You are on page 1of 10

Dicionário Crente

(Autor: “Pedro de Lara”, fake do Orkut)

Abençoado: Diz-se da pessoa que obteve sucesso financeiro.


Ou seja, o juiz Nicolau (e mais atualmente, Roberto Jefferson) é um sujeito
abençoado.

Adesivo: Pequena tira plástica ou de papel, tendo uma substância adesiva em


uma das faces e imagens e palavras ou frases escritas na outra. Servem para
advertir, sinalizar ou expressar idéias. Por exemplo, um típico adesivo crente
faz as três coisas: adverte (cuidado: mala sem alça a bordo); sinaliza (vou fazer
merda em breve e bater no seu carro. Não tenho seguro, dinheiro ou a mínima
intenção de pagar o prejuízo que causarei daqui a pouco); e expressar idéias
(de jerico).

Adivinhos e Ciganos: Uma boa maneira de gastar algum dinheiro à toa, visto
que estes nada adivinham. Apenas falam coisas vagas o bastante para se
adaptar a qualquer consulente. Pessoas de mente fraca como crentes em
potencial podem achar que existe algum poder superior em dizer que "você é
uma pessoa especial, mas incompreendida" para um adolescente. Portanto, o
estelionatário mais que depressa condena: é coisa do capeta.

Agnóstico: Diferente do ateu, mas o crente é burro demais para perceber. De


qualquer modo, não faz diferença. Todos os que não fizerem parte de sua
igreja vão mesmo para o inferno.

Alma: Entidade espiritual de existência duvidosa. O objetivo do crente é salvar


a alma porque o corpo já foi pro saco, devido à sua vida pregressa.

Amuletos: Penduricalhos usados por MULAS com supostas propriedades


"mágicas". Quanto mais você usa, mais dinheiro entra no bolso...
... De quem se dedica a fabricar e vender essas porcarias.

Figas, trevos de quatro folhas, pés-de-coelho, arruda, etc, são praticas


superticiosas ou do demônio, mas na igreja dos crentes eles ganham várias
besteiras pra dar PODER... É trocar seis por meia dúzia.

Ateu: A encarnação do Mal. Perigoso, por pensar por si. Inconveniente, por
questionar a lavagem cerebral a que o crente foi submetido. Ateísmo tem cura:
chama-se lobotomia.

Bíblia: Plural de biblos, é um conjunto de livros em uma única encadernação


(ao contrário de O Senhor dos Anéis, outro livro de fantasia que em algumas
edições foi repartido em três volumes). Os livros da bíblia são compostos
basicamente de:
1) Crônicas de um povo (hebreu), escritos da maneira que interessava à classe
dominante de então;
2) Mitos de criação grosseiramente copiados de povos que tiveram contato
com os hebreus;
3) Profecias escritas em uma linguagem que lembra jogador de futebol dando
entrevista;
4) Um poema onde rola uma sacanagem legal.
Há mais de uma versão da bíblia. As mais comuns são a católica e a
protestante. Esta se diferencia da primeira por três características principais:
1) Sete livros a menos, por obra da vontade pessoal de Martinho Lutero;
2) Tradução menos exata do tetragrama místico JHVH, novamente por obra de
Lutero;
3) A mais importante: esta versão tem propriedades desodorantes, visto que é
extremamente comum sob as axilas dos crentes.

Célula: A menor unidade dos seres vivos. Por extensão, o menor núcleo
possível de crentes ou terroristas (No caso da Videira, tanto faz. Eu até
preferiria que fosse da Al-Qaeda). Uma célula é composta de um débil mental e
um número variado de debilóides ainda mais retardados. Sua função: Atos
terroristas como tocar campainhas em dias de descanso, fazer barulho na hora
da novela e encher o saco quando não são chamados. Nada que um morteiro
de 13 tiros não resolva.

Conversão: Processo pelo qual uma pessoa passa a ser crente. Consiste
basicamente em trocar um problema psicológico/psiquiátrico por outro. É bom
lembrar que o público-alvo de uma das companhias não tem acesso a serviços
públicos de saúde. Desta maneira, trocar um problema por outro pode parecer
"bom" para a sociedade em geral. É como um dependente químico trocar a
cocaína por álcool. Ele vai se foder do mesmo jeito, porém o consumo de
álcool é tolerado pela sociedade. O convertido costuma ter compulsão em
introjetar seu próprio distúrbio psíquico em outras pessoas (pregar). Essa
compulsão é provavelmente um efeito colateral da lavagem cerebral a que foi
submetido.

Crente: Analfabeto funcional crédulo o bastante para acreditar em tudo o que o


pastor diz que é verdade.

Crente legal: Oximoro (Figura em que se combinam palavras de sentido


oposto que parecem excluir-se mutuamente, mas que, no contexto, reforçam a
expressão {p.ex.: obscura claridade, música silenciosa}; paradoxo.)

Crente mala: Pleonasmo. Há, contudo, uma explicação científica para esse
fenômeno. No ser humano, há circuitos cerebrais responsáveis pela satisfação
pessoal. Em um organismo sadio, esses circuitos são ativados em situações
tais como: uma boa transa, a conquista de um campeonato por seu time, foder
um filha da puta no trabalho, e coisas do tipo. Um cérebro anormal, que tenha
sido submetido à lavagem cerebral (crentes, Amway, Herbalife, Polishop e
outros) tem esses circuitos normais corrompidos. A única coisa que dá prazer a
um indivíduo com tal patologia é falar exaustivamente de sua patologia. Ao
tentar insistentemente contagiar alguém com sua própria insanidade, o crente
acha que presta um grande serviço ao ouvinte.
Culto: Sessão onde se consuma o estelionato. Em meio a muita gritaria e
músicas desafinadas, com letras primárias e de péssimo gosto tocadas num
volume ensurdecedor, o estelionatário (pastor) pede o dízimo.

Denominação Religiosa: Como toda corporação mercantil, é necessário um


bom nome comercial (marca). Tem de ser fácil de lembrar e incomum o
bastante para se dissociar de termos comuns. Veja por exemplo Coca-Cola,
Skol, 51, Ford, Zorba e coisas do tipo. Em um mercado saturado é comum
haver marcas com nomes estranhos: Guaraná Jesus, Toblerone, Chocolate
Garoto, Macarrão Renata (E eu comi muito essa Renata! Como até hoje.) e
outras estranhezas do tipo. No caso de nomes estranhos, estes devem sugerir
algum tipo de associação: Quadrangular e Bola-de-neve, por exemplo.

Deus: Mercadoria vendida e nunca entregue por ambas as companhias.


Curiosamente, todas as companhias afirmam ter o monopólio dessa
mercadoria.

Diabo: Acionista das empresas citadas. Sem ele, o mercado não se justifica.
Mais ou menos como polícia e bandido. É comum cada uma das companhias
chamar a mercadoria que a outra vende (os outros deuses) de diabo. Péssimo
exemplo de publicidade comparativa (aquela onde há menção direta ao produto
ou serviço do concorrente).

Dízimo: Ato de fazer com que a vítima entregue o dinheiro ao pastor. O clímax
do culto. A razão de ser de toda a encenação. O dinheiro amealhado nessas
sessões será utilizado em boas obras. Obras de reforma da chácara do pastor,
obras de construção de piscina na casa dele, obra de comprar um carro de luxo
zero quilômetro...

Encosto: Nome que se dá às manifestações de doenças psicossomáticas ou


problemas de ordem diversa. Faliu? Foi encosto. Seu time se fodeu? Foi
encosto. Sua mulher te corneia? Foi encosto. Foi despedido? Foi encosto. Foi
parar na cadeia? Foi encosto. Note que as manifestações mais comuns da
presença de encosto, segundo os crentes são: cefaléia, visão de vultos,
audição de "vozes", desejo de suicídio. Pergunto ao Dr. Juliano: Isso é coisa do
além ou algum estágio psicótico puro e simples?

(Resposta de Juliano:
Olha Pedro...
Considero o estágio avançado de fanatismo uma doença, sim.
É impossível uma pessoa normal, sabendo dos avanços da psiquiatria, acreditar em
"possessão demoníaca"...
Pra melhor diagnosticar...
...O encapetamento:
Cefaléia: Desde uma simples enxaqueca a um aneurisma cerebral, passando por hipertensão
arterial, tumores cerebrais, etc etc...
Visão de vultos, audição de "vozes": Sintomas típicos de muitas manifestações psiquiátricas.. A
mais famosa é a esquizofrenia (Vocês já devem ter visto Uma Mente Brilhante...);
Desejo de suicídio: Sintoma freqüente da tão conhecida Depressão, indicação precisa de
internação hospitalar por ser risco de morte... Mas se eu fosse crente, também iria desejar me
matar (rsrs)

Não esquecendo...
Muitas doenças psiquiátricas tem manifestações somáticas no corpo humano, ou seja...
Uma pessoa pode estar com febre, diarréia, cefaléia, "bolinhas vermelhas pelo corpo", dor
abdominal e inclusive impotência sexual...
Nem tudo que é, é o que parece... Tá certo que é mais fácil colocar a culpa num demônio, mas
se eu fosse pastor (argh), ia ter pena dos meus pacientes...
Abraços!)

Espírito: O único cuja existência é cientificamente comprovada é o espírito de


porco. Muito comum entre crentes que picham muros, com supostas
mensagens bíblicas.

Festas Pagãs: Halloween, Festa Junina: segundo os crentes, são perigosas


armadilhas onde se louva o diabo, mesmo sem saber.

Filosofia Oriental: Empresas altamente lucrativas e com marketing agressivo


não admitem concorrência e tentam de todas as maneiras angariar novos
clientes (fiéis). Outro ponto importante é manter a clientela já conquistada,
mesmo que à custa de lavagem cerebral continuada. Uma das estratégias mais
usadas é dizer que tudo o que não for o que o pastor mandar, é coisa do diabo.
Então, quaisquer filosofias que não a que traga lucro à empresa (igreja) são
rotuladas de satanismo.

Frases de Efeito: Recurso muito usado quando a criatividade é escassa.


Como os crentes não primam pela criatividade, usam o recurso de repetir
frases e sentenças inteiras ditas por outrem. Por incrível que pareça, os crentes
acham que estão "abafando". Mais ou menos como convidar a Ana Paula
Padrão para conhecer sua coleção de selos, tarde da noite, no apartamento
onde você mora só.

Harry Potter: Uma grande ameaça. Qualquer um vai ver que há mais
coerência no texto de qualquer volume da série que em toda bíblia. O que fazer
para que os crentes não tenham contato com esse perigo de falência? Simples,
é só dizer que o livro é satânico, que é para adoradores do diabo e que quem
ler vai para o inferno.

Herege: Qualquer um que não é tapado e sabe as mentiras da igreja, satanista


segundo crentes. Eles eram queimados em praça pública pela Igreja Católica.

Higiene Pessoal: O corpo é o templo de Deus, dizem os crentes. Contudo,


para usar uma metáfora botânica, eis que o jardim anda um tanto descuidado,
com uma "grama" que nunca é aparada. Desodorante vencido, cabelos pela
altura dos glúteos (será que não se molham no vaso sanitário?) e axilas
femininas mais parecidas com árvores de cemitério (cheias de barba-de-bode
penduradas) completam o triste quadro. Considerando-se que suas igrejas são
um primor do mau-gosto arquitetônico, até que a analogia corpo/templo faz
sentido.

Igreja: Local sem estacionamento e com péssima acústica onde se realiza o


culto. Quem mora perto de uma sabe como é “gostoso”.
Igreja católica: Organização comercial mais antiga do Ocidente, é controlada
por uma hierarquia rígida. Apenas uma pequena parte da organização possui
cargos de chefia (sacerdotes). Destes, apenas uma minoria (cardeais) pode
eleger o presidente da companhia (papa). O cargo de presidente da companhia
é vitalício. Atualmente, é ocupado pelo Imperador Palpatine (Bento XVI).

Inferno: Lugar para onde vão as pessoas más, ou seja, quem não é crente. Lá,
o presidente é o Maluf, o ministro da Economia é a Zélia, a animação fica por
conta do Beto Barbosa e o técnico da Seleção Brasileira é o Lazaroni. Um lugar
filha da puta, mas tem uma vantagem: não tem crente.

Irmão: Designação genérica pelo qual um crente chama outro crente, ou


quando um crente tenta convencer um infiel a se converter. Vários motivos têm
sido apontados para o uso desse nome. Sem dúvida, o fato de todos serem
filhos da puta e, portanto, de paternidade desconhecida é uma das hipóteses
mais plausíveis. Outra, não menos apoiada em indícios e evidências, é o fato
de ser comum em nossa cultura socorrer-se da família quando em apuros. Pra
quem você pede dinheiro emprestado antes de se foder com bancos e
financeiras? Pra quem você pede socorro quando o valentão da classe quer te
esmurrar? Quem você usa como comparsa quando precisa de um álibi para
dar uma boa escapada extraconjugal?
O ideal seria perguntar isso a um crente, porém o crente repete coisas sem
saber o porquê, e sequer sabe o significado da maioria delas. Considero a
etimologia da palavra algo insolúvel.

