You are on page 1of 47

FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE

Daniele Tavares Martins (danitmartins@hotmail.com)


Patricia G Couto (patriciagcouto@usp.br)
Patricia Chakur Brum (pcbrum@usp.br)
FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE

 Primeiros relatos datam de 400 anos AC (Hipócrates).


 Principais atividades conhecidas: yoga, tai chi chuan,
karate, dança e algumas modalidades esportivas.
 Apenas na décadas de 30 e 40 começam a aparecer
estudos importantes, mostrando os benefícios dos níveis
flexibilidade.
FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE

 Na década de 80 o treinamento de flexibilidade começa a


ser preconizado para melhora da qualidade de vida e da
saúde.
 No final da década de 90 exercícios de flexibilidade são
preconizados pela primeira vez no American College of
Sports Medicine.
FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE
 Definição de flexibilidade e alongamento
 Classificação dos tipos de alongamento
 Efeitos do alongamento
 Reflexos musculares e tendinosos
 Vantagens e desvantagens
 Adaptações ao treinamento de flexibilidade
 Amplitude do movimento
 Aumento dos sarcômeros em série
 Alteração das isoformas de titina
 Alterações nos envoltórios conjuntivos
 Diminuição do ângulo de penação
 Adaptações reflexas
FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE
 Definição de flexibilidade e alongamento
 Classificação dos tipos de alongamento
 Reflexos musculares e tendinosos
 Vantagens e desvantagens
 Efeitos do alongamento
 Adaptações ao treinamento de flexibilidade
 Amplitude do movimento
 Aumento dos sarcômeros em série
 Alteração das isoformas de titina
 Alterações nos envoltórios conjuntivos
 Diminuição do ângulo de penação
 Adaptações reflexas
FLEXIBILIDADE
Qualidade física responsável pela execução
movimentos de amplitude máxima, dentro dos limites
morfológicos, dependente tanto da elasticidade
muscular quanto da mobilidade articular.

Amplitude máxima de movimento em


uma ou mais articulações sem
lesiona-las.

(Dantas E, 1999)
FLEXIBILIDADE
Fatores que influenciam a flexibilidade:
 Fatores mecânicos: ossos, cápsula articular, tendões,
ligamentos, músculos, gordura e pele.
 Fatores endógenos: idade, sexo, individualidade
biológica, respiração e concentração.
 Fatores exógenos: temperatura ambiente e hora do dia.

Badaro AF, 2007


ALONGAMENTO
Forma de trabalho que visa obter melhora da
flexibilidade através da viabilização de amplitudes de
arcos de movimento superiores às originais.

Exercícios ou posturas para


treinar a flexibilidade.

(Dantas E, 1999)
FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE
 Definição de flexibilidade e alongamento
 Classificação dos tipos de alongamento
 Reflexos musculares e tendinosos
 Vantagens e desvantagens
 Efeitos do alongamento
 Adaptações ao treinamento de flexibilidade
 Amplitude do movimento
 Aumento dos sarcômeros em série
 Alteração das isoformas de titina
 Alterações nos envoltórios conjuntivos
 Diminuição do ângulo de penação
 Adaptações reflexas
PRINCIPAIS MÉTODOS DE ALONGAMENTO
Classificação segundo o movimento

1. Estático:
• Posturas assumidas e mantidas por determinado
período de tempo, realizado de forma lenta e
controlada:

 Ativo
 Passivo

Esse é o método de alongamento mais eficiente para


desenvolver a flexibilidade relacionado a saúde
PRINCIPAIS MÉTODOS DE ALONGAMENTO
 Estático:

 Ativo:
• Postura é assumida e mantida graças a ação do agonista.

Alongamento voluntário dos músculos


PRINCIPAIS MÉTODOS DE ALONGAMENTO
 Estático:

 Passivo :
• A postura é assumida e mantida graças a ajuda de outra
pessoa, segmento corporal e força gravitacional.

