You are on page 1of 9

Summary and critique of “Building Theories from Case Study Research”, Eisenhardt K.

,
Academy of Management Review, 1989, Vol. 14, No. 4, 532-550.

This paper makes two contributions: “A roadmap for building theories from case study research”
and “positioning theory building from case studies into the larger context of social science
research.”

The process Eisenhardt proposes for building theory includes the following steps: 1. Getting
Started, 2. Selecting Cases, 3. Crafting Instruments and Protocol, 4. Entering the Field, 5.
Analyzing Data, 6. Shaping Hypothesis, 7. Enfolding Literature, 8. Reaching Closure. These are
detailed in Table 1 on page 533.

Eisenhardt states, “Finally and most importantly, theory-building research is begun as close as
possible to the ideal of no theory under consideration and no hypotheses to test.” She proposes
overlapping data collection with analysis and changing the data collection as necessary called
“flexible data collection.” She goes on to advocate adding data collection methods during the
study to get as much information as possible. Shaping hypotheses is considered an iterative
process with assessing the framework with the data and modifying the framework until the
construct matches the data well. This is called sharpening the constructs. After the construct is
created qualitative data are used to understand “why or why not the emergent relationships
hold.” Closure is reached when theoretical saturation is reached through the iterative process.

The paper defines three strengths of this technique of building theory from case studies.
1. The likelihood of generating novel theory.
2. The emergent theory is likely to testable and falsifiable.
3. The theory is likely to empirically valid.
Weaknesses mentioned are:
1. The theory may be overly complex from the tendency to try to capture all the data.
2. The resulting theory may be narrow and idiosyncratic and therefore not generalizable.

Critique: The article was well written and very understandable. It provides a opposing view to
those that believe that starting from theory and going to experimentation to attempt to falsify the
hypotheses is the only way to generate theory. As an over-simplification, Eisenhardt proposes to
go gather data and then use that data to formulate a theory. The theory generated in this manner
should be testable by using the methods used to gather the original data. One can only imagine
the debate this article must have created in 1989.
Building Theories from Case Study Research
Summary on article Building Theories from Case Study Research by
Kathleen Eisenhardt

Introduction
The paper introduces different views about case study research and tries clear the confusion
about combining them. To do so it offers a framework with eight steps, that shows how to
conduct the process of building theory from case study research.

The Process
The process is highly iterative and the steps can be moved backward and forward

Getting started
• Create initial research question otherwise you might be overwhelmed by the volume of
data.
• Look for priori constructs to get help in measuring them.
• Start with no theory in mind, since initial theory could blind you.

Selecting cases
• Select appropriate population to draw cases from
• Choose cases for theoretical not statistical reasons
• Random sampling of cases is not preferable

Crafting Instruments and Protocols


• Several data collections methods enable stronger theories
• Combine qualitative and quantitative evidence
• Multiple investigators generate two advantages:
1. The creative potential of study increases
2. Enhances the confidence in the findings

Entering the Field


• Overlap data analysis with data collection to speed analysis and to adjust data collection
• Field notes can be helpful in recording impressions and thought during the study
• Adjustment enable to probe emergent themes and take advantage on special opportunities
• Flexibility is not licence to be unsystematic. Flexibility is controlled opportunism

Analysing Data
• Analysing data is the most import and difficult part in building theories from case study
• Within-case analysis can help to deal with vast amount of data
• Study each case individually before making generalizations between cases to see unique
patterns in each case
• People are poor processors of information, and there is risk of reaching premature or false
conclusion
• Good cross case analysis will help the information processing by forcing the researcher to
see beyond initial impressions.
• Tactics for cross case analysis
1. Categorize the cases and look within-group similarities and differences between
groups
2. Select pairs of cases and then list similarities and differences
3. Divide data by data source e.g. one researches looks the observational data, other
studies the interviews etc.

Shaping Hypotheses
• The main idea is to iterate toward theory that fits the data. This can be done with
following steps
1. Sharpen the constructs
2. Compare hypothesis to cases
3. Cases which match hypothesis enhance confidence.
4. Cases that don’t match give opportunity to refine and extend theory
5. Qualitative data can help understanding why emergent relationships hold or fail. This
helps in creating internal validity

Enfolding literature
• Compare with conflicting literature: A) To increase confident in findings and B) to
pursue the opportunity for more deeper insight to the emergent theory and conflicting
literature
• Compare with similar findings to tie results to phenomena not normally associated with
each other.

Reaching Closure
• When to stop adding cases and when stop iterating between theory and data
1. No perfect number for cases exists. 4-10 cases usually works well
2. Stop iterating when improvements to theory are minimal (what might this mean)

Strengths of theory building from cases


• Increases the likelihood of creating new theory
• Theory is likely to testable through constructs that can easily measured and hypothesis
that can be proven wrong
• Theory is likely to empirically valid

Weaknesses of theory building from cases


• Empirical evidence can lead to extremely complex theory
• Theory may be narrow and strange

Applicability
• Building theories from case studies can be used, when little is known from the subject or
new view to phenomenon is need
Resumo e crítica de "Construção de Teorias Case Study Research", Eisenhardt K., Academy of
Management Review, 1989, vol. 14, No. 4, 532-550.

Este artigo faz duas contribuições: "Um roteiro para a construção de teorias de estudo de caso" e
"construção de teorias de posicionamento de estudos de caso no contexto mais amplo da
pesquisa em ciências sociais."

O processo de Eisenhardt propõe para a construção de teoria inclui as seguintes etapas: 1.


Introdução, 2. Seleção de casos, 3. Trabalhando Instrumentos e protocolos 4. Entrando em
campo 5. Analisando dados no caso 6. Moldando Hipótese 7. Envolvendo Literatura, 8.
Encerramento alcance. Estes são detalhados na Tabela 1 na página 533.

The process Eisenhardt proposes for building theory includes the following steps: 1. Getting
Started, 2. Selecting Cases, 3. Crafting Instruments and Protocol, 4. Entering the Field, 5.
Analyzing Data, 6. Shaping Hypothesis, 7. Enfolding Literature, 8. Reaching Closure. These are
detailed in Table 1 on page 533.

Eisenhardt afirma: "Finalmente e mais importante, a construção de investigação, a teoria é


iniciado o mais próximo possível do ideal de uma teoria em questão e não para testar hipóteses."
Ela propõe a sobreposição de coleta de dados com a análise e mudando a coleta de dados tal
como necessário " coleta de dados flexível. "Ela continua a defender adicionando métodos de
recolha de dados durante o estudo para obter o máximo de informação possível. Shaping
hipóteses é considerado um processo iterativo de avaliar o quadro com os dados e modificar a
estrutura até a construção coincide com os dados bem . Isso é chamado de afiar as construções.
Após a construção é criada dados qualitativos são usados para entender "por que ou por que não
manter as relações emergentes." Closure é alcançada quando a saturação teórica é alcançado
através do processo iterativo.

O documento define três pontos fortes desta técnica de construção de teoria a partir de estudos
de caso.

1. A probabilidade de gerar nova teoria.

2. A teoria emergente é susceptível de testável e falsificável.

3. A teoria é provável que empiricamente válido.

Pontos Fracos mencionados são:

1. A teoria pode ser excessivamente complexo da tendência para tentar capturar todos os dados.

2. A teoria resultante pode ser estreito e idiossincráticos e, portanto, não generalizáveis.


Crítica: O artigo foi bem escrito e muito compreensível. Ele fornece uma visão contrária para
aqueles que acreditam que a partir da teoria e indo para a experimentação de tentar falsificar as
hipóteses é a única forma de gerar teoria. Como um super-simplificação, propõe Eisenhardt ir
para coletar dados e então usar esses dados para formular uma teoria. A teoria gerado desta
forma deve ser testável usando os métodos usados para coletar os dados originais. Podemos
apenas imaginar o debate deste artigo deve ter criado, em 1989.

