You are on page 1of 11

1.

Reino Animal ou Animalia

O Reino Animalia, também conhecido como Metazoa, engloba organismos multicelulares,


eucariontes e heterotróficos, como os seres humanos uma das principais características do grupo e
que os diferencia de outros seres vivos, como dos vegetais.
Os seres que pertencem ao reino animal são eucariontes e pluricelulares que apresentam
nutrição heterotrófica, ou seja, não são capazes de produzir seu próprio alimento. Eles
possuem capacidade de locomoção apesar de existirem também representantes sésseis (não
se locomovem) e grande parte fazem reprodução sexuada. Além disso, os animais possuem
células que formam tecidos, com exceção dos poríferos, que não possuem tecidos
verdadeiros.
Os animais são classificados em diversos filos em mais de 30 filos, sendo muitos deles animais
invertebrados (aqueles que não possuem vértebras).
Os invertebrados, por sua vez, agrupam o maior número de espécies, com cerca de 95%. Vale
destacar que essa classificação é artificial, sendo utilizada apenas para fins didáticos.
Os animais vertebrados apesar de ser o mais conhecido,representa apenas 5% de todas as
espécies de animais existentes que possuem crânio, vértebras e coluna dorsal pertencem ao Filo
dos Cordados.
O desenvolvimento embrionário determina características importantes para sua classificação,
todos os animais possuem o estágio da blástula no seu desenvolvimento.
Principais grupos de animais
Filos do Reino Animal
O reino animal é dividido em diversos filos. Os principais são: poríferos, cnidários,
platelmintos, nematódeos ou nematelmintos, anelídeos, equinodermos, moluscos, artrópodes
e cordados.
Ainda que existam mais de 30 diferentes filos de animais, costuma-se restringir o estudo desse
grupo à análise de apenas nove. Veja a seguir as principais características desses grupos:
→ Poríferos: Grupo mais primitivo de animais. Trata-se de seres sésseis, com corpo repleto de
poros, que vivem apenas em ambientes aquáticos. Esses animais possuem simetria radial, mas
alguns podem ser assimétricos. Além disso, são seres filtradores cuja digestão ocorre
exclusivamente no interior das células (digestão intracelular). Exemplo: Esponjas.
→ Cnidários: Seus representantes são predominantemente marinhos e destacam-se por
apresentar dois folhetos embrionários (diblásticos) e simetria radial. Nesse grupo, surge uma
cavidade digestiva denominada de cavidade gastrovascular. Entre esses animais, existem ainda
representantes de vida livre e sésseis. Exemplo: Águas-vivas e caravelas.
→ Platelmintos: Conhecido popularmente como vermes chatos, esse grupo, que é triblástico e
acelomado, apresenta simetria bilateral e achatamento dorsoventral do corpo. Exemplo: Planárias e
tênias.
→ Nematódeos: Também conhecidos como vermes, esses animais, diferentemente dos
platelmintos, não possuem corpo achatado, e sim cilíndrico e com as extremidades afiladas.
Apresentam tubo digestório completo. Exemplos: lombrigas e filárias.
→ Moluscos: Possuem corpo mole, e algumas espécies apresentam corpo recoberto por concha
calcária. A maioria dos representantes é marinha, mas existem espécies de água doce e terrestres.
Exemplo: Caramujos, polvos e lesmas.
→ Anelídeos: Sua principal característica é o corpo cilíndrico dividido em anéis (segmentado).
Existem representantes de água doce, salgada e terra úmida. Exemplos: Minhocas e sanguessugas.
→ Artrópodes: Apresentam corpo segmentado com apêndices articulados e revestido por um
exoesqueleto quitinoso. Graças à presença de exoesqueleto, esses animais não crescem
constantemente, mas realizam mudas periódicas. Representam o filo com maior diversidade de
organismos do Reino Animalia. Exemplo: Insetos e crustáceos.
→ Equinodermos: Todos os representantes são marinhos e apresentam características que os
tornam parecidos com os cordados. Exemplo: Estrela-do-mar e ouriços-do-mar.
→ Cordados: Apresentam como característica mais marcante a presença de um bastão flexível e
fibroso denominado de notocorda durante alguma fase do desenvolvimento. Exemplos: Peixes,
anfíbios, répteis, aves e mamíferos.
Animais Vertebrados
Os animais vertebrados são pertencentes ao Filo dos Cordados (Chordata).
A principal característica do grupo é a presença da medula espinhal e coluna vertebral.
Os animais cordados são divididos em 5 classes: peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos.
 Os peixes são animais com o corpo coberto por escamas e respiração branquial (retiram
oxigênio da água). Não controlam a temperatura do corpo (pecilotérmicos). São exemplos de
peixes: o dourado, a arraia e o tubarão.
 Os anfíbios são animais que dependem da água na fase larval (respiração branquial) e
passam por uma metamorfose corporal na vida adulta e adquirem a respiração pulmonar, é o
caso dos sapos, rãs, pererecas e salamandras. Eles são ainda animais pecilotérmicos.
 Os répteis são animais que possuem respiração pulmonar e corpo coberto de escamas ou
carapaça. Podem viver na água ou na terra e são pecilotérmicos. São exemplos as
tartarugas, jacarés e lagartos.
 As aves são animais com o corpo coberto de penas e que possuem respiração pulmonar,
controlam a temperatura do corpo (homeotérmicos). São exemplos de aves: galinha,
avestruz, ema, pinguim, papagaio e beija-flor.
 Os mamíferos apresentam pelos, são homeotérmicos e possuem respiração pulmonar. Uma
das principais características do grupo é o fato das fêmeas alimentarem os filhotes através
das glândulas mamárias. São exemplos de animais mamíferos os seres humanos, gatos,
cachorros e morcegos.

