You are on page 1of 34

UNIVERSIDADE ANHANGUERA-UNIDERP UNIDADE VILA MARIANA

CIÊNCIA CONTÁBIL /ADMINISTRAÇÃO

1º SEMESTRE/2016

ATPS:

CONTABILIDADE GERAL
DIREITO E LEGISLAÇÃO
MATEMÁTICA APLICADA
PROCESSOS ADMINISTRATIVOS
TECNOLOGIA DE GESTÃO

PROF. TUTOR PRESENCIAL: LETÍCIA

SÃO PAULO

2016
UNIVERSIDADE ANHANGUERA-UNIDERP UNIDADE VILA MARIANA

CIÊNCIA CONTÁBIL /ADMINISTRAÇÃO

1º SEMESTRE/2016

TRABALHO ELABORADO POR:

EUNICE LEMES FONSECA RA: 1299116298

JESSICA

ITALO SANCHES ALMEIDA SILVA RA: 1299116454

JORGE GONZAGA FARIAS RA: 0168562452

WANDERLEY SAMUEL PEREIRA RA: 1299116406

SÃO PAULO

2016
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO..............................................................................................................4

CAPÍTULO 1- ANÁLISE SWOT...................................................................................5

CAPÍTULO 2- INTEGRALIZAÇÃO DO CAPITAL DA EMPRESA, CONTRATO


SOCIAL DOS SÓCIOS (RAZONETES, BALANCETES,BALANÇO PATRIMONIAL
DE ABERTURA)...........................................................................................................6

CAPÍTULO 3- FICHA CONTROLE DE ESTOQUE......................................................7

CAPÍTULO 4- APURAÇÃO DO CMV, DRE.................................................................8

CAPÍTULO 5- ELABORAÇÃO PLANO DE CONTAS, RELATÓRIO FINAL ............9

CAPÍTULO 6- RELATÓRIO DA ATIVIDADE SOCIETÁRIA......................................9

CAPÍTULO 6- CONCEITOS TEÓRICOS CITADOS POR FREDERICK TALOY E


HENRY FAYOL..........................................................................................................15

CONCLUSÃO............................................................................................................15

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS..........................................................................15
INTRODUÇÃO

Neste trabalho vamos abordar a história de quatros irmãos, Carlos, José,


Henrique e Marcos, trabalhavam na mesma empresa, mas em setores diferentes,
devido a crise econômica e com mercado de trabalho cada vez mais competitivo,

gerente de negócios da Empresa L&Construção, no ramo de construção


civil no estado de Sergipe desde 1983, ele conta com apoio da sua equipe que tem
uma média de 230 colaboradores, por meio do seu trabalho profissional e
competente na construção de projetos de casas populares de qualidade.
Embora saiba que esta área é uma das mais importantes do setor de
economia também se comprovem como uma das que mais consomem recursos
naturais desde sua produção até na utilização do consumo de materiais utilizados
para andamento da obra.
Diante disso a empresa L&Construção deseja adotar práticas
sustentáveis com o intuito de valorizar sua marca, aumentar os lucros e manter se
competitiva no mercado.
Além disso, o Sr Manoel participou de uma palestra teve a oportunidade
de conhecer sobre assunto “Desenvolvimento sustentável” foi a partir daí que a ideia
se estabeleceu e se viu necessário repensar as pratica adotado na empresa para
evitar maiores danos aos recursos naturais.
Portanto ele percebe que é a hora de adotar novos princípios, baseados
na sustentabilidade e reúne um corpo de colaboradores de sua equipe para elaborar
um programa de sustentabilidade para a empresa L&Construção e apresenta-lo na
próxima reunião com os proprietários.
Por esta razão a sustentabilidade encontra-se disseminada sobre várias
esferas, tanto sociais, quanto políticas e econômicas, as organizações devem se
adaptar as novas mudanças que tratam da preservação do meio ambiente, do bem
estar social, no geral, segundo autor Reis e Medeiros (2001):

A existência de uma consciência empresarial responsável é fundamental


para que haja possibilidade de engajamento de todos no processo de
desenvolvimento, objetivando a preservação do meio ambiente, do

4
patrimônio cultural, a promoção dos direitos humanos e a construção de
uma sociedade economicamente próspera e justa. (p.1).

Por isso é fundamental importância da adequação e do investimento das


empresas nesses novos aspectos no processo de tomadas de decisões,
econômicos, sociais e ambientais.

