You are on page 1of 38

Filosofia

 Estimular o espírito crítico

 Nem dogmática, nem doutrinária

 Estimular a discussão e o debate

 Sistemática e metódica
GRÉCIA :
Milagre ou Processo?
Processo gradual de abstração

Fatores:
 Polis - Leis - Cidadão –
 Moeda
 Escrita
 Viagens Marítimas
 Calendário
Grécia Antiga- séc.VI a.C
Grécia- séc. VI a.C
Filosofia Grega - Periodização

 Filosofia Antiga : Pré-Socráticos


Período Cosmológico

 Filosofia Clássica:
Sócrates – Platão- Aristóteles
Sócrates:Antropologia
Platão – Aristóteles : Cosmologia-Antropologia
Filosofia: origens nas colônias

 Busca a “arché”: princípio constitutivo de


todas as coisas – Cosmologia -
 Tales de Mileto – Jônia - séc VI a.C: a água
 Pitágoras de Crotona: números
 Anaxímenes de Mileto: o ar
 Anaximandro de Mileto: o apeiron- o
indeterminado
 Leucipo e Demócrito de Abdera : o átomo
Pré-Socráticos:
Período Cosmológico

 Heráclito de Éfeso: O eterno fluxo - Devir –

 Parmênides de Eléia: a imobilidade do Ser

 Empédocles de Agrigento: os quatro


elementos: terra, água, ar e fogo
ATENAS
Acrópole: cidade alta
Ágora: praça pública - local do debate – mercado
Ágora: praça pública
tempo de Sócrates e Platão
Local dos debates e mercado
SÓCRATES de Atenas
(470 a.C – 399 a.C-) SÉC. V a.C -

Período Antropológico
•Métodos de Sócrates:
ironia e maiêutica
•Homem de discurso:
ágora
•Combate os sofistas
•Morte por cicuta
PLATÃO de Atenas –
(428 a.C – 348 a.C) séc. V a.C-

 Verdadeiro nome: Arístocles-


 Funda escola: Academia – estuda
matemática e geometria
 Platão: Mundo das Idéias e Mundo Sensível
 Alegoria da Caverna
 Escrevia sob a forma de
diálogos
ARISTÓTELES de Estagira
(384 a.C- 322 a.C)- séc. IV a.C-

 Aristóteles: Metafísica -
 Categorias: Substâncias e Acidentes
 Teoria das quatro causas: material, eficiente, formal
e final.
 Noções de Lógica: Proposição:
 Verdade e Falsidade
 Termos do Silogismo: a Validade
 Funda escola: Liceu: Ciências da Natureza
Período Helenístico

 Século III e II a.C – domínio macedônico e romano


 Influências orientais
 Questões Morais: - Como o indivíduo pode
encontrar a felicidade?
 :Estoicismo e Epicurismo
 Estoicismo: Zenão – (320 a.C – 250 a.C)
 Resposta: pela prática da ‘apatheia’: indiferença em
relação ao prazer e ao sofrimento - ser ‘virtuoso’.
 Viver numa fortaleza interior – sabedoria filosófica.
Período Helenístico

 Epicurismo: Epicuro (341 a.C – 270 a.C)


 Finalidade da vida é o prazer , não o prazer por
meio dos instintos e paixões, mas sim pela razão; o
verdadeiro prazer era não ter necessidade de nada.
 Afirmava valores como a amizade, pensamento e
apreciação das artes e das belezas naturais como
meios de alcançar a paz interior e o autodomínio.
 “Deve bastar ao homem um pouco de pão e palha
para que seja feliz.”
Filosofia Medieval
PATRÍSTICA E ESCOLÁSTICA

 PATRÍSTICA: ensinada aos padres da Igreja


 Santo Agostinho ( 354-439)
 Obra: “Cidade de Deus e a
Cidade dos Homens”
 “Crer para Compreender”
 Inspiração: Platão
 Razão e Fé não se
 contrapõem.
 Fé alcança verdades que
a Razão não alcança.
Filosofia Medieval – Escolástica -

 Escolástica: ensinada nas escolas das


catedrais. Debate e Discussões Lógicas.
 Inspiração: Aristóteles
 Pedro Abelardo: (séc. XII)
 Razão cultivada em si mesma, deve possuir
seus instrumentos: lógica e dialética - em
função da melhor compreensão das
Verdades da Fé
 Santo Tomás de Aquino: (séc.XIII)
Filosofia Escolástica

 Santo Tomás de Aquino- (séc. XIII)


 “Compreender para Crer
 Tema Constante:
 Provas da Existência de Deus e da Alma em demonstrações
Racionais
1. Motor Imóvel
2. Tudo o que existe tem de ter sido criado
3. Todo contingente implica o necessário
4. O imperfeito supõe o perfeito.
5. A ordem do mundo pressupõe um ordenador
Obra: Suma Teológica
 O problema dos Universais
 A posição realista
 A posição nominalista
Idade Moderna – Questão: O Conhecimento
RACIONALISMO-EMPIRISMO-IDEALISMO

 RACIONALISMO: A Razão – inteligência – é


o ponto de partida para o conhecimento.
Renée Descartes: Cartesius- sec. XVII
 Obra Principal:
O Discurso do Método:
- As Regras do Método
- A Dúvida Metódica e o Cogito
- As Idéias Inatas
Idade Moderna:
Teorias do Conhecimento: EMPIRISMO

 David Hume : sec. XVIII


 As Origens das Idéias - o conhecimento
começa com a experiência dos sentidos
 O Hábito – as sensações se repetem e
criamos o hábito de associá-las, criando as
idéias
 Conhecimento universal é impossível: toda
hipótese tem de ser experimentada pelos
sentidos
Idade Moderna:
Teorias do
Conhecimento:IDEALISMO

 Imannuel Kant:sec.XVIII- “Nossa época é a época


da crítica, a que tudo deve se submeter.”
 A Revolução Copernicana: a razão é a forma ‘a
priori’(ferramentas humanas inatas) para o
conhecimento e os objetos são formas ‘ a posteriori’
(dependem da experiência).
 Filosofia Transcendental: Juízos Analíticos e Juízos
Sintéticos
 Fenômeno e a ‘Coisa em Si’
Questão Política
THOMAS HOBBES
JOHN LOCKE
JEAN-JACQUES-
ROUSSEAU
Questão Política

Século XVII

Busca de
autonomia e
economia livre

Laicização do pensamento

Crítica ao Direito Divino dos Reis

Burguesia e Pactos – Contratos Sociais com


governantes
CONTRATUALISMO

 Direitos Naturais: “ jus naturalis”: cada


homem possui liberdade de fazer tudo o que
seu próprio julgamento e razão lhe indiquem
como adequados.
 Contrato: o homem compreende a
necessidade de renunciar a esse direito
natural para ter harmonia e segurança na
vida em sociedade, por meio de um pacto
com o governante.
Filósofos
Contratualistas

• HOBBES: ABSOLUTISMO

• LOCKE: LIBERALISMO

• JEAN-JACQUES-ROUSSEAU:
DEMOCRACIA DIRETA
Thomas Hobbes- séc XVII -

 Obra: O Leviatã
 Homem no estado natural: mau, egoísta,
ganancioso e usurpador
 Contrato: Absoluto, Total, Irreversível e
Indestituível
 Soberano: Deus Mortal
 Objetivo: evitar a guerra, preservar a paz
John Locke – século XVII -

 Homem no estado natural: proprietário


 Contrato garante a imparcialidade diante das
paixões individuais.
 Distingue o conceito de ‘público’ e ‘privado’
 Contrato: poder é um “trust, um depósito confiado
aos governantes, podendo ser tirado. Reversível e
Destituível
 Soberano: Legislativo
 Objetivo: garantir a paz, o livre exercício da
propriedade. O Estado não deve interferir.
Jean-Jacques Rousseau-
Séc.XVIII-

 Homem no estado natural:


 Bom Selvagem – problema é a noção de
“propriedade” que as sociedades desenvolveram
 Contrato: legítimo se originado do consentimento
unânime- cada um abdica de seus direitos em favor da
vida comunitária
 Soberania do povo, manifesta pelo ‘legislativo’,não
pode ser representada, deve ser ‘direta’ – assembléias
diretas -
Jean-Jacques Rousseau-Séc.XVIII

 Vontade Geral: pensar como pessoa pública


 Objetivo: Reconhecer no homem um ser:
- capaz de autonomia, superior
-capaz de superar as arbitrariedade
-livre enquanto dá o livre consentimento à lei
por considerá-la válida e necessária
- capaz de buscar soluções para problemas
sociais
FILOSOFIA CONTEMPORÂNEA
A AÇÃO

KARL MARX
JEAN-PAUL SARTRE
KARL MARX –(1818-1883)

 Século XIX-
 Sua obra apresenta duas teorias
 Teoria Científica: - Materialismo Histórico:
é a explicação da história por fatos materiais,
econômicos e técnicos
●Teoria Filosófica: - Materialismo Dialético: a
matéria é dado primário, fonte da
consciência – a consciência é dado
secundário, reflexo da matéria.
KARL MARX

 O espírito pode agir sobre os determinismos,


possibilitando a luta revolucionária – luta de
classes
 Sociedade estruturada em dois níveis:
 A Infra estrutura: base econômica, relação
do homem com a natureza e dos homens
entre si.
 A Superestrutura: estrutura jurídico-política
estrutura ideológica
JEAN-PAUL SARTRE - (1905-1980)

 Século XX- Existencialista –


 O homem primeiro existe, se descobre no
mundo e só então se define.
 Liberdade: Homem é condenado a ser livre
 Angústia: conseqüência de ter de escolher a
cada instante a própria vida
JEAN-PAUL SARTRE

 O homem é um “ser-para-si”: sendo


consciente é capaz de se analisar, se
compreender, se propor projetos, lançar-se...
 Os objetos e os animais são “ser-em-si”: não
sendo conscientes de si não são capazes de
se examinar.
JEAN-PAUL SARTRE

 Engajamento: ser-com-outros.
 Responsabilidade: sobre os outros com os
quais existe.
 “O importante não é o que fazem do homem,
mas o que ele faz com o que fizeram dele.”
(Sartre)
ÉTICA
FILOSOFIA MORAL

ARISTÓTELES
KANT
Filosofia Moral –
Aristóteles- (IV a. C)

 Virtudes: equilíbrio – moderação


 A Vontade guiada pela Razão: deliberação.
 Comportamentos Morais:
 Virtuoso
 Continente
 Não-Continente
 Vicioso
Filosofia Moral –
IMMANUEL Kant - (1724-1804)

 Moral do Dever
 Máximas do Comportamento Moral:
 “Age sempre e de tal maneira que tuas ações
possam ser regras
universais para todos os homens.”