Creche e Jardim Infantil O CARACOL

18 aos 36 meses

Ano Lectivo 2010/2011

Educadora Vitória Marques

Índice
Introdução..................................................................................................................... 5 1. Caracterização do Contexto Educativo .................................................................. 6 1.1. 1.2. 2. Breve Caracterização da Faixa Etária............................................................. 6 Caracterização do Grupo Específico............................................................... 8

Organização do Ambiente Educativo ................................................................... 10 2.1. 2.2. 2.3. Organização do Espaço................................................................................ 10 Organização do Tempo ................................................................................ 12 Organização da Equipa ................................................................................ 14

3. 4.

Metodologia ......................................................................................................... 15 Plano de Acção.................................................................................................... 16 4.1. 4.2. Objectivos Gerais ......................................................................................... 16 Plano de Actividades - Trimestral ................................................................. 17

5.

Avaliação ............................................................................................................. 18

Bibliografia ...................................................................................................................... Anexos ...........................................................................................................................

4

Introdução

Este projecto curricular de sala consiste na selecção de conteúdos que serão apresentados ao longo do ano lectivo, para uma melhor aprendizagem, tendo em conta as necessidades colectivas e individuais do grupo de crianças. Tem como objectivo dar a conhecer o trabalho pedagógico a desenvolver, em correspondência com os interesses do grupo. Além dos objectivos delineados neste projecto, serão também levados em conta os objectivos da creche, regulamentados no Despacho Normativo nº 99/89 de 27 de Outubro de 1989, que são os seguintes: a) Proporcionar o atendimento individualizado da criança num clima de segurança afectiva e física que contribua para o seu desenvolvimento global; b) Colaborar estreitamente com a família numa partilha de cuidados e responsabilidades em todo o processo evolutivo de cada criança; c) Colaborar no despiste precoce de qualquer inadaptação ou deficiência, encaminhando adequadamente as situações detectadas.

Este projecto curricular refere-se à sala de creche e será um instrumento de trabalho relativo ao ano lectivo 2010 /2011. Está também associado a outros dois documentos, o Projecto Educativo da Instituição e o Projecto Pedagógico, incidindo sobre as questões ambientais e designando-se por “Amigos da Natureza”.

5

1. Caracterização do Contexto Educativo 1.1. Breve Caracterização da Faixa Etária

A criança de dois anos está cheia de energia, entusiasmo, vontade de explorar e cada vez mais independente. Nesta fase do desenvolvimento a criança é muito activa. O seu

desenvolvimento motor, nomeadamente a aquisição da marcha de uma forma mais segura e estável, permite-lhe explorar tudo o que está à sua volta. Com maior autonomia motora, a criança acaba por desenvolver novas competências aplicadas à exploração do meio ambiente e fá-lo de diversas formas: corre, pula, arrasta e puxa os objectos com maior coordenação. Neste período dão-se importantes progressos, nomeadamente, ao nível da linguagem. O desenvolvimento do vocabulário, incluindo a capacidade de compreender e usar as palavras, é especialmente notável. Agora, a criança está mais aberta à aprendizagem da língua. O adulto, ao falar com ela, está a comunicar e a “ensinar”. Assim, é de extrema importância que se converse com a criança, quanto mais rico for o meio verbal, durante este período, maior é a probabilidade no desenvolvimento da linguagem. Uma das características desta faixa etária, segundo Piaget (psicólogo suíço) é o egocentrismo. A criança acha-se o centro de tudo e não é capaz de perceber o ponto de vista do outro. Surgem agora os primeiros grandes conflitos: com os adultos, afirmando a sua vontade e contrariando o que o adulto impõe, e com as outras crianças, maioritariamente causadas pelo sentimento de posse que tem sobre os objectos e brinquedos. Nesta fase, a criança não percebe o conceito de partilha, para ela, tudo o que vê e conhece lhe pertence. Surgem assim, os pequenos/grandes conflitos entre colegas.

