You are on page 1of 5

14/08/2017 Instituições | Arcos - Informações Jurídicas

Usuários cadastrados

Usuário
Senha
ok
Esqueceu sua senha?

Usuários cadastrados Cadastre-se


QUEM SOMOS

PUBLICAÇÕES

CARTOGRAFIAS

LEIS

PARTICIPE

Abertura
ok
Página inicial > Artigos >

Artigos

Instituições
Sandra Regina Santos da Silva

Introdução:

O referente trabalho abordará uma pesquisa sobre o conceito de Instituição e seus referentes tipos, na
qual, faremos um maior aprofundamento, na Instituição Igreja.

A multiplicidade de elementos que se abrigam sob a designação de Instituição exige precisão teórica
sobre o que se quer referir com tal termo. A necessidade de inserir o conceito de Instituição em seu
respectivo contexto teórico explicita a importância das abordagens institucionalistas, que, mesmo tendo seu
eixo analítico no referido conceito, abrigam diferentes enfoques, às vezes inconciliáveis. Tais diferenças
teóricas, conceituais e analíticas não inviabilizam o vigor do pensamento institucionalista, mas, pelo
contrário, o fortalecem, dado que é a diversidade que o torna conceitualmente rico. Sendo as Instituições
organizações ou mecanismos sociais que controlam o funcionamento da sociedade e dos indivíduos, são elas
produtos de interesses sociais que refletem as experiências quantitativas e qualitativas de processos sócio-
econômicos. As Instituições são responsáveis pela organização dos indivíduos na sociedade, associando um
ambiente favorável `as necessidade sociais, pelo seu crescimento econômico, tanto micro, como macro-
econômico.

Dessa forma não conseguimos defini-la por causa da sua complexidade. E assim, de acordo com a sua
grande diversidade, as Instituições classificam-se em; Instituições Políticas, Religiosas, Instituições
Educacionais e Certos mecanísmos que são uma fase física e cada um com sua particularidade, que são eles
casamentos e muitos outros. Todos somos atores como pessoas, porém só temos poder se estivermos em
conjunto.

Abordaremos a Instituição Igreja a qual será aprofundada um pouco mais. A Instituição Igreja pode designar-
se como sendo a reunião de pessoas sem estar associando a determinada seita ou doutrina. A Igreja Católica
http://www.arcos.org.br/artigos/-instituicoes/ 1/5
14/08/2017 Instituições | Arcos - Informações Jurídicas

é uma das atividades mais antigas em atividade, acredita-se ser ela, fundada por Cristo. Foi a Igreja Católica
que instituiu o que se chama de Dogmas,e o mais importante é o Dogma da Santíssima Trindade.

O que é Instituição?

O conceito de instituição pode ser resumido como um conjunto de normas, valores e regras e sua
evolução. Tais fatores resultam de uma situação presente que molda o futuro através de um processo seletivo
e coercitivo, orientado pela forma como os homens vêem as coisas, o que altera ou fortalece seus pontos de
vista. Há, portanto, um forte vínculo entre as especificidades históricas e a abordagem evolucionária.

Deste modo, as Instituições são organizações ou mecanismos sociais que controlam o funcionamento
da sociedade e dos indivíduos. São produtos do interesse social que refletem as experiências quantitativas e
qualitativas dos processos socioeconômicos. Organizadas sob a forma de regras e normas, visam à ordenação
das interações entre os indivíduos e suas respectivas formas organizacionais.

Tornando mais econômicas essas interações, as Instituições (formais ou informais), são instrumentos
indispensáveis à compreensão da lógica evolutiva das partículas sociais, sendo o seu estudo primordial ao
entendimento dos complexos processos pelos quais o Capital se estrutura.

Em essência, as Instituições são responsáveis pela organização das interações sociais, analisando sua
evolução e desenvolvendo métodos que as associem a um ambiente favorável à alocação racional de recursos
que otimizem a satisfação das necessidades sociais.

Como as instituições são fundamentais à compreensão das diferentes trajetórias de crescimento


econômico, tanto em nível macro quanto microeconômico, torna-se necessário defini-las, o que não é tarefa
tão fácil como aparenta. Tal definição é complexa e, às vezes, ambígua: conforme o autor, há diferentes
enfoques, o que nos remete às abordagens institucionalista e à comparação entre elas.

