You are on page 1of 24

Oferta e Demanda de Capacitação no

Estado do Rio de Janeiro

Renata Lèbre La Rovere


Guilherme Santos
Elisama Almeida
Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grupo de Economia da Inovação- Instituto de Economia UFRJ


Objetivo

Realizar um diagnóstico das condições de capacitação


de setores escolhidos da indústria e de segmentos do setor
de serviços no Estado do Rio de Janeiro

Pesquisa se iniciou com diagnóstico da indústria em


2014, com apoio da FAPERJ, e continuou com
diagnóstico do setor de serviços em 2016, com apoio do
CNPq/PIBIC.

Grupo de Economia da Inovação- Instituto de Economia UFRJ


Metodologia
1) Definição da demanda por capacitação:
 Identificação dos setores industriais considerados prioritários pelo Estado do
Rio de Janeiro (Sobral, 2013)
 Cálculo dos indicadores de concentração econômica dos setores industriais com
base em dados da RAIS/MTE
 Identificação dos municípios onde há concentração destes setores
 Identificação, no setor de serviços, dos serviços intensivos em conhecimento
(KIBS)
 Cálculo dos indicadores de concentração econômica dos segmentos do setor de
serviços identificados como intensivos em conhecimento
 Identificação dos municípios onde há concentração de KIBS
 Eliminação dos municípios com empregos de baixa escolaridade.
Grupo de Economia da Inovação- Instituto de Economia UFRJ
Metodologia

1) Definição da demanda por capacitação (cont.):

Grupo de Economia da Inovação- Instituto de Economia UFRJ


Metodologia
2) Definição da oferta de capacitação:
 Seleção de cursos técnicos, de graduação e pós-graduação direta e indiretamente
relacionados a cada segmento com base na especificação de atividades detalhada na
CNAE/IBGE;
 Identificação das instituições públicas e privadas de Ensino Superior presentes no ERJ
(FAPERJ, 2014);
 Seleção das instituições localizadas nos municípios que apresentaram concentrações
econômicas como também nos municípios que estão nas suas áreas de influência;
 Consulta ao site do INEP (e-MEC) para verificar o Índice Geral de Cursos (IGC),
definindo uma nota mínima de 3 para que a instituição fosse incluída no levantamento;
 Utilização da Plataforma DataViva para consultar o total de concluintes de cada um dos
cursos.

Grupo de Economia da Inovação- Instituto de Economia UFRJ


Metodologia
3) Cruzamento entre oferta e demanda de
capacitação considerando as principais regiões
do estado:
 Ordenamento da oferta de capacitação: número absoluto de
concluintes do total de cursos relativos à cada categoria;
 Ordenamento da demanda por capacitação:
» Municípios que apresentam maior QLe;
» Quantidade de municípios de cada região nos setores ou
segmentos selecionados;
» Se QLe fossem próximos recorremos ao RSe.
Grupo de Economia da Inovação- Instituto de Economia UFRJ
Petróleo & Gás
Ordem Demanda Oferta Cruzamento
1 Norte Noroeste Fluminense Rio de Janeiro NC¹

Baixadas Litorâneas e
2 Metropolitana NC
Serrana
Centro- Sul Fluminense,
3 Metropolitana Médio Paraíba e Costa NC
Verde

4 Rio de Janeiro Norte Noroeste Fluminense NC

Centro- Sul Fluminense,


Baixada Litorânea e
5 Médio Paraíba e Costa NC
Serrana
Verde
Nota 1: NC=Não Corresponde; C=Corresponde

• Nenhuma correspondência entre a oferta e a demanda no


cruzamento acima.

Grupo Inovação – Instituto de Economia da UFRJ


Construção Naval

Ordem Demanda Oferta Cruzamento


Centro- Sul Fluminense,
1 Médio Paraíba e Costa Rio de Janeiro NC¹
Verde

2 Metropolitana Metropolitana C

Centro- Sul Fluminense,


3 Rio de Janeiro Médio Paraíba e Costa NC
Verde
Baixadas Litorâneas e Norte Noroeste
4 NC
Serrana² Fluminense
Norte Noroeste Baixada Litorânea e
5 NC
Fluminense Serrana
Nota 1: NC=Não Corresponde; C=Corresponde
Nota 2: Em Itálico: regiões sem indicadores relevantes e/ou com menos de 3
estabelecimentos

• Correspondência na região Metropolitana;


• Nenhuma outra correspondência nas outras regiões.
Grupo Inovação – Instituto de Economia da UFRJ
Farmacêutico

