You are on page 1of 11

APOSTILA DE BIOLOGIA- ENSINO MÉDIO

PROJETO OPORTUNIDADE/ ESTACIO DE SÁ


CAMPUS -CENTRO

JONATAS JOSÉ SILVA


2004
A Constituição Química dos Seres Vivos:
As substâncias que compõem a matéria viva são classificadas em orgânicas e inorgânicas.
1-Inorgânicas:
A- Água:
- É indispensável para a vida, sendo o composto mais abundante da matéria viva (60 à 98 %). O plasma
sangüíneo possui 93% de água.
-É produzida nas reações químicas no interior das células. Quanto maior a atividade da célula maior é a
quantidade de água presente.
- A água possui alto calor específico, isto significa que a água precisa de grande quantidade de calor
para aumentar a sua temperatura. Isso confere proteção aos organismos contra grandes variações de
temperatura.
- A água é solvente de diversas substâncias apresentando caráter polar. Substâncias polares possuem um
lado positivo e outro negativo atraindo outras substâncias polares.

B- Sais Minerais:
- São compostos iônicos, ou seja são substâncias que possuem carga positiva ou negativa.
- Participam de diversos mecanismos bioquímicos dentro e fora das células. O sódio participa da
condução dos impulsos nervosos; o potássio da contração muscular; o magnésio da síntese da proteínas
e da molécula d clorofila; o cálcio ajuda na contração muscular e na composição dos dentes e ossos; o
ferro está presente nas células do sangue conhecidas como hemoglobina.
- São obtidos através da alimentação. Assim ingerimos cálcio no leite, iodo no sal de cozinha, ferro no
fígado e no feijão e o potássio na banana.

2-Orgânicas:
A -Glicídios ou Carboidratos (Açúcares)
- Abundantes nos vegetais e em menor quantidade nos animais.
- Formados por carbono (C), hidrogênio (H) e oxigênio (O). Sua fórmula é (CH2O)n
- Dividem-se em :
* Monossacarídeos: Apresentam 3 à 7 átomos de carbono. Ex: Glicose.
* Oligossacarídeos: São formados por 2 até 10 monossacarídeos. Ex: lactose (glicose + galactose)
* Polissacarídeos: São formados por mais de 10 monossacarídeos:. Ex: celulose e amido nos vegetais e
glicogênio nos animais.

B- Lipídios:
- Formados pelos óleos, gorduras e ceras.
- Possuem função energética e estrutural (participam da estrutura de diversas organelas).
- Liberam mais energia que os glicídios e são armazenados na forma d gordura.
- Funcionam também como isolante térmico em animais que vivem em regiões muito frias.

C- Proteínas:
- São abundantes nos seres vivos, representando cerca de 15 à 20 % da sua constituição.
- As proteínas possuem moléculas grandes, sendo que a menor porção formadora de uma proteína é
chamada de aminoácido.
- Os aminoácidos podem ser:
*Naturais – Quando são produzidos pelo organismo.

2
*Essenciais – Quando não são produzidos pelo organismos e são obtidos pela alimentação.
- As proteínas apresentam uma série de funções: Estruturais (queratina dos cabelos), de transporte
(hemoglobinas que carregam o oxigênio no sangue), defesa (anticorpos presentes no organismo) e
catalizadoras (enzimas).

C.1-Enzimas:
- São proteínas especiais que possuem função catalizadora, ou seja, promovem ou aceleram as reações
químicas que ocorrem nas células.
- São desnaturadas, isto é destruídas, por altas temperaturas, acima de 40 graus Celsius.
- Dependem do pH do meio em que vão agir.
- São específicas para um determinado substrato. Substrato é a substância em que a enzima vai estar
agindo.

D- Vitaminas:
- São coenzimas (ajudam no trabalho das enzimas) e agem como reguladores
- As vitaminas são classificadas em hidrossolúveis (se dissolvem em água) e lipossolúveis (se dissolvem
em lipídios).
- São obtidas através da alimentação.

E- Ácidos Nucléicos: DNA e RNA.


E.1-Estrutura:
São macromoléculas formadas por diversos nucleotídeos. Um nucleotídeo é formado três tipos de
substâncias: Uma molécula de acido fosfórico + um açúcar (ribose ou desoxirribose) + bases
nitrogenadas (adenina, guanina, citosina, timina e uracila).
O DNA ou ADN (ácido desoxirribonucleico) é uma molécula em fita dupla. O RNA ou ARN (ácido
ribonucleico) é uma molécula de fita simples.
E.2- Funções:
O DNA é responsável pela hereditariedade nos seres vivos, já o RNA é encarregado da produção das
proteínas, sendo que a síntese de RNA é feita pelo DNA.
E.3-Duplicação do DNA:
A molécula de DNA é capaz de fazer cópias de si mesma, sendo esse fenômeno conhecido como
duplicação. A enzima envolvida é a DNA polimerase. Quando ocorrem erros nessa autoduplicação
observamos o aparecimento das mutações. As mutações podem ser neutras, benéficas ou desfavoráveis.
E.4-Transcrição do RNA pelo DNA:
Transcrição é o fenômeno pelo qual o DNA dá origem a uma molécula de RNA. Esse processo é
mediado pela RNA polimerase.
E.5- Tradução ou Síntese de proteínas pelo RNA: A síntese de proteínas pelo RNA é chamada
tradução.

A célula:
1- Definição:
Célula é a menor unidade viva formadora dos seres vivos. Organismo→ Sistemas→ Órgãos→
Tecidos→ CÉLULAS→ Organelas→ Moléculas→ Átomos.

2- Características gerais:

3
As células podem ser de dois tipos: Procariontes ou eucariontes. As eucariontes são limitadas por uma
membrana e dotada de um núcleo, já as procariontes não possuem um núcleo definido. O espaço
existente entre a membrana e o núcleo é conhecido como citoplasma. No citoplasma se encontram as
estruturas e organelas celulares. Os organismos procariontes são formados pelas bactérias e algas azuis
sendo considerados mais simples que os eucariontes, que são a maioria dos seres vivos.

3-Constituintes celulares:
A- Célula Procarionte:
A.1- Membrana Esquelética: Reveste a célula externamente, proteção mecânica.
A.2- Membrana Plasmática: Controla as trocas entre a célula e o meio.
A.3- Hialoplasma: Aonde ocorrem a maioria das reações químicas vitais.
A.4- Ribossomos: Responsáveis pela síntese das proteínas celulares.
A.5- Cromatina: Representa o material genético da célula.

B- Célula Eucarionte:
B.1- Membrana Esquelética: OBS: Só existe em células vegetais.
B.2- Membrana Plasmática:
B.3- Hialoplasma:
B.4- Ribossomos:
B.5- Cromatina:
B.6- Retículo Endoplasmático: Sistema formado por diversas membranas e com função de
armazenamento e transporte de substâncias. Costuma ser revestido de ribossomos.
B.7- Complexo de Golgi: Semelhante ao retículo porém além de armazenar substâncias também
secreta.
B.8- Mitocôndrias: Responsável pela respiração celular. Seriam os “pulmões” da célula.
B.9- Cloroplastos: Apresentam pigmentos verdes denominados clorofila, absorvendo energia luminosa
que vai promover a fotossíntese. Só está presente em células vegetais.
B.10- Nucleoplasma: Material viscoso presente no núcleo aonde fica mergulhada a cromatina.
B.11- Núcléolos: pequenas estruturas existentes no interior do núcleo que estão relacionados a produção
de ribossomos.
B.12- Vacúolo: Espaços existentes nas células vegetais.
B.13- Lisossomos: São responsáveis pela digestão celular pois são ricos em enzimas responsáveis pela
decomposição de substâncias orgânicas. São característicos de células animais.

4- Respiração Celular.
As células transformam energia química em outras formas de energia. Os principais “combustíveis” das
células são os açúcares, obtidos pela alimentação. Em presença de oxigênio esses açúcares são
“queimados”, isto é, quebrados em moléculas menores, e liberam energia que pode ser utilizada pela
célula. Esse processo corresponde a reação química:
GLICOSE + OXIGÊNIO → CO2 + H2O + ENERGIA
Essa reação é conhecida como respiração celular e ocorre no interior das mitocôndrias.

5- Fotossíntese:
Todos os seres vivos sabem quebrar glicose, porém apenas as plantas clorofiladas possuem a capacidade
de fabricá-la. Graças aos cloroplastos as plantas podem produzir açúcares a partir de gás carbônico e

4
água, na presença de luz. Esse processo é conhecido como fotossíntese e além de produzir carboidratos
libera para o meio ambiente oxigênio, de acordo com a seguinte reação:
CO2 + H2O → C6H12O6 + O2

6-Membranas celulares e Permeabilidade: Existem diferentes mecanismos de troca de gases e


substâncias entre a célula e o meio através da membrana plasmática, estes podem ser:
6.1- Difusão Simples: Difusão é a passagem de uma substância de um meio em que ela se encontra
muito concentrada para um meio em que a sua concentração é menor.
6.1- Difusão por Osmose: A osmose é um tipo especial de difusão aonde se observa a passagem de
água de um meio muito concentrado para um menos concentrado através de uma membrana
semipermeável.
Tonicidade do meio em Comportamento da Célula
relação à célula
Solução Isotônica (mesma Não acontece nada com a
concentração) célula
Solução Hipertônica (mais A célula perde água e murcha
concentrado)
Solução Hipotônica (menos A célula ganha água e incha
concentrado)
6.2-Difusão Facilitada: É um tipo de difusão em que observamos a existência de uma molécula
transportadora, porém não há gasto de energia.
6.3- Transporte Ativo: É o transporte de substâncias de um local de menor concentração para um de
maior através de uma molécula carregadora. É o contrário da difusão e ocorre com gasto de energia.
6.4-Fagocitose: É a captura d partículas sólidas pela membrana.
6.5- Pinocitose: É a captura de partículas líquidas pela membrana.

7- Reprodução Celular:
O ciclo celular é o período que se estende desde a formação de uma célula até o momento em que ela se
divide, formando células-filhas. A reprodução celular, também conhecida como divisão celular, ocorre
por dois processos diferentes: A mitose e a meiose.
No processo de mitose, uma célula se divide, originando duas células-filhas exatamente iguais à célula
inicial. Essas células filhas possuem o mesmo tipo e quantidade de material genético da célula mãe.
No processo de meiose observamos duas divisões, sendo que no final teremos a formação de quatro
células que contém a metade do material genético (cromossomos) existente na célula-mãe. A meiose é o
processo pelo qual se formam os óvulos e os espermatozóides nos animais e os esporos nos vegetais.
Permutação ou crossing-over- Ocorre na meiose e resulta da reorganização dos cromossomos, levando
ao aumento da variabilidade genética das células-filhas.

8-Reprodução: processo pelo qual os seres vivos produzem descendentes semelhantes a si mesmo. A
Reprodução Assexuada gera indivíduos geneticamente iguais. A reprodução Sexuada acontece com a
participação de gametas (células reprodutoras) e produz indivíduos com características diferentes.
Gametogênese- Processo de formação dos gametas (espermatozoides e óvulos) que ocorre nas gônadas
(ovários e testículos).
Nos seres humanos as células haploides (n) têm número de cromossomos é igual a 23. Nas células
diploides (2n) o número de cromossomos é igual a 46. Todas as células somáticas são diploides e
apenas as células reprodutoras são haploides.

5
As Grandes funções Vitais:
A- Nutrição e Digestão:
A.1-Autotrofismo e Heterotrofismo:
A nutrição é o meio pelo qual os sistemas vivos podem reabastecer suas fontes energéticas através dos
alimentos. Podemos distinguir dois tipos de nutrição: O autotrofismo e o heterotrofismo.
No autotrofismo os seres têm a capacidade de produzir matéria orgânica a partir de compostos
inorgânicos. Os seres autotróficos podem ser fotossintetizantes ou quimiossintetizantes. A fotossíntese
utiliza a energia luminosa enquanto a quimiossíntese utiliza a energia da oxidação.

A.2- Etapas da nutrição:


A nutrição pode ser dividida nas seguintes etapas:
- Alimentação (por ingestão, englobamento ou difusão)
- Digestão (intracelular, extracelular ou extracorpórea)
- Assimilação
- Dejeção ou defecação

A.3- Sistema Digestivo Humano:


O sistema digestivo humano é composto de:
Tubo Digestivo Alto Boca
Faringe
Esôfago
Médio Estômago
Intestino Delgado
Baixo Intestino Grosso
Ânus

Orgãos Anexos Gland. Salivares


Dentes
Língua
Pâncreas
Fígadoe vesícula
biliar

Principais produtos da Digestão:


Local de ação Alimento atacado Produto da digestão
Amido Maltose
Boca
Estômago Proteínas Proteoses e peptonas
Lipídios Monoglicerídeos,
Intestino ácidos graxos e
delgado glicerol
Proteoses e peptonas Peptídeos e
aminoácidos
Ácidos nucleicos Nucleotídeos

6
Lactose, maltose e Glicose
sacarose
B- Respiração:
Respiração é o fenômeno representado por uma constante troca de gases entre os seres o meio ambiente,
com o consumo de oxigênio e, na grande maioria das vezes, eliminação de gás carbônico. A respiração
envolve etapas que .ocorrem ao nível de organismo (Respiração Orgânica) e ao nível das células
(Respiração Celular).

B.1- Respiração Celular:


A respiração está intimamente ligada a nutrição, uma vez que dentro da célula os produtos da digestão
são oxidados liberando a energia neles contida. Como produtos desta oxidação temos o gás carbônico e
íons hidrogênio. O gás carbônico é liberado pela célula e pelo organismo, já os íons hidrogênio tendem a
se acumula nas células e gerar acidose. Para evitar essa acidose o oxigênio desempenha o papel de
aceptor final do hidrogênio, formando água. Essa respiração é denominada aeróbica, que difere da
anaeróbica que não ocorre com a presença de oxigênio.
B.2- Respiração nos Vegetais:
A respiração nos vegetais se dá através de estruturas presentes em grande quantidade nas folhas
conhecidas como estômatos. Apesar da respiração dos vegetais ser muito mais intensa nas folhas o caule
e as raízes também respiram.

B.3- Respiração nos Animais:


Por possuírem uma atividade orgânica mais intensa que os vegetais os animais desenvolveram sistemas
respiratórios mais complexos. Podemos então, distinguir os seguintes tipos de respiração:
- Respiração por difusão (esponjas do mar, corais e água-viva);
- Respiração cutânea (planária e minhoca);
- Respiração traqueal (insetos);
- Respiração Branquial (peixes e outros animais aquáticos);
- Respiração Pulmonar (anfíbios, répteis, aves e mamíferos).

B.4- Sistema Respiratório Humano:


O sistema respiratório é composto por: Fossas nasais e boba, faringe, laringe, traquéia, brônquios,
bronquíolos e pulmões.

B.4- Os Pulmões:
Os pulmões são órgãos elásticos que abrem-se e fecham de acordo com os movimentos dos músculos
intercostais e do diafragma. Durante a inspiração os músculos intercostais e o diafrágma se contraem de
forma que o ar penetre nos pulmões. Já na expiração ocorre o contrário.

B.4.1- As Trocas Gasosas:


Há notável diferença entre o ar que entra nos pulmões e o ar que sai.
Ar inspirado Ar expirado
Gás
Nitrogênio 79.02% 79.02%
Oxigênio 20.94% 16.5%
Gás carbônico 0.04% 4.48%

7
O oxigênio que entra nos pulmões é absorvido pelo organismo, enquanto o gás carbônico produzido pelo
organismo é descartado. O mecanismo pelo qual se dão as trocas gasosas nos alvéolos é chamado
HEMATOSE. Essas trocas ocorrem devido a diferenças nas pressões parciais dos gases dentro e fora dos
alvéolos. Os gases se difundem do ponto onde a sua pressão parcial é maior para outro ponto onde a sua
pressão parcial é menor.
Realizado o transporte dos gases através da parede do alvéolo o oxigênio penetra na hemácias (glóbulos
vermelhos do sangue) e se combina com a hemoglobina (pigmento presente nas hemácias) formando a
oxiemoglobina. Cada molécula de hemoglobina se combina com 4 de oxigênio. Esse sangue oxigenado
é então transportado para os tecidos. Nos tecidos o oxigênio é descarregado pela hemoglobina que então
se junta ao gás

C- Circulação e Transporte:
O sistema circulatório vai ser responsável pelo transporte de substâncias nutritivas e metabólicas, assim
como dos gases respiratórios. É importante não esquecer que, nos vegetais, essas vias de transporte
conduzem apenas substâncias nutritivas uma vez que a respiração é feita através de difusão célula a
célula.

C.1- Funções do sangue:


- Transporte do oxigênio e do gás carbônico através de pigmentos respiratórios (hemoglobinas);
- Condução dos nutrientes absorvidos nas vias digestivas;
- Transporte dos produtos finais do metabolismo, até os órgãos responsáveis pela sua excreção;
- Oferecimento e retirada de água e sais minerais dos tecidos e das células, mantendo o equilíbrio
hidrossalino;
- Distribuição dos hormônios;
- Imunização, conduzindo anticorpos e células especializadas (leucócitos).
- Manutenção da temperatura corpórea.

C.2- Sistema Circulatório:


Em organismos inferiores, o transporte da substâncias ocorre por difusão, entretanto em animais, cujos
corpos são formados por mais de duas camadas de célula, o transporte é feito através de um sistema
circulatório.
De forma geral os sistemas circulatórios são compostos por um conjunto de vasos (onde o sangue
circula) e um órgão (coração) que funcione como bomba propulsora do sangue.

C.3- Tipos de Circulação:


C.3.A- Circulação Aberta (Lacunar)
É observada na maioria dos invertebrados. Encontramos neste tipo de circulação um grande vaso dorsal
com diversa dilatações, que funcionam como diversos “corações”. O sangue segue por esse vaso dorsal
até a parte anterior do corpo, onde se derrama pelos tecidos, já que esse vaso é aberto.

C.3.B- Circulação Fechada:


Na circulação fechada, típica de vertebrados, o sangue não sai do interior dos vasos, que se apresentam
extremamente ramificados. Esses vasos sanguíneos se distribuem em 5; artérias, arteríolas, veias,
vênulas e capilares.
Artérias- conduzem o sangue rico em oxigênio (arterial) do coração aos órgãos e tecidos.
Veias- conduzem sangue rico em gás carbônico (venoso) dos tecidos para o coração.

8
C.3.C- Circulação Incompleta e Completa:
Quando o coração se contrai ele realiza uma sístole, quando ele relaxa o movimento é chamado diástole.
Nos organismos aonde há mistura de sangue venoso com arterial a circulação é dita incompleta. São
exemplos os peixes, anfíbios e répteis. Nas aves e mamíferos não ocorre essa mistura, sendo então a sua
circulação chamada completa.

C.3.D- Circulação Simples e Dupla:


A circulação simples é observada nos peixes, nestes animais o sangue venoso que circula no coração é
impulsionado para as branquias, onde é oxigenado. Dali ele segue para todo o corpo do animal, só
voltando ao coração quando está totalmente venoso.
Na circulação dupla, que ocorre com os demais vertebrados, o sangue faz dois circuitos: um que vai do
coração para os tecidos do corpo, voltando para o coração; outro, em que o sangue vai do coração aos
pulmões e retorna ao coração. O primeiro circuito é chamado grande circulação (ou circulação
sistêmica) e o segundo pequena circulação (ou circulação pulmonar).

C.4- Transporte nos Vegetais:


O sistema de transporte nos vegetais compreende a subida da seiva bruta (desde as raízes até as folhas) e
o transporte da seiva elaborada para todas as partes do vegetal (geralmente das folhas para as raízes).
A subida da seiva bruta se dá principalmente devido a transpiração, já o transporte da seiva elaborada
ocorre por diferença de pressão osmótica. A seiva elaborada circula dos órgãos de maior pressão
osmótica (folhas produtoras de seiva) para os de menor pressão osmótica (raízes consumidores da seiva)
aonde os açúcares que chegam são metabolizados ou guardados como reserva.

D- Excreção:
A excreção é a eliminação dos resíduos do metabolismo, que são chamados catabólitos. Os principais
produtos do metabolismo dos carboidratos e dos lipídios são o dióxido de carbono (CO2) e a água. O
CO2 é eliminado pelas vias respiratórias, a água que estiver em excesso é eliminada principalmente
através da urina e do suor.
O metabolismo das proteínas gera, além do CO2 e da água, uma série de compostos nitrogenados
(amônia, uréia e ácido úrico) que são eliminados pela pele (glândulas sudoríparas) e pelos rins (sistema
urinário).

D.1-Sudorese e Diurese:
Em dias quentes observamos um aumento da sudorese (produção de suor) e a diminuição da diurese
(produção de urina). Em dias frios a sudorese diminui e os rins trabalham mais aumentando bastante a
diurese.

D.2- Excreção Nitrogenada:


Animais aquáticos têm como principal excreta nitrogenado a amônia, sendo por isso chamados
amoniotélicos. Esses animais estão sempre perdendo água, e uma vez que a amônia além de ser
altamente tóxica também é muito solúvel em água, tão logo ela é formada, vai sendo eliminada.
Já os animais terrestres não podem perder muita água, com isso o seu excreta deve ser pouco tóxico.
Esses animais excretam a uréia, que pode ficar mais tempo circulando no plasma sanguíneo, até ser
filtrada pelos rins e eliminada pela urina, e são chamados de ureotélicos.

9
No casos dos animais ovíparos (principalmente aves e répteis), o principal excreta é o ácido úrico. Esse
excreta é o menos tóxico e solúvel de todos, e vai caracterizar os animais uricotélicos.

D.3- Sistema Urinário Humano:


O sistema urinário humano é formado por : 2 rins, 2 bacinetes, 2 ureteres, 1 bexiga e 1 uretra. A bexiga é
o órgão aonde a urina vai ficar armazenada até a hora de ser eliminada através da uretra.

D.4- Osmorregulação:
Osmorregulaçao é a manutenção do equilíbrio hidrossalino do organismo. Por esse sistema, o organismo
controla a eliminação da água e de sais, mantendo suas células isotônicas com os líquidos orgânicos e
com o sangue. O sistema excretor humano realiza essa osmorregulação através da reabsorção dos sais e
da água.
Os peixes marinhos são hipotônicos em relação à água do mar. Para não sofrerem desidratação , eles
bebem muita água e urinam pouco, sendo sua urina muito concentrada para eliminar o excesso de sais.
Peixes dulcícolas (de água doce) são hipertônicos, em relação à água dos rios, sofrendo intensa entrada
de água nas suas células. Com isso costumam urinar muito, sendo a sua urina pouco concentrada uma
vez que não podem perder muitos sais para o meio. Para compensar essa perda costumam absorver sais
pelas brânquias.

E- Reprodução:
Reprodução é o processo pelo qual os organismos deixam descendentes e pode ser dividida em sexuada
e assexuada.

E.1- Reprodução Assexuada ou Agamética:


A reprodução assexuada também pode ser chamada de reprodução agamética ou agâmica, pois não
envolve gametas. Gametas são células especializadas com função reprodutiva. Nesses seres seu corpo se
divide em unidades menores, que crescem e originam novos seres, sem a união de gametas.
Esse tipo de reprodução gera indivíduos geneticamente iguais, não gerando variabilidade genética na
população, que é composta por diversos clones. A reprodução assexuada pode ainda ser dividida em dois
tipos; divisão binária e a divisão múltipla.

E.1.A- Divisão Binária:


Na divisão binária o organismo se divide em dois, de forma simples e rápida. Em organismos
unicelulares (protozoários, algas e bactérias) essa divisão recebe um nome especial, cissiparidade.

E.1.B- Divisão Múltipla:


Na divisão múltipla um organismo se divide em vários segmentos, e cada um desses segmentos formará
um novo ser. Nesse tipo de reprodução podem surgir diversos ‘brotos’, que crescem ligados ao
organismo inicial, podendo ou não dele se desprender. A divisão múltipla é observada em organismos
coloniais como alguns fungos, corais e planárias.

E.2- Reprodução Sexuada:


A reprodução sexuada ,ou gâmica, se caracteriza por ocorrer com a participação de gametas. Geralmente
ela ocorre com a união de dois gametas de sexo oposto, entretanto em alguns casos apenas um gameta
pode estar envolvido. A reprodução sexuada é importante pois permite uma maior variabilidade
genética, ou seja os indivíduos são geneticamente diferentes.

10
N a reprodução sexuada podemos distinguir a conjugação e fecundação.

E.2.A- Conjugação:
A conjugação é um meio termo entre a reprodução assexuada e a sexuada, uma vez que não há formação
de gametas porém ocorre troca de material genético. A conjugação ocorre em diversas algas e
protozoários.

E.2.B- Fecundação:
É a principal forma de reprodução sexuada aonde ocorre a união de dois gametas sexualmente diferentes
formados em glândulas sexuais, resultando em uma célula zigoto. A fecundação pode ser isogâmica,
heterogâmica ou oogâmica. Na isogamia tanto o gameta masculino como o feminino têm a mesma
forma e são móveis, enquanto na heterogamia os gametas são móveis porém diferentes na forma. O
último tipo, a oogamia, apresenta os gametas masculinos menores e móveis e os femininos maiores e
imóveis.

Isogamia Heterogamia Oogamia


Gameta masculino -Mesmo tamanho e -Tamanhos e formas -Menor e móvel
Gameta feminino forma diferentes -Maior e imóvel
-Móveis -Móveis

A reprodução sexuada também pode ser do tipo interna ou externa. A fecundação externa é aquela que
acontece no meio ambiente, quando o encontro dos gametas feminino e masculino acontece na água.
Esse tipo de fecundação ocorre com alguns tipos de peixes e com os anfíbios (sapos , rãs e pererecas).
A fecundação interna é bem mais freqüente, e ocorre com auxílio do ato sexual (coito ou cópula) aonde
o macho deposita os seus gametas no interior do organismo da fêmea. Nas plantas a fecundação também
é interna porém não ocorre o coito, sendo os gametas transportados pelo vento, água ou agentes
polinizadores. Nos animais os gametas masculinos são chamados espermatozóides e os femininos
óvulos.

E.3- Partenogênese e Pedogênese:


A partenogênese acontece quando um óvulo que não foi fecundado dá origem a um indivíduo adulto. A
partenogênese pode dar origem a apenas machos ou fêmeas, ou ainda machos e fêmeas. Ex: formação de
zangões em uma colméia. Quando a partenogênese ocorre na fase larval do individuo recebe o nome de
pedogênese.

E.4- Formação de Gêmeos na Espécie Humana:


Podemos distinguir dois tipos de gêmeos: os univitelinos ou monozigóticos e os bivitelinos ou
dizigóticos.
Os monozigóticos são os chamados gêmeos verdadeiros, pois são sempre do mesmo sexo e possuem o
mesmo material genético uma vez que vieram do mesmo zigoto. Os dizigóticos são os chamados
gêmeos fraternos, que podem ser do mesmo sexo ou não. Nos dizigóticos houve a fecundação de dois
óvulos diferentes por dois espermatozóides, que geraram dois zigotos diferentes. Logo o material
genético de cada

11