You are on page 1of 44

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE

ARTIGOS CIENTÍFICOS

1. edição

Mogi das Cruzes, SP

Abril 2016
Elaboração
Prof. André Luiz Osvaldo Herzer

Revisão
___________________
___________________
___________________

Coordenação
Profa. Cristiane Cícera Dantas de Oliveira
Sumário

Prefácio ................................................................................................................................................... 3
1 Introdução ..................................................................................................................................... 4
2 Escolha do tema ............................................................................................................................ 6
3 Definindo o título do trabalho ....................................................................................................... 6
4 Iniciando o trabalho ...................................................................................................................... 7
5 Espacejamento geral do texto ....................................................................................................... 8
6 Indicativo das seções e tamanho das fontes .................................................................................. 8
7 Paginação ...................................................................................................................................... 9
8 Uso de siglas ................................................................................................................................. 9
9 Inclusão de itens ao texto .............................................................................................................. 9
10.1 Ilustrações – figuras, gráficos, quadros ........................................................................................... 9
10.2 Tabelas .......................................................................................................................................... 11
10 Sistema de chamada .................................................................................................................... 12
10.1 Regras gerais ............................................................................................................................... 12
11 Citações ....................................................................................................................................... 14
12 Notas de rodapé........................................................................................................................... 18
12.1 Notas de referência ..................................................................................................................... 18
12.2 Notas explicativas ....................................................................................................................... 21
13 Referências.................................................................................................................................. 22
14 Estrutura do artigo....................................................................................................................... 23
Referências ............................................................................................................................................ 29
15 Modelo de artigo ......................................................................................................................... 30
ETAPAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ARTIGO ................................................................. 30
3

Prefácio

Prezado Aluno,

Parabéns pelo seu empenho durante o curso, estando então capacitado, a partir deste
momento, a iniciar mais uma etapa importantíssima para concretizar a sua formação, com a
elaboração de seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), em formato de artigo científico.
Este manual irá fornecer diversos dados necessários para que a elaboração de seu
material, com atendimento pleno das normas ABNT e das orientações da Universidade Braz
Cubas.
Além dessas orientações presentes na primeira parte do manual, poderá ainda
consultar um modelo ao final, que apresenta todas as regras existentes na primeira parte,
porém, dispostas já na formatação que devem figurar em seu material.
Paralelamente, poderá solicitar apoio ao coordenador de seu curso, para
esclarecimento de dúvidas e auxílio no desenvolvimento do tema e dos aspectos que serão
abordados, por intermédio da Plataforma EaD UBC.
Dedique-se ao trabalho final, pois, esse conhecimento a ser adquirido durante a
pesquisa, em conjunto com os ensinamentos obtidos durante o curso, contribuirão
extremamente para a sua formação, tornando-o um profissional mais preparado para o
mercado.
Portanto, leia atentamente esse manual, que servirá como referência do início ao fim
de seu trabalho para o atingimento de seu objetivo.
Boa sorte e muito empenho!

Coordenação Geral dos Cursos de


Pós-Graduação da Universidade Braz Cubas
4

1 Introdução

Nesta introdução é imprescindível que sejam dados os conceitos sobre os formatos


usuais de trabalhos acadêmicos existentes, para maior compreensão do aluno, conforme
descrito a seguir.
Trabalho de Conclusão de Curso (TCC):Material apresentado ao final do curso,
que demonstra resultado de estudo, sobre determinado assunto escolhido pelo aluno e,
eventualmente sugerido por orientador, que deve ainda possuir, em seu conteúdo, relação com
o curso em andamento. O TCC deve ser desenvolvido com o devido acompanhamento de um
orientador (professor).
Monografia: Trabalho desenvolvido em curso de pós-graduação latu
sensu/especialização, requerido para obtenção de aprovação final no curso, sempre sob a
supervisão de orientador (professor), que deve, obrigatoriamente, enfocar assuntos relativos
ao curso.
Dissertação: Trabalho desenvolvido para obtenção de título de mestre, sempre
supervisionado por um orientador, que possua título de doutor. Apresenta estudo científico
retrospectivo, único e delimitado, com a inclusão de literatura já existente sobre o tema
abordado.
Tese: Este trabalho é utilizado para a obtenção do título de doutor e também
apresenta a necessidade de ser supervisionado por um orientador, que possua o título de
doutor, necessita ainda apresentar as demais características da dissertação, entretanto, deve
abordar estudo inédito, propondo uma inovação.
O trabalho acadêmico escolhido para a conclusão de seu curso é em formato de
artigo científico, que se se constitui por “um texto escrito para ser publicado num periódico
especializado e tem o objetivo de comunicar os dados de uma pesquisa, seja ela experimental,
quase experimental ou documental”, conforme Azevedo (2001, p. 82 apud Gonçalves, 2004,
p. 19). Desta forma, podemos entender que o TCC, em formato de artigo científico, pode ser
qualificado como uma monografia, entretanto, sempre ressaltando que se trata de um material
elaborado no formato de artigo.
Existem três tipos distintos de artigos, de acordo com a Associação Brasileira de
Normas Técnicas (ABNT) (NBR6022, 2003, p.2), conforme descrito abaixo:
5

Artigo científico:Parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e


discute ideias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento.

Artigo de revisão:Parte de uma publicação que resume, analisa e discute


informações já publicadas.

Artigo original:Parte de uma publicação que apresenta temas ou abordagens


originais, inéditas.

Ainda de acordo com os esclarecimentos da NBR6022 (2003), o artigo de revisão


apresenta um aprofundamento das ideias já existentes e publicadas por outros autores,
debatidas e confrontadas pelo autor do novo artigo. Já o artigo original, como sua própria
designação deixa explícito, apresenta novas ideias, como experiências de pesquisas, estudos
de caso, caracterizando, basicamente, o ineditismo.
A diferença do conteúdo apresentado por cada tipo de artigo é bastante sutil em
alguns casos, entretanto, após certa reflexão, se torna bastante claro para o autor, que detém o
conhecimento de sua linha de pesquisa, qual o tipo de artigo que melhor representa seu
material.
É imprescindível que o autor do artigo desenvolva todo o artigo com uma linha de
raciocínio clara e essa fique explícita pela boa escrita, dedicando especial atenção à redação
do texto. Em virtude de o artigo se tratar de um material sintetizado, o texto deve acompanhar
essa característica, apresentando parágrafos não muito longos, cujo conteúdo demonstre
clareza e objetividade, utilizando sempre o tempo verbal adequado, lembrando que a pesquisa
em questão foi realizada, portanto, não se deve descrever as ações como se as mesmas ainda
não tivessem sido concretizadas.
Deve-se eliminar a redundância de textos, quando ocorre a apresentação, por diversas
vezes, da mesma informação, como modo de ressaltar determinadas afirmações e, por
consequência, alongar desnecessariamente o texto. O mais importante é que seja avaliado o
sequencia das ideias apresentadas, desenvolvimento do texto e a correlação entre os
parágrafos, para que o material apresente nexo entre todas as partes que o compõe. O artigo a
ser apresentado para a conclusão do curso na Pós-Graduação deve conter entre 15 e 30 folhas,
portanto, se torna imperiosa a necessidade de que o texto seja desenvolvido de forma
coerente, para eliminar o risco de que o texto se alongue demasiadamente sem apresentar uma
6

devida conclusão. Basicamente, devemos ter em mente que o material deve ter introdução,
desenvolvimento e conclusão claramente estabelecidos, com suas respectivas seções.

