Óptica

Gregos

(J. Fernando Rocha & Hugo Franco)

Atomistas: emanações (eidolas) desprendidas dos corpos e que penetravam nos olhos Pitagóricos: algo emanado dos olhos: feixe retílineo (quid)

Aristóteles: Perturbação em um determinado meio (díafano) Arco-íris – espécie de reflexão da luz pelas nuvens Óptica: Teoria geométrica da percepção visual Catóptrica: Teoria dos espelhos Euclides (323-385 a.C.) Lei da reflexão da luz Heron (Sec. II a.C) Arquimedes (283-212 a.C.) Cleomedes (Sec. I a.C.) Ptolomeu (85 – 165 d.C.) Focos de espelhos Refração Estudo experimental da Refração

Incidência

Refr.(Ptol.) 15,5 22,5 29 40,5 50

Refr. (Snell) 14,9 22,1 28,9 40,6 47,8

Dados de Ptolomeu sobre ângulos de incidência e refração Idade Média

20 30 40 60 80

Ibn-al-Haitiam [Alhazen] (965-1039): Rejeição dos raios visuais
“A visão se faz por raios vindos do objeto para o olho. De todo corpo iluminado parte luz em todas as direções…Quando o olho é colocado diante de um objeto assim iluminado, a ele chegará luz sobre sua superfície exterior. Ora, já estabelecemos que a luz tem a propriedade de agir sobre o olho. Devemos portanto concluir que o olho pode sentir o objeto visto por intermédio da luz que este lhe envia”

Completude da Lei de Reflexão: Raios incidente e refletido e a normal estão no mesmo plano Correção de algumas deduções de Ptolomeu sobre a refração

Lei da Refração
Experimental: T. Harriot (1616) e W. Snell (~1621) Teórico: René Descartes (1637) – Lei dos senos

Vi sin θ i = Vr sin θ r

Vi ni = Vr nr

Var < Vvidro

Pierre Fermat (1661): Princípio do mínimo tempo

Var > Vvidro
Huyghens (1678): O índice de refração não depende só das propriedades do meio, mas também da própria cor da luz

Newton (1672)
A luz ao passar por um prisma apresenta um espectro colorido Prismas perpendiculares alargam o espectro, mas não modificam os desvios angulares Separando uma cor com uma fenda e passando-a através de um segundo prisma não ocorre alteração; o desvio é o mesmo que no primeiro prisma Colocando dois prismas em orientações opostas no mesmo plano, o segundo recompõe a luz branca

http://www.fisica.ufc.br/coresluz1.htm

(1704): Uma teoria mecânica corpuscular) Força Refratante

Reflexão

Refração
Força Atrativa

Difração
Francesco Grimaldi (1618-1663): A luz se difrata (se fraciona em duas partes): há luz mesmo na sombra geométrica Newton: Questões: 1, 2, 4, 5, 28 e 29 do “Óptica”
Os Pensadores (Nova Cultural) (1987)

Anéis de Newton
- Anéis entre lente esférica e vidro plano - A posição depende só da espessura de ar - A seqüência de cores é periódica com a espessura - São mais nítidos com luz momocromática - Cada cor tem um comprimento característico - Anéis de transmissão e reflexão

Teoria híbrida (?): corpuscular -ondulatória

O caráter ondulatório
Robert Hooke (1635-1703): Micrografia (1665) Interferência Christiaan Huyghens (1629-1695): Um meio material transmite mecanicamente a luz como perturbação – Éter (1678) Traité de la Lumiére (1690)

E a origem das cores?

Thomas Young (1773-1829)
Top 10 beautiful experiments 1 Young's double-slit experiment applied to the interference of single electrons 2 Galileo's experiment on falling bodies (1600s) 3 Millikan's oil-drop experiment (1910s) 4 Newton's decomposition of sunlight with a prism (16651666) 5 Young's light-interference experiment (1801) 6 Cavendish's torsion-bar experiment (1798) 7 Eratosthenes' measurement of the Earth's circumference (3rd century BC) 8 Galileo's experiments with rolling balls down inclined planes (1600s) 9 Rutherford's discovery of the nucleus (1911) 10 Foucault's pendulum (1851) Physics World -2002

Difração - fio de cabelo Interferência – 2 furos Luz: uma onda transversal

“A escuridão pode ser formada acrescentando-se luz à luz…”

Augustin Fresnel (1788-1827)

Teoria da Difração

…ondas elementares chegam a todo ponto ao longo do arco da frente de onda passando o difrator e interferem mutuamente. O problema era determinar a vibração resultante produzida por todas as ondinhas atingindo qualquer ponto atrás do difrator. As dificuldades matemáticas eram enormes e uma solução exigiu muitos meses de esforço…

Erasmus Bertholinus (1669): Dupla Refração Calcita

Polarização

Huyghens (1678)

Malus (1809) – por reflexão

Fresnel (1819): Ondas vibram transversalmente em direções perpendiculares

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful