível encontrar na ecologia uma nova maneira para pensar a economia mundial e buscar alternativas de desenvolvimento que não comprometam o futuro das novas gerações? O trecho extraído do telecurso 2000 tenta explicar a relação sociedadenatureza ao esclarecer os questionamentos acima.

17 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

O Embrião de Gaia: A Ecologia como Utopia Planetária.

A HIPÓTESE GAIA - Afirma

que o planeta Terra é um organismo vivo, onde o fluxo de energia é fundamental para a manutenção dos ciclos vitais e para garantir a reprodução das espécies, inclusive a humana – é um bom princípio para começar a construção de uma nova ordem mundial, em que a justiça social e a qualidade ambiental sejam as principais metas para o desenvolvimento sustentável.

A Terra que pode ser comparada a um organismo vivo, com identidade própria, mereceu um nome especial, Gaia, denominação que os gregos antigos davam à deusa que personificava a Terra, mãe de todas as criaturas vivas. O primeiro cientista a defender essa hipótese foi o inglês James F. Lovelock. Ele propôs, ao formular a hipótese Gaia, que a Terra deve ser estudada como um sistema fechado, capaz de captar energia para manter-se em funcionamento e para se auto- regular. Segundo a hipótese Gaia, a biosfera – fina camada do planeta que sustenta a vida – está inseparavelmente integrada à atmosfera, aos oceanos e aos solos. O conjunto se realimenta, buscando manter um ambiente adequado à manutenção da vida. Um sistema dinâmico, integrado, auto- regulado. Nesse contexto, a atmosfera não é apenas uma camada de gás que envolve a Terra, mas a camada gasosa sem a qual a vida seria impossível. Ela é, junto com os oceanos, responsável pela manutenção das temperaturas adequadas à existência da vida que se observa na superfície do planeta. A atmosfera, ao refletir para o espaço parte da energia solar, controla a quantidade de energia que chega à superfície. Outro exemplo significativo dessa integração, é a relação estabelecida entre a atividade de algas planctônicas, que vivem nos oceanos e nas bacias fluviais, e a enorme formação das nuvens. Essas algas emitem um composto químico sulfuroso que, ao reagir com o oxigênio atmosférico, produz ácido sulfúrico. As partículas do ácido sulfúrico se elevam na atmosfera e atuam com o núcleo de condensação, pois atraem vapor d’água e dão origem às nuvens. Assim as algas estão relacionadas com os regimes das chuvas e, conseqüentemente, com os climas da Terra. Além disso, a ação dessas algas permite que o enxofre – abundante no mar – passe para os Para pensar e refletir. ambientes terrestres, onde é escasso. A idéia básica da No entanto, nos últimos duzentos anos, a espécie hipótese de Gaia é a de humana alterou de forma significativa alguns dos principais que a Terra ciclos químicos da biosfera. A ação do homem multiplicou o oferece condições fluxo de substâncias tóxicas na água, no ar e nas cadeias adequadas à vida alimentares. porque a própria vida
as mantém..

18 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Os elementos da natureza estão sempre presentes no espaço geográfico e o homem se relaciona com ele o tempo todo. Uma vez que os elementos estão ligados uns com os outros, as alterações ambientais influenciarão em todas as formas de vida. O movimento social que procura rever o modo pelo qual os homens utilizam os elementos naturais, ganhou maior significado neste final de século. A forma pela qual as sociedades modernas têm se relacionado com a natureza, usando-a como recurso a ser explorado, produziu verdadeiras catástrofes ambientais. Essa ação ameaça seriamente o futuro. É a partir dessa crise que a ecologia adquire maior prestígio e passam a ser formuladas novas propostas para a relação homem-natureza. Pois o desequilíbrio sócio-ecológico existe tanto no mundo desenvolvido quanto no subdesenvolvido. Em junho de 1992, os países membros da ONU reuniram-se no Rio de Janeiro para a ECO-92, com a finalidade de discutir acordos internacionais sobre a questão da preservação ambiental. Procuravam criar “uma associação global entre os países em desenvolvimento e os países industrializados estabelecendo necessidades e interesses comuns para assegurar o futuro do planeta”. A questão sempre presente na reunião, era encontrar um ponto de equilíbrio entre desenvolvimento e questão ambiental, e estabelecer os princípios básicos do desenvolvimento sustentável. Concluindo, além do meio ambiente é essencial que a pessoa como fator humano viva bem, isto é, com qualidade de vida. Leitura complementar. Coleta seletiva Hoje cada vez mais lixo é produzido todo o dia, surge uma questão o que fazer com o lixo atualmente se fala muito em coleta seletiva com o solução desse problema. Uma das etapas mais onerosas dos tratamentos do lixo que visam a sua reutilização é a separação adequada dos descartes. Basicamente, deve se separar os materiais orgânicos dos inorgânicos. Uma primeira classificação pode ser perfeitamente realizada pela população, por meio da chamada coleta seletiva. Colocar esse tipo de ação em prática depende basicamente de vontade política para conscientizar e informar a população sobre os objetivos a alcançar, despertando a vontade de colaborar. A separação doméstica dos vários tipos de materiais do lixo é simples: basta colocar em recipientes separados detritos como papéis, restos de comida (orgânicos) dos vidros e latarias (inorgânicos). Também é de grande importância a separação de plásticos (polímeros em geral). Isso feito pelos cidadãos, cabe ao governo disciplinar e fiscalizar as operações de acondicionamento, transporte e, finalmente, o tratamento do lixo urbano.

19 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Algumas experiências- piloto realizadas em São Paulo evidenciaram o real interesse das pessoas em colaborar com a coleta seletiva. Um projeto, restrito a cerca de 26 mil domicílios, mostrou que os papéis descartados formam 50,5 % do peso total do lixo coletado. Sabendo que o papel é um material totalmente reciclável e com bastante procura no mercado, é fácil concluir que a coleta seletiva tem tudo para obter sucesso, inclusive em termos econômicos. Por enquanto, porém, 87% do lixo paulista ainda está sendo depositado nos aterros sanitários; 10% sofre compostagem e os 3% restantes, constituídos de lixo hospitalar, são incinerados. O papel e os materiais plásticos coletados podem ser usados para fabricar diversos outros produtos, desde livros até brinquedos e vasilhames. No caso dos vidros, a eficácia da recuperação é maior, já que a porcentagem desses materiais que podem ser diretamente reciclados é alta. A reciclagem de certos metais, como o alumínio, por exemplo, nas embalagens descartáveis de certas cervejas e refrigerantes, é total. Algumas experiências de outros países mostram que a reciclagem é um processo viável, dos pontos de vista ecológico e econômico . (Do Nicho ao Lixo Francisco C.Scarlato e Joel Arnaldo Pontim.)

Leitura complementar: A situação florestal de Votorantim. Para compreendermos a situação florestal atual de Votorantim, devemos voltar um pouco no tempo e lembrar nossa história. Com a vinda dos primeiros bandeirantes no início do século XVII (e conseqüente eliminação das nações indígenas que aqui viviam desde tempos imemoriais) deu-se início a ocupação européia na região . Em termos de atividade econômica, dedicavam-se à agricultura de subsistência e criação de animais. Nos séculos XVIII-XIX o comércio de muares encontra destaque, sendo a feira de Sorocaba de importância vital , e roteiro obrigatório de passagem dos tropeiros que se deslocavam principalmente para o sul do país. Até essa fase préindustrial, acredita-se que a substituição da floresta por outras formas de uso da terra, não atingiu grandes proporções. A destruição de ecossistemas florestais ganhou impulso na segunda metade do século XIX, com a expansão local da cultura algodoeira, aliada ao início da industrialização da região. A implantação da ferrovia, inicialmente para o transporte de matéria-prima e operários das indústrias , em especial a fábrica de tecidos Votorantim , abriu caminho para grandes desmatamentos. Cabe destacar a construção da hidrelétrica de Itupararanga, iniciada nos primeiros anos deste século e inaugurada em 1914 para fornecer energia elétrica para o município de São Paulo, que inundou uma grande área com floresta nativa.

20 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

Devemos também destacar ainda a substituição de áreas com floresta natural por eucalipto, que também deu-se no início do século vinte, como forma de garantir a posse da terra e produção de lenha, e também a formação de pastagens para o gado. A expansão urbana foi bastante rápida, e certamente formações florestais remanescentes deram lugar a vilas e bairros. Devemos porém lembrar que a Serra de São Francisco ocupa a maior parte do município, e existem extensas áreas com declividades acentuadas e afloramentos rochosos (granito) e que não permitem o crescimento de uma vegetação de grande porte, formando campos- cerrado . As florestas cobriam as baixadas e solos mais férteis, próximas aos rios e córregos. Segundo os dados do “Programa Olho Verde” monitoramento da vegetação natural por meio de imagens de satélite – da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, que destaca as formações florestais remanescentes com no mínimo 02 hectares em áreas plana e 04 hectares em áreas montanhosas, a situação é a seguinte: ( dados 1989). ÁREA DO MUNICíPIO DE VOTARANTIM =177 KM OU 17.700 ha .(100%) ÁREA DE VEGETAÇÃO NATURAL MATA= 407,04 h a . (2,29 %) CAPOEIRA = 1701,30 h a. (9,61 %) TOTAL = 2108,34 h a (11,90%) Apesar do que foi colocado anteriormente (boa parte da Serra de São Francisco não permite a manutenção de uma floresta de grande porte por limitação do solo ), a proporção de 11,90% por km² da área total do município coberta com vegetação florestal é extremamente reduzida e conforme indicado nos mapas, mal distribuída. A maior parte concentra-se da serra de São Francisco com solo fértil. Quando lembramos da importância das florestas para a proteção dos rios e córregos, da manutenção da diversidade das formas de vida ( plantas, animais e até microorganismos) que resultaram em milhares de anos de evolução a tão falada BIODIVERSIDADE), como fonte, através de pesquisas, de novos remédios e outros produtos, e como importante instrumento para atividades educativas e turísticas em contato com a natureza, concluímos que a situação é grave. Somente uma ação articulada entre órgãos públicos, proprietários rurais e da sociedade civil organizada, por meio de suas entidades, poderá garantir a conservação do que ainda resta e a recuperação das áreas degradadas, de forma a garantir para as futuras gerações o desfrute dos benefícios diretos e indiretos proporcionados pela florestas. FONTE: Adriano Lopes Pereira de Melo. Engenheiro Florestal.

