Primeira edição de A Origem das Espécies, de Charles Darwin, esgotou-se no dia do lançamento

Em 24 de novembro de 1859, o cientista inglês Charles Robert Darwin lançou o livro A Origem das Espécies, onde apresentava questões relacionadas à gênese, ao desenvolvimento da vida. Nele, rejeitou o princípio de fixidez das espécies, aderindo à noção de variação gradual dos seres vivos graças ao acúmulo de modificações pequenas, sucessivas e favoráveis e não por modificações extraordinárias, surgidas repentinamente. Foi nessa obra que Darwin apresentou o núcleo de sua concepção evolutiva - a seleção natural ou a persistência do mais capaz. Além disso, fazia parte das idéias de Darwin, ainda que mal esboçada no Origem, a incorporação do ser humano no reino animal. Tal foi o grande impacto de suas teorias em sua época que a primeira edição da Origem, com tiragem de mil duzentos e cinqüenta exemplares, esgotou-se no primeiro dia. O Darwinismo apresentado por Charles Darwin e Wallace - naturalista inglês, evolucionista, geógrafo, antropólogo, crítico social e teorista, e que foi também co-inventor da teoria da Seleção Natural e a base do desenvolvimento da biogeografia - na sua obra “Origem das Espécies” propõe, baseados em Malthus, que as populações crescem mais rapidamente que as suas fontes de alimento, o que conduz a uma luta pela existência na qual cada indivíduo fará uso das diferenças individuais herdadas dos seus ancestrais; os mais aptos sobrevivem num processo de seleção natural e, como meios diferentes selecionarão indivíduos diferentes, isto originará novas espécies. As idéias de Darwin logo encontraram fortes oponentes, desde muitos cientistas - que viam na teoria a incapacidade para explicar a origem das variações entre espécies e indivíduos de uma espécie - até líderes religiosos, pois as idéias de Darwin iam contra quaisquer concepções da origem da vida segundo os preceitos teológicos vigentes.
O problema da não aceitação da teoria darwiniana por parte de cientistas obrigou Darwin a utilizar-se das idéias de Lamarck quanto à adaptação ao meio. Sua teoria, no entanto, passaria a ser aceita pelo meio científico apenas no século XX, depois das descobertas de Mendel acerca da transmissão hereditária de caracteres. Somente em 1997 a teoria recebeu anuência do representante máximo da Igreja Católica, o Papa João Paulo II. A teoria de Darwin revolucionou definitivamente o modo como o mundo científico e o homem de maneira geral compreendem a existência da vida no planeta.
Fonte: http://www.unificado.com.br/calendario/11/origem_vida.htm

Retrato de de Charles Darwin e três caricaturas que foram publicadas em jornais na época do lançamento do seu livro.