You are on page 1of 128

Curso Vitória

Geometria Plana
Aula: 01

Assunto: Ângulo Plano.

Teoria fundamental
Chama-se ângulo plano a região entre duas semirretas de mesma origem.

ângulo convexo ângulo não convexo

O: origem
OA e OB : lados do ângulo
AÔB  BÔA  

Ângulos consecutivos :

Dois ângulos são consecutivos se, e somente se, possuem um lado comum. Na figura acima, os pares de
ângulos consecutivos são: ( AÔB e BÔC ) , ( AÔB e AÔC ) e ( BÔC e AÔB).

Ângulos adjacentes :

Dois ângulos são adjacentes se, e somente se, são consecutivos e não possuem pontos internos comuns.
Na figura acima, o par de ângulos adjacentes é : ( AÔB e BÔC ) .

1
Curso Vitória
Bissetriz de um ângulo : é a semirreta que o divide em dois outros de mesma medida.

Oc é bissetriz , então bÔc  cÔa .

ângulos opostos pelo vértice(o.p.v) :

Dois ângulos são opostos pelo vértice se, e somente se, os lados de um deles são as respectivas semirretas
opostas aos lados do outro.

AÔB e CÔD são opostos pelo vértice.

Ângulos o.p.v. são congruentes: AÔB  CÔD .

Unidades de medidas de ângulo :

Sistema sexagesimal:

unidade - grau Lê-se: 1º (um grau)


1
1º = do ângulo reto(90º) 1' (um minuto)
90
1'' (um segundo)
subunidades - minuto - segundo

1
1'  do grau
60

1
1"  do minuto
60

Obs: Quando iniciarmos o estudo da trigonometria definiremos o radiano que é a unidade do Sistema
Internacional de Unidades para medida de ângulos.

Definições:

a) Se  é um ângulo , então  é:

-nulo se   0º

-agudo se 0º    90º

-reto se   90º
-obtuso se 90º    180º

2
Curso Vitória
-raso ou de meia volta se   180º

b) Se  e  são dois ângulos , então  e  são:

-complementares se     90º

-suplementares se     180º

-replementares se     90º

Ângulos entre retas paralelas:

a) Denominações

1 e 5
4 e 8

Correspondentes 
2 e 6
3 e 7

1 e 3
2 e 4

Opostos pelo vértice(o.p.v.) 
5 e 7
6 e 8

3 e 5
Alternos internos 
4 e 6

1 e 7
Alternos externos 
2 e 8

3 e 6
Colaterais internos 
4 e 5

1 e 8
Colaterais externos 
2 e 7

b) Propriedades

-Os ângulos alternos são congruentes(iguais).

-Os ângulos correspondentes são congruentes.

-Os ângulos colaterais são suplementares(somam 180º).

-Os ângulos opostos pelo vértice(o.p.v.) são congruentes.

3
Curso Vitória

Vamos Resolver ?

Resolva em casa

1)Os ângulos  e B̂ são congruentes. Sendo   2x  15 e B̂  5x  9. Assinale a alternativa que
representa, corretamente, o valor de x .

a) 2
b) 8
c) 12
d) 24

2)A medida do ângulo y na figura é:

a) 62
b) 72
c) 108
d) 118
e) 154

3)Calcule o valor de x, em graus, na figura:

a) 16.
b) 10.
c) 20.
d) 58.
e) 32.

4)Na figura abaixo, a e b são retas paralelas.

A afirmação correta a respeito do número que expressa, em graus, a medida do ângulo α é

a) um número primo maior que 23.


b) um número ímpar.
c) um múltiplo de 4.
d) um divisor de 60.
e) um múltiplo comum entre 5 e 7.

5)A medida de y na figura, em graus, é:


4
Curso Vitória

a) 42°.
b) 32°.
c) 142°.
d) 148°.
e) 24°.

6)Júlia começou a estudar Geometria na sua escola. Com dúvida em um exercício passado pelo
professor de matemática, ela pediu ajuda ao seu tio. O enunciado era: “As retas r e s são paralelas; as
retas u e t, duas transversais. Encontre o valor do ângulo x na figura abaixo”. Portanto, o valor de x é:

a) 120°
b) 125°
c) 130°
d) 135°
e) 140°

ˆ Determine o valor de
7)Na figura abaixo, OP é bissetriz do ângulo AOB. x e y.

a) x  13 e y  49
b) x  15 e y  35
c) x  12 e y  48
d) x  17 e y  42
e) x  10 e y  50

8)Numa gincana, a equipe "Já Ganhou" recebeu o seguinte desafio:

Na cidade de Curitiba, fotografar a construção localizada na rua Marechal Hermes no número igual à
nove vezes o valor do ângulo  da figura a seguir:

Se a Equipe resolver corretamente o problema irá fotografar a construção localizada no número:

a) 990.
b) 261.
c) 999.
d) 1026.
e) 1260.
9)Dois ângulos são suplementares. Os 2/3 do maior excedem os 3/4 do menor em 69°. Determine os

5
Curso Vitória
ângulos.

a)144° e 36°
b)108° e 72°
c)96° e 84°
d)132° e 48°
e)90° e 90°

10)O ângulo cujo suplemento excede de 6° o quádruplo do seu complemento, é:

a) 58°
b) 60°
c) 62°
d) 64°
e) 68°

11)Dois ângulos complementares A e B, sendo A < B, têm medidas na razão de 13 para 17.
Consequentemente, a razão da medida do suplemento do ângulo A para o suplemento do ângulo B vale:

a) 43/47
b) 17/13
c) 13/17
d) 119/48
e) 47/43

12)Sabendo-se que a soma de dois ângulos é 78° e um deles vale 3/5 do complemento do outro, os
valores são:

a) 10° e 68°
b) 15° e 63°
c) 16° e 62°
d) 18° e 60°
e) 20° e 58°

13) O valor de x, na figura abaixo, considerando paralelas as retas r e s é igual a

a) 40°
b) 80°
c) 120°
d) 160°

14) Na figura seguinte, as retas r e s são paralelas. A medida do ângulo x é igual a


6
Curso Vitória

a) 230o
b) 225o
c) 220o
d) 210o

DESAFIOS do Mariano....

15)A semirreta OY é interna ao ângulo XOZ. O ângulo XOY é de60o e YOZ é de 100o. A semirreta OR é
bissetriz de XOZ, então YOR mede

a) 20o
b) 30o
c) 40o
d) 50o

16) Na figura abaixo, OM é a bissetriz do ângulo AÔB, ON é a bissetriz do ângulo BÔC e OP é a bissetriz
do ângulo CÔD. A soma PÔD + MÔN é igual a

a)90°
b)60°
c)45°
d)30°

17) Na figura abaixo, onde r e s são retas paralelas e t é uma transversal, ficam determinados os ângulos
7y  4
não nulos, que têm medidas em graus dadas pelas expressões 7 x , x  2 x ,
2
e 3z .
2
É correto afirmar que

a) x + y = z
c) y – x = z
b) y< z < x
d) x< y < z

18) Considere as retas r e s (r//s) e os ângulos ê, î e â da figura abaixo


Pode-se afirmar que

a) ê + î + â = 270°
b) ê + î + â = 180°
c) ê + î = â
d) ê + î = â + 90°
Gabarito:

1)b 2)d 3)a 4)d 5)b 6)e 7)e 8)c 9)a 10)c 11)e 12)d 13)c 14)c 15)a 16)a 17)d 18)a

7
Curso Vitória

Geometria Plana
Aula: 02

Assunto: Classificação e ângulos nos triângulos.