6

É também, durante este período, que a criança adquire um maior controlo dos esfíncteres (músculos da zona genital e anal). Desta forma, a bexiga e o intestino, começam a estar sobre o se domínio voluntário. Mas este é, para ela, um processo complexo, pois tem de coordenar uma série de aspectos para o conseguir, tais como: o domínio da linguagem, a postura, etc. À medida que se aproxima dos três anos a criança está mais segura de si. O seu autodomínio, nesta idade, tem uma base motora. Toda a sua aprendizagem motora está mais equilibrada e fluida. Gosta de correr, saltar trepar, mas também de actividades que exigem mais concentração e uma coordenação motora mais delicada. Pega nos lápis e utensílios mais pequenos com maior destreza e segurança. O facto de já não usar fralda, permite à criança, uma maior autonomia em relação ao adulto, já faz a sua higiene quase sem ajuda. Agora, menos dependente do adulto, realiza a maioria das suas rotinas diárias sozinha e gosta de mostrar que é capaz de o fazer. Ao nível da linguagem, o seu vocabulário é mais extenso e executa as palavras com maior segurança e compreensão. Gosta de palavras novas e imita o adulto quando as ouve. Apesar das crianças nesta faixa etária se centrarem muito em si, já gostam de cooperar com o adulto e de agradar. Para si, as pessoas são importantes e gosta de criar amizades.

7

1.2. Caracterização do Grupo Específico

O grupo da sala C é composto por 14 crianças, sendo oito do sexo masculino e seis do sexo feminino. Deste conjunto, cinco crianças já se encontravam nesta sala, no anterior ano lectivo. A idade predominante do grupo é os dois anos. Só duas destas crianças irão completar os dois anos no inicio do 2º período. Duas crianças do grupo já tinham frequentado outra creche. Uma criança tinha estado numa ama. As restantes seis crianças permaneceram até agora em casa, ao cuidado de avós. A maioria das crianças que frequentam a creche reside em Queluz. Algumas delas moram no bairro onde se insere a instituição. A adaptação tem decorrido bem. É um grupo que integra crianças com diferentes níveis de autonomia, linguagem, capacidade de concentração em resposta às rotinas e tipologia de interacções. Ao nível da linguagem alguns elementos mais novos ainda só palreiam, outros usam a palavra/ frase. Algumas crianças já formulam diálogos simples. O controlo dos esfíncteres já é feito por quatro crianças. Contudo há mais duas que estão a iniciar-se neste processo de autonomia com sucesso. São crianças ainda bastante egocêntricas, surgindo com frequência alguns conflitos devido á questão de posse do mesmo objecto. A sensibilização da parte do adulto para a partilha vai surtindo efeitos, motivando as crianças a usufruir desse prazer da interacção com tranquilidade.

8

Apreciam muito as canções (sobretudo as mimadas), as histórias e os pequenos diálogos que o adulto estabelece com o grupo. Têm fascínio pelo faz de conta, retratando as suas vivências. Gostam de explorar diferentes jogos, preferencialmente os de empilhar e encaixar. As actividades ligadas à expressão plástica (pintura, amachucagem, etc.) e à psicomotricidade (jogos espontâneos com liberdade total de movimentos do corpo) deixam-nos fascinados.

9

2. Organização do Ambiente Educativo 2.1. Organização do Espaço

A organização do espaço da creche deve ter em conta as necessidades específicas de cada idade, de uma boa organização da sala, depende todo o funcionamento diário da mesma, actividades, repouso, etc. E

consequentemente, o bem-estar de quem nela vive diariamente, crianças e adultos. A criança de dois anos necessita de uma clara delimitação do espaço de trabalho e do espaço de jogo. As áreas presentes devem estar bem definidas e os materiais devem ter o seu próprio lugar definido e ao alcance da criança. Permitindo-lhe assim ter a noção do que existe à sua disposição tendo a iniciativa de os usar e explorar. A sala de creche é uma sala rectangular, com iluminação natural (duas janelas), uma casa de banho, onde se encontra também a bancada onde se trocam as fraldas (este móvel possui gavetas individuais, que contêm os pertences de cada criança e elas utilizam-nas autonomamente). As diversas áreas da sala estão divididas da seguinte forma: a área da casinha das bonecas, pista de carros, jogos de construção e a área do tapete. Aqui, encontram-se, também duas mesas (semi-círculo) utilizadas nos trabalhos de expressão plástica (ex. pinturas) e jogos de mesa (ex. puzzles). A sala é usada, também, como dormitório. O mobiliário é reorganizado de forma a colocar catorze camas para o repouso diário das crianças. Todas as paredes estão cobertas com placards, onde se expõem os trabalhos realizados.

10

Mas, a sala não é o único espaço utilizado pelas crianças da creche. O almoço e o lanche realizam-se no refeitório (situado no piso inferior) e o recreio é feito no espaço exterior da instituição. Durante os períodos de acolhimento, as crianças ficam na sala polivalente (refeitório) ou numa das salas de pré-escolar.

11

2.2. Organização do Tempo

Em qualquer grau de ensino, a organização temporal, é extremamente importante. Mas, em situação de creche, a gestão do tempo é crucial para o desenvolvimento harmonioso da criança. Nesta fase da sua vida, a criança não tem qualquer noção temporal, ou seja, não se apercebe da passagem do tempo. É através da organização de rotinas diárias que a percepção do tempo existe para a criança. As referências temporais estabelecidas pelas rotinas transmitem segurança à criança, através delas ela sabe o que pode fazer e prevê a sucessão de acontecimentos diários (ex: almoço, repouso, lanche, etc.).

Rotina diária da sala C
7h 30m Abertura da Instituição e acolhimento das crianças (refeitório) Actividades livres (tempo sócio-educativo) 9h 9h 30m 11h 11h 20m 12h 12h 45m 13h/15h 15h/15h30m 15h 30m 16h 17h 19h 30m Conversa na manta, histórias e canções Actividades livres/dirigidas Higiene Almoço Recreio* Higiene Repouso Hora de levantar/ Higiene Lanche /Higiene Actividades livres (tempo sócio-educativo) Início da saída das crianças Encerramento

12

- Às 5ªs há Aula de Expressão Motora às 10h - Às 6ªs há Aula de Expressão Musical às 15h40m * Recreio exterior, quando está bom tempo

Na 5ª feira, é feita uma aula de movimento, onde sobretudo se pretende que a criança se movimente livremente e criativamente. Na 6ª feira, o grupo tem aula de Expressão Musical. É importante referir que, apesar se essencial, a rotina diária também tem de ser flexível. O educador tem de estar atento aos ritmos naturais e temperamentos das crianças e, se achar necessário, reajustar a rotina diária do grupo.

13

2.3. Organização da Equipa

A equipa da sala de creche é constituída por uma Educadora de Infância, uma Auxiliar de Educação e uma Ajudante de Acção Educativa. O grupo de crianças conta, também, no caso ser necessário com o apoio de toda a equipa da instituição. A organização de horários dos adultos da sala é a seguinte:
Educadora de Infância – Vitória Marques Auxiliar de Educação – Adélia Ferreira Ajudante de Acção Educativa – Fernanda Pintão 8h 30m – 16h 30m 7h 30m – 15h 30m 11h 30m – 19h 30m

14

3. Metodologia

O método centrado nas crianças tem a vantagem destas poderem trabalhar em conformidade com níveis adequados às suas capacidades, interesses e necessidades, Há necessidade de lhes proporcionar a observação e a prática directa, sempre que possível. O processo de aprendizagem de cada criança realiza-se a partir da sua maturação pessoal e das possibilidades que lhe oferecem para interagir com o seu ambiente, sendo importante ao longo da etapa conduzir os processos de aprendizagem através da experiência pessoal, com o jogo e a representação simbólica.

15

4. Plano de Acção 4.1. Objectivos Gerais

Ao considerar os seguintes objectivos, pretende-se que a criança consiga:

Identificar e expressar as suas necessidades básicas de saúde e bem-estar (hábitos de higiene, alimentação e cuidados) de uma forma autónoma;

Descobrir, conhecer e controlar progressivamente o seu próprio corpo, valorizando as suas possibilidades;

Relacionar-se com o outro, aceitando e compreendendo diferentes emoções e sentimentos, desenvolvendo atitudes de ajuda e compreensão;

Desenvolver os diferentes aspectos da linguagem, ao nível da compreensão, articulação e vocabulário;

Comunicar com o outro, utilizando as diferentes formas de expressão e comunicação;

Interiorizar e praticar regras de conduta simples, que são a primeira iniciação na vida colectiva.

16

4.2.

