You are on page 1of 6

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 33

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 33 1

Diná. (Texto: Gn 34:1~31)

1. Introdução.

Um dos mais terríveis eventos históricos foi o genocídio praticado pelos alemães nazistas foi o Holocausto judeu. A partir do século XIX a palavra holocausto passou a designar grandes catástrofes e massacres, até que após a Segunda Guerra Mundial o termo Holocausto (com inicial maiúscula) foi utilizado especificamente para se referir ao extermínio de milhões de pessoas que faziam parte de grupos politicamente indesejados pelo então regime nazista fundado por Adolf Hitler. Havia judeus, militantes comunistas, homossexuais, ciganos, eslavos, deficientes motores, deficientes mentais, prisioneiros de guerra soviéticos, membros da elite intelectual polaca, russa e de outros países do Leste Europeu, além de ativistas políticos, Testemunhas de Jeová, alguns sacerdotes católicos, alguns membros mórmons e sindicalistas, pacientes psiquiátricos e criminosos de delito comum. Cristãos protestantes como o eminente pastor Dietrich Bonhoeffer (morto em 1945) também foram vítimas do nazismo 2 .

Mais tarde, no correr do julgamento dos responsáveis por esse extermínio, o termo foi sendo aos poucos adotado somente para se referir ao massacre dos judeus durante o

regime nazista. Todos esses grupos pereceram lado a lado nos campos de concentração

e de extermínio, de acordo com textos, fotografias e testemunhos de sobreviventes, além

de uma extensa documentação deixada pelos próprios nazistas com o saldo de registros

estatísticos de vários países sob ocupação.

Hoje, já se sabe aproximadamente o número de mortes. Morreram 17 milhões de soviéticos (sendo 9,5 milhões de civis); 6 milhões de judeus; 5,5 milhões de alemães (3 milhões de civis); 4 milhões de poloneses (3 milhões de civis); 2 milhões de chineses; 1,6 milhão de iugoslavos; 1,5 milhão de japoneses; 535.000 franceses (330.000 civis); 450.000 italianos (150.000 civis); 396.000 ingleses e 292.000 soldados norte- americanos.

A Bíblia também nos relata uma história de um genocídio. Tiago 1:15 diz o seguinte:

"Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte". Essa é uma terrível história sobre um pecado grave que foi

chamando um outro, e mais outro, até que uma cidade inteira foi dizimada, naquilo que

é o primeiro grande genocídio que Bíblia nos relata.

Se há algo que costuma ser algo insaciável, um buraco negro mesmo, é o pecado. Dependendo da maneira que lidamos com o pecado, podemos ter vida ou afundarmos no lamaçal da morte, escravidão, desgraça. Mesmo grandes homens de Deus não estão imunes ao poder do pecado, uma vez que nesse pecado fomos concebidos. O pecado pode se transformar em uma máquina mortífera sem freios. Na história de hoje, tudo começou com um ato monstruoso: um estupro.

1 Pregado no MEP dia 14 de novembro de 2010. 2 Disponível em http://pt.wikipedia.org/wiki/Holocausto acessado em 12.11.2010.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 33

2. Exposição do texto. (Gn 34:1~31)

1 Certa vez, Diná, a filha que Lia dera a Jacó, saiu para conhecer 3 as mulheres 4 daquela terra. 2 Siquém, filho de Hamor, o heveu, governador daquela região, viu-a,

agarrou-a e a violentou 5 . 3 Mas o seu coração foi atraído por Diná, filha de Jacó, e ele amou

a moça e falou-lhe com ternura. 4 Por isso Siquém foi dizer a seu pai Hamor: “Consiga-me

aquela moça para que seja minha mulher”.

5 Quando Jacó soube que sua filha Diná tinha sido desonrada, seus filhos estavam no campo, com os rebanhos; por isso esperou calado até que regressassem.

6 Então Hamor, pai de Siquém, foi conversar com Jacó 6 . 7 Quando os filhos de Jacó voltaram do campo e souberam de tudo, ficaram profundamente entristecidos 7 e irados, porque Siquém tinha cometido um ato vergonhoso em 8 Israel, ao deitar-se com a filha de Jacó — coisa que não se faz.

