You are on page 1of 6

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE

DIREITO DA 29ª VARA CRIMINAL DA COMARCA


DE SÃO PAULO- SP

Processo Nº 1504189-15.2018.8.26.0228

JASON SOARES SOUZA, já


devidamente qualificado nos autos do processo em epigrafe
que lhe move a Justiça Publica, por seu Advogado “in fine”
assinado, vem à ilustre presença de Vossa Excelência, requerer
a concessão de

LIBERDADE PROVISÓRIA SEM FIANÇA ou


REVOGAÇÃO DA PRISÃO,

nos termos do art. 310, parágrafo único, do Código de


Processo Penal c/c art. 5º, inciso LXVI, da Constituição da
República Federativa do Brasil, pelos fatos e fundamentos
que passa a expor:
1
I DOS FATOS:

Preambularmente requer a Vossa


Excelência a juntada de procuração e em respeito ao princípio
da publicidade, que todas as intimações/publicações sejam
feitas na pessoa do Causídico Marcos José Leme inscrito nos
Quadros da Ordem dos Advogados de São Paulo sob o numero
215.865/SP.

O Acusado, segundo o auto de prisão em


flagrante estaria supostamente praticando o crime previsto no
artigo 16, § único, inc. IV da lei nº 10.826/03.

É de bom alvitre ressaltar que o Acusado


não apresentou resistência à prisão.

E desnecessária a manutenção da prisão


preventiva do Indiciado pois conforme demonstra o Indiciado
trabalha na Empresa CONFIANÇA MULTIMARCAS –
ME desde 07 de dezembro de 2018 na função de auxiliar de

2
manutenção conforme se faz prova a juntada de declaração
do Administrador da empresa.

Não há nenhuma norma proibitiva para


a concessão da liberdade provisória pois trata-se de delito
comum podendo ser concedida a liberdade provisória.

Pretende o Acusado através do presente


pedido, a concessão da liberdade provisória como
contracautela à prisão em flagrante, tendo em vista que não
estão presentes os requisitos para a manutenção da prisão
preventiva previstos no art. 312, do Código de Processo Penal.

E mesmo não sendo o momento adequado


para se avaliar o mérito o Indiciado e primário, tem bons
antecedentes, residência fixa.

Não há indícios de propensões que o


Acusado e voltada a práticas delituosas bem como denota

3
personalidade perigosa, podendo ser avaliada com apreço
todas as circunstâncias do artigo 59 do Código Penal.

É que, analisando os documentos que


seguem anexos a esta petição, verifica-se com clareza solar que
o Acusado é pessoa primária de bons antecedentes, tem
residência fixa nesta cidade e Comarca, bem como possui
ocupação licita e familiar, que permitem a conclusão no
sentido de que não há risco para a ordem pública ou
inconveniente para a persecução penal com a soltura dele.

Verifica-se, também, que não há sequer a


menor intenção de o Acusado se furtar à aplicação da lei
penal, até porque possui meios de provar sua inocência,
comprometendo-se a comparecer a todos os atos da instrução
criminal para os quais for previamente intimado.

II – FUNDAMENTOS:

4
Conforme narrado acima, aplicam-se ao
presente caso os ditames do art. 310, parágrafo único, do CPP,
tendo em vista que não estão presentes os requisitos da prisão
preventiva, fazendo jus o Acusado à concessão da liberdade
provisória sem fiança.

Registre-se que “o princípio


constitucional de inocência impede a prisão cautelar quando
não se encontrarem presentes os seus requisitos, fundados em
fatores concretos” (HC 124123 / TO, SEXTA TURMA, STJ).

III – DOS PEDIDOS:

Isso posto, requer a Vossa Excelência,


nos termos do art. 310, parágrafo único, do CPP a concessão
da LIBERDADE PROVISÓRIA/REVOGAÇÃO DA
PRISÃO, depois de ouvido o representante do Ministério

5
Público, mediante termo de comparecimento a todos os atos
do processo para os quais for intimada.

Requer, outrossim, a expedição do


competente alvará de soltura para o cumprimento imediato
pela Autoridade Judiciaria que mantém sua custódia.

Termos em que;
Pede e espera deferimento.

São Paulo, 11 de março de 2019.

MARCOS JOSE LEME


OAB/SP Nº 215.865