You are on page 1of 1

Universidade Federal da Paraíba – UFPB

Programa de Pós-graduação em Linguística – PROLING


Fundamentos em Linguística Aplicada – 2019.1
Professora: Dra. Carla L. Reichmann
Mestrando: Rodolfo Dantas Silva (20191004683)

REFLEXÃO CRÍTICA - (AVALIAÇÃO PARCIAL)

A utilização do portfólio na disciplina de Fundamentos em Linguística Aplicada


(LA), no período 2019.1, do Mestrado em Linguística, tem sido uma experiência
significativa na minha aprendizagem por várias razões. Nesta avaliação parcial, pontuo
três motivos que mais tem me marcado. Em primeiro lugar, por ser um espaço de reflexão
fora da sala de aula, uma vez que estou a todo momento observando meu cotidiano e
estabelecendo conexões com os temas discutidos em sala, assim como, meu projeto de
dissertação de mestrado. A partir das reflexões sobre a LA, tenho (re)visitado meu projeto
e (re)pensado as vozes que estou trazendo, os sujeitos que selecionei para ser meus
colaboradores, dentre outras questões.
Em segundo lugar, destaco o desenvolvimento de habilidades, como por
exemplo, a criatividade e a organização na produção do portfólio. O processo de
elaboração exercita minha habilidade de ser organizado, uma vez que necessito
transformar as informações e atividades em sala, os meus questionamentos e leituras, em
textos para que o leitor compreenda todas as minhas vivências na referida disciplina; e
criativo porque sempre estou buscando ser engenhoso com o design das páginas,
utilizando, inclusive, o Canva (ferramenta de desing gráfico) para deixar meu portfólio
esteticamente apresentável. Além disso, a pasta e a cor das folhas também têm tido uma
coerência com o design que estou montando, ou seja, é todo um processo pensado e que
requer muito empenho, porém inspirador.
Em terceiro e último, enfatizo a visibilidade da aprendizagem que o portfólio
me oportuniza averiguar. A saber, eu me dei conta desse aspecto ao observar que, por
alguns momentos, estou sempre relacionando o que estou aprendendo na disciplina, por
exemplo, com momentos lá na minha graduação em Letras Português. Um desses
momentos foi quando encontrei meu portfólio escrito na disciplina de didática com o que
estou elaborando neste semestre no mestrado, pois o modo como construir, as reflexões
que trouxe lá, meus posicionamentos, são muitos distintos do que me identifico hoje. É
um outro lugar, um outro momento, certamente, mas essa visibilidade, a meu ver, só é
possível por conta desses registros, em razão dessa oportunidade de escrever um novo
portfólio. Sendo assim, acredito que o portfólio é muito mais que uma “pasta” de
registros, mas um álbum que reúne cenas passadas (memórias) e flashes atuais do meu
processo de aprendizagem, especificamente, do meu próprio encontro comigo mesmo.
Sei que ainda há muito o que aprender, a descobrir e a fazer nessa vivência com o
portfólio, contudo, afirmo que tem sido uma experiência democrática de avaliação, pois
eu posso falar, refletir e me avaliar também, afinal conforme Alvarenga e Araújo (2006)
“é o portfólio que nutre o pensamento reflexivo”, o que me proporciona me fazer “na
ação-reflexão” (FREIRE, 1987, p. 78).