Desta empreitada se descobre um rico e complexo campo de pesquisa, envolvendo várias escolas de
pensamento, que, na essência, vêm pesquisando temas relativamente comuns, possibilitando estabelecer
campos de convergência altamente promissores, cujo elemento articulador é a própria noção de instituição.

Tipos de Instituições:

A multiplicidade de elementos que se abrigam sob a designação de Instituição exige precisão teórica
sobre o que se quer referir com tal termo. A necessidade de inserir o conceito de Instituição em seu
respectivo contexto teórico explicita a importância das abordagens institucionalistas, que, mesmo tendo seu
eixo analítico no referido conceito, abrigam diferentes enfoques, às vezes inconciliáveis. Tais diferenças
teóricas, conceituais e analíticas não inviabilizam o vigor do pensamento institucionalista, mas, pelo
contrário, o fortalecem, dado que é a diversidade que o torna conceitualmente rico.

Podemos perceber a grande diversidade de Instituições, mas ambas com normas, valores e regras
diferentes, tais como:

As instituições políticas incluem os órgãos e os partidos políticos.


As instituições religiosas possuem nomes de acordo com a religião, podendo ser chamadas de igrejas,
templos, sinagogas, mesquitas, centros espíritas ou outras denominações.
As instituições educacionais são as escolas, universidades, etc.
Certos mecanismos sem uma base física são igualmente considerados instituições, como o casamento,
a pressão social, a linguagem etc.

Em sociedade as pessoas fazem parte de diversas Instituições, e assim, acabam sendo atores principais
dessas Instituições. Todos somos atores como pessoas, porém individualmente, temos pouco poder e
capacidade para fazer coisas. Por isso nos agrupamos em família, em organizações como empresas,
sindicatos, partidos e organizações públicas. Assim aumentamos nossa capacidade de agir, fazer e crescer.
Alguns atores agem visando o benefício próprio ou de organizações privadas, é o que chamamos de setor
privado. Outros atuam visando o bem geral, são os atores públicos e são chamados de setor público. Estes
são os responsáveis pelos orçamentos públicos. Atores são os que atuam votando, governando, produzindo,
elaborando as regras, fiscalizando sua observância, acumulando recursos, etc. Nem todos os atores têm o
http://www.arcos.org.br/artigos/-instituicoes/ 2/5
14/08/2017 Instituições | Arcos - Informações Jurídicas

mesmo poder, as mesmas necessidades, os mesmos interesses e o mesmo conhecimento. O que significa que
eles são diferentes. Há atores ricos, pobres, doutores, técnicos, marceneiros, bombeiros, poderosos,
ambiciosos, limitados, etc. Por isso não há acordo sobre o uso dos recursos, que são limitados e não
permitem atender a todas as necessidades e por isso é preciso estabelecer prioridades. Como "atores
organização", a sociedade tem:

Ø As empresas industriais, agrícolas, de serviços, igrejas e outras organizações privadas;

Ø As instituições públicas: governos, ministérios, secretarias, autarquias, fundações, empresas públicas


federais, estaduais e municipais, cujos representantes mais importantes são:

o O Presidente da República

o Os Governadores dos Estados

o Os Prefeitos dos Municípios

o Os Chefes dos Legislativos de cada nível de governo, (Senado Federal, Câmara Federal de Deputados,
Assembléias Legislativas Estaduais e Câmara de Vereadores).

o Os dirigentes do Judiciário, a nível nacional e estadual, encarregados da administração da justiça.

Portanto, ao fazer uma interligação da atuação do Assistente Social com os tipos de Instituições
pesquisados, concluímos que muitas Instituições são áreas de trabalho do Assistente Social. Os Assistentes
Sociais atuam no campo das políticas sociais com o objetivo de viabilizar os direitos da população: na saúde,
na educação, na previdência social, na habitação, na assistência social e na esfera do trabalho. Atuam na
justiça, nas Varas de Infância e Juventude, de família e nas instituições do Sistema Penal e de mediadas
socioeducativas para jovens em conflito com a lei.

Por fim, após todo apresentação do conceito de Instituição e seus referentes tipos, faremos agora uma
maior aprofundação no âmbito da Instituição Igreja, na qual, foi uma das mais discutidas no grupo e também
em nossa sociedade.

