You are on page 1of 1

Dito isso, tudo se baseia neste erro.

Eu venho agido como se existisse uma promessa


entre n�s, uma promessa de uni�o.
Bem, me enganei, eu erro muito, � s� mais um erro.

Bem, esta hist�ria vem bem a calhar


Onde est� a compreens�o dele sobre a situa��o? Eu serei aquele que ter� de se
conformar? Ora, sem sim, ent�o existe uma hierarquia aqui e ele esta acima.
Ent�o ser� sempre assim? Eu vou ter que ter compreens�o sobre suas rela��es com
seus amigos mas os seus amigos n�o v�o ter compreens�o sobre sua rela��o comigo?

Vou dividir em partes:


Sou eu quem n�o compreende a situa��o?

Ent�o a resposta � simples, sim. Sim sou eu quem n�o compreende, pois eu compreendi
isso como algo que vem se provado n�o ser, mas um erro assim eu n�o costumo cometer
duas vezes.

Ent�o eu devo ver isso de bom grado, a menina que diz querer ser
Voc� fala de construir uma fam�lia, isso � construir uma fam�lia?

A �nica coisa que eu posso dizer com certeza, � que nessa hist�ria voc� n�o � a
pessoa com quem eu decidi construir uma fam�lia. Se eu fa�o tudo isso, � para que
os meus filhos n�o sofram o que o seu amigo est� sofrendo. Eu n�o posso deixar que
algo t�o importante como isso possa estar sobreposta por desejos de terceiros, se
cada um vai trazer seus pr�prios desejos, ent�o, n�o vai demorar pra o casamento
virar uma escravid�o, e o div�rsio, a carta de alforria. Mas isso n�o � justo, nem
comigo e nem com voc�, e sobretudo, como meus filhos. Eu n�o posso deixar eles
passarem por isso, eu devo protege-los.

Eu n�o estou te for�ando a nada, mas voc� consideraria isso como uma rela��o
matrimonial? uma rela��o onde a demanda de outro ir� se sobrepor a do seu proprio
marido?
Eu n�o sou seu marido mas para mim o que h� de ser uma uni�o, uma uni�o j� �.