You are on page 1of 18

1

Regras básicas para apresentação formal de


trabalhos científicos

Parte 1
Instrução para apresentação física do trabalho – normas de
publicação

1. De texto:

 Respeitar a gramática da Língua Portuguesa;


 Usar orações curtas;
 Os parágrafos devem ser curtos (em torno de 7 a 14 linhas) e deve exprimir
uma unidade de raciocínio;
 Ter em mente que a simplicidade da redação, normalmente, gera a clareza
na exposição de suas idéias
 Utilizar de preferência a terceira pessoa no singular e verbo na voz ativa
(sabe-se, entende-se, recomenda-se,...).

2. De contexto:

 Todo capítulo deve ser uma unidade enquanto apresentação e conteúdo;


 Número de capítulos deve ser adequado ao tamanho (número de páginas)
do trabalho.

3. De edição ∕ formatação:

 Configuração das margens:

 Superior e esquerda – 3,0 cm;


 Inferior e direita – 2,0 cm.
2

 Digitação:

 Folha de formato A-4 (21,0 cm x 29,7 cm);


 Escolher um tipo de letra legível (Arial, Times New Roman), tamanho 12 para
o texto normal e 10 para citações acima de 3 linhas (que deve ficar fora do
texto, com espaçamento simples);
 Espacejamento entre linhas de 1,5 cm;
 Espacejamento entre títulos e subtítulos 2 espaços de 1,5 cm;
 Utilizar somente o anverso da folha.

4. De composição:

 Criar sempre uma página órfã com o título do capítulo à altura de meia
página;
 Procurar sempre o máximo em arte da qualidade gráfica;
 Valorizar a estética, mas com o objetivo de facilitar a leitura do trabalho.

5. De paginação e numeração:

 Páginas preliminares
Adotar números romanos em minúsculo (ii, iv) centrados na parte inferior.
Iniciar a contagem na página de rosto, que não deve ser numerada, mas
contada, a colocação do número da página é a partir da próxima.
 Páginas do texto
Todas as folhas do trabalho, a partir da folha de rosto devem ser contadas,
mas não numeradas. A numeração é colocada a partir da primeira folha da
parte textual, em algarismo arábico, no canto superior direito da folha.
 Páginas divisórias
São contadas, mas não numeradas.

Instruções para citação de autores no texto

Citação é a menção, no texto, de uma informação colhida em outra fonte,


pode ser direta e indireta.

 Direta: Transcrição literal (cópia) das idéias do autor e pode ser apresentada
de 2 formas:
o Inseridas entre aspas duplas, no meio do texto normal, se a citação for
até 3 linhas;
o As citações com mais de 3 linhas devem ser apresentadas em parágrafo
próprio, com recuo de 4 cm da margem esquerda, espaço simples entre
linhas, fonte menor da utilizada no trabalho e sem aspas.
3

 Indireta: Consiste na reprodução das idéias do autor, sem transcrição literal


(sem cópia).

Obs.: A indicação da fonte deve ser em letra minúscula quando dentro do texto e
maiúscula (entre parênteses) fora do texto, sempre acompanhada pelo ano de
publicação. Especificar no texto a(s) página(s) da fonte consultada nas citações
diretas, que deve(m) seguir a data, separado(s) por vírgula e precedido(s) pelo termo
que o(s) caracteriza, de forma abreviada. Nas citações indiretas, a indicação da(s)
página(s) consultada(s) é opcional.

Citação direta até 3 linhas:

Ex.: Cruz (2001, p. 23) refere que “A Administração de Recursos Humanos funciona
em um contexto de organizações e de pessoas”.

ou,

“A Administração de Recursos Humanos funciona em um contexto de organizações


e de pessoas”. (CRUZ, 2001, p. 23).

Citação direta acima de 3 linhas:


Obs: não mudar o tipo da letra; tamanho 10 e espaço simples.

Ex.:
O sistema autor-data consiste em indicar o sobrenome do autor ou
instituição responsável, seguido pelo ano de publicação da obra e páginas
referenciais, separados por vírgula e entre parênteses. Contudo, quando o
nome do autor é inserido no texto, deve-se colocar em caixa alta e baixa,
em seguida abre-se parêntese com o ano de publicação e página e, quando
o nome do autor não está inserido no texto, deve-se colocá-lo, entre
parêntese, em caixa alta, seguido do ano de publicação, vírgula, página e
ponto. (MEDEIRO, 2006, p. 200).

 Citação de obra com um autor

Indicação da fonte deve ser pelo sobrenome do autor, instituição responsável


ou pelo título, seguido da data de publicação e a(s) página(s) em que foi extraída a
sentença, separada por vírgula. Para citações indiretas, o número da página é
opcional.

Ex: - Pereira (2003, p. 55)


- (PEREIRA, 2003, p. 55).
4

 Citação com dois autores

Ex: - Vieira e Hossne (2000, p. 34)


- (VIEIRA; HOSSNE, 2000, p. 34).

 Citação com dois autores com o mesmo sobrenome (e com livros do


mesmo ano):

Ex: - Gonçalves, H.A. (2003, p. 21)


- Gonçalves, W.D. (2003, p. 45)
- (GONÇALVES, H.A., 2003, p. 21).
- (GONÇALVES, W.D., 2003, p. 45).

 Citação com três autores

Ex: - Freire, Maranhão e Vieira (2000, p. 34-35)


- (FREIRE; MARANHÃO; VIEIRA, 2000, p. 34-35).

 Citação com mais de três autores

Indicar o primeiro autor seguido da expressão et al.

Ex: - Carvalho et al. (2005, p. 87)


- (CARVALHO et al., 2005, p. 87).

 Citação do(s) mesmo(s) autor(es), com mais de um trabalho no mesmo


ano

Quando houver coincidência no mesmo ano de publicação, utilizar o


acréscimo de letras minúsculas, ordenados alfabeticamente após a data e
sem espacejamento, tanto no texto como nas referências.

Ex: - Oliveira (2005a, p. 22)


- (OLIVEIRA, 2005a, p. 22).

 Citação do(s) mesmo(s) autor(es) com mais de um trabalho

Ex: - Oliveira (2002, 2003, 2005, p. 22, 52, 81)


- OLIVEIRA (2002, 2003, 2005, p. 22, 52, 81).

 Citação com vários autores com uma mesma idéia

Ex: - Oliveira (2002, p. 22), Almeida (2003, p. 45) e Pereira et al. (2005, p.
81)
5

- (OLIVEIRA, 2002, p. 22; ALMEIDA, 2003, p. 45; PEREIRA et al.,


2005, p. 81).

 Citação de citação (apud)

Significa: citado por (ou: dentro de);

No exemplo abaixo, o nome YAMASHIKA vem acompanhado com dados do


ano e página, isso porque é o autor que o autor do trabalho leu. No caso Park
foi o autor que o YAMASHIKA leu e que se encontra dentro da bibliografia de
seu livro:

Ex: - Park (apud YAMASHIKA, 2004, p. 122)


- (PARK apud YAMASHIKA, 2004, p. 122).

Obs: As supressões devem ser indicadas por: […]

Referências

Entende-se por referência bibliográfica o conjunto de elementos que permitem


a identificação de documentos impressos em variados tipos de material. No Brasil,
as referências bibliográficas são normatizadas pela Associação Brasileira de Normas
Técnicas (ABNT).
Essas normas são obrigatórias para todos os envolvidos em atividades
científicas, técnicas ou acadêmicas. Elas são internacionais.
Atualmente têm-se utilizado apenas a terminologia referências, que é conjunto
padronizado de elementos descritivos, retirados de um documento, que permite a
sua identificação individual. (NBR 6023, 2002, p. 2).
Ainda de acordo com essas normas, Referências:

"Constitui uma lista ordenada dos documentos efetivamente citados no


texto. Não devem ser referenciados documentos que não citados no texto.
Caso haja conveniência de referenciar material bibliográfico não citado,
deve-se fazer uma lista própria após a lista de referências sob o título:
Bibliografia recomendada." (NBR 10719, 1989, p. 13).

Na seqüência, apresentam-se exemplos de como fazer.

 Livros considerados no todo

Obs: O título das obras deve estar destacado. O destaque pode ser em negrito,
grifo ou itálico.

ISKANDAR, José Ismênio. Normas da ABNT: Comentadas para trabalhos


científicos. 2. ed. Curitiba: Juruá, 2003.
6

 Capítulos de livros

ROCHA, Dário Lenio. Tratamento cirúrgico da insuficiência velofaríngea. In:


ALTMANN, Euclides Costa. Fissuras labiopalatinas. 4. ed. Carapicuíba: Pró-Fono,
1997. p. 195-210.

