You are on page 1of 6

Desenvolvimento do Encéfalo

A ectoderma vai passar por um processo de invaginação a fim de formar a gota neural, nesse
processo há diferenciação celular que formará a crista neural e o tubo neural.

O tubo neural se origina da placa neural, uma área espessada do ectoderma


neural na região dorsal, que surge por volta da terceira semana, induzida pela
notocorda e mesoderma paraxial.

A placa neural, muda sua conformação, com elevação das suas bordas
laterais (pregas neurais), passando a se chamar sulco neural (Figuras 1 e 2). As
pregas neurais vão se aproximando e o sulco neural se aprofundando, formando
a goteira neural. Quando as pregas neurais se fundem, forma-se então o tubo
neural.

A formação do tubo neural começa em torno do 22º ao 23º dia, induzido pela
epiderme da região dorsal e pela notocorda. O tubo neural se fecha
primeiramente na região medial do embrião. As extremidades ainda abertas são
denominadas neuroporos.

O neuroporo rostral (abertura anterior) fechará por volta do 25º dia; e a


abertura caudal, o neuroporo caudal, vai se fechar dois dias mais tarde. Antes
do fechamento do neuroporos, a cavidade do tubo neural é preenchida por
líquido amniótico. Com o fechamento dos neuroporos, a cavidade passa então a
ser preenchida por líquido ependimário. O termo líquido cerebroespinhal só é
usado quando surgem os plexos coroides.

Durante a formação do tubo neural, em embriões de cerca de três semanas e


meia, na região de fusão das pregas neurais, células se desprendem da
superfície e migram para as laterais do tubo neural, essas células constituem a
crista neural. A crista neural se forma até no mínimo quatro semanas e meia, no
encéfalo, e durante muito mais tempo na medula espinhal.
Com o desenvolvimento do feto, ocorre a formação de estruturas mais elaboradas e
especializadas. Esse processo chama-se “diferenciação”. O primeiro passo na diferenciação
do encéfalo é o desenvolvimento de três dilatações do tubo neural chamadas vesículas
primárias. Todo o encéfalo deriva dessas três vesículas primárias do tubo neural: o
prosencéfalo, o mesencéfalo e rombencéfalo.
A vesícula mais rostral é o prosencéfalo. O termo “pró” vem do grego e significa “anterior”.
Por isso, essa vesícula é também chamada de encéfalo anterior. Atrás dele, desenvolve-se
outra vesícula, o mesencéfalo, ou encéfalo médio. E mais atrás, na porção caudal, localiza-se
a terceira vesícula primária, o rombencéfalo ou encéfalo posterior, que vai dar origem à
medula espinhal.
Com o subsequente desenvolvimento do embrião, surgem as vesículas secundárias. O
prosencéfalo dá origem a duas vesículas: o telencéfalo e o diencéfalo. O mesencéfalo não se
modifica. Já o rombencéfalo origina o metencéfalo e o mielencéfalo.

Diferenciação do prosencéfalo
O próximo passo no desenvolvimento do encéfalo anterior é o surgimento de vesículas
secundárias em ambos os lados do prosencéfalo: as vesículas ópticas e as vesículas
telencefálicas.
Quando surgem as vesículas secundárias, a parte que não se altera é chamada de diencéfalo,
ou seja, “entre os encéfalos”. As vesículas ópticas vão crescer e dar origem aos nervos ópticos
e a duas retinas no adulto.
Já as duas vesículas telencefálicas, que formam o telencéfalo (ou extremo do encéfalo) vão
dar origem aos dois hemisférios do cérebro.

A) que se constituem de prosencéfalo (F), mesencéfalo (M) e rombencéfalo (H); e as vesículas encefálicas
secundárias (B), compostas por telencéfalo (T), diencéfalo (D), mesencéfalo (M), metencéfalo (Mt) e
mielencéfalo (My). Asterisco, evaginação do telencéfalo; seta, istmo rombencefálico; pontas de seta, teto do
quarto ventrículo; o, pedículo óptico.
Diencéfalo
Com o fechamento do neuroporo rostral, aparecem duas invaginações laterais, de cada lado
do encéfalo anterior, as vesículas ópticas, primórdios das retinas e dos nervos ópticos. Elas
identificam o diencéfalo.

Mesencéfalo
É a parte do encéfalo que sofre as menores modificações durante o desenvolvimento.
Na parte ventral
Metencéfalo (Rombencéfalo)
As paredes do metencéfalo formam o cerebelo e a ponte, enquanto que sua cavidade
forma a parte superior do 4º ventrículo.
Mielencéfalo
As paredes do mielencéfalo formam o bulbo, enquanto que sua cavidade forma a parte
inferior do 4º ventrículo