8 Mas Hamor lhes disse: “Meu filho Siquém apaixonou-se pela filha de vocês. Por favor, entreguem-na a ele para que seja sua mulher. 9 Casem-se entre nós; dêem-nos suas filhas e tomem para si as nossas 9 . 10 Estabeleçam-se entre nós. A terra está aberta para vocês: habitem-na, façam comércio 10 nela e adquiram propriedades”.

11 Então Siquém disse ao pai e aos irmãos de Diná: “Concedam-me este favor, e eu lhes darei o que me pedirem. 12 Aumentem quanto quiserem o preço e o presente pela noiva,

e pagarei o que me pedirem. Tão-somente me dêem a moça por mulher”.

13 Os filhos de Jacó, porém, responderam com falsidade a Siquém e a seu pai Hamor, por ter Siquém desonrado Diná, a irmã deles. 14 Disseram: “Não podemos fazer isso; jamais entregaremos nossa irmã a um homem que não seja circuncidado. Seria uma vergonha para nós. 15 Daremos nosso consentimento a vocês com uma condição: que vocês se tornem como nós, circuncidando todos os do sexo masculino. 16 Só então lhes daremos as nossas filhas e poderemos casar-nos com as suas. Nós nos estabeleceremos entre vocês e seremos um só povo. 17 Mas se não aceitarem circuncidar-se, tomaremos nossa irmã 11 e partiremos”. 18 A proposta deles pareceu boa a Hamor e a seu filho Siquém. 19 O jovem, que era o mais respeitado de todos os da casa de seu pai, não demorou em cumprir o que pediram, porque realmente gostava da filha de Jacó.

20 Assim Hamor e seu filho Siquém dirigiram-se à porta da cidade para conversar com os seus concidadãos. E disseram: 21 “Esses homens são de paz. Permitam que eles habitem em nossa terra e façam comércio entre nós; a terra tem bastante lugar para eles. Poderemos casar com as suas filhas, e eles com as nossas. 22 Mas eles só consentirão em viver conosco como um só povo sob a condição de que todos os nossos homens sejam circuncidados, como eles. 23 Lembrem-se de que os seus rebanhos, os seus bens e todos os seus outros animais passarão a ser nossos. Aceitemos então a condição para que se estabeleçam em nosso meio”.

24 Todos os que saíram para reunir-se à porta da cidade concordaram com Hamor e com seu filho Siquém, e todos os homens e meninos da cidade foram circuncidados.

3 Hebraico, "saiu para ver". O verbo ver precedido da preposição B . indica a ideia de que Diná foi àquela cidade ver como eram as mulheres de lá, cf. NET Bible.

4 Hebraico, "filhas".

5 O verbo hn "[ ' no Piel indica, nesse caso, que Siquém humilhou Diná estuprando-a, cf. NET Bible.

6 A tradução da NET Bible acrescenta: "about Dinah", cf. NET Bible.

7 O verbo pode assumir três variações semânticas dependendo do contexto: 1. "ser lesado, prejudicado" (Sl 56:5, Ec 10:9, 1Cr 4:10); 2. "experimentar dor emocional, estar deprimido emocionalmente, estar preocupado" (2Sm 19:2, Is 54:6, Ne 8:10,11); 3."ser insultado, ofendido" aponto de causar ira a outrem (Gn 6:6, 45:5, 1Sm 20:3, 34:1, 1Re 1:6, Is 63:10, Sl 78:40) No caso, a terceira alternativa se encaixa melhor no contexto. Cf, NET Bible.

8 34.7 Ou contra.

9 Essa união resultaria numa relação de aliados pelo casamento

10 34.10 Ou movam-se livremente; também no versículo 21.

11 34.17 Hebraico: filha.

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 33

25 Três dias depois, quando ainda sofriam dores, dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, pegaram suas espadas e atacaram a cidade desprevenida, matando todos os homens. 26 Mataram ao fio da espada Hamor e seu filho Siquém, tiraram Diná da casa de Siquém e partiram. 27 Vieram então os outros filhos de Jacó e, passando pelos corpos, saquearam a cidade onde 12 sua irmã tinha sido desonrada. 28 Apoderaram-se das ovelhas, dos bois e dos jumentos, e de tudo o que havia na cidade e no campo. 29 Levaram as mulheres e as crianças, e saquearam todos os bens e tudo o que havia nas casas.

30 Então Jacó disse a Simeão e a Levi: “Vocês me puseram em grandes apuros 13 , atraindo sobre mim o ódio 14 dos cananeus e dos ferezeus, habitantes desta terra. Somos poucos 15 , e se eles juntarem suas forças e nos atacarem, eu e a minha família seremos destruídos”.

