You are on page 1of 2

NEWSLETTER LICINIA DE CAMPOS – 04 DE ABRIL DE 2019

COZINHAR EM CASA FAZ BEM PARA A SAÚDE

Lembre-se de uma situação em vc deve ter passado mais de uma vez. Está chovendo e vc decide ficar em
casa para fazer o almoço e jantar neste fim de semana para toda a família, baseando-se na sua bem sortida
despensa e no freezer. Os estudos mostram que não importa o que vc está preparando, suas refeições
são mais nutritivas que qualquer pedido de comida de fora.

Preparar o jantar em casa na maioria das noites da semana e as chances de se consumir alimentos mais
saudáveis com menor teor calórico aumentam. E o que é melhor, vc prepara sem ao menos testar.
Cozinhar suas próprias refeições aumenta a qualidade de sua dieta essencialmente. É no ato do preparo
da sua própria alimentação que se pode perceber a relação com cozinha saudável. Não é preciso preparar
pratos sofisticados, nem precisa ficar horas cozinhando, não é preciso programar para ter culinária
saudável, só é preciso cozinhar em casa.

Houve uma pesquisa feita pela National Health and Nutrition Examination e examinando os padrões da
culinária caseira e na qualidade da dieta usando dados de mais de 9000 adultos na faixa etária de 20 anos
para cima. O estudo, publicado na revista Public Health Nutrition relatou que adultos consumidores de
jantares feitos em casa 6 a 7 vezes por semana, consomem cerca de 140 calorias a menos, 16 gramas a
menos de açúcar, e 5 gramas a menos de gorduras por dia que aqueles que só o fazem 1 vez por semana
ou menos. Há outras recompensas quando os participantes comem em casa com atenção voltada para
comer saudavelmente com menos calorias. Adultos conscientes de sua saúde, comendo em casa meia
dúzia de vezes por semana, se beneficiam com dietas totais de melhor qualidade e com cerca de 320
calorias a menos, consumidas diariamente.

A expansão da sua silhueta e problemas de saúde, associados ao consumo alimentar, não são só o
resultado de muitos alimentos fritos e indulgencia com doces. Adições escondidas as nossas dietas – como
queijo ralado adicionado na salada do bufe, e que parece bem inocente – são parte do problema. Pense
no efeito acumulativo. As mudanças em peso e outras preocupações com saúde resultantes do consumo
de mais calorias, podem ser acumulativas com o tempo e podem ser o resultado das muitas calorias extras
consumidas em base diária. A culinária caseira faz a diferença por conta de como é preparada. Em casa,
as pessoas normalmente não cozinham com tanta gordura ou usam tanto sal e açúcar.

As pesquisas apenas estão confirmando o que nossa intuição já havia nos alertado há muito tempo. Mas
pratos prontos para consumo e delivery continuam a progredir, especialmente quando os pais estão
cansados, as crianças estão com fome, e os ingredientes do jantar não estão nem no refrigerador nem no
freezer.

Muito se deve ao planejamento. Dar ênfase ao desenvolvimento de compras e habilidades culinárias em


orçamentos limitados é o segredo. Uma boa estratégia é estocar sua despensa e manter os ingredientes
a mão assim se pode usá-los para criar rapidamente refeições saudáveis. Feijão cozido, peixe, macarrão,
arroz, frutas secas e nozes estão entre os básicos da despensa. A falta de um bom conhecimento do como
fazer a moda antiga pode ser uma barreira, mesmo tendo os ingredientes.

Muitas pessoas que atualmente cozinham para seus filhos cresceram em casas onde talvez seus pais
trabalhavam e tinham de consumir muitos alimentos processados ou de conveniência. As famílias não
sabem necessariamente como montar refeições. A sugestão é começar com poucas receitas prediletas da
família. Planeje refeições que peçam poucos dos mesmos ingredientes e usem sobras como ponto de
partida para outra refeição. Vamos dizer, macarrão com almondegas em uma noite, e na outra sopa de
almondegas salpicada de macarrão na outra noite. Ou frango assado em uma noite e escondidinho de
frango no dia seguinte.

Deve-se ir as comprar com uma lista e mesmo assim ter flexibilidade para aproveitar promoções ou
sazonalidades (ex: naquela semana o brócolis estava mais barato que as vagens e de melhor qualidade).
As receitas não precisam ser rápidas ou de preparo difícil. Substitua grão de bico no caso de feijão branco
não estar disponível, por exemplo. Não é preciso usar ingredientes fora do comum para preparar uma
boa refeição. Frutas e hortaliças enlatadas ou congeladas podem ter custo e aproveitamento do tempo
de preparo. Somente verifique a adição de sal, açúcar e aditivos. Desta maneira, em pouco tempo, se
começa a conhecer mais do que realmente entra na sua comida. Ou seja, só pela leitura deste artigo, vc
nem foi a loja fazer compras e já está planejando comprar algum ingrediente saudável.