Construir Teorias da Case Study Research


Resumo do artigo Building Teorias do Estudo de Caso Pesquisa por
Kathleen Eisenhardt

Introdução

O artigo apresenta diferentes visões sobre estudo de caso e tenta limpar a confusão sobre a
combiná-los. Para tanto, oferece um quadro com oito etapas, que mostra como conduzir o
processo de construção da teoria do estudo de caso.

O Processo

O processo é altamente interativo e as etapas podem ser movidas para trás e para frente

Começar

• Crie questão de pesquisa inicial de outra forma você poderia ser dominado pelo volume
de dados.
• Procure priori constrói para obter ajuda na sua medição.
• Comece com uma teoria em mente, desde a teoria inicial pode cegá-lo.

Seleção de casos

• Selecione população oportuno chamar a partir de casos


• Escolha casos de razões teóricas não estatística
• Amostragem aleatória dos casos não é preferível

Crafting instrumentos e protocolos

• Vários métodos de coletas de dados permitem teorias mais fortes


• Combine as evidências quantitativas e qualitativas
• Vários investigadores gerar duas vantagens:

1. O potencial criativo de estudo aumenta


1. Aumenta a confiança nos resultados

Entrando no campo

• Análise de sobreposição de dados com coleta de dados para análise de velocidade e


ajustar a recolha de dados
• notas de campo pode ser útil na gravação de impressões e pensamento durante o estudo
• Ajuste permitir sondar temas emergentes e aproveitar as oportunidades especiais
• Flexibilidade não é licença para ser assistemática. Flexibilidade é controlada
oportunismo

Análise de Dados

• A análise dos dados é o mais difícil de importação e parte na construção de teorias de


estudo de caso
• No caso de análise pode ajudar a lidar com grande quantidade de dados
• Estudo de cada caso individual antes de fazer generalizações entre os casos para ver um
padrão único em cada caso
• Pessoas pobres são processadores de informação, e não há risco de atingir ou falsa
conclusão prematura
• caso a análise cruzada bom ajudar o processamento da informação, obrigando o
pesquisador a enxergar além das impressões iniciais.
• Táticas para o caso de análises de

1. Categorize os casos e olhar-semelhanças e as diferenças dentro do grupo entre os


grupos

1. Selecione pares de casos e, em seguida, lista de semelhanças e diferenças


2. Dividir dados por fonte de dados por exemplo, uma pesquisa olha os dados
observacionais, estudos de outras entrevistas, etc

Moldando Hipóteses

• A idéia principal é fazer uma iteração para a teoria que se ajusta aos dados. Isso pode ser
feito com os seguintes passos

1. Afie as construções

1. Compare hipótese aos casos


2. Os casos que correspondem hipótese para reforçar a confiança.
3. Casos que não corresponder dar oportunidade de refinar e estender a teoria
4. Os dados qualitativos podem ajudar a entender por que manter relações
emergentes ou não. Isso ajuda na criação de validade interna
literatura envolvendo

• Compare com a literatura em conflito: a) aumentar a confiança nos resultados e B) para


prosseguir a oportunidade para mais uma análise mais profunda à teoria emergente e
conflitantes da literatura
• Compare com os resultados similares para amarrar resultados para fenômenos que não
são normalmente associados com os outros.

Alcançando Encerramento

• Quando parar de adicionar casos e quando parar a iteração entre teoria e dados

1. Nenhum número perfeito para os casos existe. 4-10 casos geralmente funciona
bem

1. Pare quando a iteração melhorias teoria são mínimas (o que poderia significar
essa)

Forças de construção de teoria a partir de casos

• Aumenta a probabilidade de criação de nova teoria


• A teoria é provável que testáveis através construções que podem ser facilmente medidos
e hipótese de que pode ser provado errado
• A teoria é provável que empiricamente válido

Deficiências de construção de teoria a partir de casos

• A evidência empírica pode levar a teoria extremamente complexa


• Teoria pode ser estreita e estranha

Aplicabilidade

• teorias de construção de estudos de caso podem ser usados, quando pouco se sabe da
nova ou para ver fenômeno está sujeito precisa

Sumário e crítica do "Edifício de teorias da pesquisa do estudo de caso", Eisenhardt K.,


academia da Gerência Revisão, 1989, vol. 14, não. 4, 532-550. Este Papel Faz Duas
Contribuições: "Um mapa Rodoviário do Edifício da teorias parágrafo pesquisa do estudo de
caso" e de "posicionar o Edifício da teoria dos estudos de caso sem contexto maior da pesquisa
das ciências sociais." O Processo n º Eisenhardt propor uma teoria do Edifício Incluí seguintes
Etapas como: 1. começado Comec, 2. casos de Selecção, 3. Instrumentos Crafting e Protocolo,
4. Que incorporam o campo, 5. Dados de análise, 6. hipótese Dando forma, 7. literatura
envolvendo, Fechamento 8. de Alcance. Estes São detalhados Na Tabela 1 na Página 533. Os
ESTADOS de Eisenhardt, finalmente "E mais importante ainda, fazer pesquisa, teoria Edifício
São começados Tão Perto Quanto Possível AO considerada ideal de teoria nenhuma e nenhumas
hipóteses de um testar." PROPOR sobrepr o levantamento de Dados com uma análise e Mudar o
levantamento de Dados Flexível chamado do levantamento de Dados Como Necessário ". Sobre
Vai advogar uma MÉTODOS Em adição de fazer levantamento de Dados Durante o estudo n
Comec Tanta Informação Como Possível. Dando uma forma hipóteses É considerado Um
processo iterativo com Avaliação da Estrutura COM OS Dados e Modificar uma Estrutura Até a
Construção combinação OS Bem Dados. IstoÉ É chamado sharpening como construções.
DEPOIS Que um e Construção criada OS DADOS Estão os qualitativos Usados compreender
parágrafo "Porque Ou não relacionamentos PORQUE OS prendem emergentes." O Fechamento
É QUANDO alcangado uma saturação teórica e Com. alcangada o Processo iterativo. O Papel
definir Três Forças Desta técnica de Construir uma teoria dos estudos de caso. 1. A
probabilidade de Gerar uma teoria nova. 2. A E provável uma teoria emergente falsificável EA
testáveis. 3. A teoria e uma provável empírica Valido. Como fraquezas mencionadas São: 1. A
teoria PoDE Acabar-se complexo da Tendência tentar capturar TODOS OS Dados. 2. A teoria
resultante Estreita Ser PoDE e idiossincrásica e conseqüentemente Que nao se generalizar PoDE.
Crítica: O Artigo Escrito e Muito Bem era compreensível. Fornece Uma vista de OPOSIÇÃO
Aquelas Que acreditam Que teoria da Partindo e indo à Experimentação tentar falsificar as
hipóteses É A MANEIRA Única de Gerar uma teoria. UM Como simplificação, Eisenhardt
propor ir Dados de recolhimento e USAR então Esses dados parágrafo formular Uma teoria . A
teoria Gerada Desse modo DEVE Ser testáveis Usando Os métodos Usados parágrafo Recolher
OS ORIGINAIS Dados. Se PoDE Somente imaginário Que Que o debate Este Artigo DEVE ter
Criado em 1989. Teorias do Edifício da pesquisa do estudo de caso em teorias Sumário do
Edifício do Artigo da pesquisa do estudo de caso Por Kathleen Eisenhardt Introdução O Papel
Introduz vistas Diferentes Sobre a pesquisa do estudo de caso e Tenta Claramente uma Confusão
Combinação Sobre uma delas. Para faze-lo assim oferece Uma com Estrutura de Oito Etapas,
essas Mostras Como conduzir o Processo de Construir uma teoria da pesquisa do estudo de caso.
O PROCESSO O PROCESSO É Altamente iterativo e como podem Etapas Ser inversas e
parágrafo Diante movidos Obtenção começado • Crie uma Pergunta inicial da pesquisa de outra
MANEIRA Que VOCÊ Pôde Ser oprimido Pelo volume de Dados. • Procure fazer construções a
priori um parágrafo Comec Ajuda em medi-las. • uma Mente sem COMECE nd teoria, uma
teoria Desde Que o cegar Poderia inicial. Selecionando casos • Selecione uma População