Teoria fundamental
Em todo triângulo a soma dos ângulos internos é igual a 180º e qualquer ângulo externo é igual a soma
dos ângulos internos do triângulo não adjacentes a ele.

-Quantos aos lados o triângulo pode ser classificado em:

Triângulo isósceles: Possui dois lados congruentes.


Todo triângulo isósceles possui dois ângulos congruentes relativos aos lados iguais. Estes são chamados
de ângulos da base e o outro é chamado ângulo do vértice.

^ ^
bc BC

Triângulo equilátero: possui três lados congruentes.

Em todo triângulo equilátero cada ângulo mede 60º.

^ ^ ^
a  b  c  A  B  C  60º .

Triângulo escaleno: possui os três lados com medidas diferentes.

8
Curso Vitória
-Quantos aos ângulos o triângulo pode ser classificado em:

Triângulo acutângulo: possui os três ângulos com medidas menores que 90º.

Triângulo retângulo: possui um ângulo reto(90º).

Triângulo obtusângulo: possui um ângulo com medida maior que 90º e menor que 180º.

Resolva em casa

1)Observe a figura.

Nela, a, 2a, b, 2b e x representam as medidas, em graus, dos ângulos assinalados. O valor de x, em


graus, é

a) 100
b) 110
c) 115
d) 120

2) Um dos ângulos internos de um triângulo isósceles mede 100°. Qual é a medida do ângulo agudo
formado pelas bissetrizes dos outros ângulos internos?

a) 20°
b) 40°
c) 60°
d) 80°
e) 140°
3) Na figura a seguir, o ângulo x, em graus, pertence ao intervalo

a) (0°, 15°)
b) (15°, 20°)
c) (20°, 25°)
d) (25°, 30°)

4) Na figura a seguir, MNPQ é um quadrado, e NPR é um triângulo equilátero. O ângulo α mede


9
Curso Vitória

a) 30°
c) 15°
c) 75°
d) 25°

5) Considere o triângulo ABC, a seguir, e D um ponto no lado AC, tal que AD = BD = BC = 1 cm. Nesse
caso, a relação existente entre os ângulos indicados α e β é

a) β + 2α= π
b) β = 2α
c) β = 3α
d) α– β = π/4

6) Observe a figura:

BD é bissetriz de ABˆ C , ECˆ B  2.( EAˆ B ) e a medida do ângulo ECˆ B é 80°. A medida do ângulo CDˆ B
é

a) 40°
b) 50°
c) 55°
d) 60°
e) 65°

7) Observe a figura:
10
Curso Vitória

Nessa figura, AB  AC , BD é bissetriz de ABˆ C , CE é bissetriz de BCˆ D e a medida do ângulo ACˆ F


é 140°.
A medida do ângulo DEˆ C , em graus, é

a) 20
b) 30
c) 40
d) 50
e) 60

8)Na figura a seguir, AB  AC , D é o ponto de encontro das bissetrizes do triângulo ABC, e o ângulo
D̂ é o triplo do ângulo  . Então, a medida de  é

a) 18°
b) 12°
c) 24°
d) 36°
e) 15°

9) Na figura, AB  BD  CD . Então,

a) y = 3x
b) y = 2x
c) x + y = 180°
d) x = y
e) 3x = 2y

ˆ D mede
10) Na figura, BC  CA  AD  DE . O ângulo CA

a) 10°
b) 20°
c) 30°
d) 40°
e) 60°

Gabarito:

1)d 2)b 3)b 4)c 5)c 6)d 7)c 8)d 9)a 10)b

Geometria Plana
11
Curso Vitória

Aula: 03

Assunto: Estudo dos polígonos.

Teoria fundamental
Polígono é toda região plana limitada por uma linha poligonal fechada.

De acordo com o número de lados os polígonos recebem nomes especiais.


n  3  trilátero ou triângulo
n  4  quadriláte ro
n  5  pentágono
n  6  hexágono
n  7  heptágono
n  8  octógono
n  9  eneágono
n  10  decágono
n  11  undecágono
n  12  dodecágono
n  15  pentadecágono
n  20  i cos ágono

-Os polígonos podem ser classificados em regulares e não regulares.

-Os regulares têm todos os lados e todos os ângulos internos congruentes, isto é, são equiláteros e
equiângulos.

Sendo n o número de lados de um polígono, tem-se:

-Ângulo Interno
12
Curso Vitória

180º n  2 
ai 
n

Obs: somente se o polígono for equiângulo.

-Soma dos Ângulos Interno

Si  180º (n  2)

-Ângulo Externo

360º
ae  Obs: somente se o polígono for equiângulo.
n

-Soma dos Ângulos Externos

Se  360º

-Número de Diagonais que partem de cada vértice

Dv  n  3
-Número de Diagonais(total)

13
Curso Vitória
nn  3
D 
2

14
Curso Vitória

Resolva em casa

1)O polígono regular convexo em que o número de lados é igual ao número de diagonais é o

a) dodecágono.
b) pentágono.
c) decágono.
d) hexágono.
e) heptágono.

2)Os ângulos internos de um quadrilátero medem 3x – 45, 2x + 10, 2x + 15 e x + 20 graus.


O MENOR ângulo mede

a) 90°
b) 65°
c) 45°
d) 105°
e) 80°

3)Os ângulos externos de um polígono regular medem 20°. Então, o número de diagonais desse
polígono é

a) 90
b) 104
c) 119
d) 135
e) 152

4)Um polígono regular de n lados tem 90 diagonais. O valor de n é

a) 10
b) 12
c) 15
d) 20
e) 21

5)se um polígono convexo de n lados tem 54 diagonais, então n é

a) 8
b) 9
c) 10
d) 11
e) 12

15
Curso Vitória
6)Prolongando-se os lados AB e CD de um polígono convexo regular ABCD..., obtém-se um ângulo de
132° conforme ilustra a figura. De acordo com o número de lados, esse polígono é um

a) octógono.
b) decágono.
c) undecágono.
d) pentadecágono.
e) icoságono.

7)ABCDE é um pentágono regular convexo. O ângulo das diagonais AC e AD vale

a) 30°
b) 36°
c) 45°
d) 60°
e) 72°

8)Um polígono regular possui, a partir de cada um de seus vértices, tantas diagonais quantas são as
diagonais de um hexágono. Cada ângulo interno desse polígono mede, em graus,

a) 140
b) 150
c) 155
d) 160
e) 170

9)Na figura a seguir, ABCDE é um pentágono regular. A medida, em graus, do ângulo αé

a) 32
b) 34
c) 36
d) 38
e) 40

10)Os lados de um octógono regular são prolongados até que se obtenha uma estrela. A soma das
medidas dos ângulos internos dos vértices dessa estrela é

a) 180°
b) 360°
c) 540°
d) 720°
e) 900°

16
Curso Vitória
11)Dois ângulos internos de um polígono convexo medem 130° cada um e os demais ângulos
internos medem 128° cada um. O número de lados do polígono é

a) 6
b) 7
c) 13
d) 16
e) 17

12)O polígono convexo cuja soma dos ângulos internos é 1 440° tem, exatamente,

a) 15 diagonais.
b) 20 diagonais.
c) 25 diagonais.
d) 30 diagonais.
e) 35 diagonais.