Plano de Actividades - Trimestral

O Plano de Actividades foi elaborado tendo em conta os objectivos gerais da creche e os objectivos gerais deste projecto. Estes serão trabalhados de acordo com as áreas de conteúdo. As áreas baseiam-se no nível de desenvolvimento da criança e na sua actividade espontânea e lúdica, assim, através deste processo educativo a criança é encarada como sujeito da aprendizagem. As áreas de conteúdo são:    Área de Formação Pessoal e Social Área de Conhecimento do Mundo Área da Expressão e Comunicação       Domínio da Expressão Dramática Domínio da Expressão Motora Domínio da Expressão Plástica Domínio da Expressão Musical Domínio da Linguagem Domínio da Matemática

O Plano de Actividades encontra-se em anexo.

17

5. Avaliação

A avaliação do grupo realizar-se-á de forma continuada mas informalmente, através do método de observação constante, das actividades e das atitudes de cada criança. Os factos considerados relevantes serão anotados num dossier concebido para o efeito. O progresso de cada criança é avaliado em relação à sua própria actuação. Trimestralmente serão utilizadas fichas com o registo de cada criança. A avaliação do projecto terá como suporte de auto-avaliação as planificações, anotações e as fichas de observação das crianças. As planificações de actividades semanais completam-se com a respectiva avaliação. Poderá então entender-se quais as novas actividades a propor e quais as que necessitam de ser reforçadas e reformuladas.

18

Bibliografia

Gesel, A. A Criança dos 0 aos 5 anos. Lisboa: Publicação D. Quixote, 1970

Hohman, Mary e outros. A criança em acção. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian

 

Despacho normativo Nº 99/ 89 de Outubro Sprinthall, N. e Sprinthall, R. Psicologia Educacional. Lisboa: Mc Graw Hill, 1993

19

Anexos

20

1ºPeríodo (Setembro, Outubro, Novembro, Dezembro)

Área de Conteúdo

Objectivos

Actividades

Recursos

Levar a criança a relacionar-se consigo própria, com os outros e com o mundo. Estimular o desenvolvimento global da criança no respeito pelas suas características individuais, incutindo comportamentos que favoreçam aprendizagens significativas e diferenciadas. Promover nas crianças atitudes e valores que lhe permitam tornar-se cidadãos conscientes e solidários, capacitando-os para a resolução dos problemas da vida. Sensibilizar para o respeito pela Natureza.

Fomentar a interacção, a disponibilidade e o afecto.

Material audiovisual.

Encorajamento e estimulação dos progressos das crianças nas Materiais diversos. actividades do quotidiano. Saber respeitar, ouvir e cooperar com o “outro”. Estabelecer regras elementares. Fomentar as interacções no grupo. Criar um “Cantinho da Natureza” na sala. Jogos diversos. Peixes.

Formação Pessoal e Social

Tartaruga.

Área de Conteúdo

Objectivos

Actividades

Recursos
Materiais da Natureza

Exploração de histórias e canções. Recolha de materiais da Natureza. Explorar e descobrir o meio ambiente. Diálogos sobre a família, a escola e os Reconhecer os primeiros grupos sociais amigos. (família, educadores/auxiliares, amigos). Observação de animais ao vivo, em Observar as mudanças atmosféricas. imagens animadas e imagens estáticas. Dar a conhecer alguns animais domésticos, selvagens e marinhos. Reconhecer os elementos do agregado familiar. Sensibilizar para as tradições Magusto Natal

Fantoches. Flanelógrafo. Cartões. Materiais recicláveis. Tintas. Livros Ingredientes de culinária Castanhas

Conhecimento Do Mundo

Actividades de E.plástica relacionadas com o Outono, o Magusto, os animais, o Materiais diversos Inverno, a família e o Natal. Salão Nobre B.V.Q. Culinária. Autocarro Visita do vendedor de castanhas. Convite aos pais. Passeio ao Circo. Festa de Natal.

4

Área de Conteúdo

Objectivos

Actividades

Recursos

Deslocação pelo espaço com movimentos.

Caminhar, correr, saltar. Jogos de encaixe

Bolas Argolas Jogos Puzzles Enfiamentos Leitor de Cds.

Expressão Motora

Experimentação de situações de equilíbrio. Proporcionar actividades em que as crianças expressem sensações, emoções e sentimentos através do corpo.

Enfiamentos. Brincar com o corpo. Jogar com bola. Danças e cantigas de roda.

Projectar a capacidade de expressão do mundo interior. Dramatizações. Proporcionar situações de desinibição da criança. Fantoches. Mímica. Faz de conta. Fantoches. Leitor de CD’s. Casinha das Bonecas.

Expressão Dramática

Capacitar para o improviso. Desenvolver a criatividade e imaginação.

5

Área de Conteúdo

Objectivos
Desenvolver a representação e a comunicação. Exploração de diferentes técnicas e materiais. Desenvolver a destreza manual. Desenhos.

Actividades

Recursos
Lápis de cera. Lápis de cor.

Rasgagem/amachucagem/colagem. Canetas. Pintura a pincel, mãos, carimbos, digitinta. Elaborar prenda e cartão de Natal. Construir uma árvore de Natal. Tintas/pincéis. Carimbos. Papéis diversos/cola. Materiais recicláveis. Desenvolver a expressão musical em torno de 5 eixos fundamentais: escutar/cantar/dançar/tocar/criar. Despertar o gosto pela música.

Expressão Plástica

Mimar algumas canções. Produzir sons com os instrumentos. Interpretar pequenas canções. Produzir ritmos com o corpo (palmas). Participação na Festa de Natal. Instrumentos musicais Leitor de Cds.

Expressão Musical

Proporcionar às crianças o contacto com instrumentos musicais. Estimular a capacidade auditiva (ouvir canções, sons diversificados).

6

Área de Conteúdo

Objectivos
Utilizar a linguagem como meio de comunicação e ampliação do pensamento.

Actividades
Diálogos em pequeno e grande grupo. Descrição de imagens, desenhos, pinturas, fotografias. Exploração de poesias e histórias. Registo da vivência da criança. Utilização do livro como motivação para a aprendizagem. Incentivar a criança à resolução de pequenos problemas do quotidiano. Livros

Recursos

Domínio da Linguagem

Despertar o desejo de comunicar. Encorajar a criança a verbalizar. Sensibilizar para escutar e ver. Nomear e identificar objectos, animais e pessoas de referência. Proporcionar oportunidades de resolver problemas, quantitativos e espaciais através da utilização de diferentes materiais.

Imagens Fotos Material audiovisual.

Domínio da Matemática

Jogos/ puzzles.

Envolver o corpo na exploração do espaço e materiais. Explorar objectos tridimensionais. Construir torres. Empilhar objectos de diferentes tamanhos. Colaboração na arrumação da sala (fazer corresponder os materiais aos respectivos lugares).

Jogos. Puzzles. Materiais diversos.

7

2ºPeríodo (Janeiro, Fevereiro, Março, Abril) Área de Conteúdo Objectivos Actividades
Diálogos em grande e pequeno grupo. Promover a educação ambiental. Incutir hábitos de poupança, sensibilizando para o uso racional de recursos. Despertar a curiosidade e o pensamento crítico. Observação de imagens em livros, revistas e internet. Colaboração das famílias com trabalhos alusivos. Saídas ao exterior.

Recursos

Livros Revistas Computador

Formação Pessoal e Social

Compreender a importância de valores, tais como: amizade, verdade, partilha, justiça respeito pelo outro, etc. Incentivar a participação das famílias no processo educativo e estabelecer relações de efectiva colaboração com a comunidade. Manifestação de sentimentos e emoções.

Exploração do “Cantinho da Natureza”.

Recolha de histórias, canções poesias e Leitor de Cds. lengalengas. Materiais diversos. Convite às famílias para participarem nalguns eventos. Realização de reuniões de pais. Partilhar sentimentos através de situações lúdicas.

8

Área de Conteúdo

Objectivos
Conhecer as tradições associadas aos Reis Magos, Carnaval e Páscoa, de forma lúdica e criativa. Exploração do esquema corporal. Promover uma alimentação saudável. Observação de algumas características dos elementos do ambiente segundo a mudança de clima e estação. Promover o contacto com a Natureza. Descobrir o mundo através da observação e da experimentação directa. Demonstrar curiosidade e desejo de aprender. Reconhecer cuidados a ter com as plantas e produtos hortícolas.

