You are on page 1of 47

FUNCIONAMENTO E CONSERVAÇÃO DOS

UFCD
MATERIAIS, EQUIPAMENTOS E
3379
PRODUTOS DE LIMPEZA
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Índice

Introdução ........................................................................................................... 2
Âmbito do manual ............................................................................................. 2
Objetivos .......................................................................................................... 2
Conteúdos programáticos ................................................................................... 2
Carga horária .................................................................................................... 3
1.Tipos de equipamentos dos alojamentos e áreas comuns....................................... 4
1.1− Finalidades................................................................................................ 4
1.2− Características ........................................................................................... 6
1.3− Modos de utilização ................................................................................... 7
1.4− Condições de conservação .......................................................................... 7
2.Máquinas, aparelhos e utensílios utilizados no serviço de limpeza, suas
características, finalidades e utilização .................................................................... 9
2.1− Aspiradores, enceradores, máquina de lavar chão/alcatifa, aparelhos de
limpeza de vidros .............................................................................................. 9
2.2− O carro de andares e a sua preparação ...................................................... 15
2.3− Baldes, vassouras, cabos extensíveis, panos,... ........................................... 17
2.4− Instruções de funcionamento..................................................................... 22
2.5− Manuseamento e manutenção ................................................................... 22
2.6− Limpeza e arrumação das máquinas ........................................................... 24
2.7− Cuidados a ter .......................................................................................... 25
3.Produtos de limpeza, suas características, finalidades e métodos de aplicação ........ 27
3.1− Composição, diluição e aplicação ............................................................... 27
3.2− Biodegradabilidade ................................................................................... 32
3.3− Arrumação, rotulagem e manuseamento dos produtos................................. 33
3.4− Precauções na sua utilização, aplicação e conservação................................. 36
4.Métodos e técnicas de execução dos trabalhos de limpeza .................................... 38
Bibliografia .......................................................................................................... 46

1
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Introdução

Âmbito do manual

O presente manual foi concebido como instrumento de apoio à unidade de formação


de curta duração nº 3379 – Funcionamento e conservação dos equipamentos,
materiais e produtos de limpeza, de acordo com o Catálogo Nacional de
Qualificações.

Objetivos

 Identificar máquinas, produtos e utensílios e as respetivas condições de


utilização e conservação

Conteúdos programáticos

 Tipos de equipamentos dos alojamentos e áreas comuns


o Finalidades
o Características
o Modos de utilização
o Condições de conservação
 Máquinas, aparelhos e utensílios utilizados no serviço de limpeza, suas
características, finalidades e utilização
o Aspiradores, enceradores, máquina de lavar chão/alcatifa, aparelhos de
limpeza de vidros
o O carro de andares e a sua preparação
o Baldes, vassouras, mopas, cabos extensíveis, panos
o Instruções de funcionamento
o Manuseamento e manutenção

2
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

o Limpeza e arrumação das máquinas


o Cuidados a ter
 Produtos de limpeza, suas características, finalidades e métodos de aplicação
o Composição, diluição e aplicação
o Biodegradabilidade
o Arrumação, rotulagem e manuseamento dos produtos
o Precauções na sua utilização, aplicação e conservação
 Métodos e técnicas de execução dos trabalhos de limpeza

Carga horária

 50 horas

3
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

1.Tipos de equipamentos dos alojamentos e áreas comuns

1.1− Finalidades

Uma coisa que está limpa não tem poeira, sujidade, manchas, e outras substâncias ou
marcas indesejáveis. Assim, limpar, significa tornar a “coisa” limpa, lavando,
aspirando, limpando a seco, ou escovando.

O objetivo da limpeza não é só o de remover sujidades, manchas ou marcas, mas


também prevenir que estas atinjam as superfícies.

Existem vários métodos de limpeza, produtos, utensílios e máquinas, para nos auxiliar
na tarefa da limpeza, de modo a que esta seja mais rápida e eficiente. De seguida
iremos nomear alguns, identificando características e vantagens da sua utilização.

4
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

De referir que neste manual apenas se referem produtos e máquinas da marca


Hoover, pois estes são os utilizados no Centro de Formação. Contudo, várias são as
marcas existentes no mercado, igualmente recomendadas.

Limpeza - Definição
“Limpeza é o processo de localizar, identificar, conter, remover e desfazer-se de forma
adequada, de substâncias indesejáveis, ou seja, poluentes de uma superfície ou
ambiente”. - Abralimp, 1998

“Limpeza é a remoção de qualquer corpo indesejável, visível ou não, de uma


superfície, sem alteração das características originais do item que está sendo limpo, e
onde o processo utilizado não seja nocivo ao meio ambiente.” - Viviani, 2003

“Limpeza – 1. ato ou efeito de limpar. 2. Qualidade de limpo, de asseado, asseio. 3.


Esmero, apuro.” – Dicionário Porto Editora

Tipos de Sujidade
A sujidade é constituída por pó e detritos:
- O pó está solto, é composto por partículas secas do ar assentam nas
superfícies.
- Os detritos são uma mistura de pó e líquidos, porcaria e gordura. Por vezes
penetram nas superfícies, são difíceis de remover, particularmente em textura
rugosa e absorvente.

Todo o equipamento de limpeza usado na secção de andares tem como finalidade


permitir a execução do processo de limpeza, arrumação e manutenção dos espaços
que se encontram sob a responsabilidade da empregada de andares.

As empregadas de andares têm a responsabilidade de limpar, higienizar e arrumar os


seguintes ambientes no hotel:
 Quartos de hóspedes;
 Corredores;

5
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

 Áreas públicas;
 Área de piscina e pátio;
 Escritórios da administração;
 Áreas de armazenamento (com exceção da cozinha);
 Rouparia;
 Lavandaria;
 Vestiários e casas de banho;
 Salões de eventos.

Geralmente, constituem tarefas das empregadas de andares:


 Limpeza de quartos
 Limpeza de áreas públicas
 Trocar o enxoval (roupas da cama e banho)
 Receber e encaminhar roupas dos hóspedes à lavandaria
 Planeamento e controlo de atividades
 Controlo de gastos e utilização de materiais.

Para além de todos estes equipamentos existem muitos outros, dependendo do


tamanho da unidade hoteleira. Todos têm as suas características e finalidades.