Jesus: O maior laranja desse crime de estelionato (religião). De acordo com a


própria bíblia, sua biografia é a seguinte:

1) Origem humilde;
2) Grande conhecimento de leis religiosas e textos sagrados (aos 12 anos foi
encontrado a discutir com os doutores em leis);
3) Subversivo ao extremo:
 Pregava igualdade entre sexos, etnias, classes sociais e tudo o mais
que sirva para dividir as pessoas;
 Fazia questão de andar entre os marginalizados da época: prostitutas,
coletores de impostos e pessoas do tipo;
 Pregava a inutilidade do status quo em uma sociedade altamente
estratificada;
4) Foi condenado à pena de morte. Acusação: subversão contra Roma (outra
sociedade altamente estratificada);
5) Após sua morte, sua mensagem foi distorcida o bastante para se adequar a
uma ordem social emergente, com os mesmos defeitos da anterior (aqui se
consumou o estelionato propriamente dito);
6) É representado ora como um caga-regras, ora como uma mariquinhas;
7) Serve de pretexto para as piores atrocidades.

(Uma pequena digressão


Essa história de corpo fechado pode ter fundamento.

História verídica:
Elenco:
- Pedro de Lara em sua identidade secreta;
- Jardineiro Crente;
- Cachorro do Pedro de Lara (excelente cão de guarda, manso com os moradores e implacável
com estranhos. 1,85 m quando apoiado sobre as patas traseiras, 75 kg e uma cabeça capaz de
morder e furar uma bola de futebol oficial sem o menor esforço).

Cenário:
- Casa de Pedro de Lara. Grama alta. Cão no gramado.

Roteiro:
- Pedro de Lara chama Jardineiro Crente para cortar a grama da casa;
- Jardineiro Crente chega à casa de Pedro de Lara;
- Jardineiro Crente entra na casa de Pedro de Lara. O cão está no cercado gramado e olha
para Jardineiro Crente com desconfiança;
- Pedro de Lara diz: "vou trancar o cachorro no quintal dos fundos para que o senhor possa
trabalhar";
- Jardineiro Crente diz: "não precisa, porque sou crente e Jesus me protege";
- Ato contínuo, Jardineiro Crente faz menção de passar a mão em Cachorro de Pedro de Lara;
- Cachorro de Pedro de Lara quase engole a mão inteira de Jardineiro Crente.)

Juízo Final: Evento situado depois dos fins dos tempos, onde haverá um
julgamento. Ao que tudo indica, no estilo stalinista. Então os justos (crentes)
irão viver junto a Deus, enquanto que os réprobos (os ateus, agnósticos e os
que pertencem a outras igrejas) irão para as profundas do inferno. Note que
nem mesmos todos os crentes serão salvos. Cada corporação comercial
(igreja) afirma que detém o monopólio sobre a locação do Paraíso.

Líder de Célula: Lembram-se das famosas "pirâmides"? Sim, aquela história


onde uma meia dúzia de safados ficava com a grana e um monte de mané
chupava o dedo? O líder de célula é como o "piloto" da pirâmide. Ele fica com a
grana do dízimo até que um otário da base da pirâmide ache um número
suficiente de idiotas para formar sua própria pirâmide, perdão, célula.

Louvações: Ritual de histeria coletiva destinada a perturbar o sossego dos


moradores vizinhos à igreja. Serve ainda como preparação para o momento
máximo do estelionato, o dízimo.

Maçonaria: Uma sociedade secreta, onde você só entra por convite (mais ou
menos como no Orkut, só que mais na moita).
Um prato cheio para o pastor dizer que é coisa do capeta. Afinal, o medo é o
combustível do estelionato (dízimo). Qualquer besteira que não puder ser
imediatamente desmentida assume ares de verdade, quando dita pelo pastor
aos crentes. Aí, fica fácil. Só os crentes vão para o paraíso. O resto é tudo
satanista e vai queimar no inferno.

