You are on page 1of 3

Bilingue teste de Afasia (MTD

)
O teste de Afasia bilingue (MTD) foi desenhado para avaliar cada uma das línguas de um indivíduo
bilíngüe ou multilíngüe com afasia de forma equivalente. As várias versões da BAT não são,
portanto, as traduções apenas uns dos outros, mas culturalmente e linguisticamente ensaios
equivalentes. Os critérios de equivalência entre linguagens variam de acordo com cada tarefa. A
tradução de baterias de afasia padrão em outras línguas que não aquele em que foram
construídos, não seria adequado, para uma série de razões: Em uma tradução, itens de estímulo
pode ser culturalmente inadequado, pois eles podem se referir a objetos que ou não fazem parte
da cultura ou olhar ou funcionam de forma diferente e, portanto, não seriam reconhecidos ou seria
mal interpretado. As traduções podem testar construções gramaticais que apresentam diferentes
níveis de dificuldade muito do que o original: construções sintáticas, como a passivo em Inglês,
raramente são utilizados, ou estão estruturalmente muito mais simples, em algumas línguas. A
maioria, obviamente, qualquer tarefa que se baseia fonológica pares mínimos ou palavras que
rimam, simplesmente não funciona em todos, em qualquer outra língua. Portanto, os itens
correspondentes no outro idioma foram selecionados de modo a explorar as mesmas informações
que o original, em conformidade com os fundamentos que motivaram a construção dos itens, em
primeiro lugar. Como resultado, os princípios originais da BAT (em especial as relacionadas com os
aspectos técnicos do instrumento de desenvolvimento e adaptação, aplicação de testes,
documentação e interpretação) acontecerá a cumprir com os da actual Comissão Internacional
Orientações Teste de Testes Adaptação para utilização em vários diferentes contextos lingüísticos
e culturais, que foram iniciados mais de uma década depois (Hambleton, 1994, apresentado pela
primeira vez oficialmente em 1999, na Conferência sobre o ITC Teste adaptações).
Uma versão do MTD é uma adaptação da bateria para a estrutura ea cultura de uma determinada
língua.Não é esculpida em pedra. Não há fim para o quanto ele pode ser adaptado a um dialeto
particular, uma dada população, um paciente específico. Sugestões sobre como adaptar o bastão
para as suas necessidades específicas, ou como construir uma versão nova língua, são
encontradas em Michel Paradis e Libben Gary (1987) A Avaliação de Afasia bilingue, Mahwah, NJ:
LEA (também disponível em espanhol (Evaluación de la Afasia en los Bilingues, Barcelona:
Masson, 1993), italiano (bilingue dell'afasia Valutazione, Bologna: EMS (1999) e chinês (Shuangyu
shiyuzheng de Pinggu, Guangzhou: Jinan chubanshe daxue, 2003). Mais genericamente, a livro
serve como um manual de implementação e fornece respostas às perguntas sobre os fundamentos
teóricos da BAT, padronização, objetividade, validade, tarefas, estímulos, considerações de design,
referências cruzadas entre setores, entre linguagens de equivalência, bem como os procedimentos
de pontuação e interpretação dos resultados. Este manual deve ser consultado antes de
administrar o teste.
Os dados sobre as propriedades psicométricas da BAT (validade de construto: análise fatorial,
análise de função discriminante e confiabilidade) pode ser encontrada na Gómez Ruiz (2008: 421-
490).
Informações práticas sobre o e-pong

Como montar um livro de estímulo após o download e imprimi-lo
O livro de estímulo é preparado de forma a ser impressos de volta para trás de modo que, uma
vez que o livro é encadernado, cada conjunto de fotos de estímulo está enfrentando um X na
seção de discriminação auditiva verbal (exemplo + 48-65), às vezes no seu direito , outras vezes
à sua esquerda, e assim que cada palavra ou frase ocorre perante o seu quadro de estímulo na
seção de compreensão de leitura (408-427). É por isso que algumas páginas em branco são
inseridos em posições estratégicas. Verifique se o livro é impresso voltar para trás, a partir da
primeira à última página, e que cada imagem corresponde a sua palavra de estímulo ou frase que
aparece ao lado dele.
O livro pode ser ligado ou grampeada do lado esquerdo ou direito, dependendo da direção de
leitura nessa língua. Os ensaios e livros de estímulo para os seguintes idiomas estão a ser ligado
(ou grampeado), no lado direito: árabe, Azari, persa, o hebraico, o curdo, urdu e iídiche. Estímulo
livros são reutilizáveis.

Os ensaios de linguagem
Uma vez que cada prova de língua serve como uma folha de pontuação, uma nova cópia deve ser
baixado ou fotocopiado para cada paciente, ou para cada avaliação, quando replicada em
diferentes intervalos de tempo (por exemplo, pré e pós-terapia).
Para uma avaliação de triagem rápida, a versão curta pode ser usado. Para a equivalência entre
os estudos, os seguintes itens das seções a seguir foram selecionados para todas as línguas. (Para
comentários sobre o uso desta versão curta, consulte Muñoz & Marquardt (2008) e Ivanova &
Hallowell (2009).

