You are on page 1of 15

Aspectos da dinâmica territorial na região Norte

Fluminense: Um olhar sobre o assentamento Ilha


Grande – (RJ)

Gabriel Guanabarã Lemos Marques


Maria do Socorro B de Lima
Núcleo de Estudos Rurais e Urbanos - NERU
INTRODUÇÃO

Dotada de específicas condições,


econômicas, sociais, políticas,
históricas e geográficas, a região
Deixou registrado na estrutura
Norte Fluminense é caracterizada
fundiária uma alta concentração de
historicamente como a principal
terra, decorrente da atividade
produtora de cana de açúcar no
sucroalcooleira e das sucessivas
Estado do Rio de Janeiro
modernizações no parque industrial
dessa atividade, principalmente no
município de Campos dos Goytacazes
.
OBJETIVO

Compreender como a
dinâmica da luta pela terra
no contexto regional,
implicou na implantação do
assentamento rural Ilha
Grande, como forma de
(re)organização territorial.
ÁREA DE
ESTUDO
Entrevistas
semiestruturadas
com os
assentados
O procedimento
metodológico,
consiste em uma
abordagem de
investigação com o
fito de explorar, Coleta de dados
Pesquisa no relatório
compreender ou documental no
descrever Arquivo Público
Municipal
Procedimentos DATALUTA

acontecimentos
contextos complexos,
e
Metodológicos
nos quais estão
simultaneamente
envolvidos diversos
fatores
DESENVOLVIMENTO

Os conflitos gerados pela luta por terra, fizeram surgir-produzir uma nova
(re)organização no território em diferentes escalas geográficas, que analisamos a
partir:

Descrição das causas e


fatores que contribuíram Interiorização da luta pela
para a derrocada desse terra e a formação do
setor e, posterior quadro de assentamento Ilha Grande.
falência das usinas.
DISCUSSÕES

Os anos áureos Mas, diante da


seguiram-se até instabilidade do
o início da setor.
década de 1980

Ocorreu o fechamento
de usinas com a
demissão de
trabalhadores.
DISCUSSÕES

De acordo com Aquino (2008) a turbulência


enfrentada pela Companhia Baixa Grande, tornou-se
mais grave em 1995, quando deixou de produzir e
beneficiar álcool e açúcar, para se tornar fornecedora
de matéria prima as outras usinas.
DISCUSSÕES Com o agravamento da
especificamente no
crise do setor a partir da
município de Campos dos
década de 1980, iniciou-
Goytacazes caracterizada
se uma nova dinâmica
pela maior atuação do
territorial no Norte
MST
Fluminense

que elegeu a região como


prioritária quando em locais nos quais o
anunciou de antemão as MST estivesse presente e
futuras ocupações que existissem latifúndios
iriam ocorrer no país, no improdutivos
decorrer do mês de março
• O assentamento rural representa atualmente um novo
componente no processo de (re)produção e organização
do espaço agrário, sendo necessário compreendê-los a
partir de suas especificidades identitárias e territoriais.

• Enquanto novo território, adquirem outras formas de


organização territorial, estabelecendo novas relações:
econômica, política e social. Em um lugar que
preteritamente servia a outra dinâmica.

• Passa então a ser mais do que um lugar de moradia, o


assentamento configura-se como um território onde novos
laços de sociabilidade e solidariedade são estabelecidos.
RESULTADOS
Figura . Associação dos Moradores do Figura . Assentamento Ilha Grande -
assentamento Ilha Grande Agroindústria
RESULTADOS

Figura . Igreja Católica, na comunidade de


babosa - intermediação do assentamento Figura . Campos de Futebol – Localizado Figura . Agrovila – localizada no
Ilha grande e Che Guevara no assentamento Ilha Grande assentamento Ilha Grande
CONCLUSÕES

Não obstante, não


devemos subjugar a A criação dos assentamentos
construção desses rurais são espaços complexos
territórios, apenas como de interações sociais e lutas
lugar de ocupação políticas constantemente
simbólica, esses novos redefinidas de acordo com as
territórios também mudanças operadas por um
demonstram processos de conjunto de fatores e agentes
territorialidades, um envolvidos.
processo de identidade da
sociedade com o território
que lhe assegurar sua
reprodução social e
cultural.
REFÊNCIAS

ALENTEJANO, Paulo Roberto Raposo. Reforma agrária, território e


desenvolvimento no Rio de Janeiro. 2003. nºfl: 297.Tese. (Doutorado) Instituto de
ciências humanas e sociais. Departamento de Desenvolvimento, agricultura e
sociedade. Curso de Pós-Graduação em desenvolvimento, agricultura e sociedade.
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: UFRRJ/CPDA

COCA, Estevan Leopoldo de Freitas; FERNANDES, Bernardo Monçano.


Assentamentos rurais: territórios do território Cantuquiriguaçu, Estado do Paraná. In:
V Simpósio Nacional de Geografia Agrária, 2009 Niterói, Rio de Janeiro.
Disponível em:<http://www.uff.br/vsinga/> Acessado em: 31/01/2017.

CRUZ, Rodrigo Pennutt da. Assentados, assentados: diferenciação social e


reordenações políticas. Niterói: Alternativa, 2014.
REFÊNCIAS

HAESBAERT, Rogério. Território e multiterritorialidade: um debate. GEOgraphia,


América do Norte, vol. 9. Nº 17, fev. 2007. pp. 19-46. Disponível em:
<http://www.uff.br/geographia/ojs/index.php/geographia/issue/view/19> Acessado
em: 20/01/2017

LOPES, Eliano Sérgio Azevedo. A reforma agrária no Brasil: um velho problema,


esperando uma solução que nunca chega? 2002. Texto apresentado na Mesa
Redonda “o sentido da Reforma Agrária no Século XXI” XIII Encontro Nacional de
Geógrafos, João Pessoa, Paraíba, 2002, p. 1- 11.

RUA, João. URBANIDADE NO RURAL: o devir de novas territorialidades. Revista


Campo-Território: Revista de Geografia Agrária, Uberlândia, v. 1, n. 1, p. 82-106,
fev. 2006. Disponível em:
<http://www.seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/issue/view/629> Acessado em:
10/07/2016

Related Interests