Mensagens Subliminares: São coisas transmitidas sem que nos damos conta
disso. Até aí, nada demais. Uma gostosona na propaganda de cerveja passa a
idéia que se você beber daquela cerveja vai pegar uma mulher tão gostosa
quanto a do comercial (na verdade, se você tomar muita, mas muita cerveja,
qualquer baranga vai lhe parecer a gostosona do comercial). Então, o que quer
dizer mensagem subliminar para um crente? Nesse caso específico, quer dizer
que um incauto e desavisado ser humano pode entoar loas ao diabo sem que
se dê conta disso. Mais ou menos igual à brasileiríssima sacanagem de
mandar um gringo repetir "eu quero dar o cu", dizendo a ele que isso é um
cumprimento muito usado por aqui. Segundo os crentes, a música "Poeira" fala
de Lúcifer, um anjo caído. Brincar de RPG seria cultuar o diabo por usar
personagens místicos, como magos, elfos e afins. Outro caso muito conhecido
é o símbolo supostamente satânico da Procter & Gamble. A real razão da
disseminação dessas lendas urbanas por parte dos pastores é refrear o
consumo dos crentes e fazer com que eles gastem o pouco que sobra depois
de pagar o dízimo em porcarias como óleo da unção benta, sal grosso do Vale
do Sal, água da Sabesp (vendida como sendo do Rio Jordão), e outras
porcarias que só crente é idiota o bastante para comprar.

Milagre: Evento improvável e/ou que desafie as leis da natureza. Qualquer


fenômeno que não tenha causa imediata visível pode assim ser rotulado,
dependendo-se do grau de perspicácia do observador.
Como exemplo, você chutar uma bola do meio de campo, encobrir o goleiro e
enfiar a bola na gaveta pode ser considerado um milagre. Contudo,
improvável não é impossível. Pelé tentou isso na Copa de 1970 e não
conseguiu. Quase, mas não. É o único não-gol da carreira dele que ainda hoje
é facilmente lembrado. Outros jogadores, de categoria infinitamente menor que
Pelé, conseguiram o feito, contudo. Alguns até de trás do meio de campo. Por
quê? Porque tentaram. Se você erra, ninguém vai se lembrar, a não ser que
você se chame Edson Arantes de Nascimento e esteja no meio de uma partida
válida pela Copa do Mundo. Agora, se você conseguir...
Nota-se que a capacidade de declarar um evento como miraculoso é
inversamente proporcional à capacidade de calcular probabilidades e à de
buscar explicações naturais e científicas. Por outro lado, quanto mais crédulo,
mais fácil gritar: "milagre!" Aleluia!

Niilismo: Entre outras acepções, "doutrina segundo a qual não existe nada de
absoluto (inexistência de realidade substancial) nem possibilidade de
conhecimento do real e que, por isso, se caracteriza por um pessimismo
metafísico e por um ceticismo relativamente aos valores tradicionais (morais,
teológicos, estéticos)".
Agora que eu copiei do dicionário, o que isto tem a ver com os crentes?
Simples, niilismo leva à contestação, à revisão de doutrinas e valores. Agora,
pensem: e se o crente pensar duas vezes antes de dar o dízimo ao pastor? E
se ele parar e pensar se de repente umbandistas, ateus, budistas, muçulmanos
e outros mais estiverem certos? A conta bancária do pastor tenderá
perigosamente à raiz do termo, nihil, ou seja, nada. Portanto, niilismo é coisa
do diabo.

Obreiro: É o puxa saco do pastor. Um aprendiz de estelionatário que não se


importa de ajudar um bandido mais experiente a fim de subir na hierarquia
criminosa. Obreiro vem de "obrar". "Obrar" é um termo mais comum no
Nordeste brasileiro, e significa "fazer um download", "passar um fax", "botar o
castor para nadar", e outras expressões semelhantes.

(Contribuição do José Henrique


O termo é obreiro.
Obreiro é que faz obras, o que fica a obrar. No contexto em que é empregado, seria propício
dizer que é "aquele que executa as obras do senhor". No entanto, por "obrar" pode-se entender
defecar, cagar, fazer merda; que é, ao meu ver, muito mais indicado ao que é executado nos
templos pelos pastores e seus asseclas (crentes).)