Animais Invertebrados
Os animais invertebrados são representados por inúmeros filos com características bem
diferentes, mas todos são pluricelulares e não possuem parede celular.
Existem oito filos de animais invertebrados, são eles: poríferos, cnidários, platelmintos,
nematelmintos, moluscos, anelídeos, equinodermos e artrópodes.
 Poríferos: Os poríferos são animais primitivos de água doce ou salgada. Eles são
organismos que não possuem órgãos, nem capacidade de locomoção e a reprodução pode
ser sexuada ou assexuada. Exemplos: esponjas.
 Os cnidários: vivem em água doce ou salgada e alguns deles possuem capacidade de
locomoção enquanto outros são sésseis. Uma característica que os torna peculiares é a
presença de um tipo celular específico, os cnidócitos. Alguns exemplos de cnidários são
águas-vivas, os corais, as anêmonas-do-mar, as hidras e as caravelas.
 Os platelmintos: possuem corpo achatado e podem ser de vidas livres ou parasitas. São
exemplos, as tênias, solitárias, esquistossomos e planárias.
 Nematelmintos: Os nematódeos ou nematelmintos possuem o corpo cilíndrico e podem ser
de vida livre ou parasitas de humanos e plantas. São exemplos as lombrigas, oxíuros e
outros vermes.
 Os anelídeos possuem o corpo segmentado, composto por anéis. Eles vivem em habitats
úmidos na terra e nas águas doces ou salgadas. São exemplos: minhocas, poliquetas e
sanguessugas.
 Os equinodermos são animais marinhos com presença de exoesqueleto calcário e sistema
hidrovascular. O corpo deles possui simetria pentarradial, ou seja, com 5 lados iguais. São
exemplos: pepinos-do-mar, estrelas-do-mar e ouriços-do-mar.

 Os moluscos são animais de corpo mole com presença de concha, a qual pode ser interna
(lulas e polvos) ou externa (caramujos, mexilhões). Eles habitam ambientes de água doce ou
salgada e terras úmidas. São exemplos de moluscos, os mexilhões, polvos, lulas,
lesmas, ostras e caramujos.
 Os artrópodes compreendem um filo muito diversificado. Eles são caracterizados pelo corpo
segmentado e presença de exoesqueleto de quitina.
Os principais artrópodes são: Insetos: borboletas, abelhas, baratas, moscas; Aracnídeos:
aranhas, ácaros, escorpiões, carrapato; Miriápodes: centopeia, lacraias, gongolos;
Crustáceos: lagostas, caranguejos, siris, camarões.