CAPÍTULO 1- ANÁLISE SWOT

Construção Civil é um dos mais importantes setores da economia e


fundamental para o crescimento do país.
Toda nova edificação produz impacto, seja ambiental, social ou
econômico, levando em consideração que grandes mudanças ocasionadas pela
construção civil interferem na sociedade, tornando-se responsável por vários
reflexos no nível local ou regional onde se instala a obra, que são causadas por suas
atividades direta ou indiretamente.
O gerenciamento de resíduos sólidos permite a minimização dos impactos
causados, à montante, na exploração de matérias-primas como areia e cascalho e à
jusante, evitando a poluição de solos e de lençóis freáticos, bem como danos à
saúde e gastos públicos desnecessários.
Estima-se que mais de 50% dos resíduos sólidos gerados pelo conjunto
das atividades humanas sejam provenientes da construção. Tais aspectos
ambientais, somados à qualidade de vida que o ambiente construído proporciona,
sintetizam a relação entre a construção e Meio Ambiente.
Como intuito de melhor adequar as praticas exercidas pela L &
Construção, executar a responsabilidade ambiental e social sem perder a
competitividade.
Visando o aumento do lucro e maior valorização da marca junto ao
mercado, que serão apresentadas algumas medidas à diretoria para que a empresa
possa alcançar o objetivo de ser uma empresa comprometida com as diretrizes da
sustentabilidade e ao mesmo tempo mantendo-se competitiva no mercado em que
atua.
É necessária uma gestão com visão ampliada, voltada para o
investimento, com uma perspectiva de estratégias para se posicionar no mercado.

5
Sendo assim o comprometimento com projetos de responsabilidade social
e ambiental, com projetos voltados para a sustentabilidade pode ser uma forma de
investimento que assegura a resistência da empresa frente às possíveis crises no
mercado capitalista.

CAPÍTULO 2- INTEGRALIZAÇÃO DO CAPITAL DA EMPRESA,


CONTRATO SOCIAL DOS SÓCIOS (RAZONETES,
BALANCETES,BALANÇO PATRIMONIAL DE ABERTURA)

Título da ação: Economia e Sustentabilidade de mãos dadas


Resultado
Objetivo Ação
esperado

Modelo de negócio
para vendas de
casas eco eficientes
(ex.: venda por valor
Estudar, testar e escolher as melhores opções
normal, com futuro
para um modelo de negócio de venda de casas
pagamento do valor
eco eficientes com este equipamento.
mensal médio de
energia consumida
1 – Construir por família, por um
casas com período).
sistema de
geração de
energia Contrato com um
fotovoltaica fornecedor
Estudar, testar e escolher um melhor fornecedor
economicamente
de equipamento solar.
mais viável e de
melhor qualidade.

Construir as primeiras casas e montar uma Posicionamento no


comunicação externa sobre a economia de custos mercado e atração
gerada para o cliente. de mais clientes.

2 – Reduzir Identificar os
Consumo de Mapear processos que necessitam de água processos com
água nos durante a obra. grande potencial de
processos de desperdício.
construção,
reduzindo assim Montar as diretrizes de como evitar o desperdício Possuir um
os custos de água nos processos mapeados. programa de uso
associados ao racional da água.

6
Profissionais
envolvidos em
processos
Capacitar os colaboradores e fornecedores para
construtivos,
consumo de aplicar a política de uso racional de água.
conscientes sobre o
água.
uso racional de
água na obra.
Fonte Própria:

CAPÍTULO 3- TABELA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL


Título da ação: Por um planeta melhor

Objetivo Ação Resultado esperado

1 – Garantir o uso Instalação de bacias Redução de 15% no consumo


adequado de recursos sanitárias com volume de de água e na produção de
naturais descarga reduzido e esgoto
torneiras com fechamento
automático e arejador

Aplicação de concreto Ganhos diretos e indiretos tais


auto adensável como: Redução da mão de obra,
melhoramento do acabamento,
aumento da durabilidade e
redução no impacto ambiental
por utilizar o pó de pedra gerado
nas pedreiras e que geralmente
não é aproveitado e quando
despejado em rios causa o
assoreamento e poluição.

Instalação de lâmpadas de Redução do consumo e


alto rendimento e isentas descontaminação dos seres
de mercúrio vivos e meio ambiente.