Gabarito:

1)b 2)b 3)d 4)c 5)e 6)d 7)b 8)b 9)c 10)d 11)b 12)e

17
Curso Vitória

Geometria Plana
Aula: 4

Assunto: ângulos na circunferência

Teoria fundamental
Veremos cinco casos de ângulos na circunferência que nos ajudarão bastante a resolver vários problemas
de geometria.

1) Ângulo central : é por definição igual ao arco(em graus ou radianos) correspondente na


circunferência. Diferencia-se dos demais casos por ter seu vértice no centro da circunferência.

2) Ângulo inscrito : é igual a metade do arco correspondente. Seu vértice encontra-se sobre a
circunferência.

Obs1: Quando consideramos uma corda AB de um círculo, verificamos que de qualquer ponto de um dos
AB
arcos podemos ver o segmento AB sob o mesmo ângulo . Na figura abaixo  sendo constante,
2
portanto. O arco AVB é chamado arco capaz do ângulo  sobre o segmento AB.

18
Curso Vitória
Obs2 : Qualquer triângulo inscrito em círculo tendo um dos lados como diâmetro desse círculo é
retângulo.

  90º

Obs3: A condição necessária e suficiente para que um quadrilátero seja inscritível a uma circunferência,
isto é, tenha seus quatro vértices pertencentes a um mesmo círculo que é a soma de seus ângulos opostos
seja 180º(tente mostrar esse fato usando a propriedade dos ângulos inscritos).

3) Ângulo de segmento : é igual a metade do arco correspondente. É o ângulo cujo vértice é um ponto do
círculo e cujos lados são uma tangente e uma secante ao círculo.

4) Ângulo excêntrico interno :é igual a semissoma dos arcos correspondentes no círculo. É o ângulo
formado por duas cordas que se cruzam na circunferência.

5) Ângulo excêntrico externo :é igual a diferença dos arcos correspondentes dividida por dois. É o
ângulo formado por duas secantes à circunferência que concorrem em um ponto exterior ao círculo.

19
Curso Vitória

Resolva em casa

1)Observe a figura.

suponha que as medidas dos ângulos PSˆQ , QSˆR , SPˆ R , assinalados na figura, sejam 45°, 18° e 38°,
respectivamente. A medida do ângulo PQˆ S , em graus, é

a) 38
b) 63
c) 79
d) 87
ˆ D  20 e CEˆ D  70 . Então, AMˆ B é igual a
2) Na figura a seguir, sabe-se que CA

a) 50°
b) 45°
c) 60°
d) 22°30’
e) 30°

3) Na figura, os segmentos de reta AP e DP são tangentes à circunferência, o arco ABC mede 110
graus e o ângulo CA ˆ D mede 45 graus. A medida, em graus, do ângulo APˆ D é

a) 15
b) 20
c) 25
d) 30
e) 35

20
Curso Vitória
4) Na figura a seguir tem-se um círculo de raio 1; sobre este círculo, consideram-se arcos AB e CD
medindo π/6 e π/9 , respectivamente (ambos orientados no sentido anti-horário). se α é a medida, em
ˆ B , CALCULE   144 
radianos, do ângulo AO . .
  

a)1
b)2
c)3
d)4

5) Observe a figura.

Nessa figura, BD é um diâmetro da circunferência circunscrita ao triângulo ABC, e os ângulos ABˆ D e


AEˆ D medem, respectivamente, 20° e 85°. Assim sendo, o ângulo CBˆ D mede

a) 25°
b) 35°
c) 30°
d) 40°
6) De um ponto M, exterior a um círculo de centro O, traçam-se as tangentes MA e MB, de acordo com
a figura a seguir. Se a corda AB é um lado do triângulo equilátero inscrito nesse círculo, então a medida
do ângulo AMˆ B é

a) 40°
b) 60°
c) 90°
d) 120°

7) O ângulo x, na figura a seguir, mede

a) 60°
b) 80°
c) 90°
d) 100°
e) 120°

21
Curso Vitória
ˆ C inscrito na circunferência de centro O é
8) A medida do ângulo AD

a) 125°
b) 110°
c) 120°
d) 100°
e) 135°

9)Na figura a seguir, o triângulo ABC é isósceles e BD é a bissetriz do ângulo de vértice B. A medida do
ângulo assinalado é

a) 55°
b) 50°
c) 45°
d) 40°
e) 35°

10)Na figura, a reta MN é tangente à circunferência em P, a secante MQ passa pelo centro O da


circunferência e a medida do ângulo QMˆ P é 40°. A medida do ângulo NPˆ Q é igual a

a) 65°
b) 60°
c) 55°
d) 50°

11)Em um círculo de raio 5, está inscrito um quadrilátero ABCD. Sobre a soma dos ângulos opostos
BAˆ D e BCˆ D podemos afirmar que vale

a) 5.180°
b) 3.180°
c) 2.180°
d) 180°
e) 90°

12)Numa circunferência, inscreve-se um quadrilátero convexo ABCD tal que ABˆ C  70 .
Se x  ACˆB  BD
ˆ C , então

a) x = 120°
b) x = 110°
c) x = 100°
d) x = 90°
e) x = 80°

22
Curso Vitória
13)Na figura a seguir, o triângulo APB está inscrito na circunferência de centro C.

Se os ângulos assinalados têm as medidas indicadas, então x é igual a

a) 23°45’
b) 30°
c) 60°
d) 62°30’
e) 66°15’

14)Os pontos a, B e C pertencem a uma circunferência γ e AC é lado de um polígono regular inscrito em


γ. sabendo-se que o ângulo ABˆ C mede 18°, podemos concluir que o número de lados do polígono é
igual a

a) 5
b) 6
c) 7
d) 10
e) 12

Gabarito:

1)c 2)e 3)b 4)d 5)b 6)b 7)b 8)a 9)d 10)a 11)d 12)b 13)e 14)d

23
Curso Vitória

Geometria Plana
Aula: 05

Assunto:Semelhança de Triângulos.

Teoria fundamental
Se dois triângulos possuem lados respectivamente proporcionais, então são semelhantes.

Os lados proporcionais são chamados homólogos.

Se dois triângulos são semelhantes, suas respectivas alturas, medianas, bissetrizes e seus perímetros estão
na mesma razão de semelhança dos lados homólogos.

Se chamarmos de k a razão de semelhança entre quaisquer dois segmentos homólogos de dois triângulos
semelhantes, então a razão entre suas áreas será k2 e a razão entre os sólidos gerados pela rotação de cada
triângulo em torno de um eixo será k3.

Dois triângulos semelhantes possuem ângulos respectivamente congruentes. A recíproca desta afirmação
é verdadeira.

Teorema fundamental da semelhança de triângulos :

Se um segmento de reta é paralelo a um dos lados de um triângulo e cruza os outros dois, então os dois
triângulos, assim formados, são semelhantes.

