You are on page 1of 9

Sociologia das Relações Raciais no Brasil Contemporâneo

Prof. Antonio Sérgio Alfredo Guimarães


1o. semestre de 2015
(versão preliminar)

Bibliografia e Cronograma

Fevereiro:
Dias 23 e 25: Apresentação do curso

Março
Dias 2 e 4 - Aula 1: Conceitos básicos - Raça, sexo, gênero, etnia, classe, nação e
racismo
Leitura obrigatória:
*Guimarães, A. S. A. . Como trabalhar com "raça" em sociologia. Educação e Pesquisa,
São Paulo, v. 29, n. 01, p. 93-108, 2003.
*Kergoat, Danielle. 2010. "Dinâmica e consubstancialidade das relações sociais."
Novos Estudos CEBRAP(86): 93-103

Leitura complementar:
Appiah, Kwame Antony. Na Casa de meu Pai, capítulo 2, Rio, ed. Contraponto, 1997.
Arendt, Hanna.“Pensamento racial antes do racismo”, in Origens do Totalitarismo,
parte II“Imperialismo”, capítulo 2, Cia. das Letras.
Balibar, Etienne. "Isthere a Neo-Racism?", in EtienneBalibarand Immanuel
Wallerstein.Race, NationClass: Ambiguousidentities, London, Verso, 1991.
Banton, Michael. “Race: perspective one”, in Ellis Cashmore, DictionaryofRaceand
EthnicRelations, p. 264-6.
Berghe, Pierre van der. “Race: perspective two” in Ellis Cashmore,
DictionaryofRaceandEthnicRelations, p. 266-8.
Blumer, Herbert and DUSTER, T. “TheoriesofRaceand Social Action”, Sociological
Theories: RaceandColonialism, Paris: UNESCO, 1980.
Crapanzano, Vincent, “Estilos de interpretação e a retórica das categorias sociais”. In:
Yvonne Maggie e Claudia Barcelos Rezende, org. Raça como retórica: a
construçãoda diferença. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.
Elias, Nobert. “Groupcharismaandgroupdisgrace” in Johan Goudsblomand Stephen
Mennell, The Nobert Elias Reader, p. 106, BlackwellPublishers, 1998.
Guimarães, Antonio Sérgio A. Classes, Raças e Democracia, São Paulo, Editora 34,
2000,pp. 48-60.
Guimarães, Antonio Sérgio A. Racismo e Anti-Racismo no Brasil, São Paulo, Editora 34,
1999, pp. 19-36.
Rex, John. “Raça e etnia na teoria sociológica”, Raça e etnia, Lisboa, Editorial Estampa,
1987.
Dias 9 e 11:
Seminário: Conceitos básicos II
*Blumer, Herbert. "Preconceito de raça como sentido de posição de grupo", Plural,
v.20.1, 2013, pp.145-154.
*Guimarães, Antonio Sérgio A. “Sociologia e natureza.”
*Elias, Nobert e Scotson, John. Os Estabelecidos e os Outsiders, Introdução e
Conclusão,ed. Zahar, 2000.

Dias 16 e 18
Aula 2: Racismo científico, embranquecimento e nação mestiça: séculos XIX e XX
Leitura obrigatória:
Lacerda, João Batista de. “Sobre o mestiço no Brasil”, História, Ciências, Saúde –
Manguinhos, no prelo.
*Ventura, Roberto. “Uma nação mestiça” In Estilo Tropical, São Paulo, ed. Cia das
Letras,pp.44-68.
*Querino, M. (1980). "O colonopretocomofator da civilizaçãobrasileira." Afro-Ásia(13):
143-158.