2 Escolha do tema

Inicialmente é recomendado que o aluno, para qualquer trabalho acadêmico, defina o


tema que pretende abordar em seu material. A definição desse tema é passo importante,
levando-se em conta que o tema deve, obviamente, estar relacionado com ao menos uma das
disciplinas de seu curso, em virtude de que o desenvolvimento desses trabalhos é requerido
não só para o processo de avaliação do conhecimento adquirido, como também para que o
aluno aprofunde seus conhecimentos e desenvolva o gosto pela pesquisa científica, ação que
está diretamente relacionada com o aperfeiçoamento constante do profissional em sua área de
atuação.
É igualmente importante que o aluno avalie os temas que mais lhe agradam, haja
vista que seria extremamente prazeroso desenvolver um texto sobre assuntos de interesse,
porém, deve ainda refletir sobre outros possíveis temas, que eventualmente ainda não domine
e, portanto, necessitariam de maior pesquisa, aprofundamento e compreensão, eliminando
possíveis deficiências de conhecimento.
O mercado de trabalho é muito dinâmico e o profissional deve possuir informações
diversas, tornando-se multifacetado em sua atuação, sendo os cursos de pós-graduação uma
excelente oportunidade de potencializarmos nossas competências, razão pela qual a definição
do tema representa uma ocasião conveniente para exploração e maximização das disciplinas.
Tenha ainda em mente que, um trabalho bem elaborado, poderá resultar na futura publicação
do material em periódicos especializados ou vir a compor, como capítulo, livros sobre a área
pesquisada.

3 Definindo o título do trabalho

Após a definição do tema sobre o qual o trabalho versará, a próxima etapa é definir o
título do trabalho, etapa também importante, pois, o título apresenta, quando bem elaborado,
7

exatamente qual o foco da pesquisa efetuada sobre o tema abordado, despertando o interesse
dos leitores que tenham curiosidade sobre o assunto.

4 Iniciando o trabalho

Ultrapassadas as etapas anteriores, alguns aspectos devem ser observados antes de


iniciar a escrita, conforme abaixo:

I. Utilize o papel formato padrão A4, medidas 21x29,7 centímetros;


II. Defina as margens, devendo utilizarpara as margens superior e esquerda 3,0 cm. enas
margens inferior e direita, 2,0 cm;
III. Apenas duas fontes são aceitas para a escrita científica, sendo elas “Arial” e “Times
New Roman”. Após a escolha por uma dessas fontes, utilize apenas a escolhida, do
começo ao fim do trabalho;
IV. A cor utilizada para o texto deve sempre ser preta, não sendo aceita a utilização de
outras cores no trabalho, com exceção das aplicadas em figuras, gráficos e similares;
V. Basicamente, todo o texto geral do trabalho deve ser formatado com tamanho 12,
entretanto, o tamanho da fonte para outros itens do material é específico,
necessitando de maior detalhamento, que ocorrerá mais adiante neste manual;
VI. A formatação “itálica” somente deve ser aplicada em palavras estrangeiras, portanto,
caso queira dar destaque em algum trecho do texto, utilize negrito e, ainda assim,
deve ser evitado ao máximo;
VII. Grifos no texto também não devem ser aplicados, a não ser que o texto exija o seu
uso, em casos de transcrição de texto original (citações).

Inicie sempre o trabalho com essas definições já aplicadas, pois, evitará que sejam
necessários diversos ajustes na formatação ao final do trabalho ou em seu estágio avançado, o
que poderá causar diversas complicações e tomará tempo elevado para a correção.
8

5 Espacejamento geral do texto

Todo o texto deverá ser elaborado com espaço de 1,5, com exceção de citações com
mais de três linhas, legendas em geral, natureza do trabalho, notas e referências, cujo
espacejamento deverá ser o simples.
Títulos de seções e demais subseções deverão ser separadas do texto, tanto antes
quanto depois, por um espaço padrão de 1,5.
Na seção referências, as fontes presentes devem ser separadas entre si por um espaço
simples.

6 Indicativo das seções e tamanho das fontes

Para possibilitar maior entendimento e proporcionar maior clareza na apresentação


do desenvolvimento do texto, se recomenda a utilização de numeração nas seções e subseções
do trabalho. Para tanto, se deve adotar o formato a seguir:

1. Seção Primária – título fonte 14


1.1 Seção Secundária – subtítulo fonte 12
1.1.1 Seção Terciária – subtítulo fonte 12
1.1.1.1 Seção Quaternária – subtítulo fonte 12
1.1.1.1.1 Seção Quinária– subtítulo fonte 12

Preferencialmente, os títulos de seções primárias devem iniciar em nova folha,


entretanto, em virtude do formato utilizado para o TCC (artigo), que apresenta formato
sintético, as seções devem ser inseridas em sequencia, respeitando o espaço entre as seções.
Os títulos e subtítulos devem sempre ser destacados do restante do texto, por intermédio de
grifos, itálico ou negrito. Caso o título ou subtítulo seja muito extenso, tomando mais de uma
linha, a primeira letra da segunda linha deve estar alinhada com a primeira palavra do título
ou subtítulo.
Os títulos e subtítulos que possuam numeração sequencial devem sempre ser
alinhados à esquerda, porém, os indicativos de seção que não possuam numeração devem
estar centralizados. Esta última orientação se aplica ao resumo, abstract, referências,
9

apêndices, anexos e agradecimentos, entretanto, se deve manter o destaque dado para


indicativos de seção (grifo, itálico ou negrito), da mesma forma que aplicado aos demais. O
indicativo numérico sequencial deve estar separado do título ou subtítulo apenas por um
espaço em branco, sem uso de pontos, hífen ou outras pontuações.
Conforme já definido, basicamente o texto do material utilizará a fonte tamanho 12,
entretanto, citações diretas com mais de três linhas, legendas, notas de rodapé e fontes de
ilustrações devem utilizar fonte tamanho 10.

7 Paginação

As folhas do trabalho devem ser contadas sequencialmente, a partir da folha de rosto,


entretanto, a impressão dos números deve ocorrer apenas a partir da primeira folha da parte
textual do artigo, portanto, não deve ser contada a capa, sendo o início da contagem iniciado
na folha de rosto e a impressão dos números a partir da folha seguinte.
Toda a numeração deve ser efetuada sequencialmente por algarismos arábicos e
posicionada na parte superior da folha, do lado direito, ficando o último algarismo a dois
centímetros das bordas superior e lateral. Para trabalhos que possuam anexos e/ou apêndices,
assim como outros itens extras, a numeração deve ser aplicadas aos mesmos, continuamente.

8 Uso de siglas

Toda sigla, quando citada pela primeira vez no texto, deve ser precedida de seu nome
completo, seguido da própria sigla, entre parênteses. Após essa primeira citação, o autor
poderá utilizar apenas a sigla no desenvolvimento do texto.

9 Inclusão de itens ao texto

10.1 Ilustrações – figuras, gráficos, quadros


10

Todo item incorporado ao texto do trabalho acadêmico tem o propósito de resumir


diversos dados fundamentados na parte escrita, porém, deve atender alguns requisitos
padronizados, visando melhor entendimento do conceito apresentado e organização do
material. Basicamente, todos os itens devem obedecer aos seguintes critérios:

Na parte superior, deve conter sua designação, como gráfico, figura, quadro, etc.,
numerado sequencialmente com algarismos arábicos na ordem em que aparece no texto,
seguido por travessão e finalmente seu título;
Na parte inferior, deve constar a fonte, legenda, notas e quaisquer outras informações
adicionais que porventura sejam necessárias para compreensão e complemento dos dados
apresentados;
No caso de gráficos, os mesmos não devem conter bordas visíveis, devendo estar
formatas no estilo “sem linha”;
Caso o artigo não possa utilizar cores em seu gráfico, por solicitação do periódico
que o irá publicar, o autor poderá fazer uso de textura ou hachuras para diferenciação;
Tais itens devem ser centralizados em relação às margens do material;
Sua inserção deve sempre ser efetuada próximo ao texto onde está citado.

