You are on page 1of 10
ANOI - Ne 6 ABRIL - 1978 ie PARNAfBA — Prat POR UM IDEAL Bn Parnafba é estranho.. A sé— rie de acontecimentos anémalos em rela~ g&o aos jovens & inigna para aqueles que buscam com realismo, defender a nossa classe. Bn época passada, nao to distante, surgiu com forga total o pequeno porén significative "Batalha do Estudante", sob inspirag&o de Kenard Kruel e, ao mesmo tempo, davio-so apoio @ individuos do porte de Roberto Durval e Célia Samartin, Nossa cidade em rela~ go aos jovens da terra tem se apresen- tado mais como madrasta que propriamen— te mae. A ajudd econdmica, © incentive moral néo conquistamos aquem de direito porque nfo defendemos suas falsas con, quistas © seus adversos pensamentos.! 0 homem divide de boa vontade, suas penas com outros; mas nunca suas alegrias".No nosso caso, as penas séo compartilhadas com os daqui e.as alegrias guardadas pa ra os de fora, embora entre eles apare— gam os corruptos. Estamos com os que almejam roa lisagdes por vias dos ideais, tradusin- do o pensemento lucido de uma nova clas se, ou seja, a dos ESTUDANTES-JORNALIS- TAS, t8o fore do nosso alcance, porém, do mesmo modo que o navegante se guia pe- los astros, podemos guiar-nos pelo ide— al para chegar ao nosso destino". Dota remos a este destino, certa dose de a mor, para que, em busca do entendimento e pela conquista de realizag3es caminie mos om paralelo, numa mesma estrada, vi sando interesses nio pessoais ou de gru pos, mas, acima de tudo, a cultura da nossa cidade por via das atividades hu manas, mais especificamente, das ativi- dades jornalisticas. (Continua pig. 4). i Sensacional A CORRUPGKO IMPUNE: artigo da nos sa proxima edigdo. Uma matéria a penas o INOVAGKO tem peito para divulgar. Aguardem, "Os ideais s&o como as estrélas:es POR QUE A OLIGARQUIA? © descaso em que vive o nosso Pequeno ¢ querido Estado nio ¢ obra somente do governo federal, porquanto os prorpios piauicnses contribuem pa, ra que isso ocorra. Sendo vejamos:. em quase todos os Estados da Federagao ' os viventes, podem usufruir daquilo ' que mais, belo existe, nesta natureza, * maravilhosa, que é a. drea litordnea,' como 6 0 caso do Hotel Tambau; mas, agui no Piauf isto é impraticavel, ha. je vista que a Delegacia do Dominio ' da Unido, por razdes que desconhece — mos ¢ bem que gostariamos de saber , no libera os terrenos. ACEP INAUGURA Inaugura_se-4 dia 15 préximo, @ Casa do Estudante de Parnafba. una das batalhad vencidas pelo comba~ tente estudante Francisco José Mar tins Jurity, Foi conseguida junto’ ao Ministro Reis Velozo, Parabeniza — mos nosso representante estudantils o valente passaro que néo vos, mas que se vira. INOVAQAO um ideal consumado. (ee = Tiovagio = aNO I - Parnafba (Pf) avrii/78 — wo 6 Cr$ 3,00 REDAGHO Reginaldo Ferreira da Costa Olavo R. Filho : PUBLICIDADE ! Francisco J. Ribeiro COLABORADORES Boon, Francisco de Canindé Correia, in Getheiro Roberto Broder, Iédo Loyola, Ana Alice, A. Menezes, Francisco Jo sé'Martins Jurity, Dr, Paulo Eudes. CORRESPONDENTES feresina: José Cruz da Rocha Fortaleza: Maria de Fatima Oliveira So Luiz: Paulo César Brasilia: Marialve e Célia Costa INovAGKO € um Jornal de circulacSo ' @uinzenal. N&o nos responsabilizamos' por matérias assinadas, as mesmas sao de responsabilidade de seus autores . 0 nosso editorial traduz o pensamento dos que fazem o Jornal. Parnaiba — Piauf INOVAR E DESENVOLVER A CULTURA MULTIPLICAGHO DA MIsRra PAdua Santos Tcti6fagos homens da‘ beira-rio Qe passin a noite com frio Querendo a fome evitar Slo todos,homens’ gem nada E tém a pele crestada De ao dia também pescar Suas filhas ninguém ajuda, Convergem sempre & "Munguba" Lugar que sé se conjuga 0 ambfguo verbo amar. Voltar prd casa é pecado, Tornaran-se dedo cortado N&o podem nunca voltar. Cancro, Sifilis e outras mais £ tudo que o amor tras A estes vitimas sociais, E muitos da pescaria Para 14 convergem em romaria, Lhes afagam os seios em amores. E para que