2. Célula
O que é célula?
A compreensão do que é uma célula e de que todos os organismos são formados por essa
estrutura foi essencial para o avanço da Biologia.
A célula é a menor unidade dos seres vivos com formas e funções definidas.
Isolada forma todo o ser vivo, no caso dos organismos unicelulares ou junto com outras células,
no caso dos pluricelulares.
A célula tem todo o material necessário para realizar processos vitais, como nutrição, liberação de
energia e reprodução.
O ser humano é constituído de cerca de 100 trilhões de células. De todas elas a maior é o óvulo.
As demais são invisíveis a olho nu.
As células podem ser definidas como as unidades estruturais e funcionais de todos os seres
vivos. Essas estruturas são vivas, carregam a informação genética de um determinado organismo e
são capazes de transmitir essa informação no momento da divisão celular.
De acordo com a Teoria Celular, todos os organismos vivos são formados por células. Em
indivíduos unicelulares, uma única célula constitui todo o corpo do espécime; em seres
multicelulares, são necessárias várias células atuando de modo conjunto para que o corpo seja
formado. O homem é um exemplo de organismo multicelular, e as bactérias são exemplos de seres
unicelulares.
Estrutura das Células
As células que formam o organismo de muitos dos seres vivos apresentam uma membrana
envolvendo seu núcleo, por isso são chamadas de células eucariotas.
A célula eucariota é constituída de membrana plasmática, citoplasma e núcleo.
A célula procariota não possui membrana nuclear nem estruturas membranosas no seu
interior.
Membrana plasmática ou membrana celular - é uma espécie de película que envolve e protege
a célula possui permeabilidade seletiva, ela regula a entrada e a saída de substâncias na célula,
recebe oxigênio e nutrientes e elimina gás carbônico e outras substâncias.
O citoplasma - é a parte da célula que fica entre a membrana celular e o núcleo. É constituído
por um material gelatinoso chamado hialoplasma.
É formado por água, sais minerais, proteínas e açúcares encontram-se várias organelas, que são
estruturas responsáveis por diversas atividades da célula, nutrição e respiração da célula,
armazenamento de substâncias são responsáveis pela manutenção da vida.
O que são as organelas celulares?
As organelas celulares são estruturas que funcionam como pequenos órgãos no interior da
célula. Cada organela realiza uma determinada função e é essencial para o funcionamento
adequado da célula. Existem várias organelas celulares, destacando-se:
Entre as organelas destacam-se:
 Mitocôndrias - é a usina energética das células. Realizam a respiração celular e liberam a
energia de que a célula necessita para as suas atividades;
 Ribossomos - fabricam as proteínas nas células. Organelas fundamentais ao crescimento
a à regeneração celular;
 Retículo endoplasmático - rede de canais e reentrâncias onde circulam proteínas,
gorduras, sais etc;
 Complexo golgiense - formado por pequenas bolsas achatadas. Produz certos
"açúcares", modifica e armazena proteínas e outras substâncias. Também produz os
lisossomos;
 Lisossomos - realizam a digestão dentro da célula;
 Centríolos - pequenas estruturas cilíndricas que participam da divisão da célula;
 Vacúolos - vesículas - pequenas bolsas que armazenam ou transportam enzimas, água
etc.
 Cloroplastos - organelas presentes apenas em células vegetais, responsáveis pela
fotossíntese.
 O núcleo - é a central de comando das atividades celulares. Em geral situa-se no centro
da célula. É envolvido por uma membrana nuclear ou carioteca. No interior do núcleo estão
os cromossomos,que guardam o material genético da célula (DNA).
Os cromossomos ficam mergulhados na cariolinfa ou suco nuclear - material gelatinoso que
preenche o espaço dentro do núcleo.
Quais são as partes básicas de uma célula?
