You are on page 1of 4

UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI – URCA

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS E LITERATURAS – DLL


CURSO DE LETRAS
LITERATURA PORTUGUESA II

ROMANTISMO PORTUGUÊS: AMOR DE PERDIÇÃO, CAMILO CASTELO


BRANCO.
ALUNA: ROSIANE SILVA DE ALENCAR

Enredo

Amor de perdição é um romance romântico escrito por Camilo Castelo


Branco, no qual vai narrar a vida de Simão Botelho. Este é descrito como um
jovem problemático e violento que por vezes envergonhava a sua família.
Possuía um histórico de agressões, tinha amizade com pessoas desordeiras e
de classes inferiores, causando assim desgosto para os seus pais. Um dia
conhece uma jovem chamada Tereza de Albuquerque e se apaixona por ela,
mudando assim esse seu comportamento rebelde, porém a mesma era filha do
inimigo de seu pai, e por esse motivo o romance dos dois era proibido e
mantido em segredo. Eles se enamoravam à distância, mal podiam se ver. Um
dia, Domingos, pai de Simão descobre o romance e fica com muita raiva; a
partir daí começa o tormento na vida do casal.
O pai de Tereza também sabendo o que se passava, promete a mão
da filha ao seu sobrinho Baltazar, a moça não aceita e ele então começa a
ameaça-la, ou ela casava com o primo ou então iria para o convento. Simão
sabendo do acontecido fica furioso e então passa a morar na casa de um
ferrador, amigo do seu pai, chamado João da Cruz. Este se torna fiel a Simão e
lhe promete ajuda com relação à Tereza. João possui uma filha chamada
Mariana que se apaixona por Simão, esta o trata com muito carinho mesmo
sabendo que não seria correspondida por ele.
Tereza continua negando casar-se com o primo e então é levada para
um convento. Chegando lá ela se depara com um ambiente muito hostil, com
freiras maldosas e fofoqueiras. Mais tarde seu pai resolve tirá-la de lá e leva-la
para outro convento em outra localidade, planejava ainda se mudar juntamente
com toda a família, incluindo o seu sobrinho Baltazar, no qual era o prometido
de Tereza para o casamento. Quando Simão recebe essa notícia fica
acometido de raiva e resolve ir até lá, trava uma briga com Baltazar e acaba
matando ele. Simão então é julgado tendo como alternativa ficar dez anos
preso ou viver dez anos exilado na Índia. Ele então escolhe esta última opção,
levando com ele a Mariana, filha do seu amigo João. Tereza então morre de
tristeza ao saber que seu amado foi embora, Simão ao saber da morte de
Tereza também morre de tristeza e Mariana se suicida abraçada ao cadáver de
Simão. Amores ambos exagerados leva-os à perdição.

Narrador
Na introdução do livro, o narrador apresenta-se em 1º pessoa
(homodiegético), falando sobre a história de sua família. Camilo Castelo Branco
(1997, p.19): “Domingos Botelho devia ter uma vocação qualquer, e tinha: era
excelente flautista; foi a primeira flauta do seu tempo; e ao tocar flauta se
sustentou dois anos em Coimbra.” No decorrer do livro percebe-se que o
narrador passa a se apresentar em 3º pessoa (heterodiegético) onde se
caracteriza como narrador onisciente por descrever o que se passa nas mentes
e corações dos personagens. Camilo Castelo Branco (1991, p.59): “Encheu-se
o coração de Tereza de amargura e nojo daquelas duas horas de vida
conventual (...)”
O narrador estando em 1º pessoa, busca um suporte para a verdade
confirmando o que está sendo relatado. Já o narrador em 3º pessoa vai
concretizar a veracidade citando datas, costumes da época, as circunstâncias
por qual vivem os personagens etc. Este acaba passando a intervir, criticar,
expor os seus pontos de vista etc. Como se pode observar neste trecho:
Camilo Castelo Branco (1997, p.27):

Os poetas cansam-nos a paciência a falarem do amor da


mulher aos quinze anos, como paixão perigosa, única e
inflexível. Alguns prosadores de romances dizem o mesmo.
Enganam-se ambos. O amor aos quinze anos é uma
brincadeira; é a última manifestação do amor às bonecas;” é a
tentativa da avezinha que ensaia o vôo fora do ninho, sempre
com os olhos fitos na ave-mãe, que a está da fronde próxima
chamando: tanto sabe a primeira o que é amar muito, como a
segunda o que é voar para longe.
Personagens

 Tereza de Albuquerque – É a protagonista feminina do livro, tem


apenas 15 anos e se apaixona de forma proibida por Simão. Sustenta
um caráter firme enfrentando tudo e a todos pelo o sentimento. Prefere
ficar presa em um convento a ter que casar com o próprio primo, pois
age guiada somente pelo o amor de Simão.

 Simão Botelho – É um rapaz filho de família abastada, mostra-se


inicialmente um jovem bastante problemático e que dá desgosto à
família, mas depois que se apaixona por Tereza muda de
comportamento e passa a lutar para ficar ao lado dela.

 Mariana – É uma moça humilde e triste, passa a nutrir um amor por


Simão mesmo sem ser correspondida. Cuida de Simão com muita
devoção mesmo sabendo da paixão deste por Tereza, sem nunca ter
um sentimento de rivalidade com a mesma.

 Baltazar Coutinho – É o primo de Tereza, apreciado por seu tio, acaba


conquistando a posição de pretendente da mesma. É uma pessoa
perversa e hipócrita que desperta somente o desprezo de Tereza. Ele
representa o vilão e também o rival de Simão.

 Domingos Botelho e Tadeu Albuquerque – São os pais dos


protagonistas e são rivais. Por conta desta rivalidade acabam impedindo
o namoro dos filhos. São personagens que representam o
conservadorismo, manifestações egoístas e o apego à honra.

 João da Cruz – É o pai de Mariana e um fiel amigo do jovem Simão


Botelho. Abriga o mesmo em sua casa dando toda a atenção e proteção.
Toma ainda atitudes de violência para defender o jovem.

Tempo
O tempo da narrativa é predominantemente cronológica e linear. O
amor entre Simão e Tereza se desenvolve em um período de sete anos. Os
acontecimentos privilegiam a ação ao invés da descrição. Existem ainda
descrições sobre horas, dias, meses e anos. Camilo Castelo Branco (1997,
p.78): “Às onze horas da noite, ergueu-se o acadêmico e escutou o movimento
interior da casa: não ouviu o mais ligeiro ruído, a não ser o rangido da égua na
manjedoura.”
O tempo psicológico da trama também é bastante explorado quando
descreve os sentimentos dos personagens, descrevendo questões referentes
ao sofrimento, as inquietações, a angústia etc. Camilo Castelo Branco. (1991,
p120):

Porém, Simão Botelho, ao cabo de cinco meses de cárcere, já


sabia o seu destino, e achara útil prevenir Teresa, para não
sucumbir ao inevitável golpe da separação. Bem queria ele
alumiar com esperanças a perspectiva negra do desterro; mas
frouxos e frios eram os alívios em que não era parte a
convicção nem o sentimento.

Espaço
A história se passa em Portugal no século XIX. A história começa na
cidade provinciana de Viseu. Isso revela que o provincianismo português da
época estava ligado à tradição convencional e exigências sociais em
detrimento do individualismo.
Uma parte da narrativa também se passa em Coimbra, quando mostra
o período que Simão passa lá estudando e se comunicando com Teresa.
Camilo Castelo Branco (1991, p.65): “Se Teresa fugisse, com que recursos
proveria à subsistência de ambos? Ora, Simão Botelho saíra de Coimbra com a
sua mesada (...)” A obra também se passa na cidade do Porto, foi nesse
cenário que ocorreu o desfecho trágico dos personagens. Camilo Castelo
Branco (1997, p.133) “A febre aumentava. Os sintomas da morte eram visíveis
aos olhos do capitão, que tinha sobeja experiência de ver morrerem centenares
de condenados (...)”

Related Interests