You are on page 1of 4

1) O que é Sociologia?

• A Sociologia como uma ciência da sociedade. (Ruptura com formas filosóficas ou religiosas de
explicação da realidade social)
2) Como pensar sociologicamente?
Agência x Estrutura
Agência: ação socialmente relevante ou socialmente motivada
Estrutura: formas de limitação e constrangimento das ações sociais
A relação entre agência e estrutura podem ser vistas como produtos da opressão e controle social (ex:
intervenção federal):
a) Estrutura > Agência
Ou como uma relação de resistência e criatividade dos grupos e índividuos (ex: movimentos sociais):
b) Agência> Estrutura
É muito importante saber identificar em uma questão assim como na realidade social em que vivemos como
se dão as relações entre agência e estrutura.
Nota:
• Racismo Estrutural (Silvio Almeida) -> Naturalização do racismo e da violência contra a população
negra, o racismo é visto como normal. Neste sentido, é visto como natural ser branco e ser negro passa
a ser visto como uma exceção.
Economia: As mulheres negras são as que recebem menos salários. A maior taxa de tributos no Brasil incide
mais no consumo e no salário, assim as mulheres negras que recebem os menores salários são as que pagam,
proporcionalmente, mais tributos.
Política: O problema da representatividade. Podemos observar que ainda hoje a maior parte dos cargos de
poder são ocupados por pessoas brancas, ainda que mais da metade da população brasileira se declare como
negra.
• Machismo Estrutural: o privilégio masculino é visto como natural, como regra.
As formas de lutar contra uma opressão estrutural é fomentar formas de agência que possam resistir às
estruturas opressivas e criar novos espaços sociais e culturais que acolha, respeite e garanta o direito à
diferença.

3) Durkheim -> Uma sociologia explicativa/ Weber-> Uma sociologia compreensiva/ Marx -> Uma
sociologia crítica

Durkheim: método explicativo similar ao das ciências naturais.


A sociologia como uma “ciência da moral”.
Contexto: A Sociologia como uma ciência moderna (século XIX) (o otimismo científico da época, a herança
do iluminismo, a problematização da modernidade (passagem pré-moderno para moderno), o empréstimo das
ciências naturais, a influência do positivismo.
Questão do autor: Como a ordem é possível? (A divisão social do trabalho)
Agência e Estrutura: A sociedade exerce pressões e constrangimentos em relação ao indivíduo, no entanto é
este constrangimento que garante a própria liberdade individual. Como disse Durkheim: “. Só posso ser livre na
medida em que outrem é impedido de tirar proveito da superioridade física, econômica ou outra de que dispõe
para subjugar minha liberdade, e apenas a regra social pode erguer um obstáculo a esses abusos de poder”
(Durkheim:1999, p. VIII).
Para o autor a ordem social é possível graças às regras sociais que são maneiras de agir obrigatórias “isto
é, que escapa, em certa medida, do arbítrio individual” (ibidem, p. X).
Se a estrutura social constrange e obriga o indivíduo, por que ele deseja participar da sociedade? Para Durkheim
nós desejamos pertencer à coletividade graças a um sentimento moral que partilhamos entre nós uma relação de
mutualidade e interdependência.
1) Estas regras sociais compõe o fenômeno que Durkheim chama de fatos sociais que se caracterizam por
sua a) coercitividade (exerce pressão e constrange os indivíduos socialmente) b)exterioridade (é
exercido desde de fora, da sociedade e introjetada na consciência individual) e c) generalidade (os fatos
sociais são gerais e têm uma existência própria que não depende das consciências individuais, são fatos
comuns a todos os indivíduos em uma determinada sociedade).
2) Formação da estrutura social: a estrutura social, para Durkheim, se forma a partir da densidade social.
Com o aumento da densidade social as formas de solidariedade social mudam e se reorganiza a chamada
divisão do trabalho social, i.e.: o modo como nas sociedades complexas se organizam os indivíduos em
atividades diferentes e especializadas influenciando para a permanência e manutenção da sociedade.
3) Passagem pré-moderno para moderno. Solidariedade mecânica para Solidariedade orgânica
Nas sociedades “pré-modernas”, para Durkheim, a divisão do trabalho social é pouco diferenciada, se
distinguindo apenas em função do gênero ou da idade. A solidariedade mecânica estaria ligada não à
dependência em relação ao trabalho, mas sim por causa da tradição, da religião ou de um sentimento em
coletivo.
Nas sociedades modernas, industriais, haveria a solidariedade orgânica em que a divisão do trabalho social é
diferenciada e complexa em que os indivíduos estão juntos porque fazem coisas diferentes – são
interdependentes. Nessas sociedades, a solidariedade é dada pela grande especialização das funções e a
divisão profissional do trabalho.
4) Em O suicídio Durkheim comparou as taxas de suicídios entre os países da Europa de 1841 a 1872 e
analisou as especificidades dos sucidas, se eram homens ou mulheres, idade, horário, contexto social
(religião, política, especificidade da família). Durkheim constatou que o suicídio longe de ser causado
por algo apenas de âmbito individual é produzido por causas sociais.

74 e 75: B/ 32: D
7