Uma célula é formada por algumas partes básicas que todas as células possuem membrana
plasmática, citoplasma e núcleo. Entretanto, existem células que não possuem essa última
estrutura, aspecto que é, inclusive, uma forma de diferenciar dois tipos de células: os procariontes
e os eucariontes.
As células procariontes são aquelas que não apresentam núcleo celular definido, por isso, o
material genético fica disperso no citoplasma.
As células eucariontes são aquelas em que o material genético está presente em um núcleo
celular envolto por uma dupla membrana. Além dessa diferença crucial, podemos citar ainda que as
células procariontes não possuem proteínas denominadas de histonas ligadas a seu DNA e,
tampouco, organelas citoplasmáticas membranosas.
A membrana plasmática e o citoplasma, diferentemente do núcleo, estão presentes em todos
os tipos celulares.
A membrana plasmática, que é caracterizada por ser uma dupla camada fosfolipídica, é de
extrema importância para a célula, pois controla a passagem de substâncias tanto para dentro
quanto para fora. Em razão dessa propriedade de selecionar o que entra e sai da célula, dizemos
que ela apresenta permeabilidade seletiva.
O citoplasma, por sua vez, é uma região delimitada pela membrana plasmática. Essa região é
constituída por uma matriz, denominada de citosol, que contém substâncias como aminoácidos,
nutrientes energéticos e íons. Imersas nessa matriz estão as organelas celulares, estruturas
responsáveis por controlar as diversas atividades da célula.
3. Corpo Humano
O corpo humano é constituído por diferentes partes, entre elas, a pele, os músculos, os nervos, os
órgãos, os ossos, etc.
Cada parte do corpo humano é formada por inúmeras células que apresentam formas e funções
definidas. Além disso, existem os tecidos, órgãos e sistemas, os quais funcionam de modo
integrado.
Podemos comparar nosso corpo a uma máquina complexa e perfeita com todas as suas partes
funcionando em sincronia.
O corpo humano é formado por vários órgãos e sistemas, que trabalham de maneira conjunta
para garantir o funcionamento perfeito do organismo. Se observamos a nível microscópico, podemos
perceber a presença de milhares e milhares de células, que formam os tecidos, os órgãos e os
sistemas, característica essa que nos permite afirmar que os seres humanos são organismos
pluricelulares.
O corpo humano é dividido em três partes básicas: cabeça, tronco e membros superiores e
inferiores.
A descrição anatômica considera que o corpo deve estar em posição ereta, em pé, com o rosto
voltado para a frente, membros superiores esticados e paralelos ao tronco, com as palmas voltadas
para a frente, os membros inferiores devem ficar unidos. Essa é a chamada posição anatômica.
Níveis de Organização do Corpo Humano
O corpo humano pode ser analisado em diferentes níveis de organização. Podemos estudar as
células, os tecidos, os órgãos ou ainda os vários sistemas. Considerando as células como o primeiro
nível hierárquico de organização, temos:
I. Células As células são estruturas
formadas por três partes básicas a
membrana plasmática, citoplasma e
núcleo.
As células são consideradas as unidades
funcionais e estruturais dos seres vivos. No
nosso corpo, encontramos milhares de
células e, por isso, somos classificados
como organismos pluricelulares,
eucariontes, ou seja, apresentam um núcleo
definido e organelas membranosas.
Cada célula do corpo pode variar quanto a
forma (estrelada, alongada, cilíndrica etc.),
tamanho e ao tempo de vida. As células ósseas, por exemplo, duram vários anos, enquanto as
células da pele se renovam entre 35 e 45 dias.
Cada tipo de célula se desenvolve para desempenhar uma função no organismo. A célula
muscular, por exemplo, é capaz de se contrair. A hemácia transporta oxigênio para todo o corpo. A
célula nervosa é capaz de receber e transmitir estímulos.

