You are on page 1of 8

https://eieiri.jusbrasil.com.

br/artigos/458509004/tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-
salario-familia 1

SALÁRIO FAMÍLIA

1) O QUE É O SALÁRIO- FAMÍLIA?

É um valor pago todo o mês para o trabalhador (inclusive o empregado


doméstico) que possui filho ou enteado menor de 14 anos, desde que enquadre
no limite máximo de renda (remuneração mensal) previsto pelo governo.

Se o filho do empregado for inválido, não há limite de idade para receber o


benefício. Quer isto dizer que se o filho possui mais de 14 anos o trabalhador ainda
assim terá direito a receber o valor devido.

O trabalhador recebe uma quota por dependente. Ou seja, o valor é


proporcional ao número de filhos: quanto mais filhos tiver, maior será a
quantia devida a título de salário família.

2) QUEM TEM DIREITO A RECEBER O SALÁRIO FAMÍLIA?

O empregado (INCLUSIVE O EMPREGADO DOMÉSTICO) que preencher as


seguintes condições:

a) possuir filho ou enteado menor de 14 anos. Se o filho/enteado for inválido,


não há limite de idade.

b) receber remuneração mensal de acordo com os valores da tabela abaixo

PORTANTO:

O empregado que receber, em 2018, remuneração de até R$ 877,67 tem direito


ao salário-família de R$ 45,00 por filho menor de 14 anos.

O empregado que receber, em 2017, remuneração com valor entre R$ 877,68 e


R$ 1.319,18 tem direito a receber salário-família de R$ 31,71 por filho menor de
14 anos.

3) ONDE PEDIR E QUEM PAGA?

O trabalhador (a) deve pedir diretamente ao empregador.

Quem é responsável por pagar o benefício é o empregador (empresa).


https://eieiri.jusbrasil.com.br/artigos/458509004/tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-
salario-familia 2

Se o empregado estiver recebendo auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez,


deve pedir em uma das agências do INSS, que será o responsável pelo pagamento do
salário família nestas hipóteses.

4) QUAIS OS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA PEDIR O SALÁRIO –


FAMÍLIA?
a) Requerimento do salário-família à empresa, feito pelo trabalhador;

b) CTPS;

c) certidão de nascimento do filho/ enteado (documento original e cópia autenticada);

d) comprovante de frequência escolar (para crianças a partir de 7 anos);

e) caderneta de vacinação (para crianças até 7 anos);

f) se o filho for maior de 14 anos, comprovação da invalidez do filho (documento feito


pelo INSS).

5) O EMPREGADO DOMÉSTICO TEM DIREITO AO SALÁRIO-FAMÍLIA?


SIM.
A partir da Lei nº 150/2015, todos os empregados domésticos que preencherem as
condições tem direito a receber o salário família.

A doméstica receberá o valor junto com o seu salário, quantia que deverá vir indicada
no holerite (recibo de pagamento de salário).

O salário-família, nestes casos, é pago pelo patrão. No entanto, o empregador


recebe um reembolso da Previdência social pelos valores pagos ao
empregado doméstico.

Portanto, o patrão apenas repassa ao empregado doméstico o valor do salário família,


sendo que a verdadeira fonte pagadora é o INSS.

6) É POSSÍVEL QUE MÃE E PAI RECEBAM O SALÁRIO FAMÍLIA PELA


MESMA CRIANÇA?
SIM.
Se a mãe e pai de uma criança preencherem todos os requisitos necessários ao
recebimento do salário-família, os dois podem receber o valor de seus
empregadores.

7) É PRECISO CUMPRIR ALGUMA CARÊNCIA PARA RECEBER O


BENEFICIO?
NÃO.
Não é exigido nenhum tempo mínimo de contribuição para a Previdência Social
(INSS) para fazer jus ao salário família.
https://eieiri.jusbrasil.com.br/artigos/458509004/tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-
salario-familia 3

8) QUANDO O BENEFÍCIO É CORTADO?

a) Em caso de morte do filho ou do enteado. O pagamento é cortado no mês


seguinte ao do óbito;

b) Quando o filho/enteado completar 14 anos e não for inválido. O pagamento é


cortado no mês seguinte ao da data do aniversário;

c) Quando o empregado é dispensado (ficar desempregado)

eSocial – Simples Doméstico

Guia DAE – Documento de Arrecadação do eSocial

O eSocial é um projeto do governo federal para unificar o envio de informações pelo


empregador em relação aos seus empregados.