AMN ~ ABC

24
Curso Vitória

Resolva em Casa

1)Um observador situado em um ponto O, localizado na margem de um rio, precisa determinar sua
distância até um ponto P, localizado na outra margem, sem atravessar o rio. Para isso, marca, com
estacas, outros pontos do lado da margem em que se encontra, de tal forma que P, O e B estão
alinhados entre si, e P, A e C, também. Além disso, OA é paralelo a BC, OA = 25 m, BC = 40 m e
OB = 30 m, conforme figura.

A distância, em metros, do observador em O até o ponto P é

a) 30
b) 35
c) 40
d) 45
e) 50

2) O triângulo ABC tem altura h e base b (ver figura). Nele, está inscrito o retângulo DEFG, cuja base é o
dobro da altura. Nessas condições, a altura do retângulo, em função de h e b, é dada pela fórmula

bh
a)
hb
2bh
b)
hb
bh
c)
h  2b
bh
d)
2h  b
bh
e)
2(h  b)

25
Curso Vitória
3) Após um tremor de terra, dois muros paralelos em uma rua de uma cidade ficaram ligeiramente
abalados. Os moradores se reuniram e decidiram escorar os muros utilizando duas barras metálicas,
como mostra a figura a seguir. Sabendo que os muros têm alturas de 9 m e 3 m, respectivamente, a que
altura do nível do chão as duas barras se interceptam? Despreze a espessura da s barras.

a) 1,50 m
b) 1,75 m
c) 2,00 m
d) 2,25 m
e) 2,50 m

4) Depois de andar 5 m em uma escada rolante, uma pessoa percebeu que se deslocou 4 m em relação
à horizontal. Tendo andado 10 m na mesma escada, quantos metros terá se deslocado em relação à
vertical?

a) 5
b) 8
c) 9
d) 6
e) 7

5) Uma pessoa, após caminhar 10,5 metros sobre uma rampa plana com inclinação de q radianos, em
relação a um piso horizontal, e altura de h metros na sua parte mais alta, está a 1,5 metro de altura em
relação ao piso e a 17,5 metros do ponto mais alto da rampa. Assim, a altura h da rampa, em metros, é
de

a) 2,5
b) 4,0
c) 7,0
d) 8,5

6) A sombra de um prédio, em um terreno plano, numa determinada hora do dia, mede 15 m. Nesse
mesmo instante, próximo ao prédio, a sombra de um poste de altura 5 m mede 3 m. A altura do prédio,
em metros, é

a) 25
b) 29
c) 30
d) 45
e) 75

26
Curso Vitória
7) Considerando-se as informações constantes no triângulo PQR (figura a seguir), pode-se concluir que a
altura PR desse triângulo mede

a) 5
b) 6
c) 7
d) 8

8) Na figura, B é um ponto do segmento de reta AC , e os ângulos DAˆ B , DBˆ E e BCˆ E são retos.
Se o segmento AD = 6 dm, o segmento AC = 11 dm e o segmento EC = 3 dm, as medidas possíveis de AB,
em dm, são

a) 4,5 e 6,5
b) 7,5 e 3,5
c) 8 e 3
d) 7 e 4
e) 9 e 2

9) Na figura a seguir, as distâncias dos pontos A e B à reta r valem 2 e 4. As projeções ortogonais de A e


B sobre essa reta são os pontos C e D. Se a medida de CD é 9, a que distância de C deverá estar o ponto
E, do segmento CD, para que CEˆ A  DEˆ B ?

a) 3
b) 4
c) 5
d) 6
e) 7

10)Na figura a seguir, o quadrado ABCD está inscrito no triângulo AMN, cujos lados AM e AN medem,
respectivamente, m e n. Então, o lado do quadrado mede

mn
a)
mn
mn
b)
4
m2  n2
c)
8
mn
d)
2

27
Curso Vitória
11)Na figura a seguir, o triângulo ABC é retângulo e isósceles, e o retângulo nele inscrito tem lados que
medem 4 cm e 2 cm. O perímetro do triângulo MBN é

a) 8 cm.
b) 12 cm.
 
c) 8  2 cm.
d) 8  2 2  cm.
e) 42  2  cm.

12)No triângulo acutângulo ABC, a base AB mede 4 cm, e a altura relativa a essa base também mede
4 cm. MNPQ é um retângulo, cujos vértices M e N pertencem ao lado AB, P pertence ao lado BC e Q, ao
lado AC. O perímetro desse retângulo, em cm, é

a) 4
b) 8
c) 12
d) 14
e) 16

13)Observe a figura.

Nela, AB = 8, BC = 12 e BFDE é um losango inscrito no triângulo ABC. A medida do lado do losango é

a) 4
b) 4,8
c) 5
d) 5,2

14)Na figura a seguir, os triângulos ABC e AB’C’ são semelhantes. Se AC = 4AC’, então o perímetro de
AB’C’, dividido pelo perímetro de ABC, é igual a

a)1/8
b)1/6
c)1/4
d)1/2
e)1

28
Curso Vitória

15)Os triângulos ABC e AED, representados na figura a seguir, são semelhantes, sendo o ângulo ADˆ E
congruente ao ângulo ACˆ B .Se BC = 16 cm, AC = 20 cm, AD = 10 cm e AE = 10,4 cm, o perímetro do
quadrilátero BCED, em centímetros, é

a) 32,6
b) 36,4
c) 40,8
d) 42,6
e) 44,4

FG
16)Na figura a seguir, se AB = 5AD = 5FB, a razão vale
DE

a)3
b)4
c)5
d)5/2
e)7/2

17)Para estimar a profundidade de um poço com 1,10 m de largura, uma pessoa cujos olhos estão a
1,60 m do chão posiciona-se a 0,50 m de sua borda. Dessa forma, a borda do poço esconde exatamente
seu fundo, como mostra a figura. Com os dados anteriores, a pessoa conclui que a profundidade do
poço é

a) 2,82 m.
b) 3,00 m.
c) 3,30 m.
d) 3,52 m.

18)Observe a figura.Nessa figura, os segmentos AD e BC são paralelos, AD = 8, AB = 3 e BC = 7. Sendo P o


ponto de interseção das retas AB e DC, a medida do segmento BP é

a) 23
b) 22
c) 24
d) 21

29
Curso Vitória
19)Na figura a seguir, o perímetro do triângulo equilátero ABC é 72 cm, M é o ponto médio de AB e
CE = 16 cm. Então, a medida do segmento CN, em cm, é um sétimo de

A) 48
B) 49
C) 50
D) 51

20) A sombra de uma pessoa que tem 1,80 m de altura mede 60 cm. No mesmo momento, a seu lado, a
sombra projetada de um poste mede 2,00 m. Se, mais tarde, a sombra do poste diminuiu 50 cm, a
sombra da pessoa passou a medir

a) 30 cm.
b) 45 cm.
c) 50 cm.
d) 80 cm.
e) 90 cm.

Gabarito:

1)e 2)d 3)d 4)d 5)b 6)a 7)b 8)e 9)a 10)a 11)e 12)b 13)b 14)c 15)e 16)b 17)d 18)d 19)a 20)b

Geometria Plana
30
Curso Vitória

Aula: 06
Assunto: -Teorema de Tales
-Teorema da bissetriz interna
-Teorema da bissetriz externa
Teoria fundamental

Teorema de Tales:

AB A' B'

BC B' C '

Teorema da Bissetriz interna :

AB AC

BD DC

Teorema da Bissetriz Externa:

AB AC

BD DC

31
Curso Vitória

Resolva em Casa

1) Na figura a seguir, as retas r, s e t são paralelas entre si.

