You are on page 1of 9

Os Templários e a Geometria Sagrada

1099 - Primeira Cruzada.

1118- É fundada por Hugues de Payen e mais oito cavaleiros,


Ordem monástico-militar, para proteger os peregrinos. Com votos d
castidade, pobreza e obediência ao patriarca de Jerusalém, se
intitularam : Os Pobre Cavaleiros de Cristo.
O Rei Balduíno II cede uma área próximo a mesquita al-Aqsa. Que
tradicionalmente fora erigida no exato local do antigo Templo do
Rei Salomão. Os cavaleiros mudam o nome da ordem para: Os
Pobre Cavaleiros de Cristo e do templo do Rei Salomão. Ou
abreviando os Cavaleiros Templários.
Por nove anos, nada se sabe sobe as atividades da ordem. No
século XX, o Tenente Warren, do Royal Engineers Britanic,
descobriu escavações feita pelos templários sob o Templo. - O
abade Bernard de Clairvaux, sobrinho de André Montbard (um dos
nove cavaleiros originais) dá todo apoio ao reconhecimento a
Ordem dos Templários e redige sua regra.
Bernard começa pregações sobre construir catedrais seguindo
conceitos de matemática que mais se assemelham a cabala e aos
princípios pitagóreos. A chamada Geometria Sagrada.
Uma forte teoria que nas escavações, os Templários poderiam ter
adquirido algum tipo de conhecimento sobre os conceitos da
Geometria Sagrada.
Por toda Europa o estilo de arquitetura inspirados por Bernard de
Clairvaux se expande, e dá-se início ao estilo gótico.
Já em 1134, (16 anos após a fundação da Ordem) St Bernard
contribui a olhos vistos a arquitetura Gótica. Por exemplo, na torre
norte de Chartres os princípios da sacra-geometria foram postas
em prática (Essa torre também é chamada de a Torre dos
Iniciados). Anos antes da construção, Bernard fica amigo do Bispo
de Chartres. Inspirando-o em fórmulas góticas e negociando
diariamente com os construtores.
Bernard estava tão crente de suas idéias ligadas a matemática e a
religião, que quando o indagavam quem é Deus, ele dizia: É o
comprimento, a largura, a altura e a profundidade.
Os próprios Templários, revolucionam o estilo criando igrejas de
planta octogonal, as chamadas "Igrejas Redondas". Muitas delas,
são posicionadas em relação ao zodíaco e aos solstícios.
São Bernardo de Clairvaux e os Templários, dão uma regra de vida
e trabalho a uma corporação de pedreiros livres chamada "os Filhos
de Salomão". Essa corporação de ofício construía catedrais góticas
e se inspiraram no Rei Salomão, o mesmo que construiu o Templo
de Jerusalém, e que os Templários fizeram escavações futuras.
1307 - Queda dos Templários.

A fuga para a Escócia

Os templários fugitivos fugiram para vários lugares na Europa.


Conseguiram apoio em Portugal, onde Don Diniz os renomeiam
Ordem de Cristo e posteriormente seriam os responsáveis pelas
grandes navegações do século XV-XVI
Na Escócia, por sua vez, estava sob intervenção papal, pois havia
sido excomungada. e os templários fugitivos gozaram de plena
liberdade. Uma vez lá, ajudaram Robert the Bruce na famosa
batalha de Bannockburn. libertando a Escócia da Inglaterra.
Com o restabelecimento da Igreja na Escócia, Robert the Bruce
pede aos templários para que caíssem na clandestinidade.
Provas mostram que os templários se manteriam coesos
secretamente na Escócia por quase quatro séculos. Mantendo fortes
laços com as corporações de ofícios de pedreiros. As mesmas que
eles deram as regras. E não esquecendo que os Templários foram
os precursores do estilo gótico.
A tradição da Geometria Sagrada iria se fortalecer ainda mais na
união entre os Templários e Pedreiros-livres.
Uma vez a Escócia católica, as propriedades templárias foram
divididas. Parte iria para os Hospitalários, e outra para os donos
originais.