II. Tecidos
A vida do ser humano começa com
uma única célula. A partir daí, ela se
divide e origina duas novas células, que
também se dividem e formam mais duas
e assim sucessivamente.
Durante a formação do feto, no útero
materno, as células vão se
desenvolvendo, conforme sua
localização e função no organismo.
Esse processo é chamado de
diferenciação celular.
No corpo humano existem muitos
tipos de células, com diferentes formas
e funções. As células trabalham em
grupo, estão organizadas de maneira
integrada, desempenhando juntas, uma
função determinada.
Esses grupos celulares formam os
tecidos. Os tecidos do corpo humano
podem ser classificados em quatro tipos: Tecido epitelial, Tecido conjuntivo Tecido muscular,
Tecido nervoso.
III. Órgãos
Os tecidos podem estar organizados em
órgãos, que são definidos como
agrupamentos de tecidos que
desempenham algumas funções
específicas. Os órgãos, por sua vez,
podem estar interligados formando
sistemas, que desempenham funções
ainda mais complexas.
Para entender melhor esses níveis,
imaginemos, por exemplo, os
osteoblastos, osteócitos e osteoclastos.
Essas células são do tecido ósseo, o
qual é responsável por formar os ossos,
órgãos que compõem o sistema
esquelético. O sistema esquelético, juntamente a outros sistemas, tais como o digestório,
muscular, cardiovascular e nervoso, formam o corpo humano. O conjunto de tecidos que
desempenham determinada função recebe o nome de órgão. Em geral, um órgão é formado
por diferentes tipos de tecidos.
A pele é o maior órgão do corpo humano.

