You are on page 1of 5

A GLÓRIA DA SEGUNDA CASA

“Quem há entre vós que, tendo ficado, viu esta casa na sua primeira
glória? E como a vedes agora? Não é esta como nada em vossos
olhos, comparada com aquela?” (Ageu 2:3)
Ciro rei da Pérsia, havia permitido que 50.000 judeus voltassem a
Jerusalém sob a liderança do governador Zorobabel e o sumo
sacerdote Josué. Durante o segundo ano de seu retorno, foram
lançadas os alicerces do templo. A oposição dos samaritanos,
porém, fez cessar a obra. Esta tarefa ficou paralisada por dezesseis
anos. E, os judeus se tornaram espiritualmente fracos. Foi quando
Deus enviou os profetas Ageu e Zacarias para encorajá-los.
1 – A casa do Senhor estava deserta:
“Porventura é para vós tempo de habitardes nas vossas casas
forradas, enquanto esta casa fica deserta?” (Ageu 1:4)

 Os judeus que voltaram do cativeiro estavam tão


ocupados, com os próprios interesses, que passaram
negligenciar a construção da casa de Deus.

 As suas casas estavam revestidas de madeira de


cedro, enquanto o templo permanecia em ruínas.

 Ageu mostra-lhes que a obra de Deus tem que ter


primazia.

 O Reino de Deus e as causas do Mestre precisam ter


prioridade em nossa vida: “Mas, buscai primeiro o
Reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas
vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33).

 Jesus era zeloso pela casa e obra de


Deus: "Lembraram-se então os seus discípulos de
que está escrito: O zelo da tua casa me
devorará." (João 2:17); -"Disse-lhes Jesus: A minha
comida é fazer a vontade daquele que me enviou, e
completar a sua obra." (João 4:34); - "Porque eu
desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a
vontade daquele que me enviou." (João 6:38)
 O que estabelecemos como prioridade, indica o amor
que devotamos ao nosso Senhor.

2 – Semeastes muito e recolhestes pouco:


“Tendes semeado muito, e recolhido pouco; comeis, mas não vos
fartais; bebeis, mas não vos saciais; vestis-vos, mas ninguém se
aquece; e o que recebe salário, recebe-o para o meter num saco
furado. Assim diz o Senhor dos exércitos: Considerai os vossos
caminhos. Subi ao monte, e trazei madeira, e edificai a casa; e
dela me deleitarei, e serei glorificado, diz o Senhor.
Esperastes o muito, mas eis que veio a ser pouco; e esse pouco,
quando o trouxestes para casa, eu o dissipei com um assopro. Por
que causa? diz o Senhor dos Exércitos. Por causa da minha casa,
que está em ruínas, enquanto correis, cada um de vós, à sua
própria casa.
Por isso o céu não vos dá o orvalho, e a terra não dá seus frutos. E
mandei vir a seca sobre a terra, e sobre as colinas, sobre o trigo e o
mosto e o azeite, e sobre tudo o que a terra produz; como também
sobre os homens e os animais, e sobre todo o seu trabalho.” (Ageu
1:6-11)

 O povo de Deus perdera a sua bênção, pois estava


vivendo apenas em função das próprias vantagens.

 Revelavam um mínimo interesse pelos alvos e


propósitos divinos.

 Podemos esperar um declínio das bênçãos e da


ajuda de Deus em nossa vida, se não estivermos
envolvidos pela sua obra, tanto no lar quanto entre as
nações.

3 – Ouviu a voz do Senhor:


“Então Zorobabel, filho de Sealtiel, e o sumo sacerdote Josué, filho
de Jeozadaque, juntamente com todo o resto do povo, obedeceram
a voz do Senhor seu Deus, e as palavras do profeta Ageu, como o
Senhor seu Deus o tinha enviado; e temeu o povo diante do
Senhor.” (Ageu 1:12)

 Os líderes e o povo reagiram positivamente à


mensagem de Ageu.
 Obedeceram e temeram ao Senhor.
 Levaram a sério a Palavra de Deus.
 Recomeçaram de imediato a construção da casa do
Senhor.

4 – Eu sou convosco:
“Então Ageu, o mensageiro do Senhor, falou ao povo, conforme a
mensagem do Senhor, dizendo: Eu sou convosco, e diz o
Senhor.” (Ageu 1:13)

 Deus responde a obediência do seu povo,


prometendo-lhe que estaria de seu lado.