Depende de agentes externos


PRINCIPAIS MÉTODOS DE ALONGAMENTO

Classificação segundo o movimento

2. Dinâmico ou Balístico:
• Movimento vigorosos realizados graças a ação do músculo
agonista, buscando progressivamente grandes amplitudes
articulares.

Esse método é mais utilizado para modalidades esportivas e


outras que requerem este gesto específico (lutas, danças...)

OBS: Em longo prazo estes métodos podem até diminuir a


flexibilidade, devido ao reflexo miotático
PRINCIPAIS MÉTODOS DE ALONGAMENTO
 Dinâmico  Balístico
• Determinado pelo maior alcance • Sequência de movimentos
do movimento voluntário; com insistências na
• Ao alcançar determinada amplitude final do
amplitude de movimento, movimento
retorna-se à posição inicial.
PRINCIPAIS MÉTODOS DE ALONGAMENTO
Classificação segundo o agente que realiza o movimento

3. Método de facilitação neuromuscular proprioceptiva (FNP):


• Utilizam os mecanismos proprioceptivos para aumentar
rapidamente a flexibilidade;
• Envolve um padrão de contração e relaxamento alternados
dos músculos agonistas e antagonistas com finalidade de
inibir o reflexo miotático e ativar o reflexo miotático inverso.
PRINCIPAIS MÉTODOS DE ALONGAMENTO
3. Método de facilitação neuromuscular proprioceptiva (FNP):

• O músculo sofre uma tensão muito grande os órgãos


tendinosos de Goldi mandam mensagem para a medula e
essa retorna relaxando para não sofrer lesão.
FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE
 Definição de flexibilidade e alongamento
 Classificação dos tipos de alongamento
 Reflexos musculares e tendinosos
 Vantagens e desvantagens
 Efeitos do alongamento
 Adaptações ao treinamento de flexibilidade
 Amplitude do movimento
 Aumento dos sarcômeros em série
 Alteração das isoformas de titina
 Alterações nos envoltórios conjuntivos
 Diminuição do ângulo de penação
 Adaptações reflexas
Reflexo Miotático/Estiramento

Fusos neuro-musculares
 Vias aferentes: fibras Ia e II
 Centro Integrador: Medula
 Vias eferentes: motoneurônio  e motoneurônio 
 Resposta desencadeada: contração do agonista e
relaxamento do antagonista
Reflexo Miotático Inverso

Orgãos Tendinosos de Golgi

 Vias aferentes: fibras Ib


 Centro integrador: Medula
 Vias eferentes: motoneurônio 
 Resposta desencadeada: inibição agonista e ativação
do antagonista
Alongamento O músculo é estirado
lenta e voluntariamente
Estático permanecendo por mais
(Passivo/Ativo) de 5 segundos

Amplitude Os fusos
muscular neuromusculares são
alcançada não é a estirados e ativam fibras
maior possivel aferentes Ia e II

O MNα envia comando motor


Aumenta a ao músculo
resistência ao (contração do agonista e
alongamemto
relaxamento do antagonista)

Bagrichevisky M, 2002
Alongamento O músculo é estirado
rapidamente até determinado
Dinâmico e comprimento, retornando em
Balístico seguida ao tamanho original

Elevados níveis de tensão Os fusos


gerados nas fibras não neuromusculares são
ativam fibras Ib (OTG) estirados e ativam fibras
aferentes Ia

Amplitude
Aumenta a O MNα envia comando motor
muscular
resistência ao ao músculo
alcançada não é a
alongamemto
maior possivel

Bagrichevisky M, 2002
O músculo é estirado lenta e
Alongamento passivamente até o comprimento no
FNP qual e mantido por mais de 5s

Aumenta a O MNα envia comando motor


Os FNMs são estirados e
resistência ao (contração do agonista e
ativam fibras aferentes Ia e II
alongamemto relax. do antagonista)

A tensão muscular resulta Comando motor promove


Contração isométrica
na ativação das fibras Ib relaxamento do musculo
contra a força externa
(OTG) agonista

A amplitude de movimento
Novo alongamento com
atingida é maior do que com
ajuda da força externa
outras técnicas

Bagrichevisky M, 2002
FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE
 Definição de flexibilidade e alongamento
 Classificação dos tipos de alongamento
 Reflexos musculares e tendinosos
 Vantagens e desvantagens
 Efeitos do alongamento
 Adaptações ao treinamento de flexibilidade
 Amplitude do movimento
 Aumento dos sarcômeros em série
 Alteração das isoformas de titina
 Alterações nos envoltórios conjuntivos
 Diminuição do ângulo de penação
 Adaptações reflexas
Vantagens Desvantagens

Estático Baixo risco de lesão. Não reflete algumas habilidades


(Passivo e Ativação do reflexo miotático esportivas
Ativo) Melhor efeito na amplitude e atividades da vida diária
muscular
Dinâmico Aumento do aporte sanguíneo, Possibilidade de lesão em
/Balístico importante no aquecimento. amplitudes máxima do
Melhora independência de movimento,
movimento, importante para (não ativa reflexo miotático inverso
algumas modalidades. – OTG).
Pode ser importantes para MUITO CUIDADO, atualmente só
melhorar a performance em recomendado em algumas
alguns esportes. situações especiais!!
FNP Melhora a flexibilidade mais Deve ser feito com ajuda de uma
rapidamente, devido ativação do s pessoa que conheça a técnica para
OTG e reflexo miotático inverso . evitar lesões . Não é indicado para
Utilizado em reabilitação indivíduos com lesões por
(encurtamento) estiramento ou hipermobilidade
FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE
 Definição de flexibilidade e alongamento
 Classificação dos tipos de alongamento
 Reflexos musculares e tendinosos
 Vantagens e desvantagens
 Efeitos do alongamento
 Adaptações ao treinamento de flexibilidade
 Amplitude do movimento
 Aumento dos sarcômeros em série
 Alteração das isoformas de titina
 Alterações nos envoltórios conjuntivos
 Diminuição do ângulo de penação
 Adaptações reflexas
EFEITOS DO ALONGAMENTO

1. Alongamento elástico: O músculo aumenta o comprimento


durante e imediatamente após o exercício, retornando ao
comprimento de repouso;

2. Alongamento plástico: O músculo aumenta o


comprimento e permanece com esse novo comprimento,
isso ocorre devido a dois fatores:
 Aumento do número de sarcomeros em série;
 Ruptura das modalidades de colágeno, estimulando a
formação de novas móleculas via fibroblastos.
EFEITOS DO ALONGAMENTO

ALONGAMENTO ELÁSTICO X ALONGAMENTO PLÁSTICO

A principal diferença entre o efeito elástico e plástico é o


tempo de manutenção das posturas.
FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE
 Definição de flexibilidade e alongamento
 Classificação dos tipos de alongamento
 Reflexos musculares e tendinosos
 Vantagens e desvantagens
 Adaptações ao treinamento de flexibilidade
 Amplitude do movimento
 Aumento dos sarcômeros em série
 Alteração das isoformas de titina
 Alterações nos envoltórios conjuntivos
 Diminuição do ângulo de penação
 Adaptações reflexas
Melhora da Amplitude de Movimento

Análise da amplitude articular do movimento de flexão


do quadril (FQ) * p < 0,05, pré vs pós teste.

91 indivíduos saudáveis:
G1 = 1 repetição de 10 segundos de Flexão de Quadril
G3 = 3 repetições de 10 segundos de Flexão do
Quadril
GC = grupo controle
(Voigt L. et al, 2008)
FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE
 Definição de flexibilidade e alongamento
 Classificação dos tipos de alongamento
 Reflexos musculares e tendinosos
 Vantagens e desvantagens
 Adaptações ao treinamento de flexibilidade
 Amplitude do movimento
 Aumento dos sarcômeros em série
 Alteração das isoformas de titina
 Alterações nos envoltórios conjuntivos
 Diminuição do ângulo de penação
 Adaptações reflexas
Aumento dos sarcômeros em série

Efeito de diferentes períodos de alongamento diário (15


min, 30 min, 1h e 2h) no número de sarcômeros em série de
animais imobilizados na posição encurtada.

Aumento no comprimento muscular


(Willians PE, 1990)
Qual mecanismo está envolvido no
aumento dos sarcômeros em série?
Mecanismos de aumento dos
sarcômeros em série

Adição de sarcômeros em série

Deyne P G, 2001
Adição de sarcômeros em série

M. extensor digitorum
lateralis de coelhos

Hipertrofia longitudinal do sarcômero


Zollner et al, 2012
FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE
 Definição de flexibilidade e alongamento
 Classificação dos tipos de alongamento
 Reflexos musculares e tendinosos
 Vantagens e desvantagens
 Adaptações ao treinamento de flexibilidade
 Amplitude do movimento
 Aumento dos sarcômeros em série
 Alteração das isoformas de titina
 Alterações nos envoltórios conjuntivos
 Diminuição do ângulo de penação
 Adaptações reflexas
Titina
 Aproximadamente 10% da massa de miofibrila;
 1µm de comprimento  Estrutura em espiral
 Rica em aminoácidos  Diferentes isoformas

(Tskhovrebova e Trinick J, 2010)


Alterações nas isoformas de titina
Avaliação das isoformas de titina em coelhos adultos:

Diferentes músculos > diferentes isoformas de titina > diferentes


características elásticas dos músculos

 Possivelmente o treinamento de flexibilidade altera a expressão


gênica das isoformas de titina.

Adutor magno Semitendinoso

Wang et al, 1991


FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE
 Definição de flexibilidade e alongamento
 Classificação dos tipos de alongamento
 Reflexos musculares e tendinosos
 Vantagens e desvantagens
 Adaptações ao treinamento de flexibilidade
 Amplitude do movimento
 Aumento dos sarcômeros em série
 Alteração das isoformas de titina
 Alterações nos envoltórios conjuntivos
 Diminuição do ângulo de penação
 Adaptações reflexas
Alterações nos envoltórios conjuntivos

Unidade músculo-tendão
 Tendão
 Fáscia Muscular
 Epimísio
 Perimísio
 Endomísio

Baixa capacidade de distensão


Alta viscosidade
Alterações nos envoltórios conjuntivos

Efeito do alongamento passivo na rigidez dos tecidos conjuntivos do tornozelo

Nakamura M, 2011
Alterações nos envoltórios conjuntivos
Efeito do treinamento de flexibilidade dos flexores plantares

Envelhecimento promove aumento da rigidez e


viscosidade dos tecidos conjuntivos
Kubo et al, 2002
FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE
 Definição de flexibilidade e alongamento
 Classificação dos tipos de alongamento
 Reflexos musculares e tendinosos
 Vantagens e desvantagens
 Adaptações ao treinamento de flexibilidade
 Amplitude do movimento
 Aumento dos sarcômeros em série
 Alteração das isoformas de titina
 Alterações nos envoltórios conjuntivos
 Diminuição do ângulo de penação
 Adaptações reflexas
Diminuição do ângulo de penação

Gastrocnemio lateral de ratos

(Peixinho et al, 2014)


FISIOLOGIA DA FLEXIBILIDADE
 Definição de flexibilidade e alongamento
 Classificação dos tipos de alongamento
 Reflexos musculares e tendinosos
 Vantagens e desvantagens
 Adaptações ao treinamento de flexibilidade
 Amplitude do movimento
 Aumento dos sarcômeros em série
 Alteração das isoformas de titina
 Alterações nos envoltórios conjuntivos
 Diminuição do ângulo de penação
 Adaptações reflexas
Adaptações reflexas
O treinamento de flexibilidade aumenta o limiar de ativação
dos reflexos:

Os fusos neuromusculares serão ativados com maior


amplitude de movimento (maior estiramento
muscular).

Os orgãos tendinosos de golgi serão ativados


com maior tensão gerada.

Aumenta a latência
Para pensar...

 Alongamento aquece?

 Alongamento antes melhora o desempenho ?

 Treinamento de força diminui a flexibilidade?


Obrigada!
pcbrum@usp.br