Exemplos:

Figura 1 – Imunoflourescência indireta.

Fonte: LAURINO et al. (2009)


Padrão nuclear pontilhado fino, com placa metafásica negativa – seta
11

Gráfico 1 – Distribuição de alunos nas áreas de Biológicas, Humanas e Exatas,


matriculados nos cursos de extensão em 2015

33,33%
44,44%

22,22%

Biológicas Humanas Exatas

Fonte: Catálogo semestral de cursos de extensão (2015)

Quadro 1 – Índice glicêmico dos carboidratos


Carboidrato IG(*) Classificação
Glicose 100 Alto IG
Maltose 105 Alto IG
Maltodextrina 100 Alto IG
Dextrose 96 Alto IG
Sacarose 60 Médio IG
Frutose 23 Baixo IG
Isomaltose 32 Baixo IG
Lactose 46 Baixo IG
Fonte: FONTAN et al. (2015)
*
O IG dos alimentos pode ser classificado como baixo quando apresenta taxas < 55; médio entre 56-69 e alto
quando >70

10.2 Tabelas

A inserção de tabelas no texto obedece basicamente os mesmos princípios do item


anterior, entretanto, em virtude de sua maior complexidade e volume de dados, necessita
maior cuidado na identificação dos dados.
Desta forma, para a devida clareza, a tabela deve conter obrigatoriamente os campos
de cabeçalho ao topo da coluna, especificando o conteúdo dessas colunas, além da coluna
indicadora (linhas), onde estarão informados os conteúdos das linhas. Nos demais aspectos,
12

conforme já informado, a inserção desse item obedece aos mesmos critérios estabelecidos
para as ilustrações.

Exemplo:

Tabela 1 – Distribuição de alunos nas áreas de Biológicas, Humanas e Exatas,


matriculados nos cursos de extensão em 2015
Área Quantidade de alunos Percentual
Biológicas (a) 1.000 22,22%
Humanas 2.000 44,44%
Exatas 1.500 33,33%
Totais 4.500 100,00%
Fonte: Catálogo semestral de cursos de extensão (2015)
(a)
O dado totaliza todos os cursos da área, incluindo medicina e odontologia

10 Sistema de chamada

10.1Regras gerais

As citações devem ser indicadas no texto também dentro de critérios claramente


estabelecidos, cujo padrão deve ser aplicado nas notas descritas mais adiante e ainda na lista
de referências. Abaixo seguem as orientações para a devida aplicação:

Quando o sobrenome, prenome e/ou iniciais dos autores coincidem:

(CUNHA, J., 2007) (TEIXEIRA, Aloísio, 1998)


(CUNHA, W., 2009) (TEIXEIRA, Flaviano, 2001)

Figurando diversas citações indiretas de um mesmo autor, cujas datas das obras
sejam diferentes e tenham sido mencionadas simultaneamente no texto, estas poderão ser
inseridas em conjunto, separadas por vírgulas:

(MENDONÇA, 1999, 2007, 2013)


13

Em casos similares ao acima descrito, entretanto, de diferentes autores, também é


possível adotar o mesmo formato, entretanto, devem ser separados por ponto e vírgula:

(TEIXEIRA, 1993; MENDONÇA, 1999; CUNHA, 2009)

Havendo diversos documentos do mesmo autor, provenientes da mesma época,


devemos acrescentar letras minúsculas, em ordem alfabética, ao ano da publicação, sem
espaço entre os mesmos.

(CHIAVENATO, 2007a) De acordo com Chiavenato (2007a)...

10.2Sistema autor-data

A ordenação do sistema autor-data, que deve ser aplicada na lista de referências, se


baseia no sobrenome do autor ou nome da entidade até a primeira pontuação e,
posteriormente, a data da publicação. Abaixo, seguem algumas exemplificações com uma
lista de referências, para maior clareza:

AQUINO, Ítalo de Souza. Como escrever artigos científicos: sem “arrodeio” e sem medo da
ABNT. 7. ed.São Paulo: Saraiva, 2010.cap. 6.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão


abrangente da moderna administração das organizações. 7. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2003.p. 40-68.

_____. Administração nos novos tempos. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. p. 122-125.

GONÇALVES, Hortência de Abreu. Manual de artigos científicos. 1. ed. São Paulo: Editora
Avercamp, 2004. p. 20-29

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa industrial


mensal produção física: Brasil. Disponível em:
<http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/industria/pimpf/br/default.shtm>.
Acesso em: 12 mai. 2016.

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22. ed. rev. e ampl. São
Paulo: Cortez, 2002.cap. 6.
14

Os exemplos acima são aplicáveis aos materiais consultados comumente em


pesquisas, porém, existem algumas peculiaridades para outros tipos de materiais, que formam
uma grande de lista, como os periódicos, artigos, eventos, documentos jurídicos em geral e
outros. Além disso, outro fator que interfere na forma da descrição é o meio utilizado para a
consulta, aumentando significativamente as formas de elaboração da lista. Em casos diversos
que não estejam contemplados nos exemplos acima, consulte seu coordenador ou a norma
ABNT correspondente.

11 Citações

A elaboração correta de um estudo envolve a consulta de diversas outras literaturas


existentes sobre o tema, desenvolvidos por outros autores. Os dados obtidos em materiais de
outrem, que venha a ser integrados ao novo trabalho devem sempre ser identificados, ainda
que não sejam integralmente transcritos, pois, em caso da inexistência dessa informação, se
constitui plágio.
Existem três tipos de citação, sendo:

Citação direta, formal ou transcrição: Qualificada quando ocorre a exata


transcrição do conteúdo original para o novo trabalho, incluindo pontuações, idiomas e
demais características apostas no texto pelo autor original.

Citação indireta ou paráfrase: Ocorre quando, baseado em um texto de outra


autoria, mas, com as próprias palavras, o autor apresenta a informação obtida nessa consulta.

Citação de citação: Caracteriza-se quando uma informação inserida no texto foi


obtida em consulta a outra obra, cujo seu autor transcreveu informação de um terceiro. Nesse
caso, a citação pode ainda ser direta ou indireta. Mais adiante serão dados detalhamentos
sobre esse tipo de citação.

Nas citações, as chamadas pelo sobrenome do autor devem seguir padronização


estabelecida, quando incluídas entre parênteses ou não, conforme abaixo:
15

Exemplo 1 – sobrenome do autor figurando diretamente no texto:

Segundo Chiavenato (2003) “a teoria das Relações Humanas mostra o esmagamento


do homem pelo impetuoso desenvolvimento da civilização industrializada”. – citação direta
com até três linhas.

De acordo com Gonçalves (2004, p. 74), as revistas possuem indivíduos que ficam
responsáveis por efetuar a verificação do texto, porém, não é incomum que essa tarefa seja
solicitada ao autor do material. – citação indireta.

Exemplo 2 – sobrenome do autor figurando entre parênteses:

“A teoria das Relações Humanas mostra o esmagamento do homem pelo impetuoso


desenvolvimento da civilização industrializada” (CHIAVENATO, 2003). – citação direta com
até três linhas.

As revistas possuem revisores que ficam responsáveis por efetuar a verificação do


texto, porém, não é incomum que essa tarefa seja solicitada ao autor do material
(GONÇALVES, 2004, p.74). – citação indireta

Conforme se pode constatar, a diferenciação ocorre apenas pela questão de o


sobrenome do autor constar dentro de parênteses com os demais dados, quando é obrigatória a
utilização de todas as letras maiúsculas ou, fora deles, com apenas a primeira letra nessa
condição. Outro fator igualmente importante que deve ser ressaltado é que a citação direta
com até três linhas deve ser inserida no parágrafo normal do texto geral e contida entre aspas
duplas, entretanto, caso a citação direta possua mais de três linhas, deverá apresentar recuo de
quatro centímetros da margem esquerda, estar digitada com fonte em menor tamanho que o
texto principal e não deverá estar contida entre aspas.

Exemplo:

São as decisões julgamentais, novas e não-repetitivas tomadas para


solucionar problemas não-rotineiros ou excepcionais. Certas situações de
crise ou de emergência também requerem decisões não-programadas. São
16

decisões mais complexas e necessárias quando as respostas padronizadas não


funcionam, e requerem soluções criativas e inovadoras de problemas. São
decisões especificamente definidas para cada situação. As decisões não-
rotineiras envolvem circunstâncias de risco e de incerteza. Podem ser
tomadas através de técnicas tradicionais ou de técnicas modernas.
(CHIAVENATO, 2004, p. 263)

Caso o autor pretenda incluir dados de citações obtidas verbalmente ou obtidas em


trabalhos que se encontrem em fase de elaboração, as informações devem constar no
parágrafo onde se encontra a citação, com o fato mencionado entre parênteses, além de inserir
nota de rodapé com o complemento da informação.

Exemplo 1 – informação obtida verbalmente:

No texto:
As pessoas presentes que se propuseram a responder o questionário da pesquisa
compareceram integralmente na data estabelecida pelo pesquisador (informação verbal)1

No rodapé:

1
Informação fornecida pelo Sr. Walter Araújo Silva Mello, durante entrevista, em junho 2011.

Exemplo 2 – informação obtida em trabalho em fase de elaboração:

No texto:
A região nordeste, em suas cidades interioranas, possui índice populacional menos
elevado, se comparadas com as cidades mais desenvolvidas, o que em parte se deve pela falta
de infraestrutura e aridez da região (em fase de elaboração)1
17

No rodapé:

1
Estudo da distribuição populacional brasileira, dissertação de mestrado de Walter Araújo Silva Mello, a ser
defendido no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Fortaleza, em junho
2011.

Destaques nas citações devem ser evitados, entretanto, caso sejam necessários, o
autor do material deverá informar com a expressão “grifo nosso”. Caso o trecho esteja sendo
transcrito integralmente e no texto original já exista o destaque, deve ser utilizada a expressão
“grifo do autor”, conforme modelos abaixo:

Exemplos:

“O código de ética é uma declaração formal que atua como um guia para tomar
decisões e agir dentro de uma organização.” (CHIAVENATO, 2004, p. 182, grifo do autor).

“O trabalho científico implica ainda outros processos lógicos para a realização de


suas várias etapas.” (SEVERINO, 2002, p. 192, grifo nosso).

Igualmente, quando a citação for composta por texto traduzido pelo autor do material
em elaboração, deve conter a informação, conforme abaixo:

Exemplo:

“A heterogênea distribuição de renda nos países em desenvolvimento se deve, entre


outros fatores, pela falta de capacitação de sua população, no que poderia interferir o governo,
de forma mais ativa e efetiva.” (JOHNSON, 2014, p. 21, tradução nossa).

Finalizando as orientações sobre citações, a citação de citação, já comentada


anteriormente, também obedece a critérios específicos, entretanto, se torna importante citar
que seu uso deve ser evitado ao máximo pelo autor. O ideal é que a obra original seja
consultada diretamente pelo mesmo, fazendo o seu uso apenas nos casos em que essa ação
não seja possível. Havendo sua aplicação, os dados deverão ser dispostos da maneira que é
demonstrada a seguir:
18

Exemplos:

No texto:
Segundo Littell (1984, p. 91 apud AQUINO, 2010, p. 20) “quando você lê um livro,
provavelmente não pensa na maneira como está escrito."
Nas referências:
AQUINO, Ítalo de Souza. Como escrever artigos científicos: sem “arrodeio” e sem medo da
ABNT. 7. ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

12 Notas de rodapé

É permitida a utilização de notas de rodapé para referência ou explicação sobre


determinados dados. Devem estar alinhadas na segunda linha conforme o alinhamento da
primeira palavra da primeira linha, sem espacejamento entre as notas e com fonte menor que a
do texto geral. Separando-as do texto geral, deverá existir um filete de 5 centímetros, contatos
a partir da margem esquerda, conforme modelo abaixo:

Exemplo:

1
AQUINO, Ítalo de Souza. Como escrever artigos científicos: sem “arrodeio” e sem medo da ABNT. São
Paulo: Saraiva, 2010. p. 35-36
2
GONÇALVES, Hortência de Abreu. Manual de artigos científicos. São Paulo: Editora Avercamp, 2004.p.
14-16
3
SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 2002. p. 12-13

Entretanto, as notas possuem algumas peculiaridades que as diferem, conforme


abaixo:

12.1 Notas de referência

As notas de referência devem ser numeradas sequencialmente, com algarismos


arábicos, com numeração única para cada um dos capítulos ou seções que forem utilizadas.
19

Seguindo o mesmo princípio estabelecido para a primeira vez que uma sigla é citada no texto,
a primeira vez em que uma obra for citada na nota de rodapé, a referência da mesma deve ser
completa.
Deste ponto em diante, para citações subsequentes da mesma obra, o autor pode se
valer do uso das expressões “idem” ou “id.”; “ibidem” ou “ibid”; “opus citatum” ou “op. cit.”,
“passim”; “loco citato” ou “loc. cit.”; “confira, confronte”; “sequentia” ou “et seq.” e “apud”.

Idem ou id. – para o mesmo autor:


Utilizada quando as obras em questão pertencem ao mesmo autor, ainda que a data
da última obra citada seja diferente da imediatamente anterior.

Exemplo:

1
CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna
administração das organizações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. p. 21-22
2
Idem. Administração nos novos tempos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. p. 119-123

Ibidem ou ibid – para a mesma obra:


A citação pertence à mesma obra da citação imediatamente anterior, assim, somente
pode ser utilizada na mesma página ou folha que contém a citação principal.

Exemplo:

1
CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna
administração das organizações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. p.125
2
Ibidem. p.136

Opis citatum ou op. cit. – obra citada:


Utilizada quando a citação pertence a obra já citada, ainda que não imediatamente
anterior. Dessa forma, somente pode ser utilizada na mesma página ou folha que contém a
citação principal.
20

Exemplo:

1
AQUINO, 2010, p. 35
2
GONÇALVES, 2004, p. 27
3
AQUINO, op. cit., p. 43

Passim – diversas passagens:


Aplica-se para designar referências de diversas partes do texto, sem identificação das
páginas.

Exemplo:

1
GONÇALVES, 2004, passim

Loco citato ou loc. cit. – lugar citado:


Utilizada para identificar obra já citada, sem que haja necessidade de ser referência
imediatamente anterior, assim, somente pode ser utilizada na mesma página ou folha que
contém a citação principal.

Exemplo:

1
AQUINO, 2010, p. 35
2
AQUINO, loc. cit.

Confira, confronte (Cf.) – consulta de obra:


Utilizada para recomendar consulta de outra obra ou de alguma nota do texto.

Exemplo:

1
Cf., AQUINO, 2010.

Sequentia ou et seq. – seguinte ou o que se segue:


Deve ser aplicada quando não se pretende citar todas páginas ou folhas que foram
consultadas da obra informada.
21

Exemplo:

1
AQUINO, 2010, p. 23 et seq.

Apud – citado por:


Expressão utilizada quando ocorre a citação de um autor por outro. Importante
salientar que essa expressão pode ser utilizada tanto no próprio corpo do texto, como também
nas notas de rodapé, o que a diferencia das demais, que somente se aplicam às notas de rodapé
e somente podem ser incluídas na mesma página ou folha que a citação principal figura.

