You are on page 1of 19

SESSÃO A – QUESITOS DE 1 A 50 –

Páginas 1 a 19

1. Leia o texto abaixo e o complemente com a resposta correta.

A bainha carótida é uma condensação da fáscia profunda que
extende-se da base do crânio_________. Contém as artérias
carótidas, a veia jugular interna e __________. No interior da
bainha, a artéria carótida comum se bifurca para formar a artéria
carótida externa e a artéria carótida interna. A veia jugular interna
encontra-se imediatamente _______________ às artérias carótidas
e o nervo vago encontra-se posteriormente. O tronco simpático
cervical situa-se no espaço retrofaríngeo posterior à bainha
carótida e anterior _____________.

a. ao mediastino, o nervo vago, póstero-lateralmente, à fáscia
pré-vertebral.
b. a primeira costela, o nervo vago, antero-posterior, à fáscia
vertebral posterior.
c. a primeira costela, o tronco simpático, lateralmente, à fáscia
pré-vertebral.
d. ao mediastino, o tronco simpático, póstero-anterior, à fáscia
pré-vertebral.
e. ao mediastino, o nervo frênico , póstero-lateralmente, à fáscia
pré-vertebral.

2. Os sinais da síndrome de Horner são?

1

discreta enolftamia. c. b. c. constricção pupilar devido à inervação à inervação parassimpática sem oposição. 3. ptose. próximo ao esterno. comparece ao ambulatório de cirurgia geral do HUWC/UFC para submeter-se a uma cirurgia plástica. discreta enolftamia. falta de sudorese na face e rubor facial. Quinto espaço intercostal direito. A válvula mitral é melhor ouvida em que espaço intercostal? a. discreta enolftamia e rubor facial. próximo ao esterno. Segundo espaço intercostal direito. Quinto espaço intercostal esquerdo. leve queda da pálpebra devido à paralisia do músculo tarsal superior(ptose). e. constricção pupilar devido à inervação à inervação parassimpática sem oposição. próximo ao esterno. retração do bulbo do olho na órbita devido à paralisia dos músculos da orbita que contornam a fissura orbital superior. d. a. falta de sudorese na face e rubor facial. constricção pupilar devido à inervação à inervação parassimpática sem oposição. próximo ao esterno. Segundo espaço intercostal esquerdo. No exame físico é detectado um sopro em ruflar diastólico atribuível à válvula mitral. e. d. falta de sudorese na face e rubor facial. terceiro espaço intercostal direito. leve queda da pálpebra devido à paralisia do músculo tarsal superior (pseudoptose). b. leve queda da pálpebra devido à paralisia do músculo orbicular (ptose). auxiliar de farmácia. leve queda da pálpebra devido à paralisia do músculo orbicular (pseudoptose). Uma jovem com 25 anos. discreta enolftamia e rubor facial. na linha clavicular média. miose. miose. 2 .

d. não seja nítida. Agregados de tecido linfóide ___________ no íleo. 5.Artéria interventricular anterior. não são mais numerosos. O diâmetro do jejuno é maior porque o volume do quimo não se reduziu pela absorção de líquidos. na vascularização. são mais numerosos. no suporte devido a prega mesenterial. Artéria coronária direita. seja nítida. Embora a transição entre o jejuno e o íleo ___________. ___________e até mesmo na localização geral. Abordagem cirúrgica para esternal pode representar alto risco de lesão arterial. são mais numerosos. no suporte mesenterial. c. na drenagem linfática. e.Artéria interventricular posterior. Leia o texto abaixo e o complemente com a resposta correta. no suporte pelo peritônio. a. b. c. d. não são mais numerosos. na drenagem venosa. mudanças graduais podem ser vistas nas características do intestino. e.Artéria torácica interna esquerda. não seja nítida. 3 . seja nítida. b. O acesso feito pelo quarto espaço intercostal próximo ao externo previne a lesão de qual artéria? a. A parede jejunal também é mais espessa por serem as pregas circulares mais altas e mais numerosas.Artéria marginal. não seja nítida. são mais numerosos.4.

