Igreja Batista Peniel Congregação do Novo Horizonte Estudos para a Organização em Igreja Estudo 1 Quando Teria Surgido a Igreja

de Cristo? Não há na Bíblia um texto que mostre a organização da Igreja como nós a conhecemos hoje. Daí a pergunta: quando ela teria surgido? E. G. Robinson diz que em Mateus 18.17 ekklesia (igreja) não é usado no sentido técnico. A igreja é um prolongamento da sinagoga judaica, não obstante seu método e administração sejam diferentes. Houve pouca ou nenhuma organização no início. Cristo mesmo não organizou a igreja. Isto foi feito pelos apóstolos após o Pentecostes. Contudo o germe já existia antes. Três pessoas podem constituir uma Igreja e podem administrar as ordenanças . Quando a Igreja teria sido organizada? Teria sido quando o colégio apostólico estava constituído? Ou quando Cristo convocou os primeiros discípulos? Teria sido no Pentecostes? Fisher destaca três períodos na vida da igreja: 1) O pré-natal: neste a Igreja tem a presença corporal de Cristo; 2) O da infância: quando a Igreja ainda está vivendo como que sob a tutela de Cristo, mas preparando-se para ter uma vida independente; 3) O da maturidade: a Igreja já tem o seu corpo de doutrinas, já possui oficiais e se mostra apta para dirigir-se. A igreja foi edificada com elementos formais e vitais. O batismo, a ceia e a organização visível eram os elementos formais, e a vida regenerada e o culto e esforços sociais eram os elementos vitais. A Origem do Termo Igreja O termo Igreja vem do grego ekklesia, que se referia a uma assembléia do povo regularmente convocada para algum lugar público com o objetivo de deliberar sobre alguma coisa (At 19.32,39,41). Esta palavra foi usada pelos escritores neotestamentários porque expressa a noção de convocação que se enquadra com a finalidade da Igreja de Cristo. Ekklesia significa congregação, assembléia . De fato, se quisermos fazer uma comparação, a Igreja é como uma assembléia convocada para fora do mundo a fim de constituir o Corpo de Cristo. É bem verdade que, após serem chamados para fora (Jo 17.14-16), os membros da Igreja são enviados ao mundo a fim de proclamar as virtudes d Aquele que os chamou (Jo 17.17-18). Nos Evangelhos, só há 3 referências à Igreja (Mt 16.18; 18.17 [2 vezes]). Aparece 114 vezes no Novo Testamento, sendo que 95 vezes é usada como igreja no sentido de um grupo de crentes. E 14 vezes é usada como Igreja no seu sentido universal. A igreja, para efeito de estudo, pode ser definida em termos de Organismo e Organização. Como Organismo, a Igreja é o Corpo místico de Cristo, do qual Ele é a cabeça e os crentes os membros (1 Co 12.12 13). Na qualidade de Organização, a então igreja local , é um grupo de crentes reunidos com o propósito de obedecer aos princípios e preceitos da Palavra de Deus (At 2.41-42; 16.5) e também observar as ordenanças de Cristo (Batismo e Ceia). Definição: A igreja local é a comunidade autônoma de crentes em Cristo unida entre si por laços de fé, amor e amizade e caracterizada pelo ensino da sã doutrina, pela observância das ordenanças de Cristo e pela aplicação da disciplina bíblica. O Reino e as Igrejas O Reino sempre existiu antes da Igreja. O Reino é invisível, e consiste no domínio de Cristo na vida de seus súditos. Mas por ser invisível o reino não deixa de ser espiritual, pessoal e social. 1) A igreja começou com Cristo, o Reino começou muito antes; 2) O Reino inclui todos os filhos de Deus, a Igreja se confina aos crentes n o Cristo histórico; 3) O Reino, hoje, é invisível, a igreja é visível;

26. ou em equipes e campanhas (At 2. Desta maneira encontramos referência à igreja de Antioquia (At 13.1 -41). Esmirna (Ap 2. como sempre existiu uma igreja na casa de Áquila e Priscila (Rm 16.1).12. a Ninfas e à igreja que está em sua casa (Cl 4. que ficava num subúrbio de Corinto (Rm 16. Por meio da Igreja. Deus será eternamente glorificado (Ef 1.6 -7). Elas eram organizadas para funcionarem como agências do Reino de Deus. e à Igreja compete evangelizar o mundo (Mt 28-18-19). A Igreja e Seus Nomes As igrejas receberam nomes de acordo com o lugar em que estavam localizadas.1.17). 14. a igreja é um organismo local. A evangelização começa na localidade onde está a igreja.15).8). ou seja. Deve ser feita pessoalmente. de Jerusalém (At 8. b) O Propósito Final: Neste aspecto a igreja cumpre o propósito eterno de Deus para a História.9). Lc 10. 14.4). ou de dois em dois (Mc 6.1). Escrevendo a Filemom ele faz também referência à igreja que se reúne em sua casa (Fl 2). dinâmica. de Cencréia. seja por meio da Evangelização direta ou da vida de cada membro (1 Pe 2.7. logo depois se estende mais no país e.4) O Reino não tem um caráter orgânico. Paulo envia saudações. escrevendo aos Colossenses. 2. O Propósito da Igreja O propósito da Igreja se divide em dois aspectos: a) Propósito Imediato: Esse aspecto do propósito da Igreja envolve o testemunho que ela deve dar a est e mundo acerca da verdade. A evangelização é objetiva.5).3). 15. 15.6.1.8). a Sua glória. em seguida. A Organização das Igrejas As igrejas eram organizadas segundo os princípios expostos no Novo Testamento. 12. Muitas igrejas foram organizadas em casas particulares. 11. atinge outras partes do mundo (At 1. Próximo Estudo O que é uma Igreja Batista? . de Éfeso (At 20. dentre outras.

Uma igreja é absolutamente livre e independente. 2. Jesus Cristo. santo. não se sujeitando hierarquicamente. não necessitando de intermediários humanos. embora reconheça neles valor. 20. Então.para formular a própria resposta à chamada divina ao evangelho de Cristo. Gl 6. apta para aproximar-se de Deus. Ele é competente. onde se refugiara da perseguição do Rei James I da Inglaterra. A Competência de Cada Alma Crêem os batistas que cada pessoa é competente. Uma igreja batista é completamente competente para dirigir seus próprios atos e ações de acordo com os ensinos de Cristo (At 2. se reúnem. mas nas de outros. com muitos nomes. sob a orientação do Espírito Santo. e procuram estender o Reino de Deus não só em suas vidas. Cremos no Deus Filho Jesus Cristo. O Senhorio de Cristo Os batistas crêem que Jesus Cristo é o Senhor e tem plena autoridade nos céus e na terra.12). 4. Algumas Doutrinas Distintivas dos Batistas 1. Nós não apelamos a qualquer autoridade eclesiástica em matéria de doutrina ou prática.17. ou de qual quer outra forma. Com o nome de Batista existimos desde 1612. de muitas lutas. a Palavra Infalível e Eterna de Deus. At 5. 3. composta de membros regenerados e batizados que. e sustentador de todas as coisas. mas se fundamentam na absoluta autoridade de Cristo. Toda pessoa deve reconciliar-se com Deus mediante o arrependimento de seus pecados e a fé pessoal no Senhor Jesus Cristo. de bom grado aceitaram a Palavra de Deus. 3. justo. Em matéria de fé e prática a igreja se subordina. quando Thomas Helwys de volta da Holanda. A Igreja se Compõe de Membros Convertidos O requisito essencial é a regeneração. organizou com os que voltaram com ele. O Novo Testamento ensina-nos que os membros das primitivas igrejas ouviam as boas novas. pois todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar (At 2. Cristo é o cabeça e seu único chefe supremo. criador. que é o cabeça da Igreja (Fl 2. arrependeram-se dos seus pecados. At 17.5). voluntariamente. mas unicamente fazemos a pergunta escriturística Que diz a Escritura? (Rm 4. às Santas Escrituras (2 Tm 1. sob as leis de Cristo. 2. 4. unicamente. uma igreja em Spitalfields.3).42). foram batizados e se tornaram membros da igreja. Salvador e Senhor de nossas vidas e almas e no Deus Espírito Santo.13. homem (1 Tm 2. .10-11). Esta doutrina condena o batismo infantil. É uma congregação local (Mt 18. mas construindo uma bela história de fé. a crença por procuração. arredores de Londres. Somos o povo da Bíblia. Cremos em Deus Pai. de muitas perseguições.Igreja Batista Peniel Congregação do Novo Horizonte Estudos para a Organização em Igreja Estudo 2 O que é uma Igreja Batista? Introdução Somos um povo que vem de longe. o Consolador que nos guia em tudo quanto Jesus ensinou.18). a nenhuma organização denominacional. para a comunhão com Deus. e se coaduna com a Bíblia que diz: cada um dará conta de si mesmo a Deus (Rm 14. o que é uma Igreja Batista? 1. para crescer na graça e conhecimento de nosso Senhor (2 Pe 3.16.47). etc.41.17 -28). pois a Bíblia diz qu e só há um mediador entre Deus e os homens. A Autoridade e a Suficiência da Palavra de Deus Os batistas aceitam a Bíblia como sua única regra de fé e de prática. 5.11. Os batistas não se fundamentam em credos. de doutrina e de princípios.11).

rejeitado ou meramente tolerado. E muitos são os exemplos escriturísticos sobre a imersão. um memorial de acordo com o que Cristo disse e de acordo com o que se acha em 1 Co 11. Jesus foi batizado em água (Mt 3. a inauguração pública. e que a autoridade civil ou política não tem o direito de traçar normas para a vida religiosa dos cidadãos.36. Os batistas crêem que a fé surge antes do batismo. Absoluta Liberdade Religiosa Os batistas crêem que todos os homens devem ser livres para seguir sua consciência em matéria de religião. 28.4-5). 7. que lhe capacita para levar avante a missão de Cristo (At 1.19). mas apenas ordenanças. 10.nem pelo Estado.8). A observância da Ceia é ocasião de auto-exame. 11. Ao celebrarmos a Ceia estamos nos lembrando do amor e da morte vicária de Cristo no Calvário ao mesmo que podemos renovar-Lhe nosso amor e lealdade. mas a cerimônia focaliza unicamente a presença transformadora do divino Mestre em Espírito. O Batismo é um ato simbólico significando a passagem do crente da vida anterior cheia de pecados.16. mas são coerentes com o que a Bíblia ensina. 9. Próximo Estudo Maneiras e Requisitos para ser Membro de uma Igreja Batista . Esta liberdade é mais que tolerância.35-39). A Igreja é uma Pura Democracia Todos os membros de uma igreja batista têm os mesmos privilégios. A igreja é que julga os seus próprios atos. 1 Jo 2. Não há regeneração ou salvação no ato do batismo propriamente dito. a ceia simboliza a sua continuação. A Imersão é a Forma mais Adequada de Batismo Os batistas não são intransigentes. O Simbolismo das Ordenanças O Batismo e a Ceia não são sacramentos. O batismo simboliza morte e ressurreição (Rm 6.29.12). Rm 8. e não o batismo antes da fé. os mesmos direitos e as mesmas responsabilidades. nem por qu alquer outro grupo religioso é um direito outorgado por Deus. porque a simples tolerância leva a cogitar sobre quem é que tem direito de tolerar a outrem. pois nenhuma força ou circunstância tem poder para separar o crente do amor de Deus em Cristo Jesus (Mt 24. 8.4). Os batistas não crêem que o pão e o vinho sejam literalmente transformados no corpo e sangue de Cristo (transubstanciação).14). reavivamento e ações de graças dos membros da igreja. ato que participam todos os crentes.16). pois estão guardados pelo poder de Deus e sabem em quem tem crido e estão certos de que Ele é poderoso para guardar o seu depósito até o dia final (2 Tm 1. Assim como o batismo simboliza o começo da vida cristã. Mesmo que alguns sejam tentados e caiam no pecado nele não permanecerão. O Batismo é Administrado Só a Crentes O batismo só é administrado àquelas pessoas que nasceram de novo. 6. estando sujeita unicamente a Cristo.38). O eunuco foi batizado em água (At 8. De acordo com a Bíblia só eram batizados os que criam e confessavam os seus pecados (At 8.13. A Ceia do Senhor A Ceia é um ato simbólico. para uma vida nova (Rm 6.25: Fazei isso em memória de mim . Os crentes estão guardados pelo poder de Deus (Jo 3. De mo do algum ela é eucaristia ou sacramento. A igreja é de estrutura congregacional. Perseverança e Preservação Os batistas crêem que os crentes verdadeiros perseverarão. Jo 10. Essa liberdade não é privilégio para ser concedido. considerando o Espírito Santo como guia sempre presente. Estas ordenanças não conferem atos de graça. Além dos exemplos citados temos ainda o argumento do simbolismo.5. Esse simbolismo vê-se melhor na imersão. e utiliza o processo democrático para as decisões de assuntos administrativos.