21 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

A seguir você poderá avaliar o que estudou. RESPONDA EM SEU CADERNO. 1. Cite as conseqüências da ação do homem na natureza. Circule as ações em que você participa. 2. Explique com suas palavras, o significado da expressão desenvolvimento sustentável? 3. Os nossos rios se transformaram em depósitos de esgotos e lixos. O que devemos fazer para acabar com a poluição de suas águas? 4. Escolha um dos temas abaixo e faça uma redação. Entregue-a em folha separado ao professor e lhe valerá até dois pontos na prova deste módulo. Temas para redação. A– B– C– D– E– O trabalho e emprego nos dias de hoje.. Uma velhice saudável A água e o meio ambiente. Eleições e participação política Cidadania

PARABÉNS! VOCÊ CHEGOU AO FIM. TENHA UMA BOA SORTE.

22 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

BIBLIOGRAFIA ADAS, Melhem. Geografia. São Paulo. Editora Ática, 1994. ALMANAQUE ABRIL. CD ROM, 8ª Edição, 2000. BELTRAME, Zoraide Victoréllo. Geografia Ativa. São Paulo. Editora Ática, 1995. CONSTITUIÇÃO FEDERAL DO BRASIL, 1998. DIAMANTINO, Alves C. Pereira e outros, Ciências dos Espaço. São Paulo. Editora Atual, 1994 DIMENSTEIN, Gilberto. Aprendiz do Futuro. São Paulo. Editora Ática, 2000. JORNAIS: Folha de São Paulo, Estado de São Paulo, Cruzeiro do Sul. LUCCI, Elian Alabi. Geografia. O homem no espaço global. São Paulo. Editora Saraiva, 1997. MAGNOLI, Demétrio e. Projeto de Ensino de Geografia. São Paulo. Editora Moderna, 2000. MÉDICI, Miriam de Cássia e. Coleção Nova Geração. São Paulo. Editora Nova Geração, 1999. MOREIRA, Igor. O espaço geográfico. São Paulo, Editora Ática, 1998. NIDELCOFF, Maria Teresa. A escola e a compreensão da realidade. São Paulo. Editora Brasiliense, 1990. OLIVA, Jaime. Espaço e Modernidade. Temas da Geografia Mundial. São Paulo. Editora Atual, 1995. PROFESSOR PC, Geografia, CD ROM REVISTAS: Veja, Isto é, Super Interessante, Época, Globo Rural. RODRIGUES, Rosicler Martins. As cidades brasileiras. São Paulo, Editora Moderna, 1995. SENE, Eustáquio de e. Espaço geográfico e globalização. São Paulo. Editora Scipione, 1998. SIMIELLI, Maria Helena. Atlas Geográfico. São Paulo. Editora Ática, 2000. TELECURSO 2000, Geografia, Vol. 1 e 2 . VESENTINI, J. William. Sociedade e Espaço. São Paulo. Editora Ática, 1997.

23 CEESVO

Módulo 12 A Geografia Dos Problemas Ambientais

ELABORADO PELA EQUIPE DE GEOGRAFIA CEESVO 2004 Deise Quevedo Bertaco Jaime Aparecido da Silva Maria de Fátima Pinto

COLABORAÇÃO Luiz Gustavo Cerqueira Ferreira Júlia de Oliveira Rodrigues Vieira Neiva Aparecida Ferraz Nunes

DIREÇÃO Elisabete Marinoni Gomes Maria Isabel R. de C. Kupper APOIO. Prefeitura Municipal de Votorantim.

24 CEESVO