Oferta: Porque o dízimo é um valor fixado em 10% de tudo que o crente


ganha.
Mas ALÉM do dízimo, eles são induzidos a ofertar, e é aí que tudo se encaixa
na sua descrição.

Ovelhas: Imagem muito comum, quando se fala de um estelionatário (pastor)


extorquindo suas vítimas (crentes). Ovelhas são mamíferos ungulados, da
ordem dos artiodátilos, família dos bovídeos. São animais dóceis, facilmente
conduzidos e que têm exigências nutricionais relativamente modestas
(analogamente, crentes são facilmente manipuláveis e pouco exigentes em
termos de conforto material). Outra impressionante semelhança entre ovelhas e
crentes é que ambos são periodicamente tosquiados. Ovelhas fornecem lã, que
tem de ser cardada, fiada e às vezes tingida antes de se transformar em
dinheiro. Já os crentes eliminam as etapas intermediárias e dão logo o seu
suado dinheirinho (dízimo).

Outros fundadores de religião: Buda, Confúcio, Zoroastro, Maomé, Allan


Kardec e outros fundadores de religiões (excluindo Cristo): Todo aquele que
possa evitar o estelionato recebe o mesmo nome: falso profeta ou anticristo. O
nome varia de acordo com a ameaça aos lucros.

Outras religiões: Umbandistas, Macumbeiros, Budistas, Espíritas Kardecistas


e demais religiões/seitas/filosofias: adoradores do Diabo. O crente acredita que
possui o monopólio sobre Deus e que, portanto, só ele se salvará.
Note que há a expressão conhecida como Blasfêmia de Javé: "Eu sou o único
Deus, os outros deuses são demônios".

Papa: Ser humano que é visto como um intermediador entre Deus e os


homens (e que mora em um palácio cheio de ouro, enquanto muitos morrem de
fome).

Paraíso: Não, não se trata de uma estação de metrô paulistano. Paraíso é


mais que um lugar físico, um estado de espírito de total beatitude. Um
momento em que você pensa "se melhorar estraga". Para um reles ateu ou
não-crente, pode ser uma boa trepada com alguém muito desejado, pode ser
ver seu time campeão enquanto que o arqui-rival é rebaixado (se o Colorado
fosse campeão ano passado, muitos colegas gaúchos se sentiriam no Paraíso,
já que o Grêmio se fodeu). Já para um crente o Paraíso é um lugar onde só
tem crente. Nesse lugar, as escolas não ensinam evolução; a televisão está
permanentemente sintonizada em Edir Macedo; as rádios só tocam música
gospel; não haverá uma única mulher depilada; nenhum homem terá
contestada pela mulher sua autoridade; ninguém mais terá de comprar terno
em brechó; todo chefe de família (homem, claro) possuirá um Monza de quatro
portas; o único livro existente será a bíblia;o Presidente da República é o
Waldemar da Costa Neto e o vice é o Bispo Rodrigues. Como se vê, a idéia de
Paraíso dos crentes se aproxima por demais da idéia de inferno dos ateus e
demais infiéis. E vice-versa. Por isso, ninguém se importa muito para onde vai
depois de morto.

Pastor: Indivíduo afeito à arte de viver sem trabalhar. Diferente dos


vagabundos em geral, quer ter um padrão de vida elevado, desse modo
assemelhando-se a criminosos comuns. Contudo, o pastor não tem o pendor
para a violência e a capacidade de planejamento de um assaltante de banco.
Também carece de inteligência suficiente para um bom golpe como os que são
dados no INSS. Desta maneira, concentra-se no estelionato miúdo, tendo como
vítimas os crentes. Usa como instrumento de trabalho sua cara de pau e uma
bíblia.

Pecado: Aquilo que só os outros cometem.

Pregação: Ato de tentar convencer um consumidor em potencial a adquirir o


produto apregoado. Quando exercida por um convertido, é considerada como
uma tentativa de contágio. O convertido tem compulsão em disseminar sua
patologia psíquica. Por outro lado, a pregação pode ser feita diretamente pelo
estelionatário (pastor) com vistas a ampliar sua base de lucros. Nesse caso, a
pregação assemelha-se mais a uma iatrogenia (ato de inculcar uma doença em
alguém são. Dr. Juliano, corrija-me se estiver errado).