Deve ter-se sempre a preocupação que todos estes locais são os que estão visíveis ao
público em geral. Daí deva ser dada uma limpeza diária e mais aprofundada em certas
áreas, como por exemplo a receção do Hotel, já que é o primeiro contacto físico com o
Hotel.

1.2− Características

Os equipamentos mais comuns no departamento de andares são:


 Aspirador
 Enceradora
 Máquina de lavar carpetes

6
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

 Carro de andares
 Equipamentos de limpeza: balde, vassouras, escovas, mopas, pá de lixo, saco
de lixo, etc.

Ao efetuar as limpezas, sejam elas em quartos ou nas áreas públicas, o tratamento dos
equipamentos deve ser efetuado com a máxima cautela e cuidado, pois a reparação
poderá muitas vezes ficar dispendiosa, como por exemplo os elevadores.

1.3− Modos de utilização

A governanta deve sempre observar junto dos fornecedores: confiança, qualidade dos
produtos, reputação e imagem:
 Os produtos de limpeza nunca devem ser retirados da embalagem original
 Não se devem misturar diferentes produtos de limpeza
 Usar EPI (equipamento de proteção individual) correto
 Os produtos concentrados apenas devem ser usados sob recomendação

1.4− Condições de conservação

Todos os equipamentos em uso no processo de limpeza devem estar com a melhor


apresentação e em perfeito estado de funcionamento.

O material de limpeza deve ser selecionado, de boa qualidade e distribuído ou


controlado pela governanta, para evitar uso inadequado ou desperdício.

A escolha criteriosa dos produtos deve ser feita de acordo com a quantidade e a
economia, agregando produtividade aos serviços realizados pelos colaboradores do
sector, resultando numa maior satisfação dos hóspedes.

7
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Existe uma diversidade muito grande de produtos de limpeza no mercado, que deverão
ser escolhidos de forma criteriosa. Antes da escolha deverão ser realizados testes em
cada produto.

A governanta deverá estar sempre atualizada no sentido de conhecer todos os novos


produtos e novas tecnologias do mercado, sempre com as portas abertas para receber
novos fornecedores, novas propostas e às vezes renegociando propostas mais antigas,
no sentido de diminuir preços e garantir a qualidade.

A durabilidade e a eficiência desses equipamentos dependem de um acompanhamento


constante sobre o seu funcionamento ou troca, assim que for detetado algum
problema. A comunicação entre as empregadas de andares e a governanta deve ser
rápida, clara e objetiva.

8
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

2.Máquinas, aparelhos e utensílios utilizados no serviço de


limpeza, suas características, finalidades e utilização

2.1− Aspiradores, enceradores, máquina de lavar chão/alcatifa,


aparelhos de limpeza de vidros

Equipamento Eléctrico

Aspiradores
Os aspiradores são as peças mais importantes no equipamento de limpeza. Poucos ou
nenhuns estabelecimentos passam sem eles.

9
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Mediante a função, distinguimos 2 tipos de aspiradores:


1. Aspiradores de pó: são utilizados para limpar carpetes, pavimentos difíceis,
escadas, estofos, paredes e cortinas.
2. Aspiradores de líquidos que são próprios para a limpeza de líquidos.

Estes aparelhos funcionam através da sucção da sujidade seca, pó ou partículas de lixo


através de um tubo, até um saco, ou, no caso de líquidos, para uma caixa de metal
dentro do motor.

Quando o saco estiver cheio pode ser substituído, ou, quando a caixa estiver cheia,
pode ser esvaziada. O ar que é aspirado juntamente com a sujidade passa por vários
filtros, que filtram as pequenas partículas de sujidade e bactérias para que o ar
expedido pela máquina seja limpo.

Nos aspiradores deve-se ter em atenção o nível de sujidade/líquidos que se encontra


no saco ou na caixa, pois se estes estiverem muito cheios, os poros ficarão
bloqueados, restringindo a circulação de ar e reduzindo a capacidade de sucção da
máquina. Poderá ainda provocar o excessivo aquecimento do motor.

Os aspiradores estão disponíveis com vários acessórios, como por exemplo:


 Bocal para a limpeza de estofos,
 Bocal pontiagudo para fendas,
 Escova para carpetes,
 Escova para pavimentos e paredes,
 Escova redonda para limpeza de prateleiras e rebordos elevados
 Acessórios com rolos de borracha para a remoção de água,
 Etc.

10
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Aspirador de líquidos
Serve para aspirar água e outros líquidos. Despejar, lavar e secar o recetáculo.
Verificar se a mangueira e os tubos não estão entupidos. Limpar o pó exteriormente e
enrolar o fio, para não criar nós.

11
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Máquinas de escovas rotativas para a limpeza de pavimentos


(Encerar/Decapar/Limpar)
Estas máquinas funcionam com uma escova, um disco, ou uma almofada que são
rodadas mecanicamente.

Existem diferentes máquinas desenhadas para diferentes utilizações. Uma máquina


pode ser usada para esfregar, polir ou limpar pavimentos difíceis, dependente do
acessório que se coloque a rodar.

Nestas máquinas existe um compartimento para se adicionar detergente para auxiliar a


tarefa (por exemplo, decapante para ajudar a remover a cera)

Na Hoover, por exemplo, os discos podem ainda ser distinguidos pelas cores:
 Disco preto - esfregar
 Disco verde - lavar
 Disco vermelho e disco branco - polir

Existem 4 modelos básicos:

Espuma seca:

12
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Estas máquinas dispensam a solução de detergente sobre a carpete. Uma vez libertada
a espuma a sujidade é seca e removida com o aspirador;

Máquinas de escova rotativas de velocidade nivelada:


Estas máquinas podem ser usadas para ensaboar carpetes. Possuem um tanque onde
se coloca o detergente. A escova introduz o detergente na carpete. Para retirar a
sujidade usa-se o aspirador.

Máquinas de escova rotativa de alta velocidade:


Fornecida com uma escova extra e pode ser usada no pavimento com um spray
apropriado. O detergente atua na sujidade libertando-a, sendo depois absorvida pela
escova. Esta terá que ser substituída com frequência.

Extração com água quente:


Combinam a limpeza e a secagem. A solução de detergente é pulverizada com pressão
para a superfície, algumas vezes usando uma escova acionada mecanicamente para
melhorar a penetração e absorvida de novo com a sujidade solta para dentro da
máquina.