O mesentério ileal é mais espesso por que tem maior concentração de gordura entre os vasos do que o jejuno. o jejuno tende a se colocar nas regiões umbelical e lateral. 4 . mesentério. da artéria mesentérica superior. 7. As porções jejunal e ileal do intestino delgado são sustentadas pelo _________e são.6. da artéria mesentérica inferior. Leia o texto abaixo e o complemente com a resposta correta. O __________é retroperitoneal. em grande parte. Contudo. portanto. b. Leia o texto abaixo e o complemente com a resposta correta. pela artéria mesentérica superior. O suprimento sanguíneo para o duodeno provém_______________________. e. a. As artérias jejunais formam varias arcadas longas que emitem artérias terminais bastante longas (artérias retas). pela artéria mesentérica superior. duodeno. c. hipogástrio inferior. as artérias ileais formam numerosas arcadas pequenas com artérias terminais pequenas. a. móveis. O jejuno e o íleo são irrigados __________________________. pela artéria mesentérica superior e tronco celíaco. do tronco celíaco. pelo tronco celíaco. enquanto o íleo tende a ocupar o (a)___________________. pelo tronco celíaco. esquerda. do tronco celíaco. do tronco celíaco e da artéria mesentérica superior. d.

mesentério. peritônio. puberdade (12 a 14 anos). Uma episiotomia póstero-lateral envolveria a secção de todas as seguintes estruturas. durante o trabalho de parto foi necessário o uso do fórceps. que produziu o rompimento do esfíncter externo do ânus e do canal anal. Em uma jovem de 18 anos. c. pelve menor c. 5 meses de vida fetal. jejuno. a episiotomia póstero- lateral (médio-lateral) seria preferível a uma incisão na linha mediana. e. jejuno. ramo perineal da artéria pudenda interna. EXCETO: a. b. peritônio . Ovogônias alcançam o número máximo em qual das seguintes fases do desenvolvimento humano? a. músculo transverso superficial do períneo. centro tendíneo do períneo. foram suturados. O esfíncter rompido e a episiotomia. pelve superior. b. músculo transverso profundo do períneo. d. c. nascimento. duodeno. início da idade adulta (21 a 26 anos). b. d. hipogástrio d. e. 9. duodeno. 5 . adolescência (12 a 18 anos). e. Neste caso. hipogástrio e a pelve menor 8. mesentério. ramo perineal do nervo pudendo.

e a melhor posição que favorece a concepção durante a relação sexual. 11. e. A fertilização normalmente acontece no (a): a. depois de diversas consultas em outros nosocômios. infundíbulo da tuba uterina. o obstetra avalia o tamanho do feto e as dimensões pélvicas da parturiente. diâmetro oblíquo. c. Próximo ao termo. Paciente procurou o ambulatório de obstetrícia da MEAC. útero. a paciente engravidou. O objetivo das consultas era engravidar. A medida da abertura superior da pelve mais importante e que indica a menor distância ântero-posterior é: a. conjugado diagonal. c. Uma paciente é acompanhada de perto ao longo de sua gravidez na MEAC.10. Cicatrizes hipertróficas e quelóides são processos anormais de cicatrização caracterizados por alterações: Qual a melhor resposta? 6 . escavação retro uterina. ovário d. b. e. ampola da tuba uterina. 12. Após ter sido orientada corretamente sobre o melhor momento do ciclo ovulatório. b. d. diâmetro transverso. conjugado obstétrico. diâmetro ântero-posterior.