Protestantismo: Organização comercial rival à Igreja Católica, fundada por um


de seus ex-chefes intermediários. Apesar de ser uma companhia mais nova e
ter tido dificuldades em penetrar em um mercado já consolidado em seus
primeiros anos de existência, essa companhia tem algumas vantagens sobre a
concorrente: uma hierarquia mais flexível, vantagens aos ocupantes de cargos
de chefia (Pastores podem casar. Pensando bem, isso é vantagem?) e uma
política de marketing extremamente agressiva, com uso da mídia (falada,
impressa, televisiva e digital) e marketing de rede (pregação), inclusive com
técnicas de lavagem cerebral.

Retiro Espiritual: Evento criado para que os jovens crentes sofram uma
lavagem cerebral mais eficaz. Serve também para que o crente do sexo
masculino se acasale com a crente do sexo feminino.

Salvação pela fé: Conceito aparentemente obscuro, mas fácil de entender.


Basicamente, não importa o que você faça, desde que seja crente. Ou seja,
seja um tremendo filha da puta, mas diga sempre "Aleluia!" e pague o dízimo
em dia.

Satanista: Nada a ver com discípulos de Crowley e outros mais. Nesse


contexto, qualquer pessoa que pense ligeiramente diferente do crente é
satanista. Vide os tópicos Deus e Diabo.

Sessão de Descarrego: A única coisa que acontece na tal sessão do


descarrego é que os bolsos dos crentes são descarregados de dinheiro. Não,
ele não desaparece. Apenas vai em malas direto para algum paraíso fiscal por
aí.
Sexo: Para a grande maioria dos crentes, deveria ser apenas um quadradinho
a ser preenchido em fichas cadastrais. É óbvio que a realidade é outra, para
desespero dessas criaturas. Sexo é uma coisa muito boa de se fazer (até
mesmo sozinho) mas que é terminantemente proibido para alguns e
estritamente regulamentado para outros.
Para se entender melhor o que sexo significa para um crente, temos de
entender a lógica do estelionato do qual o crente é vítima: Pecado gera culpa,
culpa gera remorso, e remorso faz com que você aceite qualquer coisa como
forma de compensação. Agora fica fácil entender: quanto mais remorso, mais
dízimo, pregação e coisas do tipo. Quanto mais coisas forem consideradas
pecaminosas, maior o controle exercido pelo estelionatário (pastor).
O que fazer então? Simples. É só declarar que as ações mais comuns ao ser
humano são pecado. Quais seriam elas?
1) Comer e beber: Essas não dá para proibir, senão o crente morre e não paga
mais dízimo. Mas dá para restringir o prazer;
2) Cagar: Também não dá para proibir, porque é fisiologicamente impossível;
3) Trepar: Agora sim! Atividade extremamente prazerosa, potencialmente muito
comum (A menos que você seja feio como o Pedro de Lara) e que não é
imprescindível à sobrevivência. Quer dizer, você pode não viver, mas também
não morre.
Proibir ou regulamentar pesadamente o sexo tem ainda outra vantagem: influi
também nos prazeres relacionados a comer (melhor dizendo, chupar) e cagar
("sodomia" é condenada!).
Sexo somente para reprodução? Claro, assim o número de crentes aumenta
bem mais rápido. Um mercado onde os otários são disputados a tapa tem de
inventar mecanismos para criar uma espécie de "reserva".

Símbolos: Toda corporação comercial do ramo monopolista tem de ter um


logotipo, um símbolo que a identifique prontamente. "A propaganda é a alma do
negócio, e o negócio de alma tem de ter propaganda", já dizia esse humilde
jurado. Qualquer curso de publicidade vai dizer que um bom símbolo tem de
ser facilmente identificável e provocar ao cliente em potencial uma associação
com algo bom e/ou saudável e/ou prazeroso. Nesse contexto, pão quentinho é
muito gostoso, peixe é saudável e gostoso, e vinho é saudável (em doses
razoáveis), gostoso e prazeroso. De quebra, rola uma encheção de cara no
meio da missa.

Yoga e Artes Marciais: Atividades que têm por objetivo manter o corpo e a
mente saudáveis. Um perigo para o estelionatário, pois isso pode fazer com
que o crente não fique o dia todo no templo, e o pior: conheça outras pessoas,
que não foram submetidas à lavagem cerebral. Lembre-se: não basta
conseguir novas vítimas, as antigas têm que continuar a cair no golpe.