Duas passagens são geralmente necessárias para assegurar uma boa limpeza e para
uma boa remoção do detergente

13
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Lavadora de alcatifa
Estes aparelhos são concebidos especialmente para a limpeza de alcatifas, sendo
eficientes a tirar nódoas e a conservar em bom estado os tecidos.

Com um aspeto semelhante ao de um aspirador, as lavadoras de alcatifas, antes de


aspirar a sujidade, emitem água com detergente e têm um motor que lava os tecidos.

Posteriormente a mistura suja é aspirada, sendo o poder de sucção tão forte que deixa
os tecidos praticamente secos.

O mecanismo de limpeza da Hoover é o seguinte:

1- motor para lavagem


2- motor de aspiração de água
3- Percurso efectuado pela agua limpa
4- Dupla aspiração

14
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

2.2− O carro de andares e a sua preparação

Este objeto é de extrema importância no serviço de andares, sendo crucial para o


maior rendimento do trabalho.

A maior parte dos carrinhos tem prateleiras para roupas e produtos em geral.

15
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

O carro de andares deve ser preparado da maneira mais racional possível, de forma a
minimizar idas ao ofício para buscar material. Este deve estar equipado com todo o
material necessário para a limpeza e arrumação do aposento.

Itens presentes num carrinho de andares:


 Lençóis e fronhas limpos
 Forro de colchão
 Toalhas de rosto e de banho limpas
 Tapetes limpos para a casa de banho
 Saco de lavandaria para roupa suja
 Sacos de lixo
 Papel higiénico
 Copos limpos
 Amenities, consoante as deliberações do hotel e a respetiva categoria, as quais
podem ser:
o Shampoo
o Gel de banho
o Sabonete
o Loção hidratante
o Cotonetes
o Kit escova dental
o Touca de banho
o Saco higiénico
o Kit de costura
o Polidor de sapatos
 Cinzeiros limpos
 Cesto de mão para transportar pequenos volumes.

O cesto de mão serve para levar os produtos de limpeza para dentro do quarto, uma
vez que o carrinho fica do lado de fora.

O interior deste cesto pode conter:

16
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

 Escova de sanita
 Panos de limpeza
 Escovas/ esponjas de limpeza
 Polidor de móveis
 Detergentes diversos
 Limpa-vidros

Previsão de material
Para arrumar e limpar o aposento, vários são os utensílios, produtos e objetos
necessários. Esses materiais encontram-se arrumados na Rouparia e no Economato.

Estando a empregada de andares responsável por piso, faz parte das suas atribuições
controlar e gerir o material necessário `sua função. Para tal, com a frequência
necessário, deverá requerer, junto da governanta, o material necessário para
abastecer o Ofício do seu piso, e o carrinho de andares. Para tal, utiliza-se o impresso
de requisição de material.

Deve ser feito sempre um formulário de “stock mínimo” no carrinho, antes da troca de
turno, para evitar correr o risco de ficar sem material nos andares, o que poderá
atrapalhar o serviço.

2.3− Baldes, vassouras, cabos extensíveis, panos,...

Para que a tarefa de limpara seja mais rápida e eficaz, recorremos a vários utensílios,
equipamentos e produtos. Vejamos então alguns exemplos do equipamento manual
disponível:

Vassouras
Este utensílio é útil para varrer pátios, escadas exteriores, caminhos onde o pó que
elas fazem levantar não se aloja no mobiliário ou noutras superfícies.

17
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

As vassouras têm cerdas longas que se destinam a limpeza de caminhos de jardim e


noutras superfícies mais difíceis do exterior ou cerdas mais suaves, apropriadas para
texturas mais suaves, como escadarias exteriores.

As vassouras devem ser sacudidas dentro de um saco plástico, para que o pó não se
espalhe. Devem ser lavadas diariamente com água corrente e colocadas a secar
voltadas para cima, para que não se deformem com a secagem.

Escovas
Escovas de mão podem ser usadas para juntar lixo, como por exemplo reunir cacos de
louça partida.

Existem contudo escovas desenhadas especialmente para limpeza de sanitas


(piaçabas). Muitos modelos têm cabo em plástico, cerdas em nylon e um suporte.

Para evitar o risco de propagação de bactérias, estas escovas devem ser usadas e em
seguida lavadas, armazenadas, depois de secas, num armário de casa de banho.

18
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

As escovas para limpar garrafas podem ser usadas para limpar os excessos das bacias
e lavatórios.

Esfregonas
Existem 03 tipos básicos de esfregonas para lavar o chão:
 Pequenas, também conhecidas por “lava-tudo”
 Grandes, que devem ser separavéis do cabo para serem lavadas no fim do
trabalho
 Esponjas, normalmente com balde e com dispositivo para se espremer o
excesso de líquido.

Quando se utiliza uma esfregona, é sempre necessário um balde com um local para
espremer. Estes baldes podem ser feitos de ferro galvanizado, fibra de vidro ou
plástico, ao qual, por vezes se incorporam rodinhas, para serem mais facilmente
transportados.

Estes baldes podem ser feitos nos mais variados materiais: ferro galvanizado, fibra de
vidro, ou plástico. Podem ter rodinhas para poderem ser transportados mais facilmente
e, proteções para não estragarem as paredes e marcações para ajudar na medição das
soluções de limpeza.

É aconselhável o uso de dois baldes durante a limpeza, para que se esprema a água
suja para um balde e se molhe de novo a esfregona noutro.

19
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Devem ser lavadas com água corrente e detergente e colocadas a secar com os
filamentos voltados para cima para que estas não deformem com a secagem.

Os baldes devem ser lavados e desinfetados e colocados a secar voltados para baixo,
para que toda a água escorra e evite a propagação de bactérias

Espremedor Esfregona Balde Balde

Mopas
As mopas são utilizados na recolha do pó e pequenas particulas de sujidade do chão e
paredes.

As vassouras são utilizadas para limpeza do exterior, enquanto que as mopas são
utilizadas no interior dos estabelecimentos, pois não permitem que o pó se levante.

A parte das mopas que varrem, ou seja a zona que entra em contacto com a sujidade
e que se localiza no final do cabo, pode ser feita de nylon, acrílico ou poliéster.