Actividades
Exploração de histórias, canções, poesias e lengalengas Livros. Identificação das diferentes fases do crescimento através de imagens. Dinamização de uma horta biológica. Utilização do computador. Confecção de receitas saudáveis. Diálogos sobre atitudes e valores. Jogos diversos. Actividades de expressão plástica alusivas às tradições associadas a este período, às temáticas e dias comemorativos. Desfile de Carnaval. Comemoração do aniversário da instituição. Organização de visitas :Tivoli, Oceanário, Quinta Pedagógica e Moinhos.

Recursos

Fantoches. Flanelógrafo. Computador. Leitor de Cds. Materiais para a construção e manutenção de uma horta. Ingredientes de culinária. Tintas. Carimbos, pincéis, e esponjas. Materiais recicláveis. Autocarro.

Conhecimento Do Mundo

9

Área de Conteúdo

Objectivos

Actividades

Recursos

Interiorização do esquema corporal. Estimular a motricidade global e fina.

Bolas e argolas. Caminhar, correr, saltar. Jogos. Jogos de encaixe. Puzzles. Enfiamentos. Enfiamentos. Modelagem. Leitor de Cds. Jogar com bola. Farinha, água e corante.

Expressão Motora

Dominar progressivamente as diferentes partes do corpo. Criar situações imaginárias.

Exteriorizar emoções. Desenvolver o jogo simbólico. Estimular a criatividade e expressividade. Proporcionar momentos de fantasia. Faz de conta. Desenvolver a linguagem gestual e a capacidade de memorização. Dramatizações. Fantoches. Teatro de fantoches. Leitor de CD’s. Mímica. Casinha das Bonecas.

Expressão Dramática

10

Área de Conteúdo

Objectivos

Actividades
Representação gráfica.

Recursos
Folhas A3.

Consciencializar para o aproveitamento dos materiais de desperdício. Promover a utilização de novas técnicas de expressão. Estimular a criatividade e a expressão livre. Explorar diferentes tipos de materiais e técnicas. Proporcionar a exploração, comparação e identificação dos sons. Estimular a memória.

Canetas/ lápis Reaproveitamento de materiais. Materiais recicláveis. Pintura. Carimbos. Modelagem. Tintas. Carimbagem. Materiais diversos. Rasgagem/ amachucagem. Colas. Experiências com água. Farinha/ água.

Expressão Plástica

Explorar sonoramente vários objectos. Objectos diversos. Bater palmas/ bater pés. Instrumentos musicais Discriminações dos contornos musicais. Leitor de Cds Danças de roda.

Expressão Musical

Desenvolver a atenção visual e auditiva. Fomentar a autoconfiança. Explorar os sons de diversos materiais e instrumentos.

11

Área de Conteúdo

Objectivos

Actividades

Recursos

Criar ocasiões de comunicação lúdicas, significativas e diversificadas Participar em diálogos

Contar histórias para as crianças recorrendo a diferentes tipos de suporte (fantoches, imagens, flanelógrafo) Interpretação de imagens, gravuras e fotos Consulta de livros. Interpretar fábulas e canções de tradição popular.

Livros Imagens Fotos Leitor de Cd’s

Domínio da Linguagem

Promover o interesse pelos livros Transmissão de textos orais, contos, fábulas, poesias Respeito pelas normas que regem o discurso linguístico: prestar atenção, aguardar a vez, etc.

Encaixar e desmontar peças de puzzles simples.

Experienciar objectos de uso quotidiano. Experiências com água. Objectos diversos Água Observação de imagens. Imagens Reconhecimento de objectos.

Domínio da Matemática

Encher e esvaziar recipientes.

Referenciar quantificadores básicos (muito/pouco, grande /pequenos, etc.).

12

3ºPeríodo (Maio, Junho e Julho)

Área de Conteúdo

Objectivos
Promover a apreciação e respeito pela Natureza. Explorar as possibilidades de reaproveitamento criativo de materiais. Apelar para a necessidade de cuidar dos espaços e materiais, não deitando lixo para o chão. Fomentar a capacidade de observação. Envolver as famílias no processo educativo. Desenvolver a criatividade para que as crianças se tornem adultos capazes de descobrir novos caminhos para a sua vida.