Exemplos:

No texto:
Segundo Katz (1955 apud CHIAVENATO, 2003, p. 3) o sucesso do administrador
depende mais do seu desempenho e da maneira como lida com pessoas e situações [...]

No rodapé:

2
KATZ, 1955 apudCHIAVENATO, 2003, p. 3

12.2 Notas explicativas

Esses itens são utilizados para comentários, esclarecimentos e similares adicionais,


que não possam ser incluídos no texto principal, porém, sejam imprescindíveis para o
entendimento pleno.

Exemplos:

No texto:
Conforme Gonçalves (2004), se aprovado, esse documento já pode constar no
Currículo Lattes1, antes mesmo da publicação dos originais.
22

No rodapé:

1
Registro da vida pregressa e atual dos pesquisadores do Brasil, servindo para sua análise e competência. Faz
parte do conjunto de sistemas de informação, base de dados e portais web voltados para a gestão de Ciência e
Tecnologia (C&T), da Plataforma Lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
(CNPq).

13 Referências

A seção “referências” se destina à devida identificação dos materiais consultados e


citados para a elaboração do trabalho, que se apresentem nas mais diversas formas.
Importante salientar que apenas os materiais citados no trabalho devem incorporar essa seção,
excluindo aqueles que eventualmente foram consultados, mas, não houve utilização de seu
conteúdo no novo material desenvolvido.
As referências do material consultado devem apresentar os elementos essenciais para
a correta identificação do material e, eventualmente, elementos complementares, que
fornecerão dados adicionais para a localização exata do mesmo. A ordenação dessa lista deve
seguir padrão específico, com aplicação de negrito sobre o título principal do material.
Na lista de referências, todos os autores do material, sem exceção, deverão figurar,
separados entre si por ponto e vírgula. Eventualmente, poderão ser abreviados os nomes
intermediários desses autores e, caso essa seja a escolha, deverá ser padronizada em toda a
lista. Havendo mais de uma publicação do mesmo autor, seu nome e sobrenome poderão ser
substituídos por travessão.
Deve apresentar os elementos básicos para a devida identificação do material,
conforme modelo abaixo, também já demonstrado na seção 10.2.

AQUINO, Ítalo de Souza. Como escrever artigos científicos: sem “arrodeio” e sem medo da
ABNT. 7. ed. São Paulo: Saraiva, 2010. cap. 6.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão


abrangente da moderna administração das organizações. 7. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2003. p. 40-68.

_____. Administração nos novos tempos. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. p. 122-125.
23

GONÇALVES, Hortência de Abreu. Manual de artigos científicos. 1. ed. São Paulo: Editora
Avercamp, 2004. p. 20-29

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa industrial


mensal produção física: Brasil. Disponível em:
<http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/industria/pimpf/br/default.shtm>.
Acesso em: 12 mai. 2016.

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22. ed. rev. e ampl. São
Paulo: Cortez, 2002. cap. 6.

Para adequar a inserção de documentos ou outros meios consultados para a


elaboração do material que não estejam descritos, consulte o coordenador ou a NBR6023.

14 Estrutura do artigo

Os trabalhos acadêmicos são divididos em três partes básicas, que são: pré-textual,
textual e pós-textual. Nesta seção estamos demonstrando os itens que compõem um artigo
científico, que possui diferenciação em relação aos demais modelos de trabalhos.
Dessa forma, a estrutura do artigo seria conforme demonstrada na figura abaixo:
24

14.1 Capa

Assim como em qualquer trabalho


Universidade Braz Cubas
acadêmico, o artigo, para ser devidamente Curso de Especialização em _____________________

entregue, necessita conter capa, com as devidas


identificações da instituição, curso, título do
trabalho, nome do aluno, cidade e ano.

Título
Subtítulo (caso haja)

Nome do aluno

Mogi das Cruzes, SP


2016

14.2 Folha de aprovação

A folha de aprovação deverá conter, além


FOLHA DE APROVAÇÃO
de sua identificação no topo superior, o nome do
Nome do aluno
aluno, título do trabalho e seu subtítulo, se houver,
Título do trabalho

a natureza do trabalho, nomes do orientador e do Artigo apresentado ao Curso de Especialização em


___________ da Universidade Braz Cubas, como requisito
coordenador do curso, juntamente com a data por parcial à obtenção do título de Especialista em
____________________.

extenso.

_____________________
Nome completo do orientador

_____________________
Nome completo do coordenador

Mogi das Cruzes, ___ de __________ de ____.


25

14.3 Resumo

A seção “Resumo” deve ser digitada em RESUMO

apenas um bloco, ou seja, em parágrafo único, Este artigo apresenta estudo sobre o panorama social existente
no Brasil, impactado pela divisão geoeconômica. A pesquisa
além disso, o texto deve ser elaborado sem recuo objetivou identificar os principais grupos sociais presentes nas
diversas macro regiões, efetuando cruzamento dos dados e
estabelecendo comparativos entre os grupos identificados. A
no início de seu parágrafo e com espacejamento captação de dados foi efetuada por intermédio da aplicação de
questionários, que possibilitou constatar a prevalência de grupos

simples. Esta seção deve, obrigatoriamente, com menor renda em determinadas regiões, onde se percebe a
perpetuação da pobreza em razão da falta de infraestrutura em
geral.
apresentar uma síntese do que o trabalho contém,
Palavras-chave: geoenocômica; pobreza; infraestrutura

como sua nomenclatura já explicita.


Assim, deve conter, além de um pequeno
descritivo sobre o tema, o objetivo, método,
resultado e conclusões e, por essa razão, se
recomenda sua escrita ao final do trabalho.
O texto deve apresentar até 1.350 caracteres, incluindo espaços, além de três a cinco
palavras denominadas “palavras-chave”, separadas entre si por ponto e vírgula.
É importante salientar que o “Resumo” deve apresentar um texto que provoque o
desejo de leitura, assim como as “palavras-chave” devem representar o tema abordado no
material, haja vista que as mesmas são utilizadas nos mecanismos de busca de bancos de
dados onde os materiais serão futuramente armazenados.

14.4 Abstract

A seção “Abstract”apresenta o mesmo ABSTRACT

texto do “Resumo” e ainda as mesmas This article presents study on the existing social landscape in
Brazil, impacted by geoeconomic division. The research aimed
características de formatação de seu texto, to identify the main social groups present in the various macro
regions, making comparing data and establishing comparisons
between the groups identified. The capture of data was made
entretanto, todo seu conteúdo deve ser apresentado through the use of questionnaires, which made it possible to
verify the prevalence of groups with lower income in certain

em língua inglesa. Obedecem a esta regra as regions, where it realizes the perpetuation of poverty due to the
lack of infrastructure in general.

“palavras-chave”, nesta seção, denominadas Keywords: geoeconomic; poverty; infrastructure

“keywords” ou “index terms”.


26

14.5 Introdução

A introdução deve conter os dados essenciais para o bom entendimento do tema


abordado, apresentando-o de forma plena, visando a compreensão integral do assunto
abordado. Para tanto, o autor deve executar consulta aos materiais disponíveis para leitura que
tenham sido elaborados por outros autores, sobre o mesmo assunto ou a ele relacionados.Essa
seção ainda deve conter, detalhadamente, o problema vislumbrado pelo autor do artigo, o
objetivo principal e, eventualmente, os secundários, além da justificativa.
Para atendimento pleno da necessidade exigida nessa seção introdutória, se torna
imperioso que o autor efetue pesquisa da literatura existente, em livros, artigos, periódicos e
outros, para obtenção da maior quantidade possível de dados, que deverão ser avaliados
criteriosamente e, assim, aproveitados no embasamento da pesquisa, caso tenham relevância
diante do tema.
A introdução ainda poderá ser elaborada em texto único ou corrido, entretanto, caso o
autor entenda mais apropriada a sua decomposição em tópicos, para maior clareza, esta forma
também é aceita. Independente da forma que se apresente, é necessário garantir que o texto
possua linha clara de raciocínio e encadeamento entre os parágrafos, visando possibilitar um
entendimento integral do tema.