Os Sinclairs e a Capela Rosslyn

Um dos donos originais, era uma família de muita tradição dentro


da extinta Ordem dos Templários, inclusive com vários de seus
membros iniciados na Ordem. Essa família também eram os grãos-
mestres hereditários das corporações de ofícios de sua região. Eles
eram os St.Clair ou depois Sinclair
1446-1486 - Henry Sinclair temia que os "segredos" caíssem em
mãos erradas ou se perdessem. Temia escrever em um livro, pois
poderia ser queimado ou destruído, e temia a tradição oral, pois
algo poderia ser perder, ou uma geração poderiam não passar
adiante por motivos de morte prematura. Preferiu construir a
capela, que seria um "Livro de Pedra", mas somente conhecendo a
"chave" certa se poderia ler. E se fosse uma igreja, não haveria a
desconfiança da Igreja. A palavra Rosslyn tem origem hebraica que
significa algo como "O lugar onde se oculta o segredo".
A Capela de Rosslyn fica dez quilômetros ao sul de Edimburgo, foi
construída quase 150 anos após a supressão da Ordem dos
Templários. Os próprios domínios de Rosslyn ficava a poucos
quilômetros do antigo quartel-general escocês dos templários.
Por fora, A Capela Rosslyn, é uma rústica catedral, por dentro é
uma sinfonia em pedra esculpida. Estão representadas em suas
paredes, Templários, José de Arimatéia portando o Graal, uma
figuram muito semelhante a do Santo Sudário, uma deus "pagão"
chamado o "Homem Verde". Também há figuras de reis, pontífices,
cavaleiros.... todos sendo seguidos por uma figura parecendo uma
esqueleto, talvez representando a morte. Há também uma coluna
chamada a "Coluna do Aprendiz" muito bem esculpida, que mostra
a "Árvore da Vida" da cabala. Diz a lenda que o mestre construtor
havia sonhado com aquele pilar, mas quando chegou na Igreja, viu
que seu aprendiz de pedreiro havia feito seu trabalho. Com ódio, o
matou com uma martelada na cabeça (muito semelhante a lenda
do mestre Hiram Abiff, mestre construtor do Templo do Rei
Salomão). Possui dois cavaleiros num mesmo cavalo (o selo
templário) a cruz floreada, o véu de Verônica (uma alusão ao Santo
Sudário) e muito mais.
A construção dessa capela, ficou por conta das corporações de
artífices nas quais os St Clairs eram senhores a séculos. Sob a
orientação dos Sinclairs, os membros escolhiam os candidatos
adequados para as guildas e receber suas instruções ligadas
construção e geometria sagrada. Temas como geometria, história,
filosofia, etc.
O Conde Henry tinha nas mãos, pedreiros muito bem treinados e
familiarizados com conhecimentos científicos, filosóficos, esotéricos,
etc. A Capela de Rosslyn, foi um grande marco para as corporações
de ofícios da época.
Essa nova irmandade de pedreiros-livres, criou uma instituição de
caridade para apoiar os membros mais pobres da sociedade, e suas
respectivas guildas também separavam verba para os
desafortunados. Segundo o Príncipe Miguel de Albany, essas foras
as primeiras instituições de caridade estabelecidas na Grã-Bretanha
fora do controle direto ou instigação da Igreja.
Essas corporações de ofícios eram comuns na Europa, reuniam-se
em empreiteiras chamadas guildas. Essas guildas faziam reuniões
em bares. Para se adentrar nessas reuniões fechadas, somente
através de senhas e palavras de passe secretas. Essas guildas eram
muito poderosas, com muita força política. Pois os canteiros de
obras, esquentavam a economia local e seus trabalhos eram bem
vistos pela nobreza e o clero.
Nascia assim, o primeiro modelo de Maçonaria. Pedreiros e não
pedreiros, versados em altos conhecimentos, que se reuniam em
uma confraria e faziam caridade.
Os Stuarts levam o cenceito para a França

