Os transtornos alimentares prevalecem sobretudo entre mulheres adolescentes e jovens adultas, mas cerca de 5 a 10% dos casos ocorrem com rapazes. As vítimas sentem-se normalmente impotentes em relação às suas vidas, sofrem de baixa auto-estima e têm uma fraca imagem do seu corpo. Usam a comida – seja a restrição da comida ao ponto de passarem fome, o ou excesso de comida ao ponto de ficarem obesos , como forma de ganhar controlo sobre alguns aspectos das suas vidas.

Em um trabalho brasileiro, realizado na zona urbana de Porto Alegre, este analisou os hábitos alimentares de mulheres entre 12 e 29 anos, demonstrou que 30,2% apresentavam comportamento considerado de risco e 11,3% tinham comportamento alimentar anormal.

Anorexia Nervosa Bulimia Nervosa. Transtorno da compulsão alimentar periódica (TCAP). Vigorexia Ortorexia .

.

. anoré també exercí Os anoréxicos também fazem exercício em excesso.) sobre dietas e tabelas nutricionais. numa tentativa de queimar as calorias que ingeriram. consomem todas as literaturas (revistas.E um transtorno alimentar em que a pessoa distorç tem uma distorção da imagem corporal e se vê extremamente gorda mesmo estando magé magra ou magérrima. Os anoréxicos possuem peculiaridades como anoré culiná desenvolver a culinária fazendo pratos deliciosos para outras pessoas comerem. para não ganharem peso extra. sites. etc.

. Prevalência em mulheres jovens de 0.7% e >.> mulheres jovens.5 – 3.000 habitantes. 5 casos em 100. 14 -15 e aos 18 anos. Dois picos de incidência. proporção de homens pra mulheres de 1:10.

15% que o poso ideal. . se vê obesa e tem medo patológico de engordar. • Mesmo estando magra. ou IMC menor que 17. inclusive de forma localizada.5. • Amenorréia ( 3 ciclos ou mais).O diagnostico e feito com 4 sintomas: • Recusa de manter o peso para sua estatura e idade em valores adequados. • Transtorno da imagem corporal e não aceitação do peso atual.

numa tentativa de evitar uma refeição. Brincar com a comida no prato em vez de comer. Saltar refeições. Esconder comida (num guardanapo.Contagem obsessiva de calorias. . imagem corporal e jejum. ou “para abrir o apetite”. Doenças freqüentes. Mentir quanto a já ter comido. Sono excessivo. Fazer exercício em excesso. Excessivo interesse em questões relacionadas com peso. debaixo de uma travessa. Perda dramática de peso. Ingerir apenas um determinado tipo de comida. Baixos níveis de energia. Vestir (para esconder o corpo) roupa larga ou disforme. Reduzido ou inexistente apetite sexual.) para evitar comê-la. etc. particularmente depois de uma refeição.

.

bradicardia e hipotensão. Apatia. nefrolitiase. Cansaço excessivo. Amenorréia. Obstipação. leucopenia e linfopenia. pele ressacada. hirsutismo. lanugem. diarréia quando existe o uso de laxantes. . Desidratação.Emagrecimento. Desnutrição (hipoalbuminemia. Osteoporose e osteopenia. hipercarotemia). Anemia. saciedade precoce.

Primordial o tratamento psicológico e acompanhamento medico. .

.Objetivo: Realizar a educação nutricional e informar a paciente sobre o conteúdo de nutrientes contido nos alimentos (não somente calorias) e propor um plano alimentar individualizado. levando a modificações do padrão alimentar e ganho de peso.

2000). fornecer. Lipídios: normo a hiper. para o ganho de 1 kg de peso por semana ate atingir o peso ideal.5g/kg/dia.Iniciar com 400 a 600 calorias. Vitaminas e minerais: hiper. 30 a 40kcal/kg/dia. Proteínas: 1. . CHO: normo. Suplementação. Solicitar acompanhamento da ingestão das refeições para verificar a real ingestão. podendo chegar até 70 a 100 kcal/kg por dia com a progressão do tratamento (APA. Após 1 – 2 semanas e conforme a tolerância e adaptação da paciente.

você perde a fome e gasta calorias. Arrume um hobby para hora das refeições. Diga que vai comer no quarto. Vá ate a cozinha mexa na geladeira. Durma na hora das refeições. acharão que você esta comendo. Limpe banheiros e ambientes sujos.. Beba água na hora das refeições. guarde a comida e depois jogue fora.Durma pouco.. dessa forma queimara mais calorias. . .

.

onde a pessoa só cessa a ingestão por algum tipo de mal estar físico (plenitude gástrica. depressão.). tédio.) São ingestões alimentares copiosas e marcadas por uma sensação de descontrole.Grego = bous (boi) e limus (fome) Pode surgir devido a diversos estados emocionais e situações estressantes do dia a dia (ansiedade. chegada súbita de outra pessoa ou quando se esgotam os alimentos. etc. etc. solidão. . náuseas.

Laxantes.Seguidos por comportamentos compensatórios: Vômitos. Diuréticos. Exercícios excessivos. Anorexígenos. . Jejuns.

varia entre 1. Incidência acontece entre 18 – 19 anos. .> e mulheres adolescentes e adultas jovens.2%.1% e 4. 90% dos casos em população feminina.

Adoção de métodos e formas pra combater o ganho de peso. não ocorre anorexia. deve ocorrer durante 3 meses. seguida de métodos purgativos como o vomito. duas vezes por semana. . A compulsão alimentar. Na presença de bulimia tipo purgativa. Transtorno da imagem corporal. no min.Episódios de grande ingestão alimentar em pouco tempo sem controle.

Demonstrar pouco ou nenhum impulso sexual. doces. massa.Sinais: Esconder a comida reservada para episódios de voracidade (incluindo freqüentemente pão. sobremesas. Queixas frequentes em relação a problemas dentários (também causados pelos vômitos). forma do corpo e aspecto em geral. Sinal de Russel. Mentir sobre o que comeram. Demonstrar uma preocupação profunda em relação ao peso. No entanto. Esconder artigos como laxantes ou diuréticos. Deixar a água da torneira ou da ducha a correr no banho para disfarçar os episódios de purgação. qualquer tipo de comida pode ser consumida durante a ingestão compulsiva). Esconder-se atrás de roupas largas e soltas. . Vomitar em segredo. Queixas frequentes em relação a dores de garganta (causadas pelos repetidos vômitos). Comer compulsivamente em segredo. batatas fritas e gelados.

.

ulceras. esôfago. . esofagite. gastrites. Hipocalemia. Pirimolise (erosão do esmalte dentário). Anemia. Hipoglicemia.Medo mórbido de engordar. Distúrbios menstruais. PNM por aspiração. Arritmia cardíacas. Dilatação ou ruptura do estomago.

Kcal para manutenção do peso ideal CHO: normo.> volume de líquidos para repor perdas. . Lipídios: normo. PTN: normo. Fibras: normo. Hipercalcêmica. sem açúcares simples. > fracionamento da dieta.

.

Quem sofre do transtorno de compulsão alimentar consome grandes quantidades de comida de uma só vez ou come constantemente durante um determinado período (por exemplo. . durante uma festa) mas não utiliza métodos purgativos.

peso. Comer até se sentir desconfortavelmente cheio ou mesmo agoniado. Sentir-se subjugado/a.Ingerir uma quantidade excessiva de comida. Exprimir repugnância em relação a hábitos alimentares. corpo ou aparência. envergonhado/a e/ou culpado/a durante e/ou depois de um episódio de voracidade. Esconder comida para episódios de voracidade. Esconder hábitos alimentares devido a vergonha ou embaraço. peso ou autoestima. Comer quando está sob pressão ou se sente psicologicamente diminuído/a. Esconder embalagens vazias ou caixas de alimentos e gerar lixo em excesso. . Expressar descontentamento com a aparência. mesmo quando não tem fome.

> fracionamento da dieta. Kcal para manutenção do peso ideal CHO: normo. . sem açúcares simples. Fibras: normo a hiper. PTN: normo. Lipídios: normo.

.

. A população de risco da ortorexia é os naturistas.É uma doença que resulta de uma procura obsessiva por uma alimentação saudável. como por exemplo os vegetarianos e os macrobióticos.

doenç As causas desta doença são: A obsessão pelo estado de saúde. O medo de engordar. .

A preocupação exagerada com a confecção. A desconfiança dos restaurantes. A abstenção de alimentos gordos e com açúcar. a composição. A leitura minuciosa dos rótulos dos alimentos. . a origem e a comercialização dos alimentos.ortoré Os comportamentos das pessoas ortorécticas são: A obsessão excessiva pela qualidade dos alimentos. cozinhando só para si.

As consequências mais graves da Ortorexia são: A dependência de uma alimentação que consideram saudável. como a anemia e avitaminose. logo. mais susceptíveis a doenças. . O afastamento dos familiares. A falta de nutrientes existentes nos alimentos que não consomem.

Sem um consenso. anemias. Fracionamento. . Manutenção do peso ideal. Fornecimento de todos as vitaminas e minerais para não ocorrem carências.

Tratamento farmacológico dos transtornos alimentares . 173176. 2005.. A.pt/instrumentos/dsm_cid/dsm.Tratamento nutricional dos transtornos alimentares. F. Rev. Claudino. Kemen. Scagliusi. 31 (4). MT (coord. AM.L.L. Rev. 2002. J. São Paulo: Manole.php (DSM-IV .datasus..Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Saú Relacionados com a Saúde) http://www. Zanella .gov..B. Bras Psiquiatr .htm (CIDCIDCID Classificaç Estatí Doenç 10 . Psiq.) Guia de transtornos alimentares e obesidade. 24 (Supl III):54-9. JC. Latterza.Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações (DSMDiagnó Estatí Perturbaç Mentais) .psicologia. Apolinário. Clin.. Bacaltchuk.com. 2004 http://www.Practice guideline for the treatment of patients with eating disorders. Am J Psychiatry 157: 139. E.American Psychiatric Association.R.APA .br/cid10/v2008/webhelp/cid10. 2000. K. Dunker.