As mopas tem uma forma alongada e horizontal e não devem ser levantadas do chão.
Devem ser articuladas para uma melhor limpezaem volta das mobilias, sofas, etc.

As mopas devem ser lavadas todos os dias. Podem ser lavadas e secas na máquina e
devem ser devidamente arrumadas.

20
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Lava e Limpa Vidros


Em termos profissionais, a limpeza de vidros é uma tarefa muito importante e que,
sem os acessórios apropriados, poderá demorar bastante tempo. Assim, para facilitar
este serviço usam-se esponjas próprias para lavar os vidros, sem largar pêlos.

Por norma são constituídos por cabos extensíveis para assegurar a limpeza de vidros
altos e de grandes dimensões, por uma mopa de limpeza composta por microfibras,
um abrasivo lateral para remover sujidade mais difícil e uma borracha de boa
qualidade de remoção de líquidos.

Estas esponjas são ensopadas em soluções específicas para limpar e desengordurar


cristais, e depois friccionadas pelos vidros, libertando espuma.

Para terminar a tarefa, esta espuma é recolhida pelo limpa vidros, um acessório com
configuração semelhante ao anterior, mas que termina com uma borracha específica
para recolher solução que a esponja espalhou.

As partes laváveis podem ser colocadas a lavar e a secar na máquina. As que não se
podem lavar na máquina, devem ser lavadas com água corrente e com um pano para
retirar o excesso de água.

21
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Limpa-vidros Lava-Vidros

2.4− Instruções de funcionamento

Não utilizar uma máquina, sem ter recebido as instruções técnicas para o seu
funcionamento e manutenção.

Devem ser criteriosamente seguidas as instruções do fabricante, no caso de


equipamentos elétricos.

Se alguma das máquinas der sinais de mau funcionamento, ou apresentar fio


descarnado, ficha solta, calor excessivo ou barulho estranho, deverá desligar-se e
entregá-la para a reparação.

Exemplo de uma ficha técnica de um equipamento (aspirador)

2.5− Manuseamento e manutenção

22
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Manuseamento do equipamento manual:


 Os tecidos de limpeza devem ser bem torcidos para limpeza do pó, pois de
outro modo eles deixam marcas. A solução de detergente deve ser mudada
com frequência.
 A sujidade recolhida pelas vassouras pode ser retirada do chão e a sujidade das
próprias vassouras podem ser retiradas com um aspirador. Nunca sacudir a
vassoura pela janela ou pela porta. Se não tiver nenhum aspirador à disposição,
coloque a vassoura num saco (de preferência que não tenha sido usado) e
segurando o saco sacuda a vassoura.
 As esfregonas devem ser lavadas com frequência.
 Quando usar as mopas, empurre-as para a frente usando a articulação da base
para mudar de direção, sem nunca a levantar do chão. Não a use em
pavimentos húmidos.
 Mude com frequência as bases das mopas e das vassouras. Se começarem a
deixar resíduos é sinal que é necessária a substituição.
 Lave os piaçabas com detergente neutro. Deixe-as secar viradas para baixo.

Manutenção do aspirador
 Retirar o saco do aspirador de acordo com as instruções
 Esvaziar o saco do aspirador dentro da data de lixo
 Verificar o filtro do aspirador
 Verificar a voltagem da tomada antes de utilizá-lo
 Limpar a parte externa do aspirador com um pano húmido
 Desenrolar o fio do aspirador e ligar adequadamente ao aparelho
 Guardar da forma correta, dentro do armário, com o fio enrolado em 8.
 Verificar os objetos que são aspirados.

No final do turno, o carrinho deve ficar pronto para o dia seguinte, devendo ser
abastecido com todo o material necessário:
 Reorganizar e limpar o carrinho
 Abastecer o carrinho de roupas limpas
 Esvaziar e repor os sacos de lixo.

23
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

2.6− Limpeza e arrumação das máquinas

Devem ser observados cuidados particulares de limpeza e arrumação das máquinas, de


forma a maximizar a sua durabilidade e eficiência e facilitar o seu uso pelo turno
seguinte.

Aspirador
Despejar o saco quando estiver cheio (não excessivamente), verificar a mangueira e os
tubos (ver se estão entupidos).

Periodicamente verificar o filtro (se está obstruído), limpar o pó exteriormente, com um


pano húmido e depois com um seco, enrolar corretamente o fio para não criar nós e
guardá-lo em lugar seguro.

Quando se desliga deve puxar-se pele ficha e não pelo fio.

Aspirador de líquidos
Verificar se a mangueira e os tubos não estão entupidos. Limpar o pó exteriormente e
enrolar o fio, para não criar nós.

Enceradora
Deve ser limpa com um pano húmido e um seco, após cada utilização. Retirar as
escovas, para não deformarem e limpá-las.

Os feltros deverão ser utilizados de ambos os lados, alternadamente, para terem um


desgaste uniforme. O saco deve ser despejado de vez em quando. Enrolar
convenientemente o fio, para não criar nós.

24
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

2.7− Cuidados a ter

Cuidados a ter na utilização de equipamento manual:


 Os tecidos descartáveis para a limpeza devem ser colocados num saco de lixo
depois de usados. Não deverá ser repetido o seu uso.
 Os panos de limpeza e as esponjas devem ser lavados numa solução de
detergente neutro, enxaguados em água abundante e postos de seguida a
secar.
 As bases das mopas devem ser retiradas para serem lavadas e esterilizadas na
lavandaria onde se atingem temperaturas elevadas para isso. Outras podem ser
lavadas em água muito quente e numa solução de detergente neutro,
enxaguadas em água abundante e colocadas a secar.
 As vassouras depois de sacudidas, devem ser lavadas em água tépida e num
detergente neutro e depois de enxaguadas deixam-se a secar, sempre com a
base para cima, para não deformar.
 Os baldes e as pás devem ser sempre lavados depois de utilizados, voltados
para baixo, para que sequem completamente.

Cuidados gerais com equipamentos eléctricos:


 Desligar sempre o aparelho e tirar a ficha da tomada antes de limpar, tocar ou
retirar acessórios do equipamento.
 Nunca utilizar uma extensão enquanto estiver a ensaboar ou esfregar, a menos
que as ligações elétricas estejam protegidas de ficarem molhadas.
 Manter as soluções de detergentes bem afastadas das ligações elétricas.
 Enrolar cuidadosamente os fios elétricos par que estes não formem nós.
 Se a máquina revelar sinais de mau funcionamento, informar imediatamente e
colocar um rótulo no aparelho a dizer “fora de serviço”.