Ordem Demanda Oferta Cruzamento


1 Rio de Janeiro Rio de Janeiro C¹

2 Metropolitana Metropolitana C

Centro- Sul Fluminense,


Baixadas Litorâneas e
3 Médio Paraíba e Costa NC
Serrana
Verde
Centro- Sul Fluminense,
Norte Noroeste
4 Médio Paraíba e Costa NC
Fluminense
Verde
Norte Noroeste Baixada Litorânea e
5 NC
Fluminense Serrana
Nota 1: NC=Não Corresponde; C=Corresponde
Nota 2: Em Itálico: regiões sem indicadores relevantes e/ou com menos de 3
estabelecimentos

• Correspondência entre a oferta e a demanda no município


do Rio de Janeiro e na Região Metropolitana.
Grupo Inovação – Instituto de Economia da UFRJ
Metalurgia
Ordem Demanda Oferta Cruzamento
Centro- Sul Fluminense,
1 Médio Paraíba e Costa Rio de Janeiro NC¹
Verde
Norte Noroeste
2 Metropolitana NC
Fluminense
Centro- Sul Fluminense,
Baixadas Litorâneas e
3 Médio Paraíba e Costa NC
Serrana
Verde
Norte Noroeste
4 Metropolitana NC
Fluminense
Baixada Litorânea e
5 Rio de Janeiro NC
Serrana
Nota 1: NC=Não Corresponde; C=Corresponde

• Nenhuma correspondência entre a oferta e a demanda no


cruzamento acima.

Grupo Inovação – Instituto de Economia da UFRJ


Metal Mecânica

Ordem Demanda Oferta Cruzamento


Centro- Sul Fluminense,
1 Médio Paraíba e Costa Rio de Janeiro NC¹
Verde
Baixadas Litorâneas e
2 Metropolitana NC
Serrana
Centro- Sul Fluminense,
Norte Noroeste
3 Médio Paraíba e Costa NC
Fluminense
Verde
Norte Noroeste
4 Metropolitana NC
Fluminense
Baixada Litorânea e
5 Rio de Janeiro NC
Serrana

Nota 1: NC=Não Corresponde; C=Corresponde

• Nenhuma correspondência entre a oferta e a demanda no


cruzamento acima.

Grupo Inovação – Instituto de Economia da UFRJ


TI- Desenvolvimento de Programas de
Computador e Consultoria
Ordem Demanda Oferta Cruzamento
1 Rio de Janeiro Rio de Janeiro C¹

Norte Noroeste
2 Metropolitana NC
Fluminense

Metropolitana
3 Serrana NC

4 Baixadas Litorâneas2 Baixadas Litorâneas NC

Centro- Sul Fluminense,


5 Serrana Médio Paraíba e Costa NC
Verde
Centro- Sul Fluminense,
Norte Noroeste
Médio Paraíba e Costa
6 Fluminense NC
Verde

Nota 1: NC=Não Corresponde; C=Corresponde


Nota 2: Em Itálico: regiões sem indicadores relevantes e/ou com menos de 3
estabelecimentos

• Correspondência no município do Rio de Janeiro.


Grupo Inovação – Instituto de Economia da UFRJ
TI- Suporte Técnico, Tratamento de Dados e
Portais
Ordem Demanda Oferta Cruzamento
1 Rio de Janeiro Rio de Janeiro C¹

2 Serrana2 Metropolitana NC

Centro- Sul Fluminense,


Médio Paraíba e Costa
3 Serrana NC
Verde

4 Baixadas Litorâneas Baixadas Litorâneas C

Centro- Sul Fluminense,


5 Região Metropolitana Médio Paraíba e Costa NC
Verde
Norte Noroeste Norte Noroeste
6 Fluminense Fluminense C

Nota 1: NC=Não Corresponde; C=Corresponde


Nota 2: Em Itálico: regiões sem indicadores relevantes e/ou com menos de 3
estabelecimentos

• Correspondência no município do Rio de Janeiro.


Grupo Inovação – Instituto de Economia da UFRJ
Gestão
Ordem Demanda Oferta Cruzamento
1 Rio de Janeiro Rio de Janeiro C¹

2 Baixadas Litorâneas2 Metropolitana NC

Norte Noroeste Centro- Sul Fluminense,


3 Fluminense Médio Paraíba e Costa NC
Verde

4 Região Metropolitana Serrana C

Centro- Sul Fluminense,


Médio Paraíba e Costa Norte Noroeste
5 NC
Verde Fluminense

Serrana Baixadas Litorâneas


6 C

Nota 1: NC=Não Corresponde; C=Corresponde


Nota 2: Em Itálico: regiões sem indicadores relevantes e/ou com menos de 3
estabelecimentos

• Correspondência no município do Rio de Janeiro.