 Artigo de periódico

DUARTE, Francisco; CZAJKOWSKI JÚNIOR, Sérgio. Cidade à venda: reflexões


éticas sobre o marketing urbano. Revista de Administração Pública. v.41, n.2, p.
273-282, abr. 2007.

 Periódicos (revistas) considerados em parte

ABRANCHES, Sérgio. Bravo Brasil. Veja. edição 1771, ano 35, nº 43, p. 114, 29
out. 2003.

BURGOS, Pedro. Não estamos sozinhos. Revista Superinteressante. São Paulo:


Abril, ed. 255, ago. 2008, p. 62-71.

 Artigo de jornal (destacar o nome do jornal)

SOUZA, José Andrade. Especialistas falam de diabetes no Centrinho. Jornal da


Cidade, Bauru, 17 fev. 2004, p. A4.

 Monografias ∕ dissertações ∕ teses

CARVALHO, Elias José. Resultado de fala em pacientes submetidos à


palatoplastia secundária associada à veloplastia intravelar. 2006, 96 f. Tese
(Doutorado em Distúrbios da Comunicação) Hospital de Reabilitação de Anomalias
Craniofaciais, Universidade de São Paulo, Bauru.

 Eventos

PEREIRA, Sandro.; MORENO, Antonio. Síndrome de Rett: um estudo de caso. In:


SIMPÓSIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 3, 1999, Marília. Anais da (nome)
Marília: Unimar, 1999. p. 39.
7

 Legislação

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.


Organização de Alexandre de Moraes. 16. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

 Internet

Todas as obras consultadas online devem ser referenciadas indicando-se o


endereço eletrônico entre os sinais < > precedido da expressão Disponível em:, além
da data de acesso precedida da expressão Acesso em: Opcionalmente adicionam-
se horas, minutos e segundos.

Exemplos 1

KOCH, Ingedore Villaça. Hipertexto e construção do sentido. Disponível em:


<http://www.alfa.ibilce.unesp.br/download/v51-1/02-Koch.pdf>. Acesso em: 10 ago
2009.

SCHNEIDER, Daniel. Como funciona o bafômetro. in REVISTA


SUPERINTERESSANTE: Abril, ed. 255, ago 2008. Disponível em:
http://super.abril.com.br/superarquivo/index.shtml?edn=255Ed&yr=2008a&mt=agost
om&ys=2008y. Acesso em: 23 ago 2009.

Exemplos 2 (com e sem autor):

TONI, David.; SCHULER, Mário. (2007). Gestão da imagem: desenvolvendo um


instrumento para a configuração da imagem de produto. Revista Administração
Contemporânea, v.11, n. 4. Disponível em: <http:∕∕www.scielo.br>. Acesso em: 12
mar 2001.

Sem autor:

ESCOLA NOVA. Disponível em <HTTP://www.escolanova.com.br>. Acesso em: 23


abr 2003.

 Vídeos e filmes cinematográficos

TÍTULO. Responsável. Local de produção, Produtora. Distribuidora. Data. Tempo de


projeção: características de cor, som e dimensões. Notas. Indicar se é gravação de
vídeo ou filme cinematográfico.
8

ÓPERA do malandro. Direção de Ruy Guerra. Rio de Janeiro. Áustria Cinema e


Comunicação. Globo Vídeo, 1985. 1 vídeocassete (100mm): son., color. 12 x 12 mm,
VHS

 Autor repetido

ISKANDAR, José. Ismênio. Normas da ABNT: Comentadas para trabalhos


científicos. 2. ed. Curitiba: Juruá, 2003.

_________. Manual de monografia. Curitiba: Juruá, 2002.

 Autor e Título repetido

GONÇALVES, Haroldo Armênio. Manual de monografia, dissertação e tese. São


Paulo: Avercamp, 2004. 124p.

_________._________. 2. ed. São Paulo: Avercamp, 2003.

Quadros

De acordo com as normas da ABNT, os quadros não apresentam dados


estatísticos, destinando-se apenas a agrupar informações de maneira a permitir sua
melhor visualização. Construídos da mesma maneira que as tabelas, com a
diferença de que são fechados também nas laterais.

Tabelas

De acordo com a ABNT uma tabela apresenta informações estatísticas. As


tabelas devem ser fechadas no alto e em baixo por linhas horizontais, sendo duplo o
traço superior e simples os demais. As tabelas não são fechadas à esquerda e à
direita.
Uma tabela deve aparecer assim:

TABELA 1 (MAIÚSCULA)
(centralizado, espacejamento simples, sem recuos)
Título da Tabela
(iniciais maiúsculas, centralizado, espacejamento simples e fonte 12)

Fonte: (tamanho 10)


9

Ex.: 1)

TABELA 1
Preços de Alimentos em dólares de 1900-1952 a 1995-1997
Variação
Alimento 1950-1952 1995-1977
percentual
Trigo 427,6 159,3 -62,7
Arroz 789,7 282,3 -64,2
Sorgo 328,7 110,9 -66,2
Milho 372,0 119,1 -68,0
Fonte: SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia
das Letras, 2000. p. 240.

Ex.: 2)

TABELAS E QUADROS NO TEXTO

As tabelas apresentam informações tratadas estatisticamente; os quadros contêm informações


textuais agrupadas em colunas.
10

Figuras

Já a figura deve vir como segue:

Figura 1: Título da figura. Procurar centralizar em relação à figura, em caixa


de texto, sem borda, espacejamento simples.
Fonte:

APRESENTAÇÃO DE ILUSTRAÇÕES NO TEXTO

Entende-se como ilustração os gráficos, diagramas, desenhos, fotografias, mapas,


etc. que complementam visualmente o texto.
11

Parte 2
MONOGRAFIA

Esclarecimentos sobre a montagem da monografia

Monografia é um estudo científico, com tratamento escrito individualmente,


que propõe esgotar um determinado tema. O relatório de pesquisa é editorado sob a
forma de uma monografia que conforme o grau de profundidade pode ser um
trabalho de iniciação, uma dissertação ou uma tese.

Existem 3 momentos na elaboração da monografia:

 Momento da invenção
 Momento da pesquisa
 Momento da composição lógica das idéias

O trabalho monográfico tem as seguintes características:

 Trata-se de tema único


 É bem delimitado
 Tem profundidade
 O problema e a hipótese são bem formulados

Estrutura de monografia, dissertação e tese

A estrutura de uma monografia, dissertação e tese compreendem as


seguintes partes:
 PRÉ-TEXTO
 TEXTO
 PÓS-TEXTO

Elementos do pré-texto

 Capa (anexo 1)
 Folha de rosto (anexo 2)
 Verso da folha de rosto (ficha catalográfica) (anexo 3)
 Errata (opcional)
 Folha de aprovação
 Dedicatória(s) (opcional)
12

 Agradecimento(s) (opcional)
 Epígrafe (opcional)
 Resumo na língua vernácula
 Resumo em língua estrangeira
 Lista de ilustrações (opcional)
 Lista de tabelas (opcional)
 Lista de abreviaturas e siglas (opcional)
 Lista de símbolos (opcional)
 Sumário (anexo 4)

 Capa

A capa deverá ser composta de elementos que permitam a identificação do


trabalho. Deve conter informações na seguinte ordem:
 Nome da Instituição (opcional);
 Nome completo do autor;
 Título do trabalho em letras maiúsculas, centralizado na folha;
 Natureza acadêmica do trabalho ∕ curso ∕ instituição ∕ área de concentração;
* Estes dados devem ocupar apenas a metade direita da página.
 Local (cidade) da Instituição e Ano, na parte inferior da página;
 O trabalho em sua forma definitiva deverá ser encadernado com capa dura.

Obs.: O título deve ser preciso, inciso e conciso, máximo de 13 a 15 palavras, deve
definir o campo de conhecimento. Assim, como o nome identifica a pessoa, o título
deve, de forma direta, clara e simples, permitir a caracterização do conteúdo do
trabalho.

 Folha de rosto

Deve conter os seguintes dados no anverso da folha:


 Nome completo do autor;
 Título do trabalho em letras maiúsculas, centralizado na folha;
 Natureza acadêmica do trabalho ∕ curso ∕ instituição ∕ área de concentração;
* Estes dados devem ocupar apenas a metade direita da página;
 Nome do orientador e co-orientador (se houver);
 Cidade e Ano, na parte inferior da página.

 Verso da folha de rosto

 Ficha catalográfica.
13

 Deve ser disposta no verso da folha de rosto, será composta com: referência
bibliográfica do trabalho, autor, título, trabalho acadêmico (monografia,
dissertação ou tese), Instituição e descritores.
 Deve medir 7,5 cm de altura por 12,5cm de largura.

Obs.: Sugere-se consultar um bibliotecário para a composição deste elemento.