14.6 Métodos

Devem ser descrita nessa seção a metodologia adotada para o desenvolvimento da


pesquisa, com a informação pormenorizada dos procedimentos aplicados, possibilitando ao
leitor não só o entendimento dos métodos como também a replicação dessas ações em
pesquisas futuras, caso o mesmo tenha interesse.
Caso o autor tenha desenvolvido ou pretenda desenvolver pesquisa com coleta de
dados em determinadas populações, deverá apresentar dados sobre a seleção dos indivíduos e
demais dados de relevância quanto a isso, a(s) data(s) de realização dos procedimentos, quais
instrumentos e técnicas foram utilizados para a coleta dos dados e demais informações
pertinentes. A forma de condensação e análise dos dados também devem ser descritas nessa
seção.
27

14.7 Resultados e discussão

Os resultados obtidos na pesquisa devem ser descritos nessa seção, com as devidas
discussões sobre os mesmos, com base, ainda, nos referenciais teóricos obtidos na pesquisa,
efetuando confrontamento com as teorias existentes sobre o tema. O autor deve se manter
atento nessa seção, para que não apresente comentários próprios ou interpretações sobre os
resultados, em virtude de que os dados expostos somente deverão ser comparados com as
literaturas existentes nessa parte do trabalho.
Dependendo do tipo de pesquisa e os dados obtidos, o autor poderá ainda agregar
quadros, tabelas, gráficos e outros itens que auxiliem a disposição clara dos resultados,
subdividindo totais em grupos ou utilizando outras formas de comparação e demonstração,
facilitando a análise e compreensão, dispondo ainda seus dados obtidos na pesquisa em
comparação com os obtidos na revisão de literatura.

14.8 Conclusões

Nesta seção o autor deverá apresentar os aspectos mais relevantes observados durante
a pesquisa, explicitando sua conclusão diante dos resultados obtidos e comparados, atendendo
assim, plenamente, o objetivo da pesquisa, anteriormente declarado no seu artigo, nas seções
iniciais. Esta é talvez a etapa mais importante do artigo, pois, nela realmente se encontrará a
real contribuição do autor para o tema, em virtude de que até o momento a grande maioria de
informações expostas tem outra autoria e, a partir dessa, constarão as percepções pessoais do
autor do artigo, incrementando o debate e as informações sobre o assunto.
É imprescindível que não sejam incorporadas novas teorias nessa seção, pois, todas as
necessárias devem ter sido expostas nas seções anteriores, assim como igualmente importante
é que o autor se atente a inserir apenas sua conclusão sobre a pesquisa feita, evitando a
inserção de dados de outros autores, concluindo o trabalho com suas considerações apenas e,
eventualmente, sugestões para a possibilidade de continuidade da pesquisa para consequente
aprimoramento futuro.
28

14.9 Referências

A seção “Referências” deve apresentados os dados necessários para identificação dos


materiais consultados e utilizados na elaboração do material. É importante salientar que
apenas a consulta do material, sem que qualquer parte de seu conteúdo seja utilizado no
artigo, não deve assegurar a inserção de seus dados nas referências do trabalho, ou seja,
apenas os autores cujos materiais foram citados direta ou indiretamente no artigo que devem
figurar nas referências.
A lista de referências deve ser padronizada em ordenação alfabética (autor-data) com
base no sobrenome do autor ou nome da entidade,sempre alinhada a esquerda, com
espaçamento simples e separadas uma da outra com um espaço simples. A primeira letra do
título deve ser maiúscula e o título principal deve utilizar negrito, o que não se aplica ao
subtítulo do material.
Todos os autores, sem exceção, devem ser citados nesta lista, devidamente separados
um do outro por ponto e vírgula.

14.10 Apêndices

A seção “Apêndices” deve ser utilizada para a incorporação ao trabalho de


documentos gerados pelo autor. Em virtude de o artigo ser uma publicação sintética, devemos
evitar ao máximo a incorporação de itens ao mesmo, a não ser nos casos em que essa ação
seja imprescindível para a compreensão do trabalho.

14.11 Anexos
Os documentos que necessitem ser incorporados ao material, cuja elaboração não seja
do próprio autor, devem ser incorporados na seção “Anexos”, seguindo os mesmos critérios
estabelecidos para os apêndices.
29

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT Norma brasileira NBR


6024: informação e documentação – artigo em publicação periódica científica impressa -
apresentação. 1. ed. Rio de Janeiro: ABNT, 2003.

_____. ABNT Norma brasileira NBR 14724: informação e documentação – trabalhos


acadêmicos - apresentação. 3. ed. Rio de Janeiro: ABNT, 2011.

ADVFN.PIB Brasil 2015. Disponível em:http://br.advfn.com/indicadores/pib/brasil/2015.


Acesso em: 20 maio 2016.

AQUINO, Ítalo de Souza. Como escrever artigos científicos: sem “arrodeio” e sem medo da
ABNT. 7. ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão


abrangente da moderna administração das organizações. 7. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2003.

_____. Administração nos novos tempos. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

FONTAN, Jeniffer dos Santos; AMADIO, MarselleBevilacqua. O uso do carboidrato antes


da atividade física como recurso ergogênico: revisão sistemática. Revista Brasileira de
Medicina do Esporte.v. 21, n. 2, mar./abr. 2015. Disponível em:
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922015000200153. Acesso
em: 17 maio 2016.

GONÇALVES, Hortência de Abreu. Manual de artigos científicos. 1. ed. São Paulo: Editora
Avercamp, 2004.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa industrial


mensal produção física: Brasil. Disponível em:
<http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/industria/pimpf/br/default.shtm>.
Acesso em: 12 maio 2016.

LAURINO, Cláudia Cilene Fernandes Correia; LORA, Priscila Schmidt; BRENOL, João
Carlos T.; GRUTCKI, Denis Maltz; XAVIER, Ricardo Machado. Experiência da adoção do
I e II consensos brasileiros de fator antinuclear por imunofluorescência indireta em
células HEp-2 em um hospital universitário. Revista Brasileira de Reumatologia, v. 49, n.
2,mar./abr. 2009. Disponível em:
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0482-50042009000200003. Acesso
em: 17 maio 2016.

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22. ed. rev. e ampl. São
Paulo: Cortez, 2002.
30

15 Modelo de artigo

A partir da página seguinte é apresentado um modelo de artigo, que contém


demonstrações de diversos aspectos descritos anteriormente, que precisarão ser utilizados na
elaboração de seu material. Para facilitar a compreensão, essas informações estão sendo
novamente apresentadas, porém, já na formatação adequada para melhor compreensão.
Todos os itens presentes estão inseridos no formato ideal para atendimento das normas
da ABNT e requisitos da Universidade Braz Cubas, bastando, portanto, que o aluno
preenchaos devidos campos com as informações corretas, conforme for elaborando seu artigo.
Boa sorte!

ETAPAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ARTIGO

Etapa 1 - Estabelecer qual será o tema do artigo que, obrigatoriamente, deve ser
relacionado ao curso e suas respectivas disciplinas.
Etapa 2 - Desenvolvimento do artigo. Consulte o manual e siga estritamente as orientações
existentes, para que o artigo atenda plenamente o padrão requerido pela
instituição e as normas da ABNT.
Quando o artigo estiver completo, encaminhe-o ao tutor de seu curso, pela
plataforma. Ele irá avaliar e, no prazo máximo de 20 dias úteis, encaminhar uma
devolutiva, informando as eventuais necessidades de ajuste e/ou correção. O
arquivo deve ser enviado anexado, em formato “doc” (Word).