Leitura complementar:
Costa, Sérgio. 2006. “O racismo científico e sua recepção no Brasil” In. Dois Atlânticos,
Ed. UFMG, pp. 187-194.
Cunha, Euclides da. Os Sertões, ed. Cultrix/MEC, 1973.[1902], pp. 69-102
Guimarães, A. S. A. Classes, Raças e Democracia, São Paulo, Editora 34, pp. 125-136.
Monteiro, John M. “As ‘raças’ indígenas no pensamento social brasileiro” in Marcos C.
Maio e Ricardo V. Santos (org.) Raça, Ciência e Sociedade, Rio de Janeiro,
ed.Fiocruz/Centro Cultural Banco do Brasil, 1996.
Munanga, Kabengele. 1999. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional
versus identidade negra, Petrópolis, Vozes.
Ortiz, Renato. “Memória coletiva e sincretismo científico: as teorias raciais do sec.
XIX”,Cultura Brasileira & Identidade Nacional, Ed. Brasiliense, 1985.
Ramos, Jair de S. “Dos males que vêm com o sangue: as representações raciais e a
categoria do imigrante indesejáveis nas concepções sobre imigração da década
de 20”in Marcos C. Maio e Ricardo V. Santos (org.) Raça, Ciência e Sociedade, Rio
deJaneiro, ed. Fiocruz/Centro Cultural Banco do Brasil, 1996.
Rodrigues, Nina. Os Africanos no Brasil, (Introdução e capítulo VIII).
Schwarcz, Lilia. “Nomeando as diferenças: a construção da idéia de raça no Brasil”, in
Glaucia Villas Boas e Marco Antonio Gonçalves (orgs) O Brasil na Virada do
Século,Rio, Relume/Dumará, 1995.
Vianna, Oliveira José de. Raça e Assimilação, capítulo III: “Os tipos antropológicos e os
problemas da bio-sociologia.”, José Olympio Ed., 1959.

Dias 23 e 25
Aula 3: A nação mestiça, a síntese freyriana.
Leitura obrigatória:
*Dantas, Carolina Vianna. “O Brasil café com leite. Debates intelectuais sobre
mestiçageme preconceito de cor na primeira república”, Tempo, Dossiê A nova
“Velha”república. Vol. 13, n° 26, 2009.
*Pallares-Burke, Gilberto Freyre, um vitoriano dos trópicos, Capítulo 4, Ed. UNESP,
2005.
Leitura complementar:
Freyre, Gilberto. “O escravo negro na vida sexual e de família do brasileiro”, Casa
Grande& Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia
patriarcal, Riode Janeiro, Schimidt, 1933.
Ramos, Arthur. “Apêndices” IN Guerra e Relações de Raça, Rio de Janeiro, ed. UNE,
1943.

Abril
Dias 6 e 8
Aula 4: Relações raciais: o surgimento do paradigma
Leitura obrigatória:
*Bilden, Rudingen. 1929. “Brazil, LaboratoryofCivilization”, New York, The Nation.
*Pierson, Donald. Capítulo XII, “Brancos e pretos na Bahia” IN Brancos e Pretos na
Bahia (estudo de contacto racial), São Paulo, Editora Nacional, 1971, pp. 345-
371.
Leitura complementar:
Frazier, “Rejoinder,” American SociologicalReview8(4) (1943), 402-404.
Frazier, E. Franklin. “The Negro Family in Bahia, Brazil,” American SociologicalReview
7(4) (1942), 465-478.
Frazier, Franklin 1942. “Brazilhas no raceproblem”. (1942) In: HELLIWG, David J.
African-American reflectionsonBrazil’s racial paradise. Philadelfia, Temple
University Press, 1992, pp. 121-30.
Frazier, Franklin. 1942. “Some Aspects for RaceRelations in Brazil”, Phylon-Reviewof
RaceandCulture, III, 3.
Herskovits, Melville. 1942.“The Negro in Bahia, Brazil: a problem in method”. American
SociologicalReview, vol. VIII, n. 4, August 1942. pp. 394-402.

Dias 13 e 15
Aula 5: Classes, raças e a especificidade brasileira
Leitura obrigatória:
*Azevedo, Thales de. 1958. “Classes sociais e grupos de prestígio In: Cultura e situação
racial no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, pp. 30-43
*Nogueira, Oracy (1985 [1954]). “Preconceito racial de marca e preconceito racial de
origem: sugestão de um quadro de referência para a interpretação do material
sobrerelações raciais no Brasil”. In: Tanto preto quanto branco: estudos de
relaçõesraciais. São Paulo: T.A. Queiroz.
*Ramos, A. Guerreiro. 1957. "Patologia Social do 'Branco Brasileiro”; "Política de
relaçõesde Raça no Brasil" in Introdução Crítica à Sociologia Brasileira, Rio de
Janeiro, Andes.

Leitura complementar:
Azevedo, Thales de. 1996 [1955]. As elites de cor, um estudo de ascensão social, São
Paulo, Cia. Editora Nacional. Nova edição: Salvador, Edufba, 1996.
Guimarães, Antonio Sérgio A. Racismo e Anti-racismo no Brasil, parte II, Ed. 34, 2005,
pp.75-164.
Harris, Marvin andKotak, Conrad. 1963. “The structuralsignificanceofBrazilian
Categories”, Sociologia, vol. XXV, no. 3, set. 1963, pp. 203-208.
Harris, Marvin. “O padrão brasileiro”, Padrões Raciais nas Américas, Rio de Janeiro,
Civilização, 1967.
Wagley, Charles. « Commentles classes ontremplacélescastesdansleBrésil
septentrional » In Races et Classes dansleBrésil Rural, Paris, UNESCO, 1952.
Wagley, Charles.1968. “The conceptof social race in theAmericas”, In Charles Wagley,
The LatinAmerican tradition; essaysontheunityandthediversityofLatin American
culture. NewYork, Columbia University Press.