Desde 01/10/2015, está disponível a ferramenta que possibilita o recolhimento unificado dos
tributos e do Fundo de Garantia – FGTS para os empregadores domésticos: Módulo
Empregador Doméstico.

A ferramenta surge para viabilizar a determinação dada pelo texto da Lei Complementar 150,
publicada no dia 02/06/2015, que instituiu o SIMPLES DOMÉSTICO com as seguintes
responsabilidades que são recolhidas em Guia única (DAE – Documento de Arrecadação do
eSocial):

 Imposto sobre a Renda Pessoa Física, se incidente – Trabalhador;

 8% a 11% de contribuição previdenciária – Trabalhador;

 8% de contribuição patronal previdenciária – Empregador;

 0,8% de seguro contra acidentes do trabalho – Empregador;

 8% de FGTS – Empregador;

 3,2% de indenização compensatória (Multa FGTS) – Empregador.

O primeiro pagamento do Simples Doméstico foi referente a competência de Outubro de 2015,


com vencimento em 6 de novembro. O vencimento da Guia única (DAE) é sempre até o dia 07
de cada mês, quando não for dia útil, deve ser antecipado.
https://eieiri.jusbrasil.com.br/artigos/458509004/tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-
salario-familia 4

Exemplo: Um trabalhador doméstico com salário de R$ 900,00 tem 2 filhos, com

4 e 7 anos de idade.

Seu recibo de pagamento de salário conterá os seguintes valores:

R$ 900,00 de salário;

R$ 72,00 de desconto de contribuição previdenciária;

R$ 52,40 de salário-família;

R$ 880,40 de salário líquido (R$ 900,00 – R$ 72,00 + R$ 52,40).

O DAE relativo a esse trabalhador terá os seguintes valores:

R$ 72,00 de FGTS;

R$ 72,00 de contribuição previdenciária patronal;

R$ 28,80 de indenização compensatória de perda de emprego;

R$ 7,20 de SAT;

R$ 72,00 de contribuição previdenciária laboral;

Totalizando R$ 252,00.

Desse total, será abatido o valor de R$ 52,40, totalizando o DAE um valor líquido de
R$ 199,60 (R$ 252,00 – R$ 52,40).
https://eieiri.jusbrasil.com.br/artigos/458509004/tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-
salario-familia 5

https://www.domesticalegal.com.br/13-perguntas-e-respostas-sobre-o-salario-familia-da-domestica/
QUESTÕES

1- Quem possui direito ao Salário-Família?

O Salário-Família é um valor pago ao empregado (inclusive o doméstico) e ao trabalhador


avulso, de acordo com o número de filhos ou equiparados que possua. Filhos maiores de
quatorze anos não têm direito, exceto no caso dos inválidos (para quem não há limite de idade).
O empregado doméstico deve receber remuneração entre R$ 806,81 a R$ 1.212,64 para que
tenha direito ao benefício.

2- O Salário-Família representa custo ao empregador?

Não, apesar do empregador ser o responsável por repassar, em espécie, a cota do benefício junto
ao pagamento do salário, este é um benefício concedido pela Previdência Social. O valor será
estornado para o empregador por meio de desconto na guia DAE ( Documento de Arrecadação
do eSocial) do mesmo mês.

3 – Desde quando o empregado doméstico tem direito ao Salário-


Família?

O benefício foi regulamentado a partir de 01/10/2015 e é um dos direitos sancionados com a Lei
Complementar 150/2015.

4- Qual o valor da cota do Salário-Família por dependente em 2016?

A Partir de 01/01/2016
R$ 806,80 R$ 41,37
(Portaria Interministerial MTPS/MF 1/2016)
R$ 806,81 a R$ 1.212,64 R$ 29,16
A Partir de 01/10/2015 R$ 725,02 R$ 37,18
(Portaria Interministerial MPS/MF 13/2015) R$ 725,03 a R$ 1.089,72 R$ 26,20

5 – Quais São os requisitos para ter direito ao Salário- Família?

 Ser um trabalhador formalizado, ou seja, exercer sua função com a Carteira de Trabalho
Assinada.
https://eieiri.jusbrasil.com.br/artigos/458509004/tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-
salario-familia 6

 Possuir dependentes de até 14 anos de idade ou dependentes inválidos de qualquer


idade.