maior alegria? Se sempre cheirando a lama Eles dormem em suas camas E fazem mais pescadores? A peixeira sé eles sabem esconder. Pois sabem tambem que a policia Ja sabe pra quem vender. Hierarquia deorescente Que faz aquela gente Perdendo do corpo o valor. Antes cabarés outros Mes as carnes amolecem E sem querer elas descem A "Munguba" do amor, — Parnaibanos, devemos incremen — ‘ tar a nossa luta nas mais variadas for mas para que o DISTRITO INDUSTRIAL DE PARNATBA seja uma realidade, Informar com convicgiio Opinar com o espixito tranquilo i LEIA IwovAgho Somos una classe organi . ' zada de estudantes-jor- Leia na pagina 7 0 atigo do Boon, Fran ““palfstas vieando o bem cisco de Canindé Correia sdtre o DIS - comm, 0 dnorenento dan TRITO INDUSTRIAL DE PARNATRA, comunicagSes em nossa ' cidade, . . . Nossa cidade precisa se desenvolver n INOVAgEO “ANO I = Ne 6 Parnafba, (Pf.) Abril 1978 — 2 EDITORIAL > 0 que existe de mais belo, ma. ravilhoso, e completa a pessoa humana é a LIBERDADE, 0 dircito de escolha, a o portunidade de n&o calar quando nao se aprova algo; quando se é contrario 4 me didas ou solugdes incompativeis & verda deira qualificagdo de HOMMI. Sem a LI — BERDADE, @ intelectualidade torna-se a bstrata. A sensibilidade das almas se aniguila. A potencia da imaginagio se esvai. Coisas, decisdes provocadas ' por certos sistemas que nos transforma, no acaba com a nossa juventude, mas poe em duvida o verdadeiro valor de se sentir joven, Existem os sem ideais e sobre- vivem, assumindo cargos e poderes, 08 sen idéias ou por natureza ou porque o poder lhes tornaram ineptos. Causow-nos desagradével surpré sa, portanto, a atitude retrograda as- sumida por algumas pessoas que, pelo fa, to de assistirem seus nomes num desfile nao muito aplaudido pelas platéias da corisciéncia (porque a outra platéia — a dos dulicos - sempre aplaude), choraram ldgrimas de vaidade no chéo aveludado,* onde seus pés, num vigoroso e vil pisar estragalham a mente daqueles que ten, tam qualcuer INOVAGKO no campo das ati- vidades humanas. Ante 80 ocorrido, nos apressa- mos em fezer algumas perguntas bisicas, para que possamos avaliar, pelo ternéme tro da Democracia, em que "grau" se en contra o pensamento dos ofendidos: onde fica a LIBERDADE de imprensa que é um ' dos mandamentos das pessoas licidas?Por, gue a reag&o t&o enérgica e grotesca , contra estudantes—jornalistas que sao © concreto armado para as inquebraveis' Pilastras do futuro da Nagiio? Isto tudo fica oom resposte, a ado sor a oxplica- g#o mais mesquinha possivel, quo é aque la de fazer engolir Jornal. E esta nao € uma idéia muito sugestiva, nem mesmo, digestive, INOVAGKO| ANOI - we 6 SEM CARTA DE ALFORRIA Nam Estado que.se desenvolve, nao necessitamos de modelos para seguir. A consciéncia de cada un*bom-dircito de decisdes, seré a LIBERDADE de.todos. f& essencial, ndo utdpico, seguir a "Memo- ria Nacional", pois ele existe, falta — Ihe, transpor: seu ponto de partida, fal ta-lhe impulso para que essa memoria so. breviva. LIBERDADE om toda sua plenitude, com direitos e com responsabilidades as sumidas com convicgdo, para que.o HOMEM Teconguiste com "TRABALHO E.JUSTIGA" a sua capacidade de amar e de procurar a felicidade, pois somos um pais jovem , com jovens brilhantes, horizontes,. pela fronte, idéias licidas & espera do mo mento para provarmos as desgragas do po der © roubarmos.do homem a ansia de Li- BERDADE, tornando-lhes andorinhas — 1i vres,.descontraidos como gaivotas e re conguistados pelo viver feliz. Reafirmamos, pois, o que acima fi. cou mais que evidenciado: nao precisa — mos de"carta de alforria", uma vez que estamos do lado da LIBERDADE. Este é o pensamento dos que fazem INOVAGKO.. ROBERTO BRODER CONSTRUGOES LTDA. Engenharia - Arquitetura — Construgd_ es." Insc. Est. 19002193 - 4 CGCMF 061712.525/0001 LOJKO BRODER Av. Presidente Varges, no 189, FONES: 322.24.31 ~ 322.24.33 Parnaiba - Piauf ee Parnaiba, (Pi.) Abril 1978 - 3