You are on page 1of 4

Pós-Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho

TRABALHO DE PSICOLOGIA NA SEGURANÇA, COMUNICAÇÃO E


TREINAMENTO

TEMA: Os desafios da Gestão quanto à qualidade de vida e os fatores que


podem interferir no planejamento e no gerenciamento da segurança trabalho.

Tutora: Prof.ª MSc. Geórgia Gomes Vicente


Aluno: Eng.º Willian Paulo May

Sumário
1 – Introdução 2
2 - Concepção da Qualidade de Vida no Trabalho 2
3 – Conclusão 3
4 – Referências 4

Willian Paulo May – Engenheiro Eletricista – 28/04/19


Pós-Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho

1. Introdução
Na atualidade boa parte das organizações empresariais em destaque no mercado,
também se destacam em pesquisas no seu ambiente de trabalho. Porém, suas pesquisas
não se limitam ao âmbito da inovação tecnológica, os processos produtivos, segurança no
trabalho entre outros possuem papel muito importante a ser desenvolvido no ambiente de
labuta. O aumento da eficiência nos demais setores de uma organização de trabalho, se
deve justamente a pesquisa e desenvolvimento das mais diversas áreas convenientes tem
a função de aprimorar o desempenho dos processos produtivos, administrativos e demais
setores da organização.
Diante desta condição, está a qualidade de vida dos seus colaboradores que
interfere imersivamente em sua produtividade. O que realmente importa para o
colaborador? Um salário atraente, benefícios (vale alimentação, vale transporte ou
participação nos lucros), em muitos casos alguns graus a menos no ar condicionado ou
uma cadeira nova são suficientes para melhorar o rendimento de um funcionário, porém,
não são somente os aspectos físicos que realmente influenciam na qualidade de vida, esta
temática será abordada neste trabalho visando identificar os fatores importantes para
contribuir para a otimização da qualidade de vida dos colabores de uma empresa.
2. Concepção da Qualidade de Vida no Trabalho
No escopo de sociedade vivenciada na atualidade, grande parte dos trabalhadores
vende suas habilidades por um determinado tempo para ser remunerado. No sentido de
adquirir uma maior produtividade para suprir as demandas do mercado em expansão, as
empresas tenderam a exigir muito mais do trabalhador, foi nesse sentido que se passou a
olhar o trabalhador como uma das suas principais fontes de renda e assim surgem estudos
para aumentar a qualidade de vida no trabalho. Realizando uma perspectiva da quantidade
de horas que um trabalhador em comum está envolvido com atividades do trabalho,
podemos observar que um trabalhador em regime de CLT (Consolidação das Leis
Trabalhistas) trabalha em média 44 horas semanais, o que em um mês totaliza 176 horas
de trabalho mensais.
Tendo em vista que 30 dias correspondem a 720 horas, descontando um tempo
mínimo para dormir de 8 horas diárias durante o mês (30 dias) chegamos ao valor de 480
horas para serem aproveitadas pelo ser humano. Ainda incluindo necessidades básicas
como: banho (15 min/dia – 7,5 horas/mês), refeições (1h e 45 min/dia – 52,5 horas/mês)
e acrescentando uma pausa diária para descanso entre os turnos de trabalho (1 hora – 30