 Errata

Lista de erros tipográficos, gramaticais e de idéias. Deve ser inserida após a


folha de rosto, quando necessário. Seu texto deve ser disposto da seguinte maneira:

Errata

Folha Linha Onde se lê Leia-se


32 3 publiacao publicação

 Folha de aprovação

Constituído pelo nome do autor do trabalho, título, natureza, objetivo, nome


da Instituição, área de concentração, data de aprovação, nome, titulação e
assinatura dos componentes da banca examinadora e Instituição a que pertencem.
A data de aprovação e assinaturas dos membros da banca é colocada após a
aprovação do trabalho.

 Dedicatória

Elemento opcional, onde o autor presta uma homenagem ou dedica o seu


trabalho.

 Agradecimentos

Elemento opcional, onde o autor agradece aqueles que contribuíram de


maneira relevante à elaboração do trabalho.

 Epígrafe

Elemento opcional, colocado logo após os agradecimentos. Pode também


constar epígrafes nas folhas de aberturas das seções primárias.
14

 Resumo

 Tem como objetivo ressaltar os pontos relevantes de um texto de forma


concisa, não ultrapassando 500 palavras, seguido logo abaixo com as
palavras-chave e/ou descritores;
 Deve permitir uma sinopse do trabalho, ressaltando o objetivo, o método, os
resultados e as conclusões, recomenda-se o uso de parágrafo único;
 Num trabalho de pós-graduação é exigência mínima um resumo em
português e uma versão em uma língua estrangeira (inglês, alemão ou
francês).

Tipos de resumo:

 Resumo indicativo: indica somente os pontos principais do texto, não apresenta


dados quantitativos e qualitativos, normalmente indica catálogos de editoras,
livraria, etc.
 Resumo informativo: esse resumo expõe os objetivos, metodologia, resultados
e conclusões, possibilitando ao leitor decidir sobre a necessidade da leitura do
texto integral. (Este é o utilizado em monografias)
 Resumo informativo e indicativo: é uma combinação dos dois tipos acima
descritos.
 Resumo crítico: é uma interpretativa de um documento redigido por
especialistas.

 Resumo em língua estrangeira

Possui as mesmas características do resumo em língua vernácula.

 Listas

Caso seja necessário e, para facilitar a identificação, apresentar listas das


ilustrações, siglas e abreviaturas.

Exemplo: - Lista de ilustrações;


- Lista de tabelas;
- Lista de abreviaturas e siglas;
- Lista de símbolos, etc.

 Sumário

Enumeração das principais divisões, seções e partes do trabalho, na ordem


que se sucedem no texto, com a indicação da página inicial de cada tópico.
15

Os tópicos devem ser numerados em algarismo arábico, da introdução à


referência bibliográfica.
As listas, resumos, anexos, apêndices, não são considerados capítulos e,
portanto, não são numerados.
Todos os tópicos que antecedem a introdução podem ter sua página
numerada (com algarismo romano), caso adote-se esta opção, iniciar a contagem
logo após a folha de rosto.

Elementos do texto

O texto deve ter a seguinte estrutura: Introdução, desenvolvimento e


conclusão.

1. INTRODUÇÃO

A introdução compreende um rápido histórico sobre o assunto a ser


abordado, destacando a importância da pesquisa.
Deve apresentar a “tese” do autor, ou seja, as suas proposições de
contribuição de conhecimento para a solução de uma situação-problema, o POR
QUE?, o O QUE ? e o COMO? Da contribuição de conhecimento, a qual é a “tese”
do autor, devem ser inicialmente estabelecidos.
Na introdução deve estar claro o PROBLEMA (pergunta inicial) a HIPÓTESE
(conclusão provisória) e a METODOLOGIA (como efetuar a pesquisa).
No Caso específico de desenvolvimento de um projeto (desenvolvimento de
um software) deve constar da introdução o OBJETIVO (explicar o projeto do
software) e os RESULTADOS ESPERADOS (quais os resultados e formas de
utilização).
As proposições e objetivos devem integrar esse capítulo, pode ser dividido em
geral e específicos, colocar da forma mais clara possível e lembrar que na conclusão
terá que responder as questões propostas no objetivo ou responder ao problema
proposto.

2. REVISÃO DE LITERATURA

O capítulo de revisão de literatura (ou referencial teórico) pode ser elaborado


juntamente com a introdução, a critério do autor.
Capítulo que apresenta a fundamentação teórica às hipóteses teóricas do
autor, as quais, não só justificam como também, argumentam e validam a
contribuição de conhecimento pretendida.
Considerando que a revisão da literatura deve servir de base para a
investigação, é necessário que inclua toda a informação pertinente a essa. Deve ser
16

feita de maneira criteriosa, apresentando informações básicas e expostas


objetivamente.
Deve-se citar sempre o autor e a data de publicação.