IV. Principais sistemas do corpo humano

Um conjunto de órgãos que atuam de modo integrado constitui um sistema. Os sistemas do corpo
humano desempenham funções específicas, porém, atuam de modo integrado.
O corpo humano é formado de diversos sistemas: respiratório, circulatório, digestório,
cardiovascular ou circulatório, muscular, nervoso, endócrino, excretor, linfático, reprodutor e
ósseo.
Cada sistema apresenta sua função específica.
 O sistema respiratório, por exemplo, é responsável pela absorção do oxigênio do ar pelo
organismo e da eliminação do gás carbônico retirado das células formado pelo nariz, faringe,
laringe, traqueia, brônquios, bronquíolos e alvéolos, é responsável por garantir a realização
das trocas gasosas.
 Cardiovascular: constituído pelo coração e vasos sanguíneos, garante a circulação do
sangue pelo organismo e, consequentemente, o transporte de oxigênio e nutrientes para
todas as células.
 Digestório: formado pela boca, faringe, esôfago, estômago, intestinos e glândulas anexas, é
responsável por garantir a quebra dos alimentos, transformando-os em partículas menores
que possam ser aproveitadas.
 Endócrino: é formado por todas as glândulas endócrinas do organismo, as quais são
responsáveis pela produção de hormônios, que, por sua vez, atuam na regulação química de
diversas atividades do organismo.
 Esquelético: constituído principalmente pelos ossos, está relacionado com funções como a
proteção de órgãos internos, locomoção, sustentação, armazenamento de cálcio e produção
de células sanguíneas.
 Excretor: também conhecido como sistema urinário, é formado pelos rins, ureteres, bexiga e
uretra e é o responsável pela produção e eliminação da urina.
 Muscular: é formado pelos músculos e está relacionado com a movimentação do nosso
corpo e contração de órgãos.
 Nervoso: é responsável por garantir a percepção de estímulos internos e externos e gerar
respostas a esses estímulos. Graças a esse sistema, somos capazes de memorizar, ter
coordenação, falar, sentir, ver e aprender.
 Reprodutor: é o sistema responsável pela nossa reprodução. O sistema reprodutor feminino
garante a formação dos gametas femininos e a gestação do bebê. O sistema reprodutor
masculino é responsável pela produção e transferência do gameta masculino para a mulher.
 Tegumentar: é formado pela pele, unhas e glândulas e atua em diversas funções, tais como
barreira contra perda de água e entrada de micro-organismos, bem como regulação da
temperatura do corpo.
4. Água
A água é um recurso natural abundante essencial para a existência de vida na Terra. O planeta
Terra é constituído por uma extensa massa de água, correspondendo ao que conhecemos como
hidrosfera compreendendo os oceanos, mares e águas continentais.
Substância formada por um átomo de oxigênio e dois átomos de hidrogênio (H2O), faz parte
da composição do corpo de todos os organismos vivos transporta substâncias, garante a realização
de diversas reações químicas.
Além de estar presente na composição do planeta, a água também compõe parte do nosso corpo,
permitindo-nos pensar que falar de água é falar de sobrevivência. Essa substância é utilizada em
atividades essenciais ao ser humano, como a produção agrícola, e também usada como solvente
universal virtude de sua capacidade de dissolver outros compostos químicos.
A água era considerada um recurso inesgotável. Contudo, desde que foi considerada um símbolo
de riqueza, por ter sido transformada em uma mercadoria, passou também a ser sinônimo de
conflito. O mau uso, o desperdício, sua distribuição, bem como sua ocorrência são responsáveis por
criar conflitos em diversas regiões do mundo. A preocupação com a disponibilidade de água é pauta
frequente nas discussões ambientais e geopolíticas.
É considerado o único planeta que apresenta a água em seus três estados físicos: gasoso,
líquido e sólido. A água mantém-se em constante circulação, passando pelo ambiente físico, pelos
seres vivos e mudando de estado. A circulação da água constitui o chamado ciclo da água é
responsável pela reposição de água doce no mundo e corresponde ao movimento da água entre a
superfície terrestre e a atmosfera. Ao longo da circulação, a água apresenta-se em diferentes
estados físicos.
A energia solar que chega até a superfície
terrestre faz com que a água de oceanos,
mares, lagos, rios, sofram evaporação. O
vapor d'água eleva-se formando nuvens.
Devido às condições climáticas, as nuvens
podem estar carregadas de umidade,
precipitando, então, em forma de chuva, neve
ou granizo. Ao retornar à superfície, parte da
água precipitada pode evaporar antes mesmo
de alcançar o solo; outra parte retorna aos
oceanos, mares e demais cursos d'água; parte
infiltra-se no solo abastecendo os reservatórios
subterrâneos e assim o processo de circulação
é reiniciado.
A água doce disponível no planeta não se apresenta distribuída uniformemente, variando segundo
a presença de ecossistemas nas diferentes regiões. A água doce pode ser encontrada em geleiras,
neves eternas, águas subterrâneas, solos, rios e lagos.
Os países que mais concentram água doce no mundo são Rússia, Brasil, Canadá, Estados
Unidos, Índia, Colômbia, República Democrática do Congo e China, correspondendo a
aproximadamente 60% da água doce existente no planeta.
Água no Brasil é um país abundante em recursos hídricos, representando cerca de 12% do total
mundial. Contudo, sua distribuição não é uniforme no território. Segundo a ANA, a água doce é
distribuída nas regiões brasileiras da seguinte maneira:
 Região Norte: corresponde a 68% dos recursos hídricos;
 Região Centro-Oeste: corresponde a 16% dos recursos hídricos;
 Região Sul: corresponde a 7% dos recursos hídricos;
 Região Sudeste: corresponde a 6% dos recursos hídricos;
 Região Nordeste: corresponde a 3% dos recursos hídricos.
Há um contraste visível entre a distribuição de água no Brasil e a distribuição populacional. A
Região Norte, que detém o maior volume de água doce do país, é a região com menor densidade
demográfica, ou seja, é uma das regiões menos povoadas, contando com apenas 7% da população.
Já a Região Sudeste, a mais povoada do país com cerca de 42,63% da população, conta com
apenas 6% da disponibilidade de recursos hídricos.
No que tange ao desperdício de água, o Brasil, segundo o Ministério do Meio Ambiente,
desperdiça entre 20% a 60% da água destinada ao consumo ao longo da distribuição. Os hábitos
dos brasileiros também não favorecem a economia de água, já que boa parte dessa substância é
desperdiçada seja em uso pessoal ou atividades de limpeza.
Água potável é aquela que pode ser consumida por atender requisitos físicos, químicos e
biológicos que estabeleçam sua qualidade e garanta segurança ao bem-estar do consumidor.
Os principais requisitos para classificar a água como potável é:
 Ser inodora, incolor e ter sabor indefinível, mas que permita distingui-la dos demais líquidos.
 Não pode conter organismos patogênicos, ou seja, que causem doenças.