Cuidados a ter com a utilização do aspirador:


 O aspirador é um aparelho muito útil e frágil, deve ser manipulado com
cuidado.

25
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

 Verifique se a tensão de alimentação do aparelho corresponde à instalação


elétrica disponível.
 Guarde o aspirador em local seco e longe dos raios solares.
 Não utilizar o aparelho com o cabo elétrico ou outros componentes danificados.
 Não deixar o cabo elétrico tocar superfícies quentes ou cortantes.
 Não molhar o aspirador, nem utilizá-lo com as mãos ou pés molhados.
 Não aspire substâncias inflamáveis ou explosivas (líquido, gás)
 Não aspire resíduos incandescentes (cinzas quentes ,brasas,…)

Cuidados a ter na utilização de máquinas de escovas rotativas


 Os tanques usados nas operações de ensaboamento e aplicação de líquidos de
limpeza devem ser esvaziados depois de usados, e sendo necessário
enxaguados com água corrente e postos a secar sem tampa.
 Qualquer tubo, filtro ou bocais devem ser lavados regularmente em
detergentes neutros, enxaguados e postos a secar antes da máquina ser
remontada.
 As escovas devem ser retiradas e lavadas também em detergente neutro e
postas a secar penduradas.
 O equipamento exterior, incluindo as rodas e o fio elétrico devem ser limpos
depois de usados com um pano limpo. As rodas necessitam de ser oleadas
regularmente.
 Deve sempre verificar-se as instruções do produtor, antes de fazer a primeira
utilização.

26
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

3.Produtos de limpeza, suas características, finalidades e


métodos de aplicação

3.1− Composição, diluição e aplicação

Agentes básicos de limpeza

Água
A água é o agente de limpeza mais simples, que ajuda a dissolver a maior parte da
sujidade. Contudo, a água por si só não ensopa nem penetra convenientemente numa
superfície. Se se acrescentar um agente como o sabão ou outro detergente, a solução
torna-se mais penetrante, limpando com mais eficiência.

27
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

A pressão da água é um poderoso método de limpeza, que atua despegando a


sujidade da superfície.

A água é ainda usada para limpar o que outro detergente fez (por exemplo, a espuma
que o sabão deixa).

Para uma boa utilização da água deve-se ter em conta o tipo de água existente. Ela
pode ser: macia, semidura, dura e muito dura. Estas classificações estão de acordo
com o calcário da água.

Por exemplo, a água do Sul de Portugal é caracterizada por uma água dura enquanto a
água a Norte do país é considerada, de macia.

Sabão
O sabão é feito de gorduras naturais, como o óleo de palma, óleo de peixe ou outro
animal gordo, misturado com soda cáustica (uma poderosa substância química). Ele é
produzido na forma sólida, liquida, em lascas ou em pó.

O sabão misturado em água produz uma emulsão. Isto significa que pode dissolver a
maioria das gorduras ou óleos em partículas tão pequenas que se misturam com água
e desaparecem.

Para ter certeza que não ficam partículas de sujidade deve-se enxaguar mais que uma
vez.

Infelizmente uma mistura de sabão e água também produz uma espuma insolúvel. Os
componentes quer da água quer do sabão, aderem à superfície a ser limpa, tornando
mais difícil o enxaguamento.

Isto torna o sabão impróprio para a limpeza de certas superfícies (ex. Parede de
veludo).

28
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Desinfectantes Químicos
Os desinfetantes químicos são utilizados, frequentemente, para matar bactérias, sendo
esta ideia reforçada constantemente na publicidade.

Contudo, na maioria dos casos, os desinfetantes químicos não são necessários. Se a


superfície tiver sido limpa convenientemente, a maior parte das bactérias terão sido
removidas com a sujidade.

A prevenção passa por manter as superfícies secas, pois a humidade proporciona a


propagação das bactérias.

Para que este tipo de produto atue corretamente é necessário cumprir as seguintes
regras:
 A água deve ser acrescentada de acordo com as indicações do produto.
 Os desinfetantes não devem ser misturados. A mistura provocará reação
química ou libertação de gazes tóxicos e os produtos perderão a sua eficácia.
 Nenhum desinfetante é eficaz para todo o tipo de bactérias, pelo que este deve
ser escolhido mediante o tipo de bactéria a matar.
 As soluções desinfetantes só devem ser preparadas quando necessárias, pois
perdem a eficácia se forem guardadas algum tempo.
 Primeiro, as superfícies devem ser limpas.
 Alguns desinfetantes podem perder eficácia em certos tipos de plásticos, cortiça
ou outro tipo de material. Siga as instruções.

Detergentes sintéticos
Os detergentes sintéticos são feitos pela combinação de diferentes químicos,
geralmente derivados do petróleo.

Estes detergentes não formam espuma quando adicionados à água e podem ser de 3
tipos:

29
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

1- Detergentes neutros – por vezes designados como para todos os usos, são os
mais comuns. São frequentemente de cor verde ou amarelo-acastanhado e são
usados para a lavagem de pratos, limpeza de pó.
2- Detergentes alcalinos – são também conhecidos como detergentes para
superfícies difíceis, ou desengordurantes, e são utilizados em tarefas mais
especializadas e difíceis. Não devem ser usados em objetos em superfícies
delicadas.
3- Detergentes ácidos – são usados geralmente para a limpeza de casas de
banho, para a remoção de estuque e cimento de superfícies novas e para
remoção de nódoas causadas por depósito de cal nas torneiras que pingam.
Estes poderão ser fracos ou fortes, dependendo do tipo de ácido usado.
Requerem cuidados de utilização.

Outros agentes de limpeza

Agentes compostos por solventes


Em termos de limpeza, um solvente é um líquido que dissolve depósitos de gorduras e
óleos, que a água não consegue.

Assim, um agente de limpeza composto por solventes é uma solução de um líquido e


outros aditivos e á utilizado para a remoção de cera de parques, além de limpeza a
seco e remoção de nódoas.