Ele precisa estar convertido e não somente convencido. a pessoa excluída está plenamente restaurada e que não há nada que a impeça de voltar à comunhão. Do contrário. Entre elas. A mensagem de João e a de Cristo era arrependei-vos (Mt 3. uma determinada igreja reunida em assembléia. de pensar. à sua fé. É recomendável que esses irmãos. para filiar-se à igreja. Carta de Transferência A Carta de Transferência é o método mais comum pelo qual alguém é recebido como membro. realmente. A Carta regula o intercâmbio de membros entre as igrejas. de fato. que será feito publicamente. o documento que algumas vezes é solicitado é a carta de referência. Entre as igrejas da Convenção. Têm apenas duas ordenanças. 1.13 -17). freqüentem uma classe preparatória e. pessoas que conheceram a Cristo em data recente. mudai-vos de mente. façam profissão de fé diante da assembléia e sejam batizados. somente ao final de um período que pode durar meses ou até anos. Na aceitação de um novo membro exige-se unanimidade. A aceitação de alguém mediante pedido de reconciliação deve ser precedida de muito cuidado. b) Requisito Social É preciso que o candidato à membresia ou a membro da igreja se apresente perante esta mostrandose desejoso de ingressar no seu rol. a igreja decidirá sobre sua aceitação ou não. Se houver um voto contrário não será aceito. corre -se o risco de dar oportunidade para . é regenerado pelo poder de Deus. Em seguida. Outras formas de batismo não têm o condão de tornar alguém parte integrante do rol de membros de uma igreja batista. pede à igreja de onde procede o candidato. declarando que o pedido foi deferido. a igreja solicitada. e Aclamação. isto é. 3. precisa preencher o requisito ritual ou formal. este poderá desprezar o seu voto e aceitar o candidato. Se elas podem ser consideradas como ritos. Batismo Os que se tornam membros mediante o batismo são geralmente crentes novos. passando a integrar o rol de membros. Emprega-se esse método quando um crente que faz parte de uma determinada igreja manifesta o desejo de ser membro de outra igreja da mesma denominação. envia a carta requerida. Todo homem é livre para pertencer ou não à igreja.1). de exortar o oponente quanto à sua atitude. como a igreja é livre para aceitar ou rejeitar qualquer candidato ao batismo. antes de serem batizados. 2. precisa submeter-se ao batismo como o foi Jesus (Mt 3. porém. Após o exame. No momento em que essa carta é formalmente lida diante da igreja solicitante reunida em assembléia. é o realizado por imersão. Por Reconciliação Aceita-se por reconciliação quando se verifica que. Se o oponente à aceitação do candidato não tiver razões para impugnar a entrada do candidato a membro da igreja. Transferência. Neste ponto deve-se frisar que o único batismo válido. concernente à sua crença. também após aprovação da assembléia. o candidato passa a integrar o seu rol de membros. não deixando. Reconciliação. sua carta de transferência. c) Requisito Formal Os batistas não são ritualistas.Igreja Batista Peniel Congregação do Novo Horizonte Estudos para a Organização em Igreja Estudo 3 Maneiras e Requisitos para ser Membro de uma Igreja Batista Há 4 maneiras de se tornar membro de uma igreja batista: Batismo. quando o candidato à membresia provém de outra denominação. Três são os requisitos que qualquer pessoa precisa preencher para ingressar numa igreja batista: a) Requisito Espiritual O candidato deve dar provas de que. São as igrejas filiadas à Convenção Batista Brasileira que geralmente adotam essa prática. à luz da Escritura. depois de aprovação em culto administrativo. então o novo convertido.

o nome de um membro da igreja é tirado do rol de maneira imediata. Por transferência Quando um membro de determinada igreja manifesta o desejo de pertencer a outra igreja da mesma denominação. Ocorre principalmente quando o crente recém -chegado já foi corretamente batizado em outra igreja. caso este em que. 2. Por exclusão A exclusão demonstra que a igreja zela pelo seu corpo e tem uma disciplina bíblica. sofrimentos e vergonha para todos. mas a sua carta de transferência se extraviou. quando todas as tentativas de recuperar o ofensor foram infrutíferas. Depois de conhecer por algum tempo o candidato a membro. Essa medida deverá ser registrada em ata. e a partir desse momento a pessoa passa a ser membro da igreja. O interessado dirige o pedido à igreja a que quer pertencer e essa formaliza o pedido à igreja de onde o crente procede. ou ele vem de outra denominação. Por ele. basta que este aprove a concessão da carta em assembléia. Próximo Estudo Forma de Governo e Direitos e Deveres da Igreja e dos Seus Membros . ou quando um membro confessa que nunca foi de fato crente em Cristo. muitas vezes. logo após a aprovação da igreja em assembléia. sem necessidade de realizar nenhuma outra formalidade. Só se aplica nos casos de pecado obstinado. a igreja. o membro interessado na transferência deixa de pertencer ao rol da igreja solicitada. sem deixar elementos que justifiquem a tomada de medidas disciplinares. Para tanto.6). O desligamento de natureza meramente administrativa é um procedimento muito simples. 4. o instrumento pelo qual se realiza essa mudança é a carta de transferência. Só se aplica em ocasiões especialíssimas. ou ainda quando abandona a comunhão com os irmãos por ter-se mudado para local distante e incerto. O recebimento de membros por aclamação é método raro. não há troca de cartas. Por Aclamação É o meio de aceitação de um novo membro pela simples aprovação da assembléia. 3. os quais depressa contaminarão a igreja descuidada (1 Co 5. Se em culto administrativo o pedido for aprovado. É usado quando um membro de determinada igreja local filia -se a outra. Por morte Ao morrer o crente deixa de pertencer à igreja militante aqui na Terra e vai incorporar-se à igreja celestial. Desligamento de Membros 1. de diferente denominação. A exclusão por razões disciplinares é a forma mais dolorosa de desligamento de um membro. Mais detalhes veremos quando estudarmos sobre disciplina. tornando o contato difícil.que pessoas rebeldes. No momento em que a assembléia aprova a concessão da carta. se refugiem atrás de outras paredes trazendo consigo práticas horríveis de pecados. a igreja solicitada emite uma carta à igreja solicitante concedendo a transferência. expulsas de suas igrejas. dando crédito ao testemunho dele de conversão e batismo. aprova sua inclusão em seu rol de membros. causando prejuízos. tristezas. Todo processo de transferência mediante carta deve ser registrado em ata.