Se AC = x, BC = 8, DE = 15, EF = x – 10, GI = y e HI = 10, então x + y é um número

a) maior que 47.


b) entre 41 e 46.
c) menor que 43.
d) quadrado perfeito.
e) cubo perfeito.

2) No triângulo ABC da figura, CD é a bissetriz do ângulo interno em Ĉ . Se AD = 3 cm, DB = 2 cm e


AC = 4 cm, então BC mede

a) 3 cm.
5
b) cm.
2
7
c) cm.
2
8
d) cm.
3
e) 4 cm.

3) As retas r1, r2 e r3 são paralelas, e os comprimentos dos segmentos de transversais são os indicados
na figura. Então, x é igual a

1
a) 4
5
1
b) 5
5
c) 5
8
d)
5
e) 6

Gabarito:
1)b 2)d 3)e

32
Curso Vitória

Geometria Plana
Aula: 07

Assunto: Quadriláteros Notáveis.

Teoria fundamental
Quadrilátero plano é toda figura formada por quatro pontos distintos coplanares e três a três não
colineares.

Neste texto estudaremos apenas os quadriláteros convexos.

Os quadriláteros notáveis são:

trapézio escaleno : todos os lados com medidas diferentes



-trapézios: trapézio isósceles : dois lados opostos não paralelos congruentes (suas diagonais são
trapézio retângulo : dois ângulos retos con sec utivos

congruentes)

 parale log ramo : possui dois pares de lados opostos paralelos


retângulo : possui quatro ângulos retos

-paralelogramos: 
losango : possui quatro lados congruentes

quadrado : possui quatro lados e quatro ângulos congruentes

paralelogramo retângulo losango quadrado

33
Curso Vitória
Propriedades dos paralelogramos:

- Num paralelogramo as diagonais se cruzam em seu ponto médio;

- Em um paralelogramo os ângulos opostos são congruentes;

- Em um paralelogramo a soma dos dois ângulos de cada lado é igual a 180º;

^ ^ ^ ^ ^ ^ ^ ^
A B  B  C  C  D  D  A  180º

- sendo a e b dois lados consecutivos de um paralelogramo e d1 e d2 suas diagonais vale sempre a


relação:
2(a 2  b 2 )  d12  d 22

Resolva em Casa

1) Na figura a seguir, MNPQ é um quadrado, e NPR é um triângulo equilátero. O ângulo α


mede

a) 30°
b) 15°
c) 75°
d) 25°

2) No quadrilátero ABCD da figura, são traçadas as bissetrizes CM e BN, que formam entre si o ângulo
a. A soma dos ângulos internos A e D desse quadrilátero corresponde a

a)α/4
b)α/2
c)α
d)2α
e)3α

34
Curso Vitória
3) No retângulo a seguir, o valor, em graus, de α + β é

a) 50
b) 90
c) 120
d) 130
e) 220

4) Considere as afirmações:

I – Todo retângulo é um paralelogramo.


II – Todo quadrado é um retângulo.
III – Todo losango é um quadrado.

Associe a cada uma delas a letra V, se for VERDADEIRA, ou F, caso seja FALSA. Na ordem apresentada,
temos

a) F F F.
b) F F V.
c) V F F.
d) V V F.

5) Em um trapézio isósceles de bases diferentes, uma diagonal é também bissetriz de um ângulo


adjacente à base maior. Isso significa que

a) os ângulos adjacentes à base menor não são congruentes.


b) a base menor tem medida igual à dos lados oblíquos.
c) as diagonais se interceptam formando ângulo reto.
d) a base maior tem medida igual à dos lados oblíquos.
e) as duas diagonais se interceptam no seu ponto médio.

6) Em um paralelogramo, as medidas de dois ângulos internos consecutivos estão na razão 1:3.


O ângulo MENOR desse paralelogramo mede

a) 45°
b) 50°
c) 55°
d) 60°
e) 65°

7) Sobre figuras planas, é CORRETO afirmar que

a) um quadrilátero convexo é um retângulo, se os lados opostos têm comprimentos iguais.


b) um quadrilátero que tem suas diagonais perpendiculares é um quadrado.
c) um trapézio que tem dois ângulos consecutivos congruentes é isósceles.
d) um triângulo equilátero é também isósceles.
e) um triângulo retângulo é aquele cujos ângulos são retos.

35
Curso Vitória

8) Em um quadrilátero ABCD, o ângulo Ĉ é igual a 1/3 do ângulo B̂ , o ângulo  mede o quíntuplo do


ˆ  Bˆ vale
ângulo Ĉ e o ângulo D̂ vale 45°. Pode-se dizer que A

a) 50°
b) 60°
c) 70°
d) 80°
e) 90°

9) Um trapézio isósceles, de 12 cm de altura, tem bases medindo 4 cm e 6 cm. Unindo-se os pontos


médios de seus lados, obteremos um quadrilátero cujo perímetro mede

a) 20 cm.
b) 24 cm.
c) 26 cm.
d) 30 cm.

10) Uma certa propriedade rural tem o formato de um trapézio, como na figura. As bases WZ e XY do
trapézio medem 9,4 km e 5,7 km, respectivamente, e o lado YZ margeia um rio.

Se o ângulo XYˆZ é o dobro do ângulo XWˆ Z , a medida, em km, do lado YZ, que fica à margem do rio,
é

a) 7,5
b) 5,7
c) 4,7
d) 4,3
e) 3,7

Gabarito:

1)b 2)d 3)d 4)d 5)b 6)a 7)d 8)c 9)c 10)e

36
Curso Vitória

Geometria Plana
Aula: 08
Assunto: -base média no triângulo
-base média no trapézio
-mediana de Euler no trapézio

Teoria fundamental

Base média num triângulo : é o segmento que liga dois pontos médios de dois lados consecutivos de
um triângulo.
A base média é sempre paralela ao terceiro lado e é igual a metade deste.

MN : base média relativa ao lado BC .


BC
MN // BC e MN 
2

Teorema : os pontos médios dos lados de um quadrilátero são vértices de um paralelogramo(tente


provar usando o teorema da base média).

Base média num trapézio : é o segmento que une os pontos médios dos lados não paralelos de um
trapézio.
A base média no trapézio é paralela as duas bases e é igual a semissoma destas.

MN : base média do trapézio.


AB  DC
MN // DC // AB e MN 
2

37
Curso Vitória
Mediana de Euler no trapézio: é o segmento que une os pontos médios das diagonais de um trapézio.
É fácil mostrar que tal segmento está sobre a base média, logo também é paralelo as duas bases do
trapézio. Seu comprimento é igual a diferença entre as bases dividida por dois.

PQ : mediana de Euler.
AB  DC
PQ // AB // DC e PQ  .
2
Resolva

Resolva em Casa

1) Um marceneiro deseja construir uma escada trapezoidal com 5 degraus, de forma que o mais
baixo e o mais alto tenham larguras, respectivamente, iguais a 60 cm e a 30 cm, conforme a figura.

