You are on page 1of 89
(VJ Estratégia CONCURSOS Aula 02 DT Me ee ee CECE R a RR ec Lake) ol par Lom BIE LUE AULA 02: itag6es ao Poder de Tributar (Imunidades) ETS PAGINA Observagées sobre a aula O1 Imunidades 02 Espécies de Imunidades Tributarias 12 Outras Espécies de Imunidades Tributarias 51 Lista das Questdes Comentadas em Aula 60 Gabarito das Quest6es Comentadas em Aula 72 Legislacdo Pertinente 73 Stimulas Abordadas Durante a Aula 75 Principais Jurisprudéncias Abordadas Durante a Aula 77 Resumo da Aula 84 Cen cee) la, amigo (a), tudo bem? Esté pronto para mais uma aula? O assunto a ser tratado hoje é& continuidade do que vimos na aula anterior. Dando prosseguimento ao estudo das limitagdes ao poder de tributar, estudaremos as imunidades tributarias. Fiz 0 maximo possivel para tornar o contetido bastante claro, sem exigir conhecimento prévio de outros temas do Direito Tributario. Quando isso se fizer necessario, fazemos uma breve explicacao do assunto. Caso vocé sinta dificuldade em compreender algum conceito, nado deixe de nos notificar. O objetivo € trazer a vocé uma aula 100% compreensivel! Chega de papo! Vamos comegar? \ ii Prof. Fabio Dutra www.estrategiaconcursos.com.br Pagina 1 de 88 1 - IMUNIDADES © tema que sera tratado nesta aula é de suma importancia para concursos pibblicos. As bancas adoram cobrar imunidades tributérias nas provas de Direito Tributdrio. Desta forma, vamos abordar o assunto no grau de profundidade que ele merece, com 0 intuito de deixd-lo totalmente preparado para qualquer prova sobre 0 assunto. Assim, iniciaremos explicando 0 conceito de imunidade, isencéio e no incidéncia. Posteriormente, sero abordadas as classificacées doutrinarias das imunidades. Por fim, vamos estudar as imunidades em espécie! Vocés ver&o que o assunto é bem tranquilo, embora tenha certa riqueza de jurisprudéncia. Antes de estudarmos as imunidades, gostaria de deixar claro que, embora se trate de uma dispensa constitucional do pagamento de tributos, a imunidade nao exime certo ente das obrigacées acessérias instituidas Nesse sentido, para o STF (RE 250.844), “exigir de entidade imune a manutengao de livros fiscais é consentaneo com 0 gozo da i jade tributaria (...)”. A manuteng&o de livros fiscais € um exemplo de obrigagdo acesséria. A grosso modo, podemos dizer que as obrigagdes acessérias so condutas impostas ao contribuinte, que n&o possuem cardter pecuniério, criando obrigacdes de “fazer” ou “deixar de fazer” algo no interesse da arrecadagao e fiscalizagSo. Nao se preocupe com detalhes por ora, pois isso é tema de outra aula. PALSRE Ainda que em gozo de imunidade tributéria, a pessoa ‘atencao | juridica n&o esté dispensada de cumprir obrigacées acessérias e de se submeter 4 fiscalizacg&o tributdria. Vamos, ent&o, estudar o tema “Imunidades”. 1.1 - Conceito de Imunidade, Isencao e Nao Incidéncia A fim de compreendermos com exatiddo a diferenca entre os conceitos de imunidade, isengéo e nao incidéncia, é necessdrio que entendamos primeiramente o que vem a ser incidéncia tributéria. Quando uma lei institui determinado tributo, ela prevé os elementos essenciais para que seja possivel sua cobranca (hipétese de incidéncia, sujeitos ativo e passivo, base de célculo e aliquota). Prof. Fabio Dutra www.estrategiaconcursos.com.br Pagina 2 de 88