Dias 20 e 22
Aula 6: Os negros, o abolicionismo e a Primeira República
Leitura obrigatória:
*Alonso, Angela. “Flores, Votos e Balas: o movimento pela abolição da escravidão no
Brasil.
Bastide, Roger. 1983. "A imprensa negra do Estado de São Paulo", Estudos
Afrobrasileiros,São Paulo, ed. Perspectiva.
* Gomes, Flávio. “No meio das águas turvas (Racismo e cidadania no alvorecer
da República: a Guarda Negra na Corte - 1888-1889)”, Estudos Afro--Asiáticos,
(21):75-96, dezembro de 1991
* Guimarães, Antonio S. A. “A República de 1889: utopia de branco, medo de preto.”,
Contemporânea, v. 2, pp 17-36, 2011.

Leitura complementar:
Barbosa, Márcio (org.) 1998. Frente Negra Brasileira: depoimentos, São Paulo,
Quilombhoje.
Carvalho, José Murilo de. “A política da abolição”, A Construção da Ordem / Teatro
deSombras, Rio de Janeiro, Ed. Civ. Brasileira.
Dias 27 e 29
Aula 7: Preconceito racial e estrutura social
Leitura obrigatória:
*Bastide, Roger. 1955. “Efeito do preconceito de cor”, in Relações Raciais entre
Brancos eNegros em São Paulo, Unesco-Anhembi, pp.159-192.
*Costa Pinto, Luis. 1998 [1953] “Associações de novo tipo”, O Negro no Rio de Janeiro,
Relações de raças numa sociedade em mudança, edição UFRJ, pp. 235-270.
*Fernandes, Florestan. 1955. “A luta contra o preconceito de cor”, in Relações Raciais
entre Brancos e Negros em São Paulo, São Paulo, Unesco-Anhembi, pp. 193-226.

Leitura complementar:
Cardoso, Fernando Henrique & IANNI, Octavio, Cor e Mobilidade Social em
Florianópolis (São Paulo, 1960).
Fernandes, Florestan, A Integração do Negro na Sociedade de Classes, Cia Editora
Nacional, São Paulo, 1965, 1o. volume.
Ianni, Octávio. 1978. “Escravidão e racismo”, In Octávio Ianni, Escravidão e Racismo.
SãoPaulo, Ed. Hucitec.

Maio
Dias 4 e 6
Aula 8: Desigualdades raciais: o paradigma
Leitura obrigatória:
* Hasenbalg, C. “Estrutura de classes, estratificação social e raça”, in Discriminação e
desigualdades raciais no Brasil, cap. III, São Paulo, ed. Humanitas, 2005.

Leitura complementar:
Castro, Nadya e Guimarães, Antonio S.A. 1993."Desigualdades raciais no mercado e
noslocais de trabalho", Estudos Afro-Asiáticos, nº 24, pp. 23-60.
Hasenbalg, C. e Silva, N. V. Relações Raciais no Brasil Contemporâneo, Rio de Janeiro,
Rio Fundo Editora, 1992.
Hasenbalg, Carlos e Silva, Nelson do V. Estrutura Social, Mobilidade e Raça, Rio de
Janeiro, Vértice/IUPERJ, 1988.
Telles, Edward, 2003. Racismo à Brasileira, capítulos 6 e 7, Rio de Janeiro, Ed. Relume-
Dumará.

Dias 11 e 13
Aula 9: Novas interpretações sobre o racismo no Brasil
Leitura obrigatória:
* DaMatta, Roberto. “Digressão: a fábula das três raças, ou o problema do racismo à
brasileira”, Relativizando, uma introdução à antropologia social, Rio de Janeiro,
Rocco, 1990, pp. 58-87.
* Munanga, Kabengele. “As facetas de um racismo silenciado”, Lilia Schwarcz e Renato
Queiroz (eds.) Raça e Diversidade, Edusp, 1996.