Actividades

Recursos

Diálogos em pequeno e grande grupo. Jogos de interacção. Colaboração da família com materiais recicláveis necessários para a realização de actividades. Realização de jogos de convívio. Saídas ao exterior. Reconhecimento do projecto da quinta biológica. Valorização da importância das plantas.

Materiais recicláveis. Materiais diversos.

Formação Pessoal e Social

13

Área de Conteúdo

Objectivos
Desenvolver a curiosidade natural da criança e o seu desejo de compreender porquê. Fomentar atitudes de respeito pela Natureza. Proporcionar vivências em contextos mais alargados.

Actividades
Registos fotográficos ao meio ambiente. Realização de experiências com o ar, a água e a areia.

Recursos

Livros.

Leitor de Cds. Realização de experiências de sombra e luz. Flanelógrafo. Tratamento da quinta biológica. Observação da evolução dos cultivos. Fantocheiro. Materiais recicláveis. Materiais audiovisuais. Água , areia e água. Materiais diversos. Visitas de estudo: Oceanário e Jardim Zoológico. Comemoração do Dia da Criança. Festa de final de actividades. B.V. Queluz

Conhecimento do mundo

Incentivar a pesquisa. Histórias, poesias e lengalengas. Aprender a tratar das plantas e produtos hortícolas. Sensibilizar para a preservação do ambiente. Proporcionar momentos de aprendizagem e de contacto com o método experimental. Pesquisa de materiais de diferentes cores.

14

Área de Conteúdo

Objectivos

Actividades

Recursos

Promover a coordenação geral ampla e a motricidade fina. Consolidar a exploração de diferentes formas de movimento.

Jogos com a água. Jogos no exterior.

Água. Lápis, marcadores e canetas. Folhas A3. Frascos e garrafas. .

Expressão Motora

Diversificar e enriquecer as oportunidades de expressão. Apreender as relações no espaço.

Experienciar a representação gráfica com lápis, marcadores e canetas. Enroscar e desenroscar objectos. Realizar a pedido alguns movimentos: caminhar, correr, saltar, etc.

Estimular a imaginação e a criatividade. Desenvolver a capacidade do faz de conta recriando situações simples do quotidiano.

Material audiovisual. Representações. Contar histórias. Faz de conta. Sombras chinesas. Roupas e outros adereços. Objectos diversos.

Expressão Dramática

Proporcionar jogos imitativos e simbólicos simples em que as crianças interajam com pares e adultos, desenvolvendo competências de socialização.

15

Área de Conteúdo

Objectivos
Proporcionar diferentes descobertas e sensações.

Actividades

Recursos
Folhas A3.

Representação gráfica Amachucagem/ colagem. Modelagem. Carimbagem. Pintura.

Papéis diversos. Cola. Tintas/ pincéis. Esponja/carimbos. Materiais diversos.

Expressão Plástica

Estimular a aprendizagem das cores primárias. Favorecer a capacidade sensóriomotora. Revelar criatividade e imaginação. Proporcionar o conhecimento de diferentes estilos musicais. Explorar características básicas: timbre, altura do som(agudo/ grave), intensidade(forte/fraco) e o andamento (rápido/ lento). Valorizar o silêncio como forma de restabelecer a segurança e a tranquilidade na criança

Exploração de canções, poesias , rimas e lengalengas. Leitor de Cds. Danças de roda, danças tradicionais. Materiais diversos. Instrumentos musicais.

Expressão Musical

Experimentação de batimentos rítmicos. Exploração de diferentes materiais.

16

Área de Conteúdo

Objectivos

Actividades

Recursos

Ouvir a criança.

Domínio da Linguagem

Estimular o vocabulário. Levar a criança a exprimir-se de forma espontânea. Estimular a criança para o diálogo. Descrever as vivências.

Nomear personagens e acontecimentos relativamente a uma história. Diálogos. Exploração de histórias, lengalengas e poesias. Elaboração de conjuntos com materiais da sala.

Histórias. Imagens.

Dar á criança indícios de momentos de

Domínio da Matemática

rotina que se aproximam.

Materiais diversos. Actividades diárias com objectos de uso comum. Descrição e ordenação de imagens. Imagens.

Agrupar segundo um determinado atributo. Desenvolver a noção de conjunto.

17

18

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful