You are on page 1of 29

Sistema

Fotovoltaico II
FORMADORA: ELIANE CARVALHO
EMAIL: elianedecarvalho-@hotmail.com
Sumário
❖ Tecnologia de sistemas solares fotovoltaicos:
➢Sistemas isolados
• Com armazenamento

• Sem armazenamento

➢Sistema Hibrido

❖Equipamentos que constituem um sistema de venda à


rede
Tecnologia de Sistemas Solares
Fotovoltaicos
Os sistemas fotovoltaicos podem ser classificados em três
tipos:
❖Sistemas isolados ou autónomos com e sem
armazenamento;
❖Sistemas híbridos em conjugação com mais uma fonte de
energia para além da fotovoltaica;
❖ Sistemas de ligação à rede.
Sistemas Isolados com
Armazenamento
Nesse tipo de sistema, a energia gerada pelos painéis
fotovoltaicos é direcionada à alimentação dos aparelhos
elétricos da propriedade e armazenada em baterias, são
autónomos porque possibilita ter energia disponível quando
o sistema não está gerando nenhuma energia.
Sistemas Isolados com
Armazenamento
Em geral, o sistema isolado é uma solução para atender a
um propósito específico, como trazer energia a locais
remotos e de difícil acesso, onde o abastecimento
energético padrão não chega ou é deficiente, ou ainda onde
o custo de se conectar à rede seja muito alto. Gerar energia
para postes de iluminação ou bombas d’água são outros
exemplos comuns de seu uso.
Sistemas Isolados Com
Armazenamento
❖ As baterias deverão ter capacidade suficiênte para
alimentar as cargas durante a noite ou durante dias com
baixos valores de radiação.

❖A grande desvantagem destes sistemas para grandes


potências reside na utilização de imensas baterias, o que vai
elevar o custo da instalação e também da própria
manutenção das mesmas.
Sistemas Isolados Com
Armazenamentos
A tensão contínua a utilizar deverá ser escolhida tendo em
conta a potência do sistema.

Tensão num sistema FV em função da potência a instalar.


Sistemas Isolados com
Armazenamento

Sistema FV isolado com armazenamento de 12 V e 24 para cargas DC


Sistemas Isolados Com
Armazenamento

Sistema FV isolado com armazenamento de 24 V e 48 para cargas DC


Sistemas Isolados Sem
Armazenamento
Num sistema autónomo sem armazenamento de energia
com cargas em DC ou AC (corrente contínua e/ou
alternada), os receptores consomem de imediato a energia
produzida pelos módulos fotovoltaicos. Este tipo de
sistemas é muito usual em bombeamento de água.
Sistemas Isolados Sem
Armazenamento
❖ Têm a vantagem de serem mais baratos, pois não utilizam
as baterias para armazenamento de energia.

❖ Como solução em algumas indústrias e edifícios, poderá


ser utilizado um sistema de comutação à rede eléctrica,
caso não exista radiação no momento, que se torna mais
eficaz e que permite uma redução de custos aos
particulares ou empresas.
Sistemas Isolados Sem
Armazenamento

Sistema autónomo sem armazenamento e com sistema de comutação.


Sistemas Ligados à Rede
Os sistemas com ligação à rede elétrica podem ser integrados no
Regime Produtor-Consumidor ou Regime Produtor. Um sistema
de ligação à rede eléctrica permite a venda de energia eléctrica às
companhias distribuidoras de energia (neste caso a ELECTRA).
Toda a energia gerada é enviada diretamente para a rede, não
sendo necessárias as baterias, o que torna o sistema mais simples
e com menos manutenção.
Sistemas Ligados à Rede
Em Cabo Verde a Lei que regue inserção de energia na rede é o
Decreto Lei nº 54/2018.