Leitura complementar:
Bairros, Luiza. “Orfeu e Poder: uma perspectiva afro-americana sobre a política racial
noBrasil”, Afro-Ásia, n. 17, 1996.
Bourdieu, Pierre; Wacquant, Loïc. Sobre as Artimanhas da Razão Imperialista, Estudos
Afroasiático, v.24 n.1 Rio de Janeiro 2002.
French, John. Passos em falso da razão antiimperialista: Bourdieu, Wacquant, e o Orfeu
e oPoder de Hanchard. Estud. afro-asiát. v.24 n.1 Rio de Janeiro 2002.
Fry, Peter. A Persistência da Raça, capítulos 6 e 7, ed. UFRJ, 2005.
Fry, Peter. “O que a Cinderela Negra tem a dizer sobre a “política racial” no Brasil”,
Revista da USP, n. 28.
Gonzalez, Lélia. “Racismo e sexismo na cultura brasileira”, Ciências Sociais Hoje, no. 2,
ANPOCS, 1983.
Guimarães, A. S. A. . Preconceito de cor e racismo no Brasil. Revista de Antropologia,
SãoPaulo, v. 47, n. 1, p. 9-44, 2004.
Guimarães, A. S. A. Classes, Raças e Democracia, São Paulo, Ed. 34.
Hanchard, Michael. “Cinderela negra?: raça e esfera pública no Brasil”, Estudos Afro-
Asiáticos, n. 30, 1996.

Dias 18 e 20
Aula 10: Estudos sobre o racismo, a discriminação e o preconceito
Leitura obrigatória:
*Guimarães, Antonio S. A. “O recente anti-racismo brasileiro”, Preconceito e
discriminação - queixas de ofensas e tratamento desigual dos negros no Brasil,
Salvador, São Paulo, Editora 34, 2004, 2ª. Edição, pp. 69-88.
*Pager, Devah. Medir a discriminação. Tempo soc., nov. 2006, vol.18, no.2, p.65-88.

Leitura complementar:
Adorno, Sérgio. “Discriminação racial e justiça criminal em São Paulo”, Novos Estudos
Cebrap, n.43, novembro de 1995.
Telles, Edward. 2003. Racismo à brasileira, Uma nova perspectiva sociológica, cap. 3,
Rio de Janeiro, Ed. Relume/Dumará, 2003.

Junho
Dias 1 e 3
Aula 11: O movimento negro no Brasil contemporâneo
Leitura obrigatória:
*Hanchard, Michael. “Movimentos e momentos”, In Orfeu e o poder: o movimento
negrono Rio de Janeiro e São Paulo (1945 - 1988). Rio de Janeiro. EDUERJ, 2001.
*Nascimento, Abdias. O Negro Revoltado, Rio de Janeiro, G.R.D., 1968, pp. 59-108.

Leitura complementar:
Andrews, George. “O protesto político negro em São Paulo – 1888- 1988”, Estudos
Afro-Asiáticos, n. 21, 1991.
Hooker, Juliet. Inclusão indígena e exclusão dos afro-descendentes na América Latina.
Tempo soc., nov. 2006, vol.18, no.2, p.89-111.
Huntley, L. e Guimarães, A.S.A. Tirando a Máscara: ensaios sobre o racismo, Ed. Paz e
Terra, 2000, pp. 203-310.
Nascimento, Abdias. O quilombismo, Brasília, Fundação Cultural Palmares, 2002.
Prandi, Reginaldo. “Raça e voto na eleição presidencial de 1994”, Estudos Afro-
Asiáticos,n. 30, 1996.
Souza, Amaury de. “Raça e política no Brasil urbano”, Revista de Administração de
Empresas, Rio de Janeiro, n. 11, 1971.
Telles, Edward. “Identidade racial, contexto urbano e mobilização política”, Afro-Ásia,
n.17, 1996.
Valente, Ana Lúcia. Política e ralações raciais: os negros e as eleições paulistas de 1982,
Coleção Antropologia, 10, São Paulo, FFLCH/USP.

Dias 8 e 10
Feminismo negro
Gonzalez, Lélia. 1981. “Mulher negra, essa quilombola.” Folha de São Paulo, Folhetim.
Domingo, 22 de novembro de 1981, p. 4.
Gonzalez, Lélia. 2011. Por um feminismo afrolatinoamericano. Cadernos de Formação
do Círculo Palmarino n. 1.
Rios, F. M. and A. Ratts (2014). A perspectiva interseccional de Lelia Gonzalez. prelo.
Livro organizado por Sidney Challoub e Ana Flávia Magalhães.