Grupo Inovação – Instituto de Economia da UFRJ
Arquitetura e Engenharia
Ordem Demanda Oferta Cruzamento
1 Rio de Janeiro Rio de Janeiro C¹

Região Metropolitana
2 Metropolitana C

Centro- Sul Fluminense,


Centro- Sul Fluminense,
Médio Paraíba e Costa
3 Médio Paraíba e Costa C
Verde
Verde

4 Baixadas Litorâneas2 Serrana NC

Norte Noroeste
Norte Noroeste
5 Fluminense NC
Fluminense

Serrana Baixadas Litorâneas


6 NC

Nota 1: NC=Não Corresponde; C=Corresponde


Nota 2: Em Itálico: regiões sem indicadores relevantes e/ou com menos de 3
estabelecimentos

• Correspondência no município do Rio de Janeiro, Região


Metropolitana e Centro-Sul Fluminense, Médio Paraíba e Costa Verde.
Grupo Inovação – Instituto de Economia da UFRJ
Pesquisa e Desenvolvimento
Ordem Demanda Oferta Cruzamento
1 Rio de Janeiro Metropolitana NC¹

Centro- Sul Fluminense2,


Médio Paraíba e Costa Rio de Janeiro NC
2
Verde

Região Metropolitana
3 Serrana NC

Norte Noroeste
4 Baixadas Litorâneas Fluminense NC

Norte Noroeste Centro- Sul Fluminense,


5 Fluminense Médio Paraíba e Costa NC
Verde
Serrana Baixadas Litorâneas
6 NC

Nota 1: NC=Não Corresponde; C=Corresponde


Nota 2: Em Itálico: regiões sem indicadores relevantes e/ou com menos de 3
estabelecimentos

• Nenhuma correspondência entre a oferta e a demanda no


cruzamento acima.
Grupo Inovação – Instituto de Economia da UFRJ
Conclusões - Indústria

Resultados para a indústria mostram que regiões que


têm mais cursos não são as mesmas que têm maior
concentração econômica nos setores selecionados, com
exceção do setor farmacêutico;

Importante planejar a oferta de cursos de acordo com


concentração econômica para evitar que jovens do
interior se desloquem para a capital.
Grupo Inovação – Instituto de Economia da UFRJ 17
Conclusões - Indústria

Importante também levar em consideração a natureza da


demanda ao planejar expansão dos cursos;

Outro elemento a se considerar é o tempo necessário


para a capacitação;

 Observou-se, no caso da indústria, lacunas importantes


na oferta de cursos técnicos.

Grupo Inovação – Instituto de Economia da UFRJ 18


Conclusões - KIBS
• Expressiva concentração de KIBS na capital e na Região
Metropolitana;

• Presença do Norte Fluminense na demanda por serviços


de TI => se deve à localização das atividades relacionadas
ao complexo de P&G na região;
> Oferta é deficiente;

• Presença da Região Centro-Sul Fluminense na demanda


por serviços de Engenharia => se deve à localização das
atividades relacionadas ao complexo automobilístico e à
indústria siderúrgica na região;
> Oferta é suficiente.
Grupo de Economia da Inovação- Instituto de Economia UFRJ
Conclusões - KIBS
• Vários municípios do interior apresentaram concentração
de KIBS, porém foram eliminados pois o emprego era de
baixa qualificação;

• Os resultados apontam maiores possibilidades de


desenvolvimento de inovações induzidas por KIBS na
capital e na Região Metropolitana do Rio de Janeiro;

• Porém, apostar nessas regiões reforça a fragilidade da


estrutura produtiva fluminense e a concentração espacial de
empregos que o Estado do Rio de Janeiro já apresenta.

Grupo de Economia da Inovação- Instituto de Economia UFRJ


Conclusões – Todos os Setores
Necessidade de políticas públicas para assegurar a
oferta de cursos adequada às concentrações econômicas
locais;
Adequação é importante para promover
desenvolvimento sustentável, reduzindo necessidade de
deslocamento da população que queira se capacitar;
Política de promoção de mecanismos de geração de
empreendimentos inovadores pode ser uma possibilidade
para estimular maior correspondência.
Grupo Inovação – Instituto de Economia da UFRJ 21
Conclusões – Todos os Setores
Adequação das atividades dos ambientes de
inovação às necessidades regionais também é
relevante;

Uma política de inovação que visa contribuir para a


diversificação da economia fluminense deve buscar o
reforço aos ambientes de inovação no interior do
estado.

Grupo de Economia da Inovação- Instituto de Economia UFRJ


Agenda de Pesquisa
Analisar políticas de expansão da oferta separando
cursos técnicos de cursos de ensino superior;

Atualizar situação da demanda;

Refletir sobre possibilidades de desenvolvimento de


KIBS relacionados ao perfil da indústria em cada
região.

Grupo de Economia da Inovação- Instituto de Economia UFRJ


Obrigada!

renata@ie.ufrj.br

Grupo de Economia da Inovação- Instituto de Economia UFRJ