2 – Reutilização Água da chuva, Redução do uso de recursos


construção de cisternas naturais e financeiro
para coleta de água da
chuva e utilização na
descarga do banheiro e
áreas ajardinadas.

Energia solar Energia limpa, independência do


sistema e como consequência
diminuição da poluição pela não
utilização de energia de usinas
nucleares.

7
Resíduo de construção e Diminuição do uso de recursos
não utilização de amianto, naturais, financeiros e proteção
utilização de madeira com do meio ambiente pela
garantia de procedência. diminuição de descarte na
natureza, não contaminação do
solo, melhor saúde das pessoas
envolvidas, bem como proteção
contra o desmatamento.

Fonte Própria:

CAPÍTULO 4- TABELA SUSTENTABILIDADE SOCIAL

Título da ação: Por uma sociedade satisfeita

Objetivo Ação Resultados esperados

1 – Bem estar social Cultura / prêmios Fortalecer e estimular o


desenvolvimento de ações
locais na busca de uma
sociedade com melhor
qualidade de vida

Educação Comprometimento e
satisfação do cliente

Atividades sócios Preservação do meio


educativas com ambiente e formação do jovem
crianças aprendiz da construção,
oportunidade e trabalho e
geração de renda

2 – Desenvolvimento Oportunidade de Atingir a população da


do homem em seu trabalho comunidade onde a empresa
ambiente atua

Alfabetização no Aumentar alto estima, seu


canteiro de obras relacionamento familiar,
participar na educação dos
filhos, crescimento estável e
distribuição igualitária de
renda

8
Assistência aos Segurança ao operário,
familiares dos motivação maior para seu
funcionários trabalho e melhoria das
condições de vida das
populações.
Fonte Própria:

CAPÍTULO 5- PROPOSTA DE AÇÕES A EMPRESA

1- INTRODUÇÃO

O trabalho em questão apresenta um processo de adoção de práticas


sustentáveis para a Empresa L&Construção, à qual deseja valorizar sua marca,
aumentar seus lucros e manter a competitividade no mercado. Desta forma, sugiro
um programa de sustentabilidade para a empresa, fundamentado em três
dimensões.
A primeira dimensão do desenvolvimento sustentável normalmente citada
é a ambiental. Ela supõe que o modelo de produção e consumo seja compatível com
o material em que se assenta a economia, como subsistema do meio natural.
Trata-se, portanto, de produzir e consumir de forma a garantir que os
ecossistemas possam manter sua auto reparação ou capacidade de resiliência.
A segunda dimensão, a econômica, supõe o aumento de eficiência da
produção e do consumo com economia crescente de recursos naturais, com
destaque para recursos permissivos com as fontes fósseis de energia e os recursos
delicados e mal distribuídos, como a água e os minerais.
Trata-se daquilo que alguns denominam como eco eficiência, que supõem
uma continua inovação tecnologia que nos leva a sair do ciclo fóssil de energia
(carvão, petróleo e gás) e a ampliar a desmaterialização da economia.
A terceira é a social. Uma sociedade sustentável supõe que todos os
cidadãos tenham a mínimo necessário para uma vida digna e que ninguém absorva
bens, recursos naturais e energéticos que sejam prejudiciais a outros. Isso significa
erradicar a pobreza e definir o padrão de desigualdade aceitável, delimitando limites
mínimos e máximos de acesso a bens materiais. Em resumo implantar a velha e
desejável justiça social.
9
2- DESENVOLVIMENTO

A adoção doações de sustentabilidade garante a médio e longo prazo um


planeta em boas condições para o desenvolvimento das diversas formas de vida,
inclusive a humana. Garante os recursos naturais necessários para as próximas
gerações, possibilitando a manutenção dos recursos naturais (florestas, matas, rios,
lagos, oceanos) e garantindo uma boa qualidade de vida para as futuras gerações.

2.1. IMPACTOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA O MEIO AMBIENTE

O setor da construção civil tem papel fundamental no desenvolvimento do


país, e desta forma, se torna a peça chave para o atendimento dos objetivos globais
do desenvolvimento sustentável.
A indústria da construção civil é uma das atividades humanas que mais
consome recursos naturais. Estima-se internacionalmente que entre 40% e 75% dos
recursos naturais existentes são consumidos por esse setor, resultando assim em
uma enorme geração de resíduos. Só no Brasil, a construção civil gera cerca de
25% do total de resíduos da indústria.
A cadeia produtiva da construção tem peso grande também em termos de
emissões de carbono. As edificações respondem por 40% do consumo global de
energia e por até 30% das emissões globais de gases de efeito estufa relacionadas
ao consumo energético.