Instituição Igreja

A Instituição Igreja pode designar reunião de pessoas, sem estar necessariamente associada a uma
edificação ou a uma doutrina específica. Etimologicamente a palavra grega ekklesia é composta de dois
radicais gregos: ek que significa para fora e klesia que significa chamados. Com isso, em
nossa sociedade foram criadas diversas Instituições Igreja, e assim, abordaremos algumas delas. A história
da Igreja Católica cobre um período de aproximadamente dois mil anos, é uma das mais antigas Instituições
religiosas em atividade, influindo no mundo em aspectos espirituais-religiosos, morais, políticos e sócio-
culturais

A Igreja Católica acredita ter sido fundada por Cristo e os católicos crêem que a Igreja está alicerçada
sobre o Apóstolo Pedro, a quem Cristo prometeu o Primado: "sobre esta pedra edificarei a minha Igreja" e
"Dar-te-ei as chaves do Reino dos Céus" (cf. Mt 16, 17-20) e depois da ressurreição o confirmou: "apascenta
os meus cordeiros" (cf. Jo. 21, 15-17) e que teria apontado Pedro, e o seus sucessores como fundamento e
cabeça visível de toda a Igreja.

A doutrina tradicional da Igreja Católica instituiu o que se chama de dogmas, sendo um dos mais
importantes o dogma da Santíssima Trindade. Este dogma professa que Deus é simultaneamente uno (porque
só existiria um Deus) e trino (porque estaria pessoalizado em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
A doutrina professa também a divindade de Jesus, que seria a segunda pessoa da Trindade, e que a salvação é
através da fé em Jesus Cristo e por amar a Deus acima de todas as coisas.

A doutrina Católica está expressa e resumida no Catecismo da Igreja Católica.A doutrina católica
professa que a Igreja constitui o Corpus Mysticum, em que Cristo seria a cabeça e os fiéis membros deste
corpo único, inquebrável e divino para reunir toda a humanidade e antecipar a vida no Reino de Deus,
caminhando juntos para a santidade. A doutrina católica professa que os cristãos não-católicos também
http://www.arcos.org.br/artigos/-instituicoes/ 3/5
14/08/2017 Instituições | Arcos - Informações Jurídicas

pertencem, apesar de um modo imperfeito, ao Corpo Místico, visto que tornaram-se uma parte inseparável
Dele através do Batismo.

Os pontos de vista católicos diferem dos ortodoxos em alguns pontos, incluindo a natureza do
Ministério de S. Pedro (o Papado), a natureza da Trindade e o modo como ela deve ser expressa no Credo
Niceno-Constantinopolitano, e o entendimento da salvação e do arrependimento. Os católicos divergem dos
protestantes em vários pontos, incluindo a necessidade da penitência, o significado da comunhão, a
composição do Cânone das Escrituras, o purgatório e o modo como se atinge a salvação.

A Igreja Ortodoxa (do grego όρθος, reto, e δόξα, doutrina) existe há quase dois mil anos e seus fiéis
chamados de cristãos ortodoxos.

A Igreja Ortodoxa é formada por diversas igrejas cristãs orientais (como por exemplo a Igreja
Ortodoxa Grega, Igreja Ortodoxa Russa) que professam a mesma fé e, com algumas variantes culturais,
praticam basicamente os mesmos ritos. O chefe espiritual das Igrejas Ortodoxas é o Patriarca de
Constantinopla, embora este seja um título mais honorífico, uma vez que os patriarcas de cada uma dessas
igrejas são interdependentes.

Para os ortodoxos orientais, o chefe único da Igreja, e sem intermediários ou legatários, é o próprio
Jesus Cristo. A autoridade suprema na Igreja Ortodoxa é o Santo Sínodo Ecumênico, que se compõe de todos
os patriarcas chefes das igrejas autocéfalas e os arcebispos-primazes das igrejas autônomas, que se reúnem
por chamada do Patriarca de Constantinopla.

A autoridade suprema regional em todos os patriarcados autocéfalos e igrejas ortodoxas autônomas é


da competência do Santo Sínodo Local.

Uma igreja autocéfala possui o direito a resolver todos os seus problemas internos em base a sua
própria autoridade, tendo também o direito a remover seus próprios bispos, incluindo o próprio patriarca,
arcebispo ou metropolita que presida esta Igreja.

A Igreja Ortodoxa reconhece sete Concílios Ecumênicos: Nicéia, Constantinopla, Éfeso, Calcedônia,
Constantinopla II, Constantinopla III e Nicéia II.