1601 - O Rei James VI, da Escócia (e mais tarde, também, James I,


da Inglaterra), foi o único filho de Mary, rainha da Escócia, e o
primeiro rei a reinar sobre a Inglaterra e a Escócia. Foi, ainda, o
primeiro rei nomeadamente maçom segundo o Livro do Ano, de
1995, da Grande Loja de Maçons Antigos, Livres e Aceitos da
Escócia; iniciado em 1601 na Loja de Perth e Scone.
Neste mesmo ano, Os Sinclair se tornam grãos-mestres
hereditários das corporações de ofícios.
Aos 37 anos, dois anos após sua iniciação maçônica, James se
tornou o primeiro rei britânico stuartista, dedicando seu tempo, em
grande parte, à Inglaterra.
Em 1715, os Stuarts foram exilados em Bar-le-Duc, sob a proteção
de Duque de Lairraine. O então o descendente de James I, James
III com a ajuda de Charles Radclyffe (ambos filhos bastardos de
Charles II) participaram da rebelião escocesa daquele ano. Ambos
foram capturados e James executado. Charles conseguiu fugir
graças a ajuda de Conde Lichfield da prisão Newgate encontrando
refugio nos batalhões jacobinos na França. E passou a ser
secretário do pretendente legítimo dos Stuarts, Bonnie Charlie.
Radclyffe, em 1725, funda a primeira loja maçônica no continente e
em menos de um ano, se torna grão-mestre das lojas da França, e
ainda citado como tal uma década depois, em 1736. A
disseminação da maçonaria do século XVIII, se deve a ele.
Mesmo no exílio, a Casa dos Stuarts, não se dava por vencida, e
em 1745, Bonnie Charlie desembarcou na Escócia em uma
tentativa quixotesca de restaurar a dinastia Stuart no trono
Britânco. Radclyffe o seguiu mas foi capturado. Um ano mais tarde
o príncipe Bonnie foi vencido na batalha de Cullodon Moor e poucos
meses depois Radclyffe morreu sob o machado na torre de Londres.

Radclyffe mantinha relacionamento com homens importantes, tanto


na nobreza quanto na Maçonaria. Mas um desses indivíduos iria
revolucionar o conceito de maçonaria da época. Seu nome era
Andrew Michael Ramsay.

O Cavaleiro Ramsay e Rito Escocês Antigo e Aceito


Ramsey foi sagrado cavaleiro na ordem Chevalier de Saint Lazare
(Cavaleiro de São Lázaro). Foi recebido em Oxford, mantinha laços
estreitos de amizades com pensadores como Desaguliers,
Alexander Pope e Isaac Newton, Fez parte da Royal Society e
iniciado maçon em 10 de março de 1730, na Loja Horn, no Palácio
Hard de Westminster. E jurara obediência a causa dos Stuarts de
reaver o trono Inglês.
Paralelamente, no final do século XVIII, quando ocorreu um grande
incêndio em Londres, a cidade ficou parcialmente destruída. Foi aí
que os pedreiros-livres da Europa, fundamentalmente os de
Estrasburgo, acudiram Londres para reconstruí-la.
Com o início da renascença, o estilo gótico foi decaindo e assim as
guildas. Para manter o seu status, foi necessário abrir as suas
portas para pessoas não ligadas a atividade de construir. Esses
não-pedreiros eram aceitos pela guilda. Nascendo assim o termo:
Maçon livre e aceito.
A palavra maçon é de origem inglesa. oriunda de "Stonemasson" -
(pedreiro) - Em francês é "maçon". Em português o certo é
"mação" (sinônimo de pedreiro) Mas já que a maior influência
maçônica que existe nos países de língua portuguesa é da França,
dizemos maçons.
Ainda em Londres, foi nessa época que se construiu a Catedral de
São Paulo e quase toda a cidade. Em 1717, quatro Lojas da cidade
de Londres se juntaram. Eram elas a Goose and Gridiron (O ganso
e a gralha); Crown (Coroa); Apple Tree (Macieira) e Rummer and
Grapes (Taça e uvas) formando a Great Lodge of .London (Grande
Loja de Londres) Isto, no dia 24 de junho, dia de São João.
Nesse período as lojas maçônicas se reuniam em uma cerimônia
chamada "Emulation" originária da cidade de York. Hoje esse rito é
conhecido como Rito de York.
Em 1738, o Cavaleiro Ramsay proferiu um discurso, explicando que
a Maçonaria não era apenas oriunda de corporações de pedreiros. E
sim da época das cruzadas. Não cita os Templários, mas sim os
Cavaleiros de São João.
Esse termo Cavaleiros de São João, muitos entendem como os
Cavaleiros do Hospital de São João. - ou Hospitalários - Mas São
João também é o patrono das antigas corporações de ofícios de
pedreiros livres.
Depois desse discurso, Ramsay introduziu um novo rito.