Willian Paulo May – Engenheiro Eletricista – 28/04/19


Pós-Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho

horas/mês) chegamos ao valor de 390 horas úteis. Destas 390 horas ainda devemos
subtrair o tempo utilizado para o trabalho e chegamos ao valor de 214 horas que divididos
em 30 dias representam aproximadamente 7 horas livres para o trabalhador realmente
fazer o que bem entender com o seu tempo. Esta análise é muito superficial, pois não leva
em consideração quesitos como: deslocamentos para o trabalho, para a escola do filho e
inclusive carona para o trabalho da esposa, enfim, outros fatores que influenciariam nesse
resultado.
Mesmo assim podemos perceber que passamos maior parte do nosso tempo útil
em função do trabalho, isso vem preocupando os provedores de oportunidades de trabalho
que levam em consideração a melhoria contínua dos ambientes de trabalho para a
melhoria do desempenho dos funcionários. Inclusive, acredito que houve uma evolução
do ambiente de trabalho, em que em alguns casos o trabalhador obtém a oportunidade de
constituir sua residência como local de trabalho, assim, evitando o tempo perdido por
como o deslocamento que é um problema nos grandes centros urbanos. Obviamente que,
se o colaborador não for regrado e ultrapassar o limite entre lar e trabalho, isso também
pode evoluir em problema na sua qualidade de vida.
Os empreendedores e empresários necessitam de mão de obra para produzir e
compor seus negócios, a remuneração está diretamente relacionada com a qualificação
dos profissionais. Em cargos básicos, estão alocados os colaboradores que mais sofrem
os efeitos das atividades maçantes, esses colaboradores em grande parte são desprovidos
de ensino superior, muitas vezes por falta de oportunidade, mas também por opção.
As organizações, mais especificamente setores de recursos humanos, como uma
estratégia de gestão, devem buscar atender as necessidades individuais e coletivas dos
trabalhadores, por estarem diretamente ligados aos fatores como a motivação, a
satisfação, o bem-estar psicológico e físico para alcançar uma melhor produtividade no
trabalho. É por essa razão que os coordenadores de recursos humanos nas empresas
devem priorizar a otimização do ambiente de trabalho, através de programas de Qualidade
de Vida no Trabalho, que proporcionam ao indivíduo maior resistência ao estresse,
motivação para alcançar os resultados e que favoreça a saúde do colaborador. Estes são
alguns dos fatores que contribuem para avaliar a satisfação dos funcionários no seu
ambiente de trabalho.
3. Conclusão
A segurança, saúde e higiene no trabalho são os pilares da qualidade de vida no
ambiente de trabalho, deve haver um enfoque nessas condições primordiais para prover

Willian Paulo May – Engenheiro Eletricista – 28/04/19


Pós-Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho

a condição apropriada e então garantir que o colaborador esteja apto para aplicar suas
habilidades sem que haja prerrogativa. A partir destas avaliações que se iniciaram as
preocupações com a melhoria das condições de trabalho, investindo medidas com
jornadas reduzidas de trabalhos, atividades laborais e a qualidade no ambiente físico. A
qualidade no ambiente físico é compreensível, visto que as pessoas passam a maior parte
do tempo nas empresas e para fornecer aos funcionários melhor qualidade de vida, o local
de trabalho deve se apresentar livre de riscos à saúde, assim como deve ser um ambiente
de trabalho favorável para garantir o bem-estar e a saúde dos empregados.
Assim sendo, as empresas devem promover os trabalhadores não apenas como
uma “máquina” para produzir seus produtos, como no início da revolução industrial, mas
sim, oferecer condições para que possam gozar de um ambiente de trabalho atrativo, em
boas condições e que valorizem o funcionário. Vê-se, então, a importância de existir uma
alteração de pensamento dos gestores em relação ao investimento em melhorias na
segurança ao trabalhador, tendo como resultado maior produtividade, e
consequentemente maior retorno financeiro.
4. Referências
Carvalho J. F., E. P. T. Martins, Lúcio L., Papandréa P. J. - QUALIDADE DE VIDA NO
TRABALHO E FATORES MOTIVACIONAIS DOS COLABORADORES NAS
ORGANIZAÇÕES – Minas Gerais – UNISEPE – Mês/Ano - 09/2013 – Disponível em:
http://unifia.edu.br/revista_eletronica/revistas/gestao_foco/artigos/ano2013/setembro/qu
alidade_motivacao.pdf
Cavassani A. P., Cavassani E B., Biazin C. C. - Qualidade de vida no trabalho: fatores
que influenciam as organizações - XIII SIMPEP – Bauru, SP, Brasil, 08/11/2006 –
Disponível em: http://www.simpep.feb.unesp.br/anais/anais_13/artigos/784.pdf
BRAGA, I. D., MORITZ, G. O. e SILVA, M. L. B. - Fatores que Interferem na Qualidade
de Vida no Trabalho dos Trabalhadores de Enfermagem - Coleção Gestão da Saúde
Pública – Volume 11 – Florianópolis - 2013 – Disponível em:
http://gsp.cursoscad.ufsc.br/wp/wp-content/uploads/2013/03/Volume-11-
Completo1.pdf.
FERREIRA, T. K. M., TODESCAT, M. e WEINZIERL, G. - Qualidade de Vida no
Trabalho: um desafio a ser perseguido ´ VII Convibra Administração – Congresso Virtual
Brasileiro de Administração – Disponível em:
http://www.convibra.com.br/upload/paper/adm/adm_1355.pdf

Willian Paulo May – Engenheiro Eletricista – 28/04/19