Na PESQUISA BIBLIOGRÁFICA, os capítulos serão determinados


conforme o assunto estudado.

3. OBJETIVO

O objetivo deve ser escrito com base na INTRODUÇÃO e na REVISÃO DE


LITERATURA. Deve-se descrever o propósito e porque da investigação realizada
pelo autor.
As proposições e objetivos do trabalho devem ser partes integrantes, embora
sem destaque de titulação própria, do capítulo de introdução.

4. MATERIAL E MÉTODO

Nesse capítulo, deve-se especificar o material empregado e descrever os


métodos utilizados, de tal forma que possibilite a outro pesquisador, repetir a
pesquisa utilizando o mesmo material e metodologia.
Material ou casuística – deve descrever todas as características amostrais
dos elementos utilizados nas experimentações.
Método – deve descrever a lógica do raciocínio do autor, o qual foi utilizado
na ordenação dos procedimentos e técnicas praticadas.
É parte integrante deste capítulo o método estatístico empregado para, como
critério matemático, avaliar a significância das associações e correlações, que
pretende demonstrar nos seus resultados e achados experimentais.

5. RESULTADOS

O capítulo dos resultados expressa os resultados obtidos pelo autor. Devem


ser descritos de forma clara e objetiva. Sempre que possível deve-se utilizar
gráficos, tabelas, desenhos, fotografias, análise estatística, etc.

6. DISCUSSÃO

É o capítulo mais fundamental e mais importante do trabalho. É o capítulo da


lógica, da crítica e da metodologia científica.
É a comparação dos resultados obtidos pelo autor com a literatura, aqui o
autor deve argumentar na procura de demonstrar a originalidade e validade. Neste
17

momento, deve-se fazer interpretação lógica, sugerir possíveis relações de causa e


efeito, apontar eventuais pontos fracos do trabalho, sugerir futuras pesquisas. É a
parte mais livre do trabalho.

7. CONCLUSÕES

Consta de deduções lógicas, baseadas e fundamentadas no texto. Nas


conclusões devem ser utilizadas frases breves e em seqüência numérica.
Vale lembrar ao autor do trabalho que, conclusões não são resumos de
achados e de estudo estatísticos, mas, sim, afirmações que argumentam a
contribuição de conhecimento que apresenta.
As conclusões devem, com a introdução do trabalho, se constituir numa única
continuidade e numa única unidade lógica.

ELEMENTOS DO PÓS-TEXTO

 Referências

Referências (bibliográficas) é o conjunto de indicações precisas e minuciosas,


que permitam identificar as publicações utilizadas no trabalho, podem ser
apresentadas no todo ou em partes.
Todo documento citado no texto, deve ser apresentado na lista de referências
e obras não citadas no texto, não devem compor a lista de referências.
A lista de referências deve ser arranjada em ordem alfabética por sobrenome
de autor, sem numeração. As normas adotadas são as da ABNT.

 Apêndices

Elementos opcionais, que consiste em um texto ou documento elaborado pelo


autor, a fim de complementar sua argumentação, sem prejuízo da unidade nuclear
do trabalho. Os apêndices são identificados por letras maiúsculas consecutivas,
travessão e respectivos títulos.

Ex.:
APÊNDICE A - Avaliação numérica de células inflamatórias totais.
APÊNDICE B - Avaliação de células presentes nas caudas em regeneração.

 Anexos
18

São partes integrantes do texto, constituindo-se em suportes elucidativos e


indispensáveis à compreensão deste, mas destacados, para evitar descontinuidade
na seqüência lógica das idéias. Auxiliam a compreensão do trabalho.
Devem ser identificados com os respectivos títulos e numerados
seqüencialmente com algarismos arábicos, mas com páginas não numeradas.

Para melhor entendimento, observe atentamente a figura seguinte:

Elementos do
pós-texto Capa

Anexos
Apêndices
Referências

Corpo do trabalho
Elementos do Listas
pré-texto
Sumário

Resumo
Agradecimentos
Dedicatória
Termo de Aprovação
Folha de Rosto Opcional

Capa Obrigatório

Figura 2 - Elementos que constituem o Trabalho de Titulação.