fatores locais. e o local preferencial é a região deltóide. c. fatores locais. O aparecimento de quelóides está influenciado por: a. aumento na síntese de citocinas e proteínas da matriz extra-celular d. No tratamento conservador do quelóide. idade (de 1 a 10 anos). inflamação. raça. e o local preferencial é o lobo da orelha. almofadas de silicone gel. na migração e proliferação de células. laser. b. b. d. raça e idade avançada. 13. proteínas da matriz extra- celular e. compressão. b. crioterapia. almofadas de silicone. aumento na síntese de citocinas e proteínas da matriz extra-celular e remodelamento da matriz sintetizada. fatores hormonais. 14. raça. cirurgia. na migração e proliferação de células. compressão. betaterapia e Raio- X. fatores hormonais. inflamação. e. corticoterapia intra-lesional em concentrações inferiores a 10mg/ml. radioterapia com cobalto. está indicado: a. a. fatores hormonais. na migração e proliferação de células. idade (10 a 30 anos). na migração e proliferação de células. alteração no remodelamento da matriz sintetizada. inflamação. aumento na síntese de citocinas. betaterapia. compressão. raça. c. 7 . na proliferação de células. c. almofadas de silicone. corticoterapia intra-lesional em concentrações igual ou superior a 10mg/ml. raça.

compressão. Esta membrana é lipídica e composta por: 8 . f. laser. d. 15. 12hs b. crioterapia. d. 60hs 16. almofadas de silicone gel. a reinervação nunca ocorre. qual o tempo em que se processa a sua revascularização: a. qual das afirmações abaixo é correta? a. e. c. a velocidade normal de fluxo sanguíneo no enxerto é atingida em 7 a 10 dias. bloqueadores do canal do cálcio. 36hs d. radioterapia com Raio-X. Todas as células vivas possuem uma membrana de superfície que define seus limites e a conectividade entre os compartimentos intracelular e extra celular. a reinervação ocorre nos primeiros meses nos enxertos de pele total. 48hs e. Nos enxertos. a velocidade normal de fluxo sanguíneo no enxerto é atingida em 20 a 30 dias. a reinervação ocorre nos primeiros dias e a espessura do enxerto não é importante. 17. cirurgia. 24hs c. b. Ainda sobre enxertos.

dna. anfipáticos. b. transportadores e propulsor. b. As proteínas que deslocam materiais através da membrana podem ser funcionalmente classificadas em: a. b. canais de água. bombas. canais quimiossensíveis. d.uma camada lipídica com 7 a 4 nm de espessura. canais radiais.camada dupla lipídica com 6 a 7 nm de espessura.uma camada lipídica com espessura de 10nm. flipase. transportadores e balsas lipídicas.canais mecanossensíveis. canais celulares. 18. 9 . mecanorreceptores. canais de água. c. uma camada lipídica com 3 a 4 nm de espessura. e. canais sensíveis a voltagem. canais. Existem canais: a. canais. c. canais quimiossensíveis. canais sensíveis a voltagem.canais mecanossensíveis.camada dupla lipídica com 3 a 4 nm de espessura. d.canais mecanossensíveis. canais de água. canais quimiossensíveis. canais celulares. e. canais quimiossensíveis. canais de água. c. e. canais de água. a. d. 19. canais e tranportadores. canais intercelularescelulares. canais celulares. canais quimiossensíveis. bombas e transportadores. canais sensíveis a voltagem.canais sensíveis.

interrompem a ação da bomba Na/K através da sua ligação estracelular à forma E2. Qual a afirmação correta? a. interrompem a ação da bomba Na/K através da sua ligação estracelular à forma E2. um glicosídico cardíaco relacionado. d. c. Em relação à prevenção e o manejo das complicações crônicas do diabetes é correto afirmar que: a. Os digitálicos e a ouabaína. O rastreamento da retinopatia diabética no portador de diabetes melito tipo 2 deve ser realizado após 5 anos do diagnóstico. c. 21. porém com expectativa de vida menor (cerca de 5 a 10 anos). e. Os digitálicos e a ouabaína. mas o tempo de doença é o principal determinante do seu curso clínico. um glicosídico cardíaco relacionado. um glicosídico cardíaco relacionado. um glicosídico cardíaco relacionado. Os adultos com diabetes apresentam a mesma da taxa anual de mortalidade se comparado com os demais adultos. O infarto do miocárdio e a angina podem ocorrer de forma atípica no diabético.20. interrompem a ação da bomba F através da sua ligação estracelular à forma E2. A patogenia das complicações crônicas do diabetes não está totalmente esclarecida. O método diagnóstico clínico frequentemente utilizado para a investigação laboratorial da nefropatia diabética é a determinação da microalbuminúria de 24 horas. e. b. b. um glicosídico cardíaco relacionado. atualmente também se sugira para rastreamento a medida da proteína total em amostra isolada de urina. Contudo. d. a evolução pós-infarto é semelhante aos demais pacientes. Os digitálicos e a ouabaína. interrompem a ação da bomba Na/Ca através da sua ligação estracelular à forma E2. Os digitálicos e a ouabaína. devido à neuropatia autonômica. 10 . Os digitálicos e a ouabaína. embora. interrompem a ação da bomba Na/K através da sua ligação estracelular à forma E3.

Ações da conduta inicial na hemorragia pós parto. b. EXCETO: a. Iniciar antibioticoterapia EV de amplo espectro e curetagem uterina se restos ovulares. são condutas terapêuticas corretas. c. Drogas uterotônicas. b. Iniciar antibioticoterapia EV com Clindamicina + gentamicina. d. deverá iniciar profilaxia da transmissão vertical conforme o seguinte esquema: a. AZT + 3TC + NFV após 14ª semana. Iniciar antibioticoterapia EV com Ampicilina + Metronidazol + gentamicina. Hipertensão arterial crônica b. Pneumopatias restritivas. 26. c. Antibioticoterapia EV de amplo espectro por 48 horas. EXCETO: a. c. A melhor conduta: a. A avaliação ultra-sonográfica com Doppler obstétrico está indicada nas seguintes condições maternas. EXCETO: a. b. assintomática. Apenas AZT no momento da resolução do parto. e. G3P1A1.22. Cardiopatia cianótica. depois completar 7 dias de antibioticoterapia oral. Infusão de cristalóides. d. Transfusão de hemoderivados. Apenas AZT agora. hipertensa crônica. e. c. Apenas AZT após 14ª semana. 24. internada na 31ª semana com diagnóstico de centralização do fluxo fetal e cardiotocografia normal. G1P0. Gestante 29 anos. d. 23. e. d. idade gestacional de 10 semanas. Massagem do fundo uterino. 25. Tamponamento uterino com compressas. Cesariana imediata. 11 . em uso de metildopa 750mg/dia. Gestante 35 anos. CD4 450 células/mm3 e com carga viral indetectável. AZT + 3TC + NFV agora. Histerectomia nas formas refratárias ao tratamento clínico. conforme necessidade. Paciente com diagnóstico de infecção puerperal. Trombofilias. e. Diabetes gestacional. HIV positivo.

c. Encefalomalácia multicística. com índice de líquido amniótico de 30 cm. Resolução por indução (misoprostol). Manter o sulfato e fazer também hidantoína. d. porém com cardiotocografia contínua. Na ultrassonografia observou- se: peso fetal estimado de 1540gr. acompanhamento com cardiotocografia e Doppler. b. monoamniótica. Paciente com gestação gemelar monocoriônica. b. proveniente do interior. e. c. Infecção intra-uterina. Manter o sulfato e fazer gluconato de cálcio a 10%. Indometacina. diminuição dos reflexos patelares e frequência respiratória de 10mrpm. e. 30. Paciente no curso da 30ª semana de gravidez. b. é admitida com óbito de um dos gemelares. Suspender o sulfato e fazer gluconato de cálcio a 10%. confirmada por ultrassom realizado na 9ª semana. Visando inibir o trabalho de parto e atuar sobre o volume de líquido amniótico. 27. o melhor tocolítico é: a. Sulfato de magnésio. há incremento de risco de: a. Paciente com idade gestacional de 34 semanas. na 26ª semana gestacional. A dosagem sérica do magnésio foi de 20mEq/L. acompanhamento com cardiotocografia e cesariana após 48h. d. Admnistrar corticóide. Ritodrina. d. Adequar a medicação anti-hipertensiva para observar se ocorre a melhora do Doppler. a melhor conduta é: a. Nifedipina. vinha sob uso de sulfato de magnésio e apresentava diurese de 15ml/hora. aonde apresentou quadro convulsivo há 6 horas. Atosiban. Coagulação intravascular disseminada. Paciente com ameaça de trabalho de parto. Neste caso. para o feto vivo. 28. c. e. e. d. c. Insuficiência renal com posterior oligoidrâmnio. Neste caso. Acardia fetal. 29. Manter o sulfato e fazer cesárea. Suspender o sulfato e iniciar hidantoína. Admnistrar corticóide. relação fêmur/circunferência 12 . na 28ª semana. compareceu ao pré-natal onde se evidenciou altura uterina de 28cm. b.