O Rito Escocês Antigo e Aceito. Com os três graus originais:


Aprendiz, Companheiro e Mestre; acrescentando mais 30 somando
de 33 graus. Em 1736, dezenove anos depois do renascimento ou
da transformação realizada no seio da Grande Loja de Londres, foi
quando os maçons escoceses trataram de construir uma Grande
Loja na Escócia.
Em 30 de novembro daquele ano, reunidos todos os maçons
escoceses em assembléia constituíram , na Capela de Santa Maria
de Edimburgo, tendo-se em conta a renúncia que fazia o chefe da
família Rosilin, William de Saint-Clair, do patronato vinculado à
mesma. Assim aceita esta renuncia, seguidamente foi aclamado por
unanimidade Grão Mestre da nova Grande Loja, e em 24 de junho
de 1837 (dia de São João), esta decidiu que se revisassem e
renovassem os títulos de todas as lojas escocesas.

Rosslyn, os Sinclair e os Templários

O que é o Santo Graal Por que a busca? Sobre a pesquisa A


literatura Medieval O Graal e a Bíblia Teorias sobre o Santo Graal
José de Arimatéia As Cruzadas Os cátaros Os Templários A Capela
de Rosslyn Oak Island Os Monferrato A Lenda do Rei Arthur
-------------- Editorial Cronologia Mapa do Oriente Glossário

A ligação entre os Sinclairs e os Templários já remonta a própria


fundação da ordem. O fundador e primeiro Grão-mestre da Ordem
do Templo, Hugo de Payens, foi casado com Catherine St Clair.
Hugo e Catherine visitaram as terras dos St Clair de Rosslyn e lá
estabeleceram a primeira comendadoria dos Templários na Escócia,
no qual se tornaria o quartel-general naquele país. Além do
casamento entre Hugo e Catherine, muitos outros St Clairs foram
iniciados na Ordem do Templo, assim como grandes doações a
Ordem foram provenientes desta família.

Essa ligação foi tão forte que, depois da queda dos Templários,
muitos cavaleiros conseguiram refúgio seguro na Escócia. Haja
visto que, nessa mesma época, a Escócia fora excomungada.
Muitos templários acabariam ajudando então a Robert the Bruce na
famosa batalha de Bannockburn, no dia 24 de junho de 1314 (dia
de São João). Nessa batalha a forças de Robert romperam os
grilhões com a Inglaterra. Uma sociedade secreta contemporânea
chamada "Scottish Knight Templar" – Cavaleiros Templários da
Escócia – ainda hoje comemora a batalha de Bannockburn na
Capela Rosslyn o dia em que “o véu foi levantado dos Cavaleiros
Templários”. Um dos cavaleiros templários que lutou ao lado de
Robert the Bruce foi Sir. William St Clair, morto em 1330 e
enterrado em Rosslyn. Esta famosa batalha fora recentemente
narrada, de forma romântica, no filme “Coração Valente”, estrelado
por Mel Gibson, onde o mesmo interpreta o papel de William
Wallace, herói local na época que lutava pela independência da
Escócia.

O fato dos Sinclairs tomarem a iniciativa de construírem uma


capela cristã é, no mínimo, curioso. Sabe-se que, na Idade Média,
as atividades dos Sinclairs eram de promover celebrações ditas na
época “pagãs”, assim como proporcionar acampamentos seguros
aos ciganos (o povo cigano é conhecido por cultuarem a Santa Sara
Kali, e a lenda da Virgem Negra e o Santo Graal). Muitas
autoridades acreditavam haver uma “Virgem Negra” na cripta da
Capela de Rosslyn.

São João, Os Sinclair e a Maçonaria:

“Na tradução de escritos de Renè d’Anjou’s sobre cavalaria e


governo, num canto da folha está escrito:

Somando o nome de São João

ao nome de Jesus e Maria é

incomum, mas ele foi venerado

pelos gnósticos e pelos

Templários...

