You are on page 1of 7

Arboviroses 

Dengue, Febre Amarela, Chikungunya, Zika  

Introdução :
A patogenia das infecções virais é determinada pela combinação entre os efeitos diretos e
indiretos da replicação viral e as respostas do hospedeiro à infecção.
Quanto maior a carga viral, maior a chance de um vírus se instalar.

Para que ocorra o desenvolvimento de uma virose são necessárias algumas condições :
a) Penetrar no hospedeiro pela via adequada;
b) Realizar replicação primária em tecidos próximos à entrada;
c) Escapar dos mecanismos naturais de defesa do organismo;
d) Disseminar-se para os tecidos e órgãos-alvo;
e) Replicar eficientemente nesses tecidos;
f) Produzir ou não injúria tecidual.
Se o vírus conseguir essas seis condições, o vírus está instalado e existe uma virose.

Os sinais sindrômicos de virose são dor de cabeça, febre e diarréia.


A febre é causada, porque o vírus causa viremia e é a viremia que causa a febre.

Os vírus que fazem sítio lítico são mais agressivos do que os vírus que fazem sítio lisogênico.

Arboviroses :
- Arbovírus são vírus que são transmitidos ao homem por vetores artrópodes. Como por
exemplo, o Aedes aegypti é transmitido pela picada de artrópodes hematófagos.
- Todo arbovírus é RNA fita simples envelopado e com capsídeo.
- Os arbovírus pertencem a três famílias :
● Togaviridae: Chikungunya
● Bunyaviridae : Febre da Sanfly
● Flaviviridae : Febre Amarela, dengue e zika

- Os arbovírus chegam pela pela, então a primeira célula que eles vão encontrar são as células
dendríticas.

- Síndrome clínica : determinada pelo grau de multiplicação do vírus e por sua localização
predominantemente nos tecidos. São elas :
● febres, com ou sem exantema maculopapular, em geral benignas;
● artralgia;
● síndromes neurológicas - encefalite (inflamação do cérebro);
● síndromes hemorrágicas - febres hemorrágicas que também são graves e fatais.

- Tratamento : uso de analgésicos no manejo de arboviroses e hidratação oral ou parenteral.


- Prevenção : notificar todo o caso suspeito, combate ao vetor urbano e a vacinação (febre
amarela).

- Diagnóstico : Triagem inicial de pacientes que atendam as definições de caso dos agravos
com amostras coletadas a partir do 7o dia após a data de início de sintomas.

Reprodução dos Flavivirus :


Ou seja, a reprodução do vírus da dengue, febre amarela e zika.
Os flavivírus replicam-se no citoplasma;
A síntese de uma fita de RNA de é a primeira etapa da replicação do RNA genômico, que por
sua vez servirá de molde para novas fitas de RNA de polaridade positiva.
Cópias de RNA viral são detectadas cerca de 3 h após a infecção.
A finalização do ciclo replicativo ocorre com a montagem das novas partículas virais, próximo
ao retículo endoplasmático, onde o nucleocapsídeo é envelopado.
A transição até a membrana plasmática é realizada pelas vesículas que se fundem com a
membrana celular e a liberação de novas partículas virais ocorre principalmente por exocitose.

   
​Chikungunya

- Família : Togaviridae - Togavírus


- Gênero : Alphavirus
- É um vírus que em seu envelope há duas principais glicoproteínas E1 e E2, e são elas que
vão se ligar ao receptor do hospedeiro.
- É um vírus encontrado em regiões tropicais e subtropicais da África, nas ilhas do Oceano
Índico, no Sul e Sudeste da Ásia.
- Foi isolado pela primeira vez em 1952, na Tanzânia. Seu nome significa“andar encurvado”.
- Manifestações clínicas :
• A febre tem início súbito, é alta, associada a poliartralgia / artralgia intensa.
• Pode ocorrer mialgia, cefaleia e exantema.
• Pode cursar 3 fases clínicas distintas: fase aguda (7 dias), subaguda (a partir do décimo dia) e
crônica (a partir do 60o).
Na fase aguda ocorre a formação de edema nas articulações por conta da reação inflamatória.

• Poliartralgia :
•É a principal característica de infecção pelo vírus;
•É um sintoma debilitante;
•Usualmente simétrica e compromete mais de uma articulação;
•O edema é comum, mas não há outros sinais de inflamação.
Zika Vírus  
- Família : Flavivírus
- Como todo flavivírus, o vírus do zika possui um capsídeo, RNA e envelope
- Modo de transmissão: O principal modo de transmissão descrito do vírus é por vetores. No
entanto, a OMS identificou a transmissão perinatal e sexual.
- É um dos arbovírus que o sistema imunológico consegue eliminar.
- Casos sintomáticos: A febre pelo vírus Zika é uma doença pouco conhecida e sua descrição
está embasada em um número limitado de relatos de casos e investigações de surtos.
- Infecções de células dendríticas próximas da inoculação: nódulos linfáticos.
- Quando aparecem os sinais e sintomas mais comuns são: exantema maculopapular, febre
baixa, artralgia, mialgia, dor de cabeça e hiperemia conjuntival não purulenta e sem prurido,
enquanto edema, dor de garganta, tosse, vômitos.
Se formam exantemas em toda parte do corpo.
- Os sintomas geralmente desaparecem espontaneamente após 3-7 dias.
- Há estudos que indicam que ZIKVBR atravessa a placenta e causa a microcefalia, com alvo
em células progenitoras corticais, induzindo a morte celular pela apoptose e autofagia,
prejudicando o neurodesenvolvimento.
- Diagnóstico feito por PCR.