Pré-eclâmpsia leve b. Longitudinal. com mento na posição transversa direita. Infecção congênita. bolsa rota. a melhor conduta é: a. e. d. Longitudinal. c. Na apresentação cefálica defletida. d. apresentava. Doença vascular materna. Cordocentese com administração de furosemida. Anomalia estrutural fetal. c. durante consulta pré-natal apresentou PA 150 x 100 mmHg e proteinúria de ++/4+. Pré-eclâmpsia grave 13 . Flexão fisiológica da cabeça fetal c. Obliqüidade de Litzman 33. Como se denomina este achado? a. apresentação cefálica. Sinclitismo e. Assinclitismo anterior b. Qual o provável diagnóstico? a. Transfusão intra-útero. 31. direita d. Neste caso. Realizou ultra-sonografia que evidenciou gestação de 18 semanas sem anormalidades. 32. Administrar antiretrovirais à gestante. Uso de digoxina pela mãe. esquerda e. G4P2A1. no ultrassom. Gestante 34 anos. Punção dos derrames fetais. esquerda c. e.25 e centralização do fluxo sanguíneo fetal. qual a situação e a posição fetal? a. feto hidrópico. Transversa. Paciente na 25ª semana gestacional. Multípara em trabalho de parto apresenta ao toque vaginal colo dilatado para 8cm. abdominal de 0. com parietal anterior profundamente baixo em relação ao posterior e sutura sagital próxima do promontório. com DUM desconhecida. Transversa. Uso de teratógenos pela mãe. b. direita b. Cromossomopatia. Córmica esquerda 34. A mais provável etiologia para o caso é: a. com IgM positivo para parvovirus. Rotação interna da cabeça d. b.

Solicitar teste de avidez de IgG e. Iniciar pirimetamina e pesquisar infecção fetal c. cefaléia. primeiro estabilizar a P A de Sueli. interrupção da gravidez imediatamente. ° plantonista verifica sua P A e diagnostica pré-eclampsia grave. VVT. Qual deve ser a P A de Sueli e qual a conduta? a. uso imediato de diurético. Realizar PCR em líquido amniótico para Toxoplasmose 37. e. Iniciar espiramicina e pesquisar infecção fetal b. Sueli. pressão arterial acima de 160/110 mmHg. Normalidade b. Hipertensão crônica e. Gestante com 14 semanas de gestação. 18 anos. Chega à Maternidade Escola Assis Chateaubriand com queixa de dor em cólica. Qual a melhor a conduta? a. realizou sorologia para toxoplasmose (IgG e IgM) com 8 semanas que foi positiva. d. pressão arterial acima de 160/110 mmHg. Hipertensão gestacional 35. c. 14 . Descentralização fetal e. turvação visual e epigastralgia. só posso fazer diagnóstico de pré-eclâmpsia grave se tiver síndrome de HELLP. Orientar medidas higieno-dietéticas d. tipo perda de tampão mucoso. pressão arterial acima de 160/110 rnrnHg . apresentando elevação dos níveis pressóricos. Aumento da resistência em artéria cerebral média 36. b.9 e artéria cerebral média com índice de resistência de 0. Realizou dopplerfluxometria que mostrou artéria umbilical com índice de resistência de 0. Centralização fetal d. c. Diminuição da resistência em artéria uterina c. sangramento transvagina1 discreto. 18anos. com idade gestacional de 34 semanas. está grávida de 26 semanas. Este achado sugere: a. como o bebê é prematuro deve ser feito corticóide imediatamente. Pré-eclâmpsia superajuntada d.7.