42.16). Impulsionado pelo legítimo amor o crente terá uma igreja poderosa (1 Pe 1. 3. uma elite. Formas de Governo Durante os séculos surgiram várias formas de governo de uma igreja.3. 3.10-11.11-12). . ninguém manda. O Tipo Oligárquico Um grupo pequeno.16-17). 1 Ts 3. Lealdade Deve ser leal à igreja e não deixar de cooperar com seus trabalhos (Fp 1. Por isso.6 -7. Aceita como seu chefe supremo o Papa que.9. 2 Co 9. 14.13). Oração Devem os crentes se aplicar à oração intercessória (At 2. com a mesma autoridade dos outros presbíteros no conselho. manobra toda a congregação. não sendo por este proibido. O pastor da igreja é um dos presbíteros. Vejamos cada uma delas: 1. deve ir além do dízimo (1 Co 8. O bispo. Ef 4. Generosidade Deve ser um contribuinte generoso. 2. 1 Ts 5. 4. Em 2 Co 2.12). São os crentes que decidem em assembléias.6-7 temos uma prova de como a igreja executava a sua disciplina. Amor Eis a chave do sucesso da vida do crente e da igreja.27).Igreja Batista Peniel Congregação do Novo Horizonte Estudos para a Organização em Igreja Estudo 4 Forma de Governo e Direitos e Deveres da Igreja e dos Seus Membro s O que a Igreja deve aos Membros 1. Amor Todos devem se amar mutuamente (Jo 15.16). Funções Congregacionais da Igreja A igreja como uma congregação aceita e elimina membros de sua comunhão através do voto.3-5. Com sabedoria. Em suas relações para com Deus a igreja é uma teocracia. Manter os laços da fraternidade e desenvolver os laços da unidade (Rm 12. etc. gerem os negócios. Paulo. Fortalecimento e compreensão Cada crente está sujeito a falhas. 1 Tm 2. desta camos os seguintes: 1. Instrução A igreja foi constituída para ensinar e doutrinar (At 2. Serviço Deve ser laborioso e infatigável. exorta a igreja a perdoar-lhe a ofensa e a restaurá-lo. Rm 12. Auxílio nas doenças e nas dificuldades financeiras. dos perdidos e de si próprio (Tg 5. verificando que o excluído se arrependera. Um teólogo escreveu que nenhuma ordem de bispos diocesanos aparece no Novo Testamento . O Tipo Monárquico Este é o tipo seguido pela Igreja Romana. mas que é resultado natural do desenvolvimento da igreja iniciado no Novo Testamento. 5. 2. O Tipo Episcopal Este é o tipo do governo adotado por várias denominações. Cl 2. que é a mais encontrada na Bíblia. Entretanto. 6. de acordo com este sistema. Esse conselho tem autoridade para dirigir a igreja local. os membros do conselho são também membros de um presbitério que tem autoridade sobre diversas igrejas locais em uma região. Hb 13. O que um Membro deve a Sua Igreja Entre as responsabilidades e deveres do crente para com a sua igreja. 4. O argumento em favor do sistema episcopal na Oe que este se encontre no Novo Testamento.22.19-20. Ninguém é chefe. (At 2. pois está empenhado na realização do maior serviço deste mundo (1 Pe 4. Um arcebispo tem autoridade sobre muitos bispos.17. 18. Em suas relações para com seus membros é uma democracia. 3. 1 Tm 3. 4. mas todas elas carecem de base bíblica.45.1).11-12). O Tipo Presbiteriano Nesse sistema cada igreja local elege presbíteros para um conselho. 1 Pe 3.44.). com seus au xiliares. 2.10-11. Ef 4. À congregação cabe o direito de gerir os seus negócios dentro da pura democracia. Pelo voto da maioria foi excluído um membro da comunhão. 4. Os membros não se pronunciam sobre os assuntos que cabem a todos discutir. 1 Ts 5.18. a igreja deve tratar o irmão com brandura e ajudá-lo a fortalecer-se na fé (At 2.10).42. respeitam a decisão da maioria e aceitam a decisão da igreja como a ação final.18. Oração Deve manter uma vida de oração em favor da igreja. O Tipo Congregacional Os batistas adotam a forma de governo congregacional. é infalível. 5.

Próximo Estudo Disciplina Eclesiástica Bíblica . Não há nenhuma outra corte de apelação.A função legislativa nas igrejas compete só a Cristo. Toda autoridade judicial compete somente a ela. Não é um grupo. Ela é a última. Quando os apóstolos sugeriram aos crentes que escolhessem homens para cuidarem da obra de beneficência. . É ela quem admite e demite membros. pelo voto. quem julga as f altas dos membros e quem reconcilia aqueles que se restauram.2 -5). A igreja é o juiz de seus membros. Seus ensinos estão contidos no Novo Testamento. Quando a igreja toma deliberações congregacionais ela está também exercendo a autoridade executiva.A função executiva é exercida pelo ministro que. É a congregação reunida que vota. eles procederam como lhes foi sugerido e escolheram.À igreja compete a função judicial. É ele o único capaz de legislar para suas igrejas. . com a imposição das mãos.É a igreja que decide. realiza todos os atos oficiais e preside os trabalhos em geral. As Funções de Governo Na igreja existem as três funções: legislativa. executiva e judicial. . decide e julga. os sete homens que ficaram conhecidos como os primeiros diáconos (At 6. investido pela autoridade que a igreja lhe outorgou.