 Receber remuneração mensal bruta de no máximo R$ 1212,64 (referente a tabela de


Salário-Família 2016)

6 – Pai e Mãe podem receber o Salário-Família relativo a um mesmo


dependente?

Sim, caso a mãe e o pai sejam segurados, ambos podem receber o benefício. Ou seja, se um
casal possui um filho, desde que ambos os responsáveis sejam assegurados pela Previdência
Social, cada um receberá o valor de uma quota do Salário-Família. Isto é válido independente
dos pais trabalharem para empregadores diferentes ou para o mesmo.

7 – Existe carência para o benefício do Salário-Família?

Não, para ter direito basta que o trabalhador tenha realizado uma contribuição para a
Previdência Social.

8 – Um empregado que não tem direito ao Salário-Família pode passar


a ter?

Sim, basicamente em três casos, veja:

 Anualmente a tabela do Salário-Família, com as quotas e limite de salário para


recebimento do benefício, é atualizada pelo Governo Federal. Sendo assim, um
empregado que recebia remuneração mensal superior ao limite estabelecido para o
Salário-Família pode passar a receber o benefício no ano seguinte, caso o limite da faixa
salarial supere a sua remuneração.

Exemplo: Uma empregada doméstica que tem um filho de 8 anos recebia R$ 1.150,00 em 2015.
Neste ano, o teto de remuneração para ter direito ao Salário-Família era de R$1089,72, portanto
ela não tinha direito a receber nenhuma quota. Em 2016, o salário da empregada se manteve
inalterado, mas a atualização da tabela do Salário-Família subiu o teto para o recebimento do
benefício para R$ 1.212,64. Sendo assim, esta empregada passou a ter direito a quota do
Salário-Família.
https://eieiri.jusbrasil.com.br/artigos/458509004/tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-
salario-familia 7

 Outra situação em que o trabalhador doméstico passa a fazer jus ao Salário-Família é


por ocasião do nascimento ou adoção de um filho.

 O empregado passa a fazer jus ao benefício também caso possua um filho já maior de
14 anos que tenha se tornado inválido por ocasião de um acidente ou doença. Neste
caso, o trabalhador terá direito a receber a quota enquanto a condição incapacitante do
seu dependente se mantiver.

9 – Como proceder se por desconhecer o Salário-Família o empregador


não tiver cadastrado o dependente do empregado? Existe pagamento
retroativo?

O empregador, cliente da Doméstica Legal, deverá cadastrar os dependes da empregada no


sistema. É necessário retroagir o pagamento do benefício, a da data em que o trabalhador passou
a fazer jus ao benefício.

10 – Já que o Salário-Família é pago pelo empregador e descontado da


DAE, como fica o ressarcimento dos valores retroativos ao empregador
no caso de não ter repassado o benefício na época correta?

O empregador deverá solicitar o ressarcimento dos valores retroativos pagos por meio de
processo administrativo aberto pelo programa PERD/COMP, da Receita Federal.

11 – Quando o empregador admite uma empregada que é beneficiária


do Salário-Família no decorrer do mês, ela fará jus ao pagamento da
quota integral no mesmo mês?

O valor do Salário-Família será proporcional à quantidade de dias trabalhados no mês e


descontado no pagamento do DAE.

12 – No caso de um empregado demitido no início de um mês, como


ficará o pagamento do Salário-Família na rescisão?

O valor do Salário-Família será proporcional à quantidade de dias trabalhados no mês e


descontado no pagamento do DAE.
https://eieiri.jusbrasil.com.br/artigos/458509004/tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-
salario-familia 8

13 – Como fica o Salário-Família em casos de afastamento, por doença


ou acidente de trabalho?

Nestas ocorrências, o valor do Salário-Família será pago integralmente pelo empregador no mês
em que se iniciou o afastamento e pago pela previdência no mês em que a empregada retornar
do afastamento.

Exceções:

Caso o afastamento ocorra justamente no primeiro dia do mês e o trabalhador fique o mês
inteiro afastado, o valor do Salário-Família deste mês será pago integralmente pela Previdência
Social.

Se o retorno ao trabalho, após um mês de afastamento, acontecer exatamente no primeiro dia do


mês, então o Salário-Família do mês de retorno será pago integralmente pelo empregador e
restituído através de desconto no DAE.