You are on page 1of 1

Faculdade Católica de Feira de Santana

Pós-graduação Lato Sensu em Filosofia Contemporânea


Disciplina: Introdução ao pensamento contemporâneo II
Docente: Dr. Diogo Campos da Silva
Avaliação Escrita

Instruções:
a) Escolha apenas uma questão da lista A mais uma questão da lista B para responder.
b) No total as respostas devem preencher no mínimo três páginas.
c) Utilize a letra Times New Roman, tamanho 12, e espaçamento de linha 1,5.
d) O prazo para entrega é dia 26/06, conforme acordado com os discentes presentes no
turno vespertino do dia 16/06.
e) Envie o arquivo com as respostas para o e-mail diucampos@gmail.com até aquela data.

Lista A (A moral kantiana):

A) 1. O imperativo categórico é, segundo Kant, a forma a priori da lei moral e possui, na


obra do autor, diversas formulações. Uma delas é a seguinte: “Devo proceder sempre de
maneira que eu possa querer também que a minha máxima se torne uma lei universal”.
Considerando isso, atente para às situações/ações abaixo, construa a máxima que orienta
o agente em cada uma delas, aplique os passos do procedimento do imperativo
categórico segundo a explicação de John Rawls no texto A primeira formulação do
imperativo categórico de Kant, considere se a máxima passa nos testes de concepção
e vontade e conclua se a máxima é moral ou imoral:
i) Um advogado decide defender um criminoso de cuja culpa ele não tem dúvidas.
Contudo, o advogado crê que todos, mesmo os imorais, têm direito à defesa perante a
justiça do país.
ii) Um advogado decide defender um criminoso de cuja culpa ele não tem dúvidas. Para
inocentá-lo, contudo, ele forja provas falsas da inocência do cliente. O advogado está
vivendo um péssimo momento de sua profissão, sendo ameaçado de desemprego pelo
escritório para o qual trabalha, atolado em dívidas, o que vem prejudicando o bem-estar
de sua família.

A) 2. Caracterize e dê exemplos dos seguintes tipos de ações, os quais Kant descreve na


sua Fundamentação da Metafísica dos Costumes: i) ações contrárias ao dever, ii) ações
conforme ao dever por inclinação imediata ou paixões, iii) ações conforme ao dever por
outros motivos ou interesses egoístas, iv) ações por puro dever. Qual tipo de ações seria
por Kant propriamente moral? Por que inclinações ou paixões não valem para caracterizar
uma boa vontade?

Lista B (As etapas da existência segundo Kierkegaard):

B) 1. Descreva as semelhanças e diferenças entre o esteta imediato e o esteta reflexivo.


Mostre como a vida ética surge no interior da vida estética.

B) 2. Descreva as duas figuras da vida ética. Mostre como a vida religiosa surge no
interior da segunda figura da vida ética.

B) 3. Quais as diferenças entre a religiosidade A e a religiosidade B (o cristianismo)? O


que é necessário para surgir, em um indivíduo, a fé cristã?