2.2. SUGESTÕES DE SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA

Esse tipo de sustentabilidade, foca, em primeiro plano, um


empreendimento que não seja caro e que gere rápidos frutos. A mesma entra no
âmbito socioeconômico com o intuito de tornar não somente o futuro mais próspero,
mas também alterar alguns fatores da realidade em que se vive.
Evitando os picos econômicos, a economia sustentável visa um
desenvolvimento estável e que leve em consideração uma baixíssima, senão nula,
taxa de inflação por ano.
10
Além disso, também contam como fatores essenciais a boa gestação de
recursos naturais, usando, para tanto, fontes renováveis.
Com a sustentabilidade econômica criam-se oportunidades também de
melhorar todos os outros setores sociais e ambientais. Uma vez que a sociedade em
questão torna-se mais livre da dependência de recursos e aquisições de outras
nações ou de outros blocos econômicos.

TÍTULO DA AÇÃO: FOCO ECONÔMICO OBJETIVO AÇÃO


RESULTADOS ESPERADOS

1- REDUZIR O CONSUMO DE ENERGIA

A. Instalação de meios, mudança de fase ou termo ativos, atuar no


isolamento térmico e armazena energia.
B. Na Iluminação Artificial, Substituição de lâmpadas “quentes” por lâmpadas
“frias” a fim de economizar energia; haverá retorno financeiro substanciável.
C. Produzir painéis solares, reduz o consumo de energia elétrica.

2- REDUZIR O CONSUMO DE ÁGUA POTÁVEL

A. Instalação de Cisternas, reutilização da água de chuvas através de


armazenamento.
B. Instalação de torneiras com fechamento automático, diminuição do
consumo de água.
C. Palestras e orientações, conscientização dos funcionários quanto a
necessidade da economia de água.

2.3. SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

A sustentabilidade ambiental é a capacidade de manter o ambiente


natural viável à manutenção das condições de vida para as pessoas e para as
outras espécies. Isso garante, ainda, a qualidade de vida para o homem, tendo em

11
conta a habitabilidade, a beleza do ambiente e sua função como fonte de energias
renováveis.
Preservar o meio ambiente e ainda garantir o desenvolvimento é o
objetivo de todas as ações que garantam a sustentabilidade ambiental. Consiste na
manutenção das funções e componentes do ecossistema, de modo sustentável,
buscando a aquisição de medidas que sejam realistas para os setores das
atividades humanas.
A ideia é conseguir o desenvolvimento em todos os campos, sem que,
para isso, seja necessário agredir o meio ambiente, sendo necessário o uso
inteligente dos recursos naturais, garantindo que eles tenham longevidade.

TÍTULO DA AÇÃO: FOCO AMBIENTAL OBJETIVO AÇÃO


RESULTADOS ESPERADOS

1- EVITAR ENCHENTES / ALAGAMENTOS

A. Implantar reservatórios (piscinões) para retenção das águas da chuva


Contribuir para a reter água nos terrenos evitando enchentes.
B. Cobertura verdes (construções tradicionais cobertas de telhas são
substituídas por vegetação). Diminuir parte das águas de chuva que poderiam
alagar bueiros
C. Construção de poços de armazenamento de água de chuva
reaproveitar a água para vários fins, economizar água.

2- RECICLAR
A. Transformar entulhos em matéria prima reduzir o armazenamento de
entulhos em áreas urbanas.
B. Separar resíduos (Papelão, plástico, etc), reduzir geração de resíduos
evitando os impactos ambientais
C. Retirada das peças mantendo-as separadas dos resíduos inaproveitáveis
Propõe espaço para os funcionários, evita o acúmulo de água em
recipientes.

12
2.4. AÇÕES SOCIAIS SUSTENTÁVEIS

A sustentabilidade social se preocupa em promover ações voltadas para o


resgate da cidadania da pessoa humana, garantindo seus direitos universais: saúde,
educação, moradia, trabalho, etc.
Para um processo sustentável, o bem-estar do homem é objetivamente
necessário, pois é ele o principal responsável por implementar as demais ações de
sustentabilidade que garantirão o futuro para a sua e para as novas gerações.
A dimensão social da estabilidade destaca o papel dos indivíduos e da
sociedade nos processos de preservação do meio ambiente e garantia do
desenvolvimento sustentável.
Nesse caso, a sustentabilidade social está ligada intimamente à ideia de
bem-estar, clarificando quais as funções dos indivíduos e das organizações e
produzindo estabilidade social.

TÍTULO DA AÇÃO: FOCO SOCIAL OBJETIVO AÇÃO

RESULTADOS ESPERADOS

1- DESENVOLVIMENTO ARTÍSTICO E CULTURAL


A. Práticas artesanal, geração de emprego e renda e fortalecimento social e
cultural.
B. Reunir projetos com grande potencial artístico, resgatar a cidadania de
crianças e jovens por meio da arte.
C. Biblioteca comunitária, levar acesso a informação e leitura.

2- RECICLAGEM
A. Coleta seletiva, diminuir quantidade de lixo enviado para aterros sanitários
ou usinas de tratamento de lixo.
B. Conscientização da comunidade, diminuir os recursos naturais, contribui
para a limpeza da cidade.
C. Formar parceria com indústrias de reciclagem, geração de empregos e
renda.

13
3- CONSIDERAÇÕES FINAIS

A imagem organizacional tem sido alvo de muita preocupação, estudos e


generosos investimentos por parte das empresas, pois elas estão conscientes de
que sua imagem perante a sociedade pode significar expansão de mercados e
sucesso econômico financeiro.
Atualmente, construir uma boa imagem significa adotar posturas éticas e
socialmente responsáveis, interagir com a sociedade, demonstrando sua
preocupação e contribuição para a solução e amenização dos problemas sociais,
culturais, educacionais e ambientais.
Com base nestes fatos, visam contribuir para um melhor entendimento
dos conceitos de sustentabilidade, responsabilidade social, apresentando tanto os
ganhos empresariais conquistados a partir de práticas éticas socialmente
responsáveis e o emprego das estratégias para o desenvolvimento e promoção da
organização.
Como as perdas empresariais devido à falta de investimento e
preocupação com esses fatores. A importância das práticas sustentáveis na
empresa salienta que a sustentabilidade se faz pelo equilíbrio entre o
desenvolvimento econômico e a preservação do ecossistema, de forma a atender as
necessidades momentâneas, sem comprometer a capacidade das gerações futuras.
Assim, estamos ligados aos processos de inovações sociais gerados a
partir de comportamentos, atitudes e práticas individuais e coletivas, orientadas por
preceitos éticos, que promovem o desenvolvimento econômico e social de forma
equilibrada e sustentável.
Como conclusão, destaca-se que as legislações vigentes e a busca por
maior competitividade no mercado exigem das empresas, práticas corretas de
gestão ambiental.
Nesse contexto, as empresas devem considerar além do preço e
qualidade de seus produtos, os impactos socioambientais que estes possam causar
à sociedade, desde seu processo de produção até sua adequada destinação quando
encerrado seu prazo de vida útil.
Esta reflexão teórica se dá através do levantamento e análise dos autores
e estudos recentes sobre a temática em questão, de forma a elucidar as novas

14
gerações de pesquisadores e os dilemas e paradigmas que compõem o
desenvolvimento de estudos da área.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

A Construção Civil e seu impacto no Meio Ambiente -


http://carollinasalle.jusbrasil.com.br/noticias/111940084/a-construcao-civil-e-seu-
impacto-no-meio-ambiente, acesso em: 15 nov. 2015 ás 21:12h.

FRAGA, Marcel Faria. Panorama da Geração de Resíduos da Construção Civil em


Belo Horizonte: Medidas de Minimização com base no projeto e Planejamento
de obras. Disponível em: <seumeioambiente.blogspot.com>. Acesso em: 15 nov.
2015 ás 22:08h.

REIS, Carlos Nelson dos, e MEDEIROS, Luiz Edgar. Responsabilidade Social nas
Empresas e Balanço Social. São Paulo. 1ª Edição. Editora Atlas, 2011.