Agentes abrasivos
São também conhecidos por agentes erosivos ou para esfregar, sendo muito usados na
limpeza de acessórios sanitários, em loiças ou superfícies esmaltadas.

Podem apresentar forma de pó, pasta, creme ou líquido, e consistem basicamente em


minerais muito moídos (como areias, cinzas em pó, dolomite, pomos e giz) que
esfregam toda a sujidade.

30
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Os abrasivos são classificados numa escala de 1 a 10, em que 1 é o talco e 10 é o


diamante. Em termos de limpeza, os mais usuais são escalonados por volta de 6.

Estes agentes são os mais prejudiciais para as superfícies, sendo que os abrasivos de
textura mais fina são usados na remoção de embaciamento e arranhões em superfícies
metálicas, contudo, o seu uso frequente pode remover a cor metálica da superfície.

Este tipo de agentes não é aconselhado para superfícies que se risquem com
facilidade, como é o caso do plástico. Podem ser prejudiciais para as mãos, e deixam
sedimentos.

É importante seguir as instruções das embalagens, prestando especial atenção à


diluição e às informações das fichas técnicas e das fichas de segurança.

A diluição errada poderá danificar as superfícies, tornar necessária uma segunda


enxaguadela – repetir a limpeza com água - , ou tornar o agente ineficaz.

Deve-se seguir sempre as instruções do fabricante em relação a:


- Como guardar os produtos de limpeza,
- Como os deitar fora,
- Necessidade do uso de roupa protetora.

Valores de pH
As embalagens de detergentes indicam o seu tipo usando a escala de pH. Esta escala
indica se o produto é ácido ou alcalino (ou básico). Quanto mais baixo for o valor,
maior é a acidez.

Os detergentes para as casas de banhos são ácidos, e normalmente têm um Ph inferior


a 4.

Sabão e detergentes neutros ficam a meio da escala, com valores de 6 para sabão e 7
a 9 para os detergentes neutros.

31
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

As superfícies difíceis de limpar requerem detergentes alcalinos, com valores de pH por


volta dos 10.

Os detergentes usados para retirar a sujidade do chão, são ainda mais alcalinos, com
valores de pH entre os 12.

3.2− Biodegradabilidade

Biodegradável é todo material que após o seu uso pode ser decomposto pelos
microrganismos usuais no meio ambiente. Desta forma o material quando se
decompõe, perde as suas propriedades químicas nocivas em contacto com o meio
ambiente.

Quando se utilizam sabões nos processos industriais ou domésticos de lavagem, eles


vão para a rede de esgotos e acabam nos lagos e rios. Porém, após certo tempo, os
resíduos são degradados (decompostos) por microrganismos que existem na água.
Diz-se, então, que os sabões são biodegradáveis e que não causam grandes alterações
ao meio ambiente.

Os detergentes não-biodegradáveis, ao contrário, acumulam-se nos rios, formando


uma camada de espuma que impede a entrada de gás oxigénio na água e pode
remover a camada oleosa que reveste as penas de algumas aves, impedindo que elas
flutuem.

Os detergentes têm recentemente uma rotulagem específica que visa informar os


consumidores sobre a presença de substâncias que perfumam e de agentes
conservantes que podem provocar alergias. Ela também permite melhorar a proteção
do ambiente salvaguardando os meios aquáticos dos efeitos nefastos de certas
substâncias.

32
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

A nova legislação em matéria de detergentes permite uma melhor proteção do


ambiente, preservando os sistemas aquáticos contra os efeitos nocivos de certas
substâncias presentes nos detergentes.

Por outro lado, a proteção dos consumidores é reforçada graças à uma rotulagem mais
completa que inclui qualquer substância suscetível de provocar alergias.

3.3− Arrumação, rotulagem e manuseamento dos produtos

Rotulagem
O Rotulo é o “Bilhete de Identidade” do Produto/Detergente. Deve conter:
 A denominação de venda
 Lista de ingredientes ou compostos
 Quantidade
 Data de validade
 Condições especiais de conservação
 Identificação do lote

Fichas técnicas – devem conter:


 Identificação da Empresa
 Identificação dos Perigos
 Composição/Informação sobre os Componentes
 Primeiros Socorros
 Medidas de combate a Incêndios, fugas acidentais
 Manuseamento e armazenagem
 Controlo da Exposição/Proteção do Pessoal
 Estabilidade e reatividade
 Informação Toxicológica, ecológica, transporte, regulamentação e outras
 Considerações relativas à eliminação

Exemplo de um rótulo:

33
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

34
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Simbologia de segurança:
FACILMENTE INFLAMÁVEL
 Substância inflamável que arde facilmente
 É proibido aproximar chamas ou fontes de ignição; Não
ingerir; Não expor a temperaturas elevadas; Não fumar.
 EX: Álcool etílico; acetona; gasolina

COMBURENTE
 Substância que alimenta a combustão. Em contacto com
outras substâncias dá origem a reações que libertam muita
energia
 Não aproximar de chamas e não ingerir.
 EX: Acendalha liquida.
TÓXICO
 Substância venenosa prejudicial ao Homem, mesmo em
pequenas quantidades, podendo levar à morte
 Usar luvas no seu manuseamento; Lavar as mãos em caso
de utilização; Não ingerir; Não inalar;
 EX: inseticidas e outros produtos designados a matarem
espécies animais cuja ação seja prejudicial ao Homem
NOCIVO OU IRRITANTE
 Substância nociva, cujos vapores não devem ser inalados;
 Não ingerir; Usar máscara protetora no nariz e na boca.
 EX: Corretores líquidos; Ceras, Amoníaco.

35
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

CORROSIVO
 Substância Corrosiva que ataca a matéria viva
 Não entrar em contacto com a pele; Usar luvas; Não
ingerir;
 EX: Ácidos usados em laboratórios para limpeza

EXPLOSIVO
 Perigo de explosão.
 Há materiais instáveis que devem ser transportados com
muito cuidado, porque os movimentos bruscos podem
provocar a explosão.
 EX: Dinamite, Materiais usados em fogo-de-artifício

RADIOACTIVO
 Radiações emitidas por substâncias radioativas; em doses
elevadas podem ser fatais.
 EX: laboratórios de Raios X.

3.4− Precauções na sua utilização, aplicação e conservação

É importante seguir as instruções das embalagens, prestando especial atenção à


diluição e avisos em relação à segurança.

Diferentes agentes de limpeza requerem diferentes tipos de diluição, portanto devem


ser tomados cuidados ao adicionar a quantidade certa de água, ou outro líquido, à
medida do agente de limpeza.

36
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

A adição de demasiadas quantidades ou a diluição errada poderá danificar a superfície


ou tornar necessária uma segunda enxaguadela. Em quantidades a menos o agente
poderá revelar-se ineficaz.

Outras instruções do produtor a seguir são:


 Como guardar os agentes de limpeza quando não estiverem a ser usados;
 Se aconselha roupa protetora
 Como deitar fora os agentes de limpeza usados

Detergentes neutros – podem ser usados em todas as superfícies dos sanitários,


incluindo o autoclismo. Removem quase todo o tipo de sujidade e, utilizados
regularmente eliminam as bactérias. Não estragam as superfícies e podem ser
utilizados em plásticos.

Detergentes alcalinos (ou de superfícies duras) – são mais eficazes para tratar da
sujidade gordurosa e são usados normalmente para a limpeza de banheiras.

O uso prolongado de detergentes alcalinos não é recomendável pois podem causar


danos às superfícies e à pele. Em geral devem ser usados uma vez por semana, e a
manutenção diária efetuada com detergentes neutros.

Detergentes ácidos – Estes detergentes incluem a maior parte de marcas de


produtos para a limpeza de sanitas. São extremamente corrosivos e passado tempo
acumulam depósitos. Só são necessários para a limpeza de sanitas muito sujas, de
casas de banho publicas que sejam usadas muitas vezes ou quando há marcas de
água na sanita provocadas pela acumulação alcalina de urina ou excrementos.

Os detergentes ácidos nunca devem ser misturados com outros detergentes pois
podem libertar gases perigosos. Devem ser manejados com luvas e armazenados no
sítio certo, bem tapados.

37
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

4.Métodos e técnicas de execução dos trabalhos de limpeza

O método exato de limpeza depende do tipo e quantidade de sujidade existente e da


superfície onde se encontra depositada.

Técnicas especificas de higienização


Existem algumas superfícies, materiais ou móveis, que pelas suas características têm
de ser limpas ou lavadas com especial atenção e cuidado, nomeadamente no que se
refere aos produtos e utensílios de limpeza a utilizar.

Tipos de coberturas de chão


Os pavimentos difíceis podem ser de três tipos:
1. Porosos, que absorvem rapidamente toda a sujidade e derramamentos. Este é
o caso, por exemplo, da madeira, cortiça e cimento.
2. Semi-porosos, que absorvem alguma sujidade e humidade, especialmente
quando começam a desgastarem. Este é o caso, por exemplo, do vinil e do
linóleo.

38
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

3. Não porosos, que não absorvem a sujidade ou a humidade. Este é o caso do


mármore e da tijoleira de cerâmica.

Os pavimentos porosos e semi-porosos são geralmente tratados com substâncias


vedantes que preenchem os poros, para que a superfície não absorva a sujidade ou os
derramamentos. Assim, a limpeza torna-se mais fácil, e a vida útil do pavimento é
aumentada.

Estas substâncias são geralmente ceras que utilizadas nestes pavimentos aparentam
uma tinta sem cor.

Para pavimentos semi-porosos recomenda-se o uso de ceras baseadas em água, que


são relativamente fáceis de aplicar e podem ser usadas na generalidade das superfícies
(exceto nas porosas)

Os pavimentos não porosos também podem ser vedados para sua melhor aparência.

Vernizes para o chão


Os pavimentos difíceis são por vezes envernizados. O verniz ajuda a manter a cera e
dá mais brilho ao chão.

Existem dois tipos principais de vernizes para o chão.


1. Baseados em solventes – consistem em ceras sustidas em solventes e estão
disponíveis em pastas ou formas líquidas.
2. Baseados em água – consistem na dispersão de partículas em água.

Os vernizes baseados em solventes são apropriados para madeiras não tratadas e


pavimentos em cortiça. Não podem ser usados em vinis ou borrachas.

Limpeza e polimento do chão


Os pavimentos difíceis podem ser limpos a seco (varrer ou aspirar), com líquidos
(esfregar, polir, pulverizar, etc.), com métodos manuais ou químicos.

39
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Os métodos a seco irão remover a poeira seca ou lixo, como por exemplo as cinzas de
cigarro, enquanto que os métodos que recorrem a líquidos são utilizados para remover
sujidade pegajosa, gordurosa, molhada ou decomposta.

Limpeza de carpetes
As carpetes necessitam de ser limpas regularmente, pois a sua composição é propícia
para a fixação de sujidade e bactérias.

Existem aparelhos próprios para limpar carpetes, contudo, os aparelhos mais usuais
são os aspiradores, que sugam areia e outro tipo de sujidade solta.

Métodos de limpeza

Limpeza a seco – é realizada com uma máquina específica para limpar a seco. O
tanque desta máquina é cheio com uma espuma a seco e a máquina passa sobre a
carpete, fazendo a espuma penetrar na carpete. Este champô penetra no pêlo e liberta
a sujidade nele impregnada. Seguidamente, com a ajuda de um aspirador, retira-se os
resíduos restantes.

Lavagem com líquidos – Este método é mais eficiente do que o a seco. Utiliza uma
máquina de limpeza preparada com um champô especial, escovas e um secador. A
solução de champô é libertada à medida que a maquina passa sobre a carpete, sendo
trabalhada com as escovas.

Após a passagem do champô passa-se o secador na área, de modo a que o líquido e a


sujidade libertada sejam sugadas.

No final de cada limpeza, o champô restante deve ser retirado, o tanque deve ser
lavado e cheio de novo com água limpa. Passa-se então a máquina pela segunda vez,
com água limpa, e volta-se a secar. Depois desta passagem, a carpete deve ser toda
aspirada.

40
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Limpeza com água quente – Esta técnica combina a lavagem com a secagem. Remove
a sujidade entranhado com mais eficácia do que os métodos anteriores, pois deixam
poucos resíduos e a carpete seca rapidamente.

Este tipo de limpeza exige equipamento especializado designado por máquina de


extração por água quente. Esta máquina é cheia com uma solução de champô e de
água quente ou morna. Ao passar na carpete a solução é pulverizada com muita
pressão na superfície, penetrando nas fibras da carpete, sendo em seguida sugada de
novo, com a sujidade já solta.

