You are on page 1of 12

 Associação Brasileira de Acupuntura

(desde 1958)
Rua Guarará, 242 J, Paulista-SP
(em convênio com a Faculdade de Ciências Aplicadas Dr. Leão Sampaio)
______________________________________________________________________

CRANIOPUNTURA
CLÁSSICA
CHINESA

1
Microssistema: Craniopuntura

A Craniopuntura é um microssistema tradicional; porém não foi encontrado nenhum


documento que venha provar sua existência no passado.
Esse método apresentado aqui tem o intuito de mostrar um trabalho de estudo bem
feito por NGYEN VAN NGHI tentando se aproximar o mais possível da tradição. O presente
trabalho a ser exposto leva em consideração as áreas cerebrais e suas localizações
imediatamente representadas na calota craniana.
Para dar início, precisamos ter referências e medidas para podermos localizar as
áreas a serem punturadas.

Linha Mediana Antero-posterior: do Yin Tang até VG 17 (No Hou).


Linha Supercílio-Occipital: do ponto ligeiramente acima do Yu Yao até VG 17 (No
Hou).

2
3
1. Área Motriz (e Área da linguagem I ).
A extremidade superior se encontra a 0,5 centímetro detrás do ponto situado na
metade da linha mediana ântero posterior, atrás do VG 20 (Paé Roé).
A extremidade inferior é um ponto de interseção da linha supercílio occipital e da linha
de crescimento capilar sobre a têmpora
Esta Área motriz está dividida em três segmentos:
a) o 1/5 superior corresponde ao segmento motor do membro inferior e do tronco.
Ação: paralisia do membro inferior do lado oposto.
b) os 2/5 médios corresponde ao segmento motor do membro superior.
Ação: paralisia do membro superior do lado oposto.

4
c) os 2/5 inferiores corresponde ao segmento motor do rosto e da linguagem (Área
da linguagem I).
Ação: paralisia facial de origem central do lado oposto.

2. Área Sensorial (Sensitiva)


É paralela a Área motriz, a 1,5 cm da mesma para trás.
a) O 1/5 superior corresponde ao segmento sensitivo do membro inferior e do
tronco.
Ação: dores, inchaços e paralisias do músculo e da região lombar do lado oposto.
Cefaléia occipitais, Dores de garganta e na nuca, zumbidos e vertigens.

b) Os 2/5 médios corresponde ao segmento sensitivo do membro superior.


Ação: dores, inchaços e paralisias membro superior do lado oposto,

c) Os 2/5 inferiores corresponde ao segmento do rosto.


Ação: paralisia do rosto do lado oposto, patologias do côndilo maxilar, odontalgias
e nevralgia do trigêmeo.

3. Área da Corea e dos Tremores.


É paralela a Área motriz (ou motora) a 1,5 cm da mesma para frente.
Ação: Parkinson. Se unilateral aplicar contralateral e se bilaterais, punturar os dois
lados.
4. Área Vasomotora
Paralela a Área da Corea e dos Tremores a 1,5 cm diante da mesma.
Ação: edema dos membros consequência de uma paralisia de origem cerebral;
Anasarca (edema generalizado do tecido subcutâneo) de origem cerebral e hipertensão
Existem dois segmentos:
a) Superior relacionado com edema do membro superior do lado oposto;
b) Inferior relacionado com o membro inferior do lado oposto.
5
5. Área Auditiva (Vestíbulo-Coreana)
Esta Área é uma linha horizontal de 4 cm, situada a 1,5 cm encima da parte superior
da orelha.
Ação: zumbido, vertigens.

6. Área da Linguagem II
Encontra-se a 2 cm debaixo da parte póstero inferior da protuberância parietal, sobre
uma linha de três cm paralela a linha ântero posterior.
Ação: afasia (perda da capacidade) motriz.

7. Área da Linguagem III


De comprimento de 4 cm a partir do centro da Área das vertigens e dos olhos. É
portanto a continuação desta última.
Ação: Afasia sensorial.

8. Área da Psicomotricidade (do uso)


A partir da protuberância parietal, traçar uma linha vertical e duas linhas oblíquas
formando um ângulo de 40 graus. Essas três linhas de três cm cada uma constitui a Área
psicomotriz.
Ação: incapacidade de produzir movimentos coordenados.

6
9. Área Sensório Motora do Pé
Tem 4 cm de comprimento paralela a linha mediana ântero-posterior, a um centímetro
da mesma. O ponto de partida desta linha corresponde a extremidade superior da Área
sensitiva, a um centímetro detrás da mesma.
Ação: Dores, inchaços ou paralisias do membro inferior do lado oposto, lombalgias,
poliúria de origem central (diabetes), enureses, prolapso uterino e paraplegia.

7
8
10. Área da Visão
Na base da protuberância occiptal externa (VG 17), traçar uma linha horizontal de dois
centímetros (ou se, um centímetro de cada lado da linha da protuberância), depois duas
linhas verticais de quatro centímetros de comprimento para o alto. Essas últimas constituem
na Área da visão.
Ação: problemas de visão de origem cortical.

11. Área do Equilíbrio


Sobre a mesma linha horizontal citada acima, a 3,5 cm de cada lado da protuberância,
traçar duas linhas verticais de quatro centímetros orientadas para baixo. Essas últimas são
as Áreas de equilíbrio.
Ação: Problemas de equilíbrio de origem cerebral.

9
10
12. Área do Estômago
Do centro da pupila, ir por uma vertical paralela a linha mediana antero posterior a
partir da raiz dos cabelos de extensão de dois centímetros para o alto.
Ação: dores nas porções superiores do estômago. Se a delimitação da raiz do cabelo
não está nítida o suficiente, partir do ponto acima do YU IAU 6 centímetros para cima, na
metade das sobrancelhas.

13. Área Hepato Biliar (gástrica)


Da Área do estômago conduzir uma linha vertical de dois centímetros para baixo. Essa
linha é a Área em questão.
Ação: Patologias hepato biliares, dores do epigástrico e do hipocôndrio e patologias
hepáticas crônicas.

14. Área do Tórax (cavidade torácica)


Está constituída por uma vertical de quatro centímetros (ou seja, dois centímetros de
uma parte e de outra da linha da raiz do cabelo), situada a metade do caminho entre a Área
do estômago e a linha média antero posterior.
Ação: Dispnéia, tosse e asma, mal estar no peito e taquicardia.

15. Área Genito Urinária


Está constituída por uma linha vertical de dois centímetros para o alto a partir da raiz
do cabelo e simétrica a Área do tórax por relação com a Área do estômago.
Ação: metrorragias funcionais, prolapso uterino (associar com a puntura da Área
sensitivo motora dos pés).

16. Área do Intestino


Prolongamento abaixo da Área genito-urinária de dois centímetros.
Ação: patologia intestinal.

11
17. Área Nasoglosofaringea
Cobre a porção frontal da linha mediana antero posterior de um comprimento de dois
centímetros de uma parte e de outra do limite da raiz dos cabelos.
Ação: patologia do nariz e da garganta e da boca.

18. Área Psico Afetiva


É uma linha paralela a linha mediana antero posterior, e a dois centímetros fora da
mesma. Se pode dizer que está situada entre a Área da vaso motricidade e a Área do tórax.
Ação: problemas mentais,

19. Área das Enfermidades Mentais


Está formada por uma linha mediana posterior, que vai da protuberância occipital a
apófise espinhosa da segunda vértebra cervical.
Ação: problemas mentais.

12