 Fortaleceu lhes a decisão, ajudou-os a levar adiante


a obra: “Então ele me respondeu e disse para mim:
Esta é a palavra do Senhor para Zorobabel dizendo:
Não é por força, não é pelo poder, mas pelo meu
espírito, diz o Senhor dos Exércitos.” (Zacarias 4:6)

 Estar “Contigo” é a mais grandiosa promessa que o


Senhor pode nos fazer: “E o Senhor lhe apareceu
naquela noite, e disse: Eu sou o Deus de teu pai
Abraão; não temas, porque estou contigo, e eu te
abençoarei e multiplicarei tua descendência por
causa de meu servo.” (Gênesis 26:24)

“E eu estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te


farei voltar a esta terra; porque não te deixarei até que esteja
cumprido aquilo de que te falei.” (Gênesis 28:15)

“E Ele disse: Eu estarei contigo; e isto te será por sinal de que eu te


enviei: Quando houveres tirado do Egito meu povo, servireis a Deus
neste monte.” ( Êxodo 3:12)

“Ensinando-os a obedecer tudo o que eu vos tenho ordenado. E eis


que estou convosco todos os dias, até a consumação dos
séculos.” (Mateus 28:20)
5 – A glória da segunda casa:
“Quem há entre vós que, tendo ficado, viu esta casa na sua primeira
glória? E como a vedes agora? Não é esta como nada em vossos
olhos, comparada com aquela?” (Ageu 2:3)
Deus encoraja o povo com três promessas:
a. O próprio Deus estará com eles para garantir o
cumprimento de todas as promessas (verso 4).
b. O espírito de Deus permanecerá entre o povo (verso 5).
c. A glória do último templo seria maior do que a do primeiro
por causa da demonstração do poder de Deus que nele
haverá (verso 9).

 O ministério de Jesus e dos apóstolos aconteceu no


segundo templo.
 Não é a beleza da estrutura que dá frutos no Reino
de Deus.
 O que mais importa é a presença dos dons,
ministérios e presença do poder do Espírito Santo em
nosso meio.
 O Espírito Santo tem se manifestado em nosso meio,
com poder?

6 – Perguntai, agora, aos sacerdotes:


“Ao vigésimo quarto dia do mês nono, no segundo ano de Dario,
veio a palavra do Senhor ao profeta Ageu, dizendo: Assim diz o
Senhor dos Exércitos: Pergunta agora aos sacerdotes, acerca da
lei, dizendo:
Se alguém levar na aba de suas vestes carne santa, e com a sua
aba tocar no pão, ou no guisado, ou no vinho, ou no azeite, ou em
qualquer outro mantimento, ficará este santificado? E os sacerdotes
responderam: Não.
Então perguntou Ageu: Se alguém, que for contaminado pelo
contato com o corpo morto, tocar nalguma destas coisas, ficará ela
imunda? E os sacerdotes responderam: Ficará imunda. Ao que
respondeu Ageu, dizendo: Assim é este povo, e assim é esta nação
diante de mim, diz o Senhor; assim é toda a obra das suas mãos; e
tudo o que ali oferecem imundo é.” (Ageu 2:10-14)

 A influência corruptiva do pecado é contagiosa


 Morar na terra santa não torna ninguém santo.
 O pecado profana tudo o que povo faz, inclusive a
adoração.

7 – Aplicai o vosso coração a isso, desde este dia em diante:


“Agora considerai o que acontece desde aquele dia. Antes que se
lançasse pedra sobre pedra no templo do Senhor, quando alguém
vinha a um montão de trigo de vinte medidas, havia somente dez;
quando vinha ao lagar para tirar cinqüenta, havia somente vinte.
Eu vos feri com vento causticante, e com ferrugem, e com granizo,
em todo o trabalho de vossas mãos; contudo não houve entre vós
quem me desse atenção, diz o Senhor. Sede cautelosos de hoje
em diante, fazei uma reflexão até o vigésimo quarto dia do mês
nono, em que foi colocado o fundamento do templo do Senhor;
considerai bem.
Está ainda semente no celeiro? A videira, a figueira, a romeira, e a
oliveira ainda não dão os seus frutos? Desde este dia hei de vos
abençoar.” (Ageu 2:15-19)

 Deus ordena ao povo que considere por que não fora


ainda abençoado.
 A causa era a desobediência (Ageu 1:9-11).
 Agora as bençãos vinham a partir da decisão de
edificar o templo (a obra).
 Deus faz com que tudo que empreendam tenha êxito.
 O favor de Deus, amor, e comunhão, vêm a medida
que continuamos a buscá-lo e observar os seus
mandamentos.

“Quem tem os meus mandamentos e os obedece, esse é o que me


ama. Aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o
amarei e me revelarei a ele. Disse então Judas (não o Iscariotes):
Senhor, por que estás para manifestar-te a nós e não ao mundo?
Jesus respondeu: Se alguém me ama,guardará a minha palavra.
Meu Pai o amará, e viremos a ele e faremos nele morada.” (João
14:21-23)
O Templo foi reiniciado no ano de 520 a.C e terminado no ano 516
a.C.
Concluímos que quando amamos a obra do Senhor e investimos os
nossos recursos e trabalho, seremos ricamente abençoados.
As promessas de nosso Deus não falham. Deus é fiel!