procura emergência devido a dor no membro inferior esquerdo. Gestante com 23 semanas. Dor no baixo ventre discreta por mais de 24 horas 15 . Primigesta com 5 semanas. G1P0. trazida à emergência com quadro de convulsão tônico-clônica generalizada. Iniciar cumarínico e programar venografia 40. panturrilha esquerda hiperemiada. sem convulsão prévia ou intercorrência no pré-natal.38. Ao exame: PA 160 x 100 mmHg. Qual a melhor conduta? a. Sangramento escurecido por mais de 24h e. Penicilina cristalina IV. 4/4h e programar US com Doppler de MMII c. Verificar vias aéreas superiores. Gestante 19 anos. 4/4h e programar venografia d. Heparina em dose profilática e programar US com Doppler de MMII e. dolorosa à palpação e com circunferência aumentada de 3cm comparando-se com a direita. Heparina em dose terapêutica e programar US com Doppler de MMII b. Estabilizar a paciente e encaminhá-la para pesquisa de maturidade fetal 39. mesmo se diurese e função renal desconhecida d. idade gestacional de 35 semanas. BCF 122bpm e ausência de contração uterina. Fenitoína EV e solicitar ultra-som para confirmar idade gestacional e. Acompanhante relata que a paciente era saudável. Sulfato de Magnésio. Ausência de trauma ou ferimentos em membros inferiores (MMII). Ultra-som com embrião sem movimentação b. Beta-hCG com aumento de 10% em intervalo de 48h d. Pulso 96 bpm. Hidralazina EV até PA reduzir para 120 x 80 mmHg b. Qual achado é considerado de PIOR prognóstico? a. Penicilina cristalina IV. Qual a melhor conduta? a. Ao toque: colo fechado. apresentando dor no baixo ventre e sangramento transvaginal escurecido. Ao exame: PA 120 x 70 mmHg. desorientada. acesso venoso e parto imediato c. Descolamento ovular de 30% c.

Ela consegue estender o antebraço no cotovelo. Cesárea à Pfannenstiel e. 48 anos. Síndrome de Cushing iatrogênico d. Mulher. Síndrome de Cushing ectópico por produção de ACTH ectópico. 43. As dosagens de ACTH e cortisol matinal mostraram-se diminuídas. qual a opção que indica o local do nervo lesionado? a. mas seu movimento de supinação parece enfraquecido e seu aperto de mão é muito fraco comparado ao da mão esquerda. Sabendo que a extensão no cotovelo parece normal. Amniotomia c. Misoprostol d. 41. hipertensa e diabética com fácies cushingóide. O texto a seguir serve de base para as questões 2 a 4: Uma mulher de 40 anos chega à emergência do HUWC depois de uma queda enquanto saia do ônibus sentindo forte dor no braço direito. Síndrome de Cushing por adenoma adrenal b. Primigesta com 33 semanas de gravidez. hipertonia uterina.Nervo radial no terço distal do úmero b. Qual o provável diagnóstico? a.Divisões posteriores do plexo braquial 16 .Nervo radial no médio antebraço c. Síndrome de Cushing por carcinoma adrenal c. mas que a supinação do antebraço está enfraquecida. O exame físico sugere fratura do úmero. permanecendo a mão caída. Percebe-se que ela está incapaz de estender o punho. Expectante b. Cesárea longitudinal mediana 42. Síndrome de Cushing central (Doença de Cushing) e.Nervo radial nas proximidades da cabeça da ulna e. cervicodilatação de 2cm e feto morto. Nervo ulnar nas proximidades da cabeça da ulna d. confirmada após exame radiológico. com quadro de dor abdominal há 1 hora. A primeira conduta deverá ser: a. obesa.