Outro contundente atributo do rodapé é o uso do Agnus Dei, o


cordeiro de Deus... Na Capela Rosslyn, o Selo Templário e o
Cordeiro de Deus também estão esculpidos.”

Andrew Sinclair – The Sword and the Grail (1992)

Curiosamente, São João foi uma constante cultuada por templários,


Sinclairs e Maçonaria. Assim como a sua data, 24 de junho, é data
de grandes acontecimentos:

24 junho 1314 – Batalha de Bannockburn: os Templários ajudam


Robert the Bruce a tornar a Escócia livre da Inglaterra. O Templário
Sir William St Clair faz parte dessa batalha;
24 de junho de 1717 – Fundação da Grand Lodje of London: a data
oficial da fundação da maçonaria moderna e especulativa;
24 de junho de 1837 - maçons escoceses em assembléia: esta
decidiu que se enviassem e renovassem os títulos de todas as lojas
escocesas. E pediram a renúncia que fazia o chefe da família
Rosslyn, William St Clair, ao Grão-Mestrado dos maçons da Escócia.
Assim aceita esta renuncia, seguidamente foi aclamada a Grande
Loja Maçônica.
Mesmo com todo o mistério, a construção dessa capela, ficou por
conta das corporações de artífices nas quais os St Clairs eram
senhores há séculos. Sob orientação dos St Clairs, os membros
escolhiam os candidatos adequados para receber suas instruções
ligadas a construção e “geometria sagrada”. Temas como
geometria, história, filosofia, entre outros. Essa nova irmandade de
pedreiros-livres criou uma instituição de caridade para apoiar os
membros mais pobres da sociedade.

Entretanto, não se pode deixar passar o fato de que os Templários


forma os precursores do estilo gótico. E chegaram a estabelecer
uma regra de vida e trabalho a uma corporação de ofício chamada
“Filhos de Salomão”. Com a queda da Ordem, muitos se refugiam
na Escócia. As corporações de pedreiros-livres da Escócia também
dá acolhimento aos templários.

Nascia, assim, o primeiro modelo de Maçonaria: pedreiros e não


pedreiros, versados em altos conhecimentos, que se reuniam em
uma confraria e faziam caridade.
Rosslyn e o Santo Cálice:

Parece que o cerco sobre o Santo Cálice realmente culmina em


Rosslyn. Como foi visto anteriormente, é natural a especulação
sobre a posse do Santo Graal por parte da Ordem do Templo,
desde as Cruzadas, ou mesmo devido ao estreito relacionamento
da Ordem com os cátaros, no sul da França, onde estes poderiam
ter custodiado o Santo Graal desde os primórdios do desembarque
do genro de Arimatéia naquela região. Na mesma linha de
raciocínio, temos a perseguição aos templários e o refúgio destes
na Escócia, sobre a proteção de Robert the Bruce. Por fim, temos
Rosslyn.

O investigador Trevor Ravenscroft reivindicou em 1962 a


descoberta do paradeiro do Santo Graal em Rosslyn,
contradizendo-se com relação à natureza do Santo Graal.
Ravenscroft apresenta uma confusa teoria, ora alegando o Graal
ser um objeto, ora alegando o Graal ser uma forma de segredo ou
conhecimento, afirmando que o paradeiro do Santo Graal está no
interior da Capela.

Sua pesquisa de mais de vinte anos a procura do Santo Graal


revela que as paredes da Capela de Rosslyn são documentos que
registram segredos ainda ocultos para o público em geral, ao
mesmo tempo em que afirma existir um objeto encravado no Pilar
do Aprendiz. Este objeto fora detectado utilizando detectores de
metais e concluiu-se, nestes procedimentos, que realmente haveria
um objeto na pilastra do tamanho apropriado para um cálice e
exatamente no meio desta. Os responsáveis atuais pela capela
recusam-se a permitir que o pilar seja radiografado.
______________________________________________
"As pessoas podem ser divididas em três grupos: os que fazem as
coisas acontecerem, os que olham as coisas acontecerem e os que
ficam se perguntando o que foi que aconteceu."