O Protestantismo é a denominação do conjunto de igrejas cristãs e doutrinas que se identificam com


as teologias desenvolvidas no século XVI na Europa Ocidental, na tentativa de reforma da Igreja Católica
Apostólica Romana, por parte de um importante grupo de teólogos e clérigos, entre os que se destacam o
monge agostiniano Martinho Lutero, de quem as igrejas luteranas tomam seu nome. Porém, a maior parte
dos cristãos europeus (especialmente na Europa meridional) não concordavam com as tentativas de reforma,
o que produziu uma separação entre as emergentes igrejas reformadas e uma reformulação na Igreja Católica
Apostólica Romana, a chamada Contra-Reforma, que reafirmou explícitamente todas aquelas doutrinas
rechaçadas pelo protestantismo (Concílio de Trento).

O termo protestante surgiu como apelido pejorativo para aquele grupo de príncipes eleitores e cidades
imperiais alemãs que se atreveram a expressar seu protesto, o testemunho público de objeção, na Dieta de
Speyer de 1529, contra o Édito de Worms que proibía crer e ensinar as doutrinas luteranas naquelas
localidades do Sacro Império Romano-Germânico onde ainda não eram conhecidas, mas que entregava
completa liberdade ao clero romano para rebatê-las e persegui-las naquelas localidades do império onde já
havia sido implantado.

Com isso, as Igrejas Protestantes possui um diverso movimento reformado, no mundo anglo-saxão, é
também conhecido como presbiterianismo, congregacionalista, batista, metodismo, adventismo,
pentecostalismo, entre outras. Os dez países com maior número de protestantes no mundo atualmente são:
Estados Unidos, Reino Unido, Nigéria, Alemanha, África do Sul, Quênia, China, Brasil, Indonésia,
República Democrática do Congo.

Conclusão:

Concluindo, a missão da Igreja é edificar com progresso uma sociedade mais justa e fraterna, as religiões
que tiveram a capacidade de reger a vida social hoje são uma das possíveis fontes de sentido para o mundo.
http://www.arcos.org.br/artigos/-instituicoes/ 4/5
14/08/2017 Instituições | Arcos - Informações Jurídicas

A Igreja passa a renunciar a sociedade seus princípios, regras e normas e tendo dificuldades de continuar
sendo a religião que tem maior número de adeptos, diante desse quadro religioso,cultural e político.

É vasta a doutrina social da Igreja sobre a sociedade, a sua estrutura, os valores fundamentais a cultivar
em ordem à sua edificação como comunidade de pessoas, justa, pacífica e fraterna, e sobre a missão da Igreja
na construção dessa mesma sociedade. O momento presente da nossa vida nacional, no contexto da normal
discussão democrática sobre os problemas do país, suscitou questões que dizem diretamente respeito à
harmônica inserção da Igreja na sociedade portuguesa. Referimos a título de exemplo: a proposta de Lei de
Liberdade Religiosa; a referência a uma suposta situação privilegiada da Igreja no conjunto da sociedade, o
que levaram alguns a sugerir a revisão, ou mesmo a rescisão, da Concordata celebrada entre a Santa Sé e o
Estado Português; e novas hipóteses legislativas que atingem direta ou indiretamente a família. Tudo isto nos
conduz a relembrar alguns pontos fundamentais da doutrina da Igreja sobre a sociedade. Acreditamos
que a apresentação clara do pensamento da Igreja, aos fiéis católicos e a todos os nossos concidadãos,
facilitará o diálogo e trará à justa discussão dos problemas uma dimensão de objetividade.

A missão da Igreja na edificação progressiva de uma sociedade democrática, mais justa e fraterna,
devido à sua particular importância, exige coerência e clareza na proclamação do pensamento da Igreja.

Referências Bibliográficas:

CONCÍLIO ECUMÉNICO VATICANO II, Constituição pastoral Gaudium et spes, n.º 43.

Wikipédia, a enciclopédia livre.

IAMAMOTO, Marilda Viela, Relações sociais e serviço social no Brasil: esboço de uma interpretação
histórica- metodológica. 20 edição, SP, 2007.

Sumário
Instituições

Alguns direitos reservados


Exceto quando assinalado, todo o conteúdo deste site é distribuído com uma licença de uso Creative
Commons
Creative Commons: Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas
Ajuda | Contato | Topo

Como seria o Vade Mecum dos seus sonhos?


Estamos trabalhando em um Vade Mecum digital, inteligente, acessível e gratuito.
Cadastre-se e tenha acesso antecipado e gratuito à nossa versão beta.
Seu endereço de e-mail
Enviar

http://www.arcos.org.br/artigos/-instituicoes/ 5/5