DICA: Programe o início do seu TCC levando em consideração o prazo de retorno


do tutor.

Etapa 3 - Após a obtenção da aprovação final do artigo, que será concedida pelo tutor, o
arquivo deve ser postado no sistema, como versão definitiva.
31

ATENÇÃO:

Caso o aluno não cumpra o prazo para a entrega do TCC, será necessário solicitar a prorrogação de
prazo na área do aluno, mediante cobrança de taxa.

Exemplo de como localizar sua turma;

Cronograma da disciplina – Turmas 1609


Etapa Descrição PRAZO DE
REALIZAÇÃO DA
ATIVIDADE
ETAPA 1 Apresentação do Até 14 de julho de
Tema 2017
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 01 de setembro
Artigo Científico de 2017
ETAPA 3 Postagem Artigo final Até 28 de setembro
aprovado pelo Tutor de 2017

Cronograma da disciplina – Turmas 1610


Etapa Descrição PRAZO DE
REALIZAÇÃO DA
ATIVIDADE
ETAPA 1 Apresentação do Até 14 de agosto de
Tema 2017
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de outubro de
Artigo Científico 2017
ETAPA 3 Postagem Artigo final Até 30 de outubro de
aprovado pelo Tutor 2017

Cronograma da disciplina – Turmas 1611


Etapa Descrição PRAZO DE
REALIZAÇÃO DA
32

ATIVIDADE
ETAPA 1 Apresentação do Até 14 de setembro
Tema de 2017
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 01 de novembro
Artigo Científico de 2017
ETAPA 3 Postagem Artigo final Até 30 de novembro
aprovado pelo Tutor de 2017

Cronograma da disciplina – Turmas 1612


Etapa Descrição PRAZO DE
REALIZAÇÃO DA
ATIVIDADE
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de outubro de
Tema 2017
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 01 de dezembro
Artigo Científico de 2017
ETAPA 3 Postagem Artigo final Até 31 de dezembro
aprovado pelo Tutor de 2017

Cronograma da disciplina – Turmas 1701


Etapa Descrição PRAZO DE
REALIZAÇÃO DA
ATIVIDADE
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de novembro
Tema de 2017
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de janeiro de
Artigo Científico 2018
ETAPA 3 Postagem Artigo final Até 31 de janeiro de
aprovado pelo Tutor 2018

Cronograma da disciplina – Turmas 1702


Etapa Descrição PRAZO DE
REALIZAÇÃO DA
ATIVIDADE
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de dezembro
Tema de 2017
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 26 de janeiro de
Artigo Científico 2018
ETAPA 3 Postagem Artigo final Até 28 de fevereiro
aprovado pelo Tutor de 2018
33

Cronograma da disciplina – Turmas 1703


Etapa Descrição PRAZO DE
REALIZAÇÃO DA
ATIVIDADE
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de janeiro de
Tema 2018
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de março de
Artigo Científico 2018
ETAPA 3 Postagem Artigo final Até 31 de março de
aprovado pelo Tutor 2018

Cronograma da disciplina – Turmas 1704


Etapa Descrição PRAZO DE
REALIZAÇÃO DA
ATIVIDADE
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de fevereiro
Tema de 2018
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de abril de
Artigo Científico 2018
ETAPA 3 Postagem Artigo final Até 30 de abril de
aprovado pelo Tutor 2018

Cronograma da disciplina – Turmas 1705


Etapa Descrição Prazo de realização
da atividade
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de março de
Tema 2018
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de maio de
Artigo Científico 2018
ETAPA 3 Postagem artigo final Até 30 de maio de
aprovado pelo tutor 2018

Cronograma da disciplina – Turmas 1706


Etapa Descrição Prazo de realização
da atividade
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de abril de
Tema 2018
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de junho de
Artigo Científico 2018
ETAPA 3 Postagem artigo final Até 30 de junho de
aprovado pelo tutor 2018

Cronograma da disciplina – Turmas 1707


Etapa Descrição Prazo de realização
34

da atividade
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de maio de
Tema 2018
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de julho de
Artigo Científico 2018
ETAPA 3 Postagem artigo final Até 30 de julho de
aprovado pelo tutor 2018

Cronograma da disciplina – Turmas 1708


Etapa Descrição Prazo de realização
da atividade
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de junho de
Tema 2018
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de agosto de
Artigo Científico 2018
ETAPA 3 Postagem artigo final Até 30 de agosto de
aprovado pelo tutor 2018

Cronograma da disciplina – Turmas 1709


Etapa Descrição Prazo de realização
da atividade
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de julho de
Tema 2018
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de setembro
Artigo Científico de 2018
ETAPA 3 Postagem artigo final Até 30 de setembro
aprovado pelo tutor de 2018

Cronograma da disciplina – Turmas 1710


Etapa Descrição Prazo de realização
da atividade
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de agosto de
Tema 2018
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de outubro de
Artigo Científico 2018
ETAPA 3 Postagem artigo final Até 30 de outubro de
aprovado pelo tutor 2018

Cronograma da disciplina – Turmas 1711


Etapa Descrição Prazo de realização
da atividade
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de setembro
Tema de 2018
35

ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de novembro


Artigo Científico de 2018
ETAPA 3 Postagem artigo final Até 30 de novembro
aprovado pelo tutor de 2018

Cronograma da disciplina – Turmas 1712


Etapa Descrição Prazo de realização
da atividade
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de outubro de
Tema 2018
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de dezembro
Artigo Científico de 2018
ETAPA 3 Postagem artigo final Até 30 de dezembro
aprovado pelo tutor de 2018

Cronograma da disciplina – Turmas 1801


Etapa Descrição Prazo de realização
da atividade
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de novembro
Tema de 2018
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de janeiro de
Artigo Científico 2019
ETAPA 3 Postagem artigo final Até 30 de janeiro de
aprovado pelo tutor 2019

Cronograma da disciplina – Turmas 1802


Etapa Descrição Prazo de realização
da atividade
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de dezembro
Tema de 2018
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de fevereiro
Artigo Científico de 2019
ETAPA 3 Postagem artigo final Até 28 de fevereiro
aprovado pelo tutor de 2019

Cronograma da disciplina – Turmas 1803


Etapa Descrição Prazo de realização
da atividade
ETAPA 1 Apresentação do Até 10 de janeiro de
Tema 2019
ETAPA 2 Desenvolvimento do Até 02 de março de
Artigo Científico 2019
ETAPA 3 Postagem artigo final Até 30 de março de
aprovado pelo tutor 2019
UNIVERSIDADE BRAZ CUBAS
CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ___________________________

TÍTULO DO TRABALHO
Subtítulo do trabalho (se houver)

Nome do aluno

Mogi das Cruzes, SP


2016
FOLHA DE APROVAÇÃO

Nome do aluno
Título completo do trabalho (incluindo subtítulo)

Artigo apresentado ao Curso de Especialização em _______________________ da


Universidade Braz Cubas, como requisito parcial à obtenção do título de especialista em
_______________________.

__________________________________________

Inserir nome completo do orientador

__________________________________________

Inserir nome completo do coordenador do curso

Mogi das Cruzes, _____ de _____________ de 2016.


2

RESUMO

O resumo é obrigatório e se constitui de texto bastante objetivo, onde devem constar o


objetivo, método, resultados e conclusão da pesquisa. Esta seção deve ser digitada em
apenas um parágrafo, compondo um único bloco, sem recuo inicial de parágrafo. O
texto deve ser elaborado de forma que exponha claramente a pesquisa e, dessa forma,
deixe claro ao leitor qual seu conteúdo, despertando assim seu interesse. Abaixo do
mesmo devem ser inseridas as “palavras-chave”, também denominadas “descritores”,
que representem adequadamente os tópicos abordados pelo trabalho.