e guarda-te para que não sejas também tentado (Gl 6. b) Ofensas públicas. o afastam mais da igreja. O incestuoso de Corinto não poderia ficar na igreja participando da comunhão. 2 Co 2. meio farisaico. Tipos de Disciplina Disciplina é uma palavra que se origina do latim e significa ação de se instruir. 1. Quando alguém incide em algum erro ou em algu ma falha deve ser corrigido. Paulo exorta-os. estará fadada a receber a mesma repreensão que sofreu a igreja de Laodicéia (Ap 3. 2. instrução e amor. b) a lei da confissão das faltas. Resultado: a vida espiritual cai. O mestre exortou-nos que devíamos amar uns aos outros (Jo 8. O Valor da Disciplina A disciplina visa a manter a Igreja dentro da pureza apostólica. Escrevendo aos Tessalonicenses. A Disciplina Corretiva Todos são sujeitos a falhas. Alguns crentes quando compõem uma comissão para falar com um irmão faltoso. Pecam as igreja que não propiciam esse tipo de disciplina para seus membros.Igreja Batista Peniel Congregação do Novo Horizonte Estudos para a Organização em Igreja Estudo 5 Disciplina Eclesiástica Bíblica 1. 2. dia a dia. c) a lei do perdão. de restaurá-lo.6. . Isso seria uma aberração. Há duas espécies de ofensas: a) Ofensas privadas. E só assim poderia ser mantida a pureza da igreja. se alguém for surpreendido nalguma falta. É que o espírito com que vão tratar com o faltoso é de superioridade e. Sem disciplina ela vai se tornando.24-25) e que perdoássemos aos que nos ofendessem (Lc 17. Paulo expõe esta obrigação nestas palavras: Irmãos. A exclusão tem por objetivo limpar o ambiente eclesiástico e de encaminhar o ofensor à reflexão para o arrependimento.23-24. Se não cuidar. Ao aplicar a disciplina corretiva. vós. 3.15-17. a igreja deve fazê-lo com mansidão e brandura.1).3-5 e em 2 Ts 3.14-22). Os crentes recebem a disciplina formativa através das pregações. Esta disciplina tem a finalidade de formar o caráter e a consciência dos crentes. que devíamos confessar nossas faltas antes de querermos prestar-lhe culto (Mt 5. corrompida. ao invés de ganhá-lo. dos estudos bíblicos. Há uma grande frouxidão. corrigi-o com espírito de brandura. ensinada. Escola Bíblica Dominical. cuidado. Por isso.34). Três são as leis que devem orientar a vida dos discípulos: a) a lei do amor. exortações. 4. As ofensas privadas devem ser tratadas de acordo com o que Jesus disse em Mt 5. A Disciplina Formativa o novo convertido entra para a igreja como uma criança entra para a escola. às vezes. Há muitas igrejas que não exercem disciplina em seus membros. Precisa de tudo: apoio. Nos tempos apostólicos a disciplina eclesiástica era rígida. ensino . Quanto às ofensas públicas o modo de tratá-las se encontra em 1 Co 5. Paulo deu essa recomendação. além de outros (At 5. etc. educada. Uma igreja disciplinada é uma igreja instruída.3-4). 20 do mesmo t exto. Deixar um membro no seio da igreja que cometeu tal ofensa pública seria comprometer o seu caráter.1 -11.2-8). Haja vista os casos de Ananias e Safira e do incestuoso de Corinto. que sois espirituais. A função da disciplina é ensinar. Em muitas igrejas Jesus já está do lado de fora batendo à porta e dizendo o que disse no v. 18.

Evitar darmos causa a Deus para Ele próprio voltar-se contra uma igreja local (Ap 2. Ela é um corpo. o pecador rebelde. O mesmo ocorre com a igreja. .6-8).1-11). form icação.Manter a pureza da igreja e sua adoração (1 Co 5. uma vez que abranda o gosto amargo da medida. o caso deve ser levado à igreja. . .15-17. Alguns não parecem de grande dano e. O membro excluído.9. 2 Ts 3. mas sim a prática obstinada desses pecados ou de qualquer outro pecado. deve ser cortado da nossa esfera de relacionamen to e dos nossos círculos de amizade (Mt 18.7). Rm 16. Como Devem os Crentes Relacionar-se com o Membro Excluído por Razões Disciplinares? O ensino neo-testamentário mostra que a disciplina consiste em abandono e afastamento. deve-se levar mais dois ou três até ele a fim de que o admoestem.5 e 1 Timóteo 1.15 -17).15).17).20). deve ser cortado. Daniel E. Depois de tal ato realizado pela igreja. Se também nessa etapa do processo o arrependimento não ocorrer. 3. É importante frisar que esse tipo de disciplina só se aplica nos casos de pecado obstinado.35. o seja pela disciplina. Um deles é a avareza (Ef 5. .Há muitos pecados que devem ser corrigidos. Em seu livreto Disciplina Bíblica na Igreja . para que todos os irmãos se ponham em busca do pecador impenitente.11. É melhor perdê las que deixar o corpo todo ficar deteriorado. tentando convencê-lo da necessidade do arrependimento. na igreja de Deus. . ou outra razão. Só a postura rebelde.Impedir outros de caírem também em pecado (1 tm 5.17. Esse ato corresponde ao entregar a Satanás de que Paulo fala em 1 Coríntios 5. ninguém na igreja de Deus será excluído por adultério. e se um membro está sendo um perigo para a sua saúde espiritual. bem como a maledicência (Tg 3. causam grande embaraço à obra do Senhor. Nesse texto aprendemos que ao tomarmos conhecimento de pecado na vida de um irmão é necessário admoestá-lo individualmente. espera-se que experimentando as mais terríveis agruras espirituais. é a obstinação a única causa de exclusão. procede-se à exclusão em assembléia. Cl 3.17. criar subterfúgios. Espera-se que. Por isso. que não pôde ser levado ao arrependimento pelas constantes e pacientes admoestações de todos.20. dentre muitos outros. Desse modo. 1 Co 5. quando alguém chega ao extremo de ser excluído por razões disciplinares. além de demonstrar completo desrespeito às orientações bíblicas e às decisões da igreja. Excluir é o caminho. Quando os pecados trazem escândalo e ofensas públicas à moral a igreja não deve fazer rodeios. no entanto. O processo que culmina na aplicação da disciplina cirúrgica é lento. orgulhosa e teimosa levará a igreja a agir dessa forma (1 Co 5. quando todas as tentativas de recuperar o ofensor foram infrutíferas. Se a postura desse irmão não for de arrependimento. todos os irmãos sã o orientados a se afastar dele. . Baseia-se em Mateus 18. O irmão que não segue essa orientação e continua a relacionar-se normalmente com o excluído frustra o propósito da disciplina e torna-se empecilho para a recuperação do ofensor. ele se arrependa e se volte humildemente para Cristo e sua igreja. ao sentir a perda da comunhão com a igreja.6). A Disciplina Cirúrgica os médicos amputam as partes do corpo que o estão prejudicando. Se o trabalho do grupo for infrutífero.14-25).Glorificar a Deus por meio da obediência às Suas instruções (Mt 18. Portanto.5). Aplicando a disciplina a igreja demonstra que ama o irmão e não pactua com o pecado. suplicando-lhes o perdão e a acolhida.6. Wray diz que a necessidade e o propósito da disciplina são demonstradas através de seis particualridades: .Recuperar os ofensores (2 Ts 3. conforme o ensino de Jesus e de Paulo.Exigir a integridade e a honra de Cristo e da doutrina que Ele ensinou (2 Co 2.