31 Mas eles 16 responderam: “Está certo ele tratar nossa irmã como uma prostituta?”.

1. Já começou errado.

A história começa com Diná, filha de Jacó em Lia. Geralmente, ao menos que a mulher

assuma uma posição, um destaque na história, ela não costuma ser citada nominalmente

no Antigo Testamento. Ela era a única filha de Jacó que um dia resolveu dar uma volta

pela cidade de Siquém para como viviam e eram as mulheres daquele lugar. Parece que

foi uma atitude até muito inocente.

Porém, um grande desastre aconteceu: "Certa vez, Diná, a filha que Lia dera a Jacó, saiu para conhecer as mulheres daquela terra. Siquém, filho de Hamor, o heveu, governador daquela região, viu-a, agarrou-a e a violentou." (vss 1,2).

O filho do governador daquela região tomou Diná à força e a estuprou. O estupro é um

ato de total covardia e uma abominação aos olhos de Deus. É um homem usando-se de sua força para abusar sexualmente de uma mulher para satisfazer seus mais profundos instintos e desejos. Porém, Siquém se apaixonou pela Diná: "Mas o seu coração foi atraído por Diná, filha de Jacó, e ele amou a moça e falou-lhe com ternura" (vr. 3). De tanto ele ter gostado de Diná, pediu a seu pai que intermediasse junto a Jacó o seu casamento com Diná.

A essa altura parece que o amor de Siquém a Diná apagaria o grave erro que ele

cometeu. Mas não é assim. Ainda que dentro de Siquém tenha brotado um sentimento

de afeição real, não podemos nos esquecer de que o que ele fez foi algo totalmente

pecaminoso. Toda a história já começou de maneira errada. Quando começamos com passos errados, o que vem pela frente são apenas reflexos e conseqüências dos nossos

pecados. Começar errado coloca em risco toda a caminhada futura.

2. Revolte-se contra o pecado.

Siquém pode ter pensado que o seu pecado era pequeno, uma vez que só atingiu uma pessoa. Mas o ato de estuprar Diná implicou em desonrar toda a família de Jacó:

12 34.27 Ou porque.

13 Cf. NET Bible, a tradução tradicional é "problema", porém, o verbo indica uma tragédia pessoal ou nacional , sugere ruína completa.

14 34.30 Hebraico: transformando-me em mau cheiro para os do verbo va ;B ' .

15 A NET Bible traduz: "I am few in number". Nesse caso, a primeira pessoa do singular indica que Jacó está se colocando como representante da família inteira.

16 Simeão e Levi.

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 33

"Quando Jacó soube que sua filha Diná tinha sido desonrada, seus filhos estavam no campo, com os rebanhos; por isso esperou calado até que regressassem. Então Hamor, pai de Siquém, foi conversar com Jacó. Quando os filhos de Jacó voltaram do campo e souberam de tudo, ficaram profundamente entristecidos e irados, porque Siquém tinha cometido um ato vergonhoso em Israel, ao deitar-se com a filha de Jacó — coisa que não se faz." (vss. 5~7).

O mais assustador na história é que diante dos fatos, Jacó se mostra apático. São os seus filhos que expressaram a revolta com relação àquela situação. Era de Jacó que esperávamos ter a reação mais violenta contra tudo aquilo, mas parece que ele apaticamente recebeu Hamor e seu filho para uma conversa sobre o casamento com Diná.

Qual deve ser a nossa atitude com relação ao pecado? Como devemos nos comportar diante da injustiça praticada muitas vezes diante de nós? A resposta bíblica é a seguinte:

se revolte contra o pecado. Ser santo não significa que você esteja imune ao pecado, muito pelo contrário, todos nós pecamos, pois o pecado faz parte da nossa natureza carnal. Entretanto, a nossa santidade deve ser expressa no quanto nos posicionamos contra aquilo que Deus considera errado.

Quem nos dá um exemplo prático disso é o próprio Jesus. Aquele que é o Príncipe da paz e sereno como uma ovelha, diante da profanação do templo pelos comerciantes,

demonstrou ira e fúria: "No pátio do templo viu alguns vendendo bois, ovelhas e pombas, e outros assentados diante de mesas, trocando dinheiro. Então ele fez um chicote de cordas e expulsou todos do templo, bem como as ovelhas e os bois; espalhou as moedas dos cambistas e virou as suas mesas. Aos que vendiam pombas disse: “Tirem estas coisas daqui! Parem de fazer da casa de meu Pai um mercado!”. Seus discípulos lembraram-se que está escrito: “O zelo pela tua casa me consumirá” 17 . " (Jo 2:14~17).

Não podemos nos conformar diante do pecado.

3. O convite ao pecado

"Mas Hamor lhes disse: “Meu filho Siquém apaixonou-se pela filha de vocês. Por favor, entreguem-na a ele para que seja sua mulher. Casem-se entre nós; dêem-nos suas filhas e tomem para si as nossas. Estabeleçam-se entre nós. A terra está aberta para vocês:

habitem-na, façam comércio nela e adquiram propriedades”. Então Siquém disse ao pai e aos irmãos de Diná: “Concedam-me este favor, e eu lhes darei o que me pedirem. Aumentem quanto quiserem o preço e o presente pela noiva, e pagarei o que me pedirem. Tão-somente me dêem a moça por mulher”." (vss. 8~12).

Hamor, pai de Siquém, pede a mão de Diná a Jacó fazendo um convite muito tentador:

Deixe que a sua filha case-se com o meu para que nossos dois povos possam ser um só. Deixe que a sua filha case-se com o meu e lhe daremos o quanto de presentes vocês pedirem!

Mas por que esse convite era uma tentação? Porque se misturar com pessoas pagãs, não era o propósito de Deus para aquela hora. Deus havia escolhido a família de Abraão

17 Citando Sl 69.9.

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 33

para ser o seu povo. A mistura com outros povos implicaria também na mistura dos costumes e da religião. Desse modo, da mesma maneira que as famílias se misturavam a adoração a deuses também se misturava. Aquele convite era uma sedução muito perigosa. Todo o pecado nos seduz: "Te darei isso se você fizer aquilo". Também foi esse o teor da tentação que Jesus sofreu no deserto: "“Tudo isto te darei, se te prostrares e me adorares”" (Mt 4:8). Mais tarde, Dt 7 proibiria qualquer relacionamento entre o povo de Israel com os cananeus 18 .

Já que falamos de Holocausto, Dietrich Bonhoeffer (Breslau, 4 de fevereiro de 1906 ~ Berlim, 9 de abril de 1945) foi um teólogo, pastor luterano, membro da resistência anti- nazista alemã e membro fundador da Igreja Confessante, ala da igreja evangélica contrária à política nazista. Enquanto que muitas igrejas protestantes da Alemanha foram fieis ao nazismo, Bonhoeffer envolveu-se na trama da Abwehr para assassinar Hitler. Em março de 1943 foi preso e acabou sendo enforcado, pouco tempo antes do próprio Hitler cometer suicídio. Indagado sobre o por quê planejou a morte de Hitler, ele respondeu: "É melhor fazer um mal do que ser mau". Ainda que hoje, possamos julgar esse pastor dizendo que a atitude dele estava errada em tentar matar Hitler, ele foi um homem que honrou até a morte a convicção clara de que não poderia, como cristão, ficar calado diante de tanta injustiça 19 .

Não aceite o convite ao pecado. Reaja contra ele.

Conclusão: A vingança humana nunca é plena!

"Os filhos de Jacó, porém, responderam com falsidade a Siquém e a seu pai Hamor, por ter Siquém desonrado Diná, a irmã deles. Disseram: “Não podemos fazer isso; jamais entregaremos nossa irmã a um homem que não seja circuncidado. Seria uma vergonha para nós. Daremos nosso consentimento a vocês com uma condição: que vocês se tornem como nós, circuncidando todos os do sexo masculino. Só então lhes daremos as nossas filhas e poderemos casar-nos com as suas. Nós nos estabeleceremos entre vocês e seremos um só povo. Mas se não aceitarem circuncidar-se, tomaremos nossa irmã e partiremos”. A proposta deles pareceu boa a Hamor e a seu filho Siquém. O jovem, que era o mais respeitado de todos os da casa de seu pai, não demorou em cumprir o que pediram, porque realmente gostava da filha de Jacó." (vss. 13~19)

Essa poderia ser uma história de heróis que resgatam a princesa e que tudo termina bem e todos vivem felizes para sempre. Nem a Bíblia e nem a vida são assim. No ímpeto de fazer justiça, os filhos de Jacó deram um passo à frente, fazendo com a cidade exatamente o que Siquém fez com Diná: violentando.

Os irmãos de Diná bolaram um plano genial. Eles queriam justiça diante da desonra que sua irmã foi submetida. Eles não poderiam deixar que incircuncisos fizessem parte da sua família. Por isso, insistiram que todos os siquemitas fossem circuncidados. Parecia uma solução boa, uma vez que a circuncisão era a marca primária para se fazer parte da Aliança de Deus. Mas não foi com esse intuito que os filhos de Jacó fizeram isso. Eles queriam matar todos os homens daquela cidade durante o período em que os siquemitas sofreriam as dores causadas pela circuncisão. Além de quererem se vingar, eles usaram um artifício não muito nobre: um mandamento divino.

18 Westermann diz que a história é um reflexo dessa lei, ou seja, é de redação posterior à Dt 7. 19 Disponível em http://pt.wikipedia.org/wiki/Dietrich_Bonhoeffer. Acessado em 12.11/2010.

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 33

Quantas e quantas vezes nós usamos a palavra de Deus e o nome de Jesus para fazer aquilo que interessa a mim?

A questão foi colocada "em votação" e todos os siquemitas concordaram com o negócio: todos os homens foram circuncidados e a cidade se transformou em um hospital a céu aberto. Todos estavam sofrendo com a dor.

"Todos os que saíram para reunir-se à porta da cidade concordaram com Hamor e com seu filho Siquém, e todos os homens e meninos da cidade foram circuncidados. Três dias depois, quando ainda sofriam dores, dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, pegaram suas espadas e atacaram a cidade desprevenida, matando todos os homens. Mataram ao fio da espada Hamor e seu filho Siquém, tiraram Diná da casa de Siquém e partiram. Vieram então os outros filhos de Jacó e, passando pelos corpos, saquearam a cidade onde sua irmã tinha sido desonrada. Apoderaram-se das ovelhas, dos bois e dos jumentos, e de tudo o que havia na cidade e no campo. Levaram as mulheres e as crianças, e saquearam todos os bens e tudo o que havia nas casas." (vss. 24~29).

No terceiro dia, quando dizem que é o período de maior dor, os irmãos de Diná

atacaram a cidade, mataram todos os homens, saquearam as casas, levaram os animais, tomaram as mulheres e suas crianças como servos. Essa é a "justiça" e a "vingança" que

o homem consegue fazer: pagando o mal com mais maudade.

Diante disse, a preocupação de Jacó estava na sua reputação e não no tamanho da barbaridade que havia sido cometida: "Então Jacó disse a Simeão e a Levi: “Vocês me puseram em grandes apuros, atraindo sobre mim o ódio dos cananeus e dos ferezeus, habitantes desta terra. Somos poucos, e se eles juntarem suas forças e nos atacarem, eu e a minha família seremos destruídos”. Mas eles responderam: “Está certo ele tratar nossa irmã como uma prostituta?”." (vss. 30,31).

Toda vingança humana é falha por que o homem não tem a condição de saber o que é justo. Só Deus pode fazer isso. Se por um lado não podemos ficar como Jacó, apáticos e conformados com o pecado, também não podemos sair querendo fazer justiça com as nossas próprias mãos. Qual é a saída para isso e como devemos então nos comportar diante da injustiça e pecado? Os filhos de Jacó queriam punir a violação de sua irmã violando da mesma forma a cidade inteira. A vingança que nós fazemos e a justiça pelas nossas próprias mãos nunca pode ser justa.

A primeira atitude é denunciar o pecado. Essa é a tarefa de todos aqueles que conhecem

a Deus e Sua palavra. Não podemos ter medo de denunciar o pecado e desmascará-lo.

Mas ao mesmo tempo, devemos deixar com que Deus traga a solução final. Devemos aprender com o que o apóstolo Paulo ensinou "Não retribuam a ninguém mal por mal. Procurem fazer o que é correto aos olhos de todos. Façam todo o possível para viver em paz com todos. Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: “Minha é a vingança; eu retribuirei” 20 , diz o Senhor. Ao contrário:

“Se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber. Fazendo isso, você amontoará brasas vivas sobre a cabeça dele” 21 . Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem." (Rm 12:17~21).

20 Citando Dt 32:35.

21 Citando Pv 25:21,22.