Palavras-chave: resumo; objetivo; método; resultados; conclusão

ABSTRACT

Esta é a seção destinada ao texto apresentado no “Resumo”, porém, em língua inglesa.


As “palavras-chave”, nesse caso, keywords, também devem estar em inglês.

Keywords:

1 INTRODUÇÃO

A introdução deve conter os dados essenciais para o bom entendimento do


tema abordado, apresentando-o de forma plena, visando a compreensão integral do
assunto abordado. Para tanto, o autor deve executar consulta aos materiais disponíveis
para leitura que tenham sido elaborados por outros autores, sobre o mesmo assunto ou a
ele relacionados. Essa seção ainda deve conter, detalhadamente, o problema
vislumbrado pelo autor do artigo, o objetivo principal e, eventualmente, os secundários,
além da justificativa.
Para atendimento pleno da necessidade exigida nessa seção introdutória, se
torna imperioso que o autor efetue pesquisa da literatura existente, em livros, artigos,
periódicos e outros, para obtenção da maior quantidade possível de dados, que deverão
3

ser avaliados criteriosamente e, assim, aproveitados no embasamento da pesquisa, caso


tenham relevância diante do tema.
A introdução ainda poderá ser elaborada em texto único ou corrido, entretanto,
caso o autor entenda mais apropriada a sua decomposição em tópicos, para maior
clareza, esta forma também é aceita. Independente da forma que se apresente, é
necessário garantir que o texto possua linha clara de raciocínio e encadeamento entre os
parágrafos, visando possibilitar um entendimento integral do tema.
Abaixo, segue uma citação direta com mais de três linhas, para melhor
visualização do formato que a mesma deve ser apresentada:

São as decisões julgamentais, novas e não-repetitivas tomadas para


solucionar problemas não-rotineiros ou excepcionais. Certas situações
de crise ou de emergência também requerem decisões não-
programadas. São decisões mais complexas e necessárias quando as
respostas padronizadas não funcionam, e requerem soluções criativas
e inovadoras de problemas. São decisões especificamente definidas
para cada situação. As decisões não-rotineiras envolvem
circunstâncias de risco e de incerteza. Podem ser tomadas através de
técnicas tradicionais ou de técnicas modernas. (CHIAVENATO, 2004,
p. 263)

Adicionalmente, segue ao final desta folha também um exemplo da forma de


inserir uma nota de rodapé, seja ela de referência ou explicativa1.

2METODOLOGIA

Devem ser descrita nessa seção a metodologia adotada para o desenvolvimento


da pesquisa, com a informação pormenorizada dos procedimentos aplicados,
possibilitando ao leitor não só o entendimento dos métodos como também a replicação
dessas ações em pesquisas futuras, caso o mesmo tenha interesse.
É recomendável consultar autores renomados sobre os diversos formatos de
pesquisa, incluindo suas citações, para embasamento do procedimento executado.
4

1
Exemplo de nota de rodapé, cujo modelo se aplica para notas de referência ou explicativa.
Caso o autor tenha desenvolvido ou pretenda desenvolver pesquisa com coleta
de dados em determinadas populações, deverá apresentar dados sobre a seleção dos
indivíduos e demais dados de relevância quanto a isso, a(s) data(s) de realização dos
procedimentos, quais instrumentos e técnicas foram utilizados para a coleta dos dados e
demais informações pertinentes. A forma de condensação e análise dos dados também
devem ser descritas nessa seção.É importante ainda frisar que pesquisas que envolvam
empresas ou pessoas, necessitam de autorização por escrito para que os envolvidos
sejam citados no artigo.

3RESULTADOS E DISCUSSÃO

Os resultados obtidos na pesquisa devem ser descritos nessa seção, com as


devidas discussões sobre os mesmos, com base, ainda, nos referenciais teóricos obtidos
na pesquisa, efetuando confrontamento com as teorias existentes sobre o tema. O autor
deve se manter atento nessa seção, para que não apresente comentários próprios ou
interpretações sobre os resultados, em virtude de que os dados expostos somente
deverão ser comparados com as literaturas existentes nessa parte do trabalho.
Dependendo do tipo de pesquisa e dos dados obtidos, o autor poderá ainda
agregar quadros, tabelas, gráficos e outros itens, facilitando a análise e compreensão,
dispondo ainda seus dados da pesquisa em comparação com os obtidos na revisão de
literatura, como no exemplo abaixo:

Gráfico 1 – Variação histórica do PIB brasileiro


5

8,00%

6,00%

4,00%

2,00%

0,00%
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
2015
-2,00%

-4,00%

Fonte: ADVFN (2016)

. Tais itens devem sempre ser citados no texto e sua localização deverá
preferencialmente estar próxima do trecho onde há sua citação. Desta forma, o texto
deve conter algo como “de acordo com os dados demonstrados no gráfico 1, a variação
do PIB...”.

4CONSIDERAÇÕES FINAIS

Nesta seção o autor deverá apresentar os aspectos mais relevantes observados


durante a pesquisa, explicitando sua conclusão diante dos resultados obtidos e
comparados, atendendo assim, plenamente, o objetivo da pesquisa, anteriormente
declarado no seu artigo, nas seções iniciais. Esta é talvez a etapa mais importante do
artigo, pois, nela realmente se encontrará a real contribuição do autor para o tema, em
virtude de que até o momento a grande maioria de informações expostas tem outra
autoria e, a partir dessa, constarão as percepções pessoais do autor do artigo,
incrementando o debate e as informações sobre o assunto.
É imprescindível que não sejam incorporadas novas teorias nessa seção, pois,
todas as necessárias devem ter sido expostas nas seções anteriores, assim como
igualmente importante é que o autor se atente a inserir apenas sua conclusão sobre a
pesquisa feita, evitando a inserção de dados de outros autores, concluindo o trabalho
com suas considerações apenas e, eventualmente, sugestões para a possibilidade de
continuidade da pesquisa para consequente aprimoramento futuro.
6

REFERÊNCIAS

AQUINO, Ítalo de Souza. Como escrever artigos científicos: sem “arrodeio” e sem
medo da ABNT. 7. ed. São Paulo: Saraiva, 2010. cap. 6.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão


abrangente da moderna administração das organizações. 7. ed. rev. e atual. Rio de
Janeiro: Elsevier, 2003. p. 40-68.

_____. Administração nos novos tempos. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. p. 122-
125.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa industrial


mensal produção física: Brasil. Disponível em:
<http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/industria/pimpf/br/default.shtm>.
Acesso em: 12 mai. 2016.

GONÇALVES, Hortência de Abreu. Manual de artigos científicos. 1. ed. São Paulo:


Editora Avercamp, 2004. p. 20-29

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22. ed. rev. e


ampl. São Paulo: Cortez, 2002. cap.3.

Agradecimentos

Esta não é uma seção obrigatória, cabendo ao autor do artigo definir se


pretende incorporar ou não ao trabalho. Prioritariamente, deve ser utilizada para
registrar o agradecimento do aluno aos que eventualmente colaboraram e/ou
incentivaram sua vida acadêmica. Deve seguir o padrão de formatação já existente no
restante do texto.

Sobre o autor

Deverão estar dispostas as informações sobre o autor do artigo (aluno), como a


sua formação, atuação no mercado e e-mail para contato, logo após o título acima
(Sobre o autor), conforme modelo abaixo:
7

João Paulo Xavier Gusmão, graduado em Administração de Empresas, sócio-diretor da


empresa de consultoria Gusmão Consultores Associados1.
E-mail: jpgusmao@provedor.com.br

1
Todos os dados apresentados são fictícios.