You are on page 1of 2

A ORIGME DA VIDA: CRIACIONISMO X EVOLUCIONISMO

João Ricardo Ferreira de França.

Introdução:

Este assunto gira em torno de uma pergunta: por que o homem é curioso em
saber qual é a origem das coisas? Qual é a origem da vida e do mundo? Estas perguntas
estimulam a nossa curiosidade. E como seremos humanos somos curiosos, então a
questão da origem da vida é importante. Pois, a depender da resposta podemos saber
quem somos? E por que estamos aqui?. Se o mundo surgiu a partir de uma vontade
deliberada, intencional que chamamos de Deus! Então, sabemos quem somos e porque
estamos aqui. Agora se a nossa origem se deu por um acidente, ai certamente não
sabemos quem somos, e não temos nenhum propósito na existência.

I – DEFININDO OS TERMOS:

1. Criacionismo: É uma “cosmovisão que propõe que a origem do universo e da


vida são resultados de um ato criador intencional” (LOURENÇO, 2007, p. 279)
há dois tipos de criacionismo que precisam ser pontuados para evitar mal
entendidos. Há o criacionismo cientifico que se baseia na proposta do desing
inteligente onde toda a complexidade da criação é explicada pela existência de
um ato criador intencional. E existe também o criacionismo religioso que baseia
sua argumentação no relato bíblico da criação.
2. Evolução (evolucionismo): É conhecido também como naturalismo, leva em
consideração as mudanças características hereditárias de uma população através
de sucessivas gerações. Todas as espécies de hoje são resultados cumulativos
das alterações evolutivas através de bilhões de anos, e a relação entre este elo é
uma ancestralidade comum. Há também uma tentativa de unir as duas propostas
para a o surgimento da vida que é conhecido como evolucionismo teísta
propondo que Deus guiou a evolução, “causando tanto o aparecimento das
formas primitivas de vida como o desenvolvimento das formas de vida
complexas”.
II – A EVOLUÇÃO E A ORIGEM DA VIDA.

A teoria naturalista enfrenta a sua principal barreira quando insere o conceito da


abiogênese, onde vida nasce apartir da não-vida (ou surge a partir da não vida), o
sentido é que nenhum senso de intencionalidade está presente no processo, é um
surgimento natural. É conhecido como processo da geração espontânea, sendo este o
primeiro ponto que inicia a controvérsia moderna da origem da vida.