You are on page 1of 2

ESCOLA EB23 MOUZINHO DA SILVEIRA

HISTÓRIA – 8 º ANO – 2014/2015


FICHA DE TRABALHO
Nome: ______________________________________________ nº ____ Turma: 8º F
O Professor _____________ Classificação __________________ O Enc. Educação _____________________

ABRE O MANUAL NAS PÁGINAS 68 A 71

1. Completa os espaços em branco com as expressões Contrarreforma e Reforma Católica.

Ao avanço do reformismo protestante respondeu a Igreja Católica com um movimento que foi
simultaneamente de combate às ideias protestantes ( _______________________________ ) e de
renovação interna ( _____________________________ ).

2. Lê com atenção o Documento 1.

Documento 1
O Santo Concílio ordena que (...), nos assuntos da fé e dos costumes, ninguém tenha a audácia de
interpretar as Sagradas Escrituras com um sentido diverso daquele que lhe dá a Santa Madre Igreja,
à qual exclusivamente compete apreciar esse sentido. (...) Praticai boas obras, porque Deus é justo
e não esquecerá as boas ações e a caridade praticada em Seu nome. (...)
Decretos do Concílio de Trento

2.1. Enumera as decisões do Concílio de Trento.

3. Lê com atenção o Documento 2.

Documento 2
Aquele que desejar tornar-se um soldado de Deus na nossa Ordem (...) deverá, depois de ter feito
voto de castidade perpétua, consagrar-se à propagação da fé, pregando publicamente, ensinando a
palavra de Deus, fazendo exercícios espirituais e ações piedosas e, sobretudo, dando às crianças
uma educação religiosa (...). Se o Papa nos enviar a propagar a fé, ou a converter as almas entre os
infiéis, mesmo que seja às Índias, deveremos obedecer-lhe sem reservas (...)
Inácio de Loyola, Regra da Companhia de Jesus (1540)

3.1. Indica o nome da nova ordem religiosa, fundada por Inácio de Loyola.

3.2. Refere os campos de ação em que a mesma se distinguiu.


3.3. Diz o que era o Índex.

3.4. Refere as funções da Inquisição.

4. Lê com atenção os Documentos 3 e 4.

Documento 3 Documento 4
Fui preso apesar de estar inocente. (...) Em Vi, por mandado do Ilustríssimo e Reverendíssimo
cento e cinquenta presos da Inquisição nem Senhor Arcebispo de Lisboa, Inquisidor-Geral
cinco são culpados. (...) As provas de culpa destes Reinos, Os Lusíadas, de Luís de Camões,
fazem-se à força das torturas que eles praticam, (...) o qual livro, assim emendado com agora vai,
(...) Tudo isso acontece pelo ódio que os não tem cousa contra a fé e os bons costumes,
cristãos-velhos têm aos cristãos-novos. (...)
De um processo da Inquisição (1605) Frei Bartolomeu Ferreira (1572)

4.1. Refere os principais alvos da Inquisição em Portugal.

4.2. Menciona as consequências da Inquisição na cultura portuguesa.