Dias 15 e 17
Aula 12: O debate em torno da democracia racial
Leitura obrigatória:
*Campos, Maria José. “Cassiano Ricardo e o mito da Democracia racial”, REVISTA USP.
São Paulo, n 68, p. 140-155. Dezembro/fevereiro 2005-2006
*Gomes, Ângela de Castro. História e historiadores, capítulo 5, Rio de Janeiro : Editora
Fundação Getulio Vargas, 1999. pp. 157-206.
*Guimarães, A. S. A. . “Africanismo e democracia racial” in
www.ffch.usp.br/sociologia/asag
*Guimarães, A. S. A. . “Democracia racial” in www.ffch.usp.br/sociologia/asag
*Schwarcz, Lilia. O complexo de Zé Carioca, Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 29,
1995.

Leitura complementar:
Costa, Emília V. .2000. “Racial Democracy” In The Brazilian Empire. Mythsand
Histories. Chapel Hill & London, Universityof North Carolina.
Fuente, Alejandro de la. 2001. “Racial orderor racial democracy?” In A Nation for All.
TheUniversityof North Carolina Press.
Guimarães, A. S. A. . Depois da democracia racial. Tempo Social. Revista de Sociologia
daUSP, v. 18, p. 269-290, 2006.
Hanchard, Michael. 1994. “Chapter III – Racial democracy: hegemony, Brazilianstyle”In
Orpheusand Power. The Movimento Negro of Rio de Janeiro and São Paulo,
Brazil,1945-1988, Princeton, Princeton University Press.
Sales Jr, Ronaldo. Democracia racial: o não-dito racista. Tempo social, nov. 2006,
vol.18,no.2, p.229-258.
Telles, Edward. 2004. “Chapter 2 – Fromwhitesupremacyto racial democracy” In Race
inanotherAmerica : thesignificanceofskin color in Brazil, Princeton, NJ :
PrincetonUniversity Press.

Dias 22 e 24
Aula 13: O debate em torno das ações afirmativas
Leitura obrigatória:
*Schwartzman, Simon. 1999. "Fora de foco: diversidade e identidades étnicas no
Brasil."Novos Estudos CEBRAP 55:83-96.
*Silva, Graziella Moraes Dias da. Ações afirmativas no Brasil e na África do Sul. Tempo
soc., nov. 2006, vol.18, no.2, p.131-165.

Leitura complementar:
Fry, P. H. 1998. “Color andtheRuleof Law in Brazil”. In: Juan E. Mendez; Guilhermo
O'Donnell; Paulo Sérgio Pinheiro. (Org.). The (Un)Ruleof Law andtheUnderprivileged in
LatinAmerica. NotreDame: UniversityofNotreDame Press.
Fry, Peter. 2000. “Politics, nationality, andthemeaningsof ‘race’ in Brazil”, Daedalus,
Spring, pp. 83-118.
Guimarães, A. S. A. . Acesso de negros às universidade públicas. Cadernos de Pesquisa
daFundação Carlos Chagas, São Paulo, n. 118, p. 247-268, 2003.
Guimarães, Antonio Sérgio A. Racismo e Anti-Racismo no Brasil, São Paulo, Editora 34,
1999, pp.
Peria, Michelle. 2004. "Ação Afirmativa: um estudo sobre a reserva de vagas para
negrosnas universidades públicas brasileiras. O caso do Estado do Rio de
Janeiro."Antropologia Social, Museu Nacional/ Universidade Federal do Rio de
Janeiro(UFRJ), Rio de Janeiro.
Telles, Edward andBailey, Stanley. 2002. "Políticas contra o racismo e opinião publica:
comparações entre Brasil e Estados Unidos." Opinião Pública 8:30-39.

Dia 1 de julho

Entrega do Trabalho final


CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE APRENDIZAGEM:
Trabalho final de curso (máximo de 10 páginas) sobre tema a ser sorteado. Resenha
ounotas de leitura de 10 textos obrigatórios, referentes a aulas diferentes (marcados
comasterisco no Programa) [valendo 3 pontos no conjunto]
Pesos: Provas (7), resenhas (3).
RESENHAS OU NOTAS DE LEITURA serão discutidas em sala (2ª. Parte da aula).
Elasdeverão ter no máximo 2 páginas e ser entregues 1 dia antes da aula (às quintas)
por e-mail(asguima@usp.br). As notas de leitura deverão conter: 1. Exposição da
principal linha deargumento do autor; 2. Exposição dos demais argumentos; 3.
Identificar as evidênciasempíricas trazidas pelo autor em sustentação de seus
argumentos; 4. Examinar aconsistência lógica dos argumentos; 5. Identificar as ideias e
outros autores com ou contraos quais o autor resenhado dialoga, se contrapõe ou se
alinha.