Aliás. Quando Jesus foi à sinago ga lhe deram o rolo para ler. A mulher samaritana perguntou a Jesus onde era lugar em que se devia adorar a Deus. gritarias. rir.6. o louvor. Paulo e Silas cantavam hinos a Deus .16. na igreja de Deus. Concede-lhe instrução e luz para o viver cotidiano. 2.16.17).1-6. como cada momento do culto realizado na presença do Senhor. Is 6. Os hinos refletem nossa convicção.11 que os crentes deviam falar uns aos outros em salmos e hinos e cânticos espirituais. 6.23). Mas Deus é imensurável. aumenta a esperança e estimula o amor. O salmista expressava o seu desejo de conhecer mais e mais a Palavra de Deus (Sl 119. deixar que os cânticos percam o caráter solene e majestoso. cantando e salmodiando ao Senhor em vosso coração . A Leitura da Bíblia A leitura da bíblia deve ocupar um lugar de destaque no culto público. O que o Culto Oferece ao Indivíduo 1.28. Vemo -lo praticado no Éden. Coloca-o em comunhão com os irmãos. Mt 17. E o texto em que leu era do profeta Isaías. Não tem fronteiras (Jo 4. é marcado por decência e ordem (1 Co 14. Caim e Abel dão-nos exemplo dos dois tipos de adoradores. Os profetas falaram muito sobre o culto formalista. esses homens foram tocados por sentimentos de profundo temor. Estes dois tipos ainda existem. Por isso.. reverência e louvor que a criatura dedica à divindade. Ap 1. Quais são as Partes Principais do Culto 1. Na última ceia (Mt 26. a bíblia mostra que os homens que estiveram realmente diante do Deus verdadeiro não sentiram nenhuma vontade de pular.5.29). não reinam desordens. próprios do culto devido ao nosso Deus. É aceitável o uso de instrumentos de percussão sem.Igreja Batista Peniel Congregação do Novo Horizonte Estudos para a Organização em Igreja Estudo 6 Que é o Culto? O culto é a resposta do homem à revelação de Deus.17. Jó 42. Retempera a fé. Ez 1.140). Paulo comenta em Ef 5. a Palavra de Deus. A prática do louvor na igreja de Deus deve assumir um estilo moderado. no culto público. 3. é honra. Todos os crentes devem e star com suas Bíblias para poderem acompanhar a leitura do texto escolhido. Os hinos dão vitalidade ao culto. até perto da meia-noite (At 16. 2. . Os hinos e cânticos Que seria do culto sem os hinos? Seria como um corpo sem vida.28.40). reverência e contrição (Gn 28.18.1 -5. Dentro da igreja verdadeira. Há outra recomendação feita por Paulo em Cl. isso porque a preo cupação de cada crente é de adorar a Deus de modo aceitável. dançar nem de gritar. O culto é tão antigo quanto o homem. 5. Concede-lhe oportunidade de purificação da consciência. marcas. 4. nos momentos de louvor. como a leitura responsiva. nossa esperança.25). daqueles que cultuavam a Deus só de lábios. nossa fé e o nosso amor. 3. no cárcere. nem manifestações de hister ia ou de descontrole emocional.97 .30). mostrando a tendência de muitos a ligarem a adoração a lugares. pois através deles o adorador pode expressar seus sentimentos de louvor e gratidão a Deus. Coloca-o em relação pessoal com Deus. pois o nosso Deus é um fogo consumidor (Hb 12. tradições. contudo. nosso Senhor e os discípulos cantaram. Deve se adotar práticas de leitura onde todos os crentes participem. Provê estímulos morais e desafios para a vida. Ao contrário. com reverência e temor. Os judeus liam muito.

Que responsabilidade é a do pregador! Ele é o transmissor das verdades do eterno Deus. c) Agradecimento. dos seus interesses. Tudo o que está ligado à sua vida submete-se à sua função de pregar . são úteis para o ensino. d) De intercessão. A pregação do Evangelho. Muitas são as orações que encontramos no Novo Testamento. A mensagem é a parte central do culto. O Antigo Testamento é um repositório de imenso de orações.16).16). a oração pode ser: a) De adoração. Quanto à classificação. A Igreja deve ter em mente que o que causa mudanças na vida do homem é a Palavra de Deus. para a repreensão. 4. c) De súplica. por isso.3. tinha a Palavra como chave central para a transformação do homem (Jo 17. deve ocupar o lugar supremo da sua vida. em seu livro O Pastor. Paulo diz que é o evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê (Rm 1. e) Submissão. inspiradas por Deus.16). que a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos (Tg 5. declara: A função principal e por excelência do pregador é entregar a mensagem. com Tiago. dos seus propósitos. ou o sermão. e que a s Escrituras. . Quanto ao propósito a oração deve incluir: a) Adoração. d) Súplica. O próprio Jesus reconhecia isso. b) De louvor. Guardemos. Manoel Avelino de Souza. dos seus estudos e esforços. para a educação na justiça (2 Tm 3. Ela é a janela da alma pela qual vemos e falamos com Deus. b) Confissão. deve se dar à exposição das Escrituras o lugar central no culto. A oração deve ocupar um lugar de destaque no culto. Jesus deixou-nos belos modelos de oração e de como orar.17). pois é o momento quando a alma se descobre perante o Criador e Lhe invoca as bênçãos. A Pregação O Dr. para a correção. das suas ocupações. etc. A Oração A oração é a respiração da alma.

Não que o pão e o vinho tornem -se corpo e sangue de Cristo. sua presença no sacramento é espiritual ou dinâmica. O pão e o vinho tornam-se realmente o corpo e o sangue de Cristo. com e sob o pão e o vinho. A ceia do Senhor é. especialmente a presbiteriana. que proíba a si mesmo se depois de auto-avaliar-se. d) Memorial: Jesus instituiu a Ceia pouco antes de Sua paixão (1 Co 11. mas uma conseqüência do poder de Cristo. mas não em forma física ou corpórea. do qual só podem participar os membros de igrejas da mesma denominação. b) Ceia ultra-restrita: Neste tipo.Igreja Batista Peniel Congregação do Novo Horizonte Estudos para a Organização em Igreja Estudo 7 Tipos de Ceia No meio evangélico tradicional. pela participação no sacramento. correrá o risco de comer e beber juízo para si (1 Co 11. ou seja. e a igreja católica é cautelosa em afirmar que se trata de um sacrifício real. E se tiver de proibir alguém de comer e beber. em que o corpo e o sangue de Cristo estão presentes em. E esse processo da presença de Cristo não é uma conseqüência dos atos do sacerdote. c) Ceia aberta: Esta é oferecida a todos os crentes. b) Consubstanciação: Esta é a concepção da igreja luterana. toda vez que se celebra a missa. mas que agora temos o corpo e o sangue. para participar da Ceia do Senhor basta ser um cr ente de vida reta (1 Co 11. Segundo o ensino de Paulo. que só é permitida a participação da Ceia de pessoas que pertençam a uma igreja da mesma fé e ordem . Os pastores que adotam esse procedimento geralmente dizem. Além do mais. Lutero afirma que. c) Presença Espiritual: Esta é a concepção das igrejas reformadas. independentemente da denominação a que pertençam. Esse é o critério correto. ou como dizemos em Peniel. em essência.29). perceber que corre o risco de comer e beber indignamente. Esse critério é bem mais raro do que o mencionado anteriormente. antes da distribuição dos elementos. o sacrifício de Cristo é repetido (em algum sentido). Quando isso acontece. devendo ser adotado em todas as igrejas genuinamente bíblicas. Na Ceia. a pessoa recebe benefício real perdão de pecados e confirmação da fé. O efeito do sacramento depende em grande parte da fé e da receptividade do participante. onde as substâncias do pão e do vinho o que de fato são transformam-se respectivamente na carne e no sangue de Cristo no momento em que o sacerdote oficiante consagra os elementos. só podem participar os membros da igreja local.27). três são as condutas adotadas pelos pastores no que diz respeito à participação da Ceia do Senhor: a) Ceia restrita: Este tipo é o mais comum entre todos. embora não corresponda ao sacrifício que Cristo fez na cruz. em que Cristo está presente na Ceia do Senhor. Além disso. Antes.28).23-26). Quais são as Concepções a respeito da presença de Cristo na Ceia? a) Transubstanciação: Esta é a concepção adotada pela igreja católica. Os verdadeiros comungantes são espiritualmente nutridos quando o Espírito Santo lhes dá uma relação mais estreita com a pessoa de Cristo. Cada elemento tem um significado: o pão partido simboliza o corpo de Cristo que foi ferido por nós. o vinho é símbolo do Seu sangue que foi vertido em nosso favor. a igreja em que a ceia é ministrada. uma comemoração da morte de Cristo. o homem deve avaliar-se a si mesmo e não os outros. o texto de 1 Coríntios 11 diz que é o próprio participante quem deve avaliar se preenche ou não esse requisito em sua vida (1 Co 11. A Palavra de Deus não oferece nenhum respaldo para a adoção da Ceia restrita nem da ultra -restrita. segundo a doutrina católica. concede -se graça aos presentes. Se não o fizer. O . deve ser uma pessoa que está em Cristo . além do pão e do vinho.

É bom dizer que.33). . de maneira que tal recordação nos induza ao arrependimento e à santidade (1 Co 11. o propósito da Ceia é tríplice: 1º Comemoração: Recordar o sacrifício de Cristo na cruz por nós. 2º Comunhão: Estreitar os laços de comunhão entre os crentes em Cristo (1 Co 10. do efeito de um sermão.16. antes da participação da Ceia [1 Jo 1. 3º Comunicação: Anunciar a morte do Senhor até o dia em que Ele voltar (1 Co 11.17.valor desta ordenança está simplesmente em receber pela fé os benefícios da morte de Cristo.24 -25. Na visão estabelecida de conformidade com a Bíblia.9]). ao contrário do que ensinam alguns.26). em que há ênfase na expressão Em memória de mim ). a Ceia d o Senhor não pode ser considerada um ritual que tem o propósito e o poder de conferir ao participante graças especiais ou purificação de pecados (estes devem ser purificados mediante a confissão e o arrependimento. digamos. Assim. o efeito da Ceia do Senhor não é diferente em natureza. 11.

culminando na Aliança Batista Mundial. 2. A Igreja e o Estado Os batistas crêem que todos os homens devem ser livres para seguir sua consciência em matéria de religião. Mas a igreja local permanece soberana. Rm 13. objetivos e funções. Os batistas reconhecem que há campos e esferas da obra do Senhor em que podem cooperar juntos. 5. a vida espiritual das igrejas está ameaçada.9-20. 4. com o propósito de cumprir a comissão de Cristo. a Igreja e o Estado devem estar separados por serem diferentes a sua natureza e. Abaixo traçamos alguns princípios importantes para a nossa compreensão a respeito deste assunto: 1. .1 -7.15-18. Alguns princípios norteadores a respeito deste assunto: 1. Os batistas não aceitam convites para filiação a qualquer organização que vise a união das denominações. por isso. Todas estas organizações são iguais em pé de igualdade.21.1 -7). e quando uma igreja usa o Estado para impor seus credos. Os batistas defendem a liberdade de consciência. que cada membro deve respeitar as autoridades constituídas (Rm 13. contudo. Con venções Os batistas crêem que a igreja local deve ser livre para fazer aquilo que considera o melhor sob a orientação do Espírito Santo.Igreja Batista Peniel Congregação do Novo Horizonte Estudos para a Organização em Igreja Estudo 8 A Relação da Igreja com os Órgãos Denominacionais. Junta de Missões Mundiais. 2.25. A Relação entre Igrejas Batistas e Outras Denominações 1. Ordem dos Pastores.. Não há controle de uma sobre as outras. como cidadão de duas pátrias. Quando os homens procuram controlar as igrejas com objetivos políticos. O Estado não tem competência para afirmar ao cidadão em que ponto sua religião está certa ou errada. proporcionada pelo Criador. a Convenção Batista Brasileira e seus órgãos (Junta de Missões Nacionais. O Cristão. Por isso. A Associação Serramar é tão soberana como a Convenção Fluminense e ambas têm os direitos iguais. e que a autoridade civil ou política não tem o direito de traçar normas para a vida religiosa dos cidadãos (Dn 3. Os batistas são contrários ao Ecumenismo. Lc 20.21. deve zelar para que seja um cidadão exemplar aqui na terra também (Hb 13. Somente em casos em que envolve a consciência pode o crente deixar de realizar as ordens do Estado. a igreja é livre para associar-se com outras igrejas de objetivos semelhantes. a Convenção Batista Fluminense. 4. A Igreja não delega nenhum poder a nenhum de seus membros quando em Associação ou Convenção ou em outra entidade para falar em seu nome. 4. completamente competente para dirigir seus próprios negócios em conformidade com os ensinos das Escrituras. A ordem de Cristo é: Daí a César o que é de César e a Deus o que é de Deus (Mt 22. A Associação Batista Serramar. A igreja envia mensageiros a tais reuniões. por causa de seus princípios que têm sido mantidos através dos séculos. Defendem e sse direito para todos. As resoluções tomadas pelo organismo não obrigam a Igreja a aceitá-las. A Igreja é essencialmente separada do Estado por causa do seu caráter espiritual (Mt 22. 3.1-3).29). e os Oficiais da Igreja A Relação da Igreja Local e as Associações. Outras Denominações e o Estado. At 4. comete violência contra a dignidade da criatura humana. Lc 20. convenções estaduais e nacionais. 3. É o espírito de cooperação que leva os batistas a criarem as citadas organizações. 1 Tm 2.25). Cultivando a maior camaradagem entre os crentes e desenvolvendo programas além de suas possibilidades locais. Os batistas são defensores da separação da Igreja e Estado.14).) são formadas de indivíduos e não de grupos de igrejas. Reconhecemos. os batistas se reúnem em associações.. 3. 2. Crêem os batistas que cada igreja é independente e autônoma.

Eram diáconos no sentido literal da palavra (doulos: servo..Os Oficiais da Igreja Os oficiais bíblicos de uma igreja batista são: pastor e diáconos. para servir ao Ministério da Palavra. Esses requisitos estão arrolados em 1 Timóteo 3.14). O diácono é escolhido pela igreja para o Ministério da benevolência . O pastor é ordenado por uma igreja. O Pastor O texto de Atos 20. após ser examinado por um Concílio. Hoje. de acordo com os termos que o designam (presbítero. auxiliar. em virtude de faltas graves (heresia. bispo. Resolver problemas de natureza econômico-administrativa. Zelar pela decência e ordem na igreja. administrar. para pastoreardes (exercer o pastorado) a igreja de Deus .. cuidar. Participar dos processos disciplinares. Nesse texto os homens ali escolhidos tinham como função o atendimento das necessidades de pessoas carentes. pecados públicos. pastorear com ternura. Evidentemente.17-28 é bem claro: Atendei. apostasia. renúncia e amor. Sua investidura é vitalícia. É digno de nota que no desenvolvimento dessas funções sociais os primeiros diáconos deveriam ser homens que preenchessem três requisitos básicos (At 6. . 4. Cuidar dos necessitados. ao menos que a igreja que o ordenou lhe casse as prerrogativas. existem outros requisitos que exigir dos candidatos ao exercício do múnus diaconal. pastor).). O pastor. e de apascentar.9. 2... c) Os diáconos devem ser mentalmente equipados (se r cheio de sabedoria At 6.3): a) Os diáconos devem ser moralmente equipados (ter boa reputação).1-6 é comumente aceito como o trecho bíblico que narra as origens do diaconato. b) Os diáconos devem ser espiritualmente equipados (ser cheio do Espírito Santo Ef 5. Funcionar como grupo de conselheiros para o pastor. pessoa que presta serviço como cristão).1). suas funções se resumem nas seguintes atribuições: 1. as funções dos diáconos se ampliaram com o passar do tempo à medida que as responsabilidades dos ministros se tornavam mais numerosas. Pelo fato de serem responsáveis desde o princípio por facilitar o trabalho dos ministros da Palavra. agente. Os Diáconos Apesar de não conter nenhuma vez a palavra diácono . 5. Escrevendo a Timóteo. Sua área de ação se limita à sua igreja.8-12. Mais tarde o termo passou a ser designativo de uma classe de oficiais da igreja (Fp 1. ao passo que a do pastor se estende por toda a Denominação. o texto de Atos 6.por todo o rebanho (ofício pastoral) sobr e o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos. tem a função de aconselhar.10). 3. Paulo acentua que a consagração de um pastor é feita pela imposição das mãos do presbitério (1 Tm 4.18). liderar.

1-6 é comumente aceito como o trecho bíblico que narra as origens do diaconato. Eram diáconos no sentido literal da palavra (doulos: servo. Os batistas são defensores da separação da Igreja e Estado. 1 Tm 2.3): a) Os diáconos devem ser moralmente equipados (ter boa reputação). renúncia e amor.. pessoa que presta serviço como cristão). como cidadão de duas pátrias. para servir ao Ministério da Palavra. 5. proporcionada pelo Criador. 4. Zelar pela decência e ordem na igreja..1-3).. O Cristão. Escrevendo a Timóteo. cuidar. apostasia. pecados públicos. A Igreja é essencialmente separada do Estado por causa do seu caráter espiritual (Mt 22. ao passo que a do pastor se estende por toda a Denominação. 3. Nesse texto os homens ali escolhidos tinham como função o atendimento das necessidades de pessoas carentes. em virtude de faltas graves (heresia. ao menos que a igreja que o ordenou lhe casse as prerrogativas. pastorear com ternura.18).14). Resolver problemas de natureza econômico-administrativa. É digno de nota que no desenvolvimento dessas funções sociais os primeiros “diáconos” deveriam ser homens que preenchessem três requisitos básicos (At 6. que cada membro deve respeitar as autoridades constituídas (Rm 13. Cuidar dos necessitados.1-7. a Igreja e o Estado devem estar separados por serem diferentes a sua natureza e. O Pastor O texto de Atos 20. Paulo acentua que a consagração de um pastor é feita pela imposição das mãos do “presbitério” (1 Tm 4.9.10).está certa ou errada. e de apascentar. Funcionar como grupo de conselheiros para o pastor. 4. pastor). tem a função de aconselhar. suas funções se resumem nas seguintes atribuições: 1.21.1-7).17-28 é bem claro: “Atendei. para pastoreardes (exercer o pastorado) a igreja de Deus”. 2. Hoje. Os Diáconos Apesar de não conter nenhuma vez a palavra “diácono”. deve zelar para que seja um cidadão exemplar aqui na terra também (Hb 13. e quando uma igreja usa o Estado para impor seus credos.. Os Oficiais da Igreja Os oficiais bíblicos de uma igreja batista são: pastor e diáconos.1). após ser examinado por um Concílio. 2. Somente em casos em que envolve a consciência pode o crente deixar de realizar as ordens do Estado. agente. contudo. Reconhecemos. c) Os diáconos devem ser mentalmente equipados (ser cheio de sabedoria – At 6. objetivos e funções. por isso. Quando os homens procuram controlar as igrejas com objetivos políticos. comete violência contra a dignidade da criatura humana.25). Alguns princípios norteadores a respeito deste assunto: 1. A ordem de Cristo é: ”Daí a César o que é de César e a Deus o que é de Deus” (Mt 22. Rm 13. 15 . liderar. Mais tarde o termo passou a ser designativo de uma classe de oficiais da igreja (Fp 1.por todo o rebanho (ofício pastoral) sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos.14). as funções dos diáconos se ampliaram com o passar do tempo à medida que as responsabilidades dos ministros se tornavam mais numerosas.21.). o texto de Atos 6. Participar dos processos disciplinares. Lc 20. 3. Sua investidura é vitalícia. Pelo fato de serem responsáveis desde o princípio por facilitar o trabalho dos ministros da Palavra. O pastor é ordenado por uma igreja. Sua área de ação se limita à sua igreja. b) Os diáconos devem ser espiritualmente equipados (ser cheio do Espírito Santo – Ef 5. O diácono é escolhido pela igreja para o “Ministério da benevolência”. auxiliar. de acordo com os termos que o designam (presbítero. bispo. O pastor. administrar. a vida espiritual das igrejas está ameaçada.

15 .8-12. existem outros requisitos que exigir dos candidatos ao exercício do múnus diaconal.Evidentemente. Esses requisitos estão arrolados em 1 Timóteo 3.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful