Para: ;

Aviso: Nesta tarde dia 20/07/07 saiu uma portaria da Receita Federal dilatando o prazo para o Super simples que será publicada e disponível no dia 23/07/07 para todos.Em resumo ficará assim: 1)-Toda empresa tipo ME/EPP terá que até o dia 31/07/07 efetuar a sua opcção pelo Super Simples mesmo que tenha pendência nos três niveis (Federal,Estadual,Municipal), 2)-A Receita Federal/INSS irá disponibilizar até o dia 31/08/07 ás listagem com todas ás pendências das citadas empresas disponível pela Internet ,portanto sem a necessidade de ficar em uma fila por umas 0607horas só para tirar a relação que sai em 03 a 05 minutos, 3)-Ás empresas que tiverem restrições de cadastro (Dividas) terão efetuar o pagamento ou acordo de suas pendências até o dia 31/10/2007 ás que não fizeram serão excluídas da modalidade do Super Simples Federal. Bem são essas ás principais considerações. Abraços a todos. Paulo Roberto ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Caros Colegas Contabilista "O melhor remédio para combater a sonegação e mutretas fiscais é a luz do dia - entendido os raios solares como a prestação de contas e transparência. Esta é a idéia de proposta em estudo pelo governo para enfrentar a sonegação endêmica em alguns setores empresariais por maior que seja a fiscalização. Empresas de capital fechado não são obrigadas a publicar seus resultados, e aí está o problema. A bandidagem fiscal levará uma rasteira se for estendida a regra de ampla divulgação de resultados contábeis, compulsória às firmas de capital aberto - que são as com ações negociadas em bolsas -, o chamado disclosure, para os setores mais enrolados com a Receita Federal e os fiscos estaduais, como de bebidas e fumo", relata o jornalista, Antonio Machado, em publicação no portal de negócios, Cidade Biz. Se esta é a visão, e a importância que o GOVERNO dispensa a contabilidade, não é a mesma conferida aos CONTABILISTAS. Isso ficou bem claro e demonstrado pelos SENADORES que compõem a atual bancada do senado, ao deixarem de votar no dia 17 de julho, as alterações mínimas necessárias para a implementação da LEI GERAL das micro e pequenas empresas. Hoje são cerca de 1,8 milhão de empresas em todo o País, as quais, certamente ficarão excluídas do SUPER-SIMPLES.

Cabe ao GOVERNO FEDERAL ouvir os contabilistas, que são os profissionais da linha de frente, os quais resolvem as questões tributárias e fiscais das empresas, e que possuem o conhecimento necessário para dar soluções para questões dessa natureza. Por isso, temos a nítida convicção que as pessoas que tomaram a decisão achando que uma integração dos cadastros de contribuintes entre: UNIÃO, ESTADOS e MUNICÍPIO, seria tarefa para 30 dias, não possuem a menor noção da dimensão do País e da quantidade de contribuintes e dos problemas que poderiam daí advir. Gente vamos pensar como pessoas racionais que somos! Para regularizar todas as pendências de uma forma que possibilite a integração dos três cadastros, serão necessários pelos menos 6 (seis) meses de prazo. Precisamos, neste país, aprender ou mudar este estado de coisas, tomar decisões coerentes, maduras, com competência e real conhecimento ao redigir ou votar um dispositivo legal que irá afetar a vida de milhões de brasileiros. Pois nem os contabilistas terão competência e agilidade para resolver todos os problemas fiscais existentes para a migração, bem como a Receita Federal, que não possui estrutura para atender a demanda de serviços surgidos com a entrada em vigor da nova LEI. Vamos ser racionais. Voltamos ao passado, as filas em frente a Receita Federal (Curitiba) começam a se formar no início da madrugada. Se continuar desta forma, vamos reivindicar o pagamento de adicional noturno. Tão mal dimensionada e estruturada, a LEI que deveria ampliar os benefícios que iriam contribuir para a sobrevivência das pequenas empresas, lamentavelmente veio para destruir e excluir empresas que já estavam beneficiadas pelo SIMPLES-FEDERAL. E especialmente no Estado do Paraná, reduzir ou destruir os benefícios concedidos pelo GOVERNO ESTADUAL. E que doravante, certamente, terão aumento da carga tributária, desestimulando as empresas paranaenses a optar pelo sistema simplificado de pagamento de impostos. De outra vertente, notamos um silêncio algoz das Entidades representativas das classes empresariais diante de um futuro obscuro que se apresenta para os diversos segmentos empresariais. É hora de reagirmos, de tomarmos uma posição FIRME e CONSISTENTE, em defesa do segmento de empresas que mais emprega mão-de-obra no país. Cabe neste momento, ao SENADO FEDERAL, ao retornar de suas merecidas férias, colocar na pauta de votação, assuntos que realmente interessam a Nação Brasileira, e deixar de lado assuntos menos interessantes, como os indícios de falcatruas do presidente do Senado. Aliás, temos observado que nestes últimos anos, tanto a câmara como o senado, mudaram os seus objetivos. Enquanto preocupados com CPI's e mais CPI's, os parlamentares se esqueceram dos reais interesses das empresas e cidadãos brasileiros, cujas matérias aumentam cada vez mais a pilha dos esquecidos. Com o devido respeito, assuntos de corrupção e roubalheira, dizem respeito diretamente a polícia e a justiça, enquanto que o parlamento deve se preocupar mesmo com as questões de ordem social e política, as quais dizem respeito aos cidadãos brasileiros.

Diante do quadro crítico atual, permitimo-nos sugerir aos nobres senadores, que ao retornarem de suas merecidas férias, analisem com toda a prudência que a matéria requer, e seja proposta a prorrogação de 6 meses, retroativa a 1º. de julho. Falando em retroatividade, este expediente é perfeitamente aplicável, a inúmeros exemplos que tivemos no passado e que foram perfeitamente aplicáveis dentro do chamado: JEITINHO BRASILEIRO. Contamos com o apoio de todos os Sindicatos de Contabilistas do Estado do Paraná, para no dia 30 de julho de 2007 as 10 horas da manhã, unirem-se ao SINDICATO DOS CONTABILISTAS DE CURITIBA e a FEDERAÇÃO DOS CONTABILISTAS DO ESTADO DO PARANÁ, no movimento de protesto que será realizado no centro de CURITIBA. CONTABILISTA NÃO É ESCRAVO SUPERSIMPLES QUEREMOS PRAZO. Contabilista:participe contamos com o seu apoio! Respeitosamente Contador, ANTONIO CARLOS DORO PRESIDENTE DA FECOPAR

-VEMPES ASSESSORIA CONTÁBIL JOSUEL VEMPES CASTRO TEC. CONTABILIDADE CRC PR 041433/O-8 TELEFONES: 41 3652 3472 - 9962 2488 e-mail: vempes@gmail.com