Manhã Lilás

Jamile Borges(*) A Faculdade de Educação da UFBA viveu neste dia 13 de setembro um marco para não ser esquecido: o encontro com a senadora do PT de Alagoas, Heloisa Helena fez essa casa vibrar como há muito não se via. Vibramos pela fala inspirada e pela figura carismática da senadora. De tamanho mediano, sua estatura moral e sua trajetória política, têm revelado uma gigante no combate a corrupção, a imoralidade, a improbidade administrativa e aos desmandos dos partidos de sustentação do governo FHC. A senadora tem nos dado uma demonstração inequívoca de que é possível o exercício da vida publica estar aliado a uma trajetória insuspeita, marcada por momentos de indignação e combate em face da prevaricação das casas legislativas (Câmara e Senado) e aos escândalos que se propagam pelo Brasil através dos esquemas de privatização, da lavagem de dinheiro, do narcotráfico e das alianças do governo com as instituições internacionais (FMI, Banco Mundial). Foi uma manhã para ser lembrada como uma manhã lilás. Lilás como a cor que simboliza a luta das mulheres pelo mundo resgatada pela senadora em sua fala. Aliás, a presença feminina neste dia 13 foi extremamente significativa. Não apenas pelo número, mas, sobretudo pela expressividade daquelas que aqui estavam: representantes do movimento dos servidores públicos federais, estaduais e municipais, do movimento de mulheres negras, das estudantes, enfim, uma conversa multicolorida, no encontro de diferentes segmentos sociais. Mas, foi mais do que uma celebração. Foi também momento para se refletir sobre os rumos da campanha do Partido dos Trabalhadores, sobre a (discutível), mas talvez, necessária aliança com o Partido Liberal/PL, sobre as propostas dos candidatos às Câmaras Federal e Estadual, Walter Pinheiro e Gilmar Santos, respectivamente. Falou-se sobre as propostas da aliança de esquerda que sustenta a candidatura de Lula para setores fundamentais como Educação, saúde, políticas de saneamento básico, geração de emprego, criação de Universidades Federais, a exemplo da Universidade do Vale do Rio São Francisco, e reaproximação com os movimentos sociais. Enfim, o debate foi acalorado, como se esperava, hábil e inteligentemente conduzido por nosso colega, professor Augusto César Leiro. Ao longo de quase três horas de debate, em nenhum momento o cansaço ou a fome pelo adiantado da hora fez desanimar os presentes. As perguntas se seguiam e a fala combativa da senadora deixou claro que o momento político é delicado e exigirá de todos, vigilância, militância e atenção aos indicadores políticos. Se o resultado quanto a uma vitória definitiva do candidato do PT, Luis Inácio Lula da Silva no primeiro turno ainda parece nebuloso, não resta dúvida que os eleitores do PT em todo o país sentem-se dignamente representados pela Senadora Heloísa Helena, como se pôde ver pelos sucessivos e calorosos aplausos que lhe ofereceram a platéia baiana aqui presente nesta data. A senadora deixou esta casa convidando os presentes a encamparem a luta pela soberania do país e pela resistência a ALCA, lembrando o poeta Pedro Casaldaliga: "Malditas sejam todas as cercas! Malditas todas as propriedades privadas que nos privam de viver e de amar! Malditas sejam todas as leis,

amanhadas por umas poucas mãos para ampararem cercas e bois e fazer a Terra, escrava e escravos os humanos!". Que assim seja !!!

(*) Jamile Borges é professora da Faced e doutoranda em Educação.