1.INTRODUÇÃO

O mercado de trabalho atual é muito competitivo e busca a cada momento


profissionais que sejam arrojados e que tenham desenvoltura, além de serem
proativos, o mesmo acontece com as empresas que a todo momento devem inovar e
lançar produtos/serviços criativos e sustentáveis.
Os irmãos Carlos, José, Henrique e Marcos trabalhavam na mesma empresa, um em
cada setor. Com a crise econômica, Carlos que é o mais velho de idade e de empresa
foi demitido, dois meses depois Henrique, que também foi desligado do quadro de
funcionários, e 15 dias depois, José e Marcos foram dispensados da empresa.
Apesar dos irmãos serem proativos, dinâmicos, responsáveis, excelentes
profissionais, eles não conseguiram se recolocar no mercado de trabalho com o
mesmo ganho que tinham anteriormente. Pensando nas dificuldades que estavam
vivenciando para encontrar trabalho, os irmãos resolveram montar uma empresa onde
seriam sócios, pois casa um tinha conhecimentos e habilidades para serem empreendedores
de sucesso

15
2.APRESENTAÇÃO

O primeiro desafio dos empreendedores era analisar o mercado e saber que empresa
iniciar. Depois de muita pesquisa decidiram montar uma loja de produtos sem
glúten/lactose voltada para clientes da classe C, e decidiram que o nome fantasia da
loja será Saúde. A loja terá funcionamento durante o horário comercial local.
Cada um dos sócios irá contribuir com R$ 15.000,00 (quinze mil reais) para o capital
inicial da empresa.

16
3.DESENVOLVIMENTO

Chegou o momento de planejar os passos da loja Saúde e definir como será o seu
futuro. Com o objetivo de conhecer o ambiente em que os empreendedores estão
entrando, realize um diagnóstico do ambiente interno e externo do mercado com
produtos sem glúten e sem lactose, apresentando suas forças e fraquezas (análise
swot).

Dando sequência as atividades da empresa Saúde, os sócios formalizaram um


contrato social para uma empresa limitada e integralizaram o capital da seguinte
forma: Carlos integralizou sua parte em dinheiro no caixa, José com móveis e
utensílios (balcões, prateleiras, cadeiras, etc), Henrique depositou sua parte no Banco
XX e Marcos depositou metade de sua parte no Banco YY e a outra metade está
pendente de integralização.
É hora de apresentar os lançamentos da constituição da empresa, você contabiliza os
17
dados do contrato social e integralização do capital da empresa, na sequência
apresentar o primeiro balancete de verificação e o Balanço Patrimonial de Abertura.
Para isso utilize os lançamentos em forma de T.

4. Análise SWOT

FORÇAS FRAQUEZAS

 Administração profissional  Inexperiência no comércio


 Trabalhar com publico alvo  Marca nova.
 Trabalhar com itens sem glúten e lactose
 Instalações diferenciadas
 Atendimento personalizado
 Funcionários treinados e motivados.

OPORTUNIDADES AMEAÇAS

18
 Concorrentes s/Administração profissional  Retaliação da concorrência com base em
 Clientes mais exigentes procurando preços
Produtos diferenciados.  Super mercados
 Instabilidade econômica.

Dando sequencia as atividades da empresa Saúde, os sócios formalizaram um contrato


social para uma empresa limitada e integralizaram o capital da seguinte forma: Carlos
integralizou sua parte em dinheiro no caixa, José com móveis e utensílios (balcões,
prateleiras, cadeiras, etc.), Henrique depositou sua parte no Banco e Marcos depositou metade
de sua parte no Banco e a outra metade está pendente de integralização.

É hora de apresentar os lançamentos da constituição da empresa, será usado os dados


do contrato social e integralização do capital da empresa, na sequência apresentar o primeiro
balancete de verificação e o Balanço Patrimonial de Abertura. Para isto utilizamos os
lançamentos em rasonete em forma de T.

CAPITAL SOCIAL CAIXA

Débito Credito Débito Crédito

60.000 15.000

19
MÓVEIS E UTENSÍLIOS BANCO XX

Débito Crédito

15.000 Débito Crédito

15.000

BANCO YY PENDENTE A INTEGRALIZAR

Débito Crédito

7.500 Débito Crédito

7.500

Balancete de Verificação

Balancete de Verificação

Conta Débito Crédito

20
CAPITAL SOCIAL 60.000

CAIXA 15.000

PENDENTE A INTEG. (7.500)

BANCO XX 15.000

BANCO YY 7.500

MÓVEIS E UTENSILIOS 15.000

Total R$: 52.500 52.500

Balanço Patrimonial de Abertura

Balanço Patrimonial de Abertura

Ativo Passivo

Circulante Circulante

Disponível 37.500

Caixa 15.000

Banco XX 15.000 Não Circulante

Banco YY 7.500
Patrimônio Liquido

Não Circulante 15.000 Capital social 60.000

Imobilizado (-) Capital a Integralizar (7.500)


Moveis e Utensílios 15.000

Total Ativo 52.500 Total Passivo 52.500

21
Ficha de controle de estoque

Produto Unidade
:

Data histórico entradas saídas saldo


Vlr. Vlr. Vlr. Vlr. Vlr. Vlr.
Quant. Unit Total. Quant. Unit. total. Quant. Unit. total
.
Fornecedo 1500 1,50 2.250,00 1500 1,50 2.250,00
r1
Fornecedo 1700 1,70 2.890,00 1700 1,70 5.140,00
r2
Fornecedo 2000 1,60 3.200,00 2000 1,60 8.340,00
r1

BANCO X BANCO Y

D C D C

2.250,00 2.890,00
FORNECEDOR 1

FORNECEDOR 2

D C D C

2.250,00 2.250,00 2.890,00 2.890,00

3.200,00

ESTOQUE
22
D C

2.250,00

2.890,00

3.200,00

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO
CONTA
HISTÓRICO ENTRADAS DÉBITO SAÍDAS CRÉDITO SALDO
BANCO XQT. VLR VLR QT. VLR UN VLR 2.250,00 QT. VLR UN VLR
BANCO Y UN TOTAL TOTAL 2.890,00 TOTAL
FORNECEDOR 1 1.500 1 1,50 2.250,00 2.250,00
FORNECEDOR 0 0 0 1.500
5.450,00 1,50 2.250,00
FORNECEDOR 2 1.700 1,70 2.890,00 0 0 0 3.200 1,606 5.140,00
FORNECEDOR 2 2.890,00 2.890,00
FORNECEDOR 1 2.000 1,60 3.200,00 0 0 0 5.200 1.60384 8.340,00
CLIENTEESTOQUE
1 0 0 0 8.340,00
4.500 1.60384 7.217,28 700 1.60384 1.122,72
TOTAL 13.480,00 13.480,00

BANCO X BANCO Y

D C D C

2.250,00 2.890,00

1.600,00

23
FORNECEDOR 1 FORNECEDOR 2

D C D C

2.250,00 2.250,00 2.890,00 2.890,00

1.600,00

ESTOQUE RECEITA

D C D C

2.250,00 18.000,00

2.890,00

3.200,00

7.217,28

CLIENTE 1

D C
7.217,28

24
BALANCETE DE VERIFICAÇÃO
CONTA DÉBITO CRÉDITO
BANCO X 3.850,00
BANCO Y 2.890,00
FORNECEDOR 1 3.850,00 5.450,00
FORNECEDOR 2DRE – DEMONSTRAÇÃO
2.890,00 DO RESULTADO2.890,00
DO EXERCÍCIO
RECEITA OPERACIONAL8.340,00
ESTOQUE BRUTA 7.217,28
Vendas
CLIENTE 1 Brutas 7.217,28 18.000,00
DEDUÇÕES E ABATIMENTOS
TOTAL 22.297,28 22.297,28
(-) Impostos sobre as vendas 0,00
RECEITA LÍQUIDA OPERACIONAL

(-) CMV – Custo das mercadorias vendidas 1,60384


LUCRO BRUTO 10.782,72
(-) Despesas operacionais 0,00
LUCRO OU PREJUÍZO OPERACIONAL 10.782,72
RESULTADO DO EXERCÍCIO 10.782,72
Fechamento do Balanço Patrimonial

Fechamento do Balanço Patrimonial


Ativo Passivo
Circulante Circulante
Disponível 41.360 Fornecedor 3.200

Caixa 24.000
Banco XX 12.750 Não Circulante
Banco YY 4.610
Cliente 9.000
Estoque 1.122,72 Patrimônio Liquido

Não Circulante 15.000 Capital social 60.000


Imobilizado (-) Capital a Integralizar (7.500)
Moveis e Utensílios 15.000 Lucros Acumulados 10.782,72

Total Ativo 66.482,72 Total Passivo 66.482,72

25
A empresa Saúde finalizou seu estoque com 700 barrinhas de cereais Banana com
Ameixa, tendo um valor de estoque correspondente a R$1.122,72 e seu lucro com a venda de
4.500 barrinhas Banana com Ameixa pelo valor de R$4,00 cada foi um total de R$10.782,72.

Plano de Contas

2 PASSIVO
2.1 CIRCULANTE
2.1.1 Fornecedores
2.1.1.1 Fornecedores
2.1.2 Salários e Encargos a Pagar
2.1.2.1 Salários e Encargos a Pagar
2.1.3 Obrigações Fiscais
2.1.3.1 Tributos e Contribuições a Recolher
2.1.4
1.2 Obrigações
NÃO CIRCULANTE
Financeiras
2.1.4.1 Empréstimos
1.2.1 Realizável ae Financiamentos
Longo Prazo
26
2.1.5
1.2.1.1 Outras
Créditos
Obrigações
2.1.5.1 Outras
1.2.1.1.01 Clientes
Contas a Pagar
2.1.6
1.2.2 Provisões
Aplicações Financeiras
2.1.6.1 Provisões
1.2.2.1 Aplicações
Trabalhistas
Financeiras
e Fiscais
1.3 Investimentos
1.3.1 Investimentos
1.4 Imobilizado
1.4.1.1 Bens de Uso
1.4.1.1.01 Terrenos
1.4.1.1.02 Imóveis
1.4.1.1.03 Máquinas e Equipamentos
1.4.1.1.04 Móveis e Utensílios
1.5 Intangível
1.5.1.1 Intangível

3 RESULTADO OPERACIONAL BRUTO


3.1 RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA
3.1.1 Receita Operacional Bruta
3.1.1.1 Receita Operacional Bruta
3.1.1.01 Venda de Mercadorias
3.1.2 (-) Deduções da Receita
3.1.2.1 (-) Deduções da Receita
3.2 (-) Custos
3.2.1 (-) Custos

4 DESPESAS OPERACIONAIS
4.1 DESPESAS ADMINISTRATIVAS
4.1.1 Despesas Administrativas
4.1.1.1 Despesas com Pessoal
4.1.1.2 Outras Despesas
4.1.2 Despesas com Vendas
4.1.2.1 Despesas com Pessoal
4.1.2.2 Outras Despesas
4.1.3 Resultado Financeiro
4.1.3.1 Despesas Financeiras
4.1.3.2 Receitas Financeiras
4.1.4 Outras Despesas / Receitas
4.1.4.1 Outras Despesas
4.1.4.2 Outras Receitas
4.1.5 Provisões Tributárias 27
4.1.5.1 Provisões Tributárias
4.1.6 Participações no Resultado
4.1.6.1 Participações no Resultado
5 CONTA TRANSITÓRIA
5.1 RESULTADO DO EXERCÍCIO
5.1.1 Resultado do Exercício
5.1.1.1 Resultado do Exercício

28
29
30
31
32
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Através deste trabalho chegamos à conclusão de que a construção civil, ciente de sua
significativa contribuição na economia, deve adotar praticas condizentes com a
sustentabilidade econômica, ambiental e social.

A empresa L&construções diante de tudo que foi abordado tem um grande desafio para se
adequar as exigências de uma sociedade cada vez mais preocupada com as questões da
sustentabilidade.

E fica claro que a empresa ao adotar as pratica sustentável continuará competitiva no


mercado, com destaque a sua marca e consequentemente aos seus produtos e serviços com
uma grande contribuição as pessoas e ao planeta.

33
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
CARBONARI, Maria E. E.; SILVA, Gibson Z. (orgs.); PEREIRA, Adriana C. (orgs.) et al.
Sustentabilidade na Prática : Fundamentos, Experiências e Habilidades. 1ª ed. Valinhos:
Anhanguera Publicações, 2011.
CORAL, Elisa. Modelo de Planejamento Estratégico para a Sustentabilidade Empresarial.
Florianópolis: UFSC, 2002.
DRUCKER, P. Sociedade Pós-Capitalista. São Paulo: Pioneira, 2001.
SACHS, Ignacy. Desenvolvimento Excludente, Sustentável e Sustentado. Rio de Janeiro:
Garamond, 2006.
Atitudes Sustentáveis (Site). Disponível em: <http://www.atitudessustentaveis.com.br>.
Acesso em Agosto, 2014.
Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (CBIC). Disponível em:
<http://www.cbic.org.br>. Acesso em Agosto, 2014.

Instituto Carbono Brasil (Site). Disponível em: <http://www.institutocarbonobrasil.org.br>.


Acesso em Agosto, 2014.

34