“Procede à terceira alteração ao Decreto-Lei n.º 1/2011, de 3 de


janeiro, que estabelece as disposições relativas à promoção, ao
incentivo e ao acesso, licenciamento e exploração inerentes ao
exercício da atividade de produção independente e de auto-
produção de energia elétrica, com base em fontes de energia
renováveis”.
Equipamentos que Constituem
um Sistema de Venda à Rede
❖ Módulos FV: São os responsáveis pela captação da
radiação solar e da geração de energia elétrica;

❖ Inversor: Este equipamento tem como função básica a


conexão à rede elétrica mas também transforma a corrente
contínua em corrente alternada, e decide quando deve
injetar na rede a energia produzida;
Equipamentos que Constituem
um Sistema de Venda à Rede
❖ Contador bidirecional: É o equipamento responsável pela
contagem da energia elétrica produzida pelo sistema fotovoltaico
durante o seu período de funcionamento;

❖ Portinhola: Caixa de ligações que permite a interligação dos


cabos do consumidor e do produtor e que contém as respectivas
proteções

❖Elementos de proteção: Protegem a instalação e os


equipamentos em caso de curto-circuitos, descargas atmosféricas
ou sobrecargas.
Inversor de venda à rede
Generalidades
❖ Os inversores utilizados para a conexão à rede elétrica
dispõem de um controlo da tensão da rede, da onda de
saída, do sincronismo entre o sinal gerado com a rede
elétrica e dispositivos de proteção.

❖ Os inversores devem cumprir as normas diretivas


comunitárias de segurança elétrica e compatibilidade
eletromagnética (ambas devem ser certificadas pelo
fabricante).
Inversor de venda à rede
Generalidades
❖ De referir que a injecção na rede pode ser feita em BT ou em
MT, recorrendo a um transformador BT/MT. Também na ligação
de sistemas FV à rede eléctrica, tem de se ter em conta que o
inversor do sistema deve possuir uma característica técnica de
segurança a que chamamos de EES (Electronic Solar Switch).

❖Se faltar a tensão na rede eléctrica, o sistema FV deve ser


desligado automaticamente por acção do EES, evitando assim
que se esteja a injectar energia na rede. Esta característica advém
do facto, referenciado anteriormente, de o inversor trabalhar
com o clock da rede.
Inversor de venda à rede
Generalidades
Normalmente, num sistema fotovoltaico de venda à rede, a
potência de pico nunca é entregue na sua totalidade à rede,
pois existem perdas e os módulos não produzem a sua
potência de pico. De seguida, é apresentado um diagrama
com as perdas que ocorrem num sistema FV de venda à
rede com uma potência pico de 1 kW.
Inversor de venda à rede
Generalidades
Equipamentos que Constituem
um Sistema de Venda à Rede

Diagrama de ligação à rede


Sistemas Híbridos
Os sistemas híbridos consistem na combinação de sistemas
fotovoltaicos com outras fontes de energia que asseguram a carga
das baterias na ausência de sol.

❖ As fontes de energia de auxílio podem ser a diesel, gás ou


mesmo geradores eólicos.

❖ Estes sistemas têm de estar equipados com sistemas de


controlo mais eficiêntes do que os modelos isolados de pequena
dimensão.
Sistemas Híbridos
No caso dos sistemas PV/Diesel, o gerador a diesel deverá
passar a funcionar quando as baterias atingirem o seu nível
mínimo de carga, deixando de funcionar quando atingirem
um nível de carga aceitável. Existem também instalações de
sistemas híbridos a nível doméstico para alimentação de
cargas em corrente alternada e/ou em corrente contínua.
Sistemas Híbridos

Sistema híbrido isolado


Sistemas Híbridos

Diagrama de blocos de um sistema isolado


Proteção

Diagrama de blocos de um sistema de microprodução ligado à rede


Proteção
❖ As proteções mais habituais são contra as sobretensões à saída
do sistema FV, com o uso de descarregadores de sobretensões e
de fusíveis de fileira contra correntes inversas.

❖ Nos sistemas ligados à rede, os inversores que possuírem


transformador de isolamento não necessitam de proteções DST
(Descarregador de Sobretensões), pois já possuem esse tipo de
proteção.
Proteção
❖ Não é necessária a proteção DST antes e depois do inversor.
Caso o inversor não possua esta característica, aí sim, deve-se
utilizar DST antes e depois do inversor, como se pode verificar na
figura anterior.
Fonte CURSO TÉCNICO INSTALADOR
DE ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA
Filipe Alexandre de Sousa Pereira · Manuel
Ângelo Sarmento de Oliveira