​ Dengue  
- Família : Flaviviridae
- Gênero : Flavivirus
- Doença febril aguda, que pode apresentar um amplo espectro clínico: enquanto a maioria dos
pacientes se recupera após evolução clínica leve e autolimitada, uma pequena parte progride
para doença grave.
A dengue em seu estágio mais grave é muito parecida com a febre amarela, a única coisa que
diferencia é a icterícia.
- É a mais importante arbovirose que afeta o ser humano, constituindo- se em sério problema
de saúde pública no mundo.
- Ocorre e dissemina-se especialmente nos países tropicais e subtropicais, onde as condições
do meio ambiente favorecem o desenvolvimento e a proliferação do Aedes aegypti ​e ​Aedes
albopictus.​

- O vírus da dengue pode causar a dengue clássica (DC) e febre hemorrágica do dengue
(FHD). Além disso, o vírus possui quatro sorotipos distintos (DENV-1,2,3,4).

- O genoma codifica para três proteínas estruturais: proteína C do capsídeo; proteína E e M da


membrana.
Além destas, o genoma codifica sete proteínas não estruturais: (NS1, NS2A, NS2B, NS3,
NS4A, NS4B, NS5) que desempenham funções reguladoras e de expressão do vírus, como a
replicação, virulência e patogenicidade.
- Na dengue com evolução de um quadro mais grave, a PA diminui muito por conta do
extravasamento plasmático, isso vai resultar no aumento do hematócrito e diminuição das
plaquetas.
A diminuição das plaquetas, aumenta o quadro hemorrágico.

- A ​prova​ do ​laço​ é um exame rápido que ajuda a identificar fragilidade dos vasos sanguíneos e
a tendência ao sangramento, comum em doenças como ​dengue.

- Patogênese :
1-) As primeiras células infectadas após a inoculação viral pela picada do mosquito são,
provavelmente, as células dendríticas da pele.
2-) Após a replicação inicial e migração para os linfonodos, os vírus aparecem na corrente
sanguínea (viremia) durante a fase febril aguda, geralmente por três a cinco dias.
3-) A gênese dos sintomas da dengue ainda não é bem esclarecida, porém considera-se que
a liberação de citocinas, como resultado da infecção das células dendríticas, macrófagos e a
ativação de linfócitos TCD4+ e TCD8+, desempenha um papel importante.
4-) Da corrente sanguínea, os vírus são disseminados a órgãos como fígado, baço, nódulos
linfáticos, medula óssea, podendo atingir o pulmão, coração e trato gastrointestinal.

- Manifestações clínicas : febre, prostração, cefaléia, dor retro-orbital, artralgia e mialgia,


náuseas, anorexia, rash.
- Manifestações hemorrágicas : hemorragias na pele (petéquias), gengivorragia, sangramento
nasal, sangramento gastrointestinal, hematúria e fluxo menstrual aumentado.

- Febre hemorrágica da dengue (FHD) : o paciente deverá apresentar os seguintes critérios,


febre ou história recente de febre em até 7 dias, trombocitopenia, manifestações hemorrágicas,
evidências de permeabilidade vascular e confirmação laboratorial durante períodos epidêmicos
ou interepidêmicos.

- Replicação Viral :
- Sinais da evolução da dengue :

- Resposta imune nas infecções por dengue :

No primeiro teste é só IgM, se der positivo é uma infecção aguda (primária). Caso, de IgM e IgG
positivo é uma infecção secundária.

Resumindo :
Febre Amarela  
- Vírus RNA fita simples– família Flaviviridae
- Não há transmissão homem x homem
- Existem dois tipos de febre amarela : a silvestre e a urbana.

- Na febre amarela silvestre, o macaco é o reservatório permanente e o homem é o hospedeiro


acidental.
- Na febre amarela urbana, o homem é o reservatório permanente.

- É dividido em fases :
Fase I - Infecção (3-4 dias) : febre de até 39 graus, cefaléia, artralgia/mialgia, bradicardia,
proteinúria e aumento do TGO e TGP.
Fase II - Remissão (2 dias) : paciente se recupera, a maioria evolui para cura, fica sem
diagnóstico, e só 10% chegam à fase tóxica.
Fase III - Tóxica (3-8 dias) : febre, bradicardia, desconforto epigástrico, icterícia, insuficiência
renal, hemorragias, encefalite e falência de múltiplos órgãos.

- Patogênese :

● Apoptose de hepatócitos, degeneração eosinofílica, pouca inflamação (diferente do


vírus de hepatite);
● Apoptose de células glomerulares renais
● Apoptose de cardiomiócitos: falência da bomba e problemas de condução
● Insuficiência hepática + lesão endotelial + CIVD (coagulação intravascular
disseminada) = hemorragias

-Período de incubação: 3 a 6 dias

- Susceptibilidade: todas as pessoas não vacinadas

- Viremia: homem de 24 – 48 horas antes e 3 a 5 dias após o início dos sintomas (em
média 7 dias).

- Imunidade pode ser ativa pela vacina (10 anos) e doença (permanente), ou, passiva
lactentes até o sexto mês de vida.

- A vacina da febre amarela é de vírus atenuado, sendo contra-indicada em pacientes


com imunodeficiência, em menores de seis meses e gestantes.
- Sinais de alerta para formas graves de febre amarela :

Diagnóstico laboratorial :