O músculo supinador não está paralisado b. fez. Qual a opção que dá o motivo desta observação? a.Músculos gastrocnêmio e sóleo 17 . Músculo sartório e cabeça curta do músculo bíceps da coxa d. Incapacidade para abduzir os dedos na articulação MF d.Incapacidade para estender as articulações MF.O músculo bíceps do braço está realizando esse movimento c.Incapacidade para estender somente a articulação MF e.Músculos do jarrete e. A paciente apresenta enfraquecimento considerável na supinação quando a articulação do cotovelo está completamente estendida. O músculo braquial está funcionando d.O pronador redondo está funcionando e. IP e ID b.Incapacidade para estender somente as articulações IP e ID 46.Músculo poplíteo b.Músculo quadríceps da coxa c.Incapacidade para aduzir os dedos na articulação MF c. Na paciente.44. Para destravar o joelho que se encontra em completa extensão a fim de se preparar o movimento de flexão qual/quais músculo(s) é/são requeridos inicialmente para contração dentre as opções abaixo? a. Qual das opções abaixo apresenta os achados esperados na presença de paralisia do nervo radial? a. no entanto pequeno enfraquecimento evidente no movimento de supinação quando o cotovelo é fletido parcialmente.se exame de função muscular nas articulações interfalangea distal (ID). interfalangea proximal (IP) e metacarpofalangea (MF).O músculo tríceps do braço é um potente supinador 45.

Nervo fibular comum d. Raízes dorsais d.Nervo isquiático 48. b.Nervo safeno b.Nervos esplâncnicos b. Qual. O acometimento renal é comum na sua forma grave. fraturou o colo da fíbula. O professor de anatomia do primeiro semestre da Faculdade de Medicina da UFC pergunta para a turma de onde vem a inervação motora dos músculos do dorso. Na literatura já há o consenso que o ATB deva ser indicado na fase grave da doença (forma íctero- hemorrágica). qual dos nervos.Nervo tibial e. O correto manejo dos pacientes é fundamental para a evolução favorável destes casos.Ramos primários dorsais 49.O tratamento dialítico deve ser criteriosamente indicado.Ramos comunicantes cinzentos c.47. endêmica nos países tropicais.Tratamento específico é importante.Nervo lateral da sura c. A leptospirose é uma zoonose de ocorrência global. Sobre o tratamento da leptospirose é correto afirmar: a. uma vez que sua instituição precoce tem sido associada à redução da mortalidade. uma vez que a Leptospira é altamente sensível a determinados antibióticos (ATB). 18 . corre o risco de ser cortado? a. dentre as opções abaixo. após queda no parquinho do clube. Uma criança.Nervo vago e. dentre as opções abaixo é a resposta correta para o questionamento? a. incluindo a penicilina cristalina. incluindo o Brasil.

Na ausculta cardíaca. 50.A reação de Jarisch-Herxheimer é comumente observada após o uso de penicilina cristalina.Insuficiência mitral e. Qual a doença valvar que melhor corresponde a este tipo de ausculta? a. 19 . c. b.Estenose aórtica. e. com volumes acima de 3000mL/dia.Insuficiência aórtica c. 20 anos de idade. d. uma vez que a forma oligúrica está associada a um pior prognóstico. devendo-se evitar o seu uso na leptospirose. uma vez que o componente pré- renal é fundamental na patogênese da insuficiência renal aguda na leptospirose. O uso de diuréticos de alça tem sido indicado na admissão. observa-se hiperfonese da 1ª bulha em foco mitral e da 2ª bulha em foco pulmonar. queixa-se de dispnéia progressiva. atualmente a pequenos esforços. Estenose mitral d. Paciente do sexo feminino.Estenose pulmonar.Hidratação venosa deve ser feita de maneira agressiva.