Remoção de nódoas
Para serem mais eficazmente removidas, as nódoas devem ser tratadas assim que
forem detetadas.
Os sólidos deverão ser levantados cuidadosamente.
Os líquidos devem ser tratados com papel absorvente ou com um pano de
limpeza.
Os derramamentos de líquidos devem ser limpos com água morna e em
seguida absorvidos com papel absorvente. Para limpar derramamentos de
vinho deve-se usar água gaseificada.

Se a nódoa persistir deve ser tratada com agentes de limpeza. No caso de dúvidas
quanto ao efeito do detergente, deve-se experimentar num local da superfície a tratar,
que não seja visível.

Sempre que se retirar a nódoa com água ou detergente, a aplicação deve ser feita do
exterior para o centro. Se possível, após a limpeza da nódoa, deve-se cobrir a zona
afetada, pondo uma cadeira ou uma mesa, até que o local seque.

Paredes e tetos

41
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

A frequência com que se limpam as paredes e os tetos depende de quantas vezes o


quarto é utilizado, e para quê. Alguns tetos, por exemplo, poderão nunca precisar de
limpeza. Por outro lado, as paredes da cozinha necessitam de limpeza semanal.

À semelhança do que acontece com os pavimentos, os tetos e paredes podem ser


limpos através de métodos secos ou métodos com líquidos.

De modo a facilitar o tipo de limpeza a aplicar, identificamos os seguintes tipos de


revestimentos de paredes:
1. Pintura
2. Papel
3. Tecido
4. Plásticos
5. Madeira
6. Cortiça
7. Metal
8. Azulejo
9. Vidro
10. Pedra

42
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Assim, de um modo rápido, podemos escolher a técnica a aplicar consultando a seguinte tabela:

Guia rápido para escolha de técnica de limpeza

Tipo de Superfície Varrer Limpeza Aspirar Lavar


c/
humidade
Tinta suave …………………………… + + + +
Tinta com textura …………………… - - + +
Papel lavável ………………………… + + + +
Loiça …………………………………... + + - +
Vidro ………………………………… - + - +
Mármore ou outra pedra decorativa + + - +
Plástico ……………………………… + + + +
Madeira ……………………………… + + + -
Cortiça (se envernizada ) ...………… + + + +
Metal ………………………………… + + + +
Tijolo e pedra ……………………… - - + +
Couro ………………………………… + - + -

Procedimentos Gerais de Limpeza


1. Utilizar o sinal de segurança que indica que se está a executar tarefa de limpeza.
2. Mudar de local, ou cobrir a mobília com panos que impeçam a acumulação de pó.
3. Proteger o chão sempre que necessário.
4. Se houver necessidade de limpar o teto, este deve ser limpo antes das paredes.
5. Limpar secção a secção, movendo-se segundo uma lógica.
6. Usar luvas protetoras.
7. Usar as medidas de segurança necessárias.
8. Antes de lavar as paredes, elas devem ser limpas, para retirar poeiras da superfície.
9. Varrer ou aspirar de cima para baixo.

43
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

10. As tomadas ou interruptores podem ser tapadas com fita adesiva.


11. Retirar manchas de poeira que estejam no chão, acessórios ou mobiliário para que não
embeba por baixo dos panos protetores.
12. Trabalhar de cima para baixo das paredes.

Portas, janelas e outras superfícies de vidro


A maioria das portas e acessórios podem ser limpas como parte da rotina de limpeza.
Periodicamente ou se se apresentam muito sujas, podem ser limpas com um produto neutro ou
alcalino, mas nunca com detergentes abrasivos.

Depois de limpas, as superfícies de madeiras em bruto podem ser ocasionalmente polidas com
cera ou oleadas. As ceras nunca podem ser usadas em portas de plástico ou pintadas.
As barras protetoras devem ser limpas com um detergente alcalino em creme ou líquido.

Limpeza de vidros
Os vidros são geralmente limpos de forma manual, embora existam máquinas específicas para
este serviço. Para estas limpezas são utilizados os seguintes agentes:
Solução de detergente neutro apropriado para limpezas gerais. Para obter melhores
resultados, deve-se enxaguar os vidros.
Solução de detergente alcalino, que é muito eficiente nas gorduras. Devem ser
usadas luvas e enxaguados os vidros.
Uma solução de vinagre e água é aconselhada para zonas menos gordurosas,
produzindo brilho.

Prestar especial atenção a:


1. Áreas junto aos puxadores, caixilhos e barras protetoras.
2. Parte de cima das portas e cantos superiores que concentram muita poeira.
3. Equipamento que esteja solto ou danificado (Comunicar à secção de manutenção).
4. Rolamentos e dobradiças que seguram as portas e que são muito propícios à
acumulação e formação de sujidade.

Instalações Sanitárias

44
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

A limpeza das instalações sanitárias é uma das etapas que requer maior atenção por parte da
empregada de andares, e é uma das tarefas de maior importância na execução do serviço de
limpeza pelos seguintes motivos:

As instalações sanitárias recebem desperdícios como a sujidade das mãos e do corpo,


pele morta, cabelos, excrementos ou sujidade das limpezas. Todas estas sujidades
têm bactérias perigosas que se multiplicam em condições de falta de limpeza.
Estas áreas são utilizadas por muitas pessoas, e basta uma pessoas infetada para
contaminar todas as outras que usaram a mesma banheira, lavatório ou sanita.
Se estas áreas não forem limpas devidamente e com a frequência necessária,
começam a largar maus cheiros.

45
Funcionamento e conservação dos materiais, equipamentos e produtos de limpeza

Bibliografia

AA VV. Curso de princípios e técnicas do serviço de andares, Compenditur – Departamento de


recursos didáticos, s/d

Marques, J. Albano, Manual de Hotelaria – Políticas e procedimentos, Livraria Civilização


Editora, 2003

Paul, Valerie; Jones, Christine, Manual de operações de alojamento em hotelaria, Edições


Cetop, 1989

Rochinha, Maria Helena, Manual do formando: Conservação de espaços interiores, Projeto


Delfim, GICEA - Gabinete de Gestão de Iniciativas Comunitárias do Emprego, 2000

46