apropriada seleccionar Caixas de ESCOLHA • Argumentos n Razões nao Estatísticas teóricas •
A amostragem aleatória dos casos Crafting Não É preferível Instrumentos e Protocolos •
Diversos MÉTODOS dos levantamentos de Dados permitem UMAs teorias Mais Fortes •
Evidência qualitativa e quantitativa da Liga • Investigador Os Múltiplos Duas geram Vantagens:
1. O potencial de aumentos creativo do 2 estudo. Realça uma Confiança nos resultados
Incorporando o campo • Análise de Dados da sobreposição com o levantamento de Dados
parágrafo apressar uma análise e parágrafo ajustar o levantamento de Dados • As notas do
Campo, podem servi Impressões em Úteis e em pensamento da gravacao Durante o estudo • O
Permite, de ajuste de sondar temas emergentes e de Tomar, uma Oportunidades em Vantagem
Especiais • A Flexibilidade Não É Ser Licença assistemática. A Flexibilidade e oportunismo
controlado Analisando Dados • Analisar Dados e um Importação e maioria de parte teorias em
Difícil fazer Edifício do estudo de caso • uma análise da Caixa-Dentro PoDE ajudar uma Tratar
Uma Vasta QUANTIDADE de Dados • Estude CADA Caso Individualmente Antes de Fazer
generalizações casos Entre n. ver testículos Padrões em CADA ORIGINAIS Caso • Os Povos
Pobres São processadores da Informação, e HÁ UM Risco de alcangar uma prematura
CONCLUSÃO OU falsa • Uma boa análise de caso transversal ajudará o processamento de
informação forçando o Investigador considerar Além das Impressões iniciais. • Táticas Para a
análise de caso 1 transversal. Categorizar casos OS e olhe similaridades e Diferenças grupo
Grupos Entre-em 2. Selecione pares de casos e Aliste então similaridades e Diferenças 3.
Divida Dados Pela Origem de dados por exemplo Uma pesquisa observacional OS DADOS
olhares, outros estudos como entrevistas etc Dando uma forma hipóteses • A idéia principal para
e iterar uma teoria Que Cabe OS DADOS. Com isto PoDE Ser Feito seguintes etapas 1.
Sharpen como construções 2. Comparar um casos EAo hipótese 3. Os casos combinam Que um
realçam uma hipótese Confiança. 4. Os casos combinam Que Não Dão uma Oportunidade de
refinar e echoed uma teoria 5. Os Dados qualitativos podem ajudar um PORQUE OS OU
compreender relacionamentos falham prendem emergentes. ISTO Ajuda em criar uma validez
interna Literatura do enrolamento • Comparar com a literatura de OPOSIÇÃO: A) Para confiável
nsa Aumentar resultados e B) para um cabo LeVar uma Oportunidade Para a introspecção
profunda Mais emergente à teoria e à literatura de OPOSIÇÃO • Compare com OS resultados
similares resultados EAo do Laço EAo fenômenos Não Associados UM normalmente com o
otro. Alcangando o Fechamento • QUANDO Adicionar Parar de casos e QUANDO Parar de
iterar Entre a teoria e OS DADOS 1. NÚMERO softwares antigos Perfeito parágrafo casos
EXISTE. 4-10 Trabalhos geralmente encaixota Bem 2. Pare de iterar QUANDO como
melhorias à São Mínimas teoria (o Que Pôde Este meio) Forças do Edifício da teoria dos casos •
Aumenta uma probabilidade de criar uma nova teoria • A teoria e provável Às construções
Diretas testáveis Que PoDE medido facilmente EA hipótese Que PoDE Ser provada erradamente
• Uma teoria e uma provável Valido fraquezas empírica do Edifício da teoria dos casos • A
Evidência empírica PoDE conduzir à teoria Extremamente complexa • A teoria Estreita Ser
PoDE e estranha Aplicabilidade • Como teorias do Edifício dos estudos de caso podem Ser
usadas, QUANDO Pouco do sujeito sabido OU ESTÁ uma nova vista AO fenômeno É
Necessidade