Os degraus serão obtidos cortando-se uma peça linear de madeira cujo comprimento mínimo, em cm,
deve ser

a) 144
b) 180
c) 210
d) 225
e) 240

2) Sabendo-se que, em um trapézio, a soma da base média com a mediana de Euler é igual a 12 cm e
que a razão entre as bases do trapézio é 2, a base menor desse trapézio mede:

a) 5 cm
b) 6 cm
c) 7 cm
d) 8 cm
e) 9 cm

Gabarito:
1)d 2)b

38
Curso Vitória

Geometria Plana

Aula: 09
Assunto: relações métricas no círculo
Teoria fundamental

1) Os segmentos das tangentes traçadas de um ponto exterior a um círculo são congruentes.

PA  PB

Obs1 : o raio do círculo inscrito em um triângulo retângulo é igual a soma dos catetos menos a
hipotenusa tudo dividido por 2.

Obs2 : a condição necessária e suficiente para que um quadrilátero seja circunscritível , isto é, tenha seus
quatro vértices pertencentes ao mesmo círculo, é que a soma dos lados opostos seja constante.

39
Curso Vitória
2) Relação entre duas cordas que se interceptam.

PA  PB  PC  PD

3) Relação entre dois segmentos secantes ao círculo que se interceptam exteriormente.

PA  PB  PC  PD

4) Relação entre dois segmentos um secante e outro tangente ao mesmo círculo.

2
PC  PA  PB

Resolva em Casa

1) O raio da circunferência da figura é 2,5 cm. AT = 6 cm (t é o ponto de tangência). Então, AB = x


vale, em centímetros,

a) 2
b) 9
c) 3
d) 3,5
e) 4

2) Na figura a seguir, AB = 8 cm, BC = 10 cm, AD = 4 cm e o ponto o é o centro da circunferência.


O perímetro do triângulo AOC mede, em cm,

a) 36
b) 45
c) 48
d) 50
e) 54
40
Curso Vitória
3) Duas tangentes são traçadas a um círculo de um ponto exterior a e tocam o círculo nos pontos B e
C, respectivamente. Uma terceira tangente intercepta o segmento AB em P e AC em r e toca o círculo
em Q. Se AB = 20 cm, então o perímetro do triângulo APR, em cm, é igual a

a) 39,5
b) 40
c) 40,5
d) 41
e) 41,5

4) Em um dado triângulo retângulo inscrevemos uma circunferência de diâmetro d e circunscrevemos


outra de diâmetro D. O perímetro do triângulo vale

a) d  D
b) 2d  D
c) d  2D
3
d) ( d  D )
2
e) 2( d  D )

5) Seja ABCD um retângulo cujos lados têm as seguintes medidas: AB = CD = 6 cm e BC = DA = 1,2 cm.
Se M é o ponto médio de AB, então o raio da circunferência determinada pelos pontos C, M e D mede

a) 4,35 cm.
b) 5,35 cm.
c) 3,35 cm.
d) 5,34 cm.
e) 4,45 cm.

AE 1
6) Na figura a seguir são dados  , BE = 8 cm e ED = 6 cm. O comprimento de AC, em cm, é
EC 3

a) 10
b) 12
c) 16
d) 18
e) 20

7) Num trapézio retângulo circunscritível, a soma dos dois lados paralelos é igual a 18 cm e a diferença
dos dois outros lados é igual a 2 cm. Se r é o raio da circunferência inscrita e a é o comprimento do
menor lado do trapézio, então a soma a + r (em cm) é igual a

a) 12
b) 11
c) 10
d) 9
e) 8
41
Curso Vitória
8) Uma metalúrgica recebeu uma encomenda para fabricar, em grande quantidade, uma peça com o
formato de um prisma reto com base triangular, cujas dimensões da base são 6 cm, 8 cm e 10 cm e
cuja altura é 10 cm. Tal peça deve ser vazada de tal maneira que a perfuração na forma de um cilindro
circular reto seja tangente às suas faces laterais, conforme mostra a figura.

O raio da perfuração da peça é igual a

a) 1 cm.
b) 2 cm.
c) 3 cm.
d) 4 cm.
e) 5 cm.

Gabarito:

1)e 2)e 3)b 4)c 5)a 6)c 7)c 8)b

42
Curso Vitória

Geometria Plana
Aula: 10

Assunto: -relações métricas num triângulo retângulo

Teoria fundamental
Relações métricas num triângulo retângulo :

Em todo triângulo retângulo valem as seguintes relações entre os elementos descritos acima :

-O quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados dos catetos(teorema de Pitágoras)

a 2  b2  c2
-O quadrado de qualquer cateto é igual ao produto entre sua projeção e a hipotenusa

b 2  a.n

c 2  a.m
-O quadrado da altura é igual ao produto das projeções

h 2  m.n
-O produto dos catetos é igual ao produto entre a hipotenusa e a altura

b.c  a.h

-O quadrado do inverso da altura é igual a soma dos quadrados dos inversos dos catetos

1 1 1
2
 2 2
h b c
43
Curso Vitória
Obs: todas as relações citadas acima são demonstradas através de semelhança de triângulos. Tente
prová-las!

44
Curso Vitória

Resolva em Casa

1) Nesta figura, estão representadas três circunferências, tangentes duas a duas, e uma reta tangente às
três circunferências.

Sabe-se que o raio de cada uma das duas circunferências maiores mede 1 cm. Então, é CORRETO
afirmar que a medida do raio da circunferência menor é

1
a) cm.
3
1
b) cm.
4
2
c) cm.
2
2
d) cm.
4

2) O lampião, representado na figura, está suspenso por duas cordas perpendiculares presas ao teto.
1 6
Sabendo que essas cordas medem e , a distância do lampião ao teto é
2 5
a)1,69
b)1,3
c)0,6
1
d)
2
6
e)
13

3) Num triângulo ABC, o ângulo  é reto. A altura hA divide a hipotenusa a em dois segmentos m e n
m
(m > n). Sabendo-se que o cateto b é o dobro do cateto c, podemos afirmar que é
n
a)4
b)3
c)2
d)7/2
e)5

45
Curso Vitória
4) O perímetro de um triângulo isósceles de 3 cm de altura é 18 cm. Os lados deste triângulo, em cm,
são

a) 7, 7, 4
b) 5, 5, 8
c) 6, 6, 6
d) 4, 4, 10
e) 3, 3, 12

Gabarito:

1)b 2)e 3)a 4)b

46
Curso Vitória

Geometria Plana
Aula: 11

Assunto: Polígonos Regulares Inscritos e Circunscritos à Circunferência

Teoria fundamental

Um polígono está inscrito numa circunferência quando todos os seus vértices pertencem a uma mesma
circunferência.
Polígonos regulares inscritos à circunferência

Definições:
Apótema de um polígono regular é o segmento de reta que liga o centro da figura a um dos lados
formando 90º com este.

Lado é o segmento de reta que une dois vértices consecutivos do polígono.

