You are on page 1of 10
BIOTEMAS, 5(1): 45-54, 1992 ASSOCIACAO SINESTESICA ENTRE CORES E EMOcOES EDUARDO B. OTTONI Depto. de Psicologia Experimental. Instituto de Psicologia da Universidade de Sio Paulo (AY. Prof. Mello Moraes, 1721, Cidade Universitiria, 05508, Sio Paulo, S.P). RESUMO Analisamos aqui as associagées sinestésicas entre 1 6nomes de emogdese 10 nomes de'cores. Estudantes de 1° Grau responderam a questionérios solicitando que a cada nome de emogio fosse associado um nome de cor. Quanto 4s conotagdes afetivas atribuidas aos nomes de cor, nossos resultados apresentaram uma concordincia com os de estudos anteriores, Quanto &t ordenago dos nomes de cores em termos de relevincia ‘afetiva, obtivemos uma sequéncia que apresenta uma correlago de postos significativa ‘com a sequéncia '‘universal”” de ocorréncia de nomes de cores nos idiomas, apontada por Berlin e Kay. UNITERMOS: sinestesia, emogies, cores. 45 EDUARDO B.OTTONI ABSTRACT We examine here the synesthetic associations between 16 terms for emotions and 10 color names. High school students answered to questionnaires asking them to assign one of the color names to each name of emotion. Concerning the assignment of affective meanings to color names, our data are in accordance with some previous data in the literature; in relation to the ranking of color names as a function of their affective relevance, we found a sequence which exhibits a significant correlation with the universal’ sequence of occurrence of color names in languages proposed by Berlin and Kay. KEY WORDS: synesthesia, emotions, colors. Introdusiio “Inventei a cor das vogais! - A negro, E branco, I vermelho, O azul, U verde”. A citagdo (de um poema de Rimbaud) ilustra um fendmeno mais frequente do que poderia parecer a primeira vista: a associagao intuitiva de cores aos elementos de uma determinada classe de nomes. “Esta associagdo frequentemente ocorre com dias da semana (..) meses do ano, as estagées, mimeros ou (..) letras do alfabeto”’ (McKellar, 1957). Este autor distingue a associagio de cores da sinestesia, restringindo esta tiltima 208 casos em que um estimulo apresentado em uma modalidade sensorial evoca pron tamente imagens mentais de outra (p. ex., ‘‘sinestesia visual-auditiva’’), Empregamos otermo sinestesia, aqui, de modo mais abrangente, ficando com a definigio de Osgood (S/d): “Dois tipos, basicamente, se evidenciam: (1) Sinestesias perceptuais intermo- dais, (onde) tradugées significativas sao feitas entre um dominio sensorial e outro (e) (2) Sinestesias perceptuo-linguisticas, (onde) paralelismos significativos sdo tragados entre percepgdes em uma modalidade sensorial (usualmente a visio) e termos da linguagem’”. Otipo de sinestesia analisado neste estudo é, em principio, perceptual-intermo Aassociacdo entre emogies (latu sensu), conforme percebidas “‘introspectivamente””, cores. Mais precisamente, se trata de um caso de sinestesia perceptuo-linguistica, uma ez, que as cores sio atribuidas nao a estados presentes na consciéncia, mas a nomes de emogées (poder-se-ia, ainda, falar em conexdes metaforicas entre duas classes de vocdbulos). Material e Métodos Amostra, O estudo foirealizado com 51 alunos de duas turmasda 7* Série do 1° Grau da capital de Sao Paulo; a Sub-amostra A (N = 37, 23 meninas e 14 meninos, média 46 ASSOCIACAO SINESTESICA ENTRE CORES E EMOCOES de idade = 14 anos) pertencia a uma escola municipal de periferia; a Sub-amostra B (N= 14, 8 meninas ¢ 6 meninos, média de idade = 13,5 anos) era formada por alunos de uma escola particular (03 resultados a seguir se referem & amostra total) Nomes de emogées e nomes de cores. A lista de emogdes continha 16 termos; 10 correspondem aos fatores ou '*emogies basicas” da classificagio de Izard et al. (1974): ALEGRIA (joy), CULPA (guilt), DESPREZO (contempt), INTERESSE (interest), MEDO (fear), NOJO (disgust), RAIVA (anger), SURPRESA (surprise), TIMIDEZ (shyness) e TRISTEZA (distress) (as tradugies levam em conta o conjunto de termos definindo cada fator); juntamos 4 lista os termos CALMA, SEGURANCA e AN- SIEDADE, além de trés outros, relativos.a estados mais ‘fisiolégicos" que “‘emocio- nais’’: FOME, SEDE e SONO. A lista de nomes de cores incluia os principais nomes de cores primarias e secundirias (VERMELHO, LARANJA, AMARELO, VERDE, AZUL e ROXO), 0 mais tipico nome de cor terciaria (MARROM) e trés termos relacionados a intensidade luminosa (BRANCO, CINZA ¢ PRETO). Aplicagao do questionario, Compunham o questionério 17 paginas: a primeira com ‘campos para idade ¢ sexo ¢ as restantes contendo, cada uma, um nome de emogao e, abaixo deste, uma fileira de quadriculas associadas aos nomes de cores (na sequéncia mencionada); estas piginas eram dispostas aleatoriamente, de modo a evitar efeitos de posigio. Solicitava-se 0 assinalamento do nome de cor (apenas um) que melhor “‘caracteri- zasse” a emogao indicada, enfatizando-se o interesse por respostas as mais imediatas ¢ intuitivas possiveis; citaram-se exemplos de associagdes andlogas (entre cores e dias da semana ou vogais). Resultados Atribuigao de cores as emogies. A distribuigdo de cores atribuidas difere signifi- cativamente de Ho (hipotese mula) para quase todas as emogies (qui-quadrado, p<.001; ANSIEDADE, p < .01). Constituiram excegdes apenas DESPREZO, FOME ¢ INTE- RESSE, Estas distribuigdes (e as cores significativamente escolhidas em cada caso) estdo representadas na Figura 1. A fim de verificar que aspectos das emogies estavam sendo discriminados através daatribuicdo de nomes decores, calculamos as Correlacies de Postos (Tau de Kendall) entre as escalas de cores para cada emogao: de modo geral, emogies “boas” apresen- taram correlacdespositivas entre si, omesmo se dando entre emogdes‘*mis””, enquanto que emogies “‘boas"’c “‘mas" apresentaram correlagiesnegativas umascom as outras (Tabela 1). 47