Utilização da água
A água além de compor boa parte do planeta e do nosso corpo, garantindo a existência de vida,
possui também inúmeras utilidades, estando presente em quase todas as atividades humanas que
permitem o desenvolvimento de uma sociedade.
A atividade que mais consome água no mundo é a agricultura, segundo a Organização das Nações
Unidas para a Alimentação e Agricultura.Quase 70% do consumo de água é voltado ao setor
agrícola. A segunda atividade que mais consome água doce é a indústria, de acordo com o
Ministério do Meio Ambiente, representando cerca de 22% do consumo e depois o abastecimento
doméstico correspondendo a aproximadamente 8% do consumo.
5. Cadeia Alimentar
Cadeia Alimentar são as relações de alimentação existentes entre os seres vivos de um
ecossistema. É o percurso de matéria e energia que se inicia sempre com seres produtores e
termina nos decompositores .em vários níveis tróficos, ou seja: a cada grupo de organismos com
necessidades alimentares semelhantes quanto à fonte principal de alimento
A energia do Sol, captada pelos seres clorofilados – denominados produtores – é a fonte de
alimentação desses.

 Produtores é fonte de alimento para os


consumidores primários – organismos herbívoros e
que, por sua vez, são alimentos (e fonte de energia)
para outros consumidores.
Esses organismos serão consumidos pelos seres
detritívoros e/ou decompositores – como urubus e
bactérias, respectivamente. E, desta forma, um
organismo é fonte de matéria e energia a outro
organismo, ao servir de alimento a ele.
São todos os seres autotróficos clorofilados,
presentes em todas as cadeias alimentares. Eles que transformam a energia luminosa em energia
química, sendo assim, o único processo de entrada de energia em um ecossistema.
Eles representam o primeiro nível trófico da cadeia alimentar e não precisam se alimentar de
outros organismos. São exemplos de produtores as plantas e o fitoplâncton.
 Consumidores: são os seres heterótrofos, ou seja, não produzem o seu próprio alimento e
por isso necessitam buscar em outros seres a energia para sobreviver.são os que se
alimentam dos produtores (consumidores primários) ou de outros consumidores
(consumidores secundários, terciários, etc.). Nesse nível trófico estão os detritívoros –
animais que se alimentam de restos orgânicos e têm como representantes os urubus,
abutres, hienas, moscas, etc.
Eles dividem-se basicamente em:
 Consumidores primários: Representados pelos herbívoros, alimentam-se dos seres
produtores.
 Consumidores secundários: Representados pelos carnívoros, alimentam-se dos
consumidores primários.
 Consumidores terciários: Representados pelos carnívoros de grande porte e predadores.
Importante lembrar que nesse nível trófico estão os chamados detritívoros, os animais que se
alimentam de restos orgânicos. São exemplos os abutres, minhocas, urubus, moscas, etc.
Os Animais Onívoros também podem ser consumidores primários ou secundários.
 Decompositores: Os seres decompositores são importantes para o ciclo da cadeia alimentar,
reciclam a matéria orgânica, decompondo-a e degradando-a em matéria inorgânica. Esta é
reaproveitada pelos produtores, dando continuidade ao ciclo. São representados por micro-
organismos, tais como fungos e bactérias.

As cadeias alimentares podem ser terrestres ou aquáticas, vamos conhecer exemplos de cada
uma delas:

 Cadeia alimentar terrestre


A cadeia alimentar terrestre pode ser
demostrada pelo seguinte exemplo: figura
Depois de mortos, os restos orgânicos
dos seres servirão de alimento para os
organismos decompositores, que depois
de realizarem o processo chamado de
mineralização (transformação de
substancias orgânicas em inorgânicas),
impulsionam um novo ciclo, sendo que
essas substâncias serão utilizadas pelas
plantas.

 Cadeia alimentar aquática


Podemos representar uma cadeia
alimentar aquática do seguinte modo:
O fitoplâncton é o principal produtor dos
ambientes aquáticos, sendo consumido pelo
zooplâncton. Em uma cadeia alimentar
aquática também existem os decompositores.

 Nível Trófico
Os níveis tróficos representam a ordem em que a energia flui numa determinada cadeia alimentar.
Em cada nível trófico existe um grupo de organismos com as mesmas características alimentares.
Por exemplo, os consumidores primários alimentam-se apenas de vegetais, enquanto que os
consumidores secundários e terciários são carnívoros.
As pirâmides ecológicas representam as interações tróficas entre as espécies em uma
comunidade.