Polígonos regulares inscritos:


-Triângulo Equilátero inscrito

a3 : apótema do triângulo equilátero

l3 : lado do triângulo equilátero.

 r
a 3 
Sendo r o raio da circunferência , temos que:  2
l  r 3
3

- Quadrado inscrito

a4 : apótema do quadrado

l4 : lado do quadrado

 r 2
a 4 
Sendo r o raio da circunferência , temos que:  2
l  r 2
4

47
Curso Vitória
-Hexágono inscrito

 r 3
a 6 
Sendo r o raio da circunferência , temos que:  2
l  r
6

Resumindo:

Seja r o raio de uma circunferência, o lado Ln do polígono regular(n é o número de lados do polígono)
 180   180º 
nele inscrito é dado por l n  2r.sen  enquanto o seu apótema será a n  r. cos .
 n   n 

Polígonos regulares circunscritos


Triângulo equilátero:

 A3  r

Sendo r o raio da circunferência , temos que: 

 L3  2r 3

Quadrado circunscrito:

 A3  r
Sendo r o raio da circunferência , temos que: 
L3  2r

48
Curso Vitória
-Hexágono regular:

 A3  r

Sendo r o raio da circunferência , temos que:  2r 3
 L3 
 3

Resumindo:

Seja r o raio de uma circunferência, o lado Ln do polígono regular(n é o número de lados do polígono)
 180 
nele inscrito é dado por Ln  2r.tg   enquanto o seu apótema será An  r.
 n 

Resolva em Casa

1) O apótema do hexágono regular inscrito numa circunferência de raio igual a 9 3 m, é igual a

a) 13,5
b) 18
c) 27
d) 9 3

2) Qual o apótema de um quadrado de 8 2 m de perímetro?

a) 2m
b) 3 2 m
c) 3 m
d) 2 3 m

49
Curso Vitória

3) Um hexágono regular, de 2 3 m de apótema, está inscrito em um círculo. Qual o lado de um


hexágono regular inscrito em outro círculo cujo perímetro é a metade do perímetro do primeiro.

a) 3 m
b) 2 m
c) 8 3 m
d) 6 3 m

4) O lado do triângulo equilátero inscrito em um círculo mede 8 cm. O apótema de um hexágono regular
inscrito no mesmo círculo medirá:

a)1 cm.
b)2 cm.
c)3 cm.
d)4 cm.

5) Um quadrado está circunscrito a um círculo, inscrito em um triângulo equilátero. O apótema do


quarado mede 6 m. Calcular o lado do triângulo equilátero.

a) 3 m
b) 2 m
c) 8 3 m
d) 6 2 m

6) Num círculo, estão inscritos um quadrado e um triângulo equilátero. O perímetro do triângulo é


12 6 m. Calcular o perímetro do quadrado.

a)2 m
b)8 m
c)32 m
d)64 m

7) Um círculo inscrito em um quadrado está circunscrito a um triângulo equilátero. A diagonal do


quadrado mede 4 2 m. Calcular o apótema do triângulo equilátero.

a)1 m
b)3 m
c)4 m
d)5 m

50
Curso Vitória

8) O raio do círculo inscrito em um hexágono regular mede 3 m. Qual o raio do círculo circunscrito a
esse hexágono?

a)1 m
b)2 m
c)3 m
d)4 m

Gabarito:

1)a 2)a 3)b 4)d 5)d 6)c 7)a 8)b

51
Curso Vitória

Geometria Plana
Aula: 12

Assunto: Áreas de Figuras Planas

Teoria fundamental

Definição :
Área de uma figura limitada é um número real positivo associado a sua superfície.

-Áreas dos triângulos


1)
b.h
A
2

abc
2) p
2
A p.( p  a).( p  b).( p  c)

3)
abc
p
2

A  p.r

4)

a.b.c
A
4 .R

R é o raio do círculo circunscrito ao triângulo.

52
Curso Vitória
5) 1
A  .a.c.senB
2
1
A  .b.c.senA
2
1
A  .a.b.senC
2

-Áreas dos principais quadriláteros


-Paralelogramo

A  b.h

-Retângulo

A  b.h

-Losango

d1 .d 2
A
2

-Trapézio

A
b
1  b2 .h
2

53
Curso Vitória
-Área de um círculo

A   .R 2

O comprimento da circunferência é dado por :

C  2. .R

54
Curso Vitória

Resolva em Casa

1)Dois triângulos congruentes ABC e ABD, de ângulos 30°, 60° e 90°, estão colocados como mostra a
figura, com as hipotenusas AB coincidentes.

Se AB = 12 cm, a área comum aos dois triângulos, em centímetros quadrados, é igual a

a)6
b) 4 3
c) 6 3
d)12
e) 12 3

2)Se um arco de 60° num círculo I tem o mesmo comprimento de um arco de 40° num círculo II, então a
razão da área do círculo I pela área do círculo II é

2
a)
9
4
b)
9
2
c)
3
3
d)
2
9
e)
4

3)Na figura a seguir, tem-se um círculo de 3 cm de raio e quatro triângulos equiláteros com vértices no
centro desse círculo.

A área da região hachurada, em cm2, é

a) 4π
b) 6π
c) 2π
d) 5π
e) 3π
55
Curso Vitória

4)O triângulo ABC da figura a seguir está inscrito numa circunferência de raio 3 cm. O lado AB é
ˆ B é 30°.
diâmetro da circunferência e a medida do ângulo CA

A área da região sombreada, em cm2, é

 3 3
a) 
2 4
3 3
b) 
2 2
3 3
c) 
2 4
 3 3
d) 
2 2

5)Na figura, ABCD é um quadrado cujo lado mede a. Um dos arcos está contido na circunferência de
centro C e raio a, e o outro é uma semicircunferência de centro no ponto médio de BC e de diâmetro a.
A área da região hachurada é

a 2
a)
6
a 2
b)
8
a 2 1
c) 
8 2
a 2 1
d) 
6 3
a 2
e) 1
6

56
Curso Vitória
6)Na figura, o raio OA da circunferência mede 6 cm. Adotando-se π= 3, a área da região sombreada, em
cm2, é igual a

a) 9(4  3 )
b) 9  3
c) 4 3
d) 9 3
e) 4(9  3 )

7)Na figura a seguir, a área do triângulo ADE corresponde a 20% da área do quadrado ABCD. Para que a
área do triângulo EBC seja igual a 30 cm2, o lado do quadrado ABCD deve ser igual a

a)10 cm.
b) 10 2 cm.
c) 5 3 cm.
d)5 cm.

8)O comprimento de uma mesa retangular é o dobro de sua largura. Se a mesa tivesse 45 cm a menos
de comprimento e 45 cm a mais de largura, seria quadrada. Assim, a área da mesa é de

a) 1,62 m2.
b) 1,45 m2.
c) 1,58 m2.
d) 1,82 m2.

9)Pelos dados da figura a seguir, a medida da área do triângulo de vértices C, D e E, em m2, é

Dados: BE = 2AE = 4 m; AD = AE; BC = BE

a) 5
b) 6
c) 7
d) 8
e) 9

57
Curso Vitória
10)A figura a seguir representa as peças do tangram – quebra-cabeça chinês formado por 5 triângulos, 1
paralelogramo e 1 quadrado. Sendo a área do quadrado ABCD igual a 4 cm2, a área do triângulo
sombreado, em cm2, é

1
a)
6
1
b)
8
1
c)
9
1
d)
2
1
e)
4

Gabarito:

1)e 2)b 3)e 4)a 5)b 6)a 7)a 8)a 9)d 10)e

58
Curso Vitória

Exercícios Epcar

1)Epcar)

2)(Epcar)

3)(Epcar)

4)(Epcar)

5)(Epcar)

6)(Epcar)
59
Curso Vitória

7)(Epcar)

8)(Epcar)

9)(Epcar)

10)(Epcar)
60
Curso Vitória

11)(Epcar)

12)(Epcar)

13)(Epcar)

14)(Epcar)

15)(Epcar)

61
Curso Vitória

16)(Epcar)

17)(Epcar)

18)(Epcar)

19)(Epcar)

62
Curso Vitória

20)(Epcar)

21)(Epcar)

22)(Epcar)

23)(Epcar)

24)(Epcar)

63
Curso Vitória

25)(Epcar)

26)(Epcar)

27)(Epcar)

28)(Epcar)

29)(Epcar)

64
Curso Vitória

30)(Epcar)

31)(Epcar)

32)(Epcar)

33)(Epcar)

34)(Epcar)

65
Curso Vitória

35)(Epcar)

36)(Epcar)

66
Curso Vitória

37)(Epcar)

38)(Epcar)

39)(Epcar)

67
Curso Vitória

40)(Epcar)

41)(Epcar)

42)(Epcar)

68
Curso Vitória

43)(Epcar)

44)(Epcar)

45)(Epcar)

46)(Epcar)

47)(Epcar)

69
Curso Vitória

48)(Epcar)

49)(Epcar)

50)(Epcar)

70
Curso Vitória

51)(Epcar)

52)(Epcar)

53)(Epcar)

71
Curso Vitória

54)(Epcar)

55)(Epcar)

56)(Epcar)

72
Curso Vitória

57)(Epcar)

58)(Epcar)

59)(Epcar)

60)(Epcar)

73
Curso Vitória

61)(Epcar)

62)(Epcar)

63)(Epcar)

74
Curso Vitória

64)(Epcar)

65)(Epcar)

66)(Epcar)

75
Curso Vitória

67)(Epcar)

68)(Epcar)

69)(Epcar)

70)(Epcar)

76
Curso Vitória

71)(Epcar)

72)(Epcar)

73)(Epcar)

77
Curso Vitória

74)(Epcar)

75)(Epcar)

76)(Epcar)

78
Curso Vitória

77)(Epcar)

78)(Epcar)

79)(Epcar)

79
Curso Vitória

80)(Epcar)

81)(Epcar)

82)(Epcar)

80
Curso Vitória

83)(Epcar)

84)(Epcar)

85)(Epcar)

81
Curso Vitória

86)(Epcar)

87)(Epcar)

82
Curso Vitória

88)(Epcar)

89)(Epcar)

90)(Epcar)

83
Curso Vitória

91)(Epcar)

92)(Epcar)

84
Curso Vitória

93)(Epcar)

85
Curso Vitória

94)(Epcar)

95)(Epcar)

86
Curso Vitória

87
Curso Vitória

96)(Epcar)

97)(Epcar)

98)(Epcar)

88
Curso Vitória

99)(Epcar)

100)(Epcar)

89
Curso Vitória

101)(Epcar)

90
Curso Vitória

102)(Epcar)

103)(Epcar)

91
Curso Vitória

104)(Epcar)

92
Curso Vitória

105)(Epcar)

106)(Epcar)

93
Curso Vitória

107)(Epcar)

94
Curso Vitória

108)(Epcar)

95
Curso Vitória

109)(Epcar)

110)(Epcar)

96
Curso Vitória

111)(Epcar)

97
Curso Vitória

112)(Epcar)

113)(Epcar)

98
Curso Vitória

114)(Epcar)

99
Curso Vitória

115)(Epcar)

100
Curso Vitória

116)(Epcar)

117)(Epcar)

101
Curso Vitória

118)(Epcar)

119)(Epcar)

102
Curso Vitória

120)(Epcar)

103
Curso Vitória

121)(Epcar)

122)(Epcar)

123)(Epcar)

104
Curso Vitória

124)(Epcar)

105
Curso Vitória

125)(Epcar)

126)(Epcar)

106
Curso Vitória

127)(Epcar)

107
Curso Vitória

128)(Epcar)

108
Curso Vitória

129)(Epcar)

130)(Epcar)

109
Curso Vitória

131)(Epcar)

110
Curso Vitória

132)(Epcar)

111
Curso Vitória

133)(Epcar)

112
Curso Vitória

134)(Epcar)

135)(Epcar)

113
Curso Vitória

136)(Epcar)

137)(Epcar)

114
Curso Vitória

138)(Epcar)

115
Curso Vitória

139)(Epcar)

116
Curso Vitória

140)(Epcar)

117
Curso Vitória

141)(Epcar)

118
Curso Vitória

142)(Epcar)

119
Curso Vitória

143)(Epcar)

120
Curso Vitória

144)(Epcar)

121
Curso Vitória

145)(Epcar)

122
Curso Vitória

146)(Epcar)

123
Curso Vitória
147)(Epcar) Observando a figura , pode-se afirmar que o suplemento do ângulo :

3x x
2 3

2x/3 2x
4x
3
80o

x
a) mede 156o
3
b) 2x mede 84o
3x
c) mede 96o
2
2x
d) mede 132o
2
4x
e) mede 108o
2

148)(Epcar) Na figura abaixo considere o raio da circunferência menor como sendo 3 , da maior como
sendo 5 e AO1 = 6 . A distancia entre os centros O1 e O2 vale:

O2
O1

a)3
b)4
c)6
d)8
e)10

124
Curso Vitória
149)(Epcar) Na figura abaixo ABCD é um quadrado cujo lado mede 4m e os arcos traçados são de
circunferência . A área em m2 da região sombreada é :

D C

A B

a) 8(  -2)
b) 4(4 -  )
c) 16 +  2
d) 8(  2 -4)
e) 2(  2 -8)

150)(Epcar) Ao meio-dia , sol a pino , um garoto empina papagaio , e a linha que o segura , bem esticada
, forma com o chão um ângulo de 60o .Como a sombra do papagaio está distante 20m de onde se
encontra o garoto , pode-se afirmar que , em metros o papagaio está a altura de :
( Dados : sen60° = 0,87 ; cos 60o = 0,50 ; Tg 60o = 1,73 )

a) 17,40
b) 28,10
c) 34,60
d) 38,50
e) 40,0

151)(Epcar) Na figura a seguir tem-se um hexágono regular inscrito em um circulo de raio R tem-se
também 6 arcos de circulo com centros do vértice do hexágono e cujos raios são iguais ao lado do
hexágono . calcule a superfície da região sombreada .

a) (  - 3 ) r2
b) (2(  - 3 ) r2
c) (2  -3 3 ) r2
d) (  +3 3 ) r2
125
Curso Vitória

e) (3  -2 3 ) r2

152)(Epcar) A figura abaixo contém semicírculos de raio a e centro nos vértices do quadrado menor.
Calcule a área da região sombreada .

a) 2a 2
b)  a2
c) 2  a2
d) a2(4 –  )
e) a2(  – 2 )

153)(Epcar)

126
Curso Vitória

154)(Epcar)

155)(Epcar)

127
Curso Vitória

156)(Epcar)

128