Fala espontânea (514-539)
Apontador (23-32)
Simples e comandos semi-complexas (33-42)
Verbal discriminação auditiva (48-65)
Compreensão sintática (66-70; 81-96; 121-124; 129-132; 137-144 apenas)
Sinônimos (158-162)
Antônimos (163-167)
repetição de palavras (números ímpares apenas: 193-251, 566-573)
Frase repetição (253-259; 574-622)
Séries (260-262)
Nomeação (269-288)
Sentença de construção (289-313)
oposição semântica (314-323)
Compreensão oral (362-366)
Para os pacientes alfabetizados apenas:
Leitura de palavras (367-376, 623-628)
A leitura das sentenças (377-396; 629-708)
A leitura do parágrafo (387-392)
Copiando (393-397; 709-743)
Ditado da words398-402; 744-783)
Ditado de frases (403-407, 784-812)
Compreensão de leitura de palavras (408-417)
Compreensão de leitura de sentenças (418-427).
Ver a avaliação de Afasia bilingue (pp. 191-200) para os critérios de pontuação pós-teste (514-
812).
Idioma par de testes específicos (Parte C)
Os estímulos para os itens 428-437 aparecer no final do teste e deve ser retirado da
prova. Apresentá-los ao paciente durante a leitura em voz alta os estímulos, conforme instruções
fornecidas no teste. Existe apenas uma parte C para qualquer par de determinado idioma. Por
uma questão de conveniência, no entanto, eles aparecem ao lado de cada linguagem de um par
(por exemplo, ele aparecerá como Inglês-Francês na lista de Inglês e de Francês-Inglês na lista
francês) para que, num ápice, pode-se ver quais são os idiomas emparelhado com qualquer
língua, uma vez que um paciente pode falar.
Como construir um teste de afasia para bilingues uma nova linguagem e / ou língua-par
teste específico
Para que os resultados obtidos a partir de morcegos em diferentes idiomas usados em qualquer
instituição a ser comparáveis aos de outras instituições, é essencial que as instruções fornecidas
no Paradis & Libben (1987, pp 152-167) sobre a construção de estímulos (incluindo a ordem em
que os estímulos com propriedades estruturais são apresentadas dentro de uma seção) ser
escrupulosamente respeitados. Um número estímulo particular tem de corresponder a um
estímulo com o mesmo tipo de propriedades em todas as versões não só de mesmo tipo,
conforme o estipulado critérios de equivalência, mas também deve corresponder ao número de
um mesmo estímulo. Qualquer discrepância poderia resultar em uma falta de comparabilidade
entre esta versão e todos os outros (tanto dentro como entre as instituições).
Como construir um par específico, prova de língua (Parte C) também é descrito na Avaliação da
Afasia bilingue (pp.167-173), e dicas sobre como encontrar reversível características contrastantes
são fornecidas no Capítulo 3 do Paradis (2004).
Referências
Gómez Ruiz, I. 2008. Aplicabilidad del Teste de la Afasia parágrafo Bilingues de Michel Paradis a la
población catalano / castillano parlante. Tese de doutorado, Universidade de
Barcelona.http://www.tesisenxarxa.net/TDX-0128109-111314/index.html .
Hambleton, RK 1994. Diretrizes para educação e adaptação de testes psicológicos: Um relatório de
progresso. Revista Europeia de Avaliação Psicológica, 10: 229-240.
Ivanova MV & Hallowell, B. 2009. Forma abreviada da Afasia bilingue Teste em russo: Dados
psicométricos das pessoas com afasia. Afasiologia, 23 (5): 544-556.
Muñoz, ML, & Marquardt, TP 2008. O desempenho dos neurologicamente normais falantes
bilíngües de Espanhol e Inglês na versão curta da Afasia bilingue Test. Afasiologia, 22: 3-19.
Paradis, M. 2004. Uma teoria neurolingüística do bilinguismo. Amsterdam: John
Benjamins.http://www.benjamins.com/cgi-bin/t_bookview.cgi?bookid=SiBil% 2018 Limited
preview em: Clique aqui.

Por favor, reporte qualquer infelicidade encontrado em qualquer um dos documentos BAT (por
exemplo, não conformidade com as especificações encontradas na avaliação da afasia bilíngüe, ou
inadequação de imagem de estímulo, inadequação de imagem, os erros de linguagem, ou
qualquer outro) paraBAT.linguistics mcgill.ca @ , para que pode ser corrigido.
Observe que há uma frase nas instruções ao paciente antes do estímulo 48 (discriminação auditiva
verbal) que foi omitido por engano na versão original francesa. Como resultado, está ausente em
um número de versões que teve o francês como sua guia. A última frase antes de "você está
pronto? Are" deve ser: Se eu disser "passarinho" que você toca esse X, pois não existe uma
imagem de um pássaro na página de. "Por favor, adicione seu equivalente, se está faltando na sua
versão de uma os idiomas que você usa (é claro, usar